terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Mãe de Caetano Veloso e Bethânia, Dona Canô, morre aos 105 anos


Claudionor Vianna Telles Velloso, mais conhecida como Dona Canô, mãe de Caetano Veloso e Maria Bethânia, morreu nesta terça-feira, aos 105 anos, em sua casa em Santo Amaro da Purificação, na Bahia. "Fica a tristeza e a certeza de que ela agora está em um bom lugar", disse um de seus filhos, Rodrigo. Nascida em 16 de setembro de 1907, Dona Canô será sepultada nesta quarta-feira em Santo Amaro, cidade onde era considerada um símbolo.

O PT de Rosemary - Polícia Federal investiga se amante de Lula levou 25 milhões de euros na mala diplomática, o depósito teria sido feito em Portugal


A história que envolve a ex-secretária da Presidência, Rosemary Noronha, a amante de Lula, e 25 milhões de euros em Portugal será oficialmente investigada pela Polícia Federal. Inicialmente, a denúncia foi feita pelo blog do deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ). Ela garantia que Rose havia levado o dinheiro em uma mala diplomática. A investigação preliminar deve ser concluída em janeiro pela Polícia Federal. O Banco Espírito Santo, que teria recebido o montante, de acordo com a fonte de Garotinho, negou a chegada do dinheiro no País e também que Rose fosse sua cliente. Por meio de acordos de cooperação, a Polícia Federal pediu informações à alfândega portuguesa e ao Banco Espírito Santo, para onde teria sido levado o dinheiro. Na Policia Federal,   Garotinho formalizou o pedido de averiguação no dia 6, depois de publicar a acusação em seu blog. Ele também encaminhou ofício ao Ministério das Relações Exteriores pedindo informações sobre todas as viagens a Portugal realizadas durante o governo Lula.

Ministério autoriza usina térmica do Rio Grande do Sul a operar com gasoduto argentino


O Ministério de Minas e Energia publicou no Diário Oficial da União de segunda-feira reconhecimento para que a usina termelétrica AES Uruguaiana, no Rio de Grande do Sul, volte a operar utilizando combustível transportado por gasodutos da Argentina. A usina, paralisada desde 2009 diante da suspensão do fornecimento de gás natural pela argentina YPF, recebeu renovação da licença de operação do Ibama no início de outubro. Segundo a portaria assinada pelo ministro Edison Lobão, o ministério "reconhece a necessidade de geração de energia elétrica, de forma excepcional e temporária, na Central Geradora Termelétrica UTE Uruguaiana", no Rio Grande do Sul. A geração de eletricidade pela usina "será realizada por meio de suprimento de combustível transportado na malha de gasodutos da Argentina até a fronteira com o Brasil e a partir deste ponto até a UTE Uruguaiana", acrescenta a portaria, sem informar quando a usina poderá voltar a operar. "Uma vez confirmado o suprimento de gás natural, a Termoelétrica de Uruguaiana estará apta a iniciar geração de 164 MW (ciclo aberto) em meados de janeiro 2013 e, posteriormente, atingir 494 MW (ciclo combinado) em meados de março de 2013", informou a empresa em comunicado. A AES Uruguaiana iniciou as atividades em 2000, na cidade de mesmo nome, na fronteira do Brasil com a Argentina e o Uruguai. A usina tem capacidade instalada de 630 megawatts (MW).

Ibope aponta que brasileiro confia mais no Supremo do que no Congresso


O índice de confiança do brasileiro no Supremo Tribunal Federal  é 19 vezes maior do que o registrado para o Congresso Nacional, de acordo com a pesquisa Ibope divulgada no domingo. Segundo os números, a avaliação da opinião pública, em uma escala de 0 a 100, é de 54 para o STF contra 35 do Parlamento. Apesar da avaliação positiva, há diferença no grau de confiança no Supremo conforme as regiões do País. Segundo o levantamento, o dado é mais elevado entre os mais ricos (60 pontos entre quem tem renda familiar superior a 10 salários mínimos), os moradores das regiões Norte e Centro-Oeste (60 pontos) e os que têm 50 anos ou mais de idade (56 pontos). Outras instituições também foram avaliadas: Corpo de Bombeiros – sempre campeão (83), meios de comunicação (60), sistema eleitoral (54), Justiça (47), polícia (40) e, na lanterna, partidos políticos (29), única entidade atrás dos deputados e senadores. Foi a primeira vez que o estudo incluiu o Supremo.

Gravações revelam despreparo de operadores para lidar com apagão


Diálogos inéditos entre operadores do sistema elétrico revelam o despreparo das subestações e dos centros de controle para enfrentar interrupções no fornecimento de energia. As transcrições constam dos relatórios da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e do ONC (Operador Nacional do Sistema), obtidos pelo jornal O Estado de S.Paulo por meio da Lei de Acesso à Informação e publicados. Elas mostram o "sufoco" dos técnicos durante o apagão de fevereiro do ano passado, que deixou oito Estados do Nordeste sem luz por horas. À época, o governo Dilma Rousseff atribuiu o apagão a um defeito ocorrido em uma placa eletrônica. A subestação desconhecia como proceder e foi preciso ir atrás do manual de instruções em cima da hora. O técnico explicou o motivo. "É porque a gente tem que pegar o guia aqui porque não tem como acessar, aí estamos pegando o guia do normativo aqui e vamos fazer com ele". Quando o abastecimento de todo o Nordeste dependia apenas da abertura de uma chave, como previa o guia de operações, os técnicos envolvidos discutiam se, em vez de abrir, como previa o rito normal, não era melhor fechar essa mesma chave. O relatório da Aneel lista as irregularidades. Além do portão travado, aparelhos fora de operação, disjuntores fechados, discrepâncias no sistema de supervisão e controle e dificuldade de acesso aos procedimentos operacionais para a recomposição da instalação.

