quinta-feira, 29 de maio de 2014

REFAÇO O CONVITE: VAMOS FUGIR! DEIXEMOS O BRASIL PARA OS PELES VERMELHAS DE GILBERTO CARVALHO, OS PELES VERDES DE MARINA SILVA E OS PADRES DE TACAPE. QUE AS VASTAS SOLIDÕES DE BANÂNIA SE INUNDEM DE SAPOS, PERERECAS E ONGUEIROS COMENDO LARVA DE MOSCA

Pois é, pois é… José Eduardo Cardozo recebeu as lideranças indígenas um dia depois de um policial militar ter sido ferido por um flechada em um dos infindáveis protestos dos silvícolas que tomam conta da Esplanada dos Ministérios. Pois é… Daqui a pouco, nesse processo regressivo que toma conta do Brasil, sob o comando da presidente Dilma Rousseff, os caetés ainda pedirão um novo bispo para deglutir, reavivando o sabor da carne certamente já tenra do Bispo Sardinha. Não lhe bastou um naufrágio das costas de Alagoas em 1556, ainda teve de topar com “os verdadeiros donos do Brasil” cheios de fome… Desta feita, sugiro Gilberto Carvalho com batatas coradas Sim, senhores! José Eduardo Cardozo, aquele que garantiu que o Brasil é um país seguro para os estrangeiros — os 56 mil brasileiros assassinados em 2012 que se danem! — seguiu o padrão deste governo: bata, faça escarcéu, arranque sangue, mande a lei às favas e seja recebido pelo governo, com o tapete vermelho estendido.

O ministro recebeu uma comissão de 18 indígenas, entre eles o cacique Uilton Tuxá, da Bahia, que classificou o encontro como “o pior” de que já participou. “Ele (Cardozo) disse que não vai assinar nada. Que vai insistir na tentativa de construir mesas de diálogo”. Um dos silvícolas ameaçou: “Por culpa dele, muitos fazendeiros vão morrer”. Índios amarrados ao mastro da bandeira se soltaram e tingiram “o símbolo augusto da paz” de vermelho, o que significa, no simbolismo dos povos primitivos da floresta uma “declaração de guerra”. Então vou de outro índio: “Ai, que preguiça!”.
Números
Querem números? Eu dou. Há 359 territórios indígenas completamente definidos no País, e outros 45 já foram homologados pela Presidência. Estão em discussão mais 212 áreas. Paramos por aí? Não! Há mais 339 pedidos de demarcação. Veja bem, leitor amigo: aquelas 359 áreas já resolvidas correspondem a 13% do território brasileiro. Caso se façam todas as vontades, a elas se acrescentariam, por enquanto, outras… 596!!! Depois falta resolver o problema dos quilombolas…
O governo do PT reencruou a questão indígena, especialmente na gestão Dilma Rousseff. O encarregado da área é Gilberto Carvalho, o secretário-geral da Presidência. Seu braço direito é um tal Paulo Máldos. Ele é que incendeiam as aldeias com a sua “política”. 
Refaço o convite
Refaço um convite que já fiz aqui há quase um ano, no dia 1º de junho de 2013, relembrando, antes, mais um número.
Descontadas as áreas de preservação permanente — sim, também será preciso contemplar a fúria demarcatória dos ambientalistas —, toda a pecuária e toda a agricultura brasileira são produzidas em 27,5% do território brasileiro — pouco mais do dobro do que se destina hoje às reservas indígenas, onde não se produz um pé de mandioca. Quem frequenta praias do Litoral Norte, em São Paulo, passa à beira de uma reserva indígena, às margens da rodovia Rio-Santos. Os guerreiros estão com suas barraquinhas armadas à beira da estrada, vendendo palmito, ilegalmente extraído, e bromélias… É o que a Funai entende por preservação dos povos tradicionais…
Vamos fechar Banânia! Os brancos voltamos para a Europa; os amarelos, para a Ásia, os negros, para a África. Os mestiços podem tentar negociar — talvez servir de mão de obra escrava aos “racialmente puros”, sei lá… Vamos devolver o Brasil aos índios, deixando as vastas solidões para os 800 mil indígenas e para os sapos, as pererecas e os bagres da Marina Silva. A propósito: por que os ambientalistas fazem questão de ignorar a óbvia degradação do meio ambiente nas reservas indígenas? Já sei: ambientalista bom é aquele que briga com o agronegócio — ou não aparece nenhuma ONG estrangeira, geralmente ligada a produtores rurais americanos ou europeus, para financiá-los, né? Como, em regra, os índios não produzem nada e não precisam competir com ninguém — vivem de cesta básica, Bolsa Família e extração ilegal de madeira e minérios —, por que mexer com eles? Chega de Banânia! Vamos embora deste lugar, gente! Não é que não haja por aqui um povo empreendedor. Mas é chato esse negócio de tentar produzir comida tendo de enfrentar os peles-verdes, os peles-vermelhas e os caras de pau. Por Reinaldo Azevedo

ADAMS, UM DOS COTADOS PARA O STF, ENROSCOU-SE NA OPERAÇÃO PORTO SEGURO; JOSÉ EDUARDO CARDOZO, OUTRO, SERIA O COMEÇO DO TRIBUNAL BOLIVARIANO

Já começou, a bolsa de apostas para o substituto de Joaquim Barbosa. Como no poema “Quadrilha”, de Carlos Drummond de Andrade, pode acontecer o óbvio, mas também pode aparecer um J.Pinto Fernandes que não havia entrado na história, né? Quem são os cotados? Desde sempre, está na parada Luís Inácio Adams, titular da Advocacia Geral da União. Faz tempo que é cotado. Em 2012, seu prestígio sofreu um forte abalo por causa da Operação Porto Seguro. Uma das pessoas alvejadas foi o seu então segundo na AGU, José Weber Holanda, considerado uma espécie de chefe da turma à qual pertencia Rosemary Noronha, a Primeira-Amiga de Lula. Weber era mais do que um subordinado de Adams. Era mesmo um amigo. Seu esforço para emplaca-lo em cargos públicos foi imenso, mesmo sabendo que o rapaz estava envolvido em alguns casos nebulosos, inclusive com processo na Justiça, de quando ainda era procurador-geral do INSS. Considerou-se, ora vejam!, que tinha bens incompatíveis com os seus rendimentos. Em 2012, Adams estava cotado para a Casa Civil, e o episódio derrubou a sua candidatura. Voltou a cair nas graças do Planalto com o caso do programa “Mais Médicos”, do qual foi um defensor ardoroso. Um jornalista lhe perguntou o que aconteceria se os cubanos pedissem asilo ao Brasil. Ele não titubeou: “Nesse caso me parece que não teriam direito a essa pretensão. Provavelmente seriam devolvidos.”

