terça-feira, 10 de julho de 2012

Ex-presidente da Valec deixa a prisão em Goiás

O ex-presidente da Valec, José Francisco das Neves, o Juquinha, foi libertado na noite desta segunda-feira pela Polícia Federal após cumprir prisão temporária de cinco dias na carceragem da Polícia Federal, em Goiânia. O ex-dirigente da Valec entre 2003 e 2010 foi preso na semana passada durante a Operação Trem Pagador. Ele foi acusado pelo Ministério Público Federal de superfaturar trecho da Ferrovia Norte-Sul, em Goiás. Além de Juquinha, também foram libertados Marivone Ferreira das Neves, Jader e Karen Ferreira das Neves, respectivamente, mulher e filhos do ex-dirigente da estatal. Durante as investigações, o Ministério Público Federal concluiu que um vasto patrimônio, avaliado em R$ 60 milhões, foi posto em nome do ex-dirigente, parentes e laranjas. De acordo com procurador federal Hélio Telho, o dinheiro resultou do superfaturamento de um trecho da Ferrovia Norte-Sul, em Goiás, entre os municípios de Santa Isabel e Uruaçu, na região Norte do Estado. O superfaturamento gerou R$ 100 milhões em desvios dos recursos públicos, segundo o Ministério Público Federal.

Delta recebeu R$ 70 milhões de Palmas, diz o petista Raul Filho

O prefeito de Palmas, Raul Filho (PT), afirmou em depoimento à CPI do Cachoeira nesta terça-feira, que a Delta Construções recebeu até agora R$ 70 milhões em recursos da prefeitura para cuidar da coleta de lixo na capital tocantinense desde 2005. A empreiteira é suspeita de ligação com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Segundo Raul Filho, a empreiteira teve seis contratos com a prefeitura. O primeiro, de R$ 11,5 milhões, foi feito por meio de licitação pública. Outros quatro emergenciais, com dispensa de licitação, nos valores de R$ 6,7 milhões, R$ 7 milhões, R$ 8,1 milhões e R$ 8,3 milhões, respectivamente, e o último, em vigor, e por meio de concorrência pública, de R$ 71 milhões - que teve 50% executados e efetivamente pagos até o momento, informou. Questionado pelo relator da CPI, deputado Odair Cunha (PT-MG), se a Delta tinha outros contratos, o prefeito disse que não se recordava. Sobre as irregularidades apontadas pelo Ministério Público e pelo Tribunal de Contas do Estado sobre o contrato, como preços inexequíveis e fiscalização inadequada, por exemplo, o petista Raul Filho disse apenas que "o orçamento previsto para o contrato era insuficiente para atender a uma cidade que cresce de forma galopante".

Prefeito petista Raul Filho nega ter recebido doação de Cachoeira

O prefeito de Palmas, Raul Filho (PT), negou, em depoimento nesta terça-feira à CPI do Cachoeira, ter recebido doação de R$ 150 mil do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Em um vídeo gravado em 2004 e divulgado pelo Fantástico, da TV Globo, o contraventor fala que iria doar essa quantia para a campanha do então candidato. "Nem em 2004, nem 2008, não vai constar nenhum tipo de apoio ou doação, seja do senhor Carlos Cachoeira ou da própria Delta. Nós nunca tivemos qualquer tipo de relacionamento, nem intimidade para buscar qualquer tipo de apoio", afirmou. Na gravação, Silvio Roberto, um amigo de longa data do prefeito, negociou a transferência do valor. Segundo o prefeito, Silvio lhe garantiu posteriormente que não recebeu esses recursos e disse que, se for preciso, está pronto para testemunhar. Raul Filho disse que o show do cantor Amado Batista, durante um comício de campanha, não foi pago por Cachoeira, conforme sugestão feita pelo contraventor na gravação. Segundo ele, o show foi pago por uma empresa de Araguaína (TO), da qual não se recorda o nome. O prefeito disse que mostrou a Cachoeira uma pesquisa de intenção de voto que o apontava bem colocado para tentar "estimular o empresário a ajudar". Ele reconheceu que tentou criar uma "falsa expectativa" para fazer Cachoeira contribuir com a campanha. O prefeito de Palmas afirmou que esteve duas vezes com Cachoeira. A última foi no dia da gravação, no ano de 2004, realizada em Anápolis (GO). A anterior ocorreu em 1994, em Goiânia (GO), quando foi apresentado a Cachoeira por um colega que era candidato a deputado. O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) foi duro com a postura adotada pelo prefeito petista na CPI. "Deslocar-se, reunir com um contraventor que na época se dizia empresário, ele (Cachoeira) diz que vai ajudar, o senhor oferece facilidades no governo e aí não lembra que ele ajudou. Sou obrigado a achar que ele contribuiu com caixa dois", afirmou. Pouco antes, o secretário de Desenvolvimento Social da prefeitura de Palmas, Robledo Suarte, foi retirado da comissão. Durante a reunião, Suarte questionou o fato de o líder do PPS, Rubens Bueno (PR), ter dito no início da reunião que não tinha visto o vídeo, mas, depois, ter feito perguntas com base nele. Após protesto dos oposicionistas da CPI, o vice-presidente, deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), sugeriu a saída de Suarte. O relator da CPI do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), afirmou que o depoimento do prefeito de Palmas, o correligionário Raul Filho, nesta terça-feira, "não convenceu", o que levará a comissão a aprofundar as investigações. Segundo Cunha, Raul Filho não foi "firme" nas suas declarações, contradizendo-se várias vezes durante o encontro. "O depoimento não convence e impõe que a investigação continue sendo feita na medida em que os elementos e os indícios são muito contundentes. Há contradições no depoimento do prefeito que impõem que a investigação prossiga", afirmou o relator. O momento mais delicado do depoimento ocorreu quando Raul Filho admitiu que uma assessora parlamentar da primeira-dama de Palmas, a deputada estadual Solange Duailibe (PT), recebeu um depósito de R$ 120 mil feito pela Delta Construções. Ligada a Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, a empreiteira mantém contrato de lixo com a prefeitura de Palmas desde 2005. O prefeito de Palmas, que não contou com nenhuma manifestação de apoio dos petistas durante a reunião, também deixou sem respostas ou prestou esclarecimentos evasivos a várias perguntas sobre a atuação de Cachoeira e da Delta no Estado. O relator da CPI lembrou o fato de uma cunhada do prefeito, Kênia Duailibe, ter sido a presidente da Comissão de Licitação responsável pela contratação da empreiteira. "Quando você investiga uma organização criminosa, você busca estabelecer vínculos e os vínculos sociais são elementos que formam a investigação. É um vínculo e um elemento importante", disse ele. Para Cunha, o "mais revelador" é o fato de haver um padrão de atuação da organização criminosa comandada por Cachoeira, que "financia campanhas eleitorais em troca de benefícios contratuais".

Casos de gripe A no Sul passam de 1.300

O avanço no número de casos de gripe A nos Estados da região Sul levou a uma mudança de estratégia na prevenção e combate ao vírus. Ao invés de focar apenas na vacinação, secretarias de Saúde dos três Estados disseminam orientação para que a gripe não seja tratada em casa, levando os pacientes a tomarem, o mais rápido possível, o antiviral adequado para o vírus H1N1, o Oseltamivir, conhecido com o nome comercial de Tamiflu. Segundo o Ministério da Saúde, esse protocolo existe desde o final do ano passado, mas o aumento de número de casos da gripe A fez com que as secretarias agilizassem mais recentemente a distribuição do medicamento nas unidades de atendimento. Além disso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) soltou nesta terça-feira uma notificação dispensando o uso de receita controlada para a administração do antiviral Tamiflu. Agora, para comprar a medicação ou retirá-la no posto de saúde, as pessoas só precisam apresentar uma receita simples do médico. Isso deve facilitar ainda mais o tratamento de pessoas gripadas. Ao todo, os três Estados somam 1.333 casos diagnosticados, com 84 mortes. Santa Catarina apresenta o maior número de doentes, com 600 casos confirmados e 47 mortes em decorrência da gripe A. Na segunda-feira, a secretaria de saúde gaúcha informou que o Estado soma 23 mortes pela doença. Os dados globais mais recentes do Ministério da Saúde sobre a doença em 2012 são de 3 de julho e apontam 1.099 pessoas contaminadas, com 110 mortes.

