segunda-feira, 16 de abril de 2012

Ex-prefeito de Recife nega apoio a sucessor em disputa interna do PT

O deputado federal João Paulo (PT-PE) anunciou nesta segunda-feira que vai apoiar o secretário estadual de Governo, Maurício Rands, nas prévias do partido para a escolha do candidato a prefeito de Recife (PE) deste ano. A decisão do deputado, que foi prefeito de Recife por dois mandatos consecutivos, representa mais um golpe na tentativa de reeleição do atual prefeito, João da Costa (PT), eleito em 2008 com o apoio de João Paulo, hoje seu desafeto. O congressista, que também era cotado para disputar as prévias, disse que fez uma "grande reflexão" e avaliou que não reúne condições políticas para participar da disputa. "Eu tenho o maior apoio popular e a menor rejeição, mas não poderia vencer o cartório do partido", afirmou: "Nas prévias, prevalece a opinião interna, e não as intenções de votos". As prévias do PT estão marcadas para o dia 20 de maio. Na tentativa de aglutinar apoios no partido e melhorar sua imagem pública, o prefeito intensificou as obras na cidade e promoveu uma reforma ampla no seu secretariado, este mês. O maior desafio do grupo que apoia Rands (que inclui o senador Humberto Costa) será explicar ao eleitor por que o PT deve continuar a governar a cidade, mas não com o atual prefeito. Integrante da corrente petista "Mensagem ao Partido", da qual faz parte o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, João Paulo se aproximará, com o apoio a Rands, do grupo majoritário "Construindo um Novo Brasil", do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff. Essa história já aconteceu antes no Rio Grande do Sul, quando o PT negou o direito a Olivio Dutra (também conhecido como "Exterminador do Futuro", pela expulsão da Ford do Estado) disputar a sua reeleição, após ter a administração devastada pela CPI da Corrupção.

Previ deve se desfazer de R$ 7,5 bilhões em ações neste ano

A Previ, fundo de pensão dos empregados do Banco do Brasil, deve vender o equivalente a até 5% da carteira que está alocada em renda variável, informou nesta segunda-feira o diretor de Investimentos da fundação, Renê Sanda. "Estamos fazendo movimentos muito cuidadosos, sem venda de lotes grandes", disse Sanda. O montante do qual a Previ deve se desfazer equivale a R$ 7,5 bilhões, de uma carteira total de R$ 150 bilhões. No momento, cerca de 65% do patrimônio da Previ está alocado em renda variável. O executivo disse ainda que os setores que devem receber maior aporte de recursos nos próximos anos são os de saúde, tecnologia da informação e varejo.

Por que Fortunatti garante contrato da Delta, de Fernando Cavendish e Carlinhos Cachoeira, na limpeza pública de Porto Alegre?

Você sabia que a empreiteira Delta (aquela do Fernando Cavendish, que diz em gravação de Carlinhos Cachoeira quanto custa comprar um político) tem na prefeitura de Porto Alegre o contrato de limpeza urbana referente à capina de Porto Alegre. Há poucos dias, Videversus denunciou que a execução do contrato da capina na capital gaúcha é uma fraude, e que deveria ser investigada pelo Ministério Público. Agora, a pergunta: a Delta terceirizou a “capina” em Porto Alegre com a Cootravipa? O prefeito José Fortunatti (PDT), que evita realizar a licitação da coleta do lixo (está com um contrato emergencial com a Revita, do Grupo Solvi), e que deixou explodir a situação falimentar da Qualix/Sustentare, que Videversus apontou um ano antes, agora cultiva outro “escândalo” em sua administração na área da limpeza pública, em ano eleitoral. Por que Fortunatti “protege” o contrato da Delta, de Fernando Cavendish (aquele que “compra políticos) e Carlinhos Cachoeira? http://poncheverde.blogspot.com.br/2012/03/suspeita-forte-na-execucao-do-contrato.html

PSD oficializa apoio a Manuela D'Ávila e indica Nelcir Tessaro para vice-prefeito

No início da tarde desta segunda-feira, o PSD oficializou o apoio à candidatura de Manuela D'Ávila (PCdoB) na eleição à prefeitura de Porto Alegre. A sigla fundada por Gilberto Kassab, prefeito de São Paulo, indicou o vereador Nelcir Tessaro para a vaga de vice-prefeito na chapa da comunista. O PSB, também aliado de Manuela, indicou o vereador Airto Ferronato para a vaga de vice. No entanto, ficou acordado que Tessaro e Ferronato abrirão mão da posição caso outro partido de maior parte (possivelmente o PP da senadora Ana Amélia Lemos) se agregue à chapa. O acordo entre PCdoB e PSD prevê, além da parceria na chapa majoritária, a coligação na eleição proporcional. O anúncio da coligação reuniu Manuela e os três vereadores do PSD, além do deputado federal Danrlei Hinterholz.

Balança comercial é positiva em US$ 12 milhões na segunda prévia do mês

A balança comercial brasileira registrou um pequeno superávit de US$ 12 milhões na segunda semana de abril, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O saldo é resultado de exportações de US$ 4,848 bilhões menos importações de US$ 4,836 bilhões no período. Apesar do resultado positivo da segunda semana, no mês de abril, a balança comercial ainda acumula um déficit de US$ 280 milhões até o dia 15. No período, as exportações totalizam US$ 8,226 bilhões e as importações, US$ 8,506 bilhões. No ano, o saldo acumulado da balança é positivo em US$ 2,157 bilhões. As exportações somam US$ 63,306 bilhões e as importações, US$ 61,149 bilhões.

Líder do PT nega movimentação de governistas para evitar CPI

Líder do PT na Câmara, o deputado Jilmar Tatto (SP) disse nesta segunda-feira que não há movimento dentro do partido, nem do Palácio do Planalto, para brecar a instalação da CPI do Cachoeira. Ao assegurar que a bancada do PT vai assinar o requerimento de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito, Tatto disse que não haverá "assunto proibido" a ser investigado, embora admita que o foco do PT seja a oposição. Tatto defendeu a convocação do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), mas disse não ser "razoável" ouvir o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT). O líder também disse não ser necessário convocar o ex-ministro José Dirceu por considerar que o seu envolvimento com o empresário Carlos Cachoeira ocorreu antes do período a ser investigado pela CPI. "Qual a necessidade de se convocar o Zé Dirceu? Você tem que chamar as pessoas que estão dentro do objeto da CPI. Eu acho um exagero chamar o Agnelo. Mas é razoável chamar o governador Marconi Perillo. O Agnelo é diferente do Perillo até pelo fato do Cachoeira ser de Goiás", disse o líder. Se a CPI for instalada, o governo terá ampla maioria na comissão. Das 30 cadeiras de deputados e senadores titulares na comissão, a oposição fica apenas com sete vagas.

