quarta-feira, 12 de setembro de 2012

JUSTIÇA GAÚCHA SUSPENDE MULTIMILIONÁRIA LICITAÇÃO DA CAPINA DE PORTO ALEGRE E GOVERNO FORTUNATTI REVOGA EDITAL DA CONCORRÊNCIA, TRÊS MESES DEPOIS DA ORDEM JUDICIAL. POR QUE TANTO TEMPO DEPOIS?

Em abril de 2007, durante o governo do prefeito José Fogaça (PMDB), a Prefeitura de Porto Alegre recebeu as propostas das empresas participantes na concorrência para a operação dos serviços de capina em vias públicas da Capital gaúcha. Quase sete (7) meses após a abertura dessa concorrência, em novembro de 2007, a Prefeitura de Porto Alegre autorizou a empresa Delta Construções S/A, do empresário Fernando Cavendish, a iniciar a operação dos serviços de capina nas vias públicas do município. Nesta quarta-feira, 12 de setembro de 2012, a prefeitura de Porto Alegre tem menos de dois (2) meses para contratar uma nova empresa que venha a prestar os serviços de capina na cidade, e evitar assim a “fictícia emergência” e o contrato sem licitação pública, dito de emergência. É um caso evidente de improbidade administrativa, a postergação de uma licitação para tornar inevitável a contratação emergencial. Mas, não se ouviu até agora a manifestação de nenhuma autoridade responsável pela fiscalização dos atos públicos. Com absoluta certeza, o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), da prefeitura de Porto Alegre, agora no governo do prefeito José Fortunati (PDT), terá que assinar um contrato sem licitação pública, dito de emergência, para manter a operação dos serviços de capina na cidade gaúcha. Isso porque, nessa quarta-feira (12/09), o Diário Oficial do Município de Porto Alegre (DOPA), edição 4343, em sua página 38, trouxe a publicação de um “AVISO”, assinado pelo diretor geral do DMLU, em 10 de setembro de 2012, o qual informa a REVOGAÇÃO da CONCORRÊNCIA 11/2011, PROCESSO: 005.002954.11.7, que tem por objeto a “contratação de empresa para prestação de serviços de capina em vias públicas no Município”. Em 27 de junho de 2012, ou seja, quase três meses antes desse aviso em questão, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul deu PROVIMENTO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO (Processo 70048437602), impetrado por empresa licitante da CONCORRÊNCIA 11/2011, certame esse promovido pela prefeitura de Porto Alegre, “deferindo o pedido de antecipação dos efeitos da tutela, SUSPENDENDO O CERTAME da capina”. Desde a data de 27 de junho de 2012 o Departamento Municipal de Limpeza Urbana da Prefeitura de Porto Alegre e o prefeito José Fortunatti sabiam que a CONCORRÊNCIA 11/2011 estava suspensa pela Justiça do Estado do Rio Grande do Sul. Quase três meses após a decisão da Justiça gaúcha é que o DMLU de Porto Alegre decidiu publicar a REVOGAÇÃO do edital milionário da CONCORRÊNCIA 11/2011. O certame previa a contratação de uma empresa privada para operar, por cinco anos, os serviços de capina das ruas e avenidas do município de Porto Alegre, recebendo no período de 60 meses o valor de R$ 70.588.463,40 (setenta milhões, quinhentos e oitenta e oito mil, quatrocentos e sessenta e três reais e quarenta centavos) a preços de abril de 2012. Considerando a abertura de uma nova concorrência, a sua conclusão, a assinatura do contrato com a empresa vencedora e dar o início da operação desse serviço de limpeza urbana, a prefeitura de Porto Alegre não tem mais tempo para impedir que o DMLU faça um contrato de emergência para a capina da cidade. Inacreditável!!! Inacreditável ainda é o que consta nesse AVISO publicado pela prefeitura de Porto Alegre: o diretor geral do DMLU além REVOGAR a presente licitação, vem determinar a abertura de novo procedimento, com “URGÊNCIA”. É uma tremenda sacanagem. Ora, o DMLU de Porto Alegre e o prefeito José Fortunatti não sabem que se deve realizar com antecipação a concorrência pública, antes que finde o contrato em vigor do serviço de limpeza urbana, evitando assim o “contrato de emergência”? É de conhecimento público, que o preço do contrato de emergência é superior ao valor praticado pela empresa privada a qual tem o seu contrato findo. Exemplo disso são os dois contratos de coleta de lixo domiciliar assinados entre o DMLU e a REVITA Engenharia Ambiental S/A, do grupo Solví. Entre o final do ano passado e julho de 2012, o DMLU e o prefeito José Fortunatti aumentaram em duas oportunidades diferentes o preço da coleta de lixo da cidade. E ainda se propõe a prefeitura de Porto Alegre, de José Fortunatti, a aumentar uma terceira vez, chegando ao inexplicável percentual de quase 80% nesse período de novembro de 2011 a julho de 2012. A prefeitura de Porto Alegre e o prefeito José Fortunatti garantem há oito meses a Revita Engenharia Ambiental S/A, do grupo Solví, operando a coleta de lixo da capital gaúcha, por contratos “sem licitação pública”, ditos por “emergência”. O grupo Solví vem a ser um contumaz financiador de campanha eleitoral de prefeitos da capital gaúcha. Os financiamentos eleitorais a prefeito e partido político ocorreram por meio da empresa do grupo, a Vega Engenharia Ambiental S/A. Desde que assumiu a prefeitura de Porto Alegre, o governo Fortunati está às voltas com sérios problemas na sua gestão de resíduos. Agora o problema é o contrato da capina das vias públicas de Porto Alegre. Por sinal, basta ver as ruas de Porto Alegre e começar a se preocupar com o que vem pela frente. Certamente deveriam ter realizada a concorrência da capina com tempo suficientemente longo, visando assim evitar a contratação emergencial. A prefeitura de Porto Alegre, de José Fortunatti, vai contratar sem licitação pública a empresa DELTA Construções S/A, do empresário Fernando Cavendish, para dar continuidade na operação dos serviços de capina nas vias da cidade. O Ministério Público de Contas que atua junto ao Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul vai receber uma representação do administrador Enio Noronha Raffin, nesta quinta-feira (13/09), requerendo uma profunda investigação nos atos administrativos da gestão do lixo de Porto Alegre, em especial na contratação emergencial de empresa privada para operar a capina das vias públicas do município da capital gaúcha, contrato esse inevitável que será feito pelo DMLU, no governo Fortunati.

Fanáticos islâmicos salafistas se concentram na frente da embaixada americana na Tunísia

Após violenta agressão na Líbia, que resultou no assassinato do embaixador americano no país, e no Egito, onde a embaixada americana foi violada, com a bandeira sendo arriada, rasgada e queimada, dezenas de fanáticos salafistas islâmicos se concentraram nesta quarta-feira diante da embaixada dos Estados Unidos em Túnis para protestar, supostamente contra o filme considerado insultante para o Islã. Na verdade, essa onda faz parte de uma ofensiva comandada pela Irmandade Muçulmana, a mãe de todas as organizações terroristas islâmicas, e foi deflagrada não por acaso justo no aniversário do 11º ano do ataque horrendo contra as duas torres gêmeas, em Nova York. Os manifestantes exibiam cartazes negros e brancos dos salafistas na avenida diante da embaixada, situada no norte de Túnis.

Seguranças líbios foram mortos no ataque ao consulado dos Estados Unidos em Benghazi

Seguranças líbios morreram e foram feridos ao tentar defender o embaixador Chris Stevens durante o ataque em Benghazi, no qual foram assassinados o diplomata e outros três americanos, disse nesta quarta-feira o embaixador da Líbia na ONU. Ibrahim Dabbashi, embaixador adjunto da Líbia na ONU, disse que mais de 10 seguranças líbios foram mortos e feridos no ataque de terça-feira, sem indicar números exatos. "Alguns deles foram assassinados no início do ataque", indicou. O secretário-geral adjunto da ONU, Jeffrey Feltman, afirmou no Conselho de Segurança que havia tido acesso a informações de que os seguranças líbios também tinham sido assassinados no ataque. Stevens estava entre os quatro diplomatas mortos em Benghazi por uma horda de cerca de 2000 mil terroristas da Al Qaeda.

Até "conselheiros" cobram do peremptório Tarso Genro posições sobre a área de educação no Rio Grande do Sul

Durante reunião-almoço do "Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social" na tarde desta quarta-feira, no Palácio Piratini, em Porto Alegre, conselheiros cobraram explicações do governador petista, o peremptório Tarso Genro, sobre a situação da educação no Estado. Quatro dos 10 integrantes do Conselhão que falaram no evento pediram providências e fizeram críticas. O principal ponto dos questionamentos foi a ação judicial do governo petista que contesta o pagamento do piso nacional dos professores com base de cálculo no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que tem sido muito superior à inflação. O peremptório governador petista Tarso Genro, na maior cara de laje, defende o reajuste do piso pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Mas, não foi ele que colocou sua assinatura, ao lado da do ex-presidente Lula, no ato que sancionou a lei? Portanto, ele não concordou com a integralidade dela? Ou a assinatura dele é igual à lata de lixo? A crítica mais contundente foi feita pela ex-secretária da Educação, Neuza Canabarro. Ela condenou o questionamento da lei no Supremo Tribunal Federal de parte do peremptório Tarso Genro, aquele que iguala sua assinatura a lixo. Neusa Canabarro também questionou o projeto de haver um computador para cada aluno nas escolas enquanto os jovens mal sabem interpretar um texto. E cobrou: "Que ações concretas estão sendo feitas pela educação, governador?" Deve ter sido um prazer enorme para Neusa Canabarro se sentir assim tão redimida. Afinal de contas, durante o governo de seu marido, Alceu Collares (PDT), ela foi violentamente hostilizada pela CEPERS, sindicato pelegão da área da educação, aparelhão petista, que mantinha manifestações em frente ao Palácio Piratini onde os militares petista gritavam este refrão: "Neusa Canabarro, de cama em cama chegastes a primeira-dama".

