sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Disputa política no Banco do Brasil preocupa governo

Após as denúncias de irregularidades na Casa da Moeda e na Caixa Econômica Federal, o ministro Guido Mantega (Fazenda) enfrenta um novo foco de crise que ameaça a sua área: a disputa de poder no Banco do Brasil. A queda de braço envolve, de um lado, o presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, homem de confiança de Mantega e de Gilberto Carvalho (Secretaria Geral). Do outro, Ricardo Flores, o presidente do poderoso fundo de pensão dos funcionários do banco, a Previ, a quem Bendine acusa querer derrubá-lo do cargo. Em disputas paralelas, estão ainda alguns setores do PT que comandavam áreas do banco e foram escanteados após a chegada de Bendine.

Arrecadação bate recorde mensal e ultrapassa R$ 100 bilhões em janeiro

A arrecadação de tributos federais cresceu 6,04% no mês de janeiro, alcançando R$ 102,58 bilhões. De acordo com dados divulgados pela Receita Federal na sexta-feira, este é o maior valor recolhido em um mês de toda a série histórica (que começa em 2003) e a primeira vez que o valor arrecadado em um mês ultrapassa os R$ 100 bilhões. Segundo o órgão, o resultado expressivo se deve ao pagamento da primeira cota do IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) e da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) e à antecipação de pagamentos relativos ao ajuste desses dois impostos. Além disso, em janeiro foi feito o pagamento trimestral de royalties da extração do petróleo. Em janeiro, o pagamento do IRPJ subiu 5,37% (já descontada a inflação) em relação ao mesmo mês de 2011, somando R$ 17,72 bilhões. A CSLL registrou aumento de 4,53%, totalizando R$ 8,9 bilhões. Foram recolhidos de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) R$ 4,58 bilhões (8,36% de crescimento) e de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) R$ 2,93 bilhões (16,51% a mais).

Empreiteira Andrade Gutierrez culpa Banrisul pelo atraso nas obras do estádio Beira-Rio

A empreiteira Andrade Gutierrez resolveu publicar uma nota neste sábado nos jornais alegando que está pronta para assinar a parceria com o Inter, mas que ainda não o fez porque o Banrisul não respondeu ao seu pedido de financiamento para a reforma do estádio Beira-Rio, visando à Copa do Mundo de 2014, que terá custo total de R$ 330 milhões. A obra está parada há 246 dias. Essa agora é a nova estratégica da Andrade Gutierrez, pressionar o governo gaúcho para que o Banrisul, banco estatal, conceda o empréstimo. Por que a Andrade Gutierrez não toma esse empréstimo no Banco do Brasil, ou na Caixa Econômica Federal? O Banrisul contesta a nota da empreiteira mineira. "Não existe qualquer restrição à Andrade Gutierrez, mas não podemos aceitá-la sem a devida liquidez garantida. O que há de concreto é que a construtora não tem outros parceiros para garantir a sociedade", respondeu o petista Túlio Luiz Zamin, presidente do Banrisul. Tal atraso na retomada das obras já causa transtornos ao clube. Além de perder cerca de 8 mil lugares no estádio, com parte da social que foi derrubada e ainda não reconstruída, o Inter pode perder de sediar o show de Madonna no Beira-Rio. A produtora que trará a pop star ao Brasil quer ocupar o estádio em dezembro para o espetáculo, mas o clube pediu prazo até meados de março para dar a resposta. Motivo: ainda não tem o cronograma de obras.

Bahia cancela edital que dava pontos para filiados a partidos

Comandado pelo petista Jaques Wagner, o governo da Bahia incluiu a militância partidária e sindical como critério de classificação para um processo seletivo (concurso). Pelo edital 001/2012 da Secretaria de Cultura, o candidato a "representante territorial" que tivesse "atuação em sindicatos, partidos e organizações da sociedade civil" poderia chegar a 10 pontos em um total de 60. Lançado para a seleção de representantes territoriais de cultura em nove regiões, o edital foi cancelado na quinta-feira. "Achei um absurdo a reação, injustificável. Mandei cancelar imediatamente", afirmou o governador. De acordo com o edital, "na análise de currículo serão observados os seguintes itens: escolaridade, com comprovada atuação na área cultural e política (mínimo de um ano) e capacitação comprovada na área cultural". Cada ano de atuação política contaria dois pontos e meio, no limite de até quatro anos de exercício partidário ou sindical. No quadro, formação política e cultural somava até 35 pontos, mais do que a acadêmica. O cargo (com remuneração mensal de R$ 1.980,00) é temporário, com contratação até dezembro deste ano. Responsável pelo concurso, o superintendente de desenvolvimento territorial, Adalberto Santos, diz que o perfil ideal é o de "ativista político". Mas que foi um erro associar "ação política" à atividade partidária. Os caras já não têm mais qualquer pudor.