sábado, 10 de dezembro de 2011

Veja mostra a trama criminosa das altas cúpulas petistas, para incriminar adversários políticos (1)


Veja mostra a trama criminosa das altas cúpulas petistas, para incriminar adversários políticos (2)


Veja mostra a trama criminosa das altas cúpulas petistas, para incriminar adversários políticos (3)


Veja mostra a trama criminosa das altas cúpulas petistas, para incriminar adversários políticos (4)


Veja mostra a trama criminosa das altas cúpulas petistas, para incriminar adversários políticos (5)


Veja mostra a trama criminosa das altas cúpulas petistas, para incriminar adversários políticos (7)


Veja mostra a trama criminosa das altas cúpulas petistas, para incriminar adversários políticos (8)


Veja mostra a trama criminosa das altas cúpulas petistas, para incriminar adversários políticos (9)


Eike Batista quer transformar Maracanã em arena multiuso

O empresário Eike Batista confirmou na sexta-feira que tem interesse em administrar o Maracanã. Ele disse que vai participar da licitação, prevista para ser lançada no próximo ano, por meio de sua empresa ligada a esportes e entretenimento, a IMX. Entre os planos de Eike, está a transformação do estádio em arena multiuso, com a inclusão até mesmo de um shopping dentro do Maracanã. "Estou no páreo, sim. A arena é fantástica se agregar outras coisas, possibilitar que uma família passe o dia inteiro lá. Não pode ser só futebol", afirmou. A IMX anunciou a compra da Brasil1 Esportes & Entretenimento, agência que já atua nas áreas de interesse da empresa de Eike Batista. Com o negócio, o empresário e atleta de vela Alan Adler, que já comandava a Brasil1, passa a ser o presidente da IMX. Segundo Adler, a IMX tem interesse em gerenciar outras arenas esportivas no País, mas ainda faz estudos sobre quais estádios serão alvo da companhia. A empresa de esportes e entretenimento é uma parceria de Eike com a IMG, gigante do setor que já atua em 30 países, e administra a carreira de atletas como os tenistas Roger Federer, da Suíça, e Maria Sharapova, da Rússia. "O Brasil é um dos grandes mercados para os próximos dez anos, especialmente com a realização de eventos como a Copa do Mundo e a Olimpíada", comentou Mike Dolan, presidente da IMG. A previsão é que a empresa invista R$ 500 milhões em até quatro anos. A IMX promoverá eventos esportivos, shows, fará a gestão de carreiras de atletas, e prestará consultorias. Um dos carros chefe da IMX será o UFC. Para 2012, estão previstos três eventos no Brasil, que serão realizados em São Paulo e no Rio de Janeiro. O primeiro será no dia 14 de janeiro.

Cemig vai à Justiça contra 470 ranchos em São Paulo, Minas Gerais e Goiás

Casas espaçosas, construídas à beira de represas entre os Estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, estão na mira da Cemig, companhia de energia de Minas Gerais. De acordo com a empresa, 1.800 propriedades estão irregulares porque avançam a área de segurança de inundação das represas: caso seja preciso represar mais água, construções, ou parte delas, ficariam submersas. Por isso, a Cemig entrou com 470 ações de reintegração de posse na Justiça para tentar desapropriar os ranchos e regularizar os casos. A empresa é responsável por represas nos leitos dos rios Grande, Paranaína e Araguari, localizadas em seis cidades de São Paulo, Minas Gerais e Goiás (Rifaina, Miguelópolis, Nova Ponte, Uberlândia, Araguari e São Simão). Essas represas abastecem cinco hidrelétricas. Entre Rifaina (SP) e Sacramento (MG), por exemplo, as margens da represa da Usina de Jaguara estão tomadas por ranchos com casas de até sete quartos, churrasqueira, piscinas e píers à beira do rio. Com lanchas, barcos e jet skis, os ranchos movimentam a economia local, empregando caseiros e criando demanda por marinas. Os imóveis são avaliados, em média, por R$ 400 mil, mas em novembro um foi vendido por R$ 3,2 milhões. O secretário de Turismo de Rifaina, Cláudio Masson, disse que há de 450 a 500 ranchos às margens do rio, mas nem todos estão irregulares. "É preciso um acordo amigável, pois os rancheiros consomem na cidade", afirmou. Já em Miguelópolis, na área da usina Volta Grande, há 800 ranchos.

