segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

BANDIDO MENSALEIRO JOSÉ DIRCEU TEVE CEIA DE NATAL NA PAPUDA COM FEIJÃO, ARROZ E FRANGO

Acostumado a passar o révellion na companhia de amigos famosos, em jantares regados a champanhe e pratos refinados, o ex-ministro da Casa Civil, deputado federal cassado por corrupção e bandido mensaleiro José Dirceu virou o ano com os colegas de cela no Complexo Penitenciário da Papuda, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, os ex-deputados Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Bispo Rodrigues (PR-RJ), e o ex-tesoureiro do PL, Jacinto Lamas. A ceia de Natal dos políticos presos, assim como dos demais encarcerados, foi composta por arroz, feijão, salada e frango, arranjados em marmitex. Na véspera de 2014, o frango foi substituído por carne. Os homens não tiveram a mesma regalia das presas do centro de detenção feminino. Por conta do ano novo, as mulheres receberam um incremento na marmita: pernil assado e "farofa rica". O bandido mensaleiro José Dirceu ganhou de Natal bermudas e camisetas brancas novas, sem bolso, conforme as regras da Papuda. Foi um presente de sua primeira ex-mulher, a empresária Clara Becker, aquela que ele abandonou tão logo foi aprovada a anistia no Brasil, confessando a ela que ele não era ele.

COM NOME APROVADO NO SENADO AMERICANO, JANET YELLEN SE TORNA A PRIMEIRA MULHER A PRESIDIR O FED

O Senado americano confirmou nesta segunda-feira o nome da economista Janet Yellen como a próxima líder do Federal Reserve (Fed). Aos 67 anos, a atual número dois da autoridade monetária substituirá Ben Bernanke, que deixa o cargo no próximo dia 31, após oito anos. Yellen será a primeira mulher a ocupar o posto de comando da autoridade monetária dos Estados Unidos em um momento crucial para o órgão: o início da retirada dos estímulos financeiros de 85 bilhões de dólares mensais injetados na economia americana desde a crise financeira. A nomeação de Yellen foi anunciada pelo presidente Barack Obama em outubro do ano passado e passou com facilidade pelas bancadas de senadores democratas e republicanos no primeiro dia de trabalho após o recesso de fim de ano, numa votação de 56 contra 26. Segundo um comunicado assinado pelo democrata Tom Johnson, a população americana deve se sentir segura sobre o fato de o Fed ser comandado pela economista. “Ela provou por meio de sua extensiva e impressionante experiência no serviço público e na academia que é a pessoa mais qualificada para assumir o cargo”, afirmou o senador. A economista graduou-se na Universidade da Califórnia, em Berkeley, e em Yale, onde foi aluna de, pelo menos, dois professores laureados com o Nobel da Economia: Joseph Stiglitz e James Tobin. Seu marido, George Akerlof, também é ganhador do Nobel. Segundo o jornal The Washington Post, a economista o conheceu nos anos 1970, durante sua primeira passagem pelo Fed, no cargo de economista internacional. Yellen voltou ao órgão na década de 1990, durante a administração Clinton, para fazer parte do conselho de dirigentes. Em 2004, passou a chefiar do Fed de São Francisco e desde 2010 assumiu o cargo de vice-presidente. A discreta economista protagonizou, mesmo sem ter a intenção, um episódio inédito na história das escolhas dos dirigentes do Fed. A Casa Branca tem por regra indicar um nome técnico para o órgão, mas que disponha, obviamente, de algum capital político. Não se trata de uma votação ou escolha de mercado — os economistas tampouco concorrem ao cargo. Contudo, conforme a data da saída de Bernanke se aproximava, os nomes de Yellen e do ex-secretário do Tesouro, Larry Summers, surgiram na imprensa como possíveis escolhas da Casa Branca. Tal situação, outrora corriqueira, foi transformada por economistas numa espécie de "corrida" pela presidência do Fed, como se o assunto fosse tema de disputa eleitoral. A possibilidade de escolha de Larry Summers, divulgada em reportagem do Washington Post, fez com que centenas de economistas se mobilizassem e enviassem uma carta aberta à Casa Branca pedindo que Yellen ocupasse o cargo. Summers é considerado por muitos como um dos culpados pela desregulamentação do sistema financeiro que desencadeou a crise econômica de 2008. Também é visto como "arrogante" e "truculento", segundo relatos da imprensa americana, o que dificultaria a formação de um consenso entre os diretores do Fed durante as tomadas de decisão. Diante da torcida contra, o economista enviou uma carta ao presidente Obama pedindo para não ser considerado para o cargo, deixando o caminho livre para a condução de Yellen. A indicação de Yellen agradou ao Partido Democrata e à grande maioria dos economistas americanos. Os jornais The New York Times e Financial Times já haviam tornado pública sua preferência por Yellen em editoriais ao longo do ano. Os ganhadores do Nobel, Paul Krugman e Joseph Stiglitz, publicaram artigos endossando a colega. “Ela foi uma das minhas mais brilhantes alunas”, escreveu Stiglitz. Apesar de não ter o trânsito político de Larry Summers, Yellen foi a artífice, junto com Bernanke, do programa de estímulos colocado em prática desde 2007 que ajudou a resgatar a economia americana da recessão. Também é vista como uma profissional conciliadora, característica importante em um órgão em que as decisões são baseadas em consenso.

BANCOS LUCRAM R$ 14 BILHÕES NO TERCEIRO TRIMESTRE

O lucro líquido de 131 bancos com atuação no sistema financeiro nacional alcançou R$ 14 bilhões no terceiro trimestre do ano passado, montante 13,5% superior ao registrado em igual intervalo de 2012. Na comparação com os três meses imediatamente anteriores, porém, foi vista queda de 24,4%. A queda tem reflexo do resultado superior a R$ 10 bilhões do Banco do Brasil, de abril a junho, devido à alienação na BB Seguridade, holding que controla os negócios de seguros da instituição, ante lucro de R$ 2,74 bilhões registrado de julho a setembro. Em 12 meses, de acordo com os dados da Febraban, o sistema bancário registrou lucro de R$ 61,3 bilhões no terceiro trimestre de 2013. Trata-se da maior cifra já registrada na série da instituição, também influenciada pelo impacto positivo no lucro do Banco do Brasil. O retorno sobre o patrimônio líquido do setor ficou em 14,3% no período, o maior desde o primeiro trimestre de 201. Já o Retorno sobre os ativos foi de 1,16%, praticamente estável na comparação trimestral. Os ativos dos bancos brasileiros totalizaram R$ 5,6 trilhões no terceiro trimestre de 2013, montante 2,3% superior ante os três meses anteriores e 12,8% maior na comparação anual, segundo a Febraban.

GOVERNO DO MARANHÃO ENVIA RELATÓRIO À PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA SOBRE PRESÍDIOS E ATACA O CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA

O governo do Maranhão, comandado pela arrogante sinhazinha Roseana Sarney, encaminhou nesta segunda-feira à Procuradoria-Geral da República um relatório sobre o sistema prisional no Estado. O documento lista providências tomadas para conter o clima de tensão nos presídios e acusa o Conselho Nacional de Justiça de agravar a crise no sistema penitenciário do Estado. Na última semana, o Conselho Nacional de Justiça apontou uma série de irregularidades no complexo de Pedrinhas, onde 62 presos morreram desde o ano passado. Os relatórios do governo e do CNJ serão avaliados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que estuda acionar o Supremo Tribunal Federal por uma intervenção federal em Pedrinhas. Nos últimos três dias, a barbárie do presídio chegou às ruas de São Luís, que registrou ataques a ônibus e delegacias. A menina Ana Clara Souza, de 6 anos, morreu após ter 95% do seu corpo queimado. Ela estava em um ônibus incendiado por criminosos em represália à presença da Polícia Militar para reforçar a segurança em Pedrinhas. Em nota, o governo maranhense afirmou que “não compactua com inverdades que foram levadas a público”, referindo-se ao relatório assinado pelo juiz Douglas Martins, auxiliar da presidência do Conselho Nacional e Justiça, e acrescentou que as denúncias tiveram “o único objetivo de agravar ainda mais a situação nas unidades prisionais do Estado e numa clara tentativa de [sic] descredibilizar medidas que já haviam sido determinadas pelo governo”. O governo estadual rebateu as denúncias de estupros no presídio e questionou a procedência de um vídeo anexado ao relatório, no qual um homem tem a perna dissecada. O governo nega que o homem fosse um detento de Pedrinhas. A arrogante sinhazinha Roseana Sarney pensa que pode tudo na sua capitania.

