terça-feira, 19 de abril de 2011

Slim quer elevar para 100% a sua participação na brasileira Star One

O bilionário Carlos Slim, dono da Embratel, da Net e da Claro no Brasil, quer adquirir todo o controle da empresa brasileira de telecomunicações Star One. Hoje, ele detém 80% de participação na companhia e quer comprar os 20% restante da General Eletric Satelleties, atual sócia no negócio. Em comunicado à Bolsa do México, Slim, considerado o homem mais rico do mundo pelo ranking da revista Forbes, disse esperar aprovação do negócio para o terceiro trimestre deste ano. A transação precisa ser autorizada pela Anatel. A empresa tem 25 anos de atuação no mercado brasileiro e era uma unidade de negócios da Embratel. Foi transformada em Star One em 2000. Com sua frota de satélite, a companhia oferece serviços desde distribuição de sinal de televisão, até rádio e telefonia. Além da própria Embratel, estão entre seus clientes, Globo, Jovem Pan e Record. A Star One lucrou R$ 231 milhões em 2009. Já a Embratel, sua controladora, encerrou o ano de 2010 com um lucro líquido de R$ 723 milhões.

Lula defende proibição de "dinheiro privado" em campanhas eleitorais

Escolhido como articulador do PT na reforma política, o ex-presidente Lula defendeu o financiamento público de campanha com a proibição de doações privadas. "Para a gente acabar com a corrupção, por isso que eu defendo a proibição de dinheiro privado e a constituição de fundo público, como tem em outros países", afirmou Lula em vídeo do site de militantes petistas MobilizaçãoBR. No depoimento gravado na segunda-feira, durante reunião com dirigentes do PT, o ex-presidente também disse que é preciso manter a fidelidade partidária durante a reforma, "para que a gente evite que os deputados acabem de se eleger e troquem de partido". Lula afirmou que a questão necessita do apoio dos outros partidos: "É preciso que a gente trabalhe com outros partidos políticos uma espécie de consenso, pelo menos algo que seja próximo de uma coisa para vai ser aprovada no Congresso". Lula é um grande conhecedor das qualidades do "caixa 2", que "financiou" sua campanha presidencial.

Músicos demitidos rejeitam proposta de orquestra

Músicos demitidos da OSB (Orquestra Sinfônica Brasileira) recusaram nesta terça-feira, em assembléia, a proposta de readmissão feita na segunda-feira pela direção da orquestra, e aprovada pelo conselho consultivo da fundação. O ponto central da discórdia diz respeito à presença do maestro Roberto Minczuk como regente titular e diretor artístico. Os músicos querem que ele deixe o cargo, tendo em vista "a grave crise de relacionamento" existente entre o maestro e os músicos. O conselho já determinou que ele não será demitido. Outros dois pontos também foram rejeitados pelos ex-funcionários: a conversão da demissão por justa causa em suspensão por dois dias, e o condicionamento da readmissão a uma nova avaliação de desempenho, desta vez em grupo, no mês de junho. Os músicos não aceitam qualquer tipo de punição e sugerem que a avaliação seja substituída por um programa de aperfeiçoamento, com resultados a longo prazo. É o fim da picada, os camaradas não querem ser avaliados, podem ser uns músicos altamente incompetentes e incapazes, mas querem permanecer no cargo, e ainda querem demitir o maestro. É a sovietização da cultura brasileira. A maioria desses músicos quer permanecer nas orquestras sinfônicas porque ali formam pequenos conjuntos para tocar em casamentos, convenções, aniversários, onde faturam alto, devido à pouco exigência musical do público.

Petrobras já admite que vai faltar gasolina em alguns postos

A Petrobras já admite que pode faltar gasolina em alguns postos do País. O problema é a falta de etanol anidro, que é misturado à gasolina. Enquanto a colheita se aproxima, houve diminuição da oferta de cana na entressafra. Isso pode deixar, em breve, partes do Brasil na posição atípica de não ter etanol suficiente para atender à mistura, que é de 25%. O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, reconheceu nesta terça-feira que pode faltar gasolina em alguns postos por causa da escassez de etanol. "O mais difícil em termos de abastecimento é o etanol anidro para ser misturado à gasolina. Se houver falta de gasolina, pode ser causada por isso", disse Costa. Os preços do etanol anidro subiram para níveis recordes. Distribuidores pagaram até R$ 2,80 pelo litro de etanol anidro nesta terça-feira, incluindo impostos, com ofertas atingindo até R$ 3,00 por litro, disseram corretores.