Porto de Paranaguá tem movimentação recorde de soja no ano

O Porto de Paranaguá, no Paraná, movimentou 5 milhões de toneladas de soja de janeiro a junho de 2012, aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado. O número superou o recorde anterior, de 4,1 milhões de toneladas, registrado em igual período de 2003. O desempenho faz parte do relatório de movimentação de cargas do primeiro semestre da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). O desempenho da soja foi o maior responsável pelo aumento geral de 5% ante o primeiro semestre de 2011. No período, circularam pelo porto mais de 20,7 milhões de toneladas de cargas. Desse total, mais de 14,6 milhões são de granéis sólidos. E o maior volume, superior a 5 milhões, refere-se à soja exportada. As exportações de soja, recordes desde o início do ano, foram impulsionadas pelos preços altos, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento.

Governo federal anuncia medidas de combate à crise da suinocultura

O governo federal vai anunciar nesta quinta-feira medidas de socorro aos suinocultores que sofrem com a crise no setor. Alguns pontos foram adiantados nesta terça-feira. Em reunião com parlamentares em Brasília, o ministro da agricultura, Mendes Ribeiro Filho, antecipou três medidas para ajudar os suinocultores. A primeira é uma linha especial de crédito, em que supermercados, frigoríficos, cooperativas e agroindústrias vão poder antecipar a compra de suínos para as festas de final de ano com juros de 5,5% ao ano. Também foi anunciado que o governo vai pagar R$ 0,40 por quilo de carne para os criadores, por meio do Prêmio para Escoamento do Produto (PEC). O último ponto anunciado foi o rolamento de dívidas, as parcelas de custeio ficam para janeiro de 2013 e as de investimento, para a data do vencimento. Foi confirmada liberação de R$ 200 milhões para reter o excesso do produto no mercado interno.

Russos chegam ao Brasil dia 23 para verificar frigoríficos

Mais uma missão veterinária do serviço sanitário russo, o Rosselkhoznadzor, chega ao Brasil no próximo dia 23 para, durante duas semanas, vistoriar as condições sanitárias de estabelecimentos exportadores de carnes. A última missão esteve no País entre o final de novembro e início de dezembro do ano passado, quando havia grande expectativa sobre a retirada do embargo imposto desde junho de 2011 às importações de carnes do Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso. A vinda da missão foi confirmada pelo secretário de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI), do Ministério da Agricultura, Célio Porto, que na semana passada se reuniu com dirigentes russos em Moscou. Segundo Porto, na audiência com o vice-ministro da Agricultura da Rússia, Ilya Shestakov, o governo russo solicitou detalhamento sobre o pleito de concessão de cota de exportação de trigo, com tarifa zero, para o Brasil. A tarifa atual do trigo é de 10% para o produto fora do Mercosul. Por meio de nota, o Ministério da Agricultura informa que na reunião com o chefe do Rosselkhoznadzor, Sergey Dankvert, o secretário brasileiro disse que "ele reconheceu que houve avanços do serviço veterinário tanto na fiscalização quanto na adequação das empresas exportadoras brasileiras às normas sanitárias daquele país".

ETH anuncia investimento de R$ 600 milhões para extensão de canaviais

Após finalizar seu primeiro ciclo de investimentos no País, de R$ 8 bilhões, e a implantação de nove usinas sucroalcooleiras, a ETH Bioenergia anunciou a expansão de canaviais para atender às expectativas de crescimento no setor. Ela fará investimento de R$ 600 milhões na área agrícola, de um montante de R$ 1 bilhão, para cultivar 115 mil novos hectares de cana-de-açúcar. Com isso, chega a 400 mil hectares plantados em áreas próximas aos pólos agroindustriais. Vinculada à Odebrecht, a empresa atua na produção e comercialização de etanol, energia elétrica e açúcar. 'Nesses cinco anos, a ETH consolidou-se como um dos players que mais investe e emprega do setor de bioenergia brasileiro. Estamos otimistas e continuaremos oferecendo ao Brasil a melhor alternativa em energia limpa renovável', garante Luiz de Mendonça, presidente da ETH Bioenergia. A ETH tem capacidade para processar 40 milhões toneladas de cana por safra, gerando 3 bilhões de litros de etanol, 700 toneladas de açúcar e 2.700 Gwh de energia.

Eike Batista assina contrato com Neymar

O atacante Neymar, do Santos, assinou contrato com a IMX de Eike Batista. A agência de gestão esportiva vai trabalhar na gestão da carreira e no gerenciamento da imagem do atleta. A joint-venture de esportes e entretenimento entre o Grupo EBX e a IMG Worlwide, vai atuar através de seu braço de gestão de talentos IMX Talent. Com o contrato, cujo valor não foi divulgado, a IMX será a segunda agência a trabalhar na captação de patrocínios para o jogador, que já tem contrato com a 9ine do ex-jogador Ronaldo Nazário. Atualmente, Neymar é patrocinado por Nike, Panasonic, Ambev, Claro e Santander, entre outras. A IMX afirmou em nota que o contrato prevê a possibilidade de negócios internacionais, que seriam gerenciados pela IMG Worldwide.

Temendo Gripe A, escolas orientam pais a deixarem filhos em casa no Rio Grande do Sul

A uma semana do início das férias escolares, o Colégio Farroupilha, um dos mais tradicionais de Porto Alegre, emitiu comunicado orientando pais e responsáveis a deixarem os estudantes em casa. A preocupação é com a disseminação da Gripe A (H1N1), já que a previsão para a semana é de frio intenso e umidade, ambiente propício para a circulação do vírus. A mesma medida foi adotada pelo Colégio Kennedy. O Farroupilha garantiu que a ação é puramente preventiva, pois não houve registro de aluno com suspeita da doença. No site do colégio Kennedy, há um comunicado informando a antecipação das férias, destacando que também não houve registro de aluno doente. A escola garante que seguirá "aberta para atender os alunos da Educação Infantil, Turno Integral e Intermediário 1 (8h), desde que não apresentem nenhum sintoma de gripe ou problemas respiratórios". Desde o surto de Gripe A em 2009, as escolas do Rio Grande do Sul têm adotado medidas de prevenção.

Empresa do Pará é condenada por desvio de R$ 3 milhões da Sudam

A empresa Agropalmi Indústria e Empreendimentos e mais cinco pessoas foram condenadas nesta terça-feira, pela Justiça Federal em Altamira (PA), a devolver R$ 3,1 milhões aos cofres públicos. De acordo com a ação, a verba foi desviada da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) em 1999 e 2000. Além da empresa, foram condenados Wanderlan de Oliveira Cruz, Otair Linhares Mateus, Marly Mendes do Santos Mateus, Maria Auxiliadora Barra Martins e Pedro Andrade Ribeiro. Na ação, de 2006, o Ministério Público Federal relata que a Agropalmi foi uma das participantes do esquema de fraudes em série na Sudam. De acordo com o Ministério Público Federal, em vez de aplicar recursos próprios em contrapartida a um empréstimo, as empresas fraudadoras depositavam nas contas recursos emprestados de outras empresas, apenas para conseguir receber o dinheiro público. Em seguida, os recursos emprestados eram repassados a outro grupo, que recomeçava o ciclo de fraudes. Também foram descobertas fraudes em notas fiscais, recibos, contratos, declarações prestadas e emissão de cheques. O projeto de financiamento para a Agropalmi foi aprovado em 1998, para apoio às atividades de extração e industrialização de palmito, mas nunca saiu do papel. Um ano depois, a empresa recebeu R$ 670 mil e, em 2000, foram RS 2,5 milhões. "Existem, nos autos, provas contundentes de que os réus apresentaram notas fiscais frias, bem como que emitiram cheques em nome da empresa ré não condizentes com os efetivos gastos do empreendimento", registrou a juíza federal Carina Cátia Bastos de Senna. Entre as provas apresentadas contra o grupo, a sentença destaca casos em que os fraudadores, na tentativa de forjar investimentos feitos pela empresa, emitiam cheques para eles mesmos.