Cardozo
Outro candidato, também já faz algum tempo, é, acreditem, José Eduardo Cardozo, atual ministro da Justiça. Nego-me, vamos dizer assim, a analisar a hipótese. Se for indicado, será a escolha clara pela, digamos, “bolivarianização” do tribunal. Cardozo foi um dos coordenadores da campanha de Dilma à Presidência. Simpaticamente, ela o apelidava de um de seus “Três Porquinhos” — os outros dois eram Antonio Palocci e José Eduardo Dutra. As declarações antigas e recentes de Cardozo — que se comporta sempre como militante do PT, nunca como ministro da Justiça — o desqualificam, obviamente, a fazer parte da Suprema Corte do País. Por Reinaldo Azevedo

RONALDO DEFENDE QUE A POLÍCIA "BAIXE O CACETE" EM VÂNDALOS DURANTE PROTESTOS

O ex-atacante da seleção brasileira, Ronaldo Fenômeno, disse nesta quinta-feira que as autoridades devem conter a violência em eventuais protestos na Copa do Mundo e defendeu "baixar o cacete" em vândalos. "Os protestos são sempre válidos... Mas no momento que tem vândalos mascarados, a polícia tem que conter. Acho que o povo brasileiro está em um momento de exigir coisas em diversos setores. Só que parece que acordou todo mundo e tem muitas opiniões soltas e um pega do outro e ninguém sabe para onde ir", afirmou Ronaldo em sabatina do jornal Folha de S. Paulo. "Sobre os vândalos, acho que tem que baixar o cacete neles, tirar da rua", completou.

DECISÃO DO CADE SOBRE CIMENTO VAI GERAR DISPUTA LONGA NA JUSTIÇA

As maiores produtoras de cimento do Brasil devem iniciar uma guerra judicial contra decisão da quarta-feira do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que as obrigou a pagar multa recorde bilionária e a vender parcela considerável de ativos, em um caso que consumiu oito anos de investigações. Seja pelo tamanho da multa, seja pelas obrigações estruturais impostas ao mesmo tempo pelo Cade, a indústria brasileira de cimento considera que o Cade errou ao considerar que Votorantim Cimentos, Holcim, InterCement, Cimpor, Itabira e Itambé fizeram parte de um cartel que gerou prejuízos de 28 bilhões de reais aos consumidores do País. O total de multas impostas pelo Cade alcançou o recorde de 3,1 bilhões de reais, com quase metade do total recaindo sobre a Votorantim Cimentos, líder do mercado nacional, com participação de 40%. Além disso, as empresas terão que vender 20% de sua capacidade de concreto em um prazo mantido sob sigilo pelo órgão de defesa da concorrência. Entre as leis federais que amparam o Cade está a de número 12.529, de 2011. Em seus quase 130 artigos, destacam-se os de número 37 e 38: além de não especificarem precisamente o que é infração à ordem econômica, incluem o dispositivo que permite ao Cade praticar "qualquer outro ato ou providência necessários para a eliminação dos efeitos nocivos à ordem econômica". "A lei é muito ampla, não está bem detalhada e isso, para os advogados, é um prato cheio", disse o advogado Bruno Leal Rodrigues, professor de Direito Econômico da FGV Rio de Janeiro, que não está envolvido no caso. "A decisão foi bem draconiana. As multas são altas e as vendas de ativos são significativas... Nesse contexto, não há muita alternativa para as partes que não buscar resolver o caso na Justiça", afirmou Rodrigues. A exemplo do famoso caso da compra da fabricante brasileira de chocolates Garoto pela Nestlé em fevereiro de 2002 e que segue até hoje tramitando na Justiça, a batalha das cimenteiras nos tribunais promete ser longa. A tendência é cada empresa abrir processos individuais na Justiça Federal de primeira instância em Brasília para tentar buscar liminares que obriguem o Cade a esperar na execução das penas. O vice-presidente da Itabira Agro Industrial, Sergio Maçães, afirmou esperar que o processo que será aberto em defesa de sua companhia "será muito grande, e não será fácil, curto, de rito sumário, porque são muitos aspectos". A Itabira foi condenada pelo Cade a pagar 411 milhões de reais e a vender 20% de sua capacidade em concreto.

PSDB-MG APRESENTA INTERPELAÇÃO CONTRA PRESIDENTE DO PMDB NO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

O presidente do PSDB mineiro, deputado federal Marcus Pestana, apresentou nesta quinta-feira ao Supremo Tribunal Federal uma medida judicial contra o presidente do diretório estadual do PMDB e seu colega de Câmara, Antônio Andrade. O objetivo da interpelação apresentada à Corte no fim da tarde é apurar declarações "muito graves" do peemedebista, segundo o qual um "porta voz" dos tucanos tentou comprar o apoio do PMDB à candidatura do ex-ministro Pimenta da Veiga (PSDB) ao governo de Minas Gerais. Interpelação judicial é uma brincadeira, uma inutilidade, não tem efeito algum. Andrade afirmou na segunda-feira, sem citar nomes, que um representante do PSDB teria oferecido R$ 20 milhões para financiar campanhas de candidatos a deputados além da vaga de candidato ao Senado na chapa tucana. "Eu disse para eles (PSDB) que tenho que ajudar nossa bancada, que estou atrás de R$ 20 milhões. Eles disseram, isso não é problema, nós conseguimos os R$ 20 milhões para você ajudar a bancada dos pré-candidatos a deputado", afirmou o peemedebista, que é cotado para ser candidato a vice-governador em chapa encabeçada pelo petista e ex-vizinho de Esplanada dos Ministérios, Fernando Pimentel. "Estas declarações, muito graves, abandonam o leito natural das disputas e confrontações políticas entre os partidos que democraticamente disputarão as eleições de outubro próximo para, lamentavelmente, tomar rumos não desejados", afirma a interpelação apresentada por Pestana ao Supremo. No documento, o tucano alega que, por ser o representante legal do PSDB, e como Andrade "omitiu o nome da pessoa que teria feito tal oferta de pagamento", teria sido diretamente atingido pelos "fatos inverídicos e desairosos" que são "afirmações caluniosas, difamatórias e injuriosas, portanto, ilícitos jurídicos tipificados no Código Penal".

MAÍLSON DA NÓBREGA DIZ QUE CHANCE DE DILMA ROUSSEFF NO SEGUNDO TURNO CAIU DE 70% PARA 55%

Mailson da Nóbrega, ex-ministro da Fazenda, afirmou nesta quinta-feira, referindo-se à campanha da presidente pela reeleição, que o "sinal vermelho" para Dilma Rousseff irá acender caso sua popularidade caia abaixo de 34%. Conforme ele, a situação de Dilma não é confortável, pois, atualmente, seu nível de aprovação já está em torno de 35%. Para a Tendências Consultoria Integrada, da qual Maílson é sócio, a eleição para presidente da República será decidida em dois Estados (São Paulo e Minas Gerais) e em uma região (Nordeste). Segundo ele, em Pernambuco o presidenciável Eduardo Campos (PSB) conseguiu receber 85% dos votos de Dilma no Estado e isso permite a Campos, que saiu do governo estadual com 83% de popularidade, vencer no Estado. Em Minas Gerais, Aécio Neves ganha, segundo Maílson. Para a consultoria, a decisão sobre o novo presidente deve ocorrer no segundo turno. E as chances de Dilma se reeleger são de 55%, mas esse porcentual já foi de 70%: "A candidatura de Lula não é provável. Dilma não aceitaria o golpe. O PT racharia. E a substituição seria desastrosa". Maílson afirmou ainda que a cotação do dólar poderá ir até os R$ 2,45 caso Dilma seja reeleita. Caso algum candidato da oposição vença as eleições de outubro, a moeda norte-americana poderá cair para R$ 2,10, comentou.