Senador Aécio Neves descarta fusão do PSDB com DEM

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse nesta terça-feira que o seu partido não pretende se fundir ao DEM. Segundo ele, é preciso que as duas siglas continuem juntas para as eleições municipais de 2012. "Nós achamos que esse é o momento de anteciparmos as coligações, identificarmos onde o DEM for mais forte, nós vamos de democratas, onde o PSDB for mais forte, nós vamos de PSDB, mesmo se for necessário que haja intervenções nacionais", afirmou o senador, após reunião com o presidente do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE), e secretário geral da sigla, deputado federal Rodrigo de Castro (MG). Para Aécio Neves, os dois partidos devem se coligar em todas as cidades com mais de 200 mil habitantes, onde existe a possibilidade de segundo turno.

Jihadistas assassinos de ativista italiano são executados em ação do Hamas em Gaza

Forças de segurança da organização terrorista Hamas invadiram nesta terça-feira um prédio onde estavam refugiados os assassinos de um ativista italiano pró-palestino, resultando na execução de dois deles, informou o grupo extremista islâmico Hamas. O governo da faixa de Gaza, que é dirigido pelo Hamas, disse que um dos jihadistas mortos - um jordaniano - cometeu suicídio com um tiro após acionar uma granada que matou o outro, no momento em que as forças de segurança invadiam o edifício onde estavam escondidos os jihadistas palestinos islâmicos. Três membros das forças de segurança também morreram no confronto contra os assassinos de Vittorio Arrigoni, que havia sido sequestrado por rebeldes jihadistas que queriam pressionar o Hamas a libertar o líder do grupo, que está preso. O italiano foi sequestrado na última quinta-feira e foi achado estrangulado no dia seguinte. Ele tinha sido um dos tripulantes do barco turco abordado por Israel no Mediterrâneo. Outro dos principais suspeitos do crime foi capturado vivo, junto com três militantes que estavam no prédio no momento, mas não foram identificados como envolvidos no crime. Além disso, dois suspeitos pela morte de Arrigoni já haviam sido detidos anteriormente. As forças do Hamas haviam cercado o prédio de quatro andares no campo de refugiados de Nuseirat horas antes e trocado tiros com os militantes. Uma tentativa de negociar a rendição deles fracassou, e pelo menos quatro explosões foram ouvidas na hora em que as forças do Hamas invadiram. Os militantes em questão são salafistas, partidários de uma forma ainda mais radical de governo islâmico do que o Hamas, e que aparentemente estão recrutando adesões na faixa de Gaza, inclusive entre membros do Hamas.

PSOL recorre ao Supremo contra medida que criou estatal hospitalar

O PSOL entrou com uma ação contra a medida provisória que criou a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. A estatal foi criada pelo ex-presidente Lula no último dia de seu governo. Na ação direta de inconstitucionalidade protocolada no Supremo Tribunal Federal, o partido afirma que a criação da estatal fere o princípio da autonomia universitária prevista na Constituição. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares foi feita para prestar serviços médicos e para fazer pesquisas nas universidades públicas federais. O PSOL ainda diz que a estatal não deveria ser criada por uma Medida Provisória, porque não é um assunto urgente. "Em vista do fácil apoio político das bases partidárias no Congresso Nacional, que sistematicamente aprovam acriticamente as medidas provisórias, a Presidência da República as edita sem qualquer receio de arquivamento por não preenchimento dos requisitos de admissibilidade", diz o partido na sua petição. A legenda aponta como outro problema o fato da estatal estar vinculada ao Ministério da Educação e não o da Saúde. A medida também é criticada por servidores das universidades federais.

Morre ator Michael Sarrazin, conhecido pelo filme "A Noite dos Desesperados"

O ator canadense Michael Sarrazin, de 70 anos, morreu em Montreal em consequência de um câncer. A informação foi confirmada por seu agente ao jornal Los Angeles Times. Ele ficou conhecido por seu papel no filme "A Noite dos Desesperados" (1969), de Sydney Pollack, no qual atuou ao lado da mitológica atriz Jane Fonda. O filme é baseado no romance "They Shoot Horses, Don't They? - "Mas não se mata cavalos") do escritor Horace McCoy. O filme conta a história de uma maratona de dança, em 1929, em plena depressão nos Estados Unidos, que leva seus participantes a dançar sem parar até o esgotamento e morte. Nos últimos anos, Sarrazin se dedicou a filmes para a TV e participação em séries, entre elas, "Nikita" e "The City".

