domingo, 19 de junho de 2011

REVISTA VEJA REVELA QUE MINISTRO MERCADANTE COMANDOU OPERAÇÃO DOS ALOPRADOS

Aloizio Mercadante
Reportagem de Hugo Marques e Gustavo Ribeiro, na revista Veja que está nas bancas, evidencia que a presidente Dilma Rousseff tem em seu ministério um homem capaz de organizar uma farsa, com o auxílio de dois bandidos e de uma quadrilha de petistas, para incriminar um adversário político e tentar vencer as eleições. Seu nome: ALOIZIO MERCADANTE, que ocupa a pasta da Ciência e Tecnologia. É o que diz um dos petistas que operaram o esquema. Ele assegura que Mercadante foi o grande chefe da operação que ficou conhecida, em 2006, como o “Caso dos Aloprados”, quando um grupo de dirigentes do PT comprou, por R$ 1,7 milhão, um falso dossiê que procurava ligar o então candidato tucano ao governo de São Paulo, José Serra (PSDB), à máfia dos sanguessugas. Mercadante, candidato do PT, seria o principal beneficiário caso a tramóia tivesse dado certo. Hamilton Lacerda, seu braço direito, foi preso pela Polícia Federal segurando a mala de dinheiro (ele acabou de retornar ao partido e pretende ser candidato no próximo ano). Veja descobriu toda a trama ao inquirir Expedito Veloso, que na época era "diretor de gestão de riscos" do Banco do Brasil. Ele fazia parte do núcleo central da campanha de Lula à reeleição e foi escalado para integrar a operação. Foi ele quem confessou os detalhes da trama criminosa a companheiros de partido. Veja teve acesso à confissão gravada. Colocado diante do fato, Expedito Veloso, que agora é secretário-adjunto de desenvolvimento do governo petista do Distrito Federal, não teve como negar. Leia um pequeno trecho da entrevista:
Pergunta - O senhor apontou o ministro Aloizio Mercadante como mentor beneficiário da operação… Foi uma conversa interna, uma conversa partidária…
Resposta - Isso vai me complicar. Acabei de sair do banco. Paguei muito caro por isso. Não tenho interesse em que esse assunto venha à tona.
Pergunta - Qual foi sua participação na montagem do dossiê?
Resposta - Absolutamente lateral. Analisei os documentos. Só isso. Cumpri uma missão política de campanha.
Pergunta - O senhor confirma tudo o que disse nas conversas gravadas?
Resposta - Eu estava querendo mostrar às pessoas que eu não era um aloprado. Não me lembro dos detalhes, mas tudo o que você relata que ouviu eu realmente disse. Era um desabafo dirigido a colegas de partido.
“Missão política de campanha”! É o nome que os petistas costumam dar para seus crimes. Delúbio Soares também cumpria uma “missão política”, plenamente aceita no PT. Tanto é assim que ele está de volta. Ao censurar Antonio Palocci pelo seu rápido enriquecimento, a advogada Gleisi Hoffmann, agora ministra da Casa Civil, lembrou que era coisa diferente do Mensalão, que buscava beneficiar o partido. Vale dizer: mensalão pode, enriquecimento pessoal não! É a lógica petista. Diz a matéria da revista Veja: "O plano foi tocado pelo núcleo de inteligência do PT, mas com o conhecimento e autorização do senador (Mercadante)“, disse Expedito Veloso. “Ele, inclusive, era o encarregado de arrecadar parte do dinheiro em São Paulo” (…) Expedito Veloso conta que o ministro e o PT apostavam que a estratégia de envolver o adversário José Serra no escândalo de desvio de verbas públicas lhe garantiria os votos necessários para, quem sabe, ganhar o pleito. “A avaliação era que o dossiê poderia levar a disputa ao segundo turno. De Brasília, o núcleo de inteligência do partido deu o sinal verde para a execução do plano. Por intermédio de Valdebran Padilha, tesoureiro informal do PT em Mato Grosso, o comitê paulista negociou diretamente com os empresários mato-grossenses Darci e Luiz Antonio Vedoin, que ncobraram 1,7 milhão de reais para falsificar documentos e conceder uma entrevista na qual acusariam José Serra de envolvimento com fraudes no Ministério da Saúde”. Rememorando: a revista escolhida para a operação foi a IstoÉ.  Segue mais um trecho de reportagem da VEJA: "Havia um grupo encarregado exclusivamente de avaliar os danos que os documentos causariam à candidatura tucana. Faziam parte desse grupo o presidente do PT à época. Ricardo Berzoini, o próprio Veloso e Jorge Lorenzetti, churrasqueiro e amigo do então presidente Lula. O segundo grupo tinha como função fazer chegar as informações à imprensa domesticada. Dele participavam Oswaldo Bargas, amigo de Lula desde os tempos de militância no ABC paulista, e Hamilton Lacerda, coordenador de campanha de Mercadante. Por fim, o terceiro destacamento tinha a atribuição mais delicada: arrecadar o 1,7 milhão de reais pedido pela quadrilha para montar a farsa. Em suas confissões, o bancário revela que foi justamente uma falha desse terceiro grupo que levou ao fracasso da operação. Segundo ele, os petistas ficaram quatro dias em São Paulo aguardando o dinheiro, que demorou a chegar. E, quando apareceu, a polícia estava no rastro". A reportagem também traz uma outra informação importante no que diz respeito ao dinheiro: quem conseguiu parte da bolada foi o então candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB, Orestes Quércia. Mercadante havia prometido dar um naco da administração ao peemedebista se a operação tivesse sido bem-sucedida. Cinco anos depois, a Polícia Federal não tinha chegado a lugar nenhum. Agora, um homem que participou do esquema, uma petista que cumpria “uma missão política”, conta tudo. E a revista Veja soube antes que a polícia. Um ministro de Dilma, Aloizio Mercadante, aparece metido na sujeira do aloprados até a raiz de seus poucos cabelos e de seu farto bigode. Outro petista, dado como ministeriável,  também sai lanhado das confissão de Expedito Veloso. Seu nome: Carlos Abicalil, que se fez notar pelo esforço para enterrar a CPI do Mensalão quando deputado. Diz outro trecho da reportagem de Veja: "A partir das inconfidências de Expedito Veloso, descobre-se que a sórdida investida contra os tucanos em São Paulo não foi a primeira e que os alvos nem sempre são necessariamente de partidos adversários. A bruxaria não poupou os próprios petistas. Expedito revelou que, antes da prisão dos aloprados, ocorreu outro episódio, envolvendo os mesmos personagens, usando os mesmos métodos, só que, dessa vez, agindo em Mato Grosso. Os alvos: os então senadores Serys Slhessarenko, do PT, e Antero Paes de Barros, do PSDB. Eles disputavam o governo do Estado com Blairo Maggi (PR), que concorria à reeleição, quando surgiu um dossiê envolvendo a petista e o tucano com a máfia dos sanguessugas. Suas candidaturas foram fulminadas pelas denúncias. Foi mais uma armação dos aloprados, segundo as revelações gravadas. O mentor dessa vez foi o ex-deputado petista Carlos Abicalil, atual secretário do Ministério da Educação. O financiador e beneficiário: o governador Blairo Maggi. Até o custo era parecido com sua congênere paulista. Disse Expedito Veloso: “O Abicalil já tinha negociado com Blairo Maggi para foder a Serys e o Antero Barros. Pagaram 2 milhões aos Vedoin para incluir os dois indevidamente na lista dos sanguessugas. (…) Saiu uma reportagem antes da eleição que arrebentou os dois”. Serys confirma que Expedito a procurou no ano passado e fez uma confidencia: “Ele disse que meu envolvimento com aqueles bandidos foi tudo uma armação criminosa contra mim, patrocinada pelos colegas do partido”. O ex-senador Antero também soube da fraude. “Liguei para o Serra e avisei que estavam fazendo a mesma patifaria contra ele". Pois é, Fernando Haddad está quase fora do Ministério da Educação e quem é candidato para ocupar o seu lugar? Ele, Carlos Abicalil.