MAILSON DA NÓBREGA DIZ QUE INFLAÇÃO FORÇARÁ ALTA DE JUROS EM 2015

Maílson da Nóbrega, ex-ministro da Fazenda, afirmou nesta quinta-feira que a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 11%, deve se manter inalterada até o fim do ano. No ano que vem, contudo, o Comitê de Política Monetária (Copom) terá de retomar o ciclo de alta porque preços reprimidos pelo governo neste ano deverão gerar pressão inflacionária em 2015, projetou ele durante o 13º Seminário - Perspectivas para o Agribusiness 2014 e 2015, promovido pela BM&FBovespa, em São Paulo. Maílson da Nóbrega comentou ainda que o desempenho da seleção brasileira na Copa do Mundo, que se inicia no mês que vem, não deve influenciar a campanha da presidente Dilma Rousseff pela reeleição. Ele lembrou que, em 2010, mesmo com o insucesso do Brasil na Copa da África do Sul, o ex-presidente e alcaguete Lula (delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr) conseguiu fazer sua sucessora.

HENRIQUE MEIRELLES DESISTE DE CANDIDATURA AO SENADO FEDERAL PELO PSD

O ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, comunicou nesta quinta-feira a desistência da candidatura ao Senado pelo PSD de São Paulo. O comunicado foi feito em carta enviada ao presidente nacional do partido, Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo e nome cotado pelo PSD paulista para ser candidato a governador ou a vice nas eleições de outubro. Na carta, divulgada pelo PSD, Henrique Meirelles não justifica o motivo da desistência. Apenas agradece a Kassab a recepção que teve de militantes, dirigentes, prefeitos e parlamentares paulistas durante as viagens feitas por ambos pelo Estado. "Isso reforçou minha confiança de que o PSD está no caminho certo para contribuir com a política paulista e brasileira", informou. Meirelles informa ainda que, com o fim do prazo para definição se seria ou não candidato, "quero formalizar através desta carta que declino do honroso convite". "Mantenho, porém, enorme disposição de seguir contribuindo para o desenvolvimento do Estado de São Paulo e do Brasil", conclui.

EQUIPES BUSCAVAM AVIÃO DESAPARECIDO DA MALAYSIA AIRLINES EM LUGAR ERRADO

O mistério envolvendo o avião desaparecido da Malaysia Airlines não pára de ser alimentado com informações desanimadoras. Nesta quinta-feira, autoridades australianas descartaram oficialmente que a aeronave esteja na área onde as buscas estavam sendo realizadas. A Agência de Segurança de Transporte da Austrália (ATSB), responsável por coordenar a operação, revelou que os sinais usados para delimitar a região de buscas não pertenciam à caixa-preta do voo MH370. Os ‘pings’, como são chamadas as frequências sonoras, haviam sido identificados em uma área de 850 quilômetros quadrados a 2.500 quilômetros de distância da costa da cidade australiana de Perth. Com isso, as equipes de resgate voltaram à estaca zero. O chefe da ATSB, Martin Dolan, declarou que sua equipe levará de duas a três semanas para reavaliar os dados de satélite obtidos até o momento. “Não sabemos o que eram esses pings. Ainda estamos analisando estes sinais para entendê-los melhor”, destacou. Dolan, no entanto, disse estar “confiante” de que o avião realmente caiu no Oceano Índico. Após detectar os sinais sonoros nos dias 5 e 8 de abril, a Austrália enviou embarcações para intensificar a procura pelo MH370. “Concentramos as buscas nesta área porque os pings eram a melhor informação que tínhamos recebido e também eram a melhor informação disponível até aqui. Em circunstâncias como essas, o melhor que você pode fazer é seguir as melhores pistas”, justificou o vice-primeiro-ministro da Austrália, Warren Truss. Depois do anúncio da ATSB, o primeiro-ministro chinês Li Keqiang exigiu que a Malásia estabeleça um plano alternativo de buscas. Das 239 pessoas a bordo da aeronave que ia de Kuala Lumpur a Pequim, 154 eram chinesas. “Nós esperamos que a Malásia adote o papel de líder e coordenadora, apresente um novo plano de busca pelo avião nos próximos dias e tome a dianteira da investigação com seriedade”, afirmou o premiê chinês, segundo a agência estatal Xinhua. Na terça-feira, o governo malaio e a empresa britânica Inmarsat, que registrou os últimos sinais enviados pelo avião via satélite, divulgaram pela primeira vez os dados que levaram as buscas pelo MH370 à remota região do Oceano Índico.

PETISTA HENRIQUE FONTANA DEVE SER EFETIVADO LÍDER DO GOVERNO

O líder em exercício do governo na Câmara dos Deputados, deputado federal Henrique Fontana (PT-RS), deve ser efetivado até esta sexta-feira na função. O Palácio do Planalto já comunicou a decisão da presidente Dilma Rousseff aos principais líderes da Casa. Fontana era vice do deputado Arlindo Chinaglia (PT-RS), que foi alçado à primeira vice-presidência da Câmara dos Deputados, no lugar de André Vargas (sem partido-PR). Em meio à revelação de sua relação com o doleiro Alberto Youssef, o petista André Vargas abriu mão do cargo na Mesa e se desfiliou do PT.

CONSUMO DE ENERGIA CRESCE 2,1% EM ABRIL

O consumo de energia elétrica cresceu 2,1% em abril de 2014 na comparação com igual mês de 2013, passando de 38,670 mil GW/h para 39,472 mil GW/h. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE). "Mantendo o panorama dos últimos meses, embora com menor influência do fator temperatura, o aumento do consumo foi impulsionado, principalmente, pela dinâmica do setor de comércio e serviços", informou a EPE, em nota. No acumulado em 12 meses, o crescimento ficou em 4,3%, para 471,183 mil GW/h. Apesar do crescimento, o segmento industrial registrou queda na demanda. O consumo de energia caiu 2,8% em abril ante abril de 2013, "reflexo da baixa atividade de setores eletrointensivos e do efeito de menos dias úteis no mês", informou a EPE. "Os principais efeitos negativos sobre o consumo continuam vindo dos segmentos de metalurgia, especialmente alumínio, dos setores químico e automotivo", acrescentou, em nota. O consumo de energia da indústria passou de 15,585 mil GW/h em abril de 2013 para 15,154 mil GW/H em igual mês deste ano. Seguiram a tendência de queda as regiões Sudeste (-4,2%) e Nordeste (-7,9%). O consumo residencial, por sua vez, cresceu 4,6% em abril contra abril de 2013, de 10,301 mil GW/h para 10,776 mil GW/h, influenciado tanto pelo aumento da base de consumidores quanto pelo consumo individual. A expansão da demanda residencial foi puxada pelo aumento de 13,0% na região Centro-Oeste. "A dinâmica de consumo de energia nas residências dessa região reflete expansão da base de consumidores (+4,7%), acima da média nacional", frisou a EPE. O consumo também avançou no Norte (9,9%), no Sul (9,5%), no Nordeste (1,6%) e no Sudeste (2,6%). O consumo de energia da classe comercial também cresceu 7,6% no período, de 7,050 mil GW/h para 7,586 mil GW/h. Segundo a EPE, esse aumento reflete "a entrada nos últimos 12 meses de novas unidades comerciais, em especial shopping centers, supermercados e hotéis". "Os registros do consumo de energia ainda não refletem as estatísticas mais recentes do IBGE para a atividade econômica do setor, que sugerem arrefecimento no ritmo de entrada de novas unidades comerciais", ponderou a EPE. O consumo de energia pelo comércio registrou as maiores altas nas regiões Sul (+10,7%) e Sudeste (+8,2%). A EPE também reportou o consumo de energia entre os consumidores cativos e livres. O mercado cativo cresceu 4,5% entre abril de 2013 e igual mês de 2014, para 29,2 mil GW/h. No acumulado de 12 meses, a alta é de 4,7%. Já a demanda por energia no mercado livre caiu 4,2%, para 10,3 mil GW/h. Em doze meses, a expansão verificada foi de 3,1%, para 126,1 mil GW/h.