Demora na entrega de imóveis do programa "Minha Casa" será investigada

O Ministério Público do Acre instaurou inquérito para investigar a demora do governo do Estado em entregar os imóveis do programa federal "Minha Casa, Minha Vida". Os inscritos no programa afirmam que há três anos aguardam a divulgação dos nomes dos contemplados. Segundo o promotor de Defesa dos Direitos Humanos, Gaucio Ney Shiroma Oshiro, o inquérito tem o objetivo de apurar a alteração do projeto inicial, que teria reduzido o tamanho das casas para diminuir custos, e de verificar o prazo previsto em contrato para a entrega das obras, os valores gastos e a forma de seleção das famílias. "A questão do tamanho das casas também será averiguada, porque parece que houve redução das unidades habitacionais. Mas ainda não temos nada de concreto", disse o promotor. Shiroma afirmou que vai estudar os contratos firmados entre empresas e o governo para verificar se os prazos estão sendo cumpridos.

PSDB perde mais um vereador em São Paulo

Chega a seis o número de baixas na bancada do PSDB na Câmara Municipal de São Paulo. O vereador Souza Santos, que na segunda-feira não havia confirmado a saída do partido, anunciou na tarde desta terça-feira, no plenário da Casa, seu pedido de desfiliação. "Sofremos uma perseguição odiosa e um processo desses não tem volta. Se é assim, prefiro sair", disse o vereador. Assim como os demais dissidentes, Santos defendeu a tese de que o novo comando do partido alijou os vereadores da cúpula do diretório municipal do PSDB. Com a saída de Santos, a bancada do PSDB fica reduzida a sete vereadores. A maioria dos dissidentes deve migrar para o PSD, partido do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Na segunda-feira, deixaram o PSDB os vereadores José Police Neto, que preside a Câmara Municipal, Dalton Silvano, Juscelino Gadelha, Gilberto Natalini e Ricardo Teixeira.

PCdoB lança Netinho como pré-candidato a prefeito de São Paulo

O Comitê Municipal do PCdoB de São Paulo aprovou o vereador e cantor Netinho de Paula como pré-candidato a prefeito de São Paulo em 2012. O partido também pretende lançar 83 candidatos para disputar a Câmara Municipal. Netinho está no seu primeiro mandato como vereador. No ano passado, ele disputou uma vaga no Senado. Com 7,7 milhões de votos (21,1%), ele não conseguiu se eleger, embora tenha chegado a liderar pesquisas na última semana. Na reta final, o tucano Aloysio Nunes ultrapassou concorrentes e foi o mais votado para as duas vagas de senador. Marta Suplicy (PT) ficou com a segunda cadeira. Outro nome que poderia disputar com Netinho a indicação era o do deputado Protógenes Queiroz. No ato de lançamento do PSD de Gilberto Kassab, o delegado afastado afirmou que se mudaria para a nova legenda fosse convidado para ser candidato a prefeito.

Mercado aéreo doméstico cresce 16,91% no primeiro trimestre

O mercado de vôos domésticos cresceu 25,48% em março na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) divulgados nesta terça-feira. O resultado contribui para uma alta de 16,91% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. Nos três primeiros meses do ano, a oferta de assentos cresceu 14,44% e a taxa de ocupação aumentou de 71,06% para 72,59%. O grupo TAM, que inclui vôos da Pantanal, retomou a liderança do mercado em março, com uma fatia de 41,84%. A Gol, que também opera com a bandeira Varig, veio em seguida com 38,83% dos vôos nacionais. Em fevereiro, a Gol havia alcançado 39,77% de participação e ultrapassou a TAM em vôos domésticos pela primeira em dez anos. A TAM também registrou a maior participação nos dados do trimestre. Os vôos da empresa representaram 41,81% do mercado aéreo doméstico. A Gol teve 38,55% de participação. Azul, Trip e Avianca aumentaram a presença no mercado em relação ao primeiro trimestre de 2010. Já a fatia da Webjet caiu de 6,3% nos três primeiros meses de 2010, para 5,55% em igual período deste ano.