Queda de helicóptero mata namorada do filho de Sergio Cabral e mulher de dono da Construtora Delta

Mariana Noleto, namorada de Marco Antônio Cabral, filho do governador Sergio Cabral morreu na noite de sexta-feira na queda de um helicóptero na região de Porto Seguro (BA). Marco Antônio Cabral iria na próxima viagem do helicóptero até um luxuoso resort em Trancoso, onde seu pai, o governador fluminense, divertia-se desde a sexta-feira. A aeronave que caiu deixou Porto Seguro em direção ao condomínio de luxo Jacumã Ocean Resort, em Trancoso, e desapareceu às 18h40. No helicóptero estavam sete pessoas. Até o final da noite de sexta-feira, dois corpos haviam sido resgatados. As outras vítimas são Jordana Kfuri Cavendish, seu filho Lucas, e outra criança. Jordana era mulher do dono da empreiteira Construtora Delta, campeã em vencer licitações para obras públicas no Rio de Janeiro, Fernando Cavendish. A babá de Lucas e o piloto, o empresário Marcelo Almeida, sócio do resort, também morreram. Morreu no hospital, neste sábado, aquela que tinha sido a única sobrevivente, Fernanda Kfouri, irmã de Jordana. Fernando Cavendish, marido de Jordana, e Marco Antônio, só não embarcaram no helicóptero nessa viagem pois não havia lugar. Sérgio Cabral é o chamado governador acidental, está sempre viajando a turismo.

Aécio Neves sofre fraturas em cinco costelas após cair de cavalo em Minas Gerais

Aécio Neves
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) sofreu um acidente enquanto cavalgava nas proximidades da fazenda de sua família, em Cláudio, no interior de Minas Gerais. O cavalo rodou, levando Aécio Neves ao chão. Aécio Neves quebrou a clavícula direita e cinco costelas do lado direito do corpo. O acidente ocorreu no fim da tarde de sexta-feira. Ele praticava montaria com um primo e um amigo. Após a queda, Aécio foi levado a um hospital de Belo Horizonte, onde ficou internado até o início da noite de sábado.

Mão de obra negra sustenta agronegócio, diz secretária

A mão de obra negra é o eixo que movimenta o agronegócio, disse a secretária de Políticas de Ações Afirmativas da Presidência da República, Anhamona Silva de Brito. Anhamona esteve em Ribeirão Preto, um dia depois de a presidente da República, Dilma Rousseff, lançar na cidade, considerada capital do agronegócio, o Plano Agrícola e Pecuário 2011/2012, que destinará R$ 107,2 bilhões à agricultura empresarial. A secretária participou do Fórum Social de Ribeirão Preto, braço municipal do Fórum Social Mundial. Para ela, discutir racismo na cidade que cresceu com o agronegócio é um avanço: "Pautar essa questão como algo emergencial e urgente é uma forma de perceber os elementos da opressão, como o racismo e o sexismo". Anhamona diz que migrantes que vieram do nordeste para trabalhar na agricultura da região conduziram o agronegócio em Ribeirão Preto: "Se retroagirmos no tempo, veremos que essas pessoas são descendentes de africanos e africanas. Se pegarmos essa população, perceberemos que eles não tem os mesmos direitos que os demais".