Aposentados do fundo Aerus fazem protesto em Porto Alegre

Cerca de 300 aposentados do fundo de pensão Aerus protestaram nesta quarta-feira em Porto Alegre contra a falta de pagamento integral dos benefícios, conforme decisão da Justiça. O grupo reuniu-se no início da tarde no parque Moinhos de Vento e depois realizou caminhada até a sede da Advocacia Geral da União na capital gaúcha. No local, quatro integrantes entregaram um documento questionando a Advocacia Geral da União sobre o motivo para o não pagamento até agora e pedindo o cumprimento imediato da decisão. O grupo permaneceu no local por volta de uma hora e utilizou um carro de som para alertar para o problema da categoria. Em 13 de julho, a Justiça determinou que a União garanta o pagamento integral das pensões e aposentadorias do Aerus. O governo, no entanto, até o momento não se pronunciou sobre o assunto. Os advogados dos trabalhadores já protocolaram petição pedindo que a União comprove o cumprimento da antecipação de tutela, sob pena de multa diária de R$ 60 mil, já definida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Segundo um dos representantes da comissão dos aposentados do Aerus, Lourenço Rogério, os aposentados estão recebendo, em média, 8% do valor da aposentadoria. Os funcionários da Varig, todos, de comandantes de aviões a mecânicos de pista, são responsáveis pelo que aconteceu a eles. Deixaram todos os seus assuntos sob a responsabilidade de um sindicato petista e o resultado foi o que se viu. Os funcionários da Varig devem agradecer a situação que vivem atualmente a dois personagens em especial, ambos petistas: José Dirceu e Dilma Rousseff.

Operação da Polícia Civil prende sete por tentativa de homicídio e tráfico de drogas em Dom Pedrito

Uma operação da Polícia Civil prendeu sete pessoas na manhã desta quarta-feira, em Dom Pedrito, na região da Campanha. Batizada de Savana, a investida foi contra uma quadrilha que atuava no tráfico de drogas. Entre os presos está o líder do grupo, José Elizeu Ferreira do Nascimento, 31 anos, conhecido como Zebra. Ao todo, 13 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Dos sete presos, cinco são ligados ao tráfico de drogas e dois foram detidos por tentativa de homicídio. A investigação teve início no mês passado, mas o bando só começou a ser preso na noite de terça-feira, com o flagrante da venda de entorpecentes. Uma pessoa ainda está foragida. O combate ao tráfico em Dom Pedrito foi intensificado no mês de maio. De lá até agora foram presas 31 pessoas ligadas à venda de drogas. Dom Pedrito é uma pequena cidade de fronteira, mas com uma economia muito pujante, ligada à produção de soja e arroz. Se só nessa cidade já foram presos 31 traficantes, imagine a quantidade de drogados existente na cidade. Os traficantes só existem porque há consumidores de suas drogas.

Bancários gaúchos decidem entrar em greve

Os bancários de Porto Alegre e de outros 14 municípios da Região Metropolitana decidiram em assembléia na noite desta quarta-feira iniciar a nona greve consecutiva da categoria. Com a decisão, válida para bancos públicos e privados, a promessa é cruzar os braços a partir da próxima terça-feira. Conforme os bancários, a greve é consequência do impasse nas negociações salariais. Enquanto os trabalhadores pedem reajuste de 10,25%, sendo 5% de aumento real, a última proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), apresentada semana passada, foi de 6%. Para os bancários, a oferta patronal significa ganho de apenas 0,58% acima da inflação. A categoria pede ainda aumento no plano de participação nos lucros, mais contratações e o fim de uma rotatividade que consideram excessiva. Na segunda-feira ocorrerão novas assembléias para organizar o movimento. Segundo o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região (SindBancários), existem de 12 mil a 15 mil bancários nos 15 municípios abrangidos pela entidade. Destes, cerca de apenas mil são sindicalizados. A categoria dos bancários já foi talvez a maior e mais importante do País, na época da inflação galopante, de cerca de 80% ao mês, que obrigava os clientes a procurar os bancos todos os dias, para colocar no overnight o seu dinheiro. O Plano Real de Fernando Henrique Cardoso acabou com esta loucura, ao estabilizar a moeda e liquidar com a inflação. A partir daí a categoria dos bancários começou a murchar, em consequência do processo de informação e imnplementação do auto-atendimento pelos bancos. Afinal de contas, computador não tem custos sociais. Hoje os bancários são um arremedo de categoria.

Lewandowski condena cúpula do Banco Rural por lavagem de dinheiro no Mensalão do PT

O revisor do processo do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, afirmou nesta quarta-feira que houve crime de lavagem de dinheiro nos pagamentos e saques realizados por meio do Banco Rural e votou pela condenação de ex-integrantes da cúpula do banco, conforme acusação do Ministério Público Federal e acompanhando o relator, Joaquim Barbosa. Kátia Rabello, ex-presidente e herdeira do fundador do Banco Rural, e José Roberto Salgado, ex-vice-presidente, tiveram ação "inquestionadamente comprovada" para a prática dos delitos, segundo Lewandowski, e cooperaram para esconder a origem e os destinatários dos valores sacados por indicação do publicitário Marcos Valério, operador do esquema corruptor montado pelo PT para a compra de apoio político de partidos e parlamentares ao governo Lula. O revisor condenou ainda Marcos Valério por lavagem de dinheiro, afirmando ser ele um dos responsáveis pelo esquema que se utilizou do Banco Rural para ocultar origem e destino dos valores. Os sócios de Marcos Valério, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach, também foram condenados pelo mesmo crime por Lewandowski. O advogado de Salgado, Marcio Thomaz Bastos, demonstrou preocupação com as decisões da Corte sobre o crime de lavagem e afirmou que "os donos de banco precisam se preocupar".

Pusilânime Barack Obama envia agora dois navios de guerra à costa líbia

Militares norte-americanos disseram na noite desta quarta-feira que o governo do pusilânime presidente Barack Obama resolveu agora deslocar dois navios de guerra para a costa da Líbia. No final da noite de terça-feira, o consulado dos Estados Unidos em Benghazi foi atacado por cerca de 2.000 terroristas organizados pela Al Qaeda e quatro diplomatas norte-americanos foram assassinados, entre eles o embaixador dos Estados Unidos na Líbia, Christopher Stevens.

Revisor condena ex-diretora da agência de Marcos Valério

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, revisor do processo do Mensalão do PT, deu nesta quarta-feira o segundo voto pela condenação por lavagem de dinheiro de Simone Vasconcelos, ex-diretora financeira da agência de publicidade do grupo de Marcos Valério, a SMP&B. Lewandowski considerou que Simone, ao contrário do que alegava a defesa dela, não era uma "mera funcionária" de Marcos Valério e que participou, sim, do esquema criminoso de distribuição de recursos a políticos. Com essa manifestação, o revisor concluiu sua participação no capítulo de lavagem de dinheiro, votando pela condenação de seis dos dez réus no quesito. O ministro considerou culpados, além de Simone, a acionista e ex-presidente do Rural, Kátia Rabello, o ex-vice-presidente do banco, José Roberto Salgado, Marcos Valério e os antigos sócios do publicitário Cristiano Paz e Ramon Hollerbach. Ele absolveu Ayanna Tenório, ex-vice-presidente do Rural; Vinicius Samarane, ex-diretor e atual vice-presidente do banco; Geiza Dias, ex-funcionária de Valério; e Rogério Tolentino, ex-advogado das agências. O julgamento do processo será retomado nesta quinta-feira, com o voto da ministra Rosa Weber. Lewandowski disse que a atuação de Simone extrapolava em muito a atuação de uma mera funcionária do grupo de Marcos Valério. O ministro mencionou o fato de ela distribuir dinheiro vivo a políticos indicados pelos seus superiores hierárquicos em hotéis e escritórios, por exemplo. O revisor disse que as operações feitas por Simone eram determinadas por Marcos Valério e contavam com a anuência dos antigos sócios Cristiano Paz e Ramon Hollerbach, com o conhecimento do então tesoureiro do PT, Delúbio Soares. O revisor chegou a fazer uma comparação salarial com Geiza Dias, outra ex-funcionária de Valério, para mostrar que ela era pessoa de confiança do grupo. O ministro disse que Simone recebia um salário de R$ 13 mil de Marcos Valério, sendo R$ 2 mil via carteira assinada e outros R$ 11 mil como pessoa jurídica. Geiza, inferior na hierarquia à Simone, ganhava menos de R$ 2 mil por mês. Além disso, destacou ele, a ex-diretora financeira tinha até procuração com plenos poderes para movimentar recursos de uma das empresas do grupo. O ministro citou o depoimento do deputado federal e também réu na ação Valdemar Costa Neto (PR-SP), do extinto PL, para destacar a "importância" de Simone no esquema de lavagem de dinheiro. Segundo Valdemar, ela ocupava um "cargo de destaque" na estrutura da SMP&B. Para Lewandowski, o fato de a ré ter dito em depoimento, durante as investigações do caso, que tinha "verdadeiro pavor e constrangimento" de realizar os saques milionários do esquema, é mais uma prova de que ela tinha consciência que estava cometendo crimes. "Essa assertiva demonstra que Simone sabia que estava agindo de forma ilegal, mas persistiu no cometimento de crimes", destacou.

