domingo, 5 de agosto de 2012

ADVOGADOS DOS RÉUS DO MENSALÃO DO PT COMEÇAM A FALAR NESTA SEGUNDA-FEIRA


A fase de defesa no julgamento do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal começa nesta segunda-feira com a manifestação dos advogados dos principais réus. Os defensores de José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares e Marcos Valério são os primeiros a falar e tentarão desconstruir a acusação do Ministério Público de que seus clientes formaram uma quadrilha para corromper parlamentares no Congresso. Também falará nesta segunda o advogado de Ramon Hollerbach, ex-sócio de Valério na agência SMP&B. Cada um dos advogados terá uma hora para fazer a sustentação oral. Primeiro a falar, José Luiz de Oliveira Lima tem a missão de convencer os ministros de que José Dirceu não era "chefe da quadrilha", como acusa o procurador Roberto Gurgel. Lima tem enfatizado constantemente não haver provas contra o seu cliente e diz que, por falta de evidências, Gurgel vem recorrendo a "ilações" e a "fala fácil" para tentar incriminar José Dirceu. O advogado vai dizer que o ex-deputado Roberto Jefferson "inventou" o Mensalão do PT e negar a compra de apoio no Congresso. Ele promete ser duro com o Ministério Público. Na sequência, será a vez do defensor do petista José Genoino, ex-presidente do PT. Seu advogado, Luiz Fernando Pacheco, defenderá que o cliente não tinha relação financeira com os outros citados. Ele vai sustentar que Genoino fazia apenas a negociação política de apoios, sendo de responsabilidade de Delúbio Soares a movimentação de recursos do PT. Em defesa do ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, falará Arnaldo Malheiros Filho. Ele vai sustentar que os recursos movimentados pelo cliente eram "caixa dois" de campanha eleitoral, ou "recursos não contabilizados", como têm afirmado os petistas. Negará a compra de apoio político e destacará a "vida simples" de Delúbio Soares para tentar afastá-lo de acusações de corrupção. Advogado de quem Gurgel chama de "operador" do Mensalão do PT, Marcelo Leonardo reclamou do tempo que terá para defender o publicitário Marcos Valério. Ele destacou que o cliente foi citado 197 vezes pelo procurador durante a acusação na sexta-feira. Marcelo Leonardo pediu que o Supremo lhe concedesse mais tempo para falar, mas não foi atendido. Ele vai sustentar que os empréstimos de empresas do publicitário nos bancos Rural e BMG são legais e foram feitos a pedido do PT para saldar dívidas de campanha. Último a falar nesta segunda-feira, o advogado Hermes Guerrero vai tentar mostrar aos ministros que Ramon Hollerbach não participou das negociações feitas por Marcos Valério com o PT: "Ele só é réu por ter sido sócio do Marcos Valério. Ninguém o conhece e não há nenhum depoimento ou perícia que mostre qualquer conduta criminosa do Ramon". Ao contrário da defesa de Marcos Valério, Guerrero acredita que nem precisará da uma hora reservada para provar a inocência de seu cliente: "Para mim, 30 a 40 minutos serão suficientes. Não tenho nem assunto para tanto tempo".

ROBERTO JEFFERSON RECEBE ALTA DO HOSPITAL E DIZ QUE SALVOU O BRASIL COM DENÚNCIA DO MENSALÃO DO PT


O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, recebeu alta no hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, e disse que salvou o Brasil ao denunciar o esquema do Mensalão do PT, em 2005. "Ele (ex-deputado José Dirceu) me derrubou, mas eu salvei o Brasil. Isso para mim já é uma satisfação", disse Roberto Jefferson aos jornalistas ainda no hospital. Jefferson disse que está acompanhando o julgamento do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal. "Meu octógono de luta com o José Dirceu já se exauriu. Agora a luta é da opinião pública e dos ministros do Supremo", afirmou. O presidente do PTB retirou um tumor maligno do pâncreas no fim de semana passado e será submetido a quimioterapia. "Já peitei o PT sozinho e sou um guerreiro. Imagina o que eu vou fazer com um cancerzinho de pâncreas. Vou dar um pau nele", disse o ex-deputado.

REFINARIA LANÇADA POR LULA HÁ QUASE 2 ANOS É HOJE APENAS UM MATAGAL DISPUTADO POR ÍNDIOS


Dezoito meses após o lançamento da pedra fundamental pelo então presidente Lula, que três dias depois passaria o cargo a Dilma Rousseff, a refinaria cearense Premium 2, apontada como prioritária pela Petrobrás, não passa de um enorme terreno abandonado. Os quase 2 mil hectares destinados ao empreendimento da petroleira não foram nem sequer cercados. Não há sinais de obra. O terreno está tomado por vegetação cerrada, cortada por trilhas e estradas esburacadas de movimento quase inexistente. O local onde houve a solenidade com a presença de Lula e do governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), não foi sequer limpo. Placas de orientação aos convidados estão jogadas no matagal. Na clareira em que ocorreu a cerimônia permanecem os tocos de madeira em que foram presas as tendas montadas para as autoridades. No solo empoeirado e coberto de mato rasteiro, se avistam as pedras de brita espalhadas para evitar que, se chovesse, tudo virasse um lamaçal. O principal entrave ao início da obra é fundiário, embora seja uma obra cara, orçada em US$ 11,4 bilhões e a Petrobrás, em seu Plano de Negócios 2011-2016, tenha cortado R$ 5 bilhões dos gastos destinados ao refino. Índios da tribo anacé reivindicam a área. Sem autorização da Fundação Nacional do Índio (Funai), a Petrobrás não pode começar a trabalhar no terreno, embora equipes terceirizadas que realizam levantamentos arqueológicos já estejam no local. O atraso no começo da construção da refinaria já soma três anos. Em agosto de 2008, os governos federal e cearense definiram que em 2009 o terreno começaria a ser desmatado e terraplenado.

JUIZ ELEITORAL CASSA CANDIDATURA DO PREFEITO PETISTA DE NOVO HAMBURGO, CONSIDERADO FICHA SUJA


Foi impugnada no sábado a candidatura do prefeito Tarcisio Zimermann pelo PT de Novo Hamburgo. O prefeito foi enquadro na Lei da Ficha Limpa, o que significa que foi condenado por decisão colegiada. O juiz da 76ª Zona Eleitoral, Geraldo Anastácio Brandeburski Júnior, proferiu sua sentença em um longo e consistente arrazoado de nove laudas, no qual não apenas destaca o fato que deu origem à impugnação, como também fundamentou com correção impecável a aplicação da Lei da Ficha Limpa sobre ocorrência pretérita, ou seja, de oito anos antes. Tarcisio Zimmermann foi condenado nas eleições de 2004 e perdeu o registro, conforme acórdão do TSE de número 24.861, porque cometeu "conduta vedada" na ocasião (ele compareceu a um ato do setor público em período vedado pela lei). O PT perdeu seu candidato a prefeito, mas também perdeu a candidata a vice, maria Lorena Mayer. Tarcisio Zimmermann avisou que continuará na campanha, enquanto recorre, mesmo sabendo que são pequenas as chance de êxito. O candidato que disputa a eleição com a coligação "Meu Coração quer Mais", Paulo Kopshina, PMDB, é agora a principal aposta eleitoral em Novo Hamburgo.

PT TEM CANDIDATO PRÓPRIO EM 17 CAPITAIS E SÓ LIDERA EM DUAS DELAS


Após um mês de campanha eleitoral, as candidaturas do PT não decolaram na maioria das capitais do País. Das 17 onde tem candidatura própria, o partido só é líder, por enquanto, em Recife e Goiânia, e mostra-se competitivo em Belo Horizonte, Rio Branco e Salvador, onde está na segunda colocação nas pesquisas eleitorais. Nas demais capitais brasileiras, os petistas aparecem, até agora, como coadjuvantes, na terceira, quarta ou até quinta posições. Apesar do cenário desfavorável, o ex-presidente Lula, principal cabo eleitoral destas eleições, não tem manifestado disposição ou saúde para socorrer a maioria desses candidatos, o que tem frustrado muitos petistas que apostam na sua participação para virar o jogo. Lula tem se queixado de um inchaço na região da garganta e do retorno da bursite. O diagnóstico dos líderes da sigla é que o partido poderá encolher nas capitais do País após os resultados nas urnas este ano. O número de candidatos petistas em capitais em 2012 já é inferior ao do pleito de 2008, quando o partido lançou 19 postulantes. Atualmente, o partido controla seis prefeituras de capitais: Fortaleza, Palmas, Porto Velho, Recife, Vitória e Rio Branco.

SUPREMO PODE AUMENTAR O NÚMERO DE SESSÕES DO JULGAMENTO DO MENSALÃO DO PT PARA TER O VOTO DE CEZAR PELUSO


Em uma tentativa de garantir o voto do ministro Cezar Peluso no processo do Mensalão do PT, o Supremo Tribunal Federal pode alterar o cronograma e ampliar o número de sessões de votação do julgamento. Os ministros estariam dispostos a mudanças para ter a participação de Peluso antes de sua aposentadoria compulsória, prevista para setembro, quando completa 70 anos. Uma das idéias seria a de convocação de sessões pela manhã. Pelo calendário original, serão realizadas oito sessões de votação em agosto. Como o relator e o revisor Ricardo Lewandowski podem usar quatro sessões cada um para votar, qualquer atraso põe em risco o voto de Peluso antes de sua aposentadoria. A presença do ministro é considerada fundamental, já que Peluso é tido por colegas como o mais preparado na área penal entre todos os 11 integrantes, podendo resolver dúvidas que surgirem durante a análise de provas caso haja contestações do voto. Outra alternativa seria a de o Supremo aumentar o número de sessões de três para quatro por semana a partir de 15 de agosto, quando começa o voto do relator Joaquim Barbosa.

CATAMARÃ VAI TER UM SEGUNDO ATRACADOURO EM PORTO ALEGRE


Caiu o principal obstáculo que impedia o catamarã Porto Alegre-Guaíba de fazer uma parada nas proximidades do BarraShopping. Em reunião na sexta-feira, o superintendente da Metroplan, Oscar Escher, e o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, chegaram a um acordo e marcaram para quinta-feira a assinatura do convênio entre Estado e prefeitura para implantar o novo atracadouro. Ficou acertado que os horários atuais serão mantidos, para não prejudicar o usuário, que hoje tem de hora em hora uma lancha capaz de transportá-lo entre os centros das duas cidades em apenas 20 minutos. A parada no novo atracadouro ocorrerá em horários novos, que serão intercalados com os que já existem. O projeto prevê um píer com 30 metros de extensão no Guaíba, a ser financiado em parceria entre a empresa CatSul e o grupo Multiplan. A construção do deck está orçada em 150 mil reais. A obra deve ficar pronta em 40 dias, a partir da assinatura do acordo.

CANDIDATO DO PT À PREFEITURA DO RECIFE MINIMIZA QUEDA NO IBOPE


Na dianteira em todas as pesquisas de opinião realizadas até agora, o candidato à prefeitura do Recife pelo PT, Humberto Costa, relativizou a queda de 5% registrada na segunda pesquisa do Ibope, divulgada na última sexta-feira. "Ficou dentro da margem de erro", observou ele, ao destacar que o segundo colocado, Mendonça Filho, do DEM, se mantém a uma boa distância, com 20%. A subida do candidato do governador Eduardo Campos (PSB), Geraldo Julio, que subiu para a terceira posição, passando de 5% para 12% das intenções de voto, foi avaliada com naturalidade por Costa, diante do apoio do governador. O petista confia que vai aumentar ainda mais sua preferência com o início da propaganda eleitoral gratuita.