Lugo causou muitos danos à Igreja, diz bispo paraguaio

O ex-presidente paraguaio, o esquerdopata bispo "pegador" priápico Fernando Lugo, causou muitos danos à Igreja Católica, disse nesta terça-feira o bispo do departamento de Alto Paraná (leste do Paraguai), monsenhor Rogelio Livieres, depois de ter se reunido com o presidente Federico Franco no Palácio de governo. "Lugo causou muitos danos à religião, à Igreja e à sociedade", declarou a jornalistas o prelado, que evitou comentar a conversa que teve com o chefe de Estado. Livieres acusou o ex-mandatário paraguaio de politizar as paróquias católicas e de arrastar freiras e padres para seu projeto político. "Com a organização do governo e a ajuda de padres, tirava os meninos das capelas e das paróquias para ir à Venezuela para serem doutrinados por 15 dias", ressaltou. Ele comentou que viagens semelhantes foram feitas a Cuba. Acrescentou que "as capelas e paróquias se transformaram em comitês políticos de Lugo. Tínhamos que andar patrulhando para que não fossem organizados atos políticos", relatou. "Graças a Deus, isso acabou", disse. O ex-presidente Lugo foi bispo católico do departamento de San Pedro até 2004. Dois anos depois, anunciou a sua entrada no mundo da política e, em 2008, foi eleito presidente do Paraguai pela coalizão Aliança Patriótica pela Mudança. No dia 22 de junho, ele foi destituído por um julgamento político do Congresso "por mau desempenho de suas funções".

Votação do Marco Civil da Internet é adiada para quarta-feira

A reunião da comissão especial criada para analisar o projeto de lei do Marco Civil da Internet (PL 2126/11) foi adiada para esta quarta-feira, às 14h30. Os parlamentares devem votar o substitutivo do relator, deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ), que deixa mais explícitos os direitos dos internautas já estabelecidos na proposta original do governo. A proposta é uma espécie de constituição da internet, com princípios que devem nortear o uso da rede no Brasil e envolve os direitos e deveres de usuários, provedores e poder público. O Marco Civil da Internet tramita junto com outros 37 projetos, mas o relator da proposta optou tomar a proposta do Executivo como base. O texto do Marco Civil da Internet é resultado de audiências públicas realizadas em seis capitais, além de Brasília, em que o relator da proposta ouviu pessoalmente 62 pessoas, representantes de 60 instituições e da academia.

Deputados vão ao Supremo contra liberação de depoentes com habeas

Um procedimento padrão da CPI mista do Cachoeira vai ser analisado pelo Supremo Tribunal Federal. Os deputados Onyx Lorenzoni (DEM-RS) e Rubens Bueno (PPS-PR) entraram com um mandado de segurança no Supremo pedindo que não sejam liberados os depoentes que tiverem obtido na Justiça, por meio de habeas-corpus, o direito de permanecer em silêncio durante os depoimentos. O rito foi colocado em votação na semana passada e a comissão decidiu manter, por 25 votos a oito, a liberação das testemunhas com habeas-corpus. Lorenzoni chegou a contestar o resultado alegando que a prática vai contra o direito parlamentar de fazer perguntas, e que, segundo o Código Penal, uma testemunha não pode se omitir quando convocada a depor. Porém, o deputado não conseguiu reverter o resultado na comissão e, por isso, agora, a palavra final sobre o assunto será dada pelo Judiciário. Diversas testemunhas entraram com habeas-corpus no Supremo e obtiveram garantia de não serem presos ao exercer o direito de permanecer em silêncio para não se autoincriminar. Diante disso, muitos integrantes da comissão vinham defendendo que as perguntas fossem feitas mesmo assim e que os convocados dissessem a cada pergunta se iriam responder ou não.

Assembléia gaúcha decide divulgar salários de funcionários, mas escondendo os nomes

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul decidiu nesta terça-feira divulgar os salários dos funcionários da Casa em sua página na internet. A folha de pagamento referente ao mês de julho deve ser publicada no final deste mês. Na reunião, ficou decidido que os vencimentos, com vantagens e descontos, serão vinculados a códigos, e não ao nome do servidor. Ou seja, inviabiliza totalmente o que é um direito constitucional de qualquer cidadão, que é fiscalizar os gastos públicos.

Professores de universidades federais de Porto Alegre declaram greve imediata

O Sindicato dos Professores das Instituições Federais de Ensino Superior de Porto Alegre (Adufrgs) decretou greve imediata e por tempo indeterminado em assembléia realizada nesta terça-feira. O sindicato representa a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), a Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e os campi Porto Alegre e Restinga do Instituto Federal do Rio Grande do Sul. Segundo Maria Luiza Von Holleben, presidente da Adufrgs, a assembleia contou com a presença de 251 professores. Não houve contagem de votos, mas a greve foi aprovada por ampla maioria. Na semana passada, o sindicato divulgou o resultado de um plebiscito eletrônico em que mais de 50% do total de 1003 docentes aprovaram a greve imediata. Em junho, um outro plebiscito mostrou que os professores rejeitavam a greve imediata.

Justiça suspende nomeação da primeira-dama do Piauí no Tribunal de Contas do Estado

A Justiça Federal determinou nesta terça-feira o afastamento da primeira-dama do Piauí, Lilian de Almeida Veloso Nunes Martins, do cargo de conselheira do Tribunal de Contas do Estado. Lilian Martins disputou o cargo em abril deste ano com 14 nomes e em votação polêmica na Assembleia Legislativa do Piauí foi eleita com 25 votos dos 29 deputados presentes na sessão. A ação foi ajuizada pela OAB. A juíza Marina Rocha Cavalcanti Barros Mendes, da 5ª Vara Federal, acatou o pedido da Ordem que considerou ilegal a nomeação. Segundo a OAB, a nomeação de Lilian Martins fere o princípio de impessoalidade e moralidade. "A nomeação da primeira-dama do Estado para cargo que tem, entre suas atribuições, exercer a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial do Estado, enfraquece o poder de fiscalização do poder legislativo", diz a liminar. Lilian Martins, 55 anos, é deputada estadual pelo PSB e foi Secretaria da Saúde do Estado no governo de seu marido, o governador Wilson Martins (PSB).

Fazenda de Daniel Dantas é ocupada por manifestantes para pressionar Incra

A Fazenda Itacaiúnas, da Agro Santa Bárbara, pertencente ao Grupo Opportunitty e ligado ao banqueiro Daniel Dantas, foi invadida na segunda-feira por aproximadamente 400 militantes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri) no Pará. O objetivo da ação é exigir que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) cumpra com os acordos estabelidos com os trabalhadores. O secretário-geral da Fetagri no estado, Francisco de Assis Soledade, afirmou que a ocupação, coordenada pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Marabá, tem por objetivo pressionar o Incra a desapropriar a área para fins de assentamento rural: "O Incra vem fazendo compromisso em torno dessa área e não vem cumprindo. O Incra prometeu que a área estaria desapropriada em julho deste ano, prometeu assentar as famílias, mas só protela o acordo. Agora o pessoal resolveu fazer uma ação mais dura na área. Esperamos que o Incra resolva a situação junto ao proprietário". Segundo o secretário, o grupo já está se organizando para começar o plantio na terra. Os 10 mil hectares da fazenda estão sob controle dos militantes, que ameaçam destruir as moradias e proibiram a entrada ou saída dos funcionários do local. A Fazenda Itacaiúnas é uma das várias propriedades do grupo alvo da ação de movimentos terroristas, que reivindicam a desapropriação das áreas para reforma agrária.