Senado aprova projeto que autoriza criação de free-shops em cidades na fronteira

O Senado aprovou nesta quarta-feira um projeto que autoriza a criação de lojas francas, os chamados free-shops, em cidades brasileiras que fazem fronteira com cidades de outros países. O projeto deixa a regulamentação dessas lojas francas a critério "da autoridade competente". A proposta ainda precisa ser votada novamente na Câmara do Deputados para então seguir à sanção presidencial, uma vez que foi alterada no Senado. De autoria do presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), o projeto originalmente também instituía um regime aduaneiro especial de exportação. Mas o texto aprovado nesta quarta-feira, redigido pela senadora Ana Amélia (PP-RS), extingue essa possibilidade de ressarcimento. "A proposição é um avanço", disse a senadora em seu parecer: "São conhecidas as dificuldades atualmente enfrentadas por algumas cidades brasileiras. Por exemplo, em nosso Estado, o Rio Grande do Sul, há vários municípios vizinhos de cidades uruguaias e argentinas que estão sofrendo uma competição comercial injusta e predatória". De acordo com a senadora, a Receita Federal e outros órgãos competentes regulamentarão a instalação dessas lojas.

Líder do PCC em Santa Bárbara d'Oeste é preso

No mesmo dia em que a Rota matou e prendeu membros do PCC, em Várzea Paulista, região de Jundiaí (SP), as equipes da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes de Campinas prendiam em Santa Bárbara d''Oeste (SP) um dos líderes locais da facção que comandava o tráfico de drogas na cidade e na região. Com ele foram presos outros dois membros do grupo. Josué Lopes da Silva, conhecido como Irmão J, é o líder do tráfico do PCC em Santa Bárbara d''Oeste. Como ele, foram detidos ainda Júlio Ribeiro, de 29 anos, e Juliano Ferreira, de 24. A Dise chegou até ele por causa das constantes ligações feitas para o telefone de Simone. Além de prestar contas para a contadora do PCC, o traficante era acionado quando faltava drogas em Campinas. "Verificamos que quando havia um problema de falta de drogas da quadrilha em Campinas, o Josué era acionado e abastecia a região, por intermédio de Simone", explica o delegado. A quadrilha presa pela Dise não aparece com ligações com os membros do PCC mortos em Várzea Paulista, na terça-feira, mas aumentam os riscos de reação na região. "Essas ações são um duro golpe contra o PCC no interior do Estado e sabemos que não podemos descansar um minuto", afirma Diez Júnior. As prisões fazem parte de uma investigação iniciada há 45 dias pela Dise, que já levou para a cadeia dez membros do PCC, entre eles uma mulher apontada como comandante do braço feminino da facção na região de Campinas e um criminoso que se admitiu ser um dos líderes do grupo em Campinas. "Desarticulamos um braço forte do tráfico do PCC na região de Campinas e inclusive um grupo feminino da facção", afirmou o delegado da Dise Oswaldo Diez Júnior. Das dez pessoas presas, cinco eram mulheres. As investigações começaram quando a polícia chegou a Simone Helena Caminada, conhecida como Irmã Véia, que comandava o tráfico de drogas no bairro Padre Anchieta. Segundo a polícia, ela atuava como contadora e responsável pelo cadastro dos traficantes do PCC na região de Campinas. Além das ligações telefônicas constantes com membros da facção, presos e em liberdade, na sua casa foram encontrados registros em um computador da contabilidade e da movimentação de dinheiro e de drogas, cadastros de membros, quem pagou e quem devia taxas ao PCC. Ela foi presa no dia 1º de agosto junto com Rafael Araújo Santos, de 22 anos, com um caminhão com carga roubada. "Ela além de ser a contadora do PCC, atuava diretamente nas ações de roubo de carga e tráfico de drogas", explicou o delegado. Duas mulheres eram as responsáveis pelas operações de tráfico para Simone: Claudiana Lopes da Silva, de 34, conhecida como Tempestade, e Camila da Silva, de 23 anos, conhecida como Magrela. Ambas foram presas, após expedição de mandato.

Pusilânime Barack Obama anuncia envio de força de elite de fuzileiros navais à Líbia

Mais de 50 fuzileiros navais norte-americanos estão a caminho da Líbia para reforçar a segurança nas representações diplomáticas dos Estados Unidos no país norte-africano, afirmaram fontes militares em Washington. O reforço da segurança ocorre um dia depois de o consulado dos Estados Unidos em Benghazi ter sido atacado e invadido por terroristas líbios, que assassinaram o embaixador Chris Stevens e mais três diplomatas norte-americanos. Os fuzileiros navais despachados para a Líbia fazem parte de uma força interna de elite formada com o objetivo de reagir prontamente a ameaças de "terrorismo" e para reforçar a segurança em representações diplomáticas dos Estados Unidos em qualquer parte do mundo.

Romney transforma ataques na Líbia em questão eleitoral

O candidato republicano à Casa Branca, Mitt Romney, reagiu imediatamente aos assassinatos de quatro diplomatas americanos na Líbia e transformou isso em uma questão eleitoral. Nesta quarta-feira, sua campanha apressou-se a organizar sua declaração à imprensa antes de seu rival, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manifestar-se publicamente na Casa Branca. Romney aproveitou o caso para criticar os "cálculos errados" da política externa do pusilânime Barack Obama e salientar seu estilo aos eleitores. "A liderança americana é importante. Os Estados Unidos não devem deixar de usar sua influência na região. Têm de assegurar que a Primavera Árabe não seja posta em perigo e se torne um Inverno Árabe", afirmou ele. Romney atacou especialmente um comunicado, emitido na noite de terça-feira, pela embaixada americana no Cairo, no qual condenou o filme que teria originado os protestos e a violência registrados durante o dia. Um grupo de muçulmanos havia escalado os muros da embaixada, arriado, rasgado e queimado a bandeira americana. Embora o governo americano tenha desautorizado o comunicado, o candidato republicano valeu-se dele para atacar Obama. "Os Estados Unidos estão dando mensagens misturadas ao mundo", criticou Romney, em campanha em Jacksonville, no Estado americano da Flórida. "O presidente e eu temos posições diferentes sobre Israel, Irã, Afeganistão e Síria. Obama demonstrou falta de clareza em política externa. Um pedido de desculpa pelos valores da América não é o caminho correto".

Disputa em Fortaleza tem Moroni Torgan e Roberto Cláudio empatados

Moroni Torgan (DEM) lidera a disputa pela prefeitura de Fortaleza com 22% da intenção de voto, seguido por Roberto Cláudio (PSB) e Elmano de Freitas (PT), com 17% e 16%, respectivamente, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira. Os dois primeiros colocados estão em empate técnico, uma vez que a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Elmano de Freitas, cuja variação vai de 13% a 19%, também poderia ser considerado em empate técnico com Moroni Torgan, que tem variação de 25% a 19%, mas o Datafolha considera essa hipótese estatisticamente improvável, pois lida com situações-limite. Moroni Torgan passou de 25% na sondagem anterior, em 29 e 30 de agosto, para 22% agora, enquanto Roberto Cláudio e Elmano de Freitas oscilaram um ponto para cima cada um. O quarto colocado na pesquisa é Heitor Ferrer (PDT), que passou de 10% para 14%, embolando ainda mais a disputa na capital cearense.

Ministério da agricultura americano diz que Brasil colherá safra recorde de 81 milhões de toneladas 2012/13

A safra de soja do Brasil em 2012/13 foi estimada nesta quarta-feira em 81 milhões de toneladas, estável em relação à previsão de feita pelo Departamento de Agricultura norte-americano (USDA). A previsão do USDA confirma que a produção brasileira da soja poderá atingir um recorde, se o clima colaborar. A safra 2012/13 começa a ser plantada em meados deste mês, após a chegada das chuvas no Centro-Oeste. O número do USDA aponta um crescimento expressivo na comparação com a safra passada (2011/12), quando uma seca no Sul cortou a produção nacional para 66,5 milhões de toneladas. Na safra 2010/11, o Brasil colheu um recorde de cerca de 75 milhões de toneladas. Caso se confirme a produção de 81 milhões de toneladas projetada pelo USDA em 2012/13, o Brasil deverá assumir a liderança global no mercado de soja. A safra americana 2012/13, em processo de colheita, cairá para 71,69 milhões de toneladas, segundo previsão do USDA, ante 83,17 milhões de toneladas na temporada passada. As lavouras norte-americanas sofreram na temporada com a pior seca em mais de meio século. Segundo relatório mensal sobre safras do USDA, divulgado nesta quarta-feira, a colheita de soja da Argentina foi estimada em 55 milhões de toneladas em 2012/13, também estável ante a previsão de agosto. Na temporada anterior, a Argentina, terceiro produtor global, colheu 41 milhões de toneladas.