Deputada presa pela Polícia Federal assume Comissão de Direitos Humanos na Assembléia do Amapá

A ex-primeira-dama do Amapá e deputada estadual Marília Góes (PDT) foi eleita na segunda-feira presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do Estado. Em setembro do ano passado, Marília, que é mulher do ex-governador Waldez Góes (PDT), foi presa junto com seu marido na Operação Mãos Limpas da Polícia Federal, que investigou um suposto esquema de desvios de verbas por funcionários públicos, políticos e empresários do Amapá. O Ministério Público Federal estima que o total desviado possa passar de R$ 300 milhões. Waldez Góes foi apontando nas investigações como um dos "cabeças" do esquema. Durante o governo de Waldez (2003-2010), Marília comandou a Secretaria de Inclusão e Mobilização Social. No ano passado, ela chegou a passar cinco dias presa em Brasília. Candidata a uma vaga na Assembléia Legislativa, foi eleita com a segunda maior votação no Amapá, com 9.660 votos.

Conselho de Ética aprova depoimento de Durval Barbosa

O Conselho de Ética da Câmara aprovou nesta terça-feira, por unanimidade, oito requerimentos relacionados ao caso da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), filmada recebendo dinheiro de Durval Barbosa, delator do Mensalão de Brasília. Um dos requerimentos convida Barbosa a prestar depoimento. Como o colegiado não tem o poder de convocar, ele pode não comparecer. O relator do caso, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), afirmou que a presença do delator do Mensalão de Brasília é importante para poder confrontar as informações do caso com a defesa apresentada de Jaqueline. "É muito importante que ele venha. Agora que ele retomou a segurança da Polícia Federal acho que virá. Suas denúncias ainda não foram confrontadas com a defesa de Jaqueline", afirmou: "A idéa é fazer o depoimento na quarta-feira da semana que vem para fazer um julgamento célere, porque a sociedade clama por uma resposta".

Petrobras anuncia primeira exportação de petróleo do pré-sal

A Petrobras anunciou que concluiu as negociações para a primeira venda internacional de carga de petróleo produzido no pré-sal. O negócio foi fechado com a estatal chilena Empresa Nacional de Petróleo (ENAP). De acordo com comunicado, a estatal venderá 1 milhão de barris extraídos do campo de TupiLula. O embarque está previsto para maio de 2011 a Quintero e San Vicente, no Chile. Tupi é o maior campo já descoberto pela Petrobras, com reservas estimadas em 6,5 bilhões de barris. A estatal espera chegar ao final do ano com uma produção de 100 mil barris/dia, ou cerca de 5% do volume de extração da empresa. O campo fica no pré-sal da bacia de Santos, mais promissora província petrolífera da companhia.

Criação de vaga formal recua 65% em março e demissões batem recorde

A criação de empregos formais caiu 65% em março em relação ao mesmo mês de 2010. No mês passado foram gerados 92.675 postos de trabalho, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho divulgados nesta terça-feira. Em março de 2010, foram abertas 266.415 vagas. Em relação a fevereiro, quando foram geradas 280.799 postos de trabalho, o recuo foi de 67%. No três primeiros meses do governo da presidente Dilma Rousseff, os empregos gerados chegaram a 583.886. No acumulado de 12 meses, a criação de novos postos de trabalho somaram 2.350.841. Segundo o ministro Carlos Lupi (Trabalho), esse resultado de março se deve ao Carnaval, ao fim do ciclo sucroalcooleiro no nordeste e as fortes chuvas em todo País registradas no período. "Na comparação, a gente vê que não foi um desempenho tão bom quanto março do ano passado. Essa quantidade de desligamentos tem a ver com a antecipação da contratação em fevereiro e o fim do ciclo sucroalcooleiro no nordeste", disse. O número de admissões e demissões em março foi recorde. As admissões somaram 1.765.922, o terceiro maior número de admissões da série histórica iniciada em 1992. Por outro lado, as demissões atingiram 1.673.247 trabalhadores, também recorde da série histórica.

Chávez diz que socialismo é "única via" para salvação da humanidade

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou que "o socialismo é a única via para a salvação da humanidade" em mensagem enviada ao 6º Congresso do Partido Comunista de Cuba e lido nesta terça-feira durante o encerramento. Chávez, que em sua mensagem se refere a Fidel Castro como um "Quixote Infinito", declarou que a força inspiradora do líder da revolução de 1959 será consagrada na nova etapa que começa em Cuba a partir do Congresso realizado em Havana. Os cubanos manterão uma "vida de lutas em que o direito e a liberdade seja o gozo e a paz de todos com o objetivo de que o Partido Comunista seja material de estudo para todos os revolucionários e revolucionárias de toda a América e a humanidade", acrescentou o chefe de Estado venezuelano.