Palestinos terroristas do Hamas violam cessar-fogo e disparam de Gaza foguete contra Israel


Militantes palestinos terroristas do Hamas violaram o cessar-fogo estabelecido em 21 de novembro, disparando um foguete da Faixa de Gaza contra o sul de Israel.

África do Sul recua e desiste da sobretaxa ao frango brasileiro


Após ser questionada formalmente pelo Brasil na Organização Mundial de Comércio (OMC), a África do Sul recuou e desistiu de sobretaxar o frango exportado pelo país. A decisão foi comunicada na sexta-feira aos exportadores brasileiros. Em carta enviada ao setor privado, o ministro do Comércio da África do Sul, Rob Davies, informou que optou por não seguir a recomendação do órgão técnico do seu país e não vai aplicar uma sobretaxa antidumping definitiva contra o frango brasileiro. Com a decisão, o processo movido pelo Brasil contra a África do Sul na OMC deve ser extinto. Foi o primeiro contencioso comercial iniciado pelo governo Dilma Rousseff. O Brasil tem um histórico de bons resultados nos tribunais da OMC e já venceu casos contra Estados Unidos (algodão) e União Europeia (açúcar). "Foi uma grande vitória. O setor ganhou um presente de Natal", afirma Francisco Turra, presidente da União Brasileira da Avicultura (Ubaabef). Segundo ele, a África do Sul é um cliente relevante, mas o caso era considerado simbólico. "Não podíamos aceitar a acusação de que o Brasil pratica dumping. Em fevereiro, o governo sul-africano impôs uma tarifa antidumping aos exportadores brasileiros. A sobretaxa variava conforme a empresa e chegava a 63%. Os produtores locais acusavam o Brasil de vender abaixo do preço de custo para "quebrar" os concorrentes. A alíquota foi adotada provisoriamente até que a investigação fosse concluída. Preocupados com o impacto internacional da notícia, os exportadores brasileiros reagiram. Em vez de aguardar a decisão definitiva, pediram ao Itamaraty para abrir rapidamente um painel contra a àfrica do Sul na OMC, o que ocorreu em junho. "Decidimos agir com rapidez até para assustá-los", disse o advogado Gilvan Brogini, sócio da Barral MJorge Associados, que assessorou a Ubaabef no processo.

A peronista populista muito incompetente Cristina Kirchner reabre embate com ruralistas


Em meio a uma série de protestos sindicais e uma onda de saques no interior da Argentina, a presidente populista peronista muito incompetente Cristina Kirchner abriu mais uma frente de batalha político-econômica com a oposição ao confiscar o centro de exposições da Sociedade Rural Argentina, no bairro de Palermo. Militantes kirchneristas picharam as paredes do prédio, sede de dois eventos críticos ao governo, com frases peronistas para festejar a expropriação. A tensão social é grande em diversas províncias argentinas governadas por aliados de Cristina Kirchner que não estão recebendo fundos federais suficientes para pagar o funcionalismo provincial. Lenta e gradualmente, os governadores começaram a criticar a presidente. Na sexta-feira, a onda de saques que começou em Bariloche chegou à Grande Buenos Aires, um tradicional reduto do kirchnerismo. Nos últimos meses, o governo de Cristina, que se depara com um crescente déficit fiscal, reduziu os subsídios que beneficiavam vários setores da população mais pobre. No início da semana, o anúncio do aumento de até 40% nas tarifas dos ônibus e trens na área metropolitana da capital do país também intensificou a irritação popular com a presidente. Desafiante, o governo celebrou o anúncio da estatização do edifício dos ruralistas. Segundo o kirchnerismo, a venda do prédio à Sociedade Rural, durante o governo do ex-presidente Carlos Menem (1989-99), em 1991, havia sido irregular e por isso foi anulada. Os produtores agropecuários encararam a medida como uma vingança pelos diversos locautes que o setor realizou em 2008 e 2009 em protesto contra o tarifaço agrário da presidente. Os analistas políticos dizem que esse é mais um caso em que a presidente abre uma frente de batalha gratuita, sem chances de obter dividendos políticos úteis com os confrontos. O governo busca culpados na oposição. Outra área onde Cristina encontra problemas é a relação com os sindicatos. Neste ano, o governo rachou com o líder da Confederação Geral do Trabalho (CGT), o caminhoneiro Hugo Moyano. No ano passado, o sindicalista havia pedido mais espaços de poder dentro do Parlamento e nos ministérios. No entanto, Cristina Kirchner optou por menosprezar o aliado e cedeu-lhe apenas uma vaga na Câmara de Deputados. Cristina Kirchner tem desagradado também a classe média. As restrições que aplicou desde novembro do ano passado sobre o dólar impediram o acesso dos argentinos à moeda americana, o principal refúgio financeiro da classe média do país, o que provocou uma queda em sua popularidade. Irritada com a presidente, a classe média realizou dois grandes panelaços no segundo semestre deste ano. Os analistas também destacam que a presidente encerra-se cada vez mais em um círculo menor de colaboradores. Além disso, confere cada vez mais poder aos ultrakirchneristas, agora conhecidos como "cristinistas". Grande parte dos novos aliados que demonstram lealdade incondicional à presidente são os integrantes de La Cámpora, a juventude kirchnerista, fundada por seu filho, Máximo Kirchner.