MINISTRO PETISTA ALEXANDRE PADILHA MUDA DOMICÍLIO PARA SÃO PAULO E PREPARA SAÍDA DO GOVERNO

Para intensificar a pré-campanha ao governo de São Paulo, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha (PT), já fez mudança de domicílio e voltará a morar em sua casa na capital paulista ainda neste mês, quando deixará o comando do ministério para se dedicar às eleições. Em quarto lugar nas pesquisas de intenção de voto, Alexandre Padilha cumpriu a primeira agenda oficial de 2014 nesta segunda-feira, ao lado do prefeito Fernando Haddad (PT). "Já fiz mudança para São Paulo, já trouxe as coisas que estavam em Brasília de volta para a minha casa", disse, reforçando que a presidente Dilma Rousseff avisou os ministros que irão concorrer nas eleições de outubro que a saída da pasta deve acontecer ainda em janeiro. "Desde a reunião do dia 2 de novembro eu me preparei para sair ao longo do mês de janeiro", afirmou o ministro, na inauguração de uma unidade de saúde Rede Hora Certa no bairro da Lapa.

ANP MULTA PETROBRAS POR OPERAÇÃO ACIMA DA CAPACIDADE

A Petrobras recebeu multa de 151.000 reais da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) pela operação acima da capacidade das unidades de coqueamento, que transformam resíduos sólidos em materiais como o óleo combustível, da Refinaria de Paulínia (Replan), no interior de São Paulo. A aplicação da multa foi definida na última reunião da diretoria da agência, em dezembro, após a empresa apresentar recursos. Segundo a ANP, a multa refere-se ao período de cinco anos, quando houve operação acima da capacidade determinada pela agência. Ainda de acordo com o documento, não é possível afirmar quanto de sobrecarga houve na refinaria no período. A aplicação da multa acontece em meio a uma crise no parque de refino da estatal. Em menos de 40 dias, aconteceram cinco incêndios em diferentes unidades de refino da Petrobras. Em pelo menos um deles, em Manaus, três operários ficaram feridos. O último acidente, no sábado, deixou paralisada a unidade de coque da Refinaria Duque de Caxias (Reduc), no Rio de Janeiro. Ainda não há previsão para o restabelecimento da produção no local. As refinarias se encontram no limite de operação, segundo denúncias de sindicatos e especialistas. Com o crescimento da produção de petróleo, as unidades têm sido utilizadas a 95% de capacidade, quando o normal seria 85%. Neste patamar, seria possível a realização de manutenções e paradas preventivas com o objetivo de minimizar os riscos de acidentes. A sobrecarga nas refinarias também tem como objetivo diminuir a importação de derivados de alto valor agregado, que pesam sobre a saúde financeira da companhia.

CARGA TRIBUTÁRIA POR BRASILEIRO CRESCEU 277,3% NOS ÚLTIMOS 14 ANOS

A carga tributária per capita anual cresceu 277,3% entre 2000 (quando era de 2.086,21 reais) e 2013, quando chegou a 7.872,14 reais, de acordo com uma pesquisa do Instituto Assaf, que analisa a carga tributária brasileira, com base nos dados do Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Segundo o levantamento, nos últimos 14 anos a carga tributária brasileira anual saltou de 350 bilhões de reais, em 2000, para 1,53 trilhão de reais, até 13 de dezembro de 2013 - um aumento de 334%. O estudo aponta que o PIB no período de 2000 a 2012 cresceu 273,3%. Na mesma base de comparação, o aumento na carga tributária per capita foi de 284,3%. "Se analisarmos a carga tributária como porcentual do PIB, esses impostos representam 35,3%. Em 2000 este porcentual era de 30,4%", diz o levantamento. De acordo com o Instituto Assaf, o avanço dos sistemas de fiscalização da Receita Federal no combate à sonegação teve papel relevante no aumento da carga tributária.

BNDES VAI GASTAR R$ 234 MILHÕES PARA CONSTRUIR NOVO PRÉDIO NO CENTRO DO RIO DE JANEIRO

O BNDES anunciou nesta segunda-feira que prevê um gasto de 234 milhões de reais para construir um novo edifício na Avenida República do Paraguai, em área contígua à sede da estatal, no centro do Rio de Janeiro. O banco também estima desembolsar 50 milhões de reais em contrapartidas, que serão ainda especificadas pela prefeitura da cidade, com o financiamento de projetos de preservação do patrimônio histórico na região. A previsão é de que o novo prédio tenha 400 vagas de garagem. O novo edifício deve abrigar, segundo informou o banco, cerca de 700 funcionários, que atualmente dão expediente em escritórios no edifício Ventura, um complexo comercial de 18 andares alugados pelo banco. O gasto atual do BNDES com o aluguel do Ventura é de 6 milhões de reais por mês, de acordo com o superintendente de administração da instituição, Carlos Roberto Haude. Cerca de 38% do terreno onde será erguido o novo edifício pertencem à Fraternidade Franciscana Secular São Francisco de Assis. O restante da área já é do BNDES. O banco contratou laudos de avaliação da Bolsa de Imóveis do Rio de Janeiro e da Hilco - empresa de avaliação de imóveis - para estimar o valor da área. No acordo, foi considerada uma média das duas avaliações, de 34,611 milhões de reais. Pelo terreno, o BNDES vai pagar cerca de 4,9 mihões de reais em 24 parcelas para a Fraternidade Franciscana. A irmandade terá 5,46% de participação no futuro prédio, e receberá também aluguel pelo uso de sua parte no edifício.

JUSTIÇA DETERMINA QUE BANDIDOS MENSALEIROS JOSÉ GENOÍNO E MARCOS VALÉRIO PAGUEM MULTAS A QUE FORAM CONDENADOS NO PROCESSO DO MENSALÃO DO PT

A Vara de Execuções Penais do Distrito Federal determinou nesta segunda-feira que o ex-presidente do PT, o bandido mensaleiro José Genoino, e o operador do esquema corruptor do Mensalão do PT, o publicitário mineiro Marcos Valério Fernandes de Souza, paguem as multas impostas pelo Supremo Tribunal Federal pela condenação no julgamento do Mensalão. José Genoino foi sentenciado a quatro anos e oito meses por corrupção ativa e a outros dois anos e três meses por formação de quadrilha, mas ainda recorre da última condenação. O pagamento de multa, no valor de 468 000 reais, refere-se exclusivamente ao crime de corrupção e, conforme a Vara de Execuções Penais, deve ser pago no prazo de dez dias, sob pena de o nome de o mensaleiro ser inscrito na Dívida Ativa da União. Poucos dias antes de ter a prisão decretada, em novembro do ano passado, José Genoino desautorizou militantes do PT a fazer uma espécie de “vaquinha on-line” para tentar arrecadar o dinheiro da multa. O petista tem patrimônio declarado de pouco mais de 170 000 reais. No caso de Marcos Valério, a multa é de quase 3 milhões de reais. A Justiça também determinou o pagamento imediato das multas do ex-deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP) no valor aproximado de 1 milhão de reais, e de Ramon Hollerbach, ex-sócio de Valério, de cerca de 2,7 milhões de reais. Independentemente das multas impostas como pena acessória pelo Supremo Tribunal Federal, desde 2007 o Ministério Público Federal tenta, por meio de ações de improbidade administrativa, cobrar dos réus do Mensalão a devolução do dinheiro desviado no esquema criminoso. Entre as dificuldades na recuperação dos recursos está, por exemplo, a interpretação sobre a aplicação da Lei de Improbidade. A legislação não prevê explicitamente a prerrogativa de autoridades serem julgadas apenas pelas mais altas instâncias da Justiça, e o Ministério Público considera que, por serem cíveis, as ações poderiam ser propostas nas instâncias iniciais, como fez no caso do Mensalão do PT. Ministros do STF, porém, não têm uma posição definitiva sobre que juiz ou tribunal é indicado para julgar esse tipo de processo contra autoridades com foro, como ministros de Estado, deputados e senadores.

INFLAÇÃO DEVE ENCERRAR ESTE ANO EM 5,97%

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve fechar este ano em 5,97%. A expectativa é de instituições financeiras consultadas pelo Banco Central e, de acordo com essa pesquisa, a inflação em 2014 será maior do que no ano passado (5,74%). As projeções estão distantes do centro da meta de inflação estabelecido pelo governo (4,5%) e abaixo do limite superior (6,5%). É função do Banco Central fazer com que a inflação convirja para o centro da meta. Um dos instrumentos usados pelo Banco Central para influenciar a atividade econômica e, por consequência, a inflação, é a taxa básica de juros, a Selic. Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. No ano passado, o Copom elevou a Selic em 2,75%. A taxa encerrou 2013 em 10% ao ano. A expectativa das instituições financeiras é que na reunião do comitê, neste mês, a Selic seja elevada em 0,25% e, posteriormente, haja novo ajuste em igual patamar. Assim, a taxa deve terminar 2014 em 10,50% ao ano.