Odebrecht ganha licença para construir linha de transmissão no Rio Grande do Sul

A Odebrecht Energia recebeu, da Fepam, licença prévia para construir uma linha de transmissão que ligará o complexo eólico Corredor do Senandes ao sistema elétrico brasileiro. O empreendimento fica em Rio Grande e contempla quatro parques eólicos, que devem começar a ser construídos neste semestre para operar em 2013. A linha terá 48 quilômetros de extensão e vai conectar o complexo a uma subestação da CEEE.

Câmara da Igreja Episcopal aprova casamento gay

A Câmara dos Bispos da Igreja Episcopal dos Estados Unidos aprovou nesta segunda-feira a realização de cerimônias de benção para casais do mesmo sexo. A medida deve passar agora pelo Câmara dos Vices, antes de ser adotada pela denominação americana. Na Convenção Geral Episcopal, em Indianápolis, o casamento de casais do mesmo sexo recebeu 111 votos a favor e 41 contra, além de três abstenções. A aprovação tem prazo de três anos, quando deve ser revisada. A expectativa é que seja aprovado também na Câmara dos Vices, transformando a Episcopal na primeira denominação de grande porte dos Estados Unidos a aceitar este tipo de cerimônia. Os líderes da igreja aprovaram ainda a expansão da linguagem antidiscriminação usada pelos episcopais para incluir transgêneros. A mudança diz que a igreja não pode negar postos clericais a transgêneros por causa de sua identidade de gênero. Algumas denominações religiosas menores nos Estados Unidos já realizam matrimônio de casais do mesmo sexo, como a Igreja Universalista Unitária.

Brasil ocupa 31ª posição em ranking global de alimentos

Um estudo divulgado pelas consultorias Dupont e Economist Intelligence Unit nesta terça-feira mostrou que o Brasil ocupa a 31ª colocação em um índice que mostra a acessibilidade, disponibilidade, qualidade e segurança dos alimentos em 105 países. O País alcançou 67,6 pontos de um total de 100; resultado classificado como "médio alto". De acordo com o estudo, o Brasil possui bons resultados em políticas para segurança alimentar e padrões nutricionais, qualidade da produção agrícola, proporção da população abaixo da linha da pobreza, tarifas de importação, consumo de alimentos como parte dos gastos domésticos, diversificação da dieta e acesso e fornecimento ao financiamento agrícola - fazendo com que o País ocupasse a terceira colocação entre os países da América Latina. Porém, mesmo com os pontos positivos, o Brasil ainda fica atrás dos líderes Estados Unidos (89,5), Dinamarca (88,1) e Noruega (88); além dos latinos Chile (68,9) e México (67,7). A pesquisa classificou como moderados os riscos do Brasil na estabilidade política, investimentos públicos em pesquisas na área e disponibilidade de micronutrientes.

Petrobras sobe 11 posições no ranking da Fortune

Entre as 500 maiores empresas do mundo o Brasil tem oito representantes, segundo a lista divulgada pela revista Fortune. Entre as que estão em maior destaque, a Petrobras aparece em 23ª posição com uma receita anual de US$ 149,9 bilhões. A estatal brasileira subiu 11 posições em relação à colocação de 2010 para 2011. Além da Petrobras, compõem o ranking dois bancos. Banco do Brasil, em 88º lugar, com US$ 81,9 bilhões; e Bradesco, em 136º lugar, com US$ 65,1 bilhões. A Itaúsa, holding que controla o Itaú, aparece em 311º lugar, com 34,7 bilhões de receita. As outras empresas citadas pela revista são Vale (159º lugar), JBS (286ª colocação), Ultrapar (em 380º) e Grupo Pão de Açúcar (399ª empresa no ranking). As três primeiras da lista são a Shell, a Exxon Mobli e a Wal-Mart. Os Estados Unidos têm 132 empresas na lista das maiores, e a China, 73.

Aneel propõe leilão com linhas para Belo Monte

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apresentou nesta terça-feira minuta de edital para um novo leilão de linhas de transmissão que contemplará, entre os lotes ofertados, instalações que ajudarão a escoar a energia da usina de Belo Monte, que está sendo construída no Pará. Segundo o relator Julião Coelho, dos oito lotes a serem ofertados neste leilão, dois servirão para transmitir a energia produzida pela hidrelétrica de 11,2 mil megawatts (MW). A Aneel ainda não definiu a data da licitação. Coelho informou, durante seu voto, que o investimento para os dois lotes destinados à transmissão de Belo Monte é estimado em cerca de 2,8 bilhões de reais. As linhas a serem licitadas passarão pelos Estados de Tocantins, Piauí, Bahia, São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Norte, Goiás e Acre.

Boeing fornecerá armamento para Super Tucano da Embraer

A norte-americana Boeing vai fornecer novos sistemas de armamento para o avião de combate leve Super Tucano, da Embraer, fortalecendo a posição da fabricante brasileira em uma licitação promovida pela Força Aérea dos Estados Unidos. O novo sistema de armamentos oferecerá um maior alcance inteligente de bombas guiadas por laser e GPS, e atenderão a futuras demandas de clientes, disseram as companhias em comunicado conjunto nesta terça-feira. O acordo reforça a oferta da Embraer em uma licitação de um contrato da Força Aérea norte-americana fortemente contestado no início deste ano. A licitação para compra de 20 aviões de combate leve para missões de contrainsurgência no Afeganistão tinha sido vencida pela Embraer, mas foi cancelada e reiniciada. "Essa integração amplia o conteúdo da proposta apresentada à Força Aérea dos Estados Unidos, oferecendo recursos que atendem não apenas aos requisitos do programa LAS (Light Air Support), ou Apoio Aéreo Leve, mas que os superam de forma significativa", disse a Embraer. O contrato com a Força Aérea dos Estados Unidos representaria a entrada da Embraer no importante mercado de Defesa norte-americano, que tem o maior orçamento do mundo. Inicialmente, o negócio é estimado em 355 milhões de dólares. A Embraer e sua parceria norte-americana Sierra Nevada venceram a disputa em uma rodada anterior de licitação, mas que foi cancelada após uma ação judicial da concorrente Hawker Beechcraft. A frota de Super Tucano já acumulou mais de 157 mil horas de vôo, incluindo 23 mil horas de combate. A aeronave está certificada para mais de 130 configurações de armamento e já foi selecionada por 10 clientes em três continentes.

OEA não deve suspender o Paraguai, diz Insulza

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, disse nesta terça-feira que é contra suspender o Paraguai e propôs o envio imediato de uma missão para supervisionar os preparativos das eleições que devem acontecer em abril. A postura da OEA contrasta com a do Mercosul, que suspendeu o país temporariamente por causa do impeachment do presidente Fernando Lugo. "Não esqueçamos que existe uma situação de normalidade política, social e política que queremos preservar", afirmou Insulza durante uma sessão extraordinária do Conselho Permanente da organização. Para ele, uma suspensão "não contribuiria para alcançar nossos objetivos. Já incrementar a presença efetiva dos órgãos da OEA evitaria o crescimento das divisões na sociedade e no sistema político.