José Dirceu critica posição do governo Dilma sobre Lei da Anistia

O ex-ministro e uma das principais lideranças do PT, José Dirceu (deputado federal cassado por corrupção e réu na ação penal do Mensalão do PT, no Supremo Tribunal Federal), fez críticas veladas neste sábado sobre a posição do governo de abrir mão da revisão da Lei da Anistia. Para ele, crimes cometidos na ditadura militar (1964-1985), como tortura e assassinatos, não prescrevem. José Dirceu classificou como "aberração" o fato de se estabelecer reciprocidade entre militares e torturados durante a ditadura. "Mais cedo ou mais tarde será declarado por autoridades internacionais que o Brasil está fora da lei", afirmou. "Estamos em sentido contrário ao de todos os outros países do mundo, principalmente da América do Sul", disse José Dirceu: "É engraçado. Todos nós fomos processados, exilados, alguns torturados, aí falam de reciprocidade, é uma aberração". Ele pregou ainda que se conhecer os autores de "atos graves" na ditadura, que sejam "pelo menos expostos". Ele não defendeu, entretanto, julgamentos e prisões. A posição de Dirceu coincide com a defendida pela presidente Dilma Rousseff em 2008, quando comandava a Casa Civil. Na campanha presidencial ela passou a evitar polêmicas e se disse contra "revanchismos".

Lula defende Dr. Hélio e diz que oposição "achincalha" PT

O ex-presidente Lula aproveitou platéia de petistas para sair em defesa do prefeito de Campinas, Doutor Hélio (PDT), durante evento em Sumaré (SP), na manhã deste sábado. A mulher do político, Rosely Nassim, e o vice-prefeito Demétrio Vilagra, que é do PT, são acusados pelo Ministério Público de Campinas de fraude e desvio de verbas da prefeitura. "Não vamos esquecer, em 1989, tentaram colocar uma camisa do PT em um dos sequestradores do Abílio Diniz. Não vamos esquecer, o vice de Campinas estava de férias com a mulher quando estamparam cartazes de procurado no aeroporto", afirmou Lula. O ex-presidente sugere que as acusações são de interesse dos opositores do partido. "Os adversários não brincam em serviço. Toda vez que o PT se fortalece, eles saem achincalhando o partido", disse Lula. E prosseguiu, agressivo: "Estou de saco cheio de ver companheiros serem acusados, terem a família destruída, e depois não ter prova contra eles". O ex-ministro José Dirceu, deputado federal petista cassado por corrupção e réu no processo penal do Mensalão do PT, no Supremo Tribunal Federal, também citou o prefeito de Campinas em seu discurso, durante o encontro das macrorregiões do PT. Segundo ele, começou um movimento para "desestabilizar as nossas prefeituras". O ex-ministro da Casa Civil afirmou que as investigações contra o vice e a mulher de Doutor Hélio estão sendo usadas politicamente: "Eu não deveria assumir esse papel, vocês sabem da minha condição. Mas quando fizeram o que fizeram comigo, Doutor Hélio teve a coragem de me defender publicamente".

OAB quer criar categoria para bacharéis sem Exame da Ordem, advogados de segunda classe

A OAB no Rio Grande do Sul (OAB/RS) quer instituir a categoria de estagiário bacharel nos quadros da entidade. A proposta, encaminhada na última quinta-feira ao Conselho Federal da Ordem, diz buscar uma alternativa aos bacharéis em Direito que não passaram no Exame de Ordem. De acordo com a OAB, o Brasil tem hoje 2 milhões de bacharéis, sendo que apenas pouco mais de 745 mil podem advogar. Hoje, o estudante de Direito pode exercer a função de estagiário por até três anos, período que pode ser concluído quando ele já for um bacharel. A idéia, explica o presidente da OAB no Estado, Claudio Lamachia, é possibilitar que os bacharéis que ainda não passaram no Exame de Ordem possam continuar desempenhando as mesmas funções dos estagiários, por mais três anos. Na verdade, a OAB estaria criando um novo quadro, o de advogado de segunda classe. Esse enorme exército de bacharéis ficaria como uma mão de obra barata para escritórios de advocacia. Diz Lamachia: “Hoje, esse profissional que já se formou, exerceu os três anos de estágio e não passou no exame, fica à margem do mercado de trabalho, pois não é nem advogado, nem estagiário. Estamos propondo a alteração dessa situação”. O que Lamachia deveria apoiar é a extinção dessa excrescência chamada de Exame de Ordem, algo inconstitucional que só pode ter vigência no Brasil, um País botocudo.