POLÍCIA ANALISA IMAGENS DO AEROPORTO DO GALEÃO PARA ESCLARECER QUEDA DE MENINA ARGENTINA

A Polícia Civil analisa as imagens das câmeras de segurança do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Tom Jobim para tentar esclarecer como uma menina de 3 anos caiu do mezanino do Terminal 2, no último sábado. Os policiais também aguardam o resultado dos laudos periciais e procuram possíveis testemunhas. A Delegacia do Aeroporto já ouviu os pais da menina, funcionários da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) que estavam no aeroporto e o médico que atendeu a criança após o acidente. O quadro de saúde da menina argentina Camila, que caiu de uma altura aproximada de 7 metros, é estável. Ela teve traumatismo craniano e no rosto e permanece internada no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) pediátrico do Hospital municipal Souza Aguiar. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a menina está lúcida, mas ainda precisa de cuidados. Os médicos ainda estão avaliando a necessidade de uma cirurgia.

CRESCE ENDIVIDAMENTO DAS FAMÍLIAS PAULISTANAS

Mais da metade das famílias paulistanas (53,8% ou 1,928 milhão) estavam com algum tipo de dívida em dezembro. A taxa é 1,7 ponto percentual acima da registrada em novembro último (52,1% ou 1,866 milhão). Na comparação com dezembro de 2012, ocorreu avanço no endividamento das famílias de 7,5%, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). “O consumidor ainda apresenta dificuldades em equilibrar seu orçamento familiar. Com isso, as famílias buscam novas formas de financiamento para manter o padrão de consumo, elevando o comprometimento da renda com dívidas, em um nível maior do que o apresentado no ano anterior”, aponta a nota da Fecomercio. Para as faixas de renda que vão até dez salários mínimos, o percentual de endividados foi 57,6%, o que representa elevação de 0,1% em relação a novembro. Entre os que ganham acima desse valor, 42,7% estavam endividados (6,9% a mais que novembro). O percentual de famílias endividadas com contas em atraso chegou a 16,8% em dezembro, o que representa alta de 2% em relação a novembro e de 1% na comparação com dezembro de 2012. Na lista dos tipos de dívida, a pesquisa revela que a maioria das famílias (73,9%) têm contas de cartão de crédito em atraso; 17% das famílias paulistanas têm dívidas assumidas por meio de carnês; 16,4%, por financiamento de carro; 10,7% têm crédito pessoal; 8,9% assumiram dívidas com financiamento de casa e 6,4% com cheque especial.

UNIVERSIDADES FEDERAIS EXPANDEM VAGAS PELO SISU EM 2014

Na primeira edição de 2014 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), 54 das 59 universidades federais do País abriram vagas pelo programa. No ano passado, foram 43 as instittuições que aderiram ao Sisu. Houve, também, a expansão de 32,5% no número de vagas, que passou de 129.319 em 2013 para 171.401 este ano. As regiões Nordeste e Sudeste concentram o maior volume das 171.401 mil vagas do Sisu, que teve as inscrições abertas nesta segunda-feira. No Nordeste, estão 39,6% das vagas do Sisu; no Sudeste, 28,1%; no Sul, 13%; no Centro-Oeste, 12,6%; e no Norte, 6,7%. Neste ano, o Sisu teve a adesão de um total de 115 instituições públicas de educação superior. Na primeira edição de 2013 foram 101 adesões. Além das 54 universidades federais, também há vagas para o Sisu em 20 universidades estaduais, 40 institutos federais e uma faculdade federal. Houve, também, a expansão de 26% na oferta de cursos. Para 2014, são 4.723 cursos, frente a 3.752 no ano passado. Pedagogia, administração e matemática são os cursos com mais vagas oferecidas no Sisu.

ESTADO DE SAÚDE DE ARIEL SHARON PIORA A CADA DIA

A saúde do ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon piora a cada dia, informou nesta segunda-feira o diretor do centro médico onde permanece internado o ex-líder, em coma desde 2006. "Nas últimas 24 horas, seu risco de vida não diminuiu, ao contrário, aumentou. A menos que ocorra um milagre, sua situação piorará dia a dia", informou o diretor do Hospital Tel Hashomer, em Tel Aviv, Zeev Rotstein. De acordo com o médico, a pressão sanguínea de Sharon foi estabilizada, o que não é um avanço suficiente perante a deterioração dos sinais vitais. Ariel Sharon, de 85 anos, passa por intervenções médicas desde setembro devido a um problema estomacal. Desde então, seu estado vem se agravando gradualmente. Na última quarta-feira os médicos descreveram a situação dele como "crítica" por causa de uma insuficiência renal, que afeta outros órgãos vitais. Em janeiro de 2006, quando ainda era primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon sofreu uma hemorragia cerebral que o deixou em estado de coma permanente.

SISU DESTINA 44% DAS VAGAS PARA AÇÕES AFIRMATIVAS

Esta edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) tem 44% das vagas destinadas a ações afirmativas. Das 171 mil vagas ofertadas pelo programa, 37,4% são destinadas à Lei Federal de Cotas – que prevê que este ano pelo menos 25% das vagas sejam preenchidas por estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas. Além disso, 6,5% são para ações afirmativas próprias das instituições. De acordo com a Lei de Cotas, a reserva de vagas para estudantes de escolas públicas deve ser pelo menos 25% este ano e chegar ao percentual de 50% em 2016. Dados do Ministério da Educação mostram que 61 universidades e institutos federais que participam do Sisu já atingiram a meta prevista para 2016. “As universidades estão se antecipando e chegaremos mais cedo à meta de 50% de todas as vagas em todos os cursos federais serem ofertadas predominantemente aos estudantes da escola pública que são 88% dos estudantes do País”, disse o ministro da Educação, o petista Aloizio Mercadante. Das vagas reservadas pelas instituições para estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas, metade é destinada àqueles com renda familiar bruta mensal por pessoa de até um salário mínimo e meio. O preenchimento das vagas leva em conta ainda critérios de cor ou raça, ou seja, um percentual das vagas é reservado a estudantes autodeclarados pretos, pardos ou indígenas. As inscrições no Sisu foram abertas na madrugada desta segunda-feira e vão até o próximo dia 10. Na primeira edição deste ano, o Sisu oferta 171.401 vagas em 4.723 cursos de 115 instituições públicas de educação superior.

JUSTIÇA DETERMINA QUE BANDIDO PETISTA JOSÉ GENOÍNO PAGUE MULTA DE R$ 468 MIL DA CONDENAÇÃO NO PROCESSO DO MENSALÃO DO PT

A Vara de Execuções Penais do Distrito Federal determinou nesta segunda-feira que o ex-deputado federal e bandido petista José Genoino, condenado a quatro anos e oito meses de prisão no processo do Mensalão do PT, pague a multa que ele recebeu pela condenação por corrupção. Conforme decisão da Vara de Execuções Penais, o bandido petista José Genoino tem dez dias para pagar cerca de R$ 468 mil. De acordo com despacho da Vara de Execuções Penais, se o bandido José Genoino não fizer o pagamento no prazo estipulado, o débito será inscrito na Dívida Ativa da União. O bandido petista José  Genoino cumpre prisão domiciliar temporária até 19 de fevereiro em mansão de Brasília, por decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. Ele permanecerá em Brasília até nova avaliação médica. Após a data, uma perícia será feita para decidir se o condenado permanecerá em casa ou voltará para a Penitenciária da Papuda, no Distrito Federal.

BLATTER TRATA AUTORIDADES BRASILEIRAS COMO MOLEQUES LEVADAS; PRIMEIRO, O PUXÃO DE ORELHA; DEPOIS, O ESTÍMULO. FAZ SENTIDO...

Joseph Blatter, presidente da Fifa, trata o Brasil mais ou menos como os pais severos tratam os filhos indisciplinados, que precisam tanto de um estímulo como de um puxão de orelha, este antecedendo aquele, é lógico. A imprensa brasileira está noticiando o que seria o recuo de Blatter, nessa sua relação de morde e assopra com as autoridades brasileiras. Bem, não há recuo nenhum, né? A velha raposa está apenas recorrendo à esperteza. Blatter, como ele mesmo lembrou na entrevista em que criticou o atraso nas obras da Copa, é dirigente da entidade desde 1975. Sabe como são as coisas. Tem consciência de que uma entrevista sua será notícia no Brasil e no mundo inteiro. Se diz que nunca viu atraso igual ao do Brasil em quase 40 anos, é porque quer que o mundo saiba disso — e porque quer também que as autoridades brasileiras saibam que os outros sabem.