Haddad diz que não esconderá apoio de José Dirceu

O pré-candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, disse nesta segunda-feira que não esconderá o apoio do ex-ministro e deputado cassado José Dirceu, acusado elo Ministério Público de ser o "chefe da quadrilha" do mensalão. O presidente eleito do Supremo Tribunal Federal, ministro Carlos Ayres Britto, declarou no fim de semana que pretende julgar o caso até junho. "Não podemos esconder as pessoas que nos apoiam. Elas têm direito de cidadania, de expressar sua opinião sobre o melhor para São Paulo", disse Haddad sobre Dirceu. "O julgamento ainda não aconteceu. Por todas as declarações que ouvi, ele [Dirceu] é o mais interessado no desfecho desse caso. Quer ser julgado com base nas provas apresentadas, o que eu acho justo", acrescentou. Haddad disse não temer danos à sua candidatura caso o STF condene dirigentes do PT. "Eu não trabalho com esse tipo de cálculo. A sociedade exige da classe política transparência e combate à impunidade", disse.

Ricardo Teixeira ganha cargo eterno na CBF

Pouco mais de um mês após renunciar à presidência da entidade que controla o futebol nacional, Ricardo Teixeira, de 64 anos, foi nomeado patrono permanente da CBF. O cargo, segundo a confederação, corresponde ao posto de seu presidente de honra, que é eterno. Ainda de acordo com ela, a posição não confere a Teixeira poderes na administração da CBF ou pagamento de salários. A condecoração aconteceu durante assembleia geral da entidade, em sua sede, no Rio de Janeiro. No mesmo evento, a Federação Paulista de Futebol indicou um nome não revelado para concorrer com Zagallo à vaga de vice-presidente da CBF para a região Sudeste.

Vice-presidente de Finanças da TAM deixa a empresa

O vice-presidente de Finanças da TAM, Ricardo Froes, deixou a companhia. O executivo é casado com a diretora de marketing da TAM, Manoela Amaro, sobrinha do comandante Rolim Amaro, fundador da companhia. Froes entrou na TAM em abril de 2010 e ficará na empresa até o final do mês. Interinamente, Froes será substituído por Egberto Vieira Lima, diretor executivo da TAM S.A. A saída do executivo aconteceu por conta de um desentendimento com o presidente da TAM, Marco Bologna.

Expropriação de ações de petroleira é discriminatória

O ministro de Relações Exteriores da Espanha, José Manuel García-Margallo, afirmou nesta segunda-feira que a expropriação das ações da empresa espanhola Repsol na petroleira argentina YPF é "discriminatória". Em entrevista coletiva com o ministro da Indústria, José Manuel Soria, após uma reunião com o presidente de governo Mariano Rajoy, o chanceler afirmou que a Repsol sofreu mais com a expropriação e a cassação de concessões em províncias argentinas e disse que a empresa é "a legítima proprietária" das ações. O ministro declarou que a ação surpreendeu o governo espanhol. Para Margallo, o país sul-americano quebrou um acordo verbal para a resolução de conflitos "pela via do diálogo". Ele informa que já entrou em contato com a União Europeia para que o bloco comente a questão "com urgência". O titular da Indústria, José Manuel Soria, declarou que a expropriação não é condizente com um acordo verbal que ocorreu entre os dois governos em fevereiro, com a presença dos ministros do Planejamento e de Economia argentinos, Julio de Vido e Hernán Lorenzino. O ministro espanhol também afirmou que pediu uma reunião sobre a situação da YPF, mas não teve resposta do governo argentino. Ele disse que as medidas em resposta "serão conhecidas nos próximos dias".

Empresas fornecedoras de estaleiros visam Brasil

Diante da expansão das encomendas de navios, sondas e plataformas para o pré-sal, o Sinaval (Sindicato Nacional da Indústria Naval) mapeou o interesse de, ao menos, 20 empresas fornecedoras de estaleiros de se instalarem ou ampliarem suas atividades no País. Entre elas estão a suíça ABB (motores laterais para sondas), a italiana Pelegrini (guindastes), a norte-americana Raytheon (radares), a finlandesa Wärtsilä (motores elétricos), a japonesa Daihatsu (motores), a britânica Rolls Royce (sistemas elétricos) e a alemã CSA-ThyssenKrupp (aço). A siderúrgica pretende instalar um laminador em sua unidade em Itaguaí (RJ) para produzir aço naval, caso obtenha preço competitivo de gás natural usado no processo de laminação (transformação de placas grossas de aço em chapas mais finas). Hoje, apenas a Usiminas fornece o produto no Brasil. Algumas dessas empresas já se instalaram no País, como a Pelegrini, que montou uma fábrica em Rio Grande (RS) para suprir o estaleiro de mesmo nome que constrói cascos para plataformas da Petrobras. Segundo Franco Papini, vice-presidente do Sinaval, a entidade listou uma série de equipamentos nos quais existe a possibilidade de fabricação no país e irá sugerir à Petrobras a adoção de metas específicas de conteúdo nacional para esses bens. É uma forma, diz, de estimular a instalação de companhias no Brasil. Como exemplo, o executivo citou o caso dos motores de geração elétrica a diesel, atualmente importados. Já há, diz, tecnologia para montar boa parte no país.

P-55 atrasa início da construção de cascos para Petrobras

Um problema nos nós (peças de aço usadas na construção da estrutura principal do convés) da plataforma P-55, da Petrobras, atrasou o início da construção dos oito cascos de plataformas que a Engevix vai construir para a estatal instalar no pré-sal da bacia de Santos. A plataforma está sendo finalizada no Estaleiro de Rio Grande, no Rio Grande do Sul. De acordo com o presidente da Engevix, Cristiano Kok, a saída P-55 do dique-seco do estaleiro Rio Grande estava programada para setembro do ano passado, mas por causa de um problema encontrado nos nós do equipamento essa data foi adiada para 15 de junho, um prazo que ele considera "apertado" para ser cumprido. "Nosso desejo é que a P-55 fique pronta o mais depressa possível, ela está ocupando o dique-seco que nós queremos ocupar", disse Kok após participar de evento promovido pela Associação Brasileira de Consultores de Engenharia. A P-55 está programada para ser instalada no campo de Roncador, na bacia de Campos, onde no início do mês a Petrobras encontrou a exsudação (vazamento natural) de fluído de perfuração, de origem ainda não explicada pela companhia. Para driblar o atraso na construção dos cascos, a Engevix alterou o processo, adiantando o que for possível fazer fora do dique-seco. Para isso, porém, foi necessária a ajuda da Petrobras, que financiou um guindaste de maior porte que vai içar as peças de tamanhos maiores do que as previstas anteriormente.

Petista Odair Cunha é cotado para assumir relatoria de CPI

O deputado petista Odair Cunha (PT-MG) foi sondado por seu partido para assumir o posto de relator da CPI do Cachoeira. Cunha já havia sido cortejado pelo PT na semana passada. Em um primeiro momento, ele havia recusado a proposta. Nesta segunda-feira, porém, após pressões do partido diante da dificuldade de encontrar um nome, ele informou ao líder do PT, Jilmar Tatto (SP), estar à disposição. O parlamentar resiste à ideia temendo sofrer desgastes políticos diante de CPI tão polêmica, mas já começou a consultar interlocutores sobre a conveniência de aceitar o desafio. Odiar Cunha é ligado à ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e ao presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS). A CPI mista (que inclui deputados e senadores) deve ser instalada ainda nesta semana no Congresso. O foco das investigações será as relações do empresário de jogos ilegais Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com políticos, servidores públicos e empresários.