Eike Batista quer abrir flat em edifício do Flamengo no Rio de Janeiro

A REX, empresa de Eike Batista, está fechando negócio com o Flamengo para administrar um prédio do clube na praia do Flamengo e transformá-lo em um flat para hospedar turistas da Copa-14 e da Olimpíada-16. Pelo acordo, que deve ser formalizado nos próximos dias, a REX irá pagar ao Flamengo R$ 18 milhões para gerir o edifício por 25 anos, com possibilidade de renovação por mais 25. Além desse valor, o clube terá direito a 1,5% da renda bruta do prédio e dois andares à disposição do time profissional, para servir de concentração. Clubes visitantes também poderão utilizar o local. Assim que fechar o negócio, a empresa de Eike Batista promete reformar o prédio, que está  deteriorado. Os apartamentos, com cerca de 190 metros quadrados, serão divididos para abrigar mais turistas nos megaeventos. O contrato com o Flamengo prevê ainda que a empresa terá dois anos de carência para negociar com inquilinos as saídas dos apartamentos. O prédio é ocupado por atletas do clube, que terão de ser realocados.

Lula ataca imprensa de novo e pede "enquadramento" dos jornalistas

Um evento de "blogueiros progressistas" (são os chapas brancas do petismo) se transformou na sexta-feira, em Brasília, em palco para o ex-presidente Lula e o ministro Paulo Bernardo (Comunicações) dispararem ataques à mídia. Lula criticou o papel de "falsos formadores de opinião" e cobrou a discussão do marco regulatório da mídia (conjunto de leis e diretrizes que regulariam o funcionamento do setor, na verdade, o "enquadramento" de jornalistas e empresas, uma censura). Paulo Bernardo disse que os meios de comunicação precisam saber "ouvir críticas", cobrou aprovação de lei pelo Congresso que estabeleça o direito de resposta e disse estar finalizando o debate da nova regulamentação. O evento foi patrocinado pela Petrobras, Fundação Banco do Brasil, Itaipu binacional e governo do Distrito Federal. Participaram cerca de 400 blogueiros chapas-branca que apoiaram o governo Lula e a eleição de Dilma Rousseff.

Governo faz mais concessões do que Fifa e COI exigem

O projeto do governo Dilma que altera as regras de licitações para obras da Copa-2014 e da Olimpíada-2016 vai além das exigências da Fifa e do COI (Comitê Olímpico Internacional). Com o modelo proposto, o Brasil abre mão de mecanismo para reduzir os custos dos Jogos e cria um sigilo incomum de dados financeiros. O projeto prevê que os orçamentos prévios não sejam divulgados e possibilita que ocorra um estouro ilimitado deles se a Fifa e o COI fizerem novas exigências. O contrato da Rio-2016 prevê que o comitê internacional pode refazer todos os manuais técnicos da competição. Esses documentos criam as regras para a construção de sedes esportivas, Vila Olímpica e segurança. Mas o texto diz que, se uma dessas modificações resultar em "efeito financeiro adverso", o COI deve negociar com a parte interessada. O projeto do governo, porém, permite um reajuste ilimitado no orçamento dos Jogos, acima dos 50% previstos na Lei de Licitações. Em Londres-2012, o governo reduziu despesas ao deslocar a sede de badminton e de ginástica rítmica em negociação com COI e federações internacionais. Foram economizados R$ 52 milhões. Os britânicos publicam mensalmente todos os gastos da Autoridade Pública Olímpica na internet e as licitações têm valores divulgados. O contrato da Copa-2014 para o Brasil é mais restrito para negociações. O "Acordo para Sediar" prevê que a Fifa possa solicitar modificações em planos dos estádios "a qualquer momento". Não há previsão de acordo para as mudanças. Também não existe uma vedação à divulgação dos orçamentos.

Angolanos e colombianos lideram número de refugiados no Brasil

Angola, Colômbia e República Democrática do Congo são os países com maior representatividade no total de refugiados no Brasil, informou na sexta-feira o Ministério da Justiça. O País tem 4.401 refugiados de 77 nacionalidades diferentes, e os angolanos representam 38% deste total, seguidos pelos colombianos, com 14 %, e congoleses, com 10 %. Liberianos e iraquianos aparecem em seguida, em quarto e quinto lugares. "O Brasil é um país acolhedor e generoso e o status de refugiado dá ao indivíduo os mesmos direitos do brasileiro, de moradia, trabalho, saúde e outros", explicou o secretário executivo do Ministério da Justiça e presidente do Conare (Comitê Nacional para os Refugiados), Luiz Paulo Barreto, em nota.

Nova York acrescenta mais uma vítima ao número oficial do 11/9

Autoridades de Nova York incluíram na sexta-feira um homem que morreu devido a uma doença pulmonar no ano passado à lista oficial de mortos pelos ataques terroristas da Al Qaeda, de 11 de setembro de 2001, contra as Torres Gêmeas, fazendo o número oficial de vítimas subir para 2.753 pessoas. O escritório Médico Legista da cidade de Nova York informou na sexta-feira da decisão de classificar como homicídio a morte de Jerry Borg, que contraiu a doença pulmonar devido ao pó que inalou no atentado. Borg trabalhava próximo do World Trade Center e, durante sua fuga, inalou restos de amianto, chumbo e gases tóxicos que causaram sarcoidose, uma doença inflamatória que afetou seus pulmões. Ele se tornou, assim, a terceira pessoa morta em consequência de doenças relacionadas com o pó provocado pela queda das torres que as autoridades legistas nova-iorquinas somam à lista oficial de mortos, apesar dos inúmeros pedidos existentes por casos similares. As outras duas pessoas foram Felicia Dunn-Jones (uma advogada que trabalhava também próximo das Torres Gêmeas e que também morreu de sarcoidose) e Leon Heyward, um funcionário da prefeitura que ajudou nas tarefas de resgate posteriores ao impacto dos aviões, e que morreu como consequência de um linfoma.