Número de municípios cresceu quase nove vezes em 138 anos

Dados divulgados na sexta-feira pelo IBGE mostram que o número de municípios no Brasil passou de 642, em 1872, para 5.565, em 2010, ficando 8,6 vezes maior em 138 anos. Segundo o instituto, os maiores aumentos em valores absolutos ocorreram ao longo das décadas de 1950, 1960 e 1990. Em termos percentuais, entretanto, os primeiros períodos foram muito mais expressivos, registrando respectivamente elevações de 32%, entre 1950 e 1960, e de 30%, entre 1960 e 1970. Entre 1991 e 2000 foram emancipados 1.016 municípios, que representaram um acréscimo de 18% no total nacional. Na última década surgiram apenas 58 novos municípios, valor equivalente a 1% do total. São Paulo, Minas Gerais e Bahia apresentavam uma quantidade de municípios maior que as demais Unidades da Federação e assim se mantiveram até o ano 2000, quando o Rio Grande do Sul (496 municípios em 2010) ultrapassou a Bahia (417). A concentração de municípios em Minas Gerais e São Paulo manteve-se em torno dos 30% do total do País, atingindo seu ápice em 1950, quando abrigavam 40%. Atualmente, Minas Gerais e São Paulo concentram 1.498 municípios, cerca de 27% do total.

Ajufe critica ministra Eliana Calmon por limitar eventos

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) divulgou uma nota na sexta-feira em que manifesta “indignação e perplexidade” com a intenção da corregedora Nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon (STJ), de “limitar a participação de juízes em eventos políticos, associativos e seminários”. Além disso, a associação se manifestou contra a quebra “administrativamente do sigilo fiscal de magistrados com base em disposição regimental do CNJ”. A Ajufe afirmou que vai recorrer ao Poder Judiciário se essas iniciativas forem acolhidas. De acordo com a nota, há uma pretensão de cercear direitos e garantias expressamente previstas na Constituição: “Não pode a Corregedoria do CNJ pretender disciplinar o direito de reunião de juízes, pois inerente a todos os brasileiros (art. 5º, XVI) e ao regime democrático".

Produção de aço da China cai para menor nível em 14 meses

A produção de aço bruto na China caiu 9% em novembro em relação a outubro, para 49,88 milhões de toneladas, o mais baixo nível desde setembro do ano passado, mostraram nesta sexta-feira números da agência nacional de estatísticas do país. A produção diária do maior fabricante de aço do mundo somou 1,663 milhão de toneladas durante o mês, uma vez que siderúrgicas diminuíram a produção por causa da demanda tradicionalmente menor nesta época. "Com o preço do minério de ferro em alta em novembro, algumas pequenas siderúrgicas deixaram os planos de retomar a produção, enquanto as maiores ainda estão com produção menor", afirmou o analista Feng Gangyong, da GF Securities. O movimento está em linha com os números publicados pela Associação de Ferro e Aço da China, que estimou a produção média diária de aço do país abaixo de 1,7 milhão de toneladas em novembro. A produção no ano até agora soma 631 milhões de toneladas, alta de 9,8% em relação a um ano antes, mostraram os números da associação. Feng estimou que a produção de aço somará 678 milhões de toneladas neste ano, alta de 8% em relação ao ano passado. A maior demanda por parte do setor de construção estimulou as siderúrgicas chinesas a operarem perto da capacidade máxima de fevereiro até setembro, quando a produção diária ficou em cerca de 1,9 milhão de toneladas nesses meses, mas as políticas rigorosas de crédito de Pequim começaram a esfriar a demanda.

Cubano amputado deserta para os Estados Unidos levando apenas medalhas do Parapan