TRINTA ADVOGADOS DOS MENSALEIROS DO PT QUEREM CENSURAR USO DO TERMO "MENSALÃO"


Advogados do PT querem proibir a imprensa de usar a palavra "Mmensalão". Em reunião na sexta-feira, em São Paulo, cerca de 30 advogados decidiram que tomarão "providências jurídicas", para que seja utilizada a designação "Ação Penal 470", quando se referir ao suposto pagamento de propina a parlamentares em troca de apoio político ao governo Lula. . O coordenador jurídico do PT, Marco Aurélio de Carvalho, disse que a palavra "mensalão" exprime juízo de valor pejorativo. Sua principal queixa é contra o uso feito  pela TV Globo e pela Globo News, "que muitas vezes escrevem a palavra até em negrito". E completa: "Uma concessão pública não deveria divulgar teses, apenas informações para o público". A preocupação é com a repercussão do julgamento nas eleições. Primeiro tentarão resolver a situação com a mídia. Se não funcionar, entrarão na Justiça.

BANCO CENTRAL AFIRMA QUE INFLAÇÃO CONVERGE PARA A META


O diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton Araújo, avaliou, na sexta-feira, que a inflação está convergindo para "níveis bem próximos à meta" de 4,5% fixada para 2012. "A inflação de junho de 2011 estava crescendo, no acumulado em 12 meses. Mas a inflação começou a cair no último trimestre do ano passado e houve um recuo substancial em junho ante o mesmo mês de 2011", disse ele. A avaliação de Hamilton foi feita na apresentação do Boletim Regional do Banco Central, edição de julho, publicação trimestral que tem como objetivo avaliar as regiões do País a partir de indicadores econômicos.

UFRGS DECIDE MANTER EM 30% A RESERVA DE VAGAS PARA COTISTAS


O Conselho Universitário (Consun) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) decidiu manter em 30% a reserva de vagas para cotistas. O conselho se reuniu na sexta-feira. A proposta inicial, vinda de um grupo da instituição que estuda as políticas afirmativas, era de que o índice fosse elevado para 40%. Os estudantes queriam que fosse 50%. E os representantes dos professores eram a favor de que fossem mantidos os 30%. A medida vale para os próximos 10 anos. Também não foi aceita a proposta de estudantes de desvincular a necessidade dos estudantes autodeclarados negros serem obrigatoriamente de escolas públicas. Pela decisão, a reserva de vagas para todos os cursos de graduação serve para egressos do sistema público de Ensino Fundamental e Médio, para autodeclarados negros egressos do sistema público de Ensino Fundamental e Médio e candidatos indígenas.

PETROBRAS RENOVA AUTORIZAÇÃO PARA IMPORTAR GÁS NATURAL DA BOLÍVIA


A Petrobras passará a importar 30 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia da Bolívia. A empresa recebeu autorização do Ministério de Minas e Energia para renovar a importação de gás natural para a demanda do Brasil, exceto na Região Norte e no Estado de Mato Grosso. O transporte do gás natural será feito pelo gasoduto Bolívia-Brasil, que liga Corumbá (MS) a Porto Alegre (RS). Segundo a portaria, a entrega no Brasil será feita na fronteira entre os dois países, no Estado de Mato Grosso do Sul, próximo à cidade de Corumbá. A Petrobras terá que apresentar todos os meses, à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), relatório detalhado sobre as operações de importação realizadas no mês anterior. A autorização tem validade até julho de 2019.

BRASIL VAI PRODUZIR VACINA QUE PROTEGE CONTRA QUATRO DOENÇAS DE UMA ÚNICA VEZ


O Brasil vai produzir a vacina tetraviral, que protege contra quatro doenças de uma única vez: sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora). O acordo que prevê a produção da vacina foi assinado no sábado, no Rio de Janeiro, e prevê a transferência de tecnologia do laboratório público Biomanguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para o laboratório privado GlaxoSmithKline. Segundo o Ministério da Saúde, a partir de 2013, a vacina tetraviral fará parte do calendário de imunização do Sistema Único de Saúde (SUS). O ministro Alexandre Padilha disse nesta sexta-feira, durante aula inaugural de um curso de Medicina na zona leste de São Paulo, que o acordo garante o acesso a medicamentos e vacinas sem depender de outros países.

FGV DIZ QUE QUASE 50% DOS CONSUMIDORES DEVEM QUITAR SUAS DÍVIDAS DENTRO DE TRÊS MESES


Levantamento divulgado na última quinta-feira pela Fundação Getúlio Vargas mostra que 48,9% dos consumidores no País que tinham dívida em julho deverão quitar as prestações em até três meses. "Isso ajuda a economia brasileira, pois o consumidor pode voltar a ter maior disposição para comprar depois de pagar as dívidas", afirmou a coordenadora do estudo da FGV, Viviane Seda. Os demais consumidores com compras a prazo estão divididos entre os que possuem prestações com vencimento entre 3 e 6 meses (28,4%), entre 7 e 12 meses (12,6%) e acima de 12 meses (10,1%). O levantamento da FGV analisou o endividamento das famílias a partir da Sondagem de Expectativas do Consumidor, realizada por amostra de cerca de 2.000 domicílios em sete das capitais do País, entre os dias 2 e 20 de julho. O estudo mostrou ainda que apenas 3,3% dos entrevistados possuem dívidas que comprometem entre 51% e 100% do orçamento. A parcela dos que têm prestações a pagar que superam a renda mensal é ainda menor, de 0,9%. A maior parte dos consumidores (29,2%) afirmou que as compras parceladas comprometem até 10% da renda do mês e para 24,8% o comprometimento fica entre 11% e 50%. As famílias com menor poder aquisitivo são as mais endividadas.

ANUNCIADO NOME DA EMPRESA QUE VENCEU LICITAÇÃO PARA CONCLUIR FUNDAÇÕES DA SALA SINFÔNICA DA OSPA


A Epplan Construtora LTDA foi a vencedora da licitação de concorrência para a segunda fase das obras de fundações da Sala Sinfônica da Ospa, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. A empresa será responsável por construir os blocos de concreto armado em que serão apoiados os pilares do prédio. Ainda em agosto, antes do início das obras – que foram orçadas em R$ 783.787,07, abaixo do valor previsto, de R$ 936,7 mil –, Epplan e Fundação Cultural Pablo Komlós devem assinar o contrato de construção. Uma vez iniciadas, as obras deverão ser concluídas em três meses. Até o final de 2012, está prevista a nova licitação para, então, passar à construção da parte "visível" do prédio. Esta será custeada com repasse de R$ 19 milhões do Ministério da Cultura e com contrapartida de R$ 4,8 milhões da Secretaria de Estado da Cultura. A última parte da obra será a de acabamento, que inclui elevadores, poltronas e instalações elétricas. A Ospa pretende contar com investimento direto de R$ 10 milhões do orçamento do governo do Estado e com apoio da iniciativa privada.

HOSPITAL CONCEIÇÃO ADOTA MEDIDAS EMERGENCIAIS PARA REDUZIR RISCO DE INFECÇÃO DE PACIENTES


Um aumento considerável na taxa de ocupação do Hospital Conceição, em Porto Alegre, preocupa as autoridades que gerenciam a instituição de saúde e acende um alerta para o tratamento de pacientes em isolamento. Ao identificar o fato, a direção do Grupo Hospitalar Conceição (GHC) decidiu adotar medidas para reduzir o risco de surto de infecção no local. Para isso, uma equipe da Secretaria Municipal da Saúde vistoriou, na manhã da sexta-feira, a área de internação do hospital. O monitoramento, conforme o superintendente Carlos Eduardo Nery Paes, deve seguir nos próximos dias. O objetivo é identificar as alas de maior vulnerabilidade para a ocorrência de infecção. Com o mapeamento, o GHC pretende intervir e reduzir o risco de contaminação aos pacientes.

PROFESSORES DA UFRGS LIGADOS À ANDES DECIDEM MANTER GREVE POR TEMPO INDETERMINADO


Em assemblÉia realizada na tarde de sexta-feira, professores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) ligados ao Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior no Estado (Andes-RS), decidiram pela manutenção da greve por tempo indeterminado. Segundo Carlos Alberto Saraiva Gonçalves, presidente a Andes/UFRGS, a decisão pela reprovação da proposta do governo e pela manutenção da greve foram unânimes. A assembleia decidiu pedir a suspensão do calendário à Reitoria por todo o tempo que durar a greve. "Há duas semanas de aulas a serem recuperadas do primeiro semestre, sem contar o início do próximo, que deve ser adiado", afirmou Gonçalves. Cerca de 20% dos professores da universidade são ligados ao sindicato que, em conjunto com a Sindicato dos Professores das Instituições Federais de Ensino Superior de Porto Alegre (Adufrgs), devem somar 70% do corpo docente. O restante, de acordo com Gonçalves, são considerados independentes. A Adufrgs, segundo o seu vice-presidente Carlos Scherer, não reconhece a outra entidade como um sindicato representativo da classe na universidade.

EX-GOVERNADOR MEXICANO ASSUME TER LAVADO DINHEIRO DO NARCOTRÁFICO


O ex-governador de Quintana Roo, no México, Mario Villanueva, declarou-se culpado da acusação de lavar dinheiro do narcotráfico e pode ser sentenciado a 20 anos de prisão. O político disse, durante o julgamento, que estava ciente de que a atividade consistia em lavar dinheiro e que havia sido realizada junto a outras pessoas, de quem não revelou os nomes. "Entre 1993 e 2001 participei de uma conspiração para organizar transações financeiras, sabendo que isto era vinculado a uma atividade ilícita, para ocultar o caráter e a origem deste produto", declarou Villanueva. Na audiência presidida pelo juiz Víctor Marrero foi determinado que a sentença final será ditada no dia 16 de outubro, uma vez que a promotoria elabore um relatório para documentar a acusação.

PETROBRAS CONCLUI PERFURAÇÃO NO SUL DE GUARÁ E CONFIRMA DESCOBERTA DE ÓLEO


A Petrobras concluiu perfuração de um poço em Sul de Guará, no pré-sal da Bacia de Santos, área onde já havia anunciado descoberta, informou a petroleira na sexta-feira em comunicado ao mercado. Trata-se do terceiro poço perfurado na cessão onerosa, localizado ao sul do campo de Sapinhoá, em profundidade de 2,2 mil metros, a uma distância de 320 quilômetros do litoral do Estado de São Paulo. A perfuração comprova óleo de boa qualidade, de 27 grau API no reservatório, abaixo da camada de sal, e atesta que está separado do campo de Sapinhoá. "Foi identificada uma coluna de petróleo leve de cerca de 93 metros, com boas qualidades permoporosas (porosidade e permeabilidade) do reservatório", informa a companhia. Em comunicado anterior, em junho, a Petrobras já havia informado que, de acordo com o contrato de cessão onerosa, tem o direito de produzir até 319 milhões de barris de óleo equivalente nessa área. A cessão onerosa é o contrato fechado entre a estatal e o governo federal no qual a empresa pagou para explorar 5 bilhões de barris de petróleo que serão retirados de campos do pré-sal. Em fevereiro, a Petrobras concluiu a perfuração do primeiro poço na cessão onerosa e comprovou a existência de um reservatório gigante na área exploratória de Franco, localizada no pré-sal da bacia de Santos.

PESQUISA CNT APONTA QUE GOVERNO DILMA TEM AVALIAÇÃO POSITIVA DE 56,6% DOS BRASILEIROS


A avaliação positiva do governo da presidente Dilma Rousseff ficou em 56,6% em julho, contra 49,2% em agosto de 2011, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Transporte divulgada na sexta-feira. Para 35,5% a avaliação foi regular, ante 37,1% em agosto do ano passado, e para 7% foi negativa, contra 9,3% no levantamento anterior. O levantamento também apontou que a aprovação pessoal de Dilma está em 75,7%, contra 70,2% em agosto de 2011.