Dilma fará reunião para evitar repetição de erros de Jirau

A presidente Dilma Rousseff convocará nos próximos dias uma reunião do governo para evitar que erros cometidos nas obras das usinas hidrelétricas de Santo Antonio e Jirau, em Rondônia, se repitam na construção da usina de Belo Monte, no Pará. A informação é do ministro da Secretaria Geral, Gilberto Carvalho, que vem negociando pelo governo a solução dos problemas entre os trabalhadores e os consórcios de construtoras responsáveis pelas obras em Rondônia. "A presidente quer que o governo seja mais presente na obra em Altamira (PA)", disse Carvalho nesta terça-feira após cerimônia em comemoração do dia do Exército, que teve a participação da presidente Dilma. Segundo o ministro, o governo pedirá às empresas que façam alojamentos menores e mais espalhados neste futuro canteiro de obras. Um dos riscos verificados pelo governos nas obras de Jirau foi justamente a concentração exagerada de trabalhadores. Os empregados de Jirau, que terá capacidade instalada de 3.450 mil megawatts (MW) de energia, se rebelaram em março. No tumulto, 70% dos alojamentos foram destruídos, o que levou a construtora a enviar trabalhadores para suas cidades de origem. Nesta semana, o consórcio responsável pela construção de Jirau informou aos sindicalistas que irá demitir 4.000 trabalhadores nos próximos.

Aneel mantém multa de R$ 1,2 milhão ao grupo Bertin

A diretoria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) decidiu nesta terça-feira manter a multa de aproximadamente R$ 1,2 milhão contra o grupo Bertin, que não cumpriu o prazo para suprimento de energia de seis usinas térmicas na Bahia. As usinas venceram leilão de energia em 2008, e deveriam iniciar a produção e fornecimento de 611 MW médios em janeiro deste ano. A Aneel já havia negado, em reunião anterior, o adiamento do prazo para o suprimento e a suspensão do pagamento de lastro. A CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) teve que contratar energia de outra fonte para abastecer o mercado, custo que a Bertin terá de cobrir. Só com custos referentes ao mês de janeiro, a Bertin deve R$ 13 milhões.

Ministro petista desqualifica estudo de órgão do próprio governo sobre atraso nos aeroportos

O ministro petista Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) desqualificou nesta terça-feira estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada), órgão ligado à Presidência da República, que apontou que as obras em nove dos 14 aeroportos de cidades sedes da Copa-2014 não ficarão prontas até o evento. O petista Gilberto Carvalho disse que a pesquisa foi assinada por um pesquisador que não representa a voz oficial do instituto nem do governo e foi realizada em cima de recortes de jornais. Nem nesse aspecto ele se empenhou em procurar as informações corretas, já que o estudo foi assinado por dois pesquisadores. O ministro afirmou ainda que "não há desespero", mas preocupação natural do governo com a conclusão das obras. "Não foi o Ipea que fez o estudo. Foi um pesquisador que juntou recortes de jornais para fazer esse pronunciamento. Não representa a posição do Ipea nem do governo. Estamos preocupados em realizar tudo dentro do previsto. Não há desespero nem nenhuma dúvida de que daremos conta. O Brasil vai fazer uma copa bem organizada", disse ele. A ministra também petista Miriam Belchior (Planejamento) atacou igualmente os dados do Ipea. "O estudo do Ipea tem um ponto de vista contra o qual nós temos outros dados para brigar com isso. O mais importante é o seguinte, o País inteiro está preocupado com o tema e vai se empenhar para que o Brasil tenha um excelente desempenho na Copa do Mundo". Os dois ministros petistas se notabilizaram na famigerada administração petista na prefeitura de Santo André, em São Paulo. O estudo do Ipea, assinado pelos pesquisadores Carlos Alvares da Silva Campos Neto e Frederico Hartmann de Souza, aponta que a média de prazo de obras de infraestrutura de transporte no País é de 80 meses após o fim da fase de projetos. De acordo com os pesquisadores, as obras dos aeroportos de Manaus (AM), Fortaleza (CE), Brasília (DF), Guarulhos (SP), Salvador (BA), Campinas (SP) e Cuiabá (MT) em 2010 ainda estavam em fase de projeto e só ficariam prontas em 2017, caso os prazos médios de elaboração de projetos, licenciamentos, etc, sejam iguais aos da média no País. Já os de Confins (MG) e Porto Alegre (RS) estão com projetos básicos prontos e também não ficariam prontos a tempo para a Copa.