Médico atesta que embaixador americano assassinado em Behghazi morreu asfixiado

O médico líbio que atendeu o embaixador norte-americano assassinado por terroristas islâmicos na Líbia afirmou que o diplomata morreu asfixiado. Ziad Abu Zeid disse que, durante 90 minutos, tentou reanimar Chris Stevens, de 52 anos. O médico afirmou que Stevens teve "asfixia severa" aparentemente por ter inalado fumaça, mas que não tinha outros ferimentos. Ele contou que o embaixador foi levado ao Centro Médico de Benghazi na noite de terça-feira. Stevens e mais três funcionários da representação diplomática foram mortos durante a invasão do consulado por terroristas islâmicos da Al Qaeda, na data em que se relembrava os 11 anos do ataque às torres gêmeas de Nova York.

Recusa em receber Netanyahu agrava crise EUA-Israel sobre Irã

A recusa do presidente americano, o pusilânime Barack Obama, em receber o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, aprofundou mais ainda a crise de confiança entre os dois países, em meio às divergências sobre um eventual ataque ao Irã. Segundo a Casa Branca, o pusilânime Obama não poderá receber Netanyahu durante sua visita aos Estados Unidos, no fim deste mês, porque sua agenda está totalmente tomada pela campanha eleitoral. A rejeição foi interpretada em Israel, no entanto, como mais um sinal de uma "crise grave" nas relações entre os dois países. A falta de confiança ficou mais aparente nas últimas semanas, com uma troca de farpas pública entre as lideranças israelenses e americanas. Na terça feira, Netanyahu criticou em termos duros o presidente pusilânime Obama ao afirmar que "aqueles que se negam a impor limites ao Irã não têm direito moral de impor limites a Israel". A declaração foi referência à declaração da secretária de Estado americana, Hillary Clinton, que disse que não pretende atender a exigência israelense de impor "prazos e linhas vermelhas" ao Irã.

Assistência jurídica a famílias de baixa renda consagrou suplente da socialite Marta Suplicy

De procurador da Assembléia Legislativa nos anos 1980 a senador da República, Antonio Carlos Rodrigues, de 62 anos, se tornou o maior expoente do clientelismo político que sobrevive, e com sucesso, nas periferias paulistanas. Há 11 anos na Câmara Municipal de São Paulo, quatro deles como presidente, Carlinhos, como é conhecido, criou cargos e gratificações para aliados, enfrentou promotores e obrigou prefeitos a cederem verbas em subprefeituras para seu grupo político, o "centrão". Rodrigues é suplente de Marta Suplicy (PT) no Senado e vai assumir sua vaga quando a petista assumir o Ministério da Cultura. Ao oferecer assistência jurídica a milhares de famílias de baixa renda do Campo Limpo, área pobre da zona sul, também consolidou um "feudo" onde nenhum outro político ousa pedir votos. Em 2001, quando foi eleito pela primeira vez, prestava ajuda em 729 processos, de separações a pedidos de transferências de presos. "Hoje em dia cuido de uns 40 processos, dá muito trabalho, pego pouca coisa", afirma. Ainda chamado de "presidente" pelos parlamentares e funcionários da Câmara, Carlinhos sempre foi generoso com os amigos. Criou em 2007, como presidente da Câmara, o projeto batizado de "trem da alegria", cujas benesses aos aliados incluíam gratificações, cargos e reajustes nas verbas de gabinete. Na sua região, no Campo Limpo, é padrinho de times de futebol de várzea e aliado de mais de 20 padres. Também é presidente de honra da escola de samba Mancha Verde e conselheiro do Palmeiras. "Eu não tenho culpa se o Ademir da Guia está na quadra da escola e o presidente vai ao microfone para dizer que o vereador da Mancha sou eu", gaba-se. Também patrocina casamentos comunitários e auxilia mães a arrumarem vagas em creches. A truculência com os desafetos, porém, é outra marca característica. Seu maior inimigo se tornou o vereador Antonio Goulart (PSD), aliado de mais de duas décadas que resolveu apoiar o candidato José Police Neto (PSD) na eleição da presidência da Câmara em 2011. Nas comissões e em rodas de amigos, faz questão de chamar Goulart pelo seu sobrenome Reis, em referência a Joaquim Silvério dos Reis (1756-1819), um dos delatores da Inconfidência Mineira. "Não conheço nenhum Goulart, só conheço o Reis", costuma dizer. Os assessores do parlamentar temiam nessa terça-feira, 12, que as matérias sobre sua chegada ao Senado lembrassem a ação da qual foi alvo do Ministério Público Estadual. Ele chegou a ser condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a devolver R$ 32,7 milhões aos cofres da EMTU, empresa da qual foi presidente no início dos anos 1990. No final de 2010, porém, o caso chegou ao Supremo Tribunal Federal, que acatou recurso do vereador contra a decisão de segunda instância. Na atual campanha, Carlinhos evitou colocar o nome do candidato José Serra (PSDB) nas suas placas, apesar de apoiar a coligação do tucano.

Campanha de Serra liga nome de Fernando "Kit Gay" Haddad ao de José Dirceu

A campanha do tucano José Serra, candidato à prefeitura de São Paulo, começou a veicular nesta quarta-feira duas inserções na TV em que liga o nome de Fernando "Kit Gay" Haddad (PT) ao ex-ministro José Dirceu, acusado de ter chefiado o esquema do Mensalão do PT e réu que está sendo julgado no Supremo Tribunal Federal. As propagandas foram exibidas um dia depois de José Dirceu defender em seu blog que petistas deveriam concentrar as críticas em Serra e para deixarem para depois o embate com o candidato do PRB. "Celso Russomanno é numa etapa seguinte", escreveu o ex-ministro. Em uma delas, o petista Delúbio Soares e o deputado Paulo Maluf (PP) também aparecem. A peça sugere que, ao votar em Fernando "Kit Gay" Haddad, esses nomes passariam a comandar a prefeitura. "Sabe o que acontece quando você vota no PT?", questiona o narrador. "Ele volta", é a resposta, ilustrada com as fotos dos três. Delúbio era tesoureiro do PT na época do Mensalão e também é um dos réus no processo que está em julgamento pelo Supremo Tribunal Federal. Já Maluf, cuja sigla integra a coligação de Haddad, é procurado pela Interpol, sob a acusação de lavagem de dinheiro. A outra inserção diz que Fernando "Kit Gay" Haddad deixou a gestão da petista Marta Suplicy (2001-2004) para ir trabalhar no governo federal e que foi nomeado pelo "Zé Dirceu". "Haddad foi das finanças da Marta, criaram as taxas e aumentaram os impostos. Haddad largou a Prefeitura e pulou para o governo federal. Foi nomeado pelo Zé Dirceu", diz a propaganda.

Pedido de vista coletivo adia sabatina de indicado para o STF

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado iniciou nesta quarta-feira a tramitação do processo de indicação de Teori Zavascki para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal, mas um pedido de vista coletivo adiou a definição da data da sabatina e a aprovação do relatório. Zavascki foi indicado pela presidente Dilma Rousseff para assumir a vaga de Cezar Peluso, que se aposentou na semana passada, depois de completar 70 anos. Não se sabe se o ministro será ouvido pelos membros da comissão no próximo esforço concentrado do Senado, em 17 de outubro, ou se a audiência será antecipada para a próxima semana, no caso de os deputados aprovarem a medida provisória do Código Florestal. Se isso ocorrer, o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), fará uma reconvocação, antecipando os trabalhos, a fim de impedir que a MP caduque no dia 8 de outubro.

Serra diz que Dilma "mal conhece São Paulo" e quer "meter o bico" na eleição paulista

O candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, atacou a entrada da presidente Dilma Rousseff na campanha eleitoral de Fernando Haddad (PT) e a nomeação da senadora Marta Suplicy para o Ministério da Cultura. O tucano disse após um evento com sindicalistas, nesta quarta-feira, que a presidente "mal conhece São Paulo" e tenta influenciar o eleitorado da cidade. José Serra disse, durante encontro com trabalhadores na Casa de Portugal, no bairro da Liberdade. "Dilma vem meter o bico em São Paulo, vem dizer para os paulistanos como é que eles devem votar. Não se pode impedir isso. Mas ela, que mal conhece São Paulo, vem aqui dar seu palpite". O tucano ironizou a nomeação da senadora e ex-prefeita petista Marta Suplicy para um ministério do governo Dilma. A socialite Marta Suplicy entrou há cerca de duas semanas na campanha de Haddad e fez críticas frequentes a Serra, a quem chamou de "rei da embromation". "A Marta Suplicy fez três insultos a mim e ganhou um ministério. Isso mostra que me insultar vale bastante", afirmou ele.