Agora, vem a público para afirmar o óbvio: tem confiança de que tudo será feito no prazo, que a disputa de 2014 será a Copa das Copas, que haverá recorde de público etc. Recuo? Não. Ele não se desculpou. Ele não disse que sua avaliação estava errada. Ele não afirmou que trabalhava com dados falsos. Depois do alerta, para despertar os brios da brasileirada, expressou a sua confiança no evento. Num dado momento, a Copa no Brasil chegou a correr riscos, sim. A Fifa pensou seriamente em mudar a sede da disputa em razão das trapalhadas oficiais. Considerou, depois, que seria um desgaste também para a entidade e preferiu manter a aposta no país, mas sempre com o pé atrás. Blatter faz o que lhe cabe fazer. Parece que, a esta altura, está claro que as autoridades brasileiras só funcionam sob pressão. O preço do seu elogio é sempre um pito. Por Reinaldo Azevedo

JOÃO PAULO CUNHA, O MAIS ESTRIDENTE E FALASTRÃO DOS PETISTAS CONDENADOS, VAI PARA A CADEIA

O ainda deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) vai, finalmente, para a cadeia. O ministro Joaquim Barbosa recusou os embargos infringentes contra duas das três condenações que pesam contra ele: corrupção passiva e peculato. Por esses dois crimes, ele foi condenado por nove votos, com apenas duas absolvições. O Regimento Interno do STF exige um mínimo de quatro votos favoráveis para que a condenação seja reexaminada. A pena total de Cunha soma 9 anos e 4 meses, o que lhe renderia regime fechado, assim distribuídos: 3 anos e 4 meses por peculato, 3 anos por corrupção passiva e 3 anos por lavagem de dinheiro. Nesse terceiro caso, no entanto, ele obteve cinco votos de absolvição: Ricardo Lewandowski, Rosa Weber, Dias Toffoli, Cezar Peluso e Marco Aurélio. Nesse caso, então, cabem os infringentes. Ele começará a cumprir os 6 anos e 4 meses restantes em regime semiaberto.

Embora não seja o mais poderoso, João Paulo se mostrou o mais agressivo e mais arrogante dos mensaleiros condenados. Ninguém, como ele, vituperou tanto contra o Supremo Tribunal Federal e contra o ministro Joaquim Barbosa, a quem acusou, explicitamente, de conduzir o processo com viés político. João Paulo foi mais longe. Chegou a sugerir que Joaquim Barbosa era um ingrato. Disse: “Ele Chegou [ao Supremo] porque era compromisso nosso, do PT e do Lula, de reparar um pedaço da injustiça histórica com os negros”. Ou por outra: o petista achava que o ministro deveria, num gesto de gratidão, ter absolvido os petistas.
Quando percebeu que a pressão era inútil, perdeu a compostura de vez. Numa entrevista, mandou brasa: “Para mim não importa se ele [Barbosa] vai ser ou não vai ser [candidato]. Mas ele não pode ficar, da cadeira de presidente do Supremo, falando bobagem, sem dar direito ao réu de ir se defender lá. (…) Eu estou pronto para qualquer dia ir lá no Supremo e pedir para ele deixar eu falar lá da tribuna dele, para responder ao que ele fala no microfone, não nos autos. Justiça tem dois pratos. A balança do ministro Joaquim Barbosa tem um prato só, o da condenação. Então, ele não é juiz. Ele é promotor". Na cadeia, João Paulo terá tempo de refletir um pouquinho. Por Reinaldo Azevedo

CONSUMO DE ENERGIA NO BRASIL CRESCE 3,3% EM NOVEMBRO

O consumo total de energia elétrica no País foi de 39.902 gigawatts-hora (GWh) em novembro, o que representou aumento de 3,3% em comparação ao mesmo mês de 2012. No acumulado do ano, o consumo também teve alta de 3,3%. Os dados fazem parte da Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica, divulgada nesta segunda-feira pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE). As residências puxaram o resultado do mês, com alta de 4,2%, seguidas pelo comércio e serviços (4,8%). Nas residências do País, o consumo somou 10.666 GWh em novembro, com aumento de 427 GWh em relação a igual período do ano passado. O Nordeste foi responsável por mais da metade do acréscimo de energia (236 GWh). A alta se deu após o expressivo aumento de novembro de 2012 (10%), influenciado, então, pelo efeito do calor em mercados de grande demanda nas regiões Sul e Sudeste. A indústria consumiu 15.761 GWh de energia elétrica no mês de novembro, levando a taxa dos últimos 12 meses do setor a registrar o primeiro resultado positivo para o período, pequena alta de 0,1%. Na comparação com novembro de 2012, o consumo industrial de energia cresceu 1,8%. A Região Sul foi a que mais contribuiu para o resultado do mês. Todos os Estados tiveram crescimento. Em seguida, aparecem o Centro-Oeste, o Norte e o Sudeste. A única região que apresentou decréscimo foi o Nordeste. No comércio e serviços, o crescimento em novembro (4,8%) foi inferior ao registrado em igual período de 2012 (13,7%). “Clima mais ameno nas regiões Sudeste e Sul e atividade menos intensa, sobretudo no setor comercial, explicam a diferença entre os dois resultados”, diz o informe da EPE. Na avaliação da EPE, a retração está relacionada à queda nas vendas e no percentual de famílias endividadas, que passou de 59% para 63% no período, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio.

JOAQUIM BARBOSA JÁ PODE MANDAR PRENDER O BANDIDO PETISTA MENSALEIRO E DEPUTADO FEDERAL JOÃO PAULO CUNHA

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, negou nesta segunda-feira o recurso e determinou o fim do processo do Mensalão do PT para o deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP). A decisão vale para as penas de corrupção e peculato, que somam seis anos e quatro meses e para as quais não cabe mais recurso. Com a decisão, João Paulo Cunha deverá ser preso a qualquer momento. Para determinar a execução das penas, Joaquim Barbosa considerou protelatórios os recursos referentes às penas de corrupção passiva e peculato. Pelo crime de lavagem de dinheiro, o bandido petista João Paulo Cunha recebeu pena de três anos de prisão, mas ainda pode protocolar recurso. "Por faltar-lhe requisito objetivo essencial de admissibilidade e por considerá-lo meramente protelatório, determino, como consequência, a imediata certificação do trânsito em julgado quanto a essas condenações", decidiu Joaquim Barbosa.

PREFEITO DE CUIABÁ É INVESTIGADO EM FRAUDE DE R$ 700 MILHÕES

O prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), e seu sócio, Valdinei Mauro de Souza, estão sob investigação do Ministério Público Federal. Ambos são investigados por uma fraude que pode chegar a R$ 700 milhões. A suposta irregularidade teria acontecido na compra de uma mineradora e envolve a empresa do prefeito. A investigação começou a pedido do Tribunal Regional do Trabalho e está sob sigilo. Mauro Mendes é acusado de ter se beneficiado do que o juiz do Trabalho, Paulo Roberto Brescovici, chamou de “fraude processual”. Brescovici considerou nulo o processo de venda da mineradora. O esquema envolvia um juiz do TRT que, de acordo com a investigação, desviou R$ 185 mil do processo. Ele foi afastado do cargo pelo TRT do Mato Grosso. Luis Aparecido Ferreira Torres, o juiz envolvido na fraude, permitiu, em 2011, a transferência das cotas da mineradora, chamada à época de Minérios Salomão, para uma empresa de Jéssica Cristina de Souza, filha do sócio do prefeito. Seis meses depois, Jéssica transferiu 98% das cotas para a Maney Mineradora Casa de Pedra, que pertence a seu pai e a Mauro Mendes. Brescovici afirma que o processo tem uma série de irregularidades e possíveis “ilícitos penais”. Um dos problemas  foi a transferência das cotas da mineradora por R$ 1,8 milhão. Segundo Brescovici, o juiz Ferreira Torres desconsiderou o potencial econômico das reservas auríferas e recursos naturais da área de propriedade da empresa. De acordo com o laudo técnico o valor foi fixado em R$ 723,7 milhões. Outra irregularidade descoberta pelo juiz Paulo Roberto Brescovici foi uma autorização, dada por Ferreira Torres, para que a Caixa Econômica Federal liberasse R$ 185 mil a título de corretagem para o corretor de imóveis José de Faria de Oliveira. O corretor não atuou em nenhum momento no processo de venda da mineradora ou de seus aditivos. Oliveira intermediou a compra de dois flats, vendidos por uma construtora ao juiz. Em depoimento, o corretor disse que foi chamado ao gabinete do juiz Luis Aparecido Ferreira Torres onde foi-lhe proposto transferir para seu nome os dois imóveis, sem explicação do motivo. O corretor negou. Oliveira diz ainda que o juiz lhe perguntou se ele havia sido procurado por alguém do TRT e foi orientado por Ferreira Torres a dizer que havia recebido R$ 185 mil, sob suspeita, a título de corretagem. O pedido foi negado pelo corretor que procurou a corregedoria do tribunal, a partir daí o caso passou a ser investigado.