Comissão de juristas decide criar crime de "organização criminosa''

A comissão de juristas que analisa a reforma do Código Penal no Senado aprovou nesta segunda-feira a proposta que cria a figura da organização criminosa na legislação brasileira. Atualmente, não existe essa previsão específica --os tribunais acabam usando o crime de formação de quadrilha. De acordo com o que foi aprovado, será considerada organização criminosa a reunião de pessoas em uma estrutura hierarquizada, com a presença de funcionários públicos, para cometer crimes graves e punidos com penas de mais de quatro anos de prisão. No texto do código em vigor, o crime de formação de quadrilha é caracterizado pela associação de mais de três pessoas para o cometimento de crimes, independente de quais sejam. A comissão sugeriu que a formação de quadrilha passe a se chamar "associação criminosa". Durante a votação, os juristas discutiram sobre a necessidade de caráter transnacional - ou seja, a presença da organização criminosa em mais de um país - para caracterizar o crime.

Governo espera concluir expansão de aeroportos regionais até 2014

O governo vai investir parte do Fnac (Fundo Nacional de Aviação Civil) na construção ou expansão de aeroportos regionais para complementar o atendimento à demanda no Brasil pelos grandes aeroportos. De acordo com o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, o governo vai lançar o programa com esta finalidade ainda este ano, com objetivo de concluir o programa até 2014, mas ainda discute de que forma e onde isso será feito. "O trabalho está adiantado, mas ainda estamos discutindo com as empresas para ver para onde elas querem voar, para onde o governo quer expandir o turismo, analisando o desenvolvimento regional com dados do IBGE e conversando com os Estados", disse Bittencourt. Para o programa de aeroportos regionais o governo vai utilizar os recursos do Fnac, calculado em cerca de R$ 2 bilhões por ano. A idéia é aumentar o número de aeroportos regionais dos atuais 130 para 210, o que elevaria de 80% para 94% o atendimento em território nacional. Para realizar os investimentos, o governo federal vai firmar convênios com os governos estaduais, como obriga a lei, informou Bittencourt.

Espanha faz reunião de emergência sobre petroleira argentina

O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, realizou nesta segunda-feira uma reunião de emergência após o anúncio da expropriação das ações da petroleira Repsol na argentina YPF, revelada pela presidente Cristina Fernández de Kirchner. O premiê chamou os ministros de Indústria, José Manuel Soria, e de Relações Exteriores, Manuel García-Margallo, para definir as medidas a serem tomadas. Rajoy afirmou que defenderá os interesses da Repsol como se fossem os do governo e que será dada "uma resposta adequada", que deverá ter a colaboração dos países da União Europeia. A declaração foi confirmada pela secretária geral do Partido Popular, que comanda o país, María Dolores de Cospedal. "Não tenho a menor dúvida que o governo dará a resposta devida à essa situação. Será uma resposta suficiente e completa para defender os interesses das empresas espanholas na Argentina".

BNDES diz que vai investir R$ 58 bilhões em infraestrutura

O BNDES deve investir mais de R$ 58 bilhões no setor de infraestrutura neste ano, disse na tarde deste segunda-feira Luciano Coutinho, presidente da instituição. Coutinho afirmou que o crescimento da economia brasileira começa a "ganhar pujança" neste segundo trimestre e deve acelerar "de maneira marcante" no segundo semestre. Quanto à viabilização de um crescimento de 4% em 2012, Coutinho disse será feito "todo o possível". "Uma das chaves estará no aumento do investimento, especialmente em infraestrutura. A nossa expectativa e ampliar os investimentos nessa área, neste ano de 2012, em 25%, chegando a algo como R$ 58 bilhões a R$ 59 bilhões de desembolsos". Coutinho disse ainda que o BNDES vai investir, até 2014, R$ 1 bilhão para o desenvolvimento de empresas brasileiras por meio de fundos que compram participação em companhias para desenvolvê-las (os chamados fundos de "private equity", "venture capital" e capital semente). Coutinho afirmou que o BNDES deve criar pelo menos mais dois fundos de "private equity" em 2012. E disse que, até 2014, a instituição, por meio de todos os fundos que possua nessa linha, vai investir R$ 1 bilhão em empresas. Hoje, o BNDES tem 29 fundos de "private equity", "venture capital" e capital semente, com investimento total em 199 companhias. Em 2003, eram 15 fundos com recursos em 24 empresas.

Vendas de carne do Brasil caem 2% no primeiro trimestre

A exportação de carne bovina do Brasil no primeiro trimestre de 2012 somou 258,5 mil toneladas, queda de 2,2% ante o mesmo período de 2011. De acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira pela Abiec, entidade que representa os exportadores, o número reflete em parte o forte recuo nas vendas para o Irã. A receita com a exportação de carne bovina do país nos três primeiros meses do ano atingiu US$ 1,22 bilhão, queda de 0,5% ante o mesmo período de 2011. Já o preço médio da carne bovina exportada pelo Brasil no trimestre foi de US$ 4.733 por tonelada, alta de 1,7% ante o mesmo período de 2011. Os dados da Abiec (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne) mostram que o setor sentiu o efeito da queda na exportações para o Irã, terceiro maior importador em 2011, com um participação de 12%. Neste ano, o país não figura nem entre os dez principais importadores, devido às sanções econômicas impostas por Estados Unidos e União Europeia por conta do programa nuclear iraniano. As vendas para o Irã despencaram 92,2% em volume, para 3,14 mil toneladas, contra 40,6 mil toneladas nos primeiros três meses de 2011. A Rússia permaneceu como o principal destino da carne bovina brasileira, apesar de ainda manter o embargo parcial a frigoríficos de três Estados brasileiros (Mato Grosso, Rio Grande do Sul e Paraná). O mercado russo recebeu 60,1 mil toneladas no trimestre com uma receita de US$ 265,6 milhões, quedas de 13% e 12,7%, respectivamente. O segundo mercado consumidor no período foi Hong Kong, com aumento de 23,6% no volume, de 54,9 mil toneladas, e crescimento de 41,3% da receita obtida, que somou US$ 211,4 milhões.

Oposição quer convocar dono da Delta para dar explicações em CPI

O líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo (PE), afirmou nesta segunda-feira que, assim que a CPI do caso Cachoeira for instalada, os membros do partido apresentarão requerimento de convocação de Fernando Cavendish, dono da Delta Construções S/A. Os tucanos também pedirão a quebra dos sigilos fiscal e telefônico do empresário. Em conversa gravada em dezembro de 2009, Cavendish afirma que é possível ganhar contratos com o poder público subornando políticos. Para o líder do PSDB, as declarações são gravíssimas. "A Delta é a empresa que mais recebe recursos do governo federal no PAC, cresceu fortemente nos últimos anos e aparece com frequência nas gravações do caso Cachoeira. Cavendish precisa explicar sua atuação e suas declarações", disse. A Delta já recebeu mais de R$ 3,6 bilhões em verbas federais desde 2003 e está no centro das investigações da Polícia Federal envolvendo Carlos Cachoeira, preso pela Operação Monte Carlo por envolvimento em jogo ilegal. A Polícia Federal chega a descrever Cachoeira como um sócio oculto da Delta, o que a empresa nega.