O pusilânime Obama promete justiça após assassinato do embaixador em ataque na Líbia

O presidente dos Estados Unidos, o pusilânime Barack Obama, prometeu nesta quarta-feira fazer justiça com os assassinos do embaixador norte-americano na Líbia e de outros três diplomatas, enquanto buscava evitar os efeitos de um ataque que joga luz sobre como seu governo lidou com a "Primavera Árabe". Em um pronunciamento na Casa Branca, Obama classificou o ataque em Benghazi de "ultrajante e chocante", mas insistiu que isso não ameaça as relações com o novo governo eleito da Líbia, que assumiu o poder em julho, depois que as forças rebeldes apoiadas pela força aérea da Otan derrubaram Muammar Gaddafi no ano passado. O ataque a diplomatas norte-americanos, deflagrado no mesmo em que se rememorava os 11 anos do atentado às torres gêmeas em Nova York, pode suscitar questionamentos sobre a política de Obama com relação à Líbia na era pós-Gaddafi no momento em que ele busca a reeleição em novembro. O pusilânime Obama determinou o aumento da segurança nas embaixadas norte-americanas em todo o mundo e uma equipe antiterrorista de fuzileiros navais foi enviada à Líbia para aumentar a segurança dos funcionários norte-americanos. O embaixador Chris Stevens e três funcionários da embaixada foram mortos na terça-feira, quando terrorista islâmicos atacaram o consulado em Benghazi e um outro local na cidade, que fica no leste do país, e foi o berço do levante do ano passado contra o governo de 42 anos de Gaddafi. Outro ataque foi desferido contra a embaixada norte-americana no Cairo. O prédio chegou a ser invadido, a bandeira americana foi arriada, rasgada e queimada. Stevens, veterano na diplomacia com experiência de 21 anos na profissão, foi uma das primeiras autoridades norte-americanas a chegar a Benghazi durante o levante contra Gaddafi no ano passado. Um dos diplomatas mortos foi identificado como Sean Smith.

Suplente de Tião Viana será vice-presidente do Senado

O PT escolheu Aníbal Diniz, suplente do ex-senador e atual governador do Acre, Tião Viana, para o cargo de vice-presidente do Senado, no lugar da senadora Marta Suplicy (SP), que nesta quinta-feira assumirá o Ministério da Cultura. A escolha foi feita pelos 13 senadores do partido. Ou seja, o Senado terá um vice-presidente que não recebeu um voto sequer para se eleger. O líder Walter Pinheiro (BA) elogiou a decisão unânime de seus colegas, alegando que "Aníbal estreou no Senado com pinta de veterano". Ex-secretário de Comunicação Social do ex-governador Jorge Viana (AC), atual senador e irmão de Tião Viana, o futuro vice-presidente do Senado tem se destacado pelo empenho com o qual elogia as decisões da família Viana, sua patrocinadora. Ao defender a indicação para o cargo de um nome sem vivência política e que nunca foi eleito, Pinheiro disse que ele "entrou na chapa como suplente de Tião sem ser seu financiador". Com a saída da socialite Marta Suplicy, o Senado passará a ter 18 parlamentares que assumiram o cargo sem terem sido eleitos. Emenda constitucional que altera a regra na indicação de suplentes de senadores tramita desde 2007 na Casa.

Partidários do ditador Hugo Chávez queimam caminhão da campanha de Capriles

Episódios violentos tomaram conta da campanha eleitoral na Venezuela nesta quarta-feira, quando partidários do ditador Hugo Chávez bloquearam uma avenida e um caminhão foi queimado. Ambas as partes trocaram pedradas. Centenas de partidários do tiranete, vestindo camisas vermelhas, bloquearam a avenida perto do aeroporto da cidade de Puerto Cabello. Além do caminhão usado pela campanha do candidato oposicionista Henrique Capriles, uma motocicleta foi incendiada. Capriles tinha visita marcada à cidade. Partidários de Capriles precisaram se esconder diante da violência. Alguns dos partidários de Chávez entraram no aeroporto e roubaram um gerador e o sistema de alto-falantes. Quando ocorreu o ataque aos partidários de Capriles, o candidato da oposição estava em um vôo para Puerto Cabello. O governador do Estado de Carabobo, Henrique Salas Feo, condenou a violência na televisão, ao dizer que "a Venezuela precisa de paz". Salas Feo é opositor a Chávez. As horas fascistas de Chavez estão tentando criar um clima de desordem para desestabilizar as eleições, diante da iminência do fracasso eleitoral de Chavez.

Revisor do Mensalão do PT livra ex-vice-presidente do Banco Rural

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, revisor do processo do Mensalão do PT, deu nesta quarta-feira o segundo voto pela absolvição de Ayanna Tenório, ex-vice-presidente do Banco Rural, do crime de lavagem de dinheiro. O relator da ação, Joaquim Barbosa, já havia votado também pela absolvição. O argumento dos dois é que o colegiado a absolveu do crime de gestão fraudulenta, o que a impede de ser condenada por lavagem. Lewandowski disse que a ex-vice-presidente não participou do esquema de lavagem de dinheiro e também não tinha ciência do que ocorria antes de ter entrado no banco, em 2004. Para o ministro, não é correto supor que ela conhecesse todo o esquema de lavagem por ter participado de duas renovações de empréstimos para empresas de de Marcos Valério. O Supremo já reconheceu que as operações foram fraudulentas. Ayanna tinha três meses de contratada pelo banco quando deu aval às transações. Segundo o revisor, o esquema ilegal já atuava há pelo menos um ano e quatro meses.

Lewandowski concordou com Barbosa na absolvição de Ayanna Tenório

O ministro do Supremo Tribunal Federal revisor do processo do Mensalão do PT, Ricardo Lewandowski, votou pela absolvição de Geiza Dias, ex-funcionária da agência SMP&B, de Marcos Valério. Para ele, a atuação dela foi como empregada e não com intenção de participar das supostas operações de lavagem de dinheiro. Neste capítulo, essa foi a primeira divergência com o relator, Joaquim Barbosa, que defendeu a condenação. Lewandowski começou seu voto falando sobre a conduta de Geiza, destacando o salário de pouco mais de R$ 1 mil, para demonstrar que era apenas uma funcionária subordinada. Mais adiante, o revisor definiu a atuação da mulher como de "batedora de cheques". Geiza é a acusada cuja defesa pede a absolvição porque seria uma funcionária "mequetrefe". O revisor enfatizou que ela não foi promovida nem obteve vantagem financeira do esquema. Destacou que as ordens de pagamento que enviava ao Banco Rural vinham de seu e-mail institucional, o que reforçaria a evidência de não haver intenção de ocultar qualquer ação. Afirmou que qualquer outro funcionário na função dela faria a mesma coisa, não sendo Geiza pessoa com poder de decisão no esquema. Destacou ainda que ela era subordinada a Simone Vasconcellos, outra ré no processo. "O Ministério Público não comprovou que Geiza tinha ciência de que estava praticando atos criminosos", afirmou Lewandowski, que concluiu pela absolvição por falta de provas.

Relator e revisor da ação do Mensalão do PT trocam novas estocadas no Supremo

Os ministros Joaquim Barbosa e Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, voltaram a trocar farpas nesta quarta-feira durante a sessão de julgamento da ação penal do Mensalão do PT, atrito que tem ocorrido desde o início do julgamento, em que os dois ocupam papéis centrais como relator e revisor do processo respectivamente. Joaquim Barbosa, que leu seu voto como relator na segunda-feira, no capítulo que trata sobre lavagem de dinheiro, ficou irritado com insinuações de que seus votos são muito longos e chegou a dizer que Lewandowski repetia "os jornais". "Vamos parar com este jogo de intrigas", disse ele ao colega. "Faça seu voto de maneira sóbria", completou. Lewandowski reagiu. "O senhor relator está dizendo que meu voto não é sóbrio", reclamou ele ao presidente da Corte, Ayres Britto, que precisou intervir. A discussão se deu durante ao voto de Lewandowski pela absolvição de Geiza Dias do crime de lavagem de dinheiro, contrariando o voto do relator. Segundo ele, a funcionária não teve envolvimento com o que chamou de "núcleo delituoso". "Quem lava dinheiro, faz branqueamento de capitais, faz às escondidas, não manda email corporativo, manda beijos e abraços", disse ele, depois de ler emails da acusada, em que falava dos cheques e repasses de dinheiro aos outros acusados.

BNDES não vê risco de crédito para elétricas por tarifa menor

A redução nas tarifas de energia anunciada pelo governo Dilma não vai criar risco de crédito para as companhias que atuam no setor, afirmou nesta quarta-feira a chefe do Departamento de Energia Elétrica do BNDES, Márcia Leal. "O setor elétrico tem um processo de financiamento bastante seguro", destacou ela, ao participar do Energy Summit 2012. "É importante destacar que a expansão da geração e da transmissão é feita com projetos novos, greenfields", adicionou. Na terça-feira, o governo anunciou que a tarifa da energia será reduzida para o consumidor, em média, em 20,2% no começo de 2013. Isso será possível pela diminuição ou extinção de encargos sobre o setor e pela renovação condicionada de concessões que venceriam a partir de 2015.

CCJ do Senado cria Tribunal Regional Federal no Paraná

Apesar de notória inconstitucionalidade, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou nesta quarta-feira a criação de mais um Tribunal Regional Federal, desta vez para o Paraná. A medida ocorre cinco meses após a criação de um TRF para a 6ª Região com sede em Belo Horizonte. Apoiada pela bancada mineira, tendo à frente o senador Aécio Neves (PSDB-MG), e apesar da polêmica, a proposta foi aprovada no plenário no mês passado. Os senadores Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) e Pedro Taques (PDT-MT) lembraram que a criação ou extinção de tribunais ou de novas Varas Judiciárias é competência exclusiva do Superior Tribunal de Justiça. Mesmo assim, já está na pauta da Comissão de Constituição e Justiça a criação de um Tribunal Regional Federal no Amazonas. E ela ainda se chama de "Constituição e Justiça"!!!! Esses senadores são de uma mediocridade criminosa. "Estamos invadindo a autonomia do Judiciário, é como se a presidente Dilma Rousseff viesse criar mais secretárias para o Senado ou a Câmara", comparou o senador Aloysio Nunes. O senador Taques disse que a iniciativa atropela o papel da Comissão de Constituição e Justiça de fazer um controle preventivo da constitucionalidade dos projetos. "Estamos violando a Constituição", avisou. "É a banalização do papel da comissão", acrescentou o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES). Além dos três senadores, votaram contra a proposta Armando Monteiro (PTB-PE) e Antonio Carlos Valadares (PSB-SE). Esses senadores deveriam ser denunciados à comissão de ética pela falta de compromisso com a Constituição, o que é o crime mais grave que eles poderiam praticar.