Turquia acaba veto sobre cooperação da Otan com Israel


O governo da Turquia concordou em encerrar seu veto em relação a uma cooperação não militar entre a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e Israel, informou um diplomata no domingo. O veto havia sido imposto em 2010, após Israel atacar uma embarcação que seguia para a Faixa de Gaza, tentando ultrajar Israel no bloqueio naval que impôs de acordo com a legislação marítima internacional. Nove turcos morreram, após iniciarem um conflito com os soldados israelenses. Segundo o diplomata turco, a decisão de renovar os laços da Otan com Israel ocorreu durante uma reunião realizada em 4 de dezembro, em Bruxelas. A proposta partiu do secretário-geral do grupo, Fogh Rasmussen. Em troca, vários aliados de Israel na Otan concordaram em encerrar vetos para a cooperação com aliados da Turquia, especialmente países árabes. A Turquia vai concordar com o envolvimento israelense em certas atividades da Otan, mas manterá seu veto sobre manobras militares conjuntas. Além disso, os turcos se reservam o direito de barrar a realização de atividades com Israel em seu próprio território.

Aliados suspeitam de "golpe" em atos pró-Lula


O PT despertou desconfiança sobre o real objetivo dos atos realizados em defesa do ex-presidente Lula, nos últimos dias. Lideranças avaliam que o desagravo só jogou luz sobre o envolvimento do ex-presidente nas denúncias, embora não tenha sido indiciado pela Polícia Federal. Os petistas também trouxeram à tona a fragilidade de Lula ao mostrar que ele não tem apoio de todos os partidos e governadores da base. Faltaram aos atos de solidariedade os líderes do PR, PP, PTB e PDT. Dos governadores, apenas oito compareceram, sendo um do PSDB. Parlamentares acreditam que, de duas, uma: ou vem mais chumbo grosso contra Lula, ou querem colocá-lo no olho do furacão. Os próprios petistas temem que o desagravo seja vingança de ala do PT por ele ter sido o único a se salvar do julgamento do Mensalão do PT.

Alagoas decreta luto oficial de três dias pela morte de Lêdo Ivo


O governador de Alagoas, Teotônio Vilela Filho, decretou luto oficial de três dias pela morte do poeta e romancista alagoano Lêdo Ivo. O escritor morreu aos 88 anos, na madrugada de domingo, de infarto, quando viajava pela Espanha. Em nota, o governador disse que Lêdo Ivo "é uma referência de sensibilidade poética e de visão do mundo com o olhar do coração e da alma; suas obras extrapolaram as fronteiras do Brasil, com publicações em vários idiomas. Lêdo está no mesmo patamar de Aurélio Buarque de Holanda, Pontes de Miranda, Graciliano Ramos e Rachel de Queiroz. Ele deixa um legado inestimável para a literatura brasileira”. Desde 2010, funciona em Alagoas o Memorial Lêdo Ivo, museu que guarda informações sobre a vida e a obra do escritor. O espaço foi instalado no Museu Palácio Floriano Peixoto, antiga sede do governo alagoano. O corpo será cremado na Europa e deverá ser trazido para o Rio de Janeiro nos próximos dias. Suas cinzas ficarão no mausoléu da Academia Brasileira de Letras (ABL). Lêdo Ivo era acadêmico há 25 anos.
Jornalista, poeta, romancista, contista, cronista e ensaísta, Lêdo Ivo foi eleito no dia 13 de novembro de 1986 para a ABL, onde ocupou a cadeira nº 10, antes ocupada por Orígenes Lessa.

Dilma Rousseff zomba dos brasileiros na mensagem de final de ano e abusa da mitomania