PESQUISA CNT APONTA QUE LULA É O NOME FAVORITO PARA 2014


Se as eleições de 2014 fossem hoje, o ex-presidente Lula seria o candidato favorito do eleitorado, de acordo com pesquisa divulgada na sexta-feira, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). O petista aparece com 69,8% das intenções de voto. Neste cenário, ficaria em segundo o senador Aécio Neves (PSDB), com 11,9%, e O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com 3,2%. A pesquisa, realizada entre os dias 18 e 22 de julho, simulou dois cenários para as eleições presidenciais de 2014. Em um deles, com a presidente Dilma Rousseff no lugar de Lula, Dilma ficaria em primeiro com 59% das intenções de voto, seguida por Aécio Neves com 14,8% e Eduardo Campos com 6,5%.

HUMAN RIGHTS WATCH MANDA CARTA A DILMA APONTANDO GRAVES PROBLEMAS COM DIREITOS HUMANOS NA VENEZUELA


Em carta à presidente Dilma Rousseff, entregue na sexta-feira, a organização internacional Human Rights Watch afirmou que o ingresso pleno da Venezuela ao Mercosul gera a "oportunidade" e a "responsabilidade para o Brasil e os demais sócios do bloco de tratar dos "graves problemas de direitos humanos" de Caracas. O Human Rights Watch destaca a existência, na Venezuela, de controle total do Executivo sobre o Judiciário e de uso abusivo do poder do Estado para constranger opositores, cidadãos que contrariem o governo, defensores dos direitos humanos e a liberdade de expressão. O texto, indiretamente, aponta a contradição da decisão tomada pelo Mercosul, à revelia do Paraguai, com dois dos compromissos assumidos pelo bloco em sua origem:  "Se os países-membros do Mercosul ignorarem o compromisso de proteger e promover os direitos básicos e as instituições democráticas, transmitirão a mensagem infeliz de que os compromissos internacionais do Protocolo de Assunção são promessas vãs". O texto reproduz os artigos do Protocolo de Assunção sobre o "compromisso com a promoção e proteção dos direitos humanos do Mercosul", assinado em 2005. Segundo o artigo 1º, "a plena vigência das instituições democráticas e o respeito aos direitos humanos e às liberdades fundamentais são condições essenciais para a vigência e evolução do processo de integração entre as Partes". O 2º artigo traz o compromisso dos parceiros do bloco de cooperar mutuamente para a promoção e proteção dos direitos humanos e das liberdades fundamentais. A Human Rights Watch destaca, em seguida, como o governo de Chávez tem ferido o artigo 1º do protocolo, por meio da concentração do poder no Executivo, "minando a independência das demais instituições democráticas e acabando com os controles ao uso abusivo e arbitrário do poder do Estado". "O impacto dessas ações nas garantias de direitos humanos na Venezuela tem sido dramático", afirma a carta, referindo-se a fatos mencionados no relatório "Apertando o Cerco: Concentração e Abuso de Poder na Venezuela de Chávez", divulgado pela organização no último dia 17.

PESQUISA CNT MOSTRA QUE 38,4% DOS BRASILEIROS TÊM PREOCUPAÇÃO COM A CRISE ECONÔMICA


Um levantamento realizado pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e divulgado na sexta-feira revelou que 38,4% das 2 mil pessoas consultadas deixaram de comprar algo devido à preocupação com a crise internacional. Mas a maioria, 60,8%, não alterou seus hábitos de consumo. O levantamento questionou os entrevistados sobre a situação da economia brasileira. Para 48,8%, a economia brasileira está crescendo; 43,2% acreditam que ela está estagnada; e 4,6% acham que ela está diminuindo. A maioria dos consultados também mantém o otimismo em relação ao cenário econômico do País. Na pesquisa, 53,7% acham que a economia vai crescer; 35,5% acreditam que ocorrerá uma estagnação e apenas 6,4% acham que vai diminuir.

ADVOGADO DO PETISTA JOÃO PAULO CUNHA ESPERA DECISÃO SEMELHANTE À DE COLLOR


O advogado do deputado FEDERAL João Paulo Cunha (PT-SP), Alberto Toron, espera que a decisão do Supremo Tribunal Federal, no processo do Mensalão do PT, seja semelhante à tomada no caso do ex-presidente Fernando Collor de Mello, hoje senador pelo PTB. Collor foi absolvido pelo tribunal,por falta de provas, da denúncia de envolvimento no esquema de corrupção. Para Toron, o caso do Mensalão do PT é semelhante porque a procuradoria não conseguirá provar as denúncias. "A acusação é manifestamente improcedente. Espero que o Supremo, a exemplo do que ocorreu no caso do presidente Collor, o absolva", disse o advogado do petista João Paulo Cunha, antes do início da sessão.

GURGEL AFIRMA QUE MENSALÃO DO PT FOI O MAIS ATREVIDO CASO DE CORRUPÇÃO


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, iniciou sua sustentação oral no Supremo Tribunal Federal, na sexta-feira, reafirmando a gravidade do esquema do Mensalão do PT, em julgamento no tribunal. Após citar alguns atores da história e da sociologia, como Raimundo Faoro, Maquiavel, Norberto Bobbio e Max Weber, o procurador reafirmou a acusação feita nas alegações iniciais sobre a relevância do esquema. "Foi sem dúvida o mais atrevido e escandaloso caso de corrupção e desvio de dinheiro público realizado no Brasil", afirmou Gurgel, ressaltando tratar-se de uma "sofisticada organização criminosa" destinada a comprar votos de parlamentares no Congresso. Ele iniciou a exposição com a apresentação do publicitário Marcos Valério à cúpula do PT. Gurgel citou depoimento do ex-deputado Virgílio Guimarães (PT-MG) em que o parlamentar conta como apresentou o dono da agência SMP&B a José Dirceu, José Genoíno, Delúbio Soares e Sílvio Pereira, apontados pela denúncia original como "núcleo político" da quadrilha que realizou o Mensalão do PT. Gurgel destacou que o objetivo de Marcos Valério era manter e ampliar sua participação em contratos de publicidade no governo. Enfatizou que, por outro lado, a cúpula petista buscava recursos para saldar dívidas de campanha e comprar apoio no Congresso. "A coincidência de interesses fez com que se produzisse essa associação", sustentou o procurador.

MINISTRO MARCO AURÉLIO MELLO CRITICA DISCUSSÃO DE COLEGAS DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL


O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, afirmou na sexta-feira ter ficado "assustado" com a discussão entre o relator da ação penal do Mensalão do PT, Joaquim Barbosa, e o revisor do processo, Ricardo Lewandowski. Segundo o ministro, disputas que "descambam" para agressões pessoais "afetam a imagem da Corte". "O que eu vi ontem, eu fiquei pasmo. Ainda mais em se tratando de um colegiado deste nível", disse Marco Aurélio a jornalistas antes do início da sessão. Os ministros discutiram durante sessão, na quinta-feira, diante do pedido de desmembramento proposto pelo advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos para que os réus que não têm foro privilegiado não fossem julgados pelo Supremo. Thomaz Bastos representa José Roberto Salgado, ex-diretor do Banco Rural. Barbosa posicionou-se contra o pedido da defesa, e Lewandowski, a favor. A questão gerou bate-boca entre Lewandowski e Barbosa, que afirmou haver “"deslealdade" e indagou sobre os motivos do revisor não ter levantado a questão meses atrás, antes do início do julgamento. O presidente do Supremo, ministro Ayres Britto, tentou interromper a discussão, que estaria indo para o “ "lado pessoal". Em uma crítica velada ao colega Joaquim Barbosa, Marco Aurélio Mello ainda demonstrou preocupação com o clima no Supremo a partir do final deste ano, quando Barbosa assume a presidência da Corte, com a aposentadoria de Ayres Britto.

GURGEL AFIRMA QUE JOSÉ DIRCEU ERA O "LÍDER DO GRUPO"


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou na sexta-feira que o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, era o "líder do grupo" que comandava a compra de votos no Congresso, no esquema corruptor do Mensalão do PT. No segundo dia de julgamento do processo pelo Supremo Tribunal Federal, Gurgel disse que José Dirceu estimulou e comandou todo o esquema ilícito com o objetivo de sustentar o projeto do PT de se perpetuar no poder. "Foi a principal figura de tudo. Foi o mentor de tudo", disse ele. O chefe do Ministério Público disse ainda que a articulação política faz parte das atribuições da Casa Civil, pasta chefiada por José Dirceu desde o início do governo Lula, em 2003. "José Dirceu foi a principal figura de tudo o que apuramos. Foi o mentor do grupo", disse Gurgel. "Foi, sem dúvida, o mais atrevido e escandaloso caso de corrupção de desvio de dinheiro público flagrado no Brasil", disse o procurador. "Maculou-se gravemente a República, instituiu-se à custa do desvio de recursos públicos uma sofisticada organização criminosa, um sistema de enorme movimentação financeira, à margem da legalidade com o objetivo escuro de comprar os votos de parlamentares".

JUSTIÇA DETERMINA QUE POLÍCIA FEDERAL DIVULGUE ENDEREÇO DO TERRORISTA CESARE BATTISTI


O juiz federal Alexandre Vidigal, titular da 20ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal, determinou na última quinta-feira a divulgação do endereço do terrorista  italiano Cesare Battisti por parte da Polícia Federal em cinco dias. Segundo a nota divulgada pela Justiça Federal, caso o terrorista não seja encontrado no endereço fornecido, a Polícia Federal ficará responsável por estabelecer seu paradeiro. O magistrado informou em sua decisão que pelo artigo 102, da Lei 6.815/80, a manutenção do endereço atualizado do estrangeiro é "exigência que se impõe, podendo sua inobservância caracterizar-se como 'estada irregular', implicando, até mesmo, na possibilidade de deportação, na forma do artigo 57, 'caput', da referida lei".

GUIDO MANTEGA DIZ QUE NÃO TOLERARÁ DEMISSÕES E GM DIZ QUE ESTÁ CONTRATANDO


O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse na sexta-feira que não vai admitir a dispensa de trabalhadores em setores favorecidos com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). "Não vou tolerar o descumprimento do acordo de não demissão nos setores beneficiados pela redução do IPI", afirmou o ministro por meio de sua assessoria no Ministério da Fazenda. A assessoria informou, por outro lado, que Mantega mantém a posição de considerar que a General Motors está cumprindo o acordo de não cortar empregos por não ter registrado demissões líquidas. A GM, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, pode demitir 1.500 trabalhadores de uma de suas linhas de produção no complexo da montadora na cidade, no interior de São Paulo. Segundo a assessoria do ministro, a declaração de sexta-feira é uma resposta aos protestos realizados na véspera contra as eventuais demissões na unidade da GM. Na última terça-feira, após encontro com o diretor de relações institucionais da montadora, Luiz Moan, o ministro considerou que a GM está cumprindo o acordo por não ter registrado demissões líquidas. A GM tem afirmado que tem promovido contratações de trabalhadores em fábricas como São Caetano do Sul (SP), Gravataí (RS) e Joinville (SC).

BANCADA DOS DEFENSORES DE PRODUTORES RURAIS VAI SE CONCENTRAR EM 20 PONTOS DO CÓDIGO FLORESTAL


A estratégia da Frente Parlamentar da Agropecuária na análise da MP 571/12, que trata do Código Florestal, será concentrar esforços em 20 pontos dos 343 destaques que foram apresentados ao relatório do senador Luiz Henrique da Silveira. Segundo a assessoria da bancada rural, os deputados estão confiantes na retomada das discussões na comissão mista, cujos trabalhos serão retomados nesta terça-feira. Na visão da assessoria da bancada, o fato de o Poder Executivo estar tão interessado na aprovação da matéria como o Legislativo, a partir de agora o ambiente deve ficar mais favorável à aprovação da MP editada pela presidente Dilma Rousseff em maio deste ano, para cobrir as lacunas deixadas pelos doze vetos ao texto aprovado pelo Congresso Nacional. A MP perde vigência no dia 8 de outubro. Os parlamentares argumentam que "se isso acontecer prevalecerá em todo o País a indesejável insegurança jurídica, no momento em que os produtores rurais se dedicam aos plantios de suas lavouras". Um dos pontos da discórdia é o polêmico artigo 1º da MP, que trata dos princípios da lei. Os deputados criticam o artigo, argumentando que "a redação de codificações, tradicionalmente, deve ser concisa e que a função dos diplomas dessa natureza não é fixar princípio, mas quando muito, especificar o conteúdo da matéria a ser tratada, como, aliás, o fez a redação original da Câmara Federal". Os deputados acreditam que se a redação for mantida como está no artigo 1º existe o risco de "o julgador, em nome de algum princípio específico nos incisos - a pretexto de que o princípio é maior que a norma, vir a negar a aplicação de qualquer dos dispositivos do novo Código Florestal, inviabilizando a aplicação de toda a legislação florestal. Em outras palavras, a aplicação do próprio código". Outra questão é o artigo 61 e seus 14 parágrafos que tratam dos percentuais de mata que devem ser preservados ou recuperados para que a propriedade (pequena, média e grande) seja regularizada. "A alteração proposta pelos deputados visa a adequar o texto à intenção dos legisladores, qual seja a de consolidar as atividades agrossilvipastoris, de ecoturismo e de turismo rural que já estavam em andamento desde 22 de julho de 2008", diz a assessoria.

BALTAZAR GARZÓN DIZ QUE JULIAN ASSANGE NÃO É TERRORISTA E SERÁ DEFENDIDO


O ex-juiz espanhol Baltasar Garzón se reuniu na sexta-feira, na capital do Equador, com Christine Assange, mãe do fundador do website WikiLeaks, Julian Assange, que está refugiado na embaixada equatoriana em Londres. Assange pediu asilo ao Equador e o governo deverá tomar uma decisão após meados deste mês. A Suécia pediu à Grã-Bretanha a extradição de Assange. Ele é acusado de abuso sexual e estupro por duas mulheres na Suécia. Em coletiva de imprensa conjunta com a mãe do ativista australiano, Garzón afirmou que foi contactado pelo fundador do WikiLeaks e que se encarregou da defesa de Assange "desde o dia 19 de julho". Garzón afirmou que o caso que Assange enfrenta "afeta os direitos humanos que devem ser respeitado em uma democracia, a liberdade de expressão e o rito jurídico". "Assange não é um pirata, não é um terrorista" disse Garzón. Segundo ele, o que o fundador do WikiLeaks fez foi apenas "divulgar informações com elementos muito graves que ninguém teve a preocupação de investigar nos Estados Unidos". O WikiLeaks, website co-fundado e editado por Assange, divulgou mais de 500 mil documentos diplomáticos classificados do Departamento de Estado do governo dos Estados Unidos, bem como milhares de documentos secretos dos Estados Unidos sobre as guerras do Afeganistão e do Iraque. Garzón lembrou que não existem, até agora, acusações formais do governo dos Estados Unidos feitas contra Assange. "Nós intuímos quais seriam essas acusações, só que elas não foram feitas formalmente e também não temos informações dos Estados Unidos. As acusações são secretas. Se não existissem as acusações contra Assange feitas na Suécia, ele estaria livre", afirmou o ex-juiz espanhol. "Um pedido de extradição está claramente definido como uma perseguição política contra Assange. Mas se for concedida a extradição, o que será feito é uma entrega aos Estados Unidos, que não se manifestou", disse Garzón em alusão ao pedido de extradição feito pela Suécia ao Reino Unido.

DEFESA NEGA QUE PETISTA DELÚBIO SOARES FICOU COM PARTE DO MENSALÃO DO PT


O advogado de Delúbio Soares, Arnaldo Malheiros Filho, negou na sexta-feira que seu cliente tenha ficado com parte dos recursos do esquema do Mensalão do PT e criticou o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, por incluir em sua sustentação oral essa acusação, sem que ela estivesse incluída antes nos autos. "Isso é absurdo, não está na denúncia e não pode ser considerada pelo tribunal. Ele falou que o Delúbio se locupletou. Não é verdade. É notória a simplicidade da vida do Delúbio. Não conheço ninguém que tenha roubado e more na casa da sogra", afirmou o advogado Arnaldo Malheiros Filho. Em sua sustentação oral, o procurador disse que Delúbio teria ficado com parte do recurso. "A ação de Delúbio Soares como integrante do grupo criminoso não se limitou a indicar o destinatário final das propinas, mas se beneficiou", disse Gurgel. "Ele não hesitou em locupletar-se com o esquema", concluiu.

GOVERNO DILMA DIZ QUE INVESTIMENTO DA PETROBRÁS CRESCEU 22% NO PRIMEIRO TRIMESTRE


As 24 empresas que integram o Grupo Petrobras investiram 37,9 bilhões de reais entre janeiro e junho, 22,2% acima dos 31 bilhões de reais registrados em igual período de 2011, segundo balanço de investimento das estatais federais do Ministério do Planejamento. Em fevereiro deste ano, a Petrobras informou previsão de investimentos de 87,545 bilhões de reais neste ano, ante 73 bilhões de reais investidos em 2011. Entre as 24 empresas do grupo, os maiores gastos com investimento no primeiro semestre foram feitos pela Petróleo Brasileiro S.A (25,2 bilhões de reais), pela Refinaria Abreu e Lima em obras na unidade de Pernambuco (4,6 bilhões de reais) e pela Petrobras Netherlands (3,2 bilhões de reais). Em meados de junho, a Petrobras anunciou que seu plano de investimento de 2012 a 2016 deverá totalizar 236,5 bilhões de dólares. Em termos gerais, as estatais federais investiram 41,9 bilhões de reais no acumulado do ano até junho, de um total programado para 2012 de 107 bilhões de reais. Retirando-se desse investimento total os 37,9 bilhões de reais executados pelas empresas do Grupo Petrobras, as demais 49 estatais federais foram responsáveis por 4 bilhões de reais no primeiro semestre. Essa execução de projetos de expansão é baixa considerando que as 49 estatais que não fazem partem do Grupo Petrobras possuem uma carteira de investimento de 19,5 bilhões de reais para este ano. Entre essas estatais estão empresas do setor elétrico ligadas à Eletrobras, Infraero, Correios e as companhias docas de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Espírito Santo, Ceará, Rio Grande do Norte e Pará.

ROBERTO JEFFERSON COMENTA JULGAMENTO DO MENSALÃO DO PT NA INTERNET


Às vésperas de deixar o hospital, depois de uma cirurgia para retirada de um tumor com "foco maligno" no pâncreas e oito dias de internação, o ex-deputado Roberto Jefferson mostrou estar atento ao julgamento do Mensalão do PT pelo Supremo Tribunal Federal. O presidente do PTB comentou a votação que rejeitou o desmembramento do processo por 9 a 2 e chegou a arriscar uma previsão para o resultado final, nada favorável aos réus. "Ficou longe do empate, apesar de, no fim, a impressão que ficou foi de que a Corte está, sim, dividida. Não duvido que o placar, ou algo próximo, se repita no julgamento do mérito das acusações. E, se assim for, a grande briga está reservada para a discussão sobre as penas a serem impostas aos réus", analisou Roberto Jefferson no blog. O relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, recebeu novos ataques do petebista. "Os ministros precisam de nervos de aço, mas na quinta-feira, 2, Barbosa parecia estar com os nervos à flor da pele", disse Jefferson no Twitter e no blog, na manhã de sexta-feira. "Não é porque ele acha que o jogo está ganho que pode se eximir de jogar o jogo", completou. Jefferson destacou o voto de Marco Aurélio Mello, que seguiu o ministro revisor, Ricardo Lewandovski, e foi favorável ao desmembramento do processo. O petebista salientou o fato de que, apesar de lembrar a praxe de elogiar o ministro de quem vai-se discordar, Mello não citou a manifestação de Joaquim Barbosa contra a divisão do processo: "O silêncio disse tudo sobre o clima que, já no primeiro dia, Barbosa impôs ao julgamento", comentou. "Mesmo acreditando que o julgamento já está com condenação certa, na falta de um voto preparado para decidir uma questão de ordem anunciada há tempos, Barbosa precisa melhorar seu jogo. Afinal, até a novata Rosa Weber tinha mais argumentos para rejeitar a questão levantada por Márcio Thomaz Bastos, que pediu o desmembramento do processo, e mereceu elogios dos colegas, ao contrário de Barbosa, que ficou sem qualquer menção honrosa. A continuar no ritmo de quinta-feira, a tese de Barbosa pode até, quiçá, ser vencedora em mais algum ponto, mas o próprio ministro sairá perdedor", disse Jefferson no blog.

GURGEL DIZ QUE VALDEMAR COSTA NETO RECEBEU R$ 8,8 MILHÕES


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou em sua sustentação oral no processo do Mensalão do PT que o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP) recebeu R$ 8,8 milhões do esquema em nome do PL, partido antecessor ao atual PR. Valdemar era presidente do partido à época, agora é secretário-geral do PR. Segundo o procurador, Valdemar usou duas formas de lavagem de dinheiro. A primeira foi por meio de uma empresa chamada Garanhuns. Contratos fictícios da empresa com a agência de publicidade SMP&B foram feitos para justificar o repasse de recursos em diversas transações. Outra forma de lavagem foi a usada por outros integrantes do esquema, os saques no Banco Rural. Para receber os recursos, o deputado usou como intermediário Jacinto Lamas. Homem de sua confiança, ele era responsável por sacar cheques nominais à empresa Garanhuns, além de fazer saques no Banco Rural. Valdemar teria ainda recebido R$ 1,5 milhão em mãos do ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares. Outro integrante do PR que teria recebido recursos do esquema é o ex-deputado Carlos Rodrigues, conhecido como Bispo Rodrigues. Ele teria recebido R$ 150 mil por meio de um saque feito numa agência do Banco Rural em Brasília por um motorista.

BISPO ESQUERDOPATA PRIÁPICO LUGO VISITA LULA


O presidente deposto do Paraguai, o bispo esquerdopata priápico Fernando Lugo, visitou na sexta-feira o ex-presidente Lula e, embora não tenham conversando sobre o Mensalão do PT, segundo o político "pegador" paraguaio, seu colega brasileiro estava muito tranquilo. "Está mais tranquilo do que água de poço", disse, acrescentando que não conversaram sobre o Mensalão do PT: "Se eu disser que não falamos de política, vocês não vão acreditar. Falamos de política regional e internacional, mas absolutamente nada sobre o julgamento do Mensalão do PT". Lugo disse que não conhecia detalhes, apenas o que lera em jornais: "Eu até perguntei aos assessores o que significa Mensalão". Lugo esteve em São Paulo para exames periódicos no hospital Sírio Libanês, já que também se tratou de um câncer, e disse que está bem de saúde.

GURGEL AFIRMA QUE O PP USOU UMA CORRETORA PARA RECEBER DINHEIRO DO MENSALÃO DO PT


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou na sexta-feira que a cúpula do PP se utilizou de uma corretora para receber recursos do Mensalão do PT. Na retomada do segundo dia de julgamento do processo pelo Supremo Tribunal Federal, Gurgel disse que havia um esquema de "profissionalização da lavagem de dinheiro", que tinha como destinatários finais representantes do Partido Progressista. Na sua exposição, o chefe do Ministério Público detalhou toda a operação. O advogado Rogério Tolentino, ligado ao publicitário Marcos Valério, tomou um empréstimo no valor de R$ 10 milhões do banco BMG, envolvido no escândalo. Esse recurso foi praticamente todo transferido para conta da corretora Bônus Banval. Os recursos do esquema viriam do Banco do Brasil, por meio do Visanet. Gurgel disse que, logo depois, os recursos da corretora eram repassados para outra corretora, a Natimar, e dela para os destinatários finais, os integrantes da cúpula do PP: o ex-presidente do partido, Pedro Corrêa; o ex-líder da bancada da Câmara dos Deputados, José Janene (PR); e o ex-assessor do PP, João Cláudio Genú.

PETROBRAS REGISTRA PREJUÍZO DE R$ 1,346 BILHÃO NO SEGUNDO TRIMESTRE


A Petrobras teve prejuízo líquido de 1,346 bilhão de reais no segundo trimestre do ano, a primeira perda trimestral registrada em 13 anos, por conta da desvalorização do real, informou a empresa na sexta-feira em comunicado. Os analistas esperavam, em média, um lucro líquido de 3,68 bilhões de reais. "Esse resultado é decorrente, principalmente, da conjunção dos seguintes fatores: expressiva depreciação do real frente ao dólar, despesas extraordinárias com poços secos, cujas perfurações foram realizadas principalmente entre 2009 e 2012, menor exportação de petróleo ,fruto da menor produção, devido às paradas programadas", disse a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, em comunicado. Ela afirmou ainda que também pesaram no resultado o desalinhamento de preços dos derivados vendidos no mercado brasileiro em relação aos parâmetros internacionais. "Estamos trabalhando para recuperar nossa rentabilidade. Desde que assumi a presidência da Petrobras, há cinco meses, venho reiterando nosso comprometimento com a paridade internacional de preços", acrescentou ela. Como resultado da venda de combustíveis com defasagem no mercado interno, a Petrobras informou que a área de abastecimento registrou perdas de 7,03 bilhões de reais no mesmo período. Esse é o tamanho do subsídio que o governo petista de Dilma Rousseff deu aos donos de carros no Brasil para sustentar a boa imagem de sua administração, tudo pago com prejuízo da Petrobras.

PROCURADOR DIZ PTB USAVA CARROS-FORTES PARA RECEBER DINHEIRO DO PT


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou na sexta-feira afirmou que o Mensalão do PT pago a integrantes da cúpula do PTB foi transportado em carros-fortes. No segundo dia de julgamento do processo pelo Supremo Tribunal Federal, Gurgel citou depoimento prestado pelo presidente do PTB, Roberto Jefferson, segundo o qual em duas oportunidades foi o próprio publicitário Marcos Valério que repassou o dinheiro em mãos para Jefferson. O chefe do Ministério Público disse que o PTB e o núcleo político do esquema firmaram um acordo financeiro por meio do qual o partido iria receber R$ 20 milhões. O acerto foi viabilizado, sustenta Gurgel, com o aval do então ministro da Casa Civil, José Dirceu. Segundo Gurgel, mencionando fatos documentados, o ex-presidente do PTB, José Carlos Martinez, recebeu cerca de R$ 1 milhão, repassados em duas vezes pelas mãos do seu então motorista, Jair dos Santos. Roberto Jefferson, que assumiu o cargo em outubro de 2003, depois da morte de Martinez, deu "continuidade ao sistema financeiro" anterior. O procurador-geral disse que Jefferson recebeu R$ 4,5 milhões. Ele recebeu o recurso em três ocasiões. O ex-deputado Romeu Queiroz, do PTB de Minas Gerais, também recebeu outros R$ 102 mil.

GURGEL AFIRMA QUE BANCO RURAL TROCOU EMPRÉSTIMO AO PT POR APOIO DO GOVERNO PETISTA A SEUS NEGÓCIOS


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou que os empréstimos feitos no Banco Rural não foram realizados para serem pagos pela agência de publicidade SMP&B ou pelo PT. Segundo ele, o banco fez a ação para obter favorecimentos do governo. Gurgel estimou que o Rural poderia obter vantagem de R$ 1 bilhão na pressão que fazia ao Banco Central em relação à liquidação do banco Mercantil. O Rural teria feito o empréstimo para ganhar o apoio do governo federal, em especial do ex-ministro José Dirceu. "O ganho do Banco Rural com o levantamento da liquidação superaria a casa do bilhão. Nota-se que foi uma contribuição exageradamente modestO", ironizou o procurador, que destacou ainda a atuação do ex-ministro para atender ao interesse do banco:. "José Dirceu está rigorosamente em todas". Ele destacou que não existiam garantias suficientes para a concessão dos empréstimos de R$ 32 milhões feitos à SMP&B com aval de integrantes da cúpula do PT, como o ex-presidente José Genoino e o ex-tesoureiro Delúbio Soares. Gurgel disse que análise do Banco Central mostraria que os tomadores do empréstimo e os avalistas teriam uma classificação com a letra H numa escala que começasse pela letra A. "O banco não tinha preocupação de receber, por isso não se preocupava com as garantias, e os tomadores não tinham intenção de pagar", disse o procurador. São réus no processo por atuação no Banco Rural a ex-presidente do banco Kátia Rabello, os ex-diretores José Roberto Salgado e Ayanna Tenório, e o ex-gerente Vinícius Samarane. Katia Rabello ainda é acionista do banco e Samarane diretor. Os outros dois deixaram a instituição. Gurgel observou ainda que o caso do BMG, em que também foram realizados empréstimos que abasteceram o esquema, não está no processo por haver uma ação sobre o tema na justiça de Minas Gerais.

GURGEL AFIRMA QUE INTEGRANTES DO PMDB RECEBERAM R$ 1,1 MILHÃO DO MENSALÃO DO PT


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou que dois integrantes do PMDB receberam R$ 1,150 milhão do esquema do Mensalão do PT. Foram beneficiários os ex-deputados José Borba (PR) e Anderson Adauto (MG). Ambos permanecem no partido e são prefeitos de Jandaia do Sul e Uberaba, respectivamente. No caso de Borba, o procurador detalhou a forma pitoresca em que recebeu R$ 200 mil. Segundo a denúncia, ele compareceu à agência do Banco Rural em Brasília em que a maior parte dos pagamentos eram feitos. Negou-se, porém, a entregar um documento para tirar cópia e assinar um recibo de recebimento. "O episodio é curioso e denota que nada de lícito estava sendo tratado, visto a preocupação de como receber a propina", destacou Gurgel. Como o deputado se recusou a assinar o recibo, Simone Vasconcellos, da área financeira da SMP&B, foi até à agência e sacou o dinheiro, entregando a Borba ainda dentro da agência, visto que esse ficou aguardando a solução do imbróglio. Adauto, por sua vez, teria recebido R$ 950 mil por meio de dois intermediários. Gurgel destacou que alguns pagamentos eram semanais. "Vemos que em alguns casos até se foge ao apelido (mensalão) porque há pagamentos até semanais".

GURGEL AFIRMA QUE PETISTA JOÃO PAULO CUNHA RECEBEU R$ 50 MIL DE MARCOS VALÉRIO


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou na sexta-feira que não há argumentos "minimamente aceitáveis" para justificar o fato de o ex-presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha (PT-SP), ter recebido R$ 50 mil de uma empresa de Marcos Valério que, pouco depois, venceu a licitação para prestar serviços de publicidade para a Casa Legislativa. Gurgel relatou que Márcia Regina Cunha, mulher do deputado federal, esteve no dia 4 de setembro de 2003 na agência do Banco Rural em Brasília para receber R$ 50 mil em espécie. No dia 16 daquele mês, a agência de publicidade SMP&B, que tinha Marcos Valério como um dos sócios, ganhou a concorrência pública. O procurador disse que a mulher de João Paulo admitiu, em depoimento, que repassou os recursos para o marido. Segundo Gurgel, o parlamentar, por sua vez, deu duas versões para o caso. A primeira delas é que sua mulher tinha ido à agência para pagar uma fatura de TV por assinatura. Posteriormente, ele disse que os recursos serviriam para custear pesquisas eleitorais em Osasco, base eleitoral do político. "Essa versão, no entanto, não encontra respaldo nos autos", rebateu Gurgel, lembrando que o "mais lógico" era se realizar uma operação de transferência bancária, caso o dinheiro fosse mesmo do PT e não de origem ilícita. O chefe do Ministério Público disse que João Paulo Cunha desviou outros R$ 252 mil ao usar o dinheiro da subcontratação pela empresa de Marcos Valério da IFT, de propriedade do jornalista Luís Costa Pinto. A IFT, afirmou Gurgel, não teria prestado serviços para a Câmara. Ela teria sido usada apenas para pagar o salário do jornalista Luis Costa Pinto, que trabalhou na campanha de 2002 de João Paulo Cunha e era uma espécie de assessor do parlamentar. Ou seja, a subcontratação foi simulada. Este Luis Costa Pinto é o mesmo jornalista que trabalhava na sucursal da Veja, durante a CPI dos Anões do Orçamento, e entregou para a revista uma informação falsa, de que o então deputado federal Ibsen Pinheiro tinha enviado um milhão de dólares para o Exterior. O portador da nota fraudada foi Waldomiro Diniz, na época assessor na CPI e na bancada do PT dos deputado federais petistas José Dirceu e Aloizio Mercadante, e que morava junto com eles no mesmo apartamento funcional. Waldomiro Diniz era assessor destacado da Casa Civil com José Dirceu quando foi denunciado por uma extorsão, no Rio de Janeiro, ao bicheiro Carlinhos Cachoeira. Ali começou o escândalo do Mensalão do PT. O jornalista Paulo Moreira Leite, na redação de Veja, em São Paulo, sabia que a informação da matéria de capa era falsa, mas mesmo assim ordenou a publicação. Ibsen Pinheiro foi cassado e saiu do páreo presidencial, o que foi uma grande vantagem para a candidatura de Lula. Paulo Moreira Leite foi membro da Libelu, tendência estudantil trotskista, quando estudante na USP, em São Paulo. Também é grande amigo de Felipe Belisario Wermus, vulgo Luis Favre, ex-marido da socialite paulista e petista Marta Suplicy, e ex-dirigente da 4ª Internacional comunista (trotskista).

DELÚBIO SOARES FINALMENTE DEMITIDO POR FALTAR 100 MESES AO TRABALHO


O ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, foi exonerado na sexta-feira do cargo de professor de Matemática da rede pública de ensino em Goiânia (GO). O decreto foi assinado pelo secretário de Educação, Thiago Peixoto, e deverá ser publicado no Diário Oficial do Estado nesta segunda-feira. Delúbio Soares recebeu salários e não trabalhou no período entre setembro de 1994 e janeiro de1998. Foram 100 meses sem bater o ponto, não aparecer nas salas de aula, nem justificar a ausência ao trabalho. Delúbio Soares era professor de Matemática concursado. Oficialmente, a demissão ocorre dois anos e três meses após o Tribunal de Justiça de Goiás ter condenado Delúbio Soares a devolver os R$ 164.695,51 que recebeu do Estado sem trabalhar durante 100 meses. Ou seja, no período entre os meses de setembro de 1994 e janeiro de 1998, e entre fevereiro de 2001 a janeiro de 2005. A decisão do juiz João Waldeck Félix de Souza, da 2ª Câmara Cível, e foi anunciada no dia 19 de maio de 2010. Na época, diligências da Justiça descobriram que Delúbio Soares faltava nas salas de aula, mas trabalhava diariamente no PT, e até viajava a serviço do partido. Porém, o status de professor faltoso foi mantido graças à conivência do Sindicato dos Trabalhadores Professores (Sintego), filiado ao PT, onde a presidente do Sindicato na época, Noeme Diná Silva, fazia vistas grossas, mas foi condenada solidariamente, pela Justiça. De acordo com a decisão judicial, o Sindicato liberava licenças médicas para Delúbio Soares, que era concursado e lotado na Secretaria Estadual de Educação de Goiás. Além do ressarcimento do dinheiro, o ex-tesoureiro do PT foi condenado à perda dos direitos políticos por oito anos, e proibido de celebrar contratos om o Poder Público, ou receber incentivos fiscais e creditícios, direta ou indiretamente, pelo prazo de 12 anos.

MEC FECHA ACORDO COM APENAS UM DE QUATRO SINDICATO


O governo federal concluiu na noite de sexta-feira a negociação do fim da greve dos professores com a Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes) e vai mandar o projeto de lei com mudanças na carreira para o Congresso. A decisão desagrada a maioria das instituições paralisadas, uma vez que a Proifes representa apenas 6 das 59 universidades federais. Na reunião de quarta-feira, outros três sindicatos - Andes, Sinasefe e Fasubra - foram contrários à proposta do governo. Apenas a Proifes acatou. O maior sindicato da categoria, o Andes, que representa 51 universidades federais, diz que a greve deve continuar. A professora Clarisse Gurgel, da Unirio, acusa a Proifes de "pelega": "Eles foram os últimos a embarcar na greve, porque viram que não tinha volta, e agora dão esse golpe", disse.

GURGEL AFIRMA QUE DESVIO DE 73 MILHÕES DO BANCO DO BRASIL ABASTECEU MENSALÃO DO PT


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou na sexta-feira que foram desviados R$ 73 milhões em recursos públicos do Banco do Brasil, por meio do fundo Visanet, para abastecer o esquema do Mensalão do PT. Para Gurgel, a verba foi apropriada pela DNA Propaganda, agência do publicitário Marcos Valério, com o aval do então diretor de Marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato. O chefe do Ministério Púbico disse, em sustentação oral no plenário do Supremo Tribunal Federal, que peritos constaram que não houve comprovação de prestação de serviços da DNA, empresa usada para operar o esquema de compra de apoio político no governo Lula. Os desvios, segundo Gurgel, ocorreram na hora em que o banco antecipou em quatro ocasiões, entre os anos de 2003 e 2004, recursos do fundo para a agência de publicidade. "O crime consumou-se mediante autorização dada por Henrique Pizzolato", disse Gurgel, lembrando que em três das quatro antecipações de recursos foi o próprio ex-diretor do banco que o assinou. O procurador-geral afirmou que o próprio Pizzolato recebeu cerca de R$ 306 mil do esquema comandado por Marcos Valério. Segundo Gurgel, o ex-diretor do Banco do Brasil apresentou uma versão "inusitada" para o recebimento dos recursos: não sabia o que tinha dentro dos dois envelopes pardos com o dinheiro, entregue por um conhecido por Pizzolato. "A desculpa apresentada por Henrique Pizzolato, de tão esdrúxula e esfarrapada, não deveria sequer ser comentada", disse. Em relação ao Visanet, Gurgel disse que Pizzolato, Marcos Valério e os sócios da agência de publicidade dele ainda se apropriaram indevidamente de R$ 2,9 milhões do chamado bônus de volume (BV).

GURGEL DIZ QUE EX-DEPUTADOS DO PT RECEBERAM R$ 1,2 MILHÃO


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou, durante a leitura da denúncia na sessão do Supremo Tribunal Federal de sexta-feira, que três ex-deputados petistas receberam R$ 1,2 milhão do esquema do Mensalão do PT. Foram eles Paulo Rocha (PA), João Magno (MG) e Professor Luizinho (SP). Outro petista, ainda deputado, João Paulo Cunha, recebeu R$ 50 mil de uma empresa do publicitário Marcos Valério que, pouco depois, venceu licitação para prestar serviços de publicidade para a Câmara dos Deputados. À época, João Paulo Cunha era presidente da Casa legislativa. Em relação a Paulo Rocha, os repasses somam R$ 820 mil. Foram usados dois intermediários para o recebimento. Anita Leocádio, que também é ré, recebeu R$ 620 mil pelo parlamentar. Outro assessor, que está fora do processo, sacou mais R$ 200 mil. Gurgel destacou que Paulo Rocha afirmou em sua defesa que o recurso era para despesas de campanha, mas o procurador-geral afirmou que a destinação não retira o crime de corrupção passiva pelo fato de o valor ter sido recebido indevidamente. João Magno recebeu R$ 360 mil por meio de dois intermediários. O parlamentar admitiu ser o destinatário dos recursos. Professor Luizinho teria obtido R$ 20 mil por meio de um assessor. O ex-parlamentar nega ter mandado o assessor receber os recursos, mas o procurador-geral destacou que o Professor Luizinho admitiu, antes, manter contatos com Marcos Valério e ter pedido dinheiro a Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT e também réu no processo.

MORRE O MAESTRO SEVERINO ARAÚJO, DA LENDÁRIA ORQUESTRA TABAJARA


O maestro Severino Araújo, de 95 anos, que durante 67 anos comandou a Orquestra Tabajara, morreu na sexta-feira, no Rio de Janeiro, vítima de infecção urinária e consequente falência múltipla dos órgãos. Diabético, ele estava internado desde 20 de julho no Hospital Ipanema Plus, na zona sul. Criada em 1933, a Tabajara é a mais antiga orquestra de baile do Brasil e continua em atividade. Severino deixou a orquestra em 2005, quando transferiu a função de maestro ao irmão Jaime, saxofonista, hoje com 87 anos. Nascido na cidade pernambucana de Limoeiro, em 23 de abril de 1917, filho do professor de música e regente de banda Cazuzinha, Severino começou a estudar música aos 6 anos e logo demonstrou seu talento. Dono de "ouvido absoluto", aos 8 anos ele já ajudava o pai a dar aulas aos instrumentistas; aos 12 anos dominava instrumentos de sopro e compunha, e aos 16 anos esboçou os primeiros arranjos. Em 1933 a família se mudou para Ingá, na Paraíba, onde Severino começou a trabalhar profissionalmente como músico. Em 1936 ele foi convidado para tocar na Banda da Polícia de João Pessoa, e em 1937 foi contratado pela Tabajara, criada quatro anos antes. Em 1938 o regente da Tabajara e pianista Luna Freire morreu e Severino foi convidado para substituí-lo. O maestro foi para o Rio de Janeiro em 1944, e no ano seguinte os demais músicos da Tabajara também se mudaram para a então capital federal, onde a orquestra começou a brilhar nas rádios e nos salões de baile. A Tabajara gravou mais de cem discos, acompanhou os principais artistas brasileiros (Tom Jobim, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tim Maia), fomentou o talento de muitos músicos (o clarinetista Paulo Moura integrou seus quadros), tocou para presidentes da República (Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek) e teve crooners famosos como Jamelão e Elizeth Cardoso.

IBOPE INDICA EDUARDO PAES COM 49% DAS INTENÇÕES DE VOTO NO RIO DE JANEIRO


Pesquisa de intenção de voto divulgada na sexta-feira pelo Ibope indicou que o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), seria reeleito com 49% dos votos, se a eleição municipal fosse hoje. Em segundo lugar ficaria o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), com 8%, seguido por Rodrigo Maia (DEM), com 5%, Otávio Leite (PSDB), com 3%, e Aspásia Camargo (PV), com 2%. O Ibope também perguntou em quem o eleitor não votaria. Rodrigo Maia registrou o maior índice de rejeição: 26%. Paes é o segundo, com 20%; Aspásia tem 14%, Cyro tem 12%, Otavio Leite registrou 11% e os três outros candidatos (Freixo, Siqueira e Antonio Carlos) têm 9%. Na pesquisa sobre a gestão de Eduardo Paes, 9% dos eleitores consultados a classificaram como ótima; para 37% ela é boa; 35% consideram regular, 7% acham ruim e 11% consideram péssima; 1% não soube opinar ou não quis responder.

GURGEL AFIRMA QUE NENHUM GERENTE DE BANCO ASSINARIA EMPRÉSTIMOS DO RURAL PARA O PT


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, voltou a falar sobre os quatro integrantes do Banco Rural citados na denúncia do caso do Mensalão do PT na sessão do Supremo Tribunal Federal de sexta-feira, ao comentar sobre as acusações de gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro. Gurgel destacou a falta de garantias para a concessão dos empréstimos ao PT e a empresas de Marcos Valério, de onde saíram os recursos do Mensalão do PT, e enfatizou o fato de os recursos terem sido liberados pela diretoria do banco e não por gerentes. "A situação de risco era tão alarmante que a decisão de assinatura envolvia a própria diretoria da instituição. Não era em gerência, porque nenhum gerente seria louco para assiná-los", disse Gurgel. Ele reiterou que não havia previsão de pagamento pelos tomadores nem de recebimento pelos credores. Destacou que as análises de risco foram feitas de forma leniente para evitar que o Rural tivesse que reter em seus cofres o total do valor emprestado devido ao alto risco das operações. Destacou que, no caso do PT, sequer havia cadastro e que os avalistas das operações não tinham patrimônio para quitar nem 10% do que foi tomado. Ao todo, foram concedidos R$ 32 milhões em empréstimos. O procurador afirmou ainda que o Banco Rural montou um esquema de lavagem de dinheiro para permitir os saques de recursos na boca do caixa. Enfatizou que o banco não informou às autoridades quem eram os reais sacadores e qual a finalidade, limitando-se a dizer que o saque era da SMP&B e para pagamento de fornecedores.

PREFEITO DE BELO HORIZONTE TEM 43% DA PREFERÊNCIA DO ELEITORAL


O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), que disputa a reeleição, tem 43% de preferência do eleitorado da capital. O resultado mostra o socialista com 22 pontos percentuais a mais que o segundo colocado na disputa, o ex-ministro petista Patrus Ananias, preferido por 21% dos eleitores. É o que mostra pesquisa do Ibope divulgada na sexta-feira. Em terceiro lugar aparece a candidata do PSTU, Vanessa Portugal, seguida por Maria da Consolação Rocha (PSOL), escolhida por 1% do eleitorado belo-horizontino. O levantamento também verificou o índice de rejeição dos candidatos. Neste caso, Pepê liderou com 14% das respostas, seguido por Marcio Lacerda e Vanessa Portugal, que tiveram 13% cada. Patrus aparece com 12%, contra 7% de Maria da Consolação Rocha, 6% de Tadeu Martins e, por último, aparece Alfredo Flister, rejeitado por 4% do eleitorado.

DUDA MENDONÇA EXIGIU RECEBER DINHEIRO NO EXTERIOR


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou na sexta-feira que foram o publicitário Duda Mendonça e a sócia dele, Zilmar Fernandes, quem exigiram do publicitário Marcos Valério receber no Exterior parte do acerto financeiro que tinham da campanha presidencial de Lula em 2002. "A exigência de depósito no Exterior foi feita por eles e não por Marcos Valério", disse Gurgel. Pelo acerto, segundo Gurgel, Duda Mendonça teria R$ 11,2 milhões a receber da campanha. Desse valor, uma parte foi paga no Banco Rural, em São Paulo, que foi retirada por Zilmar Fernandes. O procurador-geral disse que a outra parte, R$ 10,8 milhões, foi paga no Exterior na conta da Dusseledorf Company, um empresa offshore localizada nas Bahamas, um paraíso fiscal. Segundo ele, o saldo da campanha foi pago entre fevereiro de 2003 e janeiro de 2004, por meio de depósitos feitos por doleiros e pelo Banco Rural. Gurgel afirmou que, inicialmente, a conduta no caso era típica de evasão de divisas, mas, após analisar a prova, constatou que a hipótese é para crime de lavagem de dinheiro.

STF NEGA AUMENTAR PRAZO PARA DEFESA DE MARCOS VALÉRIO


Pouco antes de encerrar a sessão de sexta-feira, segundo dia de julgamento do processo do Mensalão do PT, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ayres Britto, negou o pedido do advogado Marcelo Leonardo, que defende o publicitário Marcos Valério, de aumento de prazo para fazer sua sustentação oral. Leonardo argumentou que seu cliente é acusado de nove fatos distintos e, durante as cinco horas de sustentação concluída na sexta-feira pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, teve seu nome citado 197 vezes. O defensor de Marcos Valério pediu prazo de duas horas, lembrando ainda que dois dos réus, com pedido de absolvição do Ministério Público, não devem usar o tempo previsto. Marcelo Leonardo será o quarto defensor a fazer a sustentação oral nesta segunda-feira, no terceiro dia de julgamento. O presidente do Supremo disse, contudo, que o colegiado já havia decidido conceder prazo para todos os advogados dos 38 réus de uma hora para cada um. "Data vênia, eu indefiro o pedido de vossa excelência", afirmou Britto, ao negar o pedido.

SONDA ESPACIAL PREPARA POUSO AUTOGUIADO PARA DESCER EM MARTE


Quando a sonda apelidada de Curiosity penetrar na tênue atmosfera marciana a uma velocidade supersônica na madrugada desta segunda-feira, caberá à própria máquina direcionar seus sete minutos finais de aproximação até o solo do Planeta Vermelho. Por causa da demora de 14 minutos nas comunicações com a sonda, tempo que os sinais de rádio levam para ir e voltar nessa distância de 248 milhões de quilômetros entre a Terra e Marte, os engenheiros da Nasa não têm a opção de telecomandar o pouso. Por isso, os técnicos não terão nada a fazer a não ser monitorar ansiosamente o progresso da nave, que está viajando há oito meses. O destino da Curiosity depende, portanto, do desempenho das ordens pré-programadas, de um novo sistema de vôo autoguiado, e de uma complexa sequência de ações que inclui a abertura de um gigantesco paraquedas e um "guindaste aéreo" a jato, algo nunca usado, que precisará descer num ponto exato do planeta, para então baixar a Curiosity até o solo com uma corda, cortar as amarras e sair voando outra vez. Não é à toa que a Nasa chama essa operação de "os sete minutos do terror". "Vamos todos de carona", disse Adam Steltzner, que supervisiona a operação de descida e pouso da sonda, chamada formalmente de Mars Science Lab ("laboratório científico de Marte"). A sonda tem seis rodas, pesa uma tonelada e é movida a energia nuclear. Colocá-la no solo marciano foi um grande desafio tecnológico, mas o principal impulso para esse projeto de 2,5 bilhões de dólares vem da missão científica de dois anos que se seguirá. A Curiosity é considerada o primeiro laboratório analítico completo sobre rodas a ser enviado para outro mundo. Foi concebida principalmente para investigar se o planeta já teve condições para abrigar vida microbiana. A Curiosity, envolta em uma "casca" protetora, penetrará na atmosfera marciana a cerca de 21 mil quilômetros por hora, 17 vezes a velocidade do som na Terra. Por causa da demora no sinal de rádio, quando a Nasa receber o sinal de entrada da sonda na atmosfera ela já terá tocado o solo do planeta. Se tudo correr de acordo com o planejado, a equipe da Nasa espera receber outro sinal de rádio logo depois das 2h30 de segunda-feira (hora de Brasília), confirmando que a Curiosity pousou em segurança no seu alvo, no fundo de uma vasta cratera chamada Gale e ao lado de uma imponente montanha.

PRIMEIRA PESQUISA IBOPE EM SÃO PAULO COLOCA SERRA EM PRIMEIRO, SEGUIDO POR RUSSOMANO


A primeira pesquisa Ibope desde o início oficial da campanha pela Prefeitura de São Paulo mostra José Serra (PSDB) e Celso Russomanno (PRB) em situação de empate técnico, com 26% e 25% das intenções de voto. Fernando Haddad, do PT, aparece com 6%, um índice ainda distante do desempenho histórico dos candidatos do partido na cidade. O ex-ministro está embolado com outros três adversários: Soninha Francine (PPS), com 7%, Gabriel Chalita (PMDB) e Paulinho da Força (PDT), ambos com 5%. A pesquisa consolida Russomanno como candidato a zebra da eleição. Desde o início de maio, data da pesquisa anterior do Ibope, ele cresceu nove pontos porcentuais (tinha 16%). Em algumas áreas da cidade, ele lidera a corrida eleitoral. Já Serra, que tinha 31% no Ibope de maio, caiu cinco pontos porcentuais desde então. Ele aparece pela primeira vez abaixo do patamar de 30%, taxa que havia obtido na pesquisa Datafolha feita nos dias 19 e 20 de julho. Outro ponto preocupante para o tucano é o índice de rejeição, o mais alto entre os candidatos: 34% dos entrevistados afirmam que não votariam em Serra de jeito nenhum. Em maio, essa taxa era praticamente a mesma (35%), mas o ex-governador estava empatado tecnicamente com o vereador Netinho de Paula (PCdo B, rejeição de 38%) que desistiu de se candidatar.

PROCURADOR GERAL PEDE PRISÃO IMEDIATA DOS MENSALEIROS LOGO APÓS EVENTUAL CONDENAÇÃO


Ao fim de sua sustentação oral na sexta-feira, no Supremo Tribunal Federal, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pediu a prisão dos acusados de envolvimento no escândalo do mensalão tão logo a Corte chegue a um veredito. Também pediu a cassação de mandatos parlamentares (três réus são deputados federais) e a devolução do dinheiro que sustenta ter sido desviado pelo esquema. Gurgel centrou sua explanação de 4 horas e 38 minutos, lida num iPad, no ex-ministro da Casa Civil, o petista José Dirceu, chamado de "principal figura" e "autor intelectual" do Mensalão do PT, um esquema de pagamento de parlamentares durante o governo do ex-presidente Lula que, segundo a acusação, serviu para comprar votos no Congresso. "A Procuradoria-Geral da República requer desde já a expedição de mandados de prisão imediatamente após a sentença", disse Gurgel, num movimento que visa a evitar que recursos da defesa atrasem o cumprimento de eventuais penas. O procurador afirmou ter obtido "todas as provas possíveis" e destacou que o escândalo ocorreu entre "quatro paredes" dentro do Palácio do Planalto. "O Ministério Público só não conseguiu provas impossíveis", afirmou Gurgel, segundo quem "jamais um delito foi tão fartamente comprovado" e que o julgamento é "histórico". O procurador aproveitou ainda para dizer que foi vítima de ataques "grosseiros e mentirosos" desde que apresentou as alegações finais ao processo, mantendo as acusações contra quase a totalidade dos réus. Ele foi acusado por petistas de segurar uma investigação que comprometia o senador cassado Demóstenes Torres (ex-DEM, sem partido). "Foi tudo para constranger e intimidar o procurador", disse Gurgel, segundo quem o comportamento foi "inaceitável" e "inútil". "Não nos intimidaremos jamais", afirmou. Ele encerrou a sustentação oral, que começou no início da tarde e adentrou a noite, com versos da música Vai Passar, de Chico Buarque. "Dormia a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações", recitou. Ponto central. O procurador ficou em Dirceu porque, segundo ele, provar sua participação no esquema é essencial para sustentar a acusação de compra de votos. Gurgel utilizou principalmente testemunhos para ligar o ex-ministro ao Mensalão do PT. "O autor intelectual, quase sempre, não fala ao telefone, não envia mensagens eletrônicas, não assina documentos, não movimenta dinheiro por suas contas, agindo por intermédio de ‘laranjas’ e, na maioria dos casos, não se relaciona diretamente com os agentes que ocupam os níveis secundários da quadrilha", disse o procurador, tentando adiantar-se a argumentos de advogados de defesa que afirmam não existir provas contra o ex-ministro. "O ministro José Dirceu estava rigorosamente em todas", afirmou Gurgel. "Nada, absolutamente nada, acontecia sem consentimento de José Dirceu". Segundo o procurador, José Dirceu foi "o mentor" de todo o esquema que envolvia empréstimos bancários e contratos de publicidade, inclusive com uso de recursos públicos, para o pagamento de acordos políticos firmados com partidos políticos – PP, PTB, PL e PT – a fim de garantir a sustentação parlamentar nos primeiros anos do governo Lula.

COMO AGIAM OS PRINCIPAIS ACUSADOS NO MENSALÃO DO PT


No segundo dia de julgamento do escândalo que ficou conhecido como Mensalão do PT, esquema de compra de apoio político ao governo Lula no Congresso, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou estar "convencido" pelas provas da existência do esquema. Confira, a seguir, como teriam participado do suposto esquema alguns dos 38 réus, segundo a Procuradoria Geral da República. Gurgel pediu a condenação de 36 deles, livrando Luiz Gushiken, ex-ministro da Secretaria de Comunicação no governo Lula, e Antônio Lamas, ex-assessor do PL.
JOSÉ DIRCEU
Ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu teria comandado o esquema para a compra votos no Congresso a favor de projetos de interesse do governo. Para o procurador, José Dirceu foi a "principal figura" e "mentor" do arranjo. Segundo Gurgel, o ex-ministro não só sabia da suposta cooptação de parlamentares, como também teria ciência da origem do dinheiro usado para a compra dos votos.
JOSÉ GENOINO
De acordo com a acusação, José Genoino, que presidia o PT quando o suposto negócio ilegal era operado, teria contribuído "decisivamente" para a obtenção dos recursos que teriam sido usados para a compra de apoio parlamentar ao governo. O dirigente petista teria avalizado os supostos falsos empréstimos feitos junto ao Banco Rural e ao BMG. Os recursos teriam sido utilizados para a compra de apoio.
DELÚBIO SOARES
O procurador-geral afirma que Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, fez parte do "grupo criminoso" e teria sido o "principal elo" entre o núcleo político (do qual fariam parte José Dirceu e José Genoino) e o núcleo operacional (que seria liderado pelo publicitário Marcos Valério, também réu na ação).
MARCOS VALÉRIO
A acusação considera o publicitário como o principal operador do esquema que eclodiu em 2005, ainda no primeiro mandato do ex-presidente Luiz. Além de supostamente ter oferecido a estrutura de suas empresas para colocar o esquema em prática, Marcos Valério também teria possibilitado o aporte de recursos, uma vez que mantinha contatos com dirigentes do Banco Rural e BMG. Para Gurgel, Marcos Valério teria operado o esquema de lavagem de dinheiro que seria entregue a parlamentares.
Sobre alguns dos dirigentes do Banco Rural, citado como "peça-chave" no esquema, Gurgel afirmou que teriam agido para servir a "propósitos ilícitos da quadrilha".  A Procuradoria Geral da República afirma ainda que os parlamentares cooptados teriam recebido dinheiro em espécie e, às vezes, por meio de assessores e outras pessoas, justamente para evitar que fossem responsabilizados criminalmente. A acusação aponta que dirigentes e líderes partidários, como o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, e o ex-presidente do extinto PL Valdemar Costa Neto teriam recebido dinheiro no esquema. Deputados do PMDB e do PT também foram apontados como beneficiários do arranjo. Ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, também foi citado por Gurgel. Pizzolato foi acusado de ter desviado recursos em favor de Marcos Valério.

COMO AGIAM OS PRINCIPAIS ACUSADOS NO MENSALÃO DO PT


No segundo dia de julgamento do escândalo que ficou conhecido como Mensalão do PT, esquema de compra de apoio político ao governo Lula no Congresso, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou estar "convencido" pelas provas da existência do esquema. Confira, a seguir, como teriam participado do suposto esquema alguns dos 38 réus, segundo a Procuradoria Geral da República. Gurgel pediu a condenação de 36 deles, livrando Luiz Gushiken, ex-ministro da Secretaria de Comunicação no governo Lula, e Antônio Lamas, ex-assessor do PL.
JOSÉ DIRCEU
Ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu teria comandado o esquema para a compra votos no Congresso a favor de projetos de interesse do governo. Para o procurador, José Dirceu foi a "principal figura" e "mentor" do arranjo. Segundo Gurgel, o ex-ministro não só sabia da suposta cooptação de parlamentares, como também teria ciência da origem do dinheiro usado para a compra dos votos.
JOSÉ GENOINO
De acordo com a acusação, José Genoino, que presidia o PT quando o suposto negócio ilegal era operado, teria contribuído "decisivamente" para a obtenção dos recursos que teriam sido usados para a compra de apoio parlamentar ao governo. O dirigente petista teria avalizado os supostos falsos empréstimos feitos junto ao Banco Rural e ao BMG. Os recursos teriam sido utilizados para a compra de apoio.
DELÚBIO SOARES
O procurador-geral afirma que Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, fez parte do "grupo criminoso" e teria sido o "principal elo" entre o núcleo político (do qual fariam parte José Dirceu e José Genoino) e o núcleo operacional (que seria liderado pelo publicitário Marcos Valério, também réu na ação).
MARCOS VALÉRIO
A acusação considera o publicitário como o principal operador do esquema que eclodiu em 2005, ainda no primeiro mandato do ex-presidente Luiz. Além de supostamente ter oferecido a estrutura de suas empresas para colocar o esquema em prática, Marcos Valério também teria possibilitado o aporte de recursos, uma vez que mantinha contatos com dirigentes do Banco Rural e BMG. Para Gurgel, Marcos Valério teria operado o esquema de lavagem de dinheiro que seria entregue a parlamentares.
Sobre alguns dos dirigentes do Banco Rural, citado como "peça-chave" no esquema, Gurgel afirmou que teriam agido para servir a "propósitos ilícitos da quadrilha".  A Procuradoria Geral da República afirma ainda que os parlamentares cooptados teriam recebido dinheiro em espécie e, às vezes, por meio de assessores e outras pessoas, justamente para evitar que fossem responsabilizados criminalmente. A acusação aponta que dirigentes e líderes partidários, como o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, e o ex-presidente do extinto PL Valdemar Costa Neto teriam recebido dinheiro no esquema. Deputados do PMDB e do PT também foram apontados como beneficiários do arranjo. Ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, também foi citado por Gurgel. Pizzolato foi acusado de ter desviado recursos em favor de Marcos Valério.

PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA PEDE PRISÃO DOS ENVOLVIDOS NO MENSALÃO DO PT


Após cinco horas de acusação contra o que classificou como “o mais atrevido escândalo” da história brasileira, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, responsável pela denúncia do esquema do Mensalão do PT, defendeu na sexta-feira a prisão de todos os réus em caso de condenação pelo Supremo Tribunal Federal imediatamente após a sentença. De acordo com ele, é possível que 36 envolvidos no escândalo sejam presos: "Houve uma tentativa de intimidação e constrangimento absolutamente inéditos. Temos uma quadrilha que é extremamente arrogante". Na avaliação de Gurgel, como os eventuais recursos dos condenados não poderão mudar o conteúdo da sentença no Supremo, não haveria razão para que eles recorressem das prováveis condenações em liberdade. “Confiante no juízo condenatório dessa Corte Suprema e tendo em vista a inadmissibilidade de qualquer recurso com efeito modificativo da decisão plenária, que deve ter pronta e máxima efetividade, a Procuradoria-Geral da República requer, desde já, a expedição dos mandados de prisão cabíveis imediatamente após a conclusão do julgamento”, disse o chefe do Ministério Público. “Espera-se a condenação de 36 dos réus e a expedição dos mandados de prisão cabíveis. Em princípio, é algo que se aplica a todos”, resumiu. Dos 38 réus que figuram na ação penal do mensalão, Roberto Gurgel entendeu que não há provas para a condenação somente do ex-ministro da Secretaria de Comunicação do governo Lula, Luiz Gushiken, e do ex-assessor parlamentar Antonio Lamas. “A Procuradoria-Geral da República tem plena confiança que essa Corte Suprema, com a absoluta isenção de sempre, aplicará as penas de forma justa, sancionando adequadamente os responsáveis ante a imensa gravidade de seus crimes”, disse. Em tom de desabafo, Roberto Gurgel revelou que, desde o ano passado, quando apresentou as alegações finais do caso, tem sofrido pressões das mais diversas áreas. O apelo do chefe do Ministério Público pela prisão dos mensaleiros eventualmente condenados evidencia a “falta de tradição” do Supremo Tribunal Federal em condenar políticos.

S&P REBAIXA NOTA DE RISCO DE 15 BANCOS ITALIANOS


A agência Standard & Poor's (S&P) anunciou na sexta-feira um rebaixamento da qualificação que dá a 15 bancos italianos, enquanto manteve o de outras 15 entidades, incluindo Unicredit e Intesa Sanpaolo, os dois maiores do país. A S&P justificou o rebaixamento pelo crescente risco de crédito enfrentado pela economia italiana e seus bancos e a possibilidade que o país tenha que enfrentar uma recessão mais profunda e prolongada do que antecipado inicialmente. "Achamos que a vulnerabilidade dos bancos italianos perante os riscos de crédito continua aumentando", ressaltou a agência de qualificação de riscos em comunicado de imprensa. No caso das duas principais entidades financeiras do país, Unicredit e Intesa Sanpaolo, a agência manteve sua qualificação em 'BBB+', ambas em perspectiva negativa para um possível rebaixamento.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAÚCHO RECORRERÁ DE DECISÃO DO CNJ QUE SUSTOU ATO IMPEDITIVO DE AJUIZAMENTO DE AÇÕES DO PISO DO MAGISTÉRIO


O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul comunicou que foi intimado na sexta-feira da decisão do Conselho Nacional de Justiça que suspendeu o Ato 04/2011, da Vice-Presidência da Corte gaúcha. A medida questionada junto ao CNJ sustou as apelações cíveis em processos que tratam do piso salarial do magistério estadual, até o julgamento de Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público, tratando da mesma questão. O 1º Vice-Presidente, desembargador Guinther Spode, esclareceu que o Tribunal ainda não estava cumprindo a decisão, porque sequer tinha conhecimento da íntegra da decisão, e está dentro do prazo para recurso. Segundo o magistrado, o Tribunal vai recorrer da deliberação do Conselho pois tem convicção da correção da diretriz adotada, que conta com o apoio dos Tribunais Superiores.

DECRETADO O BLOQUEIO DE BENS DE CINCO EX-PRESIDENTES DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALVORADA


A Promotoria Especializada de Alvorada, município de região metropolitana de Porto Alegre, obteve na sexta-feira, em ação civil pública ajuizada, antecipação de tutela que determinou a suspensão imediata do pagamento pela Câmara de Vereadores do auxílio-combustível ou qualquer indenização por uso de veículo particular de parlamentares. Além disso, a Justiça local decretou a indisponibilidade dos bens (imóveis, veículos e valores) dos ordenadores das despesas entre 2005 e 2011, que são os ex-presidentes Arlindo Luiz Slayfer, Denis Dib, Miro Joaquim dos Santos, José Geraldo de Farias e Jacinto Girelli Neto, para garantir o ressarcimento do prejuízo ao erário público. Conforme a inicial, nesse período, saíram dos cofres públicos de forma indevida mais de R$ 646 mil. Os valores referentes ao exercício de 2012 serão calculados. A ação também é contra o atual presidente da Câmara, Gerson Luis da Silva. Na ação civil pública, o Ministério Pùblico apurou que, atualmente, os vereadores recebiam R$ 850,00 por mês para essa finalidade, sem que houvesse necessidade de prestar contas dos gastos, apenas apresentando a nota fiscal da compra do combustível. “Causa espanto, ainda, que tais verbas foram pagas inclusive durante os recessos parlamentares”, afirma a promotora Rochelle Jelinek, que ingressou com a ação. Conforme ela, apesar dos apontamentos feitos pelo Tribunal de Contas do Estado em exercícios anteriores, os sucessivos presidentes do Legislativo municipal continuaram autorizando o pagamento do benefício.

ATIVISTAS DO PT DEPREDAM CAMINHÃO, INTIMIDAM COM ARMAS E ESPANCAM MILITANTES DO PV EM GRAVATAÍ


O PV, Partido Verde de Gravataí, no Rio Grande do Sul, cidade onde está localizado o complexo industrial da GM, acusa ativistas do PT pelo cerco ao caminhão de propaganda eleitoral da candidata socialista Anabel Lorenzi, ataque armado e agressões com cacetetes e barras de ferro contra seus militantes, ocorrido na sexta-feira, pouco depois que foi conhecvida a impugnação da candidatura a prefeito do deputado petista Daniel Bordiginon. O PV pediu a impugnação de Bordignon e foi peça chave no processo de impeachment da prefeita petista Rita Sanco. O caminhão teve o para-brisas quebrado e as lonas rasgadas. Os agressores foram identificados. Um dos militantes do PV sobreu traumatismo craniano. O partido avisou que reagirá diante de novos ataques armados. O clima político e eleitoral em Gravataí permanece muito tenso.

PETISTA BORDIGNON É FICHA SUJA E NÃO PODE CONCORRER EM GRAVATAÍ, DECIDE A JUSTIÇA


O deputado estadual Daniel Bordignon, líder do PT na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, foi considerado no rol dos fichas sujas, teve impugnada sua candidatura e agora abriu o caminho eleitoral em Gravataí, município sede da GM, para o candidato do PMDB, o também deputado estadual Marco Alba. A candidatura do deputado Daniel Bordignon pelo PT de Gravataí foi impugnada na tarde desta sexta-feira pela juiza eleitoral da 71ª Zona Eleitoral, Eda Salete Zanatta Miranda. A impugnação do candidato petista foi pedida pelo Ministério Público Eleitoral, PMDB e PV. Com o afastamento, o PT terá que escolher outro nome, mas qualquer que seja ele,não terá a embocadura política e eleitoral do deputado. Diante disto, o favorito para as eleições de outubro passa a ser o deputado Marco Alba, do PMDB.

JUÍZA DE ESTÂNCIA PRENDE CLACI CAMPOS, DA QUADRILHA DO PT DE ESTÂNCIA VELHA QUE CONTRATOU PISTOLEIRO PARA MATAR ADVERSÁRIO


Claci Campos, membro da Quadrilha do PT de Estância Velha, que contratou o pistoleiro Alexsando Ribeiro, para matar o jornalista Mauri Martinelli, e que tentou matar a testemunha principal do processo crime, Vera Canzian, no anoitecer do dia 24 de julho, em uma lanchonete do bairro Rincão, teve sua prisão decretada na tarde de sexta-feira pela juíza Rosali Terezinha Chiamenti Libardi, por solicitação do promotor de Justiça Marcelo Tubino. Os outros réus neste processo de formação de quadrilha para contratação de pistoleiro para assassinar o jornalista Mauri Martinelli, e o então vereador João Waldyr de Godoy (PMDB), conhecido como Duduzinho, são o jornalista Jaime Schneider, ex-secretário de Planejamento do prefeito petista Elivir Desiam (o "Toco, atual presidente da Fenac, em Novo Hamburgo); Jauri de Mattos (laranja de Jaime Schneider na propriedade do jornal) e o vereador petista Luis Carlos Soares, vulgo "Viramata", na época presidente do PT na cidade. Eles foram até a casa da testemunha Vera Canzian, em carro oficial da prefeitura, onde Claci Campos morava como pensionista, para se reunir com o pistoleiro Alexsandro Ribeiro e lhe entregar a arma que seria usada nos atentados, uma pistola austríaca Glock, com pente de 16 balas. Esta foi a arma usada na tentativa de assassinato contra Mauri Martinelli, que recebeu sete tiros no corpo. A arma foi encontrada alguns dias depois na casa do pistoleiro. Essa casa foi alugada pelo "laranja" de Jaime Schneider, Jauri Mattos, para abrigar o pistoleiro. Alexsandro Ribeiro já foi julgado por este crime e pegou 15 anos de cadeia. Claci Campos saiu algemada do Foro de Estância Velha e recolhida para o presídio de Montenegro.