Vale paralisa atividades em projeto na Argentina

A Vale vai paralisar as atividades no projeto Potássio Rio Colorado, na província argentina de Mendoza. A decisão da mineradora é consequência da determinação do governo de Mendoza para suspensão das obras em função de dúvidas sobre o cumprimento do acordo para utilização de fornecedores e de mão de obra local. A Argentina exigiu que a empresa reservasse 75% dos contratos de serviços e de mão de obra para fornecedores e funcionários de Mendoza. Porém, o secretário de Meio Ambiente de Mendoza, Pablo Gudiño, disse que esse percentual não foi cumprido. Esperava-se que fossem gerados 12 mil empregos diretos e indiretos com o projeto. No ano passado, estimava-se que o projeto recebesse cerca de US$ 4,12 bilhões em investimentos. A previsão era que o projeto entrasse em operação em 2013, produzindo inicialmente 2,4 milhões de toneladas de potássio, que seriam usados para fabricar fertilizantes para o mercado brasileiro. A exploração na Argentina é considerada estratégica para a agricultura regional, que hoje depende em grande parte de fertilizantes importados de fora da América do Sul. Com a mina em funcionamento, o país se tornaria um dos cinco principais produtores mundiais. Os direitos de exploração das reservas haviam sido comprados em 2009 da empresa australiana Río Tinto e incluem reservas na província vizinha de Neuquén. Além da mina, a empresa teria de construir um ramal ferroviário e as instalações portuárias e termoelétricas. O projeto obteve licença ambiental há cerca de dois anos, mas esperava o aval do Legislativo de Mendoza, que exigia maior contrapartida da Vale.

EPTV compra jornal e site de Araraquara

A EPTV (Emissoras Pioneiras de Televisão) adquiriu na sexta-feira o jornal "Tribuna Impressa" e o portal Araraquara.com, ambos com sede em Araraquara (cidade localizada a 273 quilômetros de São Paulo). Segundo o diretor do "Tribuna Impressa", Francisco Belda, o jornal tem uma circulação diária de 8.000 exemplares (o veículo não circula às segundas-feiras) e o portal na internet tem 2,2 milhões de visualizações por mês. O objetivo da empresa é buscar sinergia com as outras operações do grupo. Proprietária de quatro retransmissoras da TV Globo (três no Estado de São Paulo, em Campinas, Ribeirão Preto e São Carlos, e uma em Minas Gerais, em Varginha), a EPTV tem agora dois jornais. Há cinco anos, a EPTV adquiriu 50% do capital acionário do jornal "A Cidade", de Ribeirão Preto. A emissora também controla a rádio Jovem Pan, de Ribeirão Preto.

Governo Dilma confirma dois nomes do PMDB para a Conab

O governo Dilma confirmou na sexta-feira, com a publicação no Diário Oficial, duas nomeações de peemedebistas para a diretoria da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). Foram nomeados Oscar Jucá Neto, irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), e o ex-deputado Marcelo Melo (PMDB-GO). O PMDB tem sido, ao lado do próprio PT, um dos principais partidos a cobrar nomeações da presidente Dilma Rousseff. A nomeação do irmão de Jucá vem também em um momento em que temas de grande interesse do governo passam pelo Senado, Casa na qual Jucá é um dos principais articuladores do Planalto.

MP que amplia recursos do BNDES tranca pauta do Senado

A pauta do plenário do Senado para os próximos dias está trancada por conta de uma medida provisória que aumenta o volume e a capacidade de financiamento do BNDES. Ela precisa ser votada até 1º de julho, caso contrário perderá a validade. A medida também amplia os recursos totais destinados aos financiamentos do BNDES subvencionados pela União, no montante de R$ 75 bilhões, em operações contratadas até 30 de junho de 2012. De acordo com o Executivo, a MP é necessária para ampliar a capacidade competitiva das empresas brasileiras por meio do incremento dos investimentos em inovação e modernização do parque produtivo. Para não perder a validade, a MP precisa ser votada até o próximo dia 1º de julho.

Governo petista gaúcho confirma mais dois casos de gripe suína

A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul confirmou no início da noite de sexta-feira mais dois casos de gripe A (H1N1) no Estado. Uma mulher de 33 anos e outra de 47 anos estão internadas nas cidades de Bagé e Viamão. Elas não receberam a vacina antigripe. Com os novos casos confirmados na sexta-feira já são 11 os pacientes diagnosticados com gripe A (H1N1) no Rio Grande do Sul, que teve o pior índice de vacinação na campanha nacional. Na última quinta-feira a secretaria de Saúde do governo petista do peremptório governador Tarso Genro divulgou a morte de um bebê de 10 meses. Ele foi a quarta pessoa a morrer da chamada gripe suína em 2011 no Estado.