Do blog do Ucho - Sem conserto – Quem redigiu o discurso de final de ano da presidente Dilma Rousseff é no mínimo roteirista de novela. Fora isso, conseguiu que Dilma, em seu pronunciamento, apresentasse aos brasileiros o Brasil como sendo o país de Alice, aquele das maravilhas. O palavrório presidencial não poderia fugir do que muitos brasileiros viram e ouviram, pois mesmo não sendo petista de origem, Dilma foi contaminada pela soberba dos companheiros de legenda, que como semideuses jamais erram. Comecemos pela economia. Dilma afirmou que o ano de 2013 será ainda melhor. Ou a presidente estava de brincadeira ou deverá ganhar uma camisa de força de presente de Natal. Quem disse a ela que este ano foi bom? Com o crescimento econômico em 1%, a inflação oficial, que ela disse ter controlado, em 5,64%, a inadimplência em alta e a indústria brasileira sofrendo como nunca, isso é devaneio. Dilma deveria analisar melhor e com antecedência os textos que lhe dão para ler para não cair na vala do ridículo, pois pela do descrédito ela já passou faz tempo. Sem qualquer rubor facial, Dilma tocou o discurso adiante e afirmou: “Ao olhar 2012 em retrospectiva, vemos que continuamos crescendo e aprofundamos nossas grandes conquistas. Os resultados deste ano falam por si”. Há dias, Lula disse que não será derrotado por qualquer “vagabundo”, o que é óbvio, pois lobo não engole lobo porque engasga com o pelo. Mas neste domingo, Dilma resolveu chamar todos os brasileiros de palhaços. Não contente, Dilma reforçou a voz e disparou: “Quando conversei com vocês na celebração do 7 de Setembro, disse que nosso modelo de desenvolvimento precisava ser reforçado em um de seus eixos: a competitividade de nossa economia”. Desde 2005, o ucho.info alerta o governo para o perigoso processo de desindustrialização que vem devastando o setor fabril, mas ninguém deu importância ao fato. Sendo assim, falar em competitividade é no mínimo sandice. Dilma Rousseff, que deixou o discurso para o domingo sabendo que parte da população estaria emocionalmente fragilizada em função do Natal, disse que o governo está modernizando os aeroportos. Pois bem, quando o secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, externou sua preocupação com a situação caótica dos aeroportos brasileiros, Lula chamou-o de idiota. Em seguida, o messiânico Lula prometeu investimentos de R$ 5 bilhões para ampliar e modernizar os aeroportos brasileiros. Como nada do que foi prometido passou à seara da realidade, há meses o Palácio do Planalto decidiu entregar três aeroportos para a iniciativa privada, cujas melhorias só ficarão prontas depois da Copa de 2014. Dias atrás, anunciou a privatização de outros dois. Declarou a presidente que o Brasil construirá 800 aeroportos regionais, assunto que já tratamos, como se o Palácio do Planalto fosse uma usina de varinhas de condão. Oito centenas de aeroportos regionais não se constroem da noite para o dia, a não ser que sejam de brinquedo (do tipo Lego) ou Dilma pretende ficar no poder mais cinco décadas no poder, no melhor estilo companheiro Fidel. Construir aeroportos exige infraestrutura, algo de que o Brasil padece de maneira vergonhosa. Dilma também garantiu que o País construirá dez mil quilômetros de ferrovias, como se isso fosse um daqueles saudosos trenzinhos elétricos que no passado Papai Noel deixava debaixo da árvore de Natal. Dez mil quilômetros, para que o leitor tenha ideia, é pouco mais do que a distância entre São Paulo e Paris. Deixando de lado as águas do Oceano Atlântico, é muito chão. Fora isso, Dilma disse que duplicará 7,5 mil quilômetros de estradas. Para mensurar o absurdo, 7,5 mil quilômetros é a distância entre as capitais paulista e mexicana. Quando foi apresentada ao eleitorado brasileiro, Lula disse que sua candidata era a garantia de continuidade. E Lula, messiânico como sempre, tinha razão, pois o ufanismo palaciano continua o mesmo de antes. Sendo assim, passemos às outras inverdades. Dilma afirmou que o salário do trabalhador ganhou poder de compra, quando na verdade o consumismo se deu na esteira do crédito irresponsável. Até porque, dois terços dos cidadãos brasileiros recebem mensalmente menos do que dois salários mínimos. Essa fórmula mágica cantada por Dilma pode ser conferida no aumento real do salário mínimo para 2013, que será de R$ 1,15. A presidente disse também que está ampliando o crédito ao consumidor e reduzindo sobremaneira as taxas de juro. Sim, é verdade, os bancos reduziram os ganhos, empurrando para baixo o crescimento do PIB. O que mostra que tem fio trocado na economia verde-loura. Dilma Rousseff, sempre ela, disse que a tarifa de energia elétrica será reduzida para que as indústrias nacionais possam produzir e a economia cresça, pois afinal a nossa “guia” já avisou que em 2013 quer um “pibão bem grandão”. Essa conversa fiada sobre a redução da tarifa de energia só convence quem não raciocina. Há dias, o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema desmentiu a presidente e disse, de forma absolutamente clara, que para o Brasil escapar dos apagões, que têm o corrido com impressionante frequência, será preciso investir muito dinheiro no setor. Algo que o governo não faz para que a tarifa de energia não alcance o céu. Com a energia mais barata, o consumo de energia será maior em um país que corre diuturnamente riscos de apagões por falta de investimentos do governo. A presidente afirmou com todas as letras que o governo brasileiro não descumpre contrato. O que é uma inverdade. As negociações com algumas geradoras de energia fracassaram apenas porque o Palácio do Planalto insistiu na quebra de contrato. E esse tipo de comportamento tem assustado os investidores internacionais, que preferem dar outro rumo aos seus tostões. Fosse pouco, quem ousa investir no Brasil tem de desembarcar por aqui já sabendo que o governo é que decidirá qual será a taxa de retorno do dinheiro alheio. Ou seja, o governo é um bando de incompetentes que desconhece o mais raso significado da palavra “planejamento”, arruma quem queira investir no Brasil e ainda quer determinar quanto o dono do dinheiro deve ganhar. A chefe do Executivo federal encheu os pulmões de ar para anunciar que 1 milhão de famílias foram beneficiadas com o programa “Minha Casa, Minha Vida”. Em 2009, quando o programa foi lançado com a conhecida pirotecnia palaciana, pois era preciso turbinar a candidata Dilma, o eufórico e mitômano Lula disse que em dois anos entregaria 2 milhões de casas. Mais de três anos depois, apenas metade da promessa foi cumprida. Dilma, a magnânima, esqueceu, porém, de dizer que prometeu construir 6 mil creches em quatro anos, mas até agora entregou apenas sete. Como se fosse prima-irmã de Aladim, o gênio da lâmpada, Dilma disse que o Brasil fará a melhor Copa do Mundo de todos os tempos, dentro e fora do gramado. Inaugurada recentemente, a nova Arena do Grêmio, em Porto Alegre, que não receberá jogos da Copa, é a prova maior que o fiasco será grande. O novo estádio do tricolor gaúcho está fincado em área de Porto Alegre sem infraestrutura. A praça esportiva tem capacidade para 60 mil pessoas, mas a da estação do metrô mais próxima, cuja saída foi construída do lado errado, tem plataforma com capacidade para apenas 200 passageiros. Dilma também abordou os investimentos no PAC, pois, segundo Lula, o programa é filho dela. Disse a presidente que até setembro passado foram investidos R$ 386 bilhões no Programa de Aceleração do Crescimento, do R$ 1 trilhão que será investido até 2014. Essa eficiência descomunal do PAC é voz corrente entre os brasileiros do Nordeste. Os que não falam sobre o assunto é porque morreram de sede, uma vez que as obras de transposição das águas do Rio São Francisco estão abandonadas, depois de fortunas investidas com alarde oficial. Hoje, muitas partes dos canais são ocupadas por cabras que pastam no mato que brota entre o concreto. Lula, quando deixou o Palácio do Planalto, surrupiou alguns itens pertencentes ao patrimônio da União, como um crucifixo que estava no gabinete presidencial desde a era Itamar Franco, que até agora ninguém sabe do paradeiro. Contudo, Lula deixou na escrivaninha oficial inúmeros comprimidos de mitomania, versão extra-forte, pois o que Dilma Rousseff mentiu na noite de domingo, antevéspera de Natal, foi uma colossal afronta aos brasileiros que têm a massa cinzenta em perfeito funcionamento. Estivesse vivo, o espetacular Sérgio Porto, o Stanislaw Ponte Preta, cobraria de Dilma direitos autorais por uso indevido de uma invenção sua, o “Febeapá”, Festival de Besteiras que Assola o País. Ou seja, Dilma, além de presidente da República, nas horas vagas se dedica ao stand up, transmitido em rede nacional com o nosso dinheiro.