AIEA deve votar resolução crítica contra o Irã

Os Estados Unidos e seus aliados ocidentais persuadiram a Rússia e a China a apoiarem uma resolução crítica a respeito do programa nuclear iraniano, na esperança de mostrar a Israel que a diplomacia é uma alternativa à força militar na pressão a Teerã, disseram diplomatas nesta quarta-feira. A resolução, a qual pede que o Irã pare as atividades que podem ser usadas para construir uma arma nuclear, não pode ser implementada ou imposta por coação ao regime iraniano pelos 35 governadores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), mesmo que seja aprovada por consenso em votação, como é esperado nesta quinta-feira. Ou seja, é uma decisão inócua, só para jogar para a arquibancada. Parece cada vez mais notório que o governo do pusilânime presidente dos Estados Unidos, o descendente de muçulmanos Barack Obama, exerce uma política externa de incentivo para que os aiotolás nazistas do Irã produzam bombas atômicas. Mas com o governo de Israel cada vez mais propenso a desfechar um bombardeio contra as usinas nucleares do Irã, o documento é significativo ao indicar que as potências mundiais buscam uma mentirosa solução para o impasse. A república nazista islâmica diz que seu programa nuclear tem apenas objetivos pacíficos. Mas se recusa a suspender o enriquecimento de urânio e a aceitar que estrangeiros enriqueçam o combustível nuclear para as usinas iranianas. O urânio enriquecido acima de 90% pode ser usado para carregar uma bomba atômica. O texto da resolução foi definido nesta quarta-feira apenas após conversas entre a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, com congêneres da Rússia, China, França, Grã-Bretanha e Alemanha, disseram os diplomatas, que pediram anonimato. Os diplomatas afirmam que a Rússia e a China só foram persuadidas a apoiar a resolução com o argumento de que as grandes potências precisam enviar um sinal claro e unido a Israel, ou seja, tentar enganar Israel, país que está violentamente ameaçado pelos aiotolás nazistas iranianos.

Casos de meningite no Maranhão já chegam a 34

O número de casos suspeitos de meningite no sul do Maranhão subiu de 19 para 34. A informação foi divulgada pela Secretaria de Saúde do Estado que também confirmou que nove casos deram positivos e que também há cinco óbitos sendo investigados na região. Ainda segundo a secretaria, os casos são de meningite bacteriana e uma força-tarefa com médicos e técnicos ligados ao governo estadual e do Ministério da Saúde está fazendo o acompanhamento dos casos já notificados. No esforço de combate á doença, toda a equipe de infectologistas do governo estadual, além de técnicos de vigilância epidemiológica foi deslocada para a região. A equipe conta com um helicóptero equipado com unidade de tratamento intensivo e um carregamento de 32 mil doses de vacina contra a meningite tipo A e C. Deste total de vacinas, 22 mil saíram dos estoques do governo federal e 10 mil são do governo estadual. A estratégia é vacinar a população dos povoados atingidos por casos da doença, fazer a profilaxia com uso de antibióticos e usar o helicóptero como suporte para deslocar os casos mais graves para hospitais de referência em Imperatriz, segunda cidade do Estado e distante cerca de 300 quilômetros da área atingida pelo surto de meningite.

Exames do mensaleiro petista José Genoino já estavam programados, diz Incor

O ex-deputado federal José Genoino (PT-SP), um dos réus do processo do Mensalão do PT, passou nesta quarta-feira por exames de avaliação geral no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor), em São Paulo. Segundo nota divulgada pelo hospital, o check-up está sendo realizado desde a última segunda-feira e já estava programado. A mesma nota informa ainda que os procedimentos não exigem a internação do paciente. José Genoino se afastou da assessoria do Ministério da Defesa, onde trabalha atualmente, por tempo indeterminado. A assessoria do ex-deputado informou pela manhã que o resultado dos exames definirão a necessidade de Genoino passar por um procedimento mais complexo, como cateterismo ou mesmo uma cirurgia cardíaca.

E Monteiro Lobato, acreditem, ainda não foi “absolvido” pelo STF. Ou: Vamos trocar Monteiro Lobato por Gabriel Chalita, Shakespeare por Chico Buarque, Dante por Paulo Coelho, Alexandre Herculano por Emir Sader e Fernando Pessoa pelo pagodeiro Netinho!

Não! Nada de acordo por enquanto. Monteiro Lobato ainda não foi, digamos, “absolvido” pelo Supremo. Vocês não sabem a vergonha e o constrangimento que sinto ao escrever isso. Leiam o que informa Tai Nalon na VEJA.com. Volto em seguida. A audiência de conciliação proposta pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux para decidir se libera o uso do livro “Caçadas de Pedrinho”, de Monteiro Lobato, na rede pública de ensino terminou nesta terça-feira sem acordo. Com a participação de representantes do Ministério da Educação, da Advocacia Geral da União e do Ministério Público Federal, a audiência, que durou cerca de três horas, foi convocada depois de o Supremo receber mandado de segurança impetrado pelo Instituto de Advocacia Racial (Iara) e pelo técnico em gestão educacional Antônio Gomes Neto. A alegação é de que a obra possui elementos racistas. Embora juridicamente o assunto não tenha se resolvido, o Iara sinalizou que pode desistir do pedido de nulidade de um parecer do Ministério da Educação que revoga a proibição do livro na rede pública de ensino. Em 2010, depois de denúncia da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial, o Conselho Nacional de Educação (CNE) determinou que a obra fosse banida das escolas. A repercussão do infeliz episódio fez com que o Ministério da Educação (MEC) pedisse ao CNE para reconsiderar a questão. O veto, então, foi anulado. O mandado de segurança pretende agora derrubar a anulação do parecer. O instituto afirma que “não há como se alegar liberdade de expressão em relação ao tema quando há [no livro] referências ao negro com estereótipos fortemente carregados de elementos racistas”. Diz ainda que o livro é utilizado como “paradigma” e, por isso, as regras adotadas para ele devem nortear a aquisição também, pela rede pública, de qualquer obra literária ou didática que tenha “qualquer forma de expressão de racismo cultural, institucional e individual”. Publicado em 1933, o livro faz parte do acervo do Programa Nacional Biblioteca na Escola (PNBE). “Vou fazer 60 anos. Já fui criança. Estudei no Colégio Pedro II, fiz primário e maternal. Me lembro desse e de todos os livros”, afirmou o ministro Fux. Uma nova reunião será realizada no próximo dia 25, no Ministério da Educação, para discutir a adoção medidas concretas. O Iara condiciona a retirada do mandado de segurança à implantação de medidas como a capacitação de professores e a veiculação de uma nota técnica com o livro que explique o contexto das expressões contestadas pelo instituto. A ideia de incluir a explicação, segundo Humberto Adami, diretor e advogado do Iara, é apelar para o mesmo procedimento adotado em relação a crimes ambientais na obra de Lobato. Segundo ele, editoras embutiram no mesmo livro nota que explica que caçar onças, embora costume da época em que o livro foi escrito, hoje em dia não se faz. “Por que se faz na questão de crimes ambientais e não se faz em relação ao negro? Por que a onça é mais importante do que o negro que sofre com esse tipo de assunto na escola?”, questionou. Os representantes do Iara querem também capacitação docente para questões raciais em sala de aula. Negam censura. “Não quer dizer que [as obras] sejam tiradas, é ter alguém dizendo ‘é errado fazer isso’, ‘não pode fazer isso com colega’, ‘isso vai ferir outra pessoa’. É o que se pretende. Até pouco tempo, as pessoas achavam que podiam brincar à vontade com respeito e dignidade de outros seres humanos.” Voltei Com todo o respeito ao ministro Fux, essa audiência é um completo despropósito. E se aquele procurador que decidiu tirar o Aurelião de circulação porque não gostou da definição da palavra “cigano” resolver levar adiante o seu pleito? E se outros tantos decidirem censurar Shakespeare porque antissemita; Alexandre Herculano porque anti-islâmico e Dante Alighieri porque antissemita e anti-islâmico? E se os católicos decidirem censurar parte da obra de Eça de Queiroz porque anticlerical? E se os democratas decidirem censurar Fernando Pessoa porque escreveu um texto em defesa da ditadura militar? E se as feministas decidirem censurar a Torá e a Bíblia? As obras de Monteiro Lobato trazem mesmo a tal “tarja preta” ambiental, afirmando que é incorreto caçar onças??? Eu não sabia. Se isso for verdade, então a barbárie já está entre nós. Por que só com Lobato? Todo livro, pois, deveria contar com um guia de interpretação, informando qual é a leitura correta, quem é o mocinho, quem é o bandido e qual deve ser o juízo correto sobre a obra. Viveríamos, assim, num presente eterno. Esse episódio é vergonhoso! É parte do processo de educação situar uma obra em seu devido contexto, entender em que tempo o texto foi escrito e que tempo o livro retrata — já que podem não ser os mesmos. É espantoso que alguém suponha que obras, agora, possam ser submetidas a comitês ambientais ou raciais para que se decida se há nelas “impropriedades”. No Irã, os livros passam pelo crivo de uma sessão do Conselho da Revolução Islâmica para que os paus-mandados dos aiatolás decidam o que pode e o que não pode ser publicado. Teremos no Brasil os aiatolás do racialismo, os aiatolás da ecologia, os aiatolás da igualdade… Ministro Fux, Vossa Excelência se dá conta de que uma audiência dessa natureza, ainda que pareça democrática, nada mais faz do que relativizar a liberdade de expressão e limitar o livre exame de textos que já têm dimensão histórica? Há muitos anos associo a patrulha politicamente correta a uma forma particular de fascismo. Eis aí. Vamos trocar Monteiro Lobato por Gabriel Chalita, Shakespeare por Chico Buarque, Dante por Paulo Coelho, Alexandre Herculano por Emir Sader e Fernando Pessoa pelo pagodeiro Netinho! Depois, ministro Fux, só faltará trocar o STF por um tribunal de rua. Por Reinaldo Azevedo