Lula diz que voltará a palanques por candidatos do PT em São Paulo

Em encontro com políticos do PT de São Paulo, o ex-presidente Lula disse nesta terça-feira que subirá nos palanques dos candidatos do partido às prefeituras no Estado em 2012. Lula defendeu que a capital paulista, onde o PT perdeu as duas últimas eleições, seja tratada como prioridade. Em debate fechado, os petistas consideraram forte a possibilidade de o ex-governador José Serra (PSDB) voltar a disputar a prefeitura de São Paulo. O presidente do PT-SP, o deputado estadual Edinho Silva, defendeu que o partido defina seu candidato até o fim de 2011, seja qual for a decisão do tucano. Edinho disse ser contrário a realização de prévias no PT: "Vou trabalhar para não ter prévia. Para entrar numa disputa acirrada como essa, o ideal é que o PT se unifique".

Brasil fecha primeiro trimestre com 38,5 milhões de acessos à banda larga

O Brasil encerrou o primeiro trimestre de 2011 com 38,5 milhões de acessos à banda larga, tanto fixa como móvel. Esse número representa um aumento de 51,5% em relação à março do ano passado. Com esse crescimento, o Brasil está na oitava posição no mercado mundial de banda larga móvel, e em nono lugar em banda larga fixa, segundo dados divulgados pela Telebrasil (Associação Brasileira de Telecomunicações). Desse total, 24,4 milhões de acessos são de banda larga móvel, conexão feita por meio de modems (placas) ou de terminais 3G, como smartphones (celulares com acesso à internet). Em um ano, houve crescimento de 77,7% nesse segmento (em março de 2010, eram 13,7 milhões de conexões móveis). Já a banda larga fixa cresceu 20,5% nesse período, chegando a 14 milhões de conexões no fim do trimestre. O levantamento da Telebrasil mostra que os acessos em banda larga fixa no Brasil com velocidades inferiores a 1 Mbps (megabit por segundo) estão em declínio. As conexões acima de 2 Mbps representam 20% dos acessos e é nesta faixa que se verifica o maior ritmo de crescimento.

Fidel Castro reaparece e deixa comando do Partido Comunista Cubano

O ex-ditador Fidel Castro fez uma aparição de surpresa no encerramento do 6º Congresso do Partido Comunista Cubano, levando muitos dos presentes às lágrimas, pouco antes de anunciar a entrega do comando da legenda ao seu irmão, Raúl Castro. Aos 84 anos, Fidel foi recebido com uma longa ovação e vivas por parte dos mil delegados presentes a um dos raros e históricos congressos do partido. O 6º Congresso do PCC, o primeiro desde 1997, teve início no último sábado e se estendeu até esta terça-feira. Os participantes devem aprovar uma série de medidas econômicas que visam atualizar o sistema socialista adotado pela ilha.

Recua o número de famílias endividadas no País

O percentual de famílias endividadas no País, em abril, recuou para 62,6%, ante 64,8% em março e 58,0% no mesmo mês do ano passado, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo divulgada nesta terça-feira. O levantamento mostrou redução também no percentual de famílias sem condições de quitar suas dívidas, que ficou em 7,8% em abril, ante 8,4% em março e 9,0% em igual intervalo em 2010. Já a parcela média da renda comprometida com dívidas passou de 29,6% para 29,8% na comparação anual. O índice de intenção de consumo das famílias, também mensurado pela CNC, registrou 132,6 pontos em abril, com queda de 1,4% em relação a março e alta de 1,7% na comparação com igual período em 2010. Na comparação mensal, o único subitem da pesquisa que apresentou crescimento foi "satisfação com o emprego atual", que teve alta de 1,0%. Já em relação a abril de 2010, só houve uma queda, a "perspectiva de consumo", com redução de 0,5%. Para o economista Fábio Bentes, da CNC, os dados "ratificam o cenário de desaceleração do consumo em 2011, que já era esperado desde o início do ano".

Nível de confiança do industrial na economia cai pelo terceiro mês consecutivo

Sondagem da CNI (Confederação Nacional da Indústria) apontou que os empresários do setor industrial estão menos otimistas em relação à economia. O índice que sintetiza as respostas das 1.957 empresas consultadas teve uma leitura de 59,7 pontos, quase 1 ponto percentual abaixo do resultado visto em março. Na comparação com o indicador calculado para abril de 2010, a queda é ainda maior, de 7,2 pontos. O gerente executivo da pesquisa, Renato da Fonseca, nota que, quando o empresário tem expectativas menos confiantes, tende a reduzir a compra de matérias-primas, investir menos e contratar menos gente. A sondagem mostra que os empresários estão menos otimistas tanto em relação às perspectivas da economia (o índice que sintetiza as respostas sobre essa questão caiu para 59,9 pontos) e também em relação ao próprio negócio (o índice para essa questão específica cedeu de 66,8 para 66,6 pontos em abril). A pesquisa do Índice de Confiança do Empresário Industrial foi feita entre 31 de março e 14 de abril, com 284 grandes empresas, 601 empresas de médio e 1.072 de pequeno porte, espalhadas pelo País.