Dilma diz que vai ampliar diálogo com a sociedade e convoca empresários a investir no País


A presidenta Dilma Rousseff disse no domingo, em rede nacional de rádio e televisão, que 2013 será o ano de ampliar o diálogo com todos os setores da sociedade, acelerar obras, melhorar a qualidade dos serviços públicos e continuar defendendo o emprego e o salário. Ela pediu que os brasileiros mantenham a confiança e que os empresários invistam no País. “Este é um governo que confia no seu povo, no seu empresariado, que respeita contratos e está empenhado na construção de novas parcerias entre os setores público e privado”. A presidente garantiu que a redução das tarifas de energia, anunciada em setembro, será mantida. A queda será possível por causa da redução de encargos e acordos com as concessionárias, que irão praticar tarifas mais baixas em troca da renovação de seus contratos: “No início de 2013, a sua conta de luz e a das empresas vão ficar menores. O corte será o que anunciei. A redução na conta de luz é fundamental para que as indústrias brasileiras possam produzir a custos mais baixos, ganhar mercado e continuar gerando empregos”. Outras ações do governo para melhorar a competitividade da economia também foram lembradas, como a construção de 10 mil quilômetros de ferrovias e a duplicação de 7,5 mil quilômetros de rodovias, as novas regras para os portos, a modernização dos grandes aeroportos e o programa para a construção e expansão dos aeroportos regionais. Na área econômica, Dilma ressaltou que o governo manteve a inflação sob controle, melhorou o câmbio e criou condições para que os juros caíssem ao menor patamar da história.

Prefeito petista Ary Vanazzi, de São Leopoldo, dá calote no 13º e nas férias do funcionalismo


No Rio Grande do Sul, o caso mais emblemático de calote aplicado no funcionalismo público é o do prefeito petista de São Leopoldo, Ary Vannazi. O caso é mais grave porque Vannazi é presidente da Famurs, a entidade que representa todos os prefeitos do Estado. Além do 13º, o prefeito do PT também não pagou as férias e deixará pendurada a folha de dezembro para seu sucessor. Sobre sua administração paira a sombra da Operação Cosa Nostra, desfechada pela polícia do governador Tarso Genro, companheiro de Vannazi. A Operação não anda. A Lei de Responsabilidade Fiscal deixa claro que prefeito que não quitar a dívida até o fim do mandato pode ficar inelegível.