BNP PARIBAS PODE SER CONDENADO A PAGAR US$ 10 BILHÕES NOS ESTADOS UNIDOS

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos está próximo de condenar o banco BNP Paribas a pagar mais de 10 bilhões de dólares para resolver uma investigação criminal sobre a colaboração do banco francês no envio de dinheiro para o Irã e outros países que tinham sanções aplicadas pelos norte-americanos. O BNP está tentando negociar uma redução no valor da multa, que poderia ser de 8 bilhões de dólares, segundo informações do jornal Wall Street Journal. As autoridades dos Estados Unidos também negociam se o banco vai perder temporariamente a autorização para transferir dinheiro nos Estados Unidos e para o Exterior. Essa pode ser uma das maiores penalidades já impostas a um banco em território americano por evasão de recursos. Há 10 dias, O Credit Suisse foi a primeira instituição financeira em duas décadas a reconhecer sua culpa perante a Justiça americana pela colaboração com o envio ilegal de dinheiro para o Exterior. Por assumir o erro, os suíços pagaram 2,6 bilhões de dólares de multa. A maior punição financeira foi aplicada no JP Morgan Chase, que desembolsou 13 bilhões de dólares para encerrar um processo sobre o tratamento que a instituição deu aos títulos hipotecários que provocaram a crise financeira de 2008. Os promotores continuam tentando extrair uma confissão de culpa do BNP. Em negociações recentes, eles têm apontado para a reação do mercado após a admissão do Credit Suisse de conspirar para ajudar na evasão fiscal. Benjamin Lawsky, do Departamento de Serviços Financeiros de Nova York, sugeriu a suspensão temporária do banco para "limpar" essas transações. Ele disse que os reguladores devem impor sanções "criativas" para os bancos que vão além de multas, a fim de impedir o futuro delito. Em uma investigação interna, o BNP havia identificado "um volume significativo de transações, entre 2002 e 2009, que poderia ser considerado inadmissível nos termos das leis e regulamentos dos EUA". Em fevereiro, o banco anunciou que estava reservando cerca de 1 bilhão de dólares para cobrir a multa. Dois meses depois, o BNP refez as contas e advertiu que "há a possibilidade de que o montante das multas poderia ser muito superior". Caso a multa seja confirmada, o BNP pode recorrer ao mesmo recurso utilizado pelo Credit: a emissão de títulos de dívida. O Credit obteve sucesso com a emissão de cerca de 5 bilhões em dívidas alguns dias após se declarar culpado de acusações de evasão fiscal dos Estados Unidos.

GABINETE DIGITAL DO GOVERNO DO PEREMPTÓRIO PETISTA "GRILO FALANTE" TARSO GENRO DIFAMA LASIER MARTINS PELO TWITTER

Apenas 24 horas depois que o PT anunciou que substituirá a insípida candidatura da neocomunista Emilia Fernandes, colocando em seu lugar o ex-governador Olívio Dutra, o chamado Gabinete Digital do governo do Rrio Grande do Sul, ligado diretamente ao gabinete do governador Tarso Genro, do PT, publicou mensagem depreciativa contra o adversário do PT, o jornalista Lasier Martins, do PDT, fazendo ironia contra um choque que ele sofreu durante uma das edições da Festa da Uva. O cacho da uva foi desenhado com a estampa de Olívio Dutra, conhecido como "Exterminador do Futuro", ou "Truta". Pior ainda: na esteira  da mensagem ilegal, adversa e cretina publicada na noite de quarta-feira, o Gabinete Digital usou de palavras de baixo calão, próprias do pessoal da área, para atingir Lasier: "Teve gente que levou um 'cagaço' com o anúncio da candidatura do companheiro Olívio”. Apanhado em flagrante delito, o  administrador da conta, no caso o governo Tarso Genro, alegou “erro no login”, pediu desculpas aos seguidores e removeu o tweet. Minutos depois, o vídeo no YouTube também foi deletado. Nenhum dos bandoleiros digitais do governo do Estado foi punido. A candidatura de Lasier Martins incomoda de modo extraordinário o PT e o governo petista. Esta não é a primeira vez que o Gabinete Digital se envolve em polêmica. No dia 1° de abril, a equipe petista publicou uma nota no Facebook dizendo que a estátua do ex-governador Leonel Brizola tinha sumido. O post era ilustrado com uma fotomontagem do pedestal, sem a estátua, mas tudo não passava de uma "pegadinha". Em novembro, a imagem de Tarso também apareceu saltando entre as obras listadas na galeria do site do Gabinete Digital. Inicialmente, o Piratini confirmou que a brincadeira era uma ação do próprio governo, mas depois desmentiu a informação, alegando que o site havia sido invadido por hackers. (Políbio Braga)

MINISTRO JOAQUIM BARBOSA NÃO PODERÁ CONCORRER NAS ELEIÇÕES DE 2014

A aposentadoria do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, ocorre fora da brecha legal para que ele possa se candidatar a algum cargo nas eleições deste ano. Joaquim Barbosa foi cortejado pela maioria dos partidos do País. Ele chegou a ser cogitado como vice na chapa do senador Aécio Neves (PSDB-MG) para disputar o Palácio do Planalto e até foi apontado como nome certo para o Senado pelo Rio de Janeiro. Os convites, contudo, não se concretizaram e não poderão mais se concretizar. Isso porque existem quatro resoluções do Tribunal Superior Eleitoral determinando que juízes precisam se descompatibilizar de seus cargos com pelo menos seis meses de antecedência das eleições caso queiram concorrer. Na última resolução, de março de 2006, o ministro César Asfor Rocha voltou a confirmar a regra definida pela Lei Complementar nº 64/1990.

PLANTIO DE SOJA NO BRASIL CRESCERÁ 4% NA SAFRA 2014/15

A área com soja no Brasil deverá atingir um recorde de 31,2 milhões de hectares na temporada 2014/15, aumento de 4% ante a safra anterior, com produtores estimulados pelos preços da oleaginosa, previu a Agroconsult nesta quinta-feira. Esse plantio representa um aumento de 1,2 milhão de hectares na comparação com a safra anterior, com produtores ampliando o plantio principalmente em Tocantins e Mato Grosso, em áreas de pastagens e no Cerrado, previu o diretor da Agroconsult, André Pessôa, durante evento em São Paulo. No sul do Rio Grande do Sul, a consultoria também vê expansão, pela ocupação de áreas de arroz e pecuária. O consultor não mencionou a produção que o País poderia colher, a partir do crescimento da área plantada. Em 2013/14, o Brasil colheu uma safra recorde de 86,5 milhões de toneladas, segundo o Ministério da Agricultura. Pessôa afirmou que os preços da soja deverão seguir sustentados até a definição do tamanho da safra dos Estados Unidos (maiores produtores globais), o que deverá ocorrer a partir julho. "Vamos ficar sabendo sobre a área (efetiva) plantada de soja nos Estados Unidos, no final de junho. E, até o final de julho, quando a produtividade começa a se definir, ainda haverá espaço para preços sustentados em nível alto", afirmou ele a jornalistas. Segundo ele, a partir de uma definição da safra dos Estados Unidos, os preços deverão ter uma correção, se a produção se confirmar grande. A soja em Chicago recuaria para 12 dólares por bushel. Atualmente, o primeiro contrato na bolsa de referência internacional é negociado perto de 15 dólares por bushel. Sobre as vendas antecipadas da safra 2014/15 do Brasil, ele disse que os negócios estão mais fracos do que ano anterior, mas não forneceu um percentual de fixações. Afirmou que isso acontece porque os produtores brasileiros estão mais capitalizados após safras com bons preços de soja, o que os deixa em situação confortável para negociar vendas futuras. De acordo com o consultor, a segunda safra de milho 2013/14 será maior do que o esperado por conta do clima favorável em Mato Grosso. "A safrinha vai ser melhor do que se esperava, porque choveu em maio", declarou, lembrando que havia uma preocupação para o milho plantado em março. Segundo ele, a consultoria deverá realizar nova revisão da produção da segunda safra, cuja previsão foi elevada em 900 mil toneladas, a 42,1 milhões de toneladas, recentemente.