CHINA VAI LIBERAR CRIAÇÃO DE BANCOS TOTALMENTE PRIVADOS, ABRINDO O SETOR PARA O CAPITAL INTERNACIONAL

A Comissão Reguladora Bancária da China divulgou nesta segunda-feira que irá liberar a criação de três a cinco bancos totalmente privados em uma fase de testes em 2014. A idéia seria dar início a uma abertura maior do setor para os investidores chineses e estrangeiros. De acordo com a CBRC, o capital privado será introduzido de maneira gradual para reestruturar as atuais instituições bancárias e dar a possibilidade de criar novas. A CBRC vai liberar a entrada de capital estrangeiro no setor e facilitar operações em renminbi (moeda da China) com novas políticas na zona franca de Xangai.

DESEMBARGADOR PUNIDO COM APOSENTADORIA RECORRE AO STF

Punido por decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) com a penalidade de aposentadoria compulsória, o desembargador Megbel Abdala Tanus Ferreira, do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão  impetrou, no Supremo Tribunal Federal, o Mandado de Segurança nº 32698, com pedido de liminar. Ele pleiteia a suspensão dos efeitos do julgamento do processo administrativo disciplinar que resultou na aposentadoria e a permissão para continuar suas atividades no Tribunal de Justiça do Maranhão, até julgamento de final. No mérito, pretende anular a decisão do CNJ. Elementos colhidos durante a instrução do processo disciplinar no CNJ apontaram a conivência do magistrado com a tramitação irregular de um mandado de segurança impetrado pela empresa Viatur – Turismo e Transporte Ltda. contra o Município de São Luís, somada à sua atitude temerária em conceder uma liminar para pagamento de mais de R$ 6 milhões contra a Fazenda Pública, sem que houvesse direito líquido e certo a respaldar a concessão do pedido e sem exigência de caução idônea a possibilitar o deferimento para levantamento do numerário, além da inobservância completa da sistemática dos precatórios. O valor não chegou a ser pago, por decisão do TJ-MA. Em sua defesa, o desembargador – que assumiu o cargo em 6 de março de 2013, quando o processo contra ele já estava tramitando no CNJ – sustenta que, no PAD, as acusações não foram demonstradas, havendo apenas “conjecturas e suspeitas”. Relata que, na tramitação do processo no Conselho, anexou cópias de suas últimas declarações de imposto de renda para demonstrar “a compatibilidade de sua renda com sua evolução patrimonial”. Afirma ainda que, em mais de 31 anos de serviço público, mais de 25 dos quais como magistrado, “nunca respondeu a qualquer processo disciplinar, criminal ou cível, possuindo uma reputação ilibada perante sua classe profissional e na sociedade”. Tanto é que, ao longo da vida profissional, exerceu, entre outras, as funções de vice-diretor da Escola da Magistratura, foi delegado da Polícia Civil e diretor da Escola Judiciária Eleitoral do Maranhão. Por isso, segundo ele, o CNJ teria violado os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade na gradação das penas, previstos na Lei Orgânica da Magistratura (Loman), ao aplicar-lhe a sanção máxima. Sustenta, também, que a sindicância instaurada para apurar os fatos estaria “eivada de vícios insanáveis, já que teria aproveitada dados constantes em outro PAD que foi arquivado, “justamente por se encontrar eivado de vícios”. Megbel Abdala alega, também, ofensa às garantias constitucionais do devido processo legal, contraditório e da ampla defesa, uma vez que o CNJ teria colocado o processo em pauta antes de vencido o prazo para sua defesa oferecer alegações finais. Também, segundo sustenta, os novos conselheiros do CNJ empossados após a sessão em que teve início o julgamento e adiado por pedido de vista “nunca poderiam conhecer da matéria ora debatida”, isto é, participar da conclusão do julgamento de seu processo. O relator do MS 32698 é o ministro Ricardo Lewandowski.

O PETISTA PAULO MALDOS, A MÃO ESQUERDA E OCULTA DE GILBERTO CARVALHO, SERÁ PROCESSADO PELA SENADORA KATIA ABREU

Paulo Maldos é a escória da escória do PT. É a mão oculta de Gilberto Carvalho a agitar os movimentos sociais, causando conflitos por onde passa. Foi assim no Pinheirinho. Foi assim em todos os momentos em que este governo porco defendeu o MST. Está sendo assim nas violentas expulsões de produtores rurais para que cedam terras legitimamente ocupadas a indígenas, mediante laudos fraudulentos, construídos em conjunto com os padres do CIMI, os antropólogos da FUNAI e seus financiadores, as ONGs internacionais. Na última sexta-feira, Maldos foi além dos limites, com a seguinte declaração na Voz do Brasil, que na verdade é a Voz da Dilma Rousseff, pois é a palavra oficial do Governo Federal. Vejam o que o covarde disse sobre a "desintrusão" da terra Awá-Guajá, onde 400 índios receberão 116.000 hectares, o equivalente a 500 campos de futebol por habitante: "A maioria dos ocupantes que se encontram ali vivem da extração da madeira, plantação de maconha e outros ilícitos, como já foi identificado há pouco tempo trabalho escravo na região. Então, a gente tem uma crise humanitária, digamos, em que você, por um lado, povos indígenas sem contato algum com a nossa sociedade, ou um contato muito recente, e, por outro lado, representantes, digamos, da nossa sociedade, que são o que temos de mais criminoso. Então, uma situação que o estado tem que se fazer presente, dando suporte a uma decisão judicial, e vamos procurar discriminar aí também, né?" É mentira. E a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil publicou nota oficial, com o seguinte teor, anunciando que processará Paulo Maldos: "A declaração do secretário de Articulação Social da Secretaria Geral da Presidência da República, Paulo Maldos, de que os agricultores pobres, enxotados de suas terras no Maranhão pela Funai, são “plantadores de maconha”, configura violência ainda maior que a do despejo que lhes foi imposto. Além de despojá-los do seu meio de sobrevivência, atacou-lhes a honra e a integridade. Não é verdade o que afirmou à Voz do Brasil. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) vem a público repudiar as declarações  levianas, irresponsáveis e ideológicas de um servidor público mal intencionado, contra as quais buscará as medidas judiciais cabíveis. Esse despejo repete a violência praticada na antiga Fazenda Suiá-Missu, onde, além de destruir moradias e escolas, os ativistas da Funai, sem meios de justificar aquele gesto hediondo, acusaram os trabalhadores de “gente ligada ao crime organizado”. A tática é repugnante: trocam a justificativa pela ofensa, não provam o que dizem e infligem perdas irreparáveis a centenas de famílias de trabalhadores. Um crime de lesa-Pátria". Brasília, 5 de janeiro de 2014. Senadora Kátia Abreu - Presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CoroneLeaks)

BANDIDO PETISTA JOSÉ DIRCEU FAZ CURSO DE DIREITO CONSTITUCIONAL NA PAPUDA

Preso há quase dois meses na penitenciária da Papuda, em Brasília, o ex-ministro da Casa Civil, o bandido petista José Dirceu começou a fazer cursos por correspondência e está estudando Direito Constitucional. Chefe da quadrilha dos mensaleiros, José Dirceu foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal por corrupção ativa e formação de quadrilha, embora recorra deste último crime por meio de embargos infringentes. De acordo com o subsecretário do Sistema Penitenciário, Cláudio Magalhães, os estudos começaram poucos dias depois que os mensaleiros foram levados para a Papuda, em 16 de novembro. Os custos dos cursos à distância são de responsabilidade dos próprios detentos. A Lei de Execução Penal estabelece que os condenados podem ter as penas abatidas caso comprovem frequência escolar no ensino fundamental, médio, profissionalizante, superior ou de requalificação profissional. A legislação prevê o abatimento de um dia de pena a cada 12 horas de estudo. Ainda entre os condenados no Mensalão, o ex-presidente do PT, o bandido José Genoino, que tem consulta e exames pré-agendados no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para esta terça-feira, não tem autorização para viajar para fazer uma reavaliação médica. Por decisão judicial, cumpre prisão domiciliar provisória, agora em uma mansão em Brasília, pelo menos até o final de fevereiro. Caso queira ter a saúde reavaliada por seus médicos particulares, o bandido José Genoino terá de deslocar os profissionais até Brasília. O ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, autorizou que o mensaleiro continue em domiciliar pelo período de 90 dias, contados a partir do dia 21 de novembro, mas determinou que qualquer reavaliação de saúde seja feita em Brasília.