Valter Nagelstein assumirá presidência do PMDB de Porto Alegre no dia 2


As 19 horas do dia 2 de janeiro, o vereador Valter Nagelstein assumirá a presidência do PMDB de Porto Alegre. O vereador foi o mais votado do partido. O presidente atual foi eleito vice-prefeito e assumirá o cargo no dia 1º. Valter Nagelstein tem sido reiteradamente preterido pelo quarteto que domina o partido em Porto Alegre, formado por José Fogaça, Mendes Ribeiro Filho, Luiz Fernando Zachia (réu na ação de improbidade administrativa da Operação Rodin) e o futuro vice-prefeito de Porto Alegre. Ele é candidato a deputado estadual em 2014, e essa candidatura esbarra na intenção de Zachia de também conquistar um mandato de deputado estadual, com o apoio do restante do quarteto.

Procurador se diz preocupado com rejeição de pedido de prisão dos réus do Mensalão do PT


A rejeição do pedido de prisão imediata dos réus condenados no processo do Mensalão do PT deixou o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, preocupado. Ele afirmou que a negativa "reforça a preocupação com a efetividade da decisão do Supremo e o temor de que se passe muito tempo até o efetivo cumprimento das condenações".  Gurgel reforçou que respeita a decisão do ministro Joaquim Barbosa, mas discorda dela. No início da tarde de sexta-feira, Barbosa afirmou que, "embora atípicos e excepcionalíssimos", ainda existem recursos que poderiam levar à mudança do resultado. "O que a rigor afasta a conclusão de que o acórdão condenatório proferido pelo Supremo Tribunal Federal em única instância seria definitivo", declarou. Joaquim Barbosa disse que a única possibilidade de mandar os réus para a prisão antes da decisão transitar em julgado seria por algum motivo urgente e temporário, como uma tentativa de fuga.

Condenado pelo Mensalão do PT, o petista João Paulo Cunha quer estudar na prisão


Condenado a mais de nove anos de prisão por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e peculato, o deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) planeja usar o tempo que passar em regime fechado para estudar. O parlamentar está tentando ser admitido em um curso de Direito. Como deverá passar pelo menos um ano e seis meses atrás das grades, João Paulo Cunha escolherá a modalidade de ensino à distância. O petista já cursou Direito por três anos em uma faculdade de Osasco, mas trancou a matrícula no curso.

Vôo entre Porto Alegre e Miami deve começar até novembro de 2013


A partir de outubro ou novembro de 2013, os gaúchos poderão viajar em vôo de Porto Alegre para Miami, pela American Airlines. A valores de hoje, a passagem deve custar cerca de US$ 1,2 mil. De acordo com o diretor de vendas e marketing da American Airlines para o Brasil, Dilson Verçosa, a companhia estuda o mercado gaúcho há algum tempo, mas a implantação do vôo não foi efetuada antes porque todos os aviões da frota estavam ocupados. Não é a primeira vez que Porto Alegre está nos planos da American. No fim de 1997, a capital gaúcha passou a ter frequências para os Estados Unidos, mas o vôo fazia uma parada no Rio de Janeiro. A operação durou pouco, até julho de 1998. Não foi definido ainda se o vôo será direto entre Porto Alegre e Miami ou se haverá escala em Curitiba, fazendo uma operação triangular entre as três cidades, mesma estratégia usada nas frequências de Recife e Salvador. No vôo para a capital gaúcha, será utilizado um Boeing 767-300, o mesmo modelo que opera em Belo Horizonte e Rio de Janeiro, com capacidade para 208 passageiros, 28 na classe executiva e 180 na classe econômica. Atualmente, a American voa para sete capitais brasileiras. Nos primeiros meses de operação em Porto Alegre, a companhia planeja vender tarifas promocionais para estimular o mercado local.

Argentina deve crescer 4,6% em 2013, prevê presidente do Banco Central


A economia da Argentina deve crescer 4,6% em 2013, em um melhora em relação ao freio que se viu em 2012 devido a uma seca e à desaceleração do principal parceiro comercial, o Brasil, disse a presidente do Banco Central da Argentina em entrevista no domingo. "Esperamos um bom 2013, com um crescimento da atividade econômica de 4,6% e um investimento que terminará o ano em 24% do PIB", disse a presidente do Banco Central da Argentina, Mercedes Marcó del Pont. Em um documento divulgado na noite de sexta-feira, o Banco Central argentino estimou em cerca de 2% o crescimento da economia em 2012.

Mais de 500 presos por saques na Argentina


Mais de 500 pessoas já foram presas na Argentina por participação em saques na atual onda de distúrbios que toma o país, informou ontem o Ministério da Segurança. Segundo as autoridades argentinas, os incidentes mais graves aconteceram na cidade de Rosário e na área ao norte da Região Metropolitana da capital, Buenos Aires, mas também foram registrados conflitos em outras cidades, como Cipolletti, Viedma, Comodoro Rivadavia, Trelew, Posadas e Córdoba. Segundo a Confederação Argentina de Médias Empresas (Came), pelo menos 292 estabelecimentos comerciais em 40 cidades diferentes foram atacados desde o início dos protestos em Bariloche, na última quinta-feira.