OPERAÇÃO ARARATH, DA POLÍCIA FEDERAL, DESVENDA PROPINAS NO MINISTÉRIO PÚBLICO DO MATO GROSSO

A Operação Ararath, da Polícia Federal, pode ter desvendado um esquema milionário de corrupção entre promotores do Ministério Público do Estado do Mato Grosso. Uma planilha, encontrada na casa de Éder de Moraes, ex-secretário da Fazenda do governo do atual senador Blairo Maggi (PR-MT), traz 47 nomes de promotores e procuradores do Ministério Público do Mato Grosso. Entre os citados no documento está o procurador-geral de Mato Grosso, Paulo Roberto Jorge do Prado, que se disse "indignado" com a denúncia, apontada pela procuradora Vanessa Christina Marconi Zago Ribeiro Scarmagnani. Segundo ela, o documento é de "supostos pagamentos a membros do Ministério Público do Estado de Mato Grosso". Ao lado do nome de Prado, aparece a quantia de R$ 516,7 mil. "Ela (a procuradora) enlameou 47 pessoas com mais de 30 anos de profissão, são 47 nomes, todos do Ministério Público. Estou indignado com o amadorismo dessa procuradora. Somos promotores e procuradores honrados, mas que da noite para o dia viraram bandidos e corruptos", disse ele. A Operação Ararath teve sua divulgação suspensa por decisão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Foi a primeira vez que a Procuradoria-Geral da República coibiu a divulgação de informações sobre uma operação da Polícia Federal. A atitude gerou uma nota da Associação de Delegados da Polícia Federal (ADPF), que chamou Janot de "censor da República". O procurador-geral nega ter praticado censura e diz que a decisão foi tomada em favor das investigações. Na busca e apreensão realizada na residência do ex-secretário Eder Moraes, no dia 19 de fevereiro, a Polícia Federal encontrou uma planilha contendo o nome de 47 membros do Ministério Público Estadual do Mato Grosso. Na relação, na frente de cada nome de promotor e procurador de Justiça, há as indicações "valor original", "valor corrigido" e "valor a pagar". O total dos valores indicados, respectivamente, são: R$ 10.829.027,91 (valor original); R$ 10.660.733,93 (valor corrigido); e 7.995.550,45 (valor a pagar). A procuradora Vanessa Cristhina Marconi Zago Ribeiro Scarmagnani, que atua em Cuiabá, anexou a planilha na denúncia feita pelo Ministério Púlico Federal à Justiça Federal contra o ex-secretário de Estado, Eder Moraes; sua esposa, Laura Tereza da Costa Dias; o secretário-adjunto do Tesouro de Mato Grosso, Vivaldo Lopes Dias; e o gerente do Bic Banco em Cuiabá, Luiz Carlos Cuzziol. A denúncia foi recebida pelo juiz federal Jeferson Schneider no último dia 20 de maio. Na denúncia, a procuradora da República afirma, sobre a planilha contendo nomes dos membros do Ministério Público do Estado. "Neste ponto, é necessário destacar uma planilha apreendida na residência do investigado Eder Moraes, contendo lista indicativa de pagamentos a membros do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (auto de apreensão nº 42/2014 - autos nº 1972-16.2014.4.01.3600", disse. "A referida planilha foi encontrada no mesmo local e circunstância da apreensão dos documentos que sugerem pagamento de propina a autoridades do Poder Executivo e Legislativo do Estado de Mato Grosso (notas promissórias, cheques, lista contábil de pagamento, operações bancárias e anotações de depósitos)", afirma a procuradora. Ela ressalta que não é possível saber do que se trata a planilha. Mas observa os nomes do procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, e do promotor Marcos Regenold Fernandes – e os valores relacionados a ambos. "Não é possível afirmar se ocorreu o pagamento, do que se trata, sua origem e licitude. Apenas que ao Procurador de Justiça Paulo Roberto Jorge do Prado é apontada a quantia de R$ 516.778,92, ao Promotor de Justiça Marcos Regenold Fernandes a quantia de R$ 59.700,54", afirma a procuradora na denúncia.

ACABOU O REINADO DO PT NO MAIOR FUNDO DE PREVIDÊNCIA PRIVADO DO BRASIL O PREVI, DO BANCO DO BRASIL

Assim como ocorreu na Funcef, o PT sofreu uma derrota expressiva nas eleições de quarta-feira para o conselho deliberativo da Previ. O PT dominou o Previ durante 14 anos, beneficiando seus dirigentes e fazendo jogo pesado em favor do partido e dos governos Lula e Dilma. O PT, que disputava a eleição concentrado na chapa 4, perdeu uma eleição na Previ, Teve apenas 22% dos votos. Ficou atrás da chapa 3, ligada a Valmir Camilo, ex-presidente da associação nacional de funcionários do Banco do Brasil. que conseguiu a preferência de 31% dos eleitores. Camilo sempre foi opositor da turma de Luiz Gushiken, que entrou em 2000 e reinou até quarta-feira. São dezenas bilhões de reais em investimentos e benefícios, que agora escaparam ao controle do PT.

PROCURADORIA ELEITORAL PEDE MULTA DE R$ 750 MIL A PADILHA E AO PT POR PROPAGANDA ANTECIPADA. É A LEI

A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE-SP) entrou na quarta-feira com uma representação eleitoral contra o pré-candidato petista ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, e o diretório estadual do PT, por propaganda eleitoral antecipada. Na ação, o procurador regional eleitoral de São Paulo, André de Carvalho Ramos, pede liminar para proibir a realização de novas caravanas e que o pré-candidato ao governo paulista e o PT paguem multa de R$ 750 mil. Para o procurador, a caravana “fere a igualdade de oportunidades entre os candidatos que concorrerão às eleições, em escancarada violação à isonomia”. De acordo com o Ministério Público Federal, a representação contém documentos, gravações de áudio e vídeos de diversas caravanas realizadas pelo petista no Estado de São Paulo. Impedido de fazer campanha oficial antes do início do período eleitoral, Padilha realiza desde fevereiro uma série de viagens pelo Estado para se manter em evidência até julho, quando começa formalmente a disputa eleitoral. Ainda segundo a Procuradoria da República, na fase da chamada pré-campanha eleitoral, que vai até o início de julho, a lei permite a realização de encontros, seminários ou congressos, em ambientes fechados e pagos pelos partidos, para tratar da organização dos processos eleitorais, discussão de políticas públicas, planos de governo ou alianças partidárias. Todavia, no entendimento do procurador eleitoral, os eventos “além de serem abertos ao público, em geral, contam com ampla divulgação nas redes sociais e meios de comunicação locais, havendo, inclusive, transmissão em tempo real”, afirma o procurador Carvalho Ramos. Além do mais, foram realizadas 12 caravanas, que percorreram 106 municípios do Estado de São Paulo.