O nadador cubano Rafael Castillo, de 25 anos, medalhista de ouro e prata no Parapan de Guadalajara, cruzou a fronteira entre o México e os Estados Unidos em busca de asilo apenas com uma troca de roupa e as medalhas que havia ganho. Castillo teve o braço e a perna amputados por negligência médica quando era bebê. O nadador desertou da equipe cubana em novembro. "Nunca planejei desertar. Me ocorreu um dia, após bater o recorde, ao meio-dia. Estava almoçando, sozinho, senti muita raiva de todas as coisas que me haviam feito em Cuba e que não queria voltar", relatou Castillo. O cubano ganhou o ouro na prova de 50 m estilo borboleta e marcou o melhor tempo do continente (33s), ele também conquistou a prata nos 100 m livre. "Tomei esta decisão porque pensei que, para mim, o esporte ia ser muito melhor aqui do que lá, e para ser mais livre do que era", comentou o esportista que chegou a Miami há 15 dias. Ele relatou que, em Cuba, se sentia limitado ao não poder estar em mais eventos esportivos internacionais. Ele não pode ir ao último Mundial: "Me proibiram, não me deixavam sair... Não sei por quê. Estava muito bem preparado para todas as competições. Estas proibições são comuns a muitos atletas de Cuba. Por isso acredito que desertam tanto". Outro problema comum a atletas paraolímpicos de Cuba, segundo Castillo, é em relação à alimentação que só é adequada quando eles estão em competições. "É o que chamam de reforço priorizado e que está reservado para os atletas convencionais, não para os deficientes", disse. Castillo é deficiente desde que, em um hospital do país, lhe aplicaram um "soro vencido porque ele estava desidratado". "Isso fez com que me amputassem a perna e o braço, tive uma gangrena", explicou. Para fazer a travessia do México para os EUA, Castillo recorreu a uma jovem mexicana, voluntária dos Jogos arapanamericanos, quem o levou em um veículo para fora da Vila Pan-Americana: "Peguei a mochila com várias coisinhas de roupa e sem papéis porque uma vez que chega ao país onde vai competir (as autoridades cubanas) nos pegam tudo. As medalhas eu trouxe comigo". Castillo viajou sozinho de ônibus desde Guadalajara até Matamorros e, ali, cruzou a fronteira através de Brownsville, no Texas. Para comprovar sua nacionalidade, ele mostrou às autoridades de imigração a credencial que usava dentro da Vila Pan-Americana e suas medalhas. Nos Estados Unidos, contatou um amigo jornalista que comunicou o caso a uma TV de Miami, que pagou ao nadador uma passagem de avião até a cidade. O advogado Wilfredo Allen disse que apresentará nas próximas semanas o pedido de asilo político do esportista. "Ao se apresentar na fronteira como cubano e pedir asilo político lhe deram um documento de identificação que lhe permite viver e trabalhar legalmente nos Estados Unidos", explicou o advogado. Ao se desertar de uma equipe esportiva cubana, os Estados Unidos consideram que ele é uma pessoa que possivelmente será perseguida se regressar a Cuba. O treinador Yand Martínez disse que a perspectiva que tem com Castillo é levá-lo à elite na natação americana. Martínez foi o criador do programa esportivo para deficientes em Cuba na década de 80 e desertou do país em 1992, rumo à Venezuela. Em 2002 foi para os Estados Unidos.

Nota oficial da Polícia Federal desmonta conspirata contra a Polícia de São Paulo