Saques nas províncias são ações para criar instabilidade, diz presidente da Câmara argentina


“A intenção é criar um clima de instabilidade e insegurança,” disse o presidente da Câmara dos Deputados da Argentina, Julián Domínguez,  sobre os saques a lojas e supermercados no país. Desde quinta-feira, um grande número de lojas de diferentes províncias da Argentina foram saqueadas. Para Domínguez, os saques têm origem na ação de grupos sindicais contrários ao governo de Cristina Kirchner. “Não se pode confundir vandalismo com necessidade social, porque esse roubos não são porque as pessoas estariam com fome. Sabemos que existem necessitados, mas este governo está dando respostas,” disse ele ao jornal Tiempo Argentino. Governo e líderes sindicais trocam acusações sobre a organização dos saques. Na sexta-feira, o governo enviou 400 policiais a Bariloche, onde um supermercado e duas lojas foram saqueados. Muitas pessoas eram vistas saindo com carrinhos carregados com equipamentos eletrônicos, roupas e brinquedos.

Onda de saques se alastra na Argentina e deixa dois mortos em Rosário


Duas pessoas morreram e duas ficaram gravemente feridas durante saques a supermercados registrados na cidade de Rosário, na província de Santa Fé, 310 quilômetros ao norte de Buenos Aires. As mortes foram confirmadas pelo secretário de Governo de Rosário, Matias Drivet, e foram os incidentes mais graves no segundo dia de saques a estabecimentos comerciais na Argentina. A onda de saques, que teve início na quinta-feira em San Carlos de Bariloche, estendeu-se na sexta às províncias de Santa Fé, Entre Ríos e Chaco. Em Campana, na província de Buenos Aires, mais de cem pessoas foram detidas. Autoridades declararam esta manhã que não descartam "motivação política" depois que outros incidentes similares foram registrados em várias cidades do país. Segundo o governo, a situação estaria "controlada", mas o alerta está mantido. Forças de segurança federais foram enviadas para Bariloche, onde dezenas de pessoas invadiram supermercados na quinta-feira. A TV local mostrou imagens de pessoas encapuzadas roubando eletrodomésticos como geladeiras e televisores. Os saques ocorreram em uma loja da rede Changomás, pertencente ao grupo Walmart, localizada em uma área carente da cidade. Distúrbios provocados pela alta de preços começam a ser comuns na Argentina, onde a inflação é de 25%, segundo consultorias privadas (a oficial é de 9%, mas poucos confiam nos números divulgados pelo governo da presidente peronista populista e muito incompetente Cristina Kirchner). Na quinta-feira, em Buenos Aires, ao menos 200 militantes de esquerda bloquearam uma estratégica avenida do Centro para lembrar o 11º aniversário da queda do governo de Fernando de la Rúa, após uma revolta popular que deixou 30 mortos. Os manifestantes do grupo Quebracho (esquerda radical), a maioria com os rostos cobertos e armados de paus, interromperam o trânsito na Avenida 9 de Julho, onde incendiaram dezenas de pneus. A polícia se manteve à margem da manifestação e apenas tentou controlar o trânsito caótico no centro de Buenos Aires. No dia 20 de dezembro de 2001, o então presidente Fernando De la Rúa (1999/2001) renunciou em meio a manifestações que deixaram 30 mortos em todo o país, durante a pior crise econômica da história recente da Argentina.