Comento

A lei é dura, mas é a lei. O que Alexandre Padilha está fazendo é a mais escancarada e desavergonhada propaganda eleitoral antecipada. E o partido não esconde isso, é bom deixar claro. Trata-se de afrontar a lei de maneira clara, explícita, determinada e consciente. O Artigo 36 da Lei 9.504 é claro: “Art. 36. A propaganda eleitoral somente é permitida após o dia 5 de julho do ano da eleição”. Aliás, o desrespeito não está apenas nessas caravanas, não. Nesta quarta, Padilha acompanhou a presidente Dilma numa solenidade sobre os 10 anos do programa Brasil Sorridente. E desandou a falar de eleição. Afinal, a imprensa fez perguntas a respeito, não é mesmo? Por Reinaldo Azevedo

DILMA DECIDIU EXTINGUIR A DEMOCRACIA POR DECRETO. É GOLPE DE ESTADO

Atenção, leitores! Seus direitos, neste exato momento, estão sendo roubados, solapados, diminuídos. A menos que você seja um membro do MTST, do MST, de uma dessas siglas que optaram pela truculência como forma de expressão política. De mansinho, o PT e a presidente Dilma Rousseff resolveram instalar no País a ditadura petista por decreto. Leiam o conteúdo do decreto 8.243, de 23 de maio deste ano, que cria uma tal “Política Nacional de Participação Social” e um certo “Sistema Nacional de Participação Social”. O Estadão escreve nesta quinta-feira um excelente editorial a respeito. Trata-se de um texto escandalosamente inconstitucional, que afronta o fundamento da igualdade perante a lei, que fere o princípio da representação democrática e cria uma categoria de aristocratas com poderes acima dos outros cidadãos: a dos membros de “movimentos sociais”. O que faz o decreto da digníssima presidente? Em primeiro lugar, define o que é “sociedade civil” em vários incisos do Artigo 2º. Logo o inciso I é uma graça, a saber: “I – sociedade civil – o cidadão, os coletivos, os movimentos sociais institucionalizados ou não institucionalizados, suas redes e suas organizações”. Pronto! Cabe qualquer coisa aí. Afinal, convenham: tudo aquilo que não é institucional é, por natureza, não institucional. Em seguida, o texto da Soberana estabelece que “todos os órgãos da administração pública direta ou indireta” contarão, em seus conselhos, com representantes dessa tal sociedade civil — que, como já vimos, será tudo aquilo que o governo de turno decidir que é… sociedade civil. Todos os órgãos da gestão pública, incluindo agências reguladoras, por exemplo, estariam submetidos aos tais movimentos sociais — que, de resto, sabemos, são controlados pelo PT. Ao estabelecer em lei a sua participação na administração pública, os petistas querem se eternizar no poder, ganhem ou percam as eleições. Isso que a presidente está chamando de “sistema de participação” é, na verdade, um sistema de tutela. Parte do princípio antidemocrático de que aqueles que participam dos ditos movimentos sociais são mais cidadãos do que os que não participam. Criam-se, com esse texto, duas categorias de brasileiros: os que têm direito de participar da vida púbica e os que não têm. Alguém dirá: “Ora, basta integrar um movimento social”. Mas isso implicará, necessariamente, ter de se vincular a um partido político. A Constituição brasileira assegura o direito à livre manifestação e consagra a forma da democracia representativa: por meio de eleições livres, que escolhem o Parlamento. O que Dilma está fazendo, por decreto, é criar uma outra categoria de representação, que não passa pelo processo eletivo. Trata-se de uma iniciativa que busca corroer por dentro o regime democrático. O PT está tentando consolidar um comissariado à moda soviética. Trata-se de um golpe institucional. Será um escândalo se a OAB não recorrer ao Supremo contra essa excrescência. Com esse decreto, os petistas querem, finalmente, tornar obsoletas as eleições. O texto segue o melhor padrão da ditadura venezuelana e das protoditaduras de Bolívia, Equador e Nicarágua. Afinal, na América Latina, hoje em dia, os golpes são dados pelas esquerdas, pela via aparentemente legal. Inconformado com a democracia, o PT quer agora extingui-la por decreto. Por Reinaldo Azevedo

JOAQUIM BARBOSA DISSE AO PRESIDENTE DA CÂMARA QUE VAI SE DEDICAR À VIDA PRIVADA

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), amenizou especulações em torno de uma possível candidatura do ministro Joaquim Barbosa, que deixará o cargo de presidente do Supremo Tribunal Federal cinco meses antes do prazo previsto. Segundo Alves, na visita rápida ao Congresso, na manhã desta quinta-feira, Joaquim Barbosa declarou que vai se dedicar à vida privada. Durante a conversa, o ministro afirmou que a decisão já estava tomada há dois meses. “Joaquim Barbosa disse que já estava amadurecendo essa decisão, que foi uma experiência importante o comando do STF, que está saindo com a consciência de dever cumprido. Desejei boa sorte”, contou Henrique Eduardo Alves. O presidente da Câmara aproveitou para entregar a Joaquim Barbosa uma cópia da ação direta de inconstitucionalidade (Adin) protocolada no início da tarde desta quinta-feira contra a decisão do Tribunal Superior Eleitoral que anulou decreto legislativo do Congresso tratando da distribuição das 513 cadeiras da Câmara, o que afetou bancadas de 13 Estados.

FIFA PROÍBE JOGADORES DE FATURAR NAS REDES SOCIAIS DURANTE A COPA DO MUNDO

A Fifa proibiu o uso das redes sociais pelos jogadores para fins de publicidade durante a Copa do Mundo, de 12 de junho a 13 de julho, no Brasil. A entidade enviou um regulamento de mídia e marketing para as 32 seleções participantes do torneio, informando que o merchandising nas redes será considerado como marketing de emboscada. A CBF orientou os atletas sobre as medidas e seguirá a resolução. Na seleção brasileira, Neymar, Bernard, Hulk, David Luiz e Daniel Alves, por exemplo, usam posts patrocinados para ganhar dinheiro. Neymar tem como patrocinadores as empresas Claro e Panasonic, rivais de parceiras da Fifa, Oi e Sony. Há dois artigos na Lei Geral da Copa que legitimam punições como multas às empresas e até prisões aos responsáveis pelo marketing de emboscada durante a competição. Atletas com mais de 3 milhões de seguidores nas redes podem faturar até 50.000 reais por um post patrocinado. Neymar tem mais de 10,5 milhões de seguidores no Twitter, e mais de 5 milhões no Instagram; Daniel Alves tem pouco mais de 4,3 milhões de fãs no Twitter; David Luiz tem quase 2,5 milhões de seguidores no Twitter; e Hulk passa dos 666.000 seguidores no Instagram.

ASSEMBLÉIA GAÚCHA VAI "DEVOLVER" O MANDATO A 40 DEPUTADOS QUE FORAM CASSADOS NA DITADURA MILITAR

O deputado estadual petista Adão Villaverde resolveu apresentar projeto de resolução na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul para restituir, simbolicamente, os mandatos dos deputados cassados pelo regime militar. Quarenta parlamentares e suplentes, legitimamente eleitos na época, devem ser homenageados com a aprovação da matéria. A iniciativa de Adão Villaverde faz parte da ampla estratégia petista de reescrever a história que está em curso no País. Serão homenageados os seguintes ex-parlamentares: Álvaro Petracco da Cunha (PTB), Antônio Simão Visintainer (PTB), Beno Orlando Burmann (PTB), Hélio Ricardo Carneiro da Fontoura (PTB), João Caruso Scuderi (presidente do PTB), José Lamaison Porto (PTB), Justino da Costa Quintana (PTB), Rubens Dario Porciúncula (PTB), Seno Frederico Ludwig (PTB), Wilmar Corrêa Taborda (PTB), Wilson Vargas da Silveira (PTB), Cândido Norberto dos Santos (MTR), Flávio da Costa Franco (PTB), Her Agapito da Luz (PTB), José Teiltelrott (PTB), Ulisses Camara Villar (PTB), Osmar Lautenschleiger (MTR), Alberto Schroetter (ARS), Jorge Alberto Campezatto (ARS), Ottomar Ataliba Dillemburg (ARS), Edson Medeiros (ARS), Jair de Moura Calixto (ARS), Nelson Amorelli Vianna (ARS), Guilherme do Valle Tonnigues (ARS), Bruno Segalla (ARS), Fúlvio Petraco (ARS), Vicente Martins Real (ARS), Clovis Morais Rodrigues (MDB), Darcilio Ivo Giacomazzi (MDB), Darcy Von Hoonholtz (MDB), Flávio Antônio Lopes Ramos (MDB), João Brusa Netto (MDB), Lauro Hagemann (MDB), Moab Caldas (MDB), Mozart Bianchi Rocha (MDB), Pedro Gomes Nunes (MDB), Renato Souza (MDB), Rubem Machado Lang (MDB), Siegfried Emmanuel Heuser (MDB), Terezinha Gisela Irigaray Chaise (MDB).

CRESCIMENTO FRACO VIRA A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DA GESTÃO DILMA ROUSSEFF

Apesar de ainda demandar cuidados, a inflação não é mais a principal preocupação do governo Dilma, mas, sim, o crescimento da economia. Na avaliação de assessores, o risco de descontrole inflacionário neste ano está descartado, mas a produção caiu a ritmo muito fraco. Reservadamente, a equipe da presidente Dilma já trabalha com a possibilidade de o crescimento do PIB em 2014 ficar abaixo de 2%, menor do que a previsão oficial de 2,3% do Ministério da Fazenda. A equipe da Fazenda já havia reduzido sua estimativa para o desempenho da produção nacional de 2,5% para 2,3% neste ano, mais próxima da calculada pelo Banco Central, de 2%. Acima, porém, das previsões feitas pelo mercado, que variam de 1,3% a 1,9% do PIB. Agora, porém, assessores já reconhecem em conversas reservadas que os últimos dados da economia nacional e internacional levaram a uma reavaliação das previsões, indicando que a renda nacional neste ano crescerá bem menos do que o desejado. Segundo técnicos, a revisão das estimativas de crescimento foi feita, em primeiro lugar, por causa do crescimento mundial mais lento do que o esperado, o que afeta principalmente a indústria e o agronegócio do País. Na lista de efeitos negativos sobre a renda nacional, também figuram a seca atípica deste início de ano, que prejudicou a produção agrícola e gerou dúvidas sobre o setor elétrico, e as crises em países vizinhos, como a Argentina e a Venezuela. Fatores que estão levando o governo a trabalhar com o risco de a balança comercial brasileira encerrar o ano com déficit, ou seja, importações superando as exportações. (FSP)

DILMA AFRONTA A LEGALIDADE EM BRASÍLIA E EM SÃO BERNARDO DO CAMPO PARA FAZER CAMPANHA. OU: QUANDO OS PETISTAS NÃO LEVAM ALGUNS DA CADEIA PARA O PODER, ELES É QUE VÃO DO PODER PARA A CADEIA

Vejam estas fotos de dois políticos presos. Explicarei por que estão aí.

Maluf e Jader
Não posso fazer nada! Enquanto eles não pararem de cometer ilegalidades, eu não paro de acusá-los. Eles fazem aquilo que NÃO deveria ser o trabalho deles. E eu faço aquele que deve ser o meu trabalho. Reportagem de Ranier Bragon, na Folha de hoje, relata a natureza da conversa que manteve a presidente Dilma Rousseff, na noite de terça-feira, com dirigentes, parlamentares e governadores do PMDB, durante jantar no Palácio do Jaburu, sede da Vice-Presidência da República. Sim, leitor, trata-se de um prédio público, sustentado com o nosso dinheiro. Petistas e não petistas pagam as contas do Jaburu. Eleitores e não eleitores de Dilma arcam com os custos. Dilma deixou claro, por exemplo, para que serve a candidatura do peemedebista Paulo Sakaf em São Paulo: “Temos duas candidaturas, uma que é a do ex-ministro (Alexandre) Padilha (PT), e o Skaf. Acredito que é essa a fórmula do segundo turno (…). Quero enfatizar esse fato, a gente não pode ser ingênuo e não perceber o que significa uma derrota dos tucanos em São Paulo, sendo bem clara”. Convenham! Ela estava sendo claríssima. E praticando ilegalidades também! Estava usando dinheiro público — a estrutura do Jaburu — para convocar seus aliados para uma guerra contra um governador da oposição. Dilma também fez afagos a peemedebistas. Elogiou, por exemplo, o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão: “Em poucos lugares do Brasil construímos uma parceria tão fluida”. Pois é… Ocorre que o senador Lindbergh Farias, do PT, elegeu a gestão peemedebista do Estado como seu principal alvo. Tanto é assim que parte do PMDB vai fazer campanha para o tucano Aécio Neves, no chamado voto “Aezão”. Mas nada fala tanto sobre o PT de hoje em dia como a declaração de apreço que Dilma fez pelo senador Jader Barbalho (PMDB-PA): “Tenho um grande respeito pelo Jader Barbalho. Acredito hoje que o Jader tem muita sorte, tem um filho que pode continuar a caminhada dele”. Ela estava se referindo à candidatura de Helder Barbalho ao governo do Pará. Em 2002, Jader chegou a ser preso pela Polícia Federal, junto com outras dez pessoas, todas acusadas de envolvimento no escândalo da extinta Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia). No dia 4 de outubro do ano anterior, tinha renunciado ao mandato de senador, não resistindo a uma chuva de acusações, como desvio de recursos do Banpará e emissão fraudulenta de Títulos da Dívida Agrária. Mas sabem como é… Dilma é dona do seu respeito.
Maluf
Na quarta-feira, a presidente participou de um evento comemorando os dez anos do programa “Brasil Sorridente”. O ato se deu lá em São Bernardo do Campo. O atual ministro da Saúde, Artur Chioro, estava presente. Ocorre que o ex também estava: Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao governo de São Paulo. Mais uma vez, o dinheiro público financiava a festa e era posto a serviço de um candidato. Indagado sobre a sua aliança com Maluf, em São Paulo, e se tiraria uma foto ao lado do deputado, Padilha afirmou: “Vai ter uma foto muito bonita com o PP e quem deve estar triste são aqueles que queriam o PP junto”. Além de certos hábitos, Maluf tem em comum com Jader o fato de também ter sido preso pela Polícia Federal em 2005. O PT é mesmo um portento: quando não contribui para levar as pessoas da cadeia para o poder, seus homens fortes acabam indo do poder para a cadeia. Desse jeito, o Planalto ainda acaba não se diferenciando da Papuda. Ah, sim: lá no alto, vocês vêem Jader e Maluf, ambos presos pela Polícia Federal. Por Reinaldo Azevedo