Promotoria vai a Justiça para que Ribeirão Preto monitore lixões

O Ministério Público Estadual paulista recorreu à Justiça para obrigar a prefeitura de Ribeirão Preto a cumprir os compromissos de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) proposto no último dia 23 para a remediação e monitoramento dos quatro lixões desativados da cidade. Na ação civil pública ajuizada na sexta-feira, a promotoria fixa um prazo de 30 a 120 dias para revisão e adequação dos poços de monitoramento, instalação de novos pontos, impermeabilização das áreas e análises do solo e água subterrânea. Segundo o promotor Marcelo Pedroso Goulart e os técnicos da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), indícios de contaminação no aquífero Guarani evidenciaram a necessidade de um monitoramento mais completo nas áreas. O aquífero é a única fonte de abastecimento público de Ribeirão. A água é extraída de poços na cidade. Um estudo feito há 14 anos identificou contaminação por ferro e manganês na água subterrânea da região do entorno de um dos poços de monitoramento existentes em Ribeirão. O ferro e o manganês em quantidades acima do limite no organismo geram quadro de intoxicação e causam dores musculares e nas articulações, além de dores de cabeça e distúrbios comportamentais, segundo o médico toxicologista Igor Vassilieff, titular de farmacologia da Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Botucatu. Os lixões foram desativados há 20 anos. Durante o período em que se mantiveram ativos, as áreas receberam diversos tipos de lixo, desde doméstico até industrial, hospitalar e animais mortos. A contaminação do solo e água subterrânea foi gerada pelo chorume produzido a partir da decomposição dos resíduos. Os lixões desativados de Ribeirão Preto estão localizados nos bairros Jardim Juliana, Parque dos Servidores, Jardim das Palmeiras e às margens da rodovia Abrão Assed.

Suplente acusado de matar deputada em 1998 vai a júri popular

Doze anos e meio depois de a deputada federal Ceci Cunha (PSDB-AL) ter sido assassinada, o Tribunal Regional Federal da 5ª Região decidiu na última quinta-feira que os cinco réus acusados de matá-la serão levados a júri popular. O ex-deputado federal Talvane Albuquerque é acusado de ser o mandante do crime, conforme a denúncia. Ele era adversário político de Ceci Cunha e assumiu a vaga na Câmara dos Deputados após a morte dela. A deputada foi assassinada em dezembro de 1998, na noite em que foi diplomada para seu segundo mandato. Ela estava em frente à casa da irmã, em Maceió (AL), quando foi alvejada por tiros. Também foram mortos o marido da deputada, o cunhado e a mãe dele. Um sobrevivente disse que três homens fizeram os disparos. Além de Talvane Albuquerque, quatro seguranças que trabalhavam com ele também serão julgados. O ex-deputado chegou a tomar posse, mas teve o mandato cassado no ano seguinte por quebra de decoro e teve a prisão decretada logo após a cassação. O caso da morte de Ceci Cunha está sendo monitorado pela Corregedoria Nacional de Justiça desde o ano passado, juntamente com outros processos que tiveram grande repercussão e que estavam parados.

MEC torna obrigatório descanso pós-plantão para médicos residentes

Resolução publicada no Diário Oficial da União de sexta-feira estabelece que os residentes de Medicina devem cumprir descanso obrigatório após trabalharem em plantões noturnos. De acordo com o texto, da Comissão Nacional de Residência Médica, vinculada à Secretaria da Educação Superior do Ministério da Educação, o descanso obrigatório deve começar logo após a realização de plantão noturno de 12 horas. A resolução diz ainda que o descanso deve ser de seis horas consecutivas e proíbe o acúmulo de horas de descanso para serem gozadas depois. A resolução considera o "desgaste físico e psíquico do médico residente" e as "evidências científicas que evidenciam o estresse sofrido" nos plantões.

Força Sindical condena "criminalização de movimentos" após prisão de José Rainha

Em nota divulgada na sexta-feira, a Força Sindical condena a "criminalização dos movimentos sociais" com a prisão do chefete sem-terra José Rainha Jr, ocorrida na manhã da última quinta-feira. "A Força Sindical tem a convicção de que denúncias precisam ser apuradas rigorosamente e os culpados têm de receber punição exemplar. Porém, não concorda com a posição de setores atrasados e conservadores que, usando de forma oportunista a prisão do dirigente, passaram a criminalizar e a pedir a punição dos movimentos sociais em geral, especialmente dos trabalhadores do campo que lutam pela reforma agrária". O MST e seus congêneres são entidades clandestinas terroristas. A Força Sindical classifica o fato como "a nova e a velha direita em orquestração contra a democracia, contra as aspirações legítimas dos movimentos sociais e contra as justas e oportunas reivindicações dos trabalhadores do campo e da cidade". A Operação Desfalque da Polícia Federal prendeu também outras oito pessoas, incluindo uma servidora do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) e o irmão e advogado de Rainha, Roberto Rainha. Foram expedidos dez mandados de prisão. A investigação começou há cerca de 10 meses para apurar crimes de apropriação indébita e extorsão contra os assentados, além dos delitos de estelionato, peculato e formação de quadrilha. De acordo com a Polícia Federal, as denúncias apontam que o grupo utilizou associações civis, cooperativas e institutos para se apropriar ilegalmente de recursos públicos destinados a manutenção de assentados em áreas desapropriadas para reforma agrária. José Rainha tem passagens pela prisão por furto, formação de quadrilha, coautoria em dois homicídios e porte ilegal de arma, entre outros crimes. Ele foi expulso da organização terrorista clandestina MST em 2004, mas continuou participando de ocupações utilizando a bandeira do movimento.