A PRESIDENTE DO CPERS DENUNCIA QUE RECEBE AMEAÇAS DE MORTE DA JAGUNÇADA PETRALHA; ELA CONTRATOU CARRO BLINDADO E CERCADA POR SEGURANÇAS

Nunca antes neste Estado se viu coisa igual..... a presidente do Cpers, a petista Rejane Fernandes, assustada com as repetidas ameaças de morte que recebeu no final de ano de petralhas anônimos, contratou o aluguel de um carro blindado para se proteger, além de seguranças pessoais. O carro blindado, um Ford Fusion, foi dispensado depois de dez dias de uso, mas não os seguranças, que continuam ao lado dela. Disse a petista Rejane Fernandes: "O agressor disse pelo telefone que eu iria ser morta com um tiro na cabeça e que minha família passaria o Natal me velando". A polícia do governo do peremptório petista "grilo falante" Tarso Genro investigou as ameaças telefônicas e constatou que saíram de um telefone público do bairro Menino Deus. A direção do Cpers acha que a ameça tem conteúdo político. Ela não quis acusar ninguém, mas o fato é que suas divergências mais fortes ocorrem com o governo do peremptório petista "grilo falante" Tarso Genro e seu próprio partido, o PT. Rejane Fernandes não quis pedir proteção policial, que seria do governo do seu próprio partido. É..... nunca antes neste Estado se viu coisa igual....

MINISTRO PETISTA PEPE VARGAS QUER EMPLACAR CARLOS DE GUEDES EM SUA SUBSTITUIÇÃO NO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO

Carlos de Guedes, presidente do Incra, poderá substituir o petista Pepe Vargas no ministério do Desenvolvimento Agrário. Ele é gaúcho. Foi assessor do ex-vice-governador Miguel Rosseto. Ou seja, é uma trinca de neotrotskistas, todos membros da DS - Democracia Socialista, grupelho trotskista, comandado pelo deputado estadual Raul Pont, que se hospeda no PT.

PMDB DO RIO GRANDE DO SUL SÓ TRABALHA COM MIRAGENS...

O presidente do PMDB no Rio Grande do Sul, o deputado estadual Edson Brum, antes de sair em férias por 25 dias com a família, fez um notável conjunto de piruetas fantásticas para o jornalista Políbio Braga. Em primeiro lugar, com um autêntico Mandrake, ele tenta fascinar o eleitorado peemedebista com uma lista de candidatos à Assembléia Legislativa incluindo os nomes de josé Fogaça, Ibsen Pinheiro, José Ivo Sartori, Luis Roberto Andrade Ponte e Pedro Simon. Nem criancinha do Maternal 1 acreditaria minimamente nessa hipótese. Em segundo lugar, Edson Brum amplia a fantasia, pretendendo atribuir ao seu partido uma força política que ele não tem mais no Estado: diz ele que o partido terá uma nominata de 83 candidatos ao Parlamento gaúcho. Claro, até a Tia Eva será lançada como candidata. Ocorre que, desses 83 (em 2010 foram 40 candidatos), 75 deles são incapazes de ultrapassar 2.000 votos cada um. Então, a intenção parece bastante óbvia: lançar o maior número de candidatos para ajudar a mesma nominata de sempre que os donos do partido pretendem eleger, ou seja, eles próprios. A mandrakaria prossegue com relação à nominata de candidatos a deputado federal. Diz Edson Brum que o partido terá 39 candidatos (foram 15 em 2010). Atualmente, o PMDB do Rio Grande do Sul tem uma reduzidissima bancada de deputados federais. Dos atuais, Mendes Ribeiro Filho não concorrerá mais, por causa da doença; Eliseu Padilha ameaça não concorrer, devido ao seu compromisso de apoiar a candidatura da presidente Dilma Rousseff; Alceu Moreira não poderá mais concorrer até o ano de 20023, porque é ficha suja, está inscrito no Cadastro Nacional de Improbidade Administrativa e Inelegibilidades, do Conselho Nacional de Justiça. Assim, restam apenas Osmar Terra e Darcisio Perondi. Não há qualquer notícia do surgimento de liderança nova nesse período para repor as perdas, até porque os caciques peemedebistas nunca permitiram a ascenção de nomes novos no partido. E o resultado está aí. Resumindo: das 39 candidaturas a deputado federal, 30 podem ser tratadas, com toda certeza, como meramente ficcionais. Nunca a decadência do partido foi tão acentuada como atualmente.  A situação é tão grave que o PMDB não consegue sequer escolher um candidato para concorrer ao governo do Estado, mesmo quando o governo petista atual é uma completa nulidade.

A CRISE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

Artigo de Celso Ming - Quase sempre que são chamadas a opinar, um bom número das cabeças preocupadas com o futuro da indústria avisa que, com esse câmbio, com o real valorizado perante o dólar, não há setor produtivo que consiga prosperar. É uma meia-verdade. O buraco fica ainda mais embaixo. A indústria brasileira não tem competitividade por duas principais razões: primeira, porque enfrenta um custo Brasil insuportável, na medida em que quase tudo é mais caro por aqui. Até há alguns anos, o governo tratava de compensar com mais câmbio – mais desvalorização do real – esse baixo poder de fogo, mas esse é um recurso limitado porque importações de máquinas, de matérias-primas e de peças mais caras em reais também asfixiam uma indústria que precisa inserir-se mais profundamente nos mercados. Em segundo lugar, porque tanto o governo Lula quanto o governo Dilma não deram importância à abertura de mercados para a indústria, uma vez que descuidaram da negociação de acordos comerciais. Hoje, a maioria dos concorrentes do Brasil está amarrada a acordos de comércio e, por eles, as prioridades vão para indústrias de outros países. Não foi apenas com mais câmbio que o governo tentou dar mais força para a indústria. Desonerou as folhas de pagamentos, providência que deve ter beneficiado o setor em cerca de R$ 40 bilhões; reduziu impostos para a indústria de veículos, de materiais de construção, de aparelhos domésticos e de mobiliário; derrubou os juros básicos, a fim de azeitar o crédito; criou reservas de mercado por meio da extensão do estatuto do conteúdo local para um grande número de setores, especialmente o dos fornecedores de equipamentos de petróleo; e impeliu o BNDES para empurrar com créditos subsidiados os campeões do futuro. Assim, o resultado decepcionou porque uma política industrial só funciona quando há confiança e os fundamentos da economia estão equilibrados. Os próximos anos serão atrozes para a indústria. Apenas o setor de veículos enfrentará em 2015 uma capacidade ociosa de cerca de 1,5 milhão de unidades. Ao longo deste ano toda a indústria deverá enfrentar o aumento da competição da indústria americana (e de outros países) que será fortemente beneficiada com uma redução substancial dos custos da energia, graças à revolução do xisto. Há sinais de que os dirigentes, afinal, parecem ter acordado para a necessidade de um choque capitalista que recoloque a indústria nos grandes negócios globais. O problema é saber se haverá disposição para fazer o que tem de ser feito, sobretudo em 2014, ano eleitoral".

BANCO CENTRAL REFAZ PARA BAIXO A PROJEÇÃO DO PIB DE 2014, AGORA PARA MEDÍOCRES 1,95%

O  mercado financeiro abriu o ano cortando a projeção de crescimento da economia brasileira para 2014, indica relatório Focus divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira. Economistas das instituições financeiras consultados pelo Banco Central esperam que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro encerre o ano em alta de irrisórios 1,95%, ante previsão de 2% registrada na pesquisa anterior. Já para 2013, a projeção de crescimento caiu de 2,30% para 2,28%. As projeções para a inflação sofreram leves ajustes, com a taxa para 2013 sendo elevada a 5,74%, ante 5,73%. Para 2014 houve redução a 5,97%, ante 5,98% do levantamento anterior. O mercado manteve ainda sua projeção para Selic, taxa básica de juros, que, segundo a pesquisa, deve encerrar este ano a 10,50%. Hoje a Selic está em 10%.