Viúva de Arafat abrirá processo para investigar morte do marido

A viúva de Yasser Arafat vai entrar com um processo judicial na França pela inexplicável morte do líder palestino oito anos atrás, depois de uma reportagem sugerir que ele pode ter sido envenenado, disse seu advogado nesta terça-feira. Desde a morte de Arafat, em novembro de 2004, médicos franceses que trataram dele em seus últimos dias disseram não conseguiram estabelecer a causa do óbito. A controvérsia foi reacendida por uma reportagem da Al Jazeera na semana passada em que o Instituto de Rafiofísica Suíço afirmou ter encontrado níveis "surpreendentemente" elevados de polônio-210 nas roupas de Arafat - a mesma substância usada para matar o ex-espião russo Alexander Litvinenko em Londres, em 2006. O instituto suíço disse, no entanto, que os sintomas descritos em relatórios médicos do presidente palestino não eram consistentes com o agente radioativo. "Madame Arafat espera que as autoridades sejam capazes de estabelecer as circunstâncias exatas da morte do marido e descobrir a verdade, para que a justiça possa ser feita", declarou o advogado Pierre-Olivier Sud em um comunicado. A natureza exata da reclamação legal da viúva de Arafat, Suha, de 48 anos, ainda não foi determinada, mas espera-se que seja apresentada antes do final deste mês, disse o advogado. O processo seria aberto contra uma pessoa ou pessoas desconhecidas, explicou o advogado no comunicado. A Autoridade Palestina concordou na semana passada com um pedido de Suha Arafat - que vive em Malta e na França - para exumar o corpo do marido de um mausoléu de pedra calcária na cidade de Ramallah, na Cisjordânia, para uma autópsia.

Crise econômica vai pesar em negociação do governo com servidores em greve, diz Mercadante

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse nesta terça-feira que a “grave crise econômica internacional” vai impor ao governo federal a definição de prioridades nas negociações salariais com servidores públicos que estão em greve. Entre essas prioridades, Mercadante destacou que a educação é uma delas, como a estruturação das carreiras dos docentes universitários. Mercadante participou de audiência pública na Comissão de Educação do Senado para debater as políticas implementadas pelo governo na área. Segundo ele, ao contrário dos países desenvolvidos da Europa onde está na pauta o debate de redução de direitos, desemprego e cortes salariais,a situação é inversa no Brasil. “O governo conseguiu ajustar taxa de câmbio, reduziu fortemente a taxa de juros, fez uma política agressiva de compras públicas”, ressaltou o ministro. Ele frisou, no entanto, que o Executivo precisa de tempo para analisar a evolução da crise econômica mundial e saber quais as possibilidades concretas que o orçamento de 2013 terá para contemplar as demandas do conjunto dos servidores. Dos três pontos acordados em 2011 entre o MEC e as entidades representativas dos professores universitários, dois foram cumpridos com o reajuste salarial de 4% e a incorporação das gratificações aos salários, segundo o ministro Aloizio Mercadante. Ambos são retroativos a março deste ano. O ministro considera importante estender algum tipo de benefício aos técnicos administrativos das universidades públicas que tome por base a certificação e a titulação.

Rússia envia flotilha para porto sírio

A Rússia enviou uma flotilha com navios de guerra, liderada por uma destroier antissubmarino para sua base naval no porto sírio de Tartus, informou a agência de notícias russa Interfax nesta terça-feira. O navio almirante Chabanenko e três embarcações de desembarque deixaram o porto de Severomorsk, no Círculo Polar Ártico, com destino ao Mediterrâneo, onde vão se juntar ao navio de patrulha russo Yaroslav Mudry.

ANS suspende comercialização de 268 planos

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) suspendeu a comercialização de 268 planos de saúde de 37 operadoras por não terem cumprido os prazos mínimos de atendimento. A medida não afeta os beneficiários desses planos, cerca de 3,5 milhões de pessoas. "A ANS está proibindo que esses planos possam ser vendidos enquanto a operadora não prestar atendimento adequado àqueles que já os possuem. Não prejudica o beneficiário, pelo contrário, protege essas pessoas", disse o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Os planos são avaliados a cada três meses, de acordo com o cumprimento dos prazos de atendimento. Os que tiveram a comercialização suspensa foram mal avaliados duas vezes. A comercialização desses produtos fica suspensa a partir do dia 13. Se os planos insistirem na venda, poderão ser multados em R$ 250 mil. De acordo com o diretor geral da ANS, Mauricio Ceschin, "houve atrasos em consultas, exames, no atendimento corriqueiro", afirmou.

A um dia do julgamento, Demóstenes volta ao plenário

No sétimo discurso que faz em plenário, o senador Demóstenes Torres (ex-DEM, sem partido-GO) afirmou que resistiu ao que considera "campanha de demolição" de sua honra. A um dia do julgamento no qual poderá ser cassado por usar o mandato na defesa dos interesses do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Demóstenes disse que chega ao julgamento com a "cabeça erguida", convicto de que será absolvido. "Não há um cálculo preciso, mas estima-se que a campanha de demolição da minha honra tenha produzido até agora 3 milhões de textos dos mais diversos tamanhos e graus de agressividade", disse ele. "Mas eu resisti e chego à véspera da votação com a cabeça erguida e a convicção de que a verdade prevalecerá". No pronunciamento, Demóstenes disse que ultrapassou "uma a uma" todas as barreiras das provas ilegais a partir dos vazamentos criminosos contra ele. O discurso foi o mais curto da série, de apenas 10 minutos, para uma plateia de apenas 10 senadores. Demóstenes disse que nada do que foi dito por ele no pronunciamento do dia 6 de março foi comprovado. Na ocasião, ele admitiu ser amigo de Cachoeira, mas negou ter negócios com o contraventor.

Petistas pedem presença de ministros em campanhas

Em uma reunião que durou cerca de duas horas, deputados do PT pediram à ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, que os ministros do partido sejam convocados para participar das campanhas nas eleições municipais. A participação se daria nos fins de semana ou fora do horário de expediente. A ministra ficou de conversar com os colegas e, após o encontro nesta terça-feira, já tirou fotos com alguns deputados candidatos. "A melhor forma de os ministros ajudarem no projeto do PT é participando das campanhas eleitorais nos finais de semana", defendeu o vice-líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE). "A gente faz campanha para os colegas e os ministros também têm de fazer nos sábados e domingos", disse a deputada Benedita da Silva (PT-RJ).

Embaixador paraguaio na OEA diz que Brasil é "como um elefante em loja de cristal"

A decisão da Secretaria Geral da OEA (Organização dos Estados Americanos) de não adotar retaliações contra o Paraguai pela deposição do ex-presidente, o b Fernando Lugo, no dia 22 de junho, deixou um diplomata de sorriso no rosto, o representante paraguaio na entidade, Bernardino Hugo Saguier Caballero. O bispo esquerdopata priápico Fernando Lugo, resultado da missão da OEA ao país, joga um balde de água fria na postura dos órgãos sul-americanos, o Mercosul e a Unasul, que suspenderam o Paraguai de seus quadros alegando "ruptura" política no país, sem que Assunção sequer estivesse presente à reunião onde a medida foi decidida. Analistas especulam se o isolamento político do Paraguai do Mercosul poderia levar o país a procurar alternativas de integração - inclusive uma maior relação com os Estados Unidos, um dos países por trás da decisão da OEA de não adotar sanções. Por ora, a avaliação dos analistas é que é difícil ver um futuro para o país longe de esquemas de integração com seus vizinhos. No entanto, o embaixador paraguaio disse que a decisão do bloco "feriu" o seu povo e amargou a relação do país com o Brasil. Durante a sessão da OEA, Hugo Saguier se mostrou particularmente ofendido quando o representante brasileiro no órgão, Breno Dias da Costa, disse que o colega paraguaio estava ali "por generosidade", indicando que fazia parte de um governo ilegítimo. Quando a OEA não seguiu a decisão do Mercosul, Hugo Saguier sentiu-se vingado: "Saibam medir as suas consequências, vocês são como um elefante metido dentro de uma cristaleira, quando se movem, quebram tudo".

Senadores mostram a Mercadante preocupação sobre livros didáticos e greve

A audiência pública promovida nesta terça-feira, pela comissão de Educação com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, foi aberta pelos próprios parlamentares. Por sugestão do presidente do colegiado, Roberto Requião (PMDB-PR), os integrantes da Comissão de Educação apresentaram ao ministro suas principais preocupações relativas ao tema, que incluem a distribuição de livros didáticos e a greve nas universidades. A senadora Kátia Abreu (PSD-TO), autora do requerimento para a realização da audiência, admitiu que o Programa Nacional do Livro Didático “avançou nos últimos anos”. Ela pediu, contudo, mais transparência na escolha dos livros, assim como a garantia de presença, nas comissões examinadoras, de profissionais com experiência em salas de aula. Numa reunião acompanhada por professores em greve, a senadora Ana Amélia (PP-RS) e os senadores Eduardo Suplicy (PT-SP) e Benedito de Lyra (PP-AL) defenderam a busca de uma solução para a greve dos professores das universidades federais, que já dura quase dois meses. Por sua vez, o senador Paulo Bauer (PSDB-SC) pediu a aprovação pelo Congresso Nacional de uma lei que regulamente o Programa Nacional do Livro Didático.

Técnico Maradona é demitido de time nos Emirados Árabes Unidos

O argentino Diego Maradona foi demitido do cargo de técnico do Al Wasl, dos Emirados Árabes, afirmou o clube após uma reunião da diretoria nesta terça-feira. O ex-jogador, de 51 anos, assinou em maio de 2011 um contrato para treinar o clube por dois anos, mas nesse período ele não conquistou nenhum título, e está na oitava colocação (de um total de 12 times) na liga local. Sob o comando de Maradona, o Al Wasl foi também derrotado na final da Liga dos Campeões do Golfo, contra o Al Muharraq (Barein), e na semifinal da Copa dos Emirados. Na Copa do Presidente, o time caiu na segunda fase. A demissão encerra mais um capítulo na modesta carreira de Maradona como técnico, em total contraste com seu sucesso como jogador.

Dilma promete apagar incêndios em aliança PT-PSB

A presidente Dilma Rousseff garantiu a duas das principais lideranças do PSB - os governadores de Pernambuco, Eduardo Campos, e do Ceará, Cid Gomes - que ela irá atuar para "apagar incêndios" nas eleições municipais de forma a manter a aliança nacional entre PT e PSB, que chamou de "estratégica". Dilma jantou com os governadores e poucos ministros no Palácio da Alvorada na noite de segunda-feira na tentativa de "clarear mal-entendidos", como relatou um dos presentes, e garantir que possíveis desentendimentos durante as eleições municipais de outubro não afetem seu governo, que tem no PSB um dos principais aliados. "Cabe à presidente garantir que rusgas locais não afetem o plano nacional", disse um dos presentes, no anonimato. Eduardo Campos, que é presidente do PSB, chancelou a quebra da aliança com o PT em Recife, o que evidenciou a crise com o partido de Dilma e do ex-presidente Lula, agravada pelo fim da aliança na chapa para prefeitura de Belo Horizonte. Os dois partidos estarão em lados opostos em seis capitais.

Alberto Kopittke, candidato a vereador preferido do Palácio Piratini, tem militar acusado de assédio sexual em sua campanha

O advogado petista Alberto Kopittke, ex-secretário de Segurança da prefeitura de Canoas, e também ex-dirigente da Secretaria Nacional de Segurança Pública, durante a gestão do peremptório Tarso Genro no Ministério da Justiça, é agora candidato a vereador em Porto Alegre, concorrendo pelo PT, e recebendo todo o apoio do Palácio Piratini. Ele tratou de arranhar logo o máximo de membros da Brigada Militar do Rio Grande do Sul para a sua campanha. E não pediu ficha limpa para ninguém. Um dos participantes ativos em sua campanha é o capitão bombeiro Isandré Antunes. Veja na foto o advogado petista Alberto Kopittke abraçado ao capitão Antunes. Isso aconteceu no jantar para lançamento de um livreto de campanha de Kopittke, ocorrido no dia 28 de junho, a partir das 19 horas, no Chalé da Praça XV, no centro de Porto Alegre. Este capitão Isandré Antunes estava na Força Nacional de Segurança, em Brasília, quando Alberto Kopittke era um dos chefões da área no governo Lula. O "livreto" lançado por Alberto Kopittke leva o título "A cidade pode vencer a violência". Kopittke se diz um defensor dos direitos humanos. Certamente, também dos direitos das mulheres, entre eles o direito de não sofrer assédio sexual. Mas, não parece muito exigente quanto às pessoas em sua campanha. Lá está o capitão Isandré Antunes. No dia 29 de novembro de 2009, o jornal Folha de S. Paulo publicou a seguinte matéria: "Capitão sofre acusação de assédio sexual - Uma investigação de assédio sexual envolvendo integrante da cúpula da Força Nacional de Segurança e sua mulher foi concluída no último dia 19 com o afastamento dos acusados, das supostas vítimas e do oficial que comandou a sindicância. O diretor substituto da Força Nacional de Segurança, major Luciano Carvalho de Souza, da PM do Rio, foi exonerado após concluir sindicância que acusou de assédio sexual o capitão Isandré Antunes, da Brigada Militar do RS, assessor de Recursos Humanos da Secretaria Nacional de Segurança (Senasp), do Ministério da Justiça. Antunes trabalhava no gabinete do secretário nacional de Segurança, Ricardo Balestreri. O capitão e a mulher, soldado Luciana Butke, foram acusados de assédio sexual pela soldado Rosilaine Souza, da PM do Tocantins, e pelo namorado, o tenente Carlos Palaoro, da PM do Espírito Santo. O assédio, segundo a sindicância, ocorreu entre março e maio, época em que Rosilaine sugeriu a transferência de Palaoro para Brasília, onde ela trabalhava, para integrar a Força Nacional. Como contrapartida, Luciana Butke sugeriu encontro sexual a três - ela e o marido com a policial. Segundo comunicação de Rosilaine à Força, a colega passou a pressioná-la, condicionando a transferência do namorado ao sexo a três. Rosilaine e Palaoro foram afastados da Força Nacional no dia 19. De acordo com a assessoria da Senasp, o capitão Antunes e Luciana também. Em e-mail de Luciana a Rosilaine e ao marido em 7 de maio, ela detalha intimidades do casal na noite anterior e diz que ele estava excitado imaginando ter relações com a soldado. Segundo a mensagem, "ele (capitão Antunes) falou que vai correndo buscar teu namorado e que traz ele nas costas e entrega ele no teu colo de presente, depois saímos para jantar na maior educação e respeito, como se nada tivesse acontecido (aliás ele falou que nem te conhece, só quer teu corpo emprestado hehehe)". Segundo Rosilaine afirmou na sindicância, iniciada em 30 de julho, a colega a incitava constantemente a fazer sexo com seu marido e dizia que outros oficiais poderiam "dificultar a mobilização" de seu namorado. "Continuei negando, mas minha vida se tornou um inferno", diz a soldado. Depois, Rosilaine afirmou ainda ter sido ameaçada de ser mandada embora da Força Nacional. "Fiquei desesperada, angustiada, injustiçada e chegava em casa e só chorava por não achar justo o que estavam fazendo comigo", disse Rosilaine na sindicância interna. A chefe da ouvidoria da Força, tenente Simone, relata no procedimento ter sido "verificado" que a soldado "estaria sendo vítima de assédio sexual e constrangimentos por parte do capitão Isandré Antunes, chefe da Seção de RH, e que estava sendo intermediado pela esposa do mesmo, soldado Luciana Butke". Em comunicação à Força Nacional que deu início à investigação, Palaoro diz que a namorada "sofreu assédio sexual e constrangimentos por parte da soldado PM RS Luciana, que intermediou as vontades e desejos do seu esposo, capitão PM RS Antunes". O tenente escreve ter orientado a namorada a procurar a corregedoria, mas diz que ela afirmava que a corda "quebraria para o lado mais fraco". Antunes é assessor e próximo do subsecretário nacional de Segurança, capitão Aragon. A sindicância instaurada pelo major pediu o afastamento de Antunes, ato concluído na quinta da semana passada. O major autor da sindicância, coordenador-geral de Treinamento e Capacitação da FNS, foi exonerado dois dias antes". Como seria possível que Kopittke não soubesse das proezas sexuais do capitão bombeiro Isandré Antunes enquanto estava no Ministério da Justiça? E como é possível que não tenha sabido depois, quando o assunto ganhou publicidade máxima, com a publicação das matérias pela imprensa do centro do País? No dia 28 de novembro de 2009, a Folha de S. Paulo publicou esta outra matéria: "ACUSAÇÃO DE ASSÉDIO - Capitão entra com mandado contra o seu afastamento - DA SUCURSAL DO RIO - O capitão Isandré Antunes, afastado da Força Nacional após sindicância em que foi acusado de assédio sexual, entrará segunda-feira com mandado de segurança na Justiça Federal pedindo a responsabilização da Força Nacional por vazamento de informação reservada sobre o caso. Ele também quer a suspensão do processo administrativo-disciplinar que resultou em sua saída da Secretaria Nacional de Segurança Pública. O oficial da Brigada Militar do Rio Grande do Sul desempenhava a função de assessor de Recursos Humanos da Senasp. Foi acusado de, por intermédio da mulher -a soldado Luciana Butke-, condicionar a ida do namorado da soldado Rosilaine Souza, tenente Carlos Palaoro, para a Força Nacional, à realização de sexo. A advogada do oficial, Daniela Almeida, informou que seu cliente não comentará o assunto e que a sindicância ainda não teve decisão definitiva. O advogado de Luciana Butke, Luiz Roberto Lobo, confirmou que a cliente foi "desmobilizada" pela Força Nacional, mas alega que o fato não tem relação com a sindicância. O advogado disse que a ampla defesa foi cerceada e houve quebra de sigilos indevida -refere-se a acesso a sistema interno de troca de mensagens. Segundo ele, a acusação contra Luciana não foi provada. Segundo Lobo, Rosilaine aparece em conversas nos autos sugerindo encontros com o casal em troca da contratação do namorado".

Governo estuda aumentar percentual do álcool na gasolina

O governo Dilma pretende aumentar o percentual do álcool na gasolina de 20% para 25% assim que a produção nacional de etanol superar os patamares atuais, disse o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, nesta segunda-feira. Lobão disse que se a produção se mantiver nos níveis verificados neste e no ano passado, não será possível ampliar o percentual de álcool na mistura. O ministro, no entanto, deu a entender que isso pode estar próximo de acontecer ao dizer que a mudança poderá ocorrer a qualquer momento. "Estamos mantendo os 20%, mas a qualquer momento poderemos voltar aos 25%. Se a produção de etanol continuar no patamar em que se encontra hoje, e que estava no ano passado, vamos mantê-la em 20%", disse Lobão. Em 1º de outubro do ano passado, o governo diminuiu a quantidade de álcool anidro na gasolina de 25% para 20% para garantir o abastecimento do combustível no País. À época, a mudança foi tomada para tentar evitar a falta de etanol no mercado e conter o preço do combustível, que havia aumentado muito nas últimas semanas. A Petrobras foi prejudicada com a medida, pois teve de importar mais gasolina do Exterior para garantir o consumo nacional. Com a volta ao patamar anterior, de 25% de álcool anidro na gasolina, a estatal será beneficiada. A companhia passaria a comprar menos combustível no Exterior para abastecer o mercado doméstico. Embora a Petrobras venha modernizando suas refinarias e construindo novas unidades para aumentar a oferta, a produção de combustíveis brasileira não é suficiente para atender a demanda do País. Assim, ela exporta petróleo bruto e importa derivados. Quando a empresa tem de comprar gasolina no Exterior, ela paga um preço mais alto que o praticado no País, e tem de arcar com o prejuízo, por não repassar o preço aos consumidores.

Volkswagen consegue R$ 342 milhões do BNDES para desenvolver carros no Brasil

A diretoria do BNDES aprovou financiamento de R$ 342 milhões para a Volkswagen do Brasil. Os recursos serão destinados ao desenvolvimento de um veículo subcompacto, de um sedã médio e à modernização (face lift) de outros modelos produzidos pela montadora no País. Os investimentos da Volkswagen apoiados pelo BNDES buscam aprimorar tecnologias já desenvolvidas em veículos lançados em outros países. É o caso da produção do modelo subcompacto, incluindo a nacionalização de suas peças, e do desenvolvimento do sedã médio. O lançamento de novos modelos no Brasil pela Volkswagen é coerente com a atual conjuntura automotiva mundial, uma vez que a maturação do mercado nos países desenvolvidos levou as montadoras a buscar novos mercados com potencial de crescimento. A modernização de outros modelos da Volkswagen prevê alterações estéticas na frente e traseira, acabamento interno e novos motores, em linha com o que será oferecido na Europa. Os recursos também serão aplicados no aprimoramento da engenharia e do design dos veículos, e em diferenciais que atendam às preferências do consumidor.

Embraer projeta vender US$ 315 bilhões em novos jatos até 2031

A Embraer espera vender 6,8 mil jatos comerciais, com um valor estimado em US$ 315 bilhões, até 2031. Segundo a empresa, a demanda por aeronaves em todo o mundo deve crescer anualmente 5% durante os próximos 20 anos. A companhia diz que 53% dos pedidos serão para substituir modelos antigos, enquanto os 47% restantes representarão o crescimento do mercado. "A frota mundial de jatos em operação com capacidade de 30 a 120 assentos aumentará de 4,15 mil aviões em 2011 para 7,4 mil em 2031", diz comunicado da Embraer. A maioria dos modelos, 3,8 mil, devem ter entre 91 e 120 cadeiras. Outros 2,6 mil pedidos viriam do segmento entre 61 e 90 assentos, e os 405 restantes, entre 30 a 60 lugares. A empresa diz que a maior parte das unidades seria entregue à América do Norte. São previstos 2,2 mil jatos para a região, ou 32% do total. Em seguida está a Europa e os países da antiga União Soviética, com 1,9 mil aeronaves (28%). Só a China deve receber mil novas unidades (15%). A Embraer prevê que o eixo comece a se concentrar, no futuro, a leste. "Em 2031, os maiores mercados do mundo serão a Ásia do Pacífico e a China, respondendo por 34% da receita de passageiro por quilômetro transportado mundial", diz a companhia. Europa e América do Norte responderiam por 21% cada uma. Segundo a companhia, o preço dos combustíveis já vem impactando o segmento de 30 a 60 assentos. A Embraer é líder de mercado com os E-Jets, que têm de 61 a 120 cadeiras, mas os aviões menores estão sendo menos procurados por conta dos gastos para abastecê-los e também das menores tarifas praticadas pelas companhias aéreas. "A categoria [dos E-Jets] continuará exercendo um papel importante ao conectar mercados de baixa e média densidade com grandes centros", diz a nota da empresa.

Bolívia decide processar "Veja" após ministro ser acusado por tráfico

O governo da Bolívia anunciou nesta segunda-feira que processará a revista brasileira "Veja" por injúria e difamação após a publicação acusar o ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, de envolvimento com um traficante de drogas brasileiro. "O governo anunciou a sua decisão de processar a revista Veja para que prove as afirmações contidas em um artigo que consideramos infamantes contra autoridades do governo", afirmou a ministra de Comunicação, Amanda Dávila. Ela atribuiu a reportagem a uma campanha "de um partido conservador brasileiro" a favor do senador Roger Pinto, que está abrigado na embaixada do Brasil em La Paz desde 29 de maio e teve o asilo político concedido por Brasília após alegar perseguição política pelo governo do índio cocaleiro Evo Morales. A nota da "Veja", publicada na edição desta semana da revista com o título de "A República da Cocaína", relaciona Quintana, cujo cargo é similar ao ministro-chefe da Casa Civil no Brasil, ao traficante de drogas brasileiro Maximiliano Dorado Munhoz Filho. Segundo a revista, o ministro e a diretora da Agência para o Desenvolvimento de Macrorregiões e Regiões Fronteiriças Amazônicas, Jessica Jordan, se reuniram com Dorado, em sua casa na cidade de Santa Cruz de La Sierra antes que o criminoso fosse preso no Brasil. A reportagem diz que os funcionários entraram na casa "com as mãos vazias" e saíram com duas maletas. A revista atribui a informação a supostos informes da polícia boliviana que teria sido dada por pessoas do governista Movimento ao Socialismo (MAS), aparentemente desiludidos pela distorção do processo político. Esse é o partido neotrotskista do índio cocaleiro Evo Morales. É um partido originário da organização terrorista argentina ERP (Exército Revolucionário Popular).

Goleiro Bruno confirma autoria de carta

Os advogados do goleiro Bruno Fernandes (do Flamengo) disseram nesta segunda-feira que ele confirmou a autencidade da carta divulgada pela revista "Veja" e explicaram o contexto em que ela foi escrita. Os defensores Rui Pimenta e Francisco Simim visitaram o jogador na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo eles, a carta representa o rompimento da amizade de Bruno com Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, se realmente ele tivesse envolvido com o desaparecimento de Eliza. No texto, é pedido também que Macarrão reconheça que é responsável pelo crime, afirmaram os advogados. A edição deste fim de semana da revista “Veja” divulgou o teor da carta escrita pelo goleiro Bruno no presídio para Macarrão. Os dois estão presos suspeitos de participação na morte de Eliza Samudio, ex-namorada do jogador. No texto, o jogador pede a Macarrão para usar o “plano B”, que, segundo a reportagem, seria assumir a culpa sozinho pela morte e isentar o goleiro de culpa. "O que o Bruno quis ressaltar é que assumir o "plano B" era uma obrigação do Macarrão, porque o Macarrão havia traído Bruno quando sumiu com a Eliza", justificou Pimenta. Segundo o advogado, Eliza foi morta sem o consentimento do jogador. Pimenta alega que a carta foi redigida em novembro do ano passado e veio a público com o final apagado, dando margem a distorções. Ele afirmou ao G1 que, no trecho final Bruno disse ter escrito: "Macarrão, você tem realmente que assumir este crime porque eu não posso pagar por sua traição. Eu não mandei você sumir com a Eliza", relatou. Segundo a reportagem da revista, o goleiro chega a pedir perdão ao amigo. "Maka, eu não sei como dizer isso, mas conversei muito com os nossos advogados e eles chegaram a uma conclusão devido aos últimos acontecimentos e descobertas sobre o processo e investigações. Nós conversamos muito e eles acham que a melhor forma para resolvermos isso é usando o plano B", diz o texto. "Eu, sinceramente, não pediria isso pra você, mas hoje não temos que pensar em nós somente! Temos uma grande responsabilidade que são nossas crianças, então, meu irmão, peço que pense nisso e do fundo do meu coração me perdoe, eu sempre fui e sempre serei homem com você”, diz a carta publicada pela "Veja". A delegada Alessandra Wilke disse ao G1, neste sábado (7), que a carta não consta do inquérito. A revista informa que obteve a carta "interceptada por um agente penitenciário". Para a delegada, o texto trata da mudança da estratégia da defesa do goleiro, que passou a assumir a morte de Eliza, mas nega envolvimento com o crime. Alessandra diz ver na defesa do goleiro uma intenção de que os outros réus assumam a culpa. "Todos estão unidos para livrar o Bruno", disse. O goleiro Bruno está detido na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Minas Gerais. Em maio, ele obteve liberdade condicional referente ao processo de cárcere privado e lesão corporal de Eliza, pelo qual o atleta foi condenado pela Justiça do Rio de Janeiro a quatro anos e seis meses de prisão. Mas, para deixar a prisão, o jogador ainda depende do julgamento de um pedido de habeas corpus pelo Supremo Tribunal Federal relacionado ao desaparecimento e morte da ex-amante. Em junho passado, o caso Eliza Samudio completou dois anos sem previsão de julgamento.

Advogados dos réus do mensalão vão ter acesso privilegiado ao Supremo Tribunal Federal

O Supremo Tribunal Federal vai dar acesso privilegiado aos advogados dos réus do Mensalão do PT durante o julgamento que vai ter início em 2 de agosto. Eles vão ter acesso prioritário ao plenário e assentos reservados. Cada um dos 38 réus do Mensalão do PT vai ter direito a um assento acrescido de mais três para os seus defensores. Com isso, vão ser destinados 152 dos 246 assentos do plenário apenas para os réus e seus advogados. A Secretaria-Geral da Presidência do Supremo informou que haverá prévio credenciamento dos acusados e defensores, na semana anterior ao julgamento. Eles vão ter crachás específicos para entrar no tribunal. Entre os dias 25 e 31 de julho serão disponibilizados aos réus e advogados uma cópia impressa do relatório da ação penal do Mensalão do PT, além de um folheto com as instruções definidas pelo Supremo para o julgamento. O Supremo marcou sessões diárias a partir de 2 de agosto apenas para ouvir a defesa dos réus do Mensalão do PT. Cada advogado vai ter uma hora para defender o seu cliente. A expectativa do tribunal é que a fase de ouvir os advogados dos réus termine até 14 de agosto. Após essa data, o Supremo vai iniciar a votação do processo, na qual pode absolver ou condenar os réus, e as sessões serão realizadas às segundas, quartas e quintas-feiras. A acusação será a primeira a se manifestar. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, vai ter cinco horas para apresentar as provas do Mensalão do PT logo após o início do julgamento, em 2 de agosto.

Justiça nega liminar para paralisar obras do PAC

A 21ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal negou liminar para paralisar 44 obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O entendimento é o de que a concessão “colocaria em risco projetos sociais do governo federal que visam beneficiar toda a coletividade” e “não teria o efeito de suspender a prática dos atos ilegais”. Além da paralisação das obras, o Ministério Público Federal e o Ministério Público Militar, autores da ação, haviam solicitado a anulação de convênios, com suspensão do repasse de verbas, em virtude de supostas fraudes nos acordos. A Advocacia-Geral da União, no entanto, alegou que as irregularidades mencionadas foram constatadas pelo próprio governo, por meio de apuração da Controladoria-Geral da União. Para sanar as fraudes, foram adotadas medidas no âmbito do controle interno, como a punição dos responsáveis, e encerrados todos os convênios questionados, celebrados entre 2004 e 2005. As unidades da AGU ressaltaram, ainda, que os projetos atualmente em execução fazem parte de parceria entre o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) e o Exército, sem qualquer participação das fundações de apoio, responsáveis pelas irregularidades anteriores. Segundo os advogados públicos, a parceria é responsável por 26 convênios, que tem como objetivo promover a manutenção das rodovias, sobretudo em lugares inóspitos. Os acordos também são usados para atuar em situações emergenciais, e a paralisação acarretaria sérios danos à coletividade, uma vez que inviabilizaria importantes projetos do governo não atingidos por causa das fraudes apontadas pelo Ministério Público Federal.