José Dirceu defende prefeito de Campinas e ataca vereadores tucanos

O ex-ministro José Dirceu (PT), deputado federal cassado por corrupção e réu no processo penal do Mensalão do PT, atacou na sexta-feira as investigações envolvendo a prefeitura de Campinas que apura um esquema de fraude em licitações envolvendo a Sanasa (empresa mista de tratamento de água e esgoto da cidade). José Dirceu afirmou em seu blog que a operação, que chegou a prender 22 suspeitos preventivamente, é "mais um exemplo de uso político de investigações do Ministério Público de São Paulo, de objetivos eleitorais e ação política travestidos de luta pela ética". O petista defendeu o prefeito de Campinas, Hélio de Oliveira Santos, o dr. Hélio (PDT), que não é mencionado nas investigações do Ministério Público, mas é alvo de uma comissão processante na Câmara dos Vereadores. Dr. Hélio teve o seu afastamento, durante as investigações votado na Câmara na última quarta-feira, mas a medida só conseguiu 16 dos 22 votos necessários para aprovar o pedido. Para José Dirceu, esse é "um caso exemplar de abuso de autoridade, de prisões preventivas desnecessárias e ilegais, de coação, de ameaças e chantagens políticas por parte de vereadores ligados ao governo tucano de São Paulo".

TCU quer ampla transparência de custo de obras da Copa

O Tribunal de Contas da União divulgou nota na sexta-feira em que pede "ampla" transparência nos gastos públicos referentes à Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016. "Em observância ao princípio constitucional da publicidade, seja essencial a ampla disponibilização à sociedade da totalidade dos custos das obras, de modo a assegurar a transparência, a prestação de contas dos gastos públicos e permitir o controle social", informa o texto. Na nota, o órgão pede que o Congresso discuta ainda mais sobre alguns aspectos que foram aprovados na MP 527, que arrombou a lei de licitações. O principal ponto de discórdia do órgão é com o chamado "regime de execução por contratação integrada". Por este regime, o governo passa a contratar o projeto e a obra num mesmo contrato, com preço fechado. "Tão ou mais importante que dotar o País de uma boa lei, é preciso estimular a cultura do planejamento. Projetos bem elaborados e qualificação de pessoal são requisitos essenciais para adequadamente aplicar a legislação aprovada. Afinal, a lei detém apenas capacidade limitada de influenciar a realidade. A execução adequada dos projetos e a boa gestão dos contratos dependem fundamentalmente de ações complementares que fogem ao escopo da discussão apenas encetada", diz o texto.

Lula reúne sindicalistas e intelectuais para debater idéias sobre instituto

Antes de discursar para uma platéia de "blogueiros progressistas", o ex-presidente Lula se reuniu na sexta-feira, em Brasília, com um grupo de sindicalistas e intelectuais argentinos. Lula tem feito rodadas de conversas com representantes da "sociedade organizada" de países vizinhos em busca de idéias para a criação de um programa do Instituto Lula para a América Latina e para a África. Lula já teve conversas semelhantes com uruguaios e paraguaios. "É uma conversa para ouvir. O Instituto Lula tem duas linhas de atuação, uma para a África e outra para a América Latina. Nessa linha de integração e cooperação. O ex-presidente está trabalhando nessas questões, mas ainda não fechou como serão esses programas", disse o assessor e ex-ministro Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência).

Autoridades italianas criticam declarações de Lula sobre caso do terrorista Battisti

Autoridades italianas criticaram na sexta-feira as declarações do ex-presidente Lula de que os protestos contra a não extradição do terrorista Cesare Battisti são frutos da derrota eleitoral sofrida pelos partidos de direita nas eleições municipais. A ministra italiana da Juventude, Giorgia Meloni, disse que as afirmações de Lula provam que a decisão do Supremo Tribunal Federal brasileiro foi tomada por motivações "políticas". "A Itália não pode tolerar que um vulgar assassino como Cesare Battisti permaneça em liberdade, assim como não pode aceitar a superficialidade com a qual um ex-chefe de Estado estrangeiro faz piada sobre seus mortos", protestou a ministra. Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro assassinatos cometidos na década de 1970, quando integrava o grupo de extrema-esquerda PAC (Proletários Armados pelo Comunismo). "O ex-presidente brasileiro Lula deve parar de fazer campanha eleitoral com os mortos italianos, ignorando que, para boa parte da população do seu país, a decisão do Supremo Tribunal foi vista como um tapa contra a Justiça", afirmou. Para o vice-ministro de Infraestrutura e Transporte da Itália, Roberto Castelli, as declarações de Lula "demonstram que a decisão foi inspirada por motivações puramente políticas, e não jurídicas".

PSDB estuda medida jurídica contra proposta de sigilo nas obras da Copa

Em nota divulgada na tarde de sexta-feira, o secretário-geral do PSDB, deputado federal Rodrigo de Castro (MG), criticou a medida provisória aprovada na quarta-feira na Câmara, que pretende criar o RDC (Regime Diferenciado de Contratações) e explicita o sigilo das informações a respeito dos orçamentos das obras da Copa de 2014 e da Olimpíada de 2016. Ele afirmou que o departamento jurídico do partido já estuda "as medidas cabíveis no sentido de impedir esse abuso com o contribuinte brasileiro". O presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE), também divulgou comunicado criticando a aprovação do RDC pela Câmara, o que, segundo ele, configura "um verdadeiro crime com relação à Copa do Mundo".