Escritor cancela vinda ao Brasil devido a golpe de Estado em seu país

O escritor africano Abdulai Sila não vai mais a Brasília para participar do seminário "A Literatura Africana Contemporânea", na 1ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura. Seu país, a Guiné-Bissau, sofreu um golpe de Estado no último dia 12. Os militares que tomaram o poder fecharam o espaço aéreo e marítimo e anunciaram que qualquer violação dessas medidas terá uma "resposta militar". Sila participaria de seminário ao lado da moçambicana Paulina Chiziane e do angolano radicado no Brasil Ondjaki. A 1ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura acontece em Brasília entre os dias 14 e 23 de abril, na Esplanada dos Ministérios (gramado central, Biblioteca e Museu nacionais) e tem entrada gratuita.

BNDES vai investir R$ 1 bilhão em empresas até 2014

O BNDES vai investir, até 2014, R$ 1 bilhão para o desenvolvimento de empresas brasileiras por meio de fundos que compram participação em companhias para desenvolvê-las (os chamados fundos de "private equity", "venture capital" e capital semente). O anúncio foi feito por Luciano Coutinho, presidente da instituição, durante o congresso da Abvcap (Associação Brasileira Private Equity e Venture Capital), que acontece desde esta segunda-feira em São Paulo. Coutinho afirmou que o BNDES deve criar pelo menos mais dois fundos de "private equity" em 2012. E disse que, até 2014, a instituição, por meio de todos os fundos que possua nessa linha, vai investir R$ 1 bilhão em empresas. Hoje, o BNDES tem 29 fundos de "private equity", "venture capital" e capital semente, com investimento total em 199 companhias. Em 2003, eram 15 fundos com recursos em 24 empresas. "Para cada real investido pelo BNDES, esperamos pelo menos mais R$ 4 vindos do mercado, de modo que possamos ampliar essa quantia para R$ 5 bilhões", ressaltou Coutinho.

Lula visita Sarney em hospital em São Paulo

O ex-presidente Lula visitou nesta segunda-feira o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. O senador está internado após ser submetido a um cateterismo e a uma angioplastia com a colocação de stent na madrugada de domingo. Ele teve alta médica nesta segunda-feira da UTI (Unidade de Terapia Intensiva), onde se recuperava da intervenção cirúrgica, para a Unidade Crítica Cardiológica (semi-intensiva). Seu estado de saúde é estável, segundo boletim do hospital. De acordo com a assessoria de Lula, a visita começou por volta das 13h30 e durou cerca de 20 minutos.

Para analistas, intervenção na YPF vai afugentar investimentos

Analistas do mercado reprovaram a iniciativa da presidente argentina Cristina Kirchner, que anunciou nesta segunda-feira a intervenção na petrolífera YPF, controlada pela espanhola Repsol. "Esta ação vai deter o investimento direto estrangeiro extremamente necessário para desenvolver os vastos recursos energéticos da Argentina", comentou Boris Segura, economista da Nomura Securities, em Nova York. Opinião semelhante foi reforçada pelo economista Manuel Alvarado Ledesma, que qualificou a ação de "duro golpe" contra os investimentos no país. "A expropriação prejudica a imagem institucional da Argentina e que as políticas econômicas do governo são dirigidas pelo oportunismo político", avaliou. Ignacio Labaqui, analista local da consultoria americana Medley Global Advisors, ponderou que a decisão do governo foi tomada com base no declínio tanto da produção quanto das reservas.

Governo argentino já tomou controle da YPF

Funcionários do governo argentino tomaram o controle da empresa petrolífera YPF, controlada pela espanhola Repsol, e substituíram os executivos espanhóis e nativos da companhia. A intervenção foi encabeçada pelo subsecretário de Coordenação do Ministério do Planejamento da Argentina, Roberto Baratta. Barata, que até esta segunda-feira era o único representante do Estado argentino na direção da YPF, apresentou uma lista de diretores-executivos que, segundo o governo, devem renunciar. O subsecretário também ordenou a troca da segurança do edifício. O alto funcionário argentino se apresentou na sede da companhia, no bairro portenho de Puerto Madero, minutos depois do anúncio em cadeia nacional da presidente Christina Kirchner a respeito da intervenção imediata da YPF, e o envio ao parlamento de um projeto de lei para expropriar 51% da empresa, que tem participação (57% do capital social) da espanhola Repsol. A presidente decretou que o ministro do Planejamento, Julio de Vido, assuma a intervenção da companhia, com o auxílio do ministro da Economia, Axel Kicillof. As negociações das ações da YPF Repsol foram suspensas na Bolsa de Buenos Aires após o anúncio da expropriação pelo governo, que declarou a empresa de "utilidade pública e sujeita à expropriação".

Sem apoio do Brasil, candidato dos Estados Unidos é eleito para Banco Mundial

O Banco Mundial indicou nesta segunda-feira que o candidato apoiado pelos Estados Unidos, o médico e ativista Jim Yong Kim, será o próximo presidente da instituição, no lugar de Robert Zoellick. O mandato de Yong Kim, coreano naturalizado americano, terá início em 1º de julho de 2012, com duração de cinco anos. A ministra nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala e o ex-ministro colombiano José Antonio Ocampo também concorriam ao cargo, tendo o apoio dos países pobres e das economias emergentes. Ocampo, que não conseguiu o apoio dos países latino-americanos, desistiu da disputa na última sexta-feira. Mas desde o anúncio dos nomes possíveis para o cargo, o candidato dos Estados Unidos já despontava como o favorito. Desde meados dos anos 40, europeus e americanos dividem a indicação dos ocupantes dos principais organismos mundiais: um europeu para o FMI (Fundo Monetário Internacional) e um americano para o BM. O atual presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, foi diretor do banco Goldman Sachs e vice-secretário de Estado dos Estados Unidos.

Jovem teria usado máscara de Ronaldinho em festa de Berlusconi

Uma jovem brasileira teria usado uma camisa do Milan e uma máscara do jogador brasileiro Ronaldinho durante uma festa na mansão do ex-premiê italiano Silvio Berlusconi em Arcore, próximo a Milão, segundo a modelo marroquina Imane Fadil. A jovem marroquina participou nesta segunda-feira de uma audiência na 4ª sessão penal de Milão sobre as supostas festas que o ex-primeiro-ministro realizava com jovens, entre elas Karima El Mahroug, conhecida por Ruby, que era menor de idade quando teria mantido relações sexuais com Berlusconi mediante pagamento. Na audiência, Fadil contou que a jovem brasileira Íris Berardi teria vestido a camisa do time do qual o ex-premiê é proprietário e colocado uma máscara do atacante brasileiro antes de tirar a roupa e ficar apenas com uma tanga. A festa, relatou, teria ocorrido em agosto de 2010. A marroquina ainda contou que, em outra noite, teria dado conselhos a Berlusconi sobre como se portar frente ao ex-ditador da Líbia, Muammar Gaddafi. "Disse a ele que era melhor receber Gaddafi, porque nós, árabes, somos sensíveis", continuou. Fadil ainda revelou que o ex-premiê teria lhe pedido conselhos sobre o Milan, perguntando o que faltava ao time, ao que ela respondeu que a equipe "deve ter um jogador forte e jovem". Ela contou também que Berlusconi teria lhe prometido um trabalho no Milan Channel, o canal de televisão do Milan, e que falasse com Adriano Galliani, vice-diretor do clube, sobre isso.