Começa o julgamento de Thor Batista por assassinato de ciclista

Começou às 13 horas desta quarta-feira a primeira audiência do processo que acusa o filho do empresário Eike Batista, Thor Batista, pelo assassinato por atropelamento do ciclista Wanderson Pereira dos Santos, de 30 anos, em março deste ano. Durante a sessão, testemunhas de acusação e defesa serão ouvidas na 2ª Vara Criminal de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A audiência é conduzida pela juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza. Thor chegou ao local por volta das 12 horas para responder à acusação de homicídio culposo. A juíza pretendia ouvir seis testemunhas de defesa, sendo que duas delas moram em São Paulo e prestarão depoimentos na capital. Thor Batista ficou dois meses sem o direito de dirigir por determinação da 2ª Vara de Duque de Caxias, medida concluída 60 dias depois do acidente. A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) voltou às mãos do acusado em 20 de julho, quando a Justiça acolheu mandado de segurança impetrado pelos criminalistas Celso Villardi e o petista Márcio Thomaz Bastos. O acidente ocorreu em 17 de março na Rodovia Washington Luís. O filho de Eike Batista dirigia a Mercedes-Benz SLR McLaren a 135 km/h, segundo a perícia da Polícia Civil. A velocidade máxima permitida na via é de 110 km/h. Os advogados de Thor contestam a perícia e alegam que, segundo laudo particular, o carro estava trafegando com velocidade entre 87,1 km/h e 104,4 km/h. Em 16 de maio, o Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou Thor Batista à Justiça por homicídio culposo (sem intenção de matar). De acordo com informações da denúncia, momentos antes do atropelamento, o filho do empresário chegou a ultrapassar um ônibus pela faixa da direita e repetiu a manobra ao ultrapassar um carro. Para pedir a suspensão da carteira de motorista de Thor, o Ministério Público levou em consideração as 11 infrações de trânsito registradas em sua carteira de habilitação, nove delas por excesso de velocidade. Caso condenado, Thor Batista poderá cumprir de 2 a 4 anos de prisão. Com uma pena dessas ele não vai para a cadeia.

Depois de assassinato de embaixador, o pusilânime presidente Barack Obama envia fuzileiros navais à Líbia

Após o ataque ao Consulado dos Estados Unidos em Benghazi, na Líbia, que matou quatro pessoas, entre elas o embaixador norte-americano Christopher Stevens, o pusilânime presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, determinou o envio de uma equipe de fuzileiros navais ao país. Os fuzileiros fazem parte da Equipe de Segurança Antiterrorismo. A decisão de enviar a equipe, que será reforçada por cerca de 50 soldados, e o anúncio de Obama de que aumentará o esquema de segurança em embaixadas e consulados norte-americanos no mundo, ocorreram depois que o prédio da representação diplomática em Benghazi foi atacado por manifestantes supostamente enfurecidos com o filme "Inocência dos Muçulmanos". Para alguns muçulmanos, o filme supostamente insulta o profeta Maomé. O vídeo foi produzido por um californiano de 52 anos, chamado Sam Bacile, e promovido por um expatriado egípcio cristão copta. Um trailer do filme de baixo orçamento foi postado no YouTube, traduzido para o árabe. Os ataques ao consulado resultaram nos assassinatos a tiros do embaixador norte-americano e outros três funcionários. No Egito, manifestantes fanáticos islâmicos invadiram a embaixada dos Estados Unidos, escalaram as paredes, arriaram, rasgaram e queimaram a bandeira americana, e a substituíram por uma bandeira islâmica. O pusilânime Obama disse que serão disponibilizados "todos os recursos necessários para garantir a segurança do pessoal na Líbia e reforçar a segurança em todas as representações diplomáticas no mundo".

Ministro Joaquim Barbosa diz que um país "decentemente organizado" afastaria delegado da Zampronha da Polícia Federal

O relator do processo do Mensalão do PT, ministro Joaquim Barbosa, desqualificou nesta quarta-feira a entrevista do delegado federal Luís Flávio Zampronha, que defendeu a inocência da ré Geiza Dias em uma entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo. Joaquim Barbosa interrompeu a fala do revisor do processo do Mensalão do PT, Ricardo Lewandowski, que citou a entrevista para embasar seu voto. Para Joaquim Barbosa, Zampronha seria no mínimo suspenso em um País "decentemente organizado". "Veja como as coisas são bizarras no nosso País. Um delegado preside um inquérito e, às vésperas do julgamento da ação, vai à imprensa e diz 'fulano não deveria ser julgado'", afirmou Barbosa. "Em qualquer país decentemente organizado, um delegado como esse estaria no mínimo suspenso", disse ele. Zampronha, que investigou o Mensalão do PT, afirmou ao jornal que a acusação contra o ex-ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, era "forçada", e minimizou as acusações contra Geiza Dias. A discussão entre Barbosa e Lewandowski sobre a entrevista do delegado da Polícia Federal foi interrompida pelo ministro Gilmar Mendes, que disse que havia elementos suficientes nos autos para julgar o processo do Mensalão do PT.

País registra fluxo cambial negativo de US$ 575 milhões nos primeiros quatro dias úteis do mês

O fluxo cambial, resultado de entrada e saída de dólares, iniciou setembro negativo em US$ 575 milhões, informou nesta quarta-feira o Banco Central. Em agosto, o fluxo ficou negativo em US$ 896 milhões. Na semana passada, com quatro dias úteis, o segmento financeiro (investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações) apresentou saldo negativo de US$ 222 milhões. O fluxo comercial (operações relacionadas a exportações e importações) apresentou saldo negativo maior do que o financeiro, de US$ 674 milhões. De janeiro até a primeira semana de setembro, o fluxo cambial está positivo em US$ 22,415 bilhões, ante US$ 66,464 bilhões registrados em igual período do ano passado. Neste ano até a semana passada, o fluxo financeiro ficou positivo em US$ 4,237 bilhões, e o comercial em US$ 18,177 bilhões.

População amplia uso de cartões e garante elevação de 20% no faturamento do setor

O aumento da base de consumo dos brasileiros e a mudança de comportamento da população do País na hora de pagar as contas, com a preferência pelos cartões de crédito, débito e de loja, em substituição às outras formas de pagamento, levou o setor a ampliar o faturamento em 20% no segundo trimestre deste ano, com movimentação de R$ 191 bilhões. Cada uma das modalidades apresentou as seguintes evoluções: crescimento de 14% nos cartões de crédito; 19% de débitos e 12% nos de rede e loja. A comparação é com o mesmo período do ano passado. O crescimento ocorre apesar de os juros cobrados no cartão de crédito no Brasil serem os maiores da América Latina, de acordo com levantamento divulgado em julho pela Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (ProTeste). A performance do setor foi anunciada nesta quarta-feira pelo presidente da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), Claudio Yamaguti. Ele afirmou que há espaços a serem explorados para aumentar ainda mais este ritmo de crescimento. “O crediário é uma aposta e ainda tem um espaço enorme para utilização cada vez maior dos cartões de débito, o que é uma questão de hábito”, pontuou o dirigente. Com base nisso, segundo Yamaguti, a entidade refez os cálculos sobre a previsão de faturamento deste ano, com o crescimento passando de 20% para 21% e faturamento projetado de R$ 812,8 bilhões. O número de transações deverá alcançar 9,7 bilhões, com alta de 17% sobre 2011, e a quantidade de cartões chegando a 746 milhões, 9% acima de igual período do ano passado. No segundo trimestre deste ano, a utilização dos cartões resultou em 2,3 bilhões de operações, com aumento de 16% sobre o segundo trimestre de 2011, e o total de cartões distribuídos entre os consumidores somou 718 milhões, uma expansão de 9%. Isoladamente, o faturamento com os cartões de crédito atingiu R$ 111 bilhões, volume 20% maior do que o do segundo trimestre de 2011. A pesquisa mostra também que o ritmo de crescimento no uso dos cartões de débito foi maior, com receita de R$ 56,5 bilhões (alta de 23%) e total de transações de 2,3 bilhões (crescimento de 16%).

Presidente do Banco Central diz que redução nas tarifas de energia deve ter impacto signiticativo na inflação

O impacto da redução dos custos da energia na inflação “deve ser significativo”, na avaliação do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, em audiência pública, no Senado. Segundo Tombini, o Banco Central fará um “cálculo refinado” do impacto da medida. No final do mês, quando o Banco Central divulgar o Relatório de Inflação, publicado trimestralmente, a medida estará “refletida” nas projeções para a inflação.

Depois de chacina em favela, mais de 4 mil alunos continuam sem aula em Mesquita

Mais de 4 mil alunos do ensino fundamental da rede municipal continuam sem aula na cidade de Mesquita, na Baixada Fluminense, por causa da violência. Das 33 escolas existentes no município, 11 estão fechadas há dois dias por estarem localizadas no entorno da comunidade da Chatuba, onde traficantes torturaram e executaram seis jovens no fim de semana. O local está agora ocupado por homens da Polícia Militar e fuzileiros navais. Uma moradora da comunidade que não quis se identificar por medo de retaliações informou que a violência no bairro vem aumentando nos últimos meses. Assistente jurídica em um escritório de advocacia, ela não foi trabalhar nesta quarta-feira pois a creche da filha mais nova, de 2 anos, não abriu e ela não tinha com quem deixar a criança. Ela disse ainda que, nas ruas próximas à sua casa, é possível ver o comércio de drogas. “Na direção da mata onde os meninos foram mortos, é possível ver a atuação de traficantes a qualquer hora do dia, mas a ousadia vem crescendo”, lamentou. “Tem que haver segurança aqui, onde só pode ter um poder, o do Estado”, desabafou a moradora. A Secretaria de Educação de Mesquita informou que a reabertura das escolas municipais dependerá da situação na comunidade. O comandante regional da Polícia Militar, coronel Danilo Nascimento, informou que os policiais estão recebendo o apoio da população e que o clima é de tranquilidade na Chatuba e nos arredores.

Ministério envia vacinas ao Maranhão na tentativa de conter surto de meningite

O Ministério da Saúde enviou 22 mil doses de vacina contra a meningite A e C ao Maranhão na tentativa de conter o surto da doença no Estado. O último balanço da Secretaria de Saúde aponta 34 notificações de meningite C, sendo nove casos confirmados, além de cinco mortes. De acordo com o ministério, uma equipe técnica de vigilância já está no Maranhão e investiga casos de meningite em cinco municípios da região sul do Estado: Sambaíba, Loreto, São Raimundo das Mangabeiras, Balsas e Feira Nova do Maranhão. A orientação é que pessoas que tiveram contato com pessoas infectadas ou vivem em áreas de surto sejam medicadas com antibiótico rifampicina. A indicação é que o uso seja feito logo nas primeiras 48 horas. O governo do Maranhão, segundo o ministério, tem estoque suficiente do medicamento para atender à população do Estado. Na terça-feira, um helicóptero de resgate do Grupo Tático Aéreo chegou ao município de Barsas para auxiliar nas ações de enfrentamento à meningite. A aeronave, equipada com uma miniunidade de terapia intensiva fará o transporte de pacientes com quadro clínico que exija remoção imediata e seguirá para a cidade de Imperatriz.

Acreano será o novo vice-presidente do Senado, em substituição a Marta Suplicy

O senador Aníbal Diniz (PT-AC) deverá ser o nome indicado pela bancada petista para substituir Marta Suplicy (SP) na primeira vice-presidência do Senado Federal. Após a indicação de Diniz, seu nome será levado à mesa diretora, para efetivação. Confirmada a opção pelo senador acreano, outra vez o senador José Pimentel (PT-CE) é preterido. Ele desejava a indicação.

Justiça suspende concurso da Câmara dos Deputados

A Justiça Federal em Roraima concedeu uma liminar que suspende o concurso da Câmara dos Deputados, que estava com prova marcada para o próximo dia 30 para selecionar 138 candidatos e com salários entre R$ 7.438,62 e R$ 14.825,69. A decisão da Justiça acata o pedido do Ministério Público Federal em Roraima, que pede que o edital seja alterado para permitir a realização das provas em todos os estados do País. A liminar também obriga a Cespe/UnB, organizadora do processo seletivo, a reabrir o prazo de inscrição, que encerrou no dia 28 de agosto.

Desembargador federal Tourinho Neto anula provas contra Juquinha

A Terceira Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região anulou as provas que resultaram na prisão, em 5 de julho último, do ex-presidente da Valec, José Francisco das Neves, o Juquinha. Em despacho assinado nesta terça-feira e remetido à 11ª Vara da justiça Federal em Goiânia, o desembargador relator, Tourinho Neto, concedeu habeas corpus declarando nulas todas interceptações telefônicas que constam nos autos da Operação Trem Pagador. Ministério Público Federal e Polícia Federal investigam suspeitas de corrupção nas obras da Ferrovia Norte-Sul e indícios de enriquecimento ilícito do presidente do PR de Goiás. O habeas corpus concedido pelo TRF também inclui Marivone Ferreira das Neves e Jader Ferreira das Neves, mulher e filho de Juquinha. O despacho do relator Tourinho Neto vai além, reconhecendo também como ilícitas “as provas derivadas dessas interceptações, direta ou indiretamente, determinando sua retirada dos autos imediatamente”. A decisão do TRF causou revolta no coordenador do Núcleo de Combate à Corrupção do Ministério Público Federal de Goiás, Hélio Telho. No microblog Twitter, o procurador da república desabafou: “Mais uma de Tourinho Neto. Como custa a chegar a data da aposentadoria dele”. Deflagrada no dia 5 de julho, a Operação Trem Pagador investigou desvios de recursos da Valec Engenharia, empresa pública responsável pela construção de ferrovias no Brasil. Naquele dia, Juquinha foi preso e encaminhado à sede da Polícia Federal em Goiânia. Mas, ficou apenas um final de semana na cadeia. Seus bens, porém, foram indisponibilizados pela Justiça Federal e há a expectativa de que Juquinha venha a ser ser o primeiro réu enquadrado na nova lei de lavagem de dinheiro. Também foram detidos a mulher, o filho e um sócio do filho d e Juquinha. Foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária, sete mandados de condução coercitiva, 14 mandados de busca e apreensão e sequestro de 15 bens imóveis em seis municípios de Goiás e duas cidades de São Paulo. os desvios na Valec podem chegar à soma de R$ 80 milhões. Juquinha é suspeito de ocultação e dissimulação da origem de dinheiro e bens imóveis, rurais e urbanos, adquiridos em seu nome e de familiares, com recursos obtidos indevidamente durante a gestão da Valec (2003 a 2011). As investigações começaram em agosto de 2011, a pedido do Ministério Público Federal. Os mandados foram expedidos pela 11ª Vara da Justiça Federal, em Goiânia.

Datafolha aponta vitória de Fortunatti no primeiro turno se eleição fosse hoje

A terceira pesquisa Datafolha em Porto Alegre mostra o atual prefeito e candidato à reeleição, José Fortunati (PDT), com 41% das intenções de voto, abrindo vantagem de 11 pontos sobre a segunda colocada, a candidata Manuela D'Ávila (PCdoB), que aparece com 30%. Em terceiro está o candidato do PT, Adão Villaverde, 7%, mesmo índice da pesquisa anterior. Ele não do mesmo lugar, uma rabeira, bem lá atrás, apesar de só usar os nomes e imagens de Lula, Dilma e Marina Silva em seus programas eleitoral. É a maior vantagem de Fortunati sobre Manuela desde o início oficial da corrida eleitoral. E não poderia ser diferente, diante da inodora, insípida, vazia, desideologizada e despolitizada campanha da candidata comunista. Na comparação com o resultado da pesquisa anterior, José Fortunatti avançou, principalmente, entre os homens (36% para 42%), na fatia de eleitores com idade entre 25 e 34 anos (28% para 39%, invertendo a vantagem de Manuela, que caiu de 41% para 32%), entre aqueles com idade entre 45 e 59 anos (35% para 40%) e na fatia de eleitores com nível médio de ensino (34% para 40%). Também cresceu nas camadas mais ricas: entre aqueles com renda de cinco a 10 salários mínimos, foi de 37% para 44%, e entre os que ganham valor superior a 10 salários, de 45% para 53%. Os percentuais de Manuela caíram principalmente entre eleitores com nível fundamental (33% para 37%), no eleitorado com renda de até dois salários mínimos (34% para 28%) e entre os mais ricos (29% para 22%). Entre os mais jovens, a candidata foi de 39% para 45%. Ou seja, ela continua sendo a candidata da gurizada, embora não seja mais uma garotinha e tenha se tornado uma balzaquiana. O resultado completo da pesquisa Datafolha é o seguinte: 1º) José Fortunatti - PDT - 41%: 2º) Manuela D'Ávila - PCdoB - 30%; 3º) Adão Villaverde - PT - 7%; 4º) Roberto Robaina - PSOL - 2%; 5º) Wambert Di Lorenzo - PSDB - 1%; 6º) Erico Correa - PSTU - 1%. Jocelin Azambuja (PSL) não alcançou 1º. Esses índices estão apontando para uma vitória de José Fortunatti logo no primeiro turno, no dia 7 de outubro, quando faltam apenas 27 dias para as eleições. Fica evidente que o eleitorado petista, ou que simpatiza com o PT, resolveu "cristianizar" seu candidato, Adão Villaverde. E parece ainda mais evidente que esses votos estão se transferindo para José Fortunatti.