TENTATIVA DE ASSALTO À FILHA E EX-MULHER DO MINISTRO JOSÉ EDUARDO CARDOZO NÃO É LIÇÃO DE MORAL, MAS INSTRUI

Na tarde desta quarta-feira, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que os turistas devem se sentir seguros no Brasil. À noite, sua ex-mulher e sua filha foram vítimas de uma tentativa de assalto, em São Paulo. É claro que a gente é tentado a fazer a crítica fácil, que, convenham, já vem pronta: “E aí, hein, ministro? Quer dizer que turista pode se sentir seguro!? Já os brasileiros…”. Pois é. Trata-se de uma crítica tão fácil como errada. Todas as pessoas estão sujeitas a assaltos. A bobagem que seus respectivos pais ou ex-maridos falam não tem nenhuma relação com o episódio em si. Os burros e os inteligentes, os bons e os maus, os esquerdistas e os direitistas, os carnívoros, os vegetarianos e os herbívoros… Ninguém escapa. Assaltos não existem para aplicar lições de moral, para ser didáticos ou para punir quem não pensa como a gente. Assaltos existem porque alguém acha certo tomar na marra o que não lhe pertence. Se o país é viciado em impunidade e a transforma numa tradição, o que assaltou uma vez o fará muitas vezes; outros seguirão seu exemplo porque vão considerar que é um jeito fácil de ganhar a vida. E as consequências são conhecidas — nossas conhecidas. É claro que falas de autoridades brasileiras nesses dias são irritantes, beirando a estupidez, a começar das de Cardozo. Veio a público na terça-feira o número de homicídios no Brasil em 2012: mais de 56 mil. A taxa é de 29 por 100 mil habitantes. Uma aberração! O País, já lembrei aqui, tem um terço da população da América Latina e Caribe e responde por mais de metade dos homicídios. À diferença, pois, do que diz o ministro da Justiça, o Brasil não é um país seguro: nem para estrangeiros nem para brasileiros; nem para os que têm pais que falam as coisas certas nem para os que têm pais que falam as coisas erradas. E olhem que ex-mulher e filha do ministro transitavam numa das capitais mais seguras do País. Em qualquer Estado governado por seu partido, o PT, o risco é maior. Leio que até o procurador-geral da República, sei lá com que autoridade ou expertise, resolveu dizer palavras tranquilizadoras aos turistas. Em reunião com empresários, a presidente Dilma Rousseff afirmou que vai chamar o Exército e que não permitirá que se encoste um dedo nas delegações estrangeiras. Tudo isso, no fim das contas, é meio acintoso quando nos damos conta da desídia do Poder Público, com raras exceções, em matéria de segurança pública para os nativos, para este pobre povo de Banânia, que morre às pencas. Convenham: nem seria preciso que a realidade se encarregasse de ser tão didática com Cardozo para que a gente se lembrasse o quanto ele e seu partido não fizeram nessa área. Termos chegado à Copa do Mundo — e, daqui a dois anos, às Olimpíadas — sem uma lei que puna com especial rigor pessoas que põem em risco a segurança coletiva é uma prova de irresponsabilidade. Menos mau que os familiares do ministro possam contar com condições especiais de segurança, como carro blindado e escolta armada. A esmagadora maioria dos brasileiros tem a seu favor apenas a sorte. Além das palavras tranquilizadoras do ministro da Justiça. Por Reinaldo Azevedo

FILHA E EX-MULHER DE JOSÉ EDUARDO CARDOZO SÃO ABORDADAS POR BANDIDOS ARMADOS NO MORUMBI

A filha e a ex-mulher do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, sofreram uma tentativa de assalto por homens armados no Morumbi, na Zona Sul de São Paulo, na noite de terça-feira. Mayra Cardozo comemorava seu 22º aniversário e seguia para um restaurante com a mãe, a procuradora de Justiça Sandra Jardim, da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo. O automóvel em que estavam – um Toyota Camry blindado, de propriedade de Cardozo – foi cercado por quatro criminosos por volta das 20h30, em um semáforo. Sandra arrancou com o carro e conseguiu escapar dos assaltantes. Policiais federais encarregados da escolta da família ficaram para trás, sem reagir. A filha do ministro tem direito a escolta policial porque já relatou ameaças. O caso é tratado inicialmente como tentativa de assalto. A conduta dos agentes da escolta também vai ser investigada. A colegas, os policiais disseram que temem ser acusados de prevaricação, crime em que funcionário público deixa de praticar a função para a qual é pago, punido com até três anos de prisão. Uma nova equipe foi designada para a segurança pessoal de Mayara. Não é a primeira vez que o ministro enfrenta problemas com a escolta da filha. Em junho do ano passado, a coluna Radar, de VEJA, revelou que agentes encarregados dessa tarefa em São Paulo reclamaram do trabalho e policiais de outras jurisdições tiveram de ser deslocados para atender Mayra. No fim de abril, como mostrou a coluna Holofote, de VEJA, um papiloscopista reclamou na página Fale com a Presidente do excesso de policiais encarregados da segurança de Mayra. Cardozo disse, nesta quarta-feira, que os turistas estrangeiros “devem se sentir seguros” no Brasil. Sobre as cenas de índios atacando policiais a flechadas, em Brasília, o ministro afirmou: “O que ocorreu nesta terça-FEIRA mostra que a polícia está presente para garantir o cumprimento da lei, a liberdade de manifestação e não permitir abusos”.

JOAQUIM BARBOSA DEIXARÁ O SUPREMO EM JUNHO, DIZ RENAN CALHEIROS

O presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou na manhã desta quinta-feira que o ministro Joaquim Barbosa deixará o comando do Supremo Tribunal Federal (STF) em junho, conforme antecipou a coluna Radar on-line, de Lauro Jardim. A declaração de Renan foi feita após um encontro dos chefes dos dois Poderes no Senado. Segundo o senador, Barbosa solicitou o encontro para se despedir. “Motivo surpreendente e triste, o ministro veio se despedir, ele estará deixando o Supremo Tribunal Federal”, disse. “Foi uma conversa surpreendente, e nós sentimos muito porque ele é uma das melhores referências do Brasil. Ficamos tristes porque sempre tivemos um relacionamento muito bom como representante dos Poderes, e sempre o tivemos como uma das nossas melhores referências”, afirmou o senador. Após a reunião, Barbosa seguiu para o gabinete do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). No trajeto dentro do Congresso, o ministro não quis comentar: “Num momento oportuno eu vou me pronunciar”, disse. Barbosa comunicou a presidente Dilma Rousseff de sua aposentadoria na noite desta quarta-feira. Com sua saída, o vice-presidente do STF, Ricardo Lewandowski, assumirá a cadeira. Por Reinaldo Azevedo