Prefeito da Porto Alegre, José Fortunati, anuncia nomes do novo secretariado


Depois de dois meses de negociações, o prefeito reeleito de Porto Alegre, José Fortunati, anunciou na manhã de sexta-feira os nomes que ocuparão o primeiro escalão de seu governo a partir de janeiro. Os principais partidos da aliança (PDT, PMDB e PTB) terão cinco secretarias cada um, entre elas Saúde, Urbanismo e Administração. As duas indicações mais polêmicas envolvem a pasta de Obras e Viação (Smov), que ficará sob os cuidados do vereador Mauro Zacher (PDT), e o Departamento Municipal de Habitação (Demhab), cujo responsável será Everton Braz (PTB). Braz chegou a ser descartado inicialmente por ser cunhado do ex-titular da Smov, Cássio Trogildo (PTB), mas acabou ficando na lista. Trogildo é alvo de uma investigação por suspeita de irregularidades na campanha eleitoral deste ano. Já a escolha do novo secretário de Obras causou divergências dentro do próprio partido do prefeito. Zacher também é alvo de investigação, por conta de suspeitas envolvendo a gestão da Secretaria Municipal de Juventude, da qual ele foi titular. Da cota pessoal de Fortunati foram pinçados sete nomes, incluindo o do procurador-geral do município, João Batista Linck Figueira. A primeira-dama Regina Becker, embora tenha sido convidada pelo marido a assumir a Secretaria de Direitos Animais, ainda não foi confirmada. O professor Wambert Di Lorenzo (PSDB), que disputou as eleições com Fortunati, atuará com o futuro vice-prefeito, Sebastião Melo (PMDB), em seu gabinete. Os escolhidos de José Fortunati: Acessibilidade - Raul Cohen (PP - é vice-presidente da ONG Brasil Sem Grades e da Federasul, tem formação e Direito e Administração); Administração - Elói Guimarães (PTB - exerce o oitavo mandato consecutivo como vereador da Capital, formado em Direito, é procurador do município); Carris - Sérgio Zimmermann (arquiteto e urbanista, assumiu o comando da Carris em 2011); Centro Integrado de Comando (CEIC) - Airton da Costa (foi comandante-geral da Brigada Militar entre 2004 e 2006, é oficial da reserva e já coordena o CEIC); Comunicação Social - Giuliano Thaddeu (cota pessoal - jornalista e publicitário, é o atual secretário da pasta, trabalha há 10 anos com José Fortunati); Cultura - Roque Jacoby (DEM - foi secretário estadual da Cultura, presidiu a Câmara Rio-Grandense do Livro, é formado em Ciências Econômicas e pós-graduado em Administração); Defesa Civil - Ernesto Teixeira (PMDB - é o atual diretor-geral do DEP, também foi diretor-executivo da Ceasa e é contador); Departamento de Esgotos Pluviais - Tarso Boelter (PP - é bacharel em Ciências Sociais, atuou no Gabinete de Programação Orçamentária da prefeitura; Demhab - Everton Braz (PTB, é secretário-adjunto da Secretaria Estadual da Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa; DMAE - Flávio Presser (PPS, é o atual responsável pelo órgão. Presidiu a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam); DMLU - André Carús (PMDB, pós-graduado em Direito Ambiental e Urbanístico, desde 2011 atua na Secretaria Municipal do Meio Ambiente; Direitos Humanos - Luciano Marcantônio (PDT), é vereador e tem formação superior em Gestão Pública; Educação - Cleci Jurach (cota pessoal, é professora e atua como secretária da pasta desde 2009; Licenciamento e Regularização Fundiária - Ana Pellini (cota pessoal, formada em Ciências Contábeis com mestrado em Administração Pública, atua junto ao Gabinete de Articulação Institucional da prefeitura; Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) - Vanderlei Cappellari, servidor público municipal, é diretor-presidente do órgão desde 2010, também atuou na Secretaria de Esportes e na Secretaria de Mobilidade de Canoas; Esporte e Copa - João Bosco Vaz (PDT, é vereador por quatro legislaturas e foi reeleito este ano. Foi secretário municipal de Esportes e Lazer de 2005 a 2010; Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) - Kevin Krieger (PP, é o atual responsável pelo órgão e vereador reeleito; Fazenda - Roberto Bertoncini (cota pessoal, é titular da secretaria desde julho de 2011, agente fiscal do Tesouro do Estado, cedido para a prefeitura; Gabinete de Desenvolvimento e Assuntos Especiais - Edemar Tutikian (cota pessoal, formado em Direito, é coordenador do gabinete desde 2011, foi secretário estadual do Desenvolvimento e dos Assuntos Internacionais; Gestão - Urbano Schmitt (cota pessoal, é secretário municipal de Gestão e Acompanhamento Estratégico desde julho de 2011 e de Direitos Animais desde janeiro deste ano; Governança - Cezar Busatto (PMDB, é o atual secretário da pasta, foi secretário de Estado nos governos Pedro Simon, Antônio Britto e Yeda Crusius e eleito três vezes deputado estadual; Indústria e Comércio - Doutor Goulart (PTB, formado em Medicina, é vereador desde 2000, foi diretor do Demhab; Inovapoa - Deborah Villela (PP, formada em Administração de Empresas com ênfase em Análise de Sistemas, pós-graduada em Gestão Empresarial e Administração e Economia; Juventude - Luizinho Martins (PDT, é o atual secretário da pasta e tem a trajetória vinculada ao movimento estudantil; Meio Ambiente - Luiz Fernando Záchia (PMDB, é o atual titular da pasta, ex-vereador e ex-deputado estadual, réu na ação de improbidade administrativa da Operação Rodin); Obras e Viação - Mauro Zacher (PDT, formado em Direito, foi eleito vereador por três mandatos e atuou como presidente da Câmara, foi titular da Secretaria Municipal de Juventude); Urbanismo - Idenir Cecchim (PMDB - vereador reeleito, foi titular da Smic, é formado em Administração de Empresas); Planejamento Estratégico - Izabel Matte (cota pessoal, servidora pública municipal desde 1992, assumiu há dois anos a coordenação do Gabinete de Planejamento Estratégico, tem pós-graduação em Gestão de Projetos e em Gestão Pública); Procempa - André Imar (PTB, formado em Direito e presidente da Procempa desde 2005); Procuradoria-Geral - João Batista Linck Figueira (cota pessoal, servidor público estadual, é o atual procurador-geral do município); Saúde - Carlos Casartelli (PTB, servidor público municipal desde 1989, assumiu a pasta em 2010 e é o atual secretário); Segurança - José Freitas (PRB, é vereador, ocupou em 2011 o cargo de diretor de Assuntos Comunitários da Secretaria Estadual de Esporte e Lazer); Trabalho - Pompeo de Mattos (PDT, formado em Direito, é secretário da pasta desde 2011, foi deputado federal por três mandatos); Turismo - Luiz Fernando Moraes (PPS, é o atual secretário e responsável pela criação do Fórum de Governança Local do Turismo e da Escola Social de Turismo).