Cachoeira não vai ao enterro da mãe em Anápolis

Preso desde 29 de fevereiro pela Operação Monte Carlo, o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, não compareceu ao enterro de sua mãe, na tarde desta segunda-feira, em Anápolis. Segundo sua advogada, Dora Cavalcanti, não houve tempo hábil para solicitar oficialmente e ao mesmo tempo conseguir sua saída temporária para participar da despedida. A mãe de Cachoeira, Maria José, conhecida em Anápólis como "dona Zezé", morreu na madrugada desta segunda-feira, aos 79 anos. Segundo a advogada de Cachoeira, o ocorrido foi comunicado a ele pela direção do presídio de segurança máxima de Mossoró, onde está detido. A Lei de Execução Penal, em seu artigo 120, diz que presos, entre eles os provisórios --como o caso de Cachoeira, poderão "obter permissão" para sair cadeia, mediante escolta, quando, por exemplo, ocorrer a morte da própria mãe. Cabe ao diretor do presídio conceder a saída.

TAM e Aeroméxico anunciam acordo de compartilhamento de vôos

A companhia aérea TAM assinou um acordo de compartilhamento de vôos domésticos com a Aeroméxico, informou a empresa brasileira nesta segunda-feira. Os vôos compartilhados terão início em 23 de abril e as vendas já começaram nesta segunda-feira, disse a TAM. Com o acordo, os passageiros que utilizam a rota da TAM entre São Paulo e Cidade do México, operando diariamente há oito meses, poderão fazer conexões imediatas para cidades como Acapulco, Cancún, Ciudad Obregón, Guadalajara, León, Los Cabos, Monterrey, Poza Rica e Veracruz, além de qualquer outro dos 40 aeroportos servidos pela Aeroméxico naquele país.

Na Argentina, presidente peronista populista Cristina Kirchner envia ao Congresso projeto para nacionalizar YPF

A presidente da Argentina, a peronista populista Cristina Kirchner, declarou nesta segunda-feira de "utilidade pública" a desapropriação de 51% do patrimônio da companhia petrolífera YPF, controlada pela espanhola Repsol. A presidente já enviou ao Congresso o projeto de lei que expropria a maioria das ações da companhia petrolífera e que declara de "interesse público nacional" o setor de hidrocarbonetos. Ela anunciou a iniciativa em um ato que liderou na Casa Rosada e que foi transmitido em rede nacional. Caso seja aprovado ( o mais provável, já que Cristina possui maioria no Congresso), o Estado passará a controlar 51% da petroleira, a maior empresa da área no país. Além das 51% das ações que passam a ser de controle do Estado, os 49% restantes serão distribuídos entre as províncias, de acordo com o projeto de lei, que possui 19 artigos. O projeto inclui a "remoção da totalidade de diretores" da companhia e pretende garantir a "continuidade operacional". O anúncio da desapropriação de YPF ocorre após quatro meses de pressões do governo argentino sobre a empresa, à qual acusa de uma queda na produção por falta de investimentos. O primeiro ponto do projeto, de um total de 19, declara que é "de interesse público nacional e objetivo prioritário o auto-abastecimento de hidrocarbonetos", além do controle da "exploração, industrialização, transporte e comercialização" no setor. Além da desapropiação de 51% da YPF, o projeto estabelece que o Estado passará a decidir sobre a "conversão de recursos em reservas e sua exploração"; sobre a "integração do capital público e privado, nacional e internacional, em alianças estratégicas"; sobre a "promoção da exploração e comercialização dos hidrocarbonetos de alto valor agregado e a exploração racional" dos recursos.

Corregedora defende afastamento de desembargadores no Rio Grande do Norte

A corregedora Eliana Calmon, do Conselho Nacional de Justiça, efendeu nesta segunda-feira o afastamento de dois desembargadores do Rio Grande do Norte, apontados como integrantes de um suposto esquema de desvio de recursos de precatórios no Estado. A ex-chefe da divisão responsável pelos pagamentos, Carla Ubarana Leal, disse em depoimento à Justiça que, durante cinco anos, entregou dinheiro proveniente das fraudes a Osvaldo Cruz e Rafael Godeiro, ex-presidentes do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. Eles negam. O Tribunal de Contas do Estado identificou irregularidades e desvios que ultrapassaram R$ 11 milhões. Para Eliana Calmon, o afastamento é necessário diante da "exposição do Poder Judiciário" e para "preservar" os próprios investigados. A corregedora esteve nesta segunda-feira em Natal para anunciar mudanças no controle dos precatórios (dívidas do poder público reconhecidas pela Justiça). O pedido da corregedora será enviado ao plenário do CNJ em sessão do dia 8 de maio. No mesmo dia, será discutida a abertura de um processo disciplinar contra os dois desembargadores. Eliana Calmon disse que já há indícios para a abertura do processo. Paralelamente, eles são investigados pelo Superior Tribunal de Justiça na esfera criminal, a pedido da Procuradoria Regional da República.

Morre paciente que esperou 26 horas por vaga de UTI em Ribeirão Preto

Uma paciente de 55 anos, que teve de aguardar, em estado grave, 26 horas para ser transferida para um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em Ribeirão Preto (a 313 quilômetros de São Paulo) morreu na sexta-feira. Às 8h30 da última terça-feira, Regina dos Reis Santos foi internada na Santa Casa de Santa Rosa de Viterbo (a 283 quilômetros de São Paulo). Uma hora depois, foi solicitada sua transferência para um hospital de maior complexidade. No entanto apenas por volta das 12 horas de quarta-feira a paciente foi encaminhada para o hospital Beneficência Portuguesa, em Ribeirão Preto. e acordo com o diretor técnico da Beneficiência Portuguesa, José Victor Nonino, a mulher já chegou ao hospital em coma e foi imediatamente transferida para a UTI com quadros de hipoglicemia e hemorragia gástrica. Ela morreu às 19h25 de sexta-feira.