A COPA DO MUNDO E O MARKETING OFICIAL DO TERROR PREVENTIVO. OU: O PETISMO DE TPM. OU AINDA: A BOLA E O KIT GAY

Que título estranho, não? Como é que essas coisas se juntam? Eu mostro. Preparados para a retomada num texto, digamos assim, looongo? A escumalha a soldo que serve ao governismo na imprensa e no subjornalismo pôs para circular uma teoria conspiratória: a direita — sempre ela, coitadinha! — estaria tramando os piores ardis fara fazer com que a Copa do Mundo seja um fiasco. A trama uniria setores da oposição e a imprensa independente. O objetivo da sabotagem seria, claro!, destituir Dilma Rousseff. E como a tal “direita” faria isso? A canalha não diz. Não diz porque se trata de uma fantasia, de uma mentira estúpida. Os petistas e seus satélites instrumentalizam o marketing do terror preventivo para silenciar a crítica. Não é a primeira vez que recorrem a essa estratégia. Infelizmente, a imprensa séria e as oposições costumam cair no truque. Vamos ver.

O governo brasileiro torrou e está torrando uma fábula, ainda não-calculada, para realizar a Copa. Muitas obras de infraestrutura, especialmente as de mobilidade, previstas no plano original não foram realizadas. O governo as trocou pela decretação de feriado, mudança no calendário escolar, jeitinhos… Seis dos 12 estádios, que deveriam ter sido inaugurados até dezembro do ano passado, ainda não estão prontos. Joseph Blatter, presidente da Fifa, disse jamais ter presenciado atraso tamanho. Ele está na organização desde 1975. Já batemos o primeiro recorde: “nunca antes na história da Fifa…”
Pior: alguns desses estádios serão mesmo elefantes brancos, futuras ruínas. A realização do torneio em tantas capitais foi decidida por um misto de populismo com delírio de grandeza. A brasileirada ficou sem o metrô, as estradas, as vias de acesso… Mas ganhou monumentalidades inúteis. E, no entanto, teremos, sim, Copa do Mundo. Se o Brasil for campeão, Dilma Rousseff pode ganhar ou perder a eleição. O mais provável é que ganhe. Se o Brasil não for campeão, Dilma Rousseff pode ganhar ou perder a eleição. O mais provável é que ganhe. Qual a razão da TPM, da Tensão Pré-Mundial?
Ora, a campanha eleitoral já começou. Os petistas sempre foram muito hábeis em vender o que não fizeram, mas são ainda melhores quando se trata de atribuir a adversários defeitos e intenções que não têm. De resto, é preciso que se esclareça: uma oposição que explorasse os erros e a incompetência do governo na realização da Copa do Mundo ou de qualquer outro evento estaria apenas cumprindo a sua função, a sua obrigação, a sua missão, o seu mandato — adquirido nas urnas: opositores existem para vigiar o governo, apontar as suas falhas e tentar tomar o seu lugar quando há eleições, segundo as regras do jogo. Se a incompetência do governo Dilma for parar no horário eleitoral de seus adversários — coisa em que não acredito —, estaremos apenas diante do corriqueiro em sociedades livres.
Quanto à imprensa, não há muito o que dizer além do óbvio: há aquela que se financia na sociedade — por meio da publicidade privada e das assinaturas — para reportar o que tem de ser reportado, segundo os valores conhecidos por seus leitores, telespectadores, ouvintes e internautas, e há aquele outro “negócio”, financiado com dinheiro público, para fazer propagada governista e difamar seus adversários e críticos. E não custa lembrar de um terceiro grupo: os infiltrados. São agentes do oficialismo que escrevem na grande imprensa, aproveitando-se, para fazer proselitismo, da vantagem que esta lhes oferece e que eles próprios jamais ofereceriam a seus adversários se tivessem o poder que almejam: a pluralidade. Sigamos.
TPM
Sim, existe uma compreensível Tensão Pré-Mundial no governo Dilma. Teme-se o renascimento das manifestações de junho, coisa na qual não acredito — e já digo por quê. Depois de quase 12 anos de petismo no poder, as fragilidades do arranjo e as promessas não-cumpridas são evidentes. Nada, infelizmente, entendo eu, que possa tirar a reeleição de Dilma. O governo tem âncoras outras, que dispensam a eficiência. A máquina assistencialista, que passou a ser chamada, à direita e à esquerda, de “redistribuição de renda”, tem ocupado boa parte do espaço que caberia à política.
“Política” é e será sempre o nome do jogo — e é precisamente nesse ponto que passa a operar o marketing do terror preventivo. Os petistas e sua máquina de propaganda demonizam a divergência com uma eficiência que não se viu nas duas grandes ditaduras do século passado: a do Estado Novo e a militar. A crítica é tratada como sabotagem. Assim, apontar as ineficiências do governo na realização da Copa do Mundo ou demonstrar os desastres de Guido Mantega na condução das políticas monetária, cambial e fiscal não seriam ações compreendidas no escopo da democracia. Nada disso! Num caso e noutro, interesses inconfessáveis estariam a mobilizar a crítica e o crítico.
A renitência da inflação e a contabilidade criativa para fechar as contas não podem, pois, ser tomadas como erros na condução da política econômica. Segundo um dos porta-vozes do oficialismo, Dilma estava apenas fazendo a sua aposta num mundo melhor para os pobres, mas foi atropelada pelos pérfidos interesses das elites, especialmente do capital financeiro — o mesmo que, vejam que coisa curiosa!, financia regiamente o PT e torce de forma nada secreta pela volta de… Lula! É evidente que também essas teorias conspiratórias não param de pé; alimentam-se, a exemplo de todas as outras, da falta de evidências. Ocorre que estamos no terreno da guerrilha ideológica — e, nesse caso, o que vale é a fantasia.
Não acredito
Não aposto — e, em certa medida, gostaria de estar errado — no renascimento das tais “manifestações”. A razão é simples: seja para analisar a “Primavera Árabe”, seja para entender quebra-quebra em São Paulo e Rio, eu não acredito na efetividade do Facebook, mas da Irmandade Muçulmana e das organizações de esquerda, respectivamente. Num caso e noutro, não-mobilizados podem até aderir às ações de rua, mas a centelha original sempre fica a cargo de profissionais. O “junho” brasileiro pode até ter ganhado uma coloração antigovernista em vários momentos, mas o seu ânimo era, entendo eu, de esquerda. Infelizmente, a direita liberal e democrática não dispõe de força para grandes mobilizações de rua — ademais, nem é esse o seu espírito. Nunca se esqueçam de que os protestos violentos nasceram em São Paulo, numa associação entre os petistas radicais e extremistas de esquerda associados. O alvo era o governo Alckmin. Aí o tiro saiu pela culatra. Já demonstrei isso aqui com evidências de sobra.
Assim, ainda que exista a TPM, o governo não leva muito a sério a possibilidade de novos e gigantescos protestos de rua. De resto, seus bate-paus nos sindicatos, nas ONGs, nos movimentos sociais — E NA IMPRENSA — estão e estarão mobilizados para sabotar qualquer tentativa de manifestação antigovernista.
Então por quê?
Então por que essa conversa sobre uma suposta conspiração da direita? Para calar preventivamente a oposição, a imprensa e os críticos, de sorte que tanto o noticiário como as redes sociais sejam inundadas só com discursos laudatórios. Eis o PT: antes mesmo que seus críticos apontem seus defeitos e suas falhas, o próprio partido os anuncia como se fossem manifestação do preconceito de seus adversários. E conta, nesse trabalho, com uma rede poderosa, que une os venais, os quadros ideológicos e, como sempre, os idiotas.
Aborto
Lembrem-se das campanhas eleitorais de 2010 e de 2012. Dilma, a então ministra da Casa Civil de Lula, era uma defensora da legalização do aborto. Chegou a comparar a extração de um feto à de um dente. Segundo ela, ninguém poderia gostar nem de uma coisa nem de outra. Um pensamento humanista e chique. Com Deus, havia deixado claríssima a sua relação: rezava um pouco quando o avião balançava. Em terra firme, entende-se, diminui o seu fervor místico…
Atenção! Isto que vai agora é fato, não opinião. Acompanhei a coisa toda desde o início porque, como vocês sabem, esse é um debate que me interessa. O PT temia as opiniões emitidas por Dilma sobre esses temas. Antes que a campanha do tucano José Serra emitisse qualquer juízo de valor a respeito, teve início a guerra — esta, sim, midiática — acusando o adversário de explorar uma questão que, segundo o petismo, não deveria frequentar o debate político porque se trataria de mera questão… religiosa!
Notem que fantástica impostura! Decidir como o Brasil vai tratar os seus fetos não diria, então, respeito à disputa pelo poder. “A política é laica”, gritavam os pilantras, secundados pelos cretinos. A imprensa, esmagadoramente favorável à legalização do aborto, serviu de porta-voz da pregação petista. Mais do que isso: foi sua propagandista. Não se esqueçam jamais de que o jornalismo brasileiro apoiou, quase unanimemente, o recolhimento de um panfleto impresso por um grupo de católicos que recomendava que não se votasse em candidatos favoráveis ao aborto. O TSE atuava como censor, contrariando a Constituição. Jornalistas aplaudiram porque lhes pareceu razoável censurar uma opinião com a qual não concordavam. Uma vergonha!
O PSDB foi posto na defensiva. Repórteres cobravam agressivamente de Serra se considerava justo que se cobrasse de Dilma a opinião que ela tinha sobre o aborto; queriam saber se isso era compatível com a laicidade da política. Raramente a imprensa foi tão intelectualmente delinquente como naqueles dias.
E agora vem o mais estupefaciente: o PSDB não havia tocado no assunto. A questão não foi levada ao horário eleitoral — nem mesmo os dois vídeos, para confronto: num deles, Dilma se dizia favorável à legalização do aborto; no outro, já candidata, contrária. O trabalho do petismo deu resultado: a petista não foi obrigada a se confrontar com as suas próprias opiniões, e o ônus das negativas caiu no colo do seu adversário. Dez  em marketing; zero em vergonha na cara.
Kit gay
Em 2012, na disputa pela Prefeitura de São Paulo, assistiu-se ao mesmo procedimento. Os petistas sabiam que os absurdos do tal kit gay — vetados até por Dilma Rousseff — poderiam pesar contra Fernando Haddad. O arquivo está aí. Apontei a trapaça desde o início. Antes mesmo que o PSDB definisse o seu candidato, os porta-vozes do partido na imprensa e na subimprensa anunciavam: “Os tucanos vão explorar o kit gay! Isso é preconceito! O que o kit gay tem a ver com a Prefeitura?” Bem, é claro que tem — especialmente quando essa Prefeitura tem milhares de alunos.
E pronto! Lá foi o batalhão de repórteres a tratar o candidato do PSDB como homofóbico — justamente José Serra, o formulador de uma política pública de combate à AIDS, por exemplo, que era e segue sendo uma referência para o mundo. E daí? A delinquência ideológica não respeita competências; ela tem causas.
E, como era de se esperar, o tema ficou longe da campanha. O PSDB preferiu não ligar Haddad à sua própria obra, assim como não ligara, dois anos antes, Dilma às suas próprias opiniões. Pior: tucanos ditos “progressistas”, nos dois casos, preferiram atacar a campanha do seu partido, que seria por demais… conservadora!
Concluindo
A máquina petista e seus serviçais estão de volta com o mesmo procedimento. Agora eles pretendem levar os adversários de Dilma para a defensiva no caso da Copa, acusando-os de tentar sabotá-la. Assim como não se podia lembrar que a petista era uma defensora fanática do aborto e que Haddad havia feito os kits gays, deve-se deixar de lado a incompetência do governo na organização do evento. Infelizmente, os adversários do PT — e a imprensa séria, que não é adversária de ninguém em matéria partidária — têm caído no truque petista de maneira sistemática. Aqui e ali já vejo críticos do petismo fazendo as suas juras de amor à Seleção, ao nosso futebol, à nossa ginga, essas coisas… A questão de fundo é a seguinte (e ainda voltarei ao tema): enquanto os não-petistas reconhecerem no PT um tribunal legítimo e permitirem que o partido se comporte como seu juiz, será impossível vencê-lo. Em certa medida, é preciso esquecer o PT para derrotar o PT. Por Reinaldo Azevedo