A Polícia Federal viu-se obrigada nesta sexta-feira a lançar uma nota oficial, em consequência das fortes reclamações do governador paulista, Geraldo Alckmin, e de seu secretário de Segurança Pública, em face de matéria divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, envolvendo policiais paulistas com o narcotráfico. A nota da Polícia Federal foi peremptória: "São Paulo - Diante da notícia divulgada no jornal Folha de São Paulo nesta data, “PF acusa policiais de SP de extorsão a traficantes”, a Polícia Federal presta os seguintes esclarecimentos. Deduz-se que a matéria se refere à operação policial deflagrada em 27/10/2011 para combater organização criminosa baseada em São Paulo/SP que atuava no tráfico internacional de drogas. Essa operação decorreu de uma investigação iniciada em 2010, com abrangência em 7 estados da Federação, e resultou, ao longo de um ano e meio, na prisão de 105 pessoas e na apreensão de cerca de 4,3 toneladas de cocaína e 5,2 toneladas de maconha - fato amplamente divulgado pela imprensa. A investigação foi concluída e remetida ao Ministério Público Federal em 7/12/2011 e não identificou policiais civis envolvidos na organização criminosa. Diferentemente do que foi publicado de que “policiais civis não foram presos porque isso alertaria os traficantes”, esclarecemos que os supostos policiais civis não foram identificados. Caso isso ocorresse, todas as medidas legais cabíveis teriam sido tomadas em conjunto com a Delegacia Geral de Polícia e com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. Toda vez que uma investigação da PF não consegue apurar indícios de outros crimes envolvendo servidores públicos, as informações são encaminhadas aos órgãos competentes, após autorização da Justiça Federal. Enfatizamos que o inquérito policial está sob segredo de Justiça e que a Polícia Federal se restringirá as informações desta nota. Setor de Comunicação Social / Superintendência da PF em São Paulo". - Eu não vou especular, porque ainda não tenho dados completos, até onde profissionais do jornalismo impresso e de TV foram usados como inocentes úteis nessa história e até onde estavam comprometidos com uma óbvia operação de difamação da Polícia de São Paulo. O Estado que apresenta hoje um dos menores índices de homicídio doloso do Brasil — abaixo de 10 por 100 mil, número que a ONU aponta como de violência não-epidêmica — e em que são evidentes os sinais de eficiência da Polícia está na mira, não é? Há maus policiais incrustados na Polícia Militar e na Polícia Civil? Certamente! E estão sendo combatidos. Mas a ninguém escapa um verdadeiro coro para tentar satanizar essa área no estado, que apresenta resultados históricos. A canalha apela, para tanto, à demagogia e, claro!, ao medo. Afinal, ocorrências traumáticas são sempre notícia e assustam. Mas existem os dados. Tão logo vazou a notícia de que a Polícia Federal tinha a lista de policias corruptos ou envolvidos com o narcotráfico, o governador Geraldo Alckmin ligou para o ministro da Justiça: “Cadê a lista? Eu quero os nomes para poder afastá-los enquanto durar a investigação”. O ministro não tinha nada. Fez o mesmo o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Ferreira Pinto: ligou para a chefia da PF: cadê os nomes? Eles não podem continuar na polícia. Não havia nomes. Havia só uma operação de difamação da polícia em curso, mais uma. Coincidência feliz para o PT, não é? Vejam que alinhamento de fatos, mais ou menos como se alinham, de vez em quando, os astros. Num dia, o governo federal lança o seu programa contra o crack; no outro, a Polícia Civil de São Paulo é caracterizada como um covil de narcotraficantes. Cadê os nomes? A menos que a Polícia Federal, de que José Eduardo Cardozo é chefe, tenha decidido mentir, eis o fato: “A investigação foi concluída e remetida ao Ministério Público Federal em 7/12/2011 e não identificou policiais civis envolvidos na organização criminosa. Diferentemente do que foi publicado de que “policiais civis não foram presos porque isso alertaria os traficantes”, esclarecemos que os supostos policiais civis não foram identificados". Tudo bem que a coisa não dure mais de 24 horas. Para o processo de difamação, já basta. O jogo está ficando cada vez mais pesado. E nem entramos ainda em ano eleitoral.

Bancos italianos querem revisão de estimativa de recapitalização

A ABI (Associação de Bancos Italianos) disse nesta sexta-feira que contempla a realização de um recurso contra as estimativas da EBA (Autoridade Bancária Européia) sobre as necessidades de recapitalização de bancos, e pedirá que estas sejam "profundamente" revisadas. A EBA revisou ligeiramente para cima as necessidades dos bancos italianos, para 15,366 bilhões de euros, contra 14,770 bilhões estimados ao final de outubro. Para o conjunto dos bancos europeus, a soma atual é de 114,700 bilhões, contra 106 bilhões. A ABI considera que estas estimativas estão distorcidas devido a uma aplicação não homogênea dos critérios de determinação dos ativos ponderados pelo risco entre as diferentes regulações européias. Os bancos italianos, sob pressão devido a alta dos juros que o país deve pagar para conseguir liquidez, criticam também a valorização das obrigações do Estado aos preços do mercado efetuada pela EBA que, segundo a ABI, é "inadequada devido à difícil fase econômica que atravessa o país".

A BOMBA DO ANO: GRAVAÇÕES PROVAM A TRAMA DOS FALSÁRIOS DO PT PARA INCRIMINAR ADVERSÁRIOS

A revista Veja teve acesso a conversas gravadas pela Polícia Federal com autorização da Justiça que revelam como o PT de José Dirceu se juntou a um notório estelionatário para falsificar documentos, destruir a imagem de adversários e tentar enganar os ministros do Supremo Tribunal no caso do Mensalão do PT.