Salário médio de admissão subiu 4,47% no primeiro trimestre

Os salários médios de admissão dos trabalhadores tiveram aumento real (descontada a inflação) de 4,47% no primeiro trimestre de 2012, quando comparado ao mesmo período do ano passado. Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Trabalho, o salário médio de admissão passou de R$ 950,91 para R$ 993,44. Os valores têm como base o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) médio do primeiro trimestre de 2012. Todas as grandes regiões apresentaram crescimento real, com destaque para a Norte (6,37%); Centro-Oeste (+6,22%) e Nordeste (5,45%), com ganhos reais acima da média nacional (4,47%). As regiões Sul apresentaram alta de 4,18% e Sudeste 4,16%. Na divisão por gênero, o aumento real para os homens (4,65%) foi ligeiramente superior ao das mulheres (4,33%). O resultado mostra uma redução no diferencial de ganhos reais obtidos pelos homens no primeiro trimestre de 2012, em relação às mulheres, comparativamente ao primeiro trimestre de 2011 (3,84% para os homens e 1,80% para as mulheres).

"Mundo terá taxa sobre emissões de carbono em dez anos", diz primeiro-ministro de Québec

Em um prazo de dez anos o mundo terá uma taxa sobre as emissões de carbono, o que vai transformar os negócios e fortalecer a discussão sobre a economia verde, tema central da Rio+20, conferência da ONU sobre desenvolvimento sustentável, que será realizada em junho. A avaliação não parte de nenhum ambientalista, e sim do primeiro-ministro da província de Québec, no Canadá, Jean Charest. Em 1992, quando era ministro do Meio Ambiente, ele chefiou a delegação canadense na Eco-92. "Estamos no momento de reorganizar a economia mundial, e a questão ambiental vai se impor pelo próprio mercado. Nos próximos dez anos, será inevitável a criação de um imposto sobre as emissões", diz Charest, que esteve no Brasil nesta semana para compromissos com ministros e empresários. Segundo ele, já existe uma corrida tecnológica rumo à economia de baixo carbono.

Carlinhos Cachoeira emagrece quase 15 quilos em prisão no Rio Grande do Norte

O empresário Carlinhos Cachoeira emagreceu quase 15 quilos na prisão de segurança máxima de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Deprimido, ele não consegue se alimentar direito e chegou a passar mal há alguns dias, precisando de ajuda médica. Sua mulher, Andressa, que o visita uma vez por semana, tem feito relatos que preocupam amigos e familiares. No presídio, o cabelo de Cachoeira foi raspado. Ele fica trancafiado sozinho numa cela por 22 horas seguidas. Tem direito a duas horas de sol. Só lê publicações disponíveis na biblioteca do lugar e não vê quase ninguém.

Brasil registra criação de 111.746 vagas em março, aponta Caged

O Brasil registrou a criação de 111.746 vagas com carteira assinada em março. Em relação ao mesmo período de 2011, quando foram criados 92.775 postos, houve um aumento de 20,5%. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Trabalho. O número representa o saldo entre admissões e desligamentos no mês. O saldo é resultado de 1.881.127 admissões e 1.769.381 desligamentos, ambos os maiores para o período. No acumulado do ano, segundo o relatório do Caged, o emprego cresceu 1,17%, representando um acréscimo de 442.608 postos de trabalho. Nos últimos 12 meses, houve aumento de 1.761.455 postos, o que equivale à expansão de 4,82% no número de empregos celetistas do País. A indústria de transformação foi o setor que teve um dos piores resultados do mês, com fechamento de 5.048 vagas com carteira assinada.

Estudantes da USP debaterão drogas em "semana do baseado"

Alunos da USP (Universidade de São Paulo) promovem, desde esta segunda-feira e até a sexta-feira, a "Semana de Barba, Bigode e Baseado". A organização é de alunos da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas). O objetivo é discutir a proibição do uso de drogas ilícitas com debates, palestras e exibição de vídeos. "Porque droga não é demônio. Porque o que está em pauta é a autonomia sobre o próprio corpo e a liberdade de escolha", diz trecho da descrição do convite do evento, feito via Facebook. Na noite desta terça-feira ocorrerá uma noite do fumo coletivo, que, "para efeitos jurídicos", será feita com "apenas orégano, substância lícita", segundo o texto do convite. Alguns professores da USP participarão da semana como palestrantes. Uma festa de arrecadação de fundos para a Marcha da Maconha (movimento que defende a legalização da droga no Brasil), na sexta-feira, encerra a semana. As atividades (incluindo a festa) acontecerão, sempre à noite, no espaço verde, uma sala da FFLCH. Não tem jeito, o negócio é fechar essa faculdade inútil.

Ambev pagará US$ 1,2 bilhão por 51% de cervejaria dominicana

A Ambev anunciou nesta segunda-feira ter firmado uma aliança estratégica com a ELJ (E. León Jimenes), controladora da Cervecería Nacional Dominicana, para formar uma empresa de bebidas líder na região do Caribe. A cervejaria brasileira vai desembolsar cerca de US$ 1,2 bilhão por uma participação indireta de 51% na CND. Inicialmente, a Ambev irá adquirir fatia indireta de 41,76% na CND por cerca de US$ 1 bilhão em dinheiro e contribuição da Ambev Dominicana. A operação prevê que a Ambev Brasil, subsidiária de capital fechado da Ambev, e a ELJ passem a ser acionistas da Tenedora CND, holding que terá 83,5% das ações da CND e a totalidade da Ambev Dominicana. Os negócios combinados incluirão operações de cerveja, de malta e de refrigerantes na República Dominicana, Antígua, São Vicente e Dominica, além de exportações para 16 outros países no Caribe, para os Estados Unidos e para a Europa. A receita líquida combinada de ambas empresas é de cerca de US$ 570 milhões, conforme dados de 2011.

Procura por vôos da Gol recua em março na comparação anual

A demanda por vôos da Gol recuou em março na comparação com o mesmo mês de 2011, confirmando momento de desaceleração do setor diante do aumento nos preços das passagens aéreas. A companhia registrou queda 10,1% na demanda por vôos nacionais em março sobre um ano antes, enquanto no mercado internacional houve queda de 21,1%. Incluindo os dados da Webjet, a demanda total da Gol caiu 7% no período. A Webjet continua operando separadamente enquanto a compra de julho de 2011 não é aprovada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). O anúncio dos números acontece depois que a empresa divulgou na sexta-feira promoção de passagens aéreas para todos os destinos, exceto Caribe, entre 17 de abril e 28 de junho. Já no primeiro trimestre houve alta de 4% no yield na comparação anual, enquanto a demanda recuou 5,7%. Incluindo os dados de Webjet, nos primeiros três meses do ano, a procura por voos do grupo recuou 2,3%. A Gol informou que reduziu sua oferta no mercado doméstico em 2,9% em março sobre o mesmo mês de 2011, enquanto no mercado internacional houve queda de 21,6%, "principalmente em função de devolução de três aeronaves Boeing 767 que operavam fretamentos internacionais e descontinuidade da operação para Bogotá, na Colômbia".