Conselho da Petrobras barra plano de negócios

O Conselho de Administração da Petrobras pediu, mais uma vez, novos ajustes na proposta da direção da estatal para Plano de Negócios 2011/2015 da companhia, apreciado na sexta-feira. É a segunda vez que o conselho rejeita o plano proposto. A primeira vez foi em 13 de maio. Reunidos em São Paulo, os conselheiros determinaram que fossem feitos novos estudos e ajustes no plano e discutiram alguns investimentos incluídos no programa. Houve divergência nos valores apresentados. O governo, controlador da empresa e que indica a maioria dos conselheiros, quer investimentos próximos ao plano atual, de US$ 224 bilhões. A direção da companhia deseja acelerar investimentos diante das necessidades de desenvolver as reservas do pré-sal. Uma das preocupações do governo é com a inflação, dado o poder dos investimentos da companhia como fator de aquecimento da economia. Outro ponto em discussão são as previsões de preços dos combustíveis contidas no plano. O governo rejeita a ideia de reajustes no curto prazo justamente por conta da repercussão negativa na inflação. Resumindo: foi mais um péssimo sinal para o mercado, e ações da Petrobrás deverão continuar em queda, no Brasil, na bolsa de Nova York e outras.

Funcionários estão em greve em 44 universidades federais

A greve dos técnicos administrativos das universidades federais, que começou há quase duas semanas, já conta com a adesão de servidores de 44 instituições. Desde o início da paralisação, a direção do movimento grevista não conseguiu reunir-se com o Ministério do Planejamento para que as negociações sejam retomadas. O impasse já prejudica os estudantes e pode colocar em risco o calendário universitário. Nesta quinta-feira, integrantes  participaram de uma mesa-geral de negociação salarial no Ministério do Planejamento com representantes de diversas categorias. Segundo Paulo Henrique dos Santos, coordenador-geral da Fasubra (Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Brasileiras), o movimento pede que o piso da categoria seja reajustado em pelo menos três salários mínimos e a abertura imediata de concursos públicos para a substituição dos funcionários terceirizados. De acordo com a Fasubra, hoje os servidores recebem R$ 1.034,00. Na UnB (Universidade de Brasília), onde os servidores aderiram ao movimento, a biblioteca e o restaurante universitário estão fechados.

Petrobras acha indícios de petróleo na bacia Sergipe-Alagoas

A Petrobras encontrou indícios de petróleo nas águas profundas da bacia Sergipe-Alagoas, onde tem parceria com a IBV Brasil, uma subsidiária das indianas Bharat PetroResources Limited e Videocon Industries. A descoberta foi realizada a 2.321 metros de lâmina d'água (distância entre a superfície e o fundo do mar), no bloco SEAL-M-426, no poço 1BRSA851SES, de acordo com informação recebida pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). Em outubro do ano passado, a Petrobras anunciou a primeira descoberta do bloco, que fica a 58 quilômetros da costa de Sergipe. A empresa considerou na época que a área é uma nova fronteira petrolífera, já que as características geológicas são semelhantes às da bacia de Campos, maior produtora de petróleo do País, e a qualidade do óleo é leve como o do pré-sal da bacia de Santos. O bloco foi adquirido na 6ª rodada de licitações da ANP, em 2004.

Fernando Henrique Cardoso diz que Lula deve ter "algum problema psicológico"

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que completou 80 anos neste sábado, afirmou em entrevista ao jornal "Correio Braziliense" que não sente mágoa do também ex-presidente Lula (PT) e que se dá bem com o petista quando se encontram. Mas, segundo ele, a relação entre os dois não é mais civilizada porque Lula "tem dificuldade em fazer gestos" com ele. Lula não se manifestou a respeito do aniversário de 80 anos de Fernando Henrique Cardoso, que ganhou um site especial para a ocasião e recebeu, inclusive, uma carta elogiosa da presidente Dilma Rousseff. Fernando Henrique Cardoso afirmou que não acha estranho a falta de comunicação com o rival político: "Ele nunca me ligou por aniversário algum. O Lula e eu, quando estamos juntos, nos damos bem. Agora, ele deve ter algum problema psicológico, tem dificuldade em fazer gestos comigo". Ele garantiu não estar magoado, mas lamentou a situação: "Não é que me doa. Mas, do ponto de vista do Brasil, ex-presidente é bom que tenha uma relação civilizada. Infelizmente, não pude ter uma relação mais civilizada com o Lula". Para Fernando Henrique Cardoso, porém, a manifestação de Dilma sobre seus 80 anos não é uma demonstração de que ela deseja brigar com seu antecessor e aliado: "Acho que ela entendeu que era melhor a distensão do que um clima crispado. Mas acho que pára aí. Não acho que ela queira brigar com Lula". Na entrevista, o ex-presidente também afirmou que a guerra entre o PSDB e o PT, partido que ele denominou de "rei da infâmia", é falsa e baseia-se essencialmente na disputa pelo poder. Para ele, vários dos projetos de governo das duas legendas são parecidos, tanto do ponto de vista empresarial quanto o social. "O que discrepa entre os dois partidos? O PT mantém uma certa visão de partido, Estado e sociedade que é diferente do PSDB. O PT ainda acredita que o melhor para o País é que um partido, eles, ocupe o Estado, e que o Estado mude a sociedade. O PSDB não vai nessa direção. É mais republicano, no sentido de separar mais", disse Fernando Henrique Cardoso.