NOS GOVERNOS DO PT, PRIMEIRO A POLÍCIA FEDERAL PRENDE, DEPOIS É QUE FAZ A PROVA

Do jornalista Políbio Braga - No Rio Grande do Sul, o delegado federal Ildo Gasparetto, homem de confiança do então ministro da Justiça, Tarso Genro, prendia primeiro, mandava algemar e exibir para os jornalistas, mesmo que o investigado fosse primário, professor universitário, advogado ou dirigente partidário, submetendo-o a um verdadeiro assassinato de reputação. Tarso Genro homologava tudo e ainda debochava dos prisioneiros, invertendo o ônus da prova: "Eles que provem que não são culpados". A instrumentalização da Abin pelo governo Lula nunca chegou a ser completa porque desde o início houve forte reação, ao contrário do que aconteceu com a Polícia Federal. Quem revela como tudo isto começou é o delegado Tuma Júnior no seu livro “Assassinato de Reputações”. Na página 102, ele conta o que aconteceu: "Eu acompanhei, como membro do Ministério da Justiça, a criação da Política Nacional de Inteligência. A Abin, sempre defendi, não trazia risco ao estado democrático de direito porque seus relatórios não eram peças de polícia judiciária. A Polícia Federal queria tomar da Abin essa atribuição de órgão de informação de Estado. O ministro Nelson Jobim se aliou à Polícia Federal contra a Abin, e fui o único que defendeu a posição da Agência". A Política Nacional de Inteligência nunca saiu do papel. Nem foi preciso. Tuma Júnior defendia a tese de que quem faz grampo em inteligência não pode fazer em polícia judiciária. Não é o que acontece atualmente. O que ocorre hoje é que o chefe do setor de inteligência de cada Estado, que está fazendo os grampos, decide tudo sozinho sobre esse serviço. “Ele é sempre do PT”, avisa o autor do livro. A presidente Dilma Roussef tem proclamado de modo recorrente que no País não se faz segredo de arquivos de inteligência, mas seu governo faz isto e não deixa ninguém ver. No livro, Tuma Jr. conta que os relatórios de inteligência são 99,99% feitos de decupagem, que não é transcrição, mas dedução de conversa gravada em telefone. Os advogados e juízes não exigem transcrições completas e nem os áudios dos grampos, ignoram quem faz o documento de inteligência, deixam passar em branco a exigência de listar os nomes dos proprietários dos telefones grampeados. Pela lei, só delegado pode produzir documento de inteligência. Se for produzido por agente, escrivão ou papiloscopista, é ilegal. Acontece que isto é feito por pessoal não autorizado. E a Justiça? "Ela é vergonhosamente conivente, os juízes toleram mais ilegalidade que na época da ditadura”, conta Tuma Júnior no livro, que vai mais fundo na questão: "Hoje, eles prendem para depois fazer a prova. Não é para menos que o Brasil é o País que mais processa jornalistas no mundo, segundo dados do Consultor Jurídico".

TUMA JR. DENUNCIA: "OS VANTs FORAM COMPRADOS PELOS GOVERNOS DO PT PARA ESPIONAR PARLAMENTARES E MINISTROS DO SUPREMO"

Dedo duro, alcaguete da ditadura militar e do Dops, o X9 quis os Vants para espionar até ministros do STF. Foram fortes os debates ocorridos entre José Serra e Dilma Rousseff no segundo turno das eleições presidenciais de 2010, porque os candidatos disputavam qual dos dois seria mais eficiente no uso dos chamados Vants, os Veículos Aéreos Não Tripulados, mais conhecidos por drones. Dentro do governo Lula, o uso dos Vants vinha sendo discutido desde 2007 pelo menos. O secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, participou de uma das reuniões com o próprio Lula, final de 2007, convocada para discutir a segurança nas fronteiras. O chefão da Polícia Federal, o gaúcho Luiz Fernando Corrêa, participou da reunião. No seu livro “Assassinato de Reputação”, Tuma Júnior conta que a compra dos Vants nunca teve nada a ver com a segurança nas fronteiras. Sua denúncia é gravíssima (está na página 107 do livro): "Descobri que o projeto verdadeiro era outro. Esse avião consegue votar sem ser notado, por exemplo, em cima de Brasília, e filmar o que um senador ou ministro do Supremo está fazendo dentro de casa. Tanto é verdade que ele nunca foi usado para operação nenhuma. Eles compraram isso para fazer espionagem". Ou seja, era tudo para a Divisão de Inteligência da Polícia Federal, o hiper bunker da ditadura moderna.