Rejeição de ala do PMDB é desafio para Chalita em São Paulo

A pré-candidatura de Gabriel Chalita (PMDB) à prefeitura de São Paulo tem estrutura e apoio da cúpula, mas carece de base partidária e, agora, sofre resistência aberta dentro do partido. Secretário municipal de Esportes, o peemedebista Bebeto Haddad disse que não vai se envolver na campanha. "Vou ficar na minha, ajudar só candidato a vereador", disse. Bebeto, que era presidente do PMDB paulistano até ser trocado por Chalita, em 2011, calcula que seu grupo tem metade da sigla. Ligados a Orestes Quércia, morto em 2010, perderam poder para Chalita e o vice-presidente Michel Temer. Bebeto vinha sendo pressionado a sair da secretaria para deixar Chalita à vontade para criticar a gestão Gilberto Kassab (PSD), mas decidiu ficar. Uebe Rezeck (Participação), outro peemedebista pressionado a sair, disse ainda não ter posição. Bebeto criticou a pré-campanha: "Chalita tem que fazer uma campanha mais positiva. O candidato não é Kassab, mas José Serra e Fernando Haddad". Na sexta-feira, Chalita disse que os secretários são livres para ficar no governo e bem-vindos na campanha. Para seus aliados, Bebeto tem 30% do PMDB. O partido está reduzido na capital após várias eleições sem candidato a prefeito e não tem vereadores. Tem dois deputados estaduais e um federal -Chalita. O PT tem 11 vereadores e oito estaduais. O PSDB, sete vereadores e seis estaduais. Chalita disse que terá ao lado "forças vivas", como líderes comunitários, religiosos e internautas.

MST invade prédio do Ministério do Desenvolvimento Agrário

Um prédio do Ministério do Desenvolvimento Agrário, em Brasília, foi invadido pela organização terrorista clandestina MST, na madrugada desta segunda-feira. Os manifestantes reclamam da demora no processo de reforma agrária no país e pedem agilidade do governo federal. Segundo José Damasceno, da coordenação nacional do MST, a ocupação teve início às 5h40 e abre a "jornada de luta" na campanha do Abril Vermelho. Segundo Damasceno, o MST quer que "a presidenta Dilma Rousseff marque uma audiência com os trabalhadores". A avaliação dele é que "o governo, após um ano e quatro meses da posse, não iniciou a reforma agrária", por "falta de prioridade política".

Lula e aliados visitam Sarney no Hospital Sírio-Libanês

O ex-presidente Lula e políticos aliados, como os líderes do PMDB e do PTB no Senado, respectivamente Renan Calheiros (AL) e Gim Argello (DF), e o líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia, visitaram nesta segunda-feira o presidente do Senado, José Sarney (PMDB), no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Sarney foi submetido a um cateterismo, seguido de angioplastia, para desobstrução de uma artéria. No sábado, Sarney sentiu dores no peito e viajou a São Paulo para uma consulta com o cardiologista Roberto Kalil. Logo depois, foi internado. O encontro entre os políticos durou cerca de 15 minutos, e nele estava presente também o deputado Sarney Filho (PV-MA).

Petista Marco Maia defende ampla investigação na CPI do Cachoeira

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), sugeriu nesta segunda-feira que a CPI para investigar o contraventor Carlinhos Cachoeira seja instalada de forma mista, para que não vire uma disputa política entre governo e oposição. "Nós queremos é desmantelar esta rede de poder paralelo que foi constituída por esse cidadão chamado Cachoeira e que vai desde o Legislativo, passa pelo Executivo e pelo Judiciário, pelo setor privado e pela imprensa brasileira", afirmou Maia, que ainda destacou a necessidade de fazer uma investigação ampla. "Talvez o telefone celular dele seja o de maior memória do País pela quantidade de contatos que tinha", disse. "Todos serão investigados independente de onde estejam, de qual papel tenham cumprido", concluiu.

Pozzobom resiste a assédio de Schirmer em Santa Maria

Apesar do assédio que sofreu por parte do PMDB, que quer reeleger o prefeito Cesar Schirmer, o PSDB decidiu que lançará mesmo a candidatura do deputado Jorge Pozzobom, para disputar a prefeitura de Santa Maria. A cidade tem 194 mil eleitores, mas há campanha firme na cidade para fechar o eleitorado na casa dos 200 mil, forçando segundo turno.

Operação Cosa Nostra tem dossiê contra deputada Ana Affonso, cunhada do prefeito Vanazzi (PT), São Leopoldo

As denúncias que desencadearam a Operação Cosa Nostra sobre o prefeito Ary Vanazzi, PT, São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, acabaram respingando sobre sua cunhada, a deputada estadual Ana Affonso (PT). Um dossiê de 26 páginas, forrado de documentos e análises muito consistentes, foi entregue ao Tribunal de Contas do Estado e Polícia Civil gaúcha.pelo ex-secretário de Vanazzi, Marco Antonio Pinheiro. Este dossiê baseia-se em denúncia feita na 3ª Delegacia de Polícia, mas não por Marco Antonio. Uma CPI da Corrupção de autoria do vereador Daniel Daudt, PMDB, depende da assinatura de 11 dos 13 vereadores para investigar as denúncias que envolveram a cidade num clima de desconfiança, violência e perplexidade. O dossiê contra Ana Affonso, que ainda não foi examinado pela Comissão de Ética da Assembléia, revela que uma máquina empresarial foi montada pela deputada e pelo PT, com o apoio do cunhado, para elegê-la em São Leopoldo. A 3ª Delegacia de Polícia investigou as denúncias. Eis um trecho do diálogo registrado pela Polícia, ocorrido entre a dona da Gráfica Ferreira, que fez impressos para Ana Affonso, e a fonte que levou o material para Polícia, identificado como Carlinhos: C – eles fizeram quantos mil de papel quente ? ... 50 mil ? L – Eles fizeram gastar meio milhão na minha gráfica. Só na minha. (...) L – Daí, metade disse foi frio e metade em dinheiro, pouco mais que a metade foi. Daí, começou a novela. Te lembra que te falei que iria tirar cópias dos cheques ? Daí eles pagaram tudo certinho. C – Mas a Ana Affonso? Liga para ela e manda cobrar na prefeitura?

TCE mantém pela terceira vez a cassação do atual presidente da Fenac, o ex-prefeito "Toco" (Elivir Desiam), do PT

O Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul rejeitou o Agravo Regimental protocolado pelo ex-prefeito de Estância Velha, o petista Elivir Desiam, conhecido como "Toco", que é também presidente da Fenac, de Novo Hamburgo, o que resulta que seus direitos políticos estão suspensos por oito anos. Ou seja, ele se tornou um "ficha suja". Esta é a terceira vez que o Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul pune o ex-prefeito do PT. A votação no Tribunal de Contas ainda não terminou, já que o conselheiro Algir Lorenzon (foi do PMB) pediu vistas do processo, mas dos três votos, dois já são pela condenação. Durante seu mandato, Elivir Desiam repassou verbas de publicidade para o jornal do seu chefe de Gabinete, Jaime Schneider. A denúncia contra o ex-prefeito foi feita pelo então vereador do PMDB, João Valdir de Godoy, em 2008, que é o atual secretário do Desenvolvimento Social. Durante o mandato de Elivir Desiam, um bando formado por Jaime Schneider, por seu "laranja" na titularidade do jornal, Jauri de Oliveira, pelo vereador Luis Carlos Soares (o "Viramato", na época presidente do PT em Estância Velha), e por Claci de Almeida, contratou o pistoleiro Alexandro Ribeiro para matar o jornalista Mauri Martinelli e o vereaor João Valdir de Godoy. O atentado contra Martinelli foi perpetrado, um pente de 15 balas de uma pistola austríaca Glock 380 foi despejado sobre o jornalista. Sete balas se alojaram em seu corpo. Por muita sorte ele não morreu. João Valdir de Godoy escapou de várias tocaias porque desconfiou das situações e as evitou. A juíza de Estância Velha está com o processo no qual os quatro do bando foram apontados pelo promotor de Portão, Marcelo Tubino, como responsáveis pela contratação do pistoleiro e mandantes dos assassinatos. O pistoleiro foi preso, a pistola foi encontrada com ele, e foi condenado a 15 anos de cadeia. Ele cumpre pena na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas. "Toco", empresário falido do setor calçadista, condenado por não ter recolhido as contribuições dos funcionários da fábrica, hoje é presidente da estatal símbolo da economia de Novo Hamburgo, a Fenac (Feira Nacional do Calçado). É típico das administrações petistas, colocar um industrial falido do calçado como presidente da Fenac. E ainda tem aparições habituais em programa de rádio, ao lado da ex-governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB).

Governo petista do Distrito Federal espionava ilegalmente seus adversários políticos

O caso Cachoeira já não é o mais recente escândalo que envolve o governador petista Agnelo Queiroz. Reportagem de Rodrigo Rangel na revista VEJA desta semana informa que o Ministério Público descobriu que o governo petista de Brasília criou uma repartição para investigar aliados, adversários políticos, promotores e jornalistas. A ação ilegal de arapongas a serviço do governador está sob investigação do Ministério Público do Distrito Federal. Policiais militares formalmente lotados no palácio do governo, a poucos metros de seu gabinete, violaram sistemas oficiais de informações, inclusive da Receita Federal, para levantar dados sobre alvos escolhidos pelo gabinete do governador. A bisbilhotagem, até onde os investigadores já descobriram, começou no fim do ano passado e teve como vítima o deputado federal Fernando Francischini, do PSDB do Paraná. Delegado da Polícia Federal, Francischini tornou-se inimigo de Agnelo Queiroz depois de defender publicamente a prisão do governador com base em documentos que comprovariam uma evolução patrimonial incompatível com os vencimentos do petista. A partir daí, começaram a circular em Brasília dossiês com detalhes da vida privada do deputado, que registrou queixa na polícia. O Ministério Público, então, passou a investigar a origem das informações que constavam nos dossiês. Para identificar os responsáveis, foram feitos pedidos de informações a órgãos que gerenciam os bancos de dados oficiais. As primeiras respostas vieram do Ministério da Justiça, que mantém sob sua guarda o Infoseg, sistema que reúne informações sobre todos os brasileiros, desde números de documentos pessoais até endereços e pendengas com a Justiça. Abastecido pelas polícias do País e protegido por sigilo, o sistema só pode ser aberto por funcionários autorizados em investigações formais. Cada acesso deixa registrada a senha de quem fez a consulta. Seguindo esse rastro, os investigadores descobriram o nome de dois policiais militares de Brasília que haviam consultado informações sobre o deputado Francischini no fim do ano passado, justamente no período em que o parlamentar fez as denúncias contra o governador. Responsáveis pela arapongagem, o subtenente Leonel Saraiva e o sargento Itaelson Rodrigues estavam lotados na Casa Militar do Palácio do Buriti, a sede do governo do Distrito Federal. Detalhe: as consultas haviam sido feitas a partir de computadores do governo localizados dentro do palácio. Identificados os dois militares, o passo seguinte foi conferir no sistema as outras fichas consultadas por eles. Descobriu-se que os policiais haviam violado informações sobre mais de 20 indivíduos, todos desafetos do governador. Uma das vítimas foi o promotor Wilton Queiroz de Lima, coordenador do Núcleo de Inteligência do Ministério Público de Brasília e responsável por algumas das principais investigações que envolvem a gestão de Agnelo”. Nem aliados escaparam da arapongagem. O peemedebista Tadeu Fillipelli, vice-governador, foi investigado. O chefe da polícia da capital, Jorge Xavier, foi seguido e filmado. O coronel Rogério Leão, chefe da Casa Militar e especialista em Inteligência (trocou a Presidência da República pelo governo do Distrito Fedeeral), é apontado como o mandachuva da turma. Partilhava o comando com Cláudio Monteiro, chefe de gabinete do governador até a semana passada. Teve de se demitir depois que seu nome apareceu nos diálogos da gangue que serve a Cachoeira. Segundo os interlocutores, ele recebeu “luvas” de R$ 20 mil do esquema e é premiado com uma “pensão” mensal de R$ 5 mil, o que nega. À reportagem de VEJA, o coronel Rogério Leão admitiu que foram feitas algumas pesquisas sobre o deputado Francischini. O governador afirma que não sabia de nada e diz que cobrará apuração rigorosa. Nas altas esferas petistas, a renúncia do governador voltou a ser defendida.

Comissão de Ética da Presidência acolhe representação contra Ideli

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República acolheu na manhã desta segunda-feira, 16, representação do PSDB para investigar a conduta da ministra da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, no episódio envolvendo a compra de 28 lanchas-patrulha. Conforme informou o jornal O Estado de S. Paulo, as lanchas foram encomendadas por R$ 31 milhões pelo Ministério da Pesca em 2009 e parte da conta foi paga enquanto Ideli comandava a pasta. O Estado também revelou que o dono da fabricante das lanchas, a Intech Boating, doou R$ 150 mil ao comitê financeiro do PT de Santa Catarina, que bancou 81% dos custos da campanha derrotada de Ideli ao governo catarinense. De acordo com o presidente da comissão, Sepúlveda Pertence, Ideli já se antecipou e apresentou explicações sobre as compras das lanchas. “Ela apresentou esclarecimentos voluntariamente. Recebi o memorial do seu advogado, ainda não li, o relator (Américo Lacombe) é que está examinando o caso”, disse Pertence, após o final da primeira metade da reunião, que ocorre em anexo do Palácio do Planalto. Os conselheiros devem decidir depois se abrem um processo disciplinar contra Ideli, informou Pertence. A próxima reunião da comissão está marcada para 14 de maio. Ideli contratou uma empresa de consultoria, a Entrelinhas Comunicação e Publicidade, para evitar o desgaste de sua imagem e também para reagir aos ataques que considera estar sofrendo nos últimos dias. Na semana passada, a Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara aprovou convocação para a ministra falar sobre o episódio das lanchas. A Comissão de Ética Pública da Presidência da República também decidiu pedir mais informações ao ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, sobre os negócios de sua empresa de consultoria. Os conselheiros aplicaram ainda “censura ética” ao ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) Luiz Antônio Pagot, por conta de suas declarações que de não cumpriria a “quarentena” enquanto aguardava a volta à iniciativa privada após deixar o serviço público.