Arrecadação federal bate recorde no trimestre

A arrecadação de tributos federais somou R$ 70,98 bilhões em março, valor 9,69% maior do que no mesmo mês do ano passado, recorde para meses de março. Em relação a fevereiro, o crescimento foi de 9,8%. No trimestre, o valor acumulado também bateu recorde, somando R$ 228,15 bilhões, alta de 11,96% em relação ao primeiro trimestre de 2010. De acordo com a Receita Federal, o desempenho da arrecadação é reflexo do bom momento da economia, com a produção industrial, venda de bens e massa salarial em alta, o que reflete em um maior pagamento de impostos como IPI e PIS/Cofins. O que mais contribuiu para o resultado no trimestre foi o aumento de 19,87% no pagamento de Imposto de Renda Pessoa Jurídica e CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), que juntos somaram R$ 46,46 bilhões. Mesmo com o fim dos subsídios dados pelo governo, a arrecadação do IPI aumentou 28,34% no primeiro trimestre deste ano, chegando a R$ 8 bilhões. O recolhimento do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) também aumentou 7,13%, somando R$ 6,61 bilhões no trimestre.

FAB garante que governo francês resgatará corpos do desastrado Airbus A330 da Air France

O comando da Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), da Força Aérea Brasileira, afirmou que o governo francês irá buscar os corpos das vítimas do acidente com o Airbus A330 da Air France, que matou 228 pessoas em maio de 2009. O Airbus A330 caiu no oceano Atlântico quando fazia a rota Rio-Paris. As causas do acidente ainda não foram identificadas. Um dos relatórios parciais indicou que falhas nos medidores de velocidade das aeronaves podem ter contribuído. Segundo o brigadeiro Carlos Alberto da Conceição, o governo francês tentará o resgate por meio do navio francês Ile de Sein, que buscará destroços do avião (especialmente as caixas-pretas) para esclarecer pontos importantes da investigação. Ele diz, entretanto, não saber se o resgate dos corpos será possível. A Cenipa realiza investigações sobre as causas do acidente juntamente com o BEA (Birô de Investigações e Análises), escritório francês que investiga a segurança na aviação civil. De acordo com o coronel, o BEA forneceu a informação sobre o possível resgate de corpos na manhã desta terça-feira. O coronel Luís Cláudio Lupoli, representante acreditado da FAB, estará presente no navio, que começa a operação no dia 22. O navio sairá de Dakar, no Senegal. "Não se sabe quantas serão as idas e vindas do mecanismo responsável pela coleta. Tudo vai depender do que será possível coletar." Segundo o coronel Lupoli, o dispositivo deve demorar três horas para chegar aos destroços, que estão a quatro quilômetros de profundidade.

Ministro indicado ao STJ fez defesa ilegal em processo

O advogado Sebastião Alves dos Reis Júnior, indicado na segunda-feira pela presidente Dilma Rousseff para ser ministro do Superior Tribunal de Justiça, participou da defesa de dois lados em um processo judicial que chegou ao próprio Superior Tribunal de Justiça. Isso é ilegal, e ele afirma que cometeu um equívoco. Inicialmente, em 1995, ele defendeu a Eletronorte contra o Cnec (Consórcio Nacional de Engenheiros Consultores), empresa de consultoria que fazia parte do grupo Camargo Corrêa até o final de 2009, quando foi vendida para um grupo australiano. Em 2004, quando o caso já estava no Superior Tribunal de Justiça, ele foi constituído, junto com sua mulher e sócia, Anna Maria da Trindade dos Reis, como parte da defesa do consórcio. Essa troca de lado, juridicamente conhecida como patrocínio simultâneo ou tergiversação, é prevista como crime pelo Código Penal e pode dar de 6 meses a 3 anos de prisão, além de multa. Reis Júnior afirma, no entanto, que o seu nome apareceu entre os advogados do Cnec por um "equívoco". Já em relação à Eletronorte, o agora indicado para ser ministro fez parte do jurídico da empresa de 1987 a 2000 e confirma sua atuação no processo. "Eu nunca atuei em favor do Cnec. A doutora Anna foi constituída como advogada apenas para acompanhar o caso. Meu nome foi incluído por um equívoco", afirmou ele. Segundo Reis Júnior, a defesa do Cnec foi toda feita pelo advogado paulista Tito Hesketh. "O caso é inclusive conhecido no Superior Tribunal de Justiça e mesmo assim eu fui escolhido para compor a lista dos indicados. Qualquer advogado sabe que não se pode advogar pelos dois lados", disse. Sua indicação ainda precisa ser aprovada pelo Senado, após sabatina na Comissão de Constituição e Justiça. Reis Júnior e sua mulher são advogados conhecidos entre os membros do Superior Tribunal de Justiça. Ele é filho de um ex-ministro do mesmo tribunal, Sebastião Alves dos Reis. O caso polêmico em que ele atuou poderia ter gerado uma dívida de R$ 7 bilhões da União com o grupo Camargo Corrêa. Trata-se de uma ação de cobrança indenizatória proposta pelo Cnec contra a Eletronorte. O pedido, que teve início em dezembro de 1994, chegou a ser aceito pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal, mas foi anulado, por um voto, na 2ª Turma do Superior Tribunal de Justiça. O Cnec prestou serviços ao setor elétrico público federal nas décadas de 70 e 80. Em 1991, a Eletronorte cancelou os contratos. Dois anos depois, realizou-se acerto de contas, no qual o Cnec deu quitação. Porém, em 1994, a empresa ajuizou ação de cobrança indenizatória por "custos financeiros".

Economia pára de gerar novas vagas nas capitais e impede redução do desemprego

O mercado de trabalho das seis maiores regiões metropolitanas do País não gerou vagas em nível significativo nos três primeiros meses do ano, o que impediu uma redução da taxa de desemprego, segundo Cimar Azeredo Pereira, coordenador da pesquisa de emprego do IBGE. Para o coordenador do IBGE, porém, a taxa de desemprego se mantém em um nível historicamente baixo. Fechou o primeiro trimestre deste ano em 6,3%, abaixo dos 6,7% de 2010. A taxa de 6,5% em março foi a menor para tal mês do ano desde 2002. Sem a abertura de um número expressivo de postos de trabalho, diz ele, os profissionais que foram dispensados principalmente em janeiro, com o fim de muitos contratos temporários, não foram ainda absorvidos. Segundo Pereira, eles continuam a procurar emprego e engrossam o contingente de 1,5 milhão de desocupados.

Índice que reajusta aluguel acumula alta de 10,71% em 12 meses

A inflação mensurada pelo IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), usado como referência na maioria dos contratos de aluguel, subiu 0,55% na segunda prévia de abril, ante variação de 0,59% do mesmo período de março. No acumulado dos últimos 12 meses, a alta acumulada é de 10,71%, enquanto varia 3% no ano. O IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo) apresentou variação de 0,51%, na segunda leitura de abril. O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) registrou variação de 0,65%, no período, ante 0,45%, no mesmo período do mês anterior. Os custos dos grupos alimentação e transportes foram os destaques de alta, com elevação de, respectivamente, 0,64% e 1,71%. As maiores altas de preços no varejo foram de gasolina, álcool combustível, batata-inglesa, cebola e alho. O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) apresentou variação de 0,50%, enquanto na segunda prévia de março a taxa foi de 0,37%. O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 10 do mês de referência. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pela Fundação Getulio Vargas.

Parques eólicos têm R$ 25 bilhões em investimentos

Os projetos de energia eólica no País, com entrada em operação prevista até 2013, somam R$ 25 bilhões em investimentos, segundo a Abeeólica (Associação Brasileira de Energia Eólica). A projeção considera empreendimentos vencedores de leilões em 2009 e 2010, a conclusão do Proinfa (programa de fontes alternativas do governo) e projetos com venda de energia prevista no mercado livre, que reúne grandes consumidores. Fusões e aquisições não estão incluídas nessa conta, embora também passem por forte aquecimento. A CPFL Energia anunciou, no intervalo de dez dias, a compra da líder no setor no País, a SIIF Énergies, e admitiu manter "tratativas" com a Ersa Energias Renováveis, que diz negociar uma "associação" com a CPFL. A participação das eólicas na matriz da CPFL deve passar de 7,6%, em 2011, para 18,2%, em 2013. "A energia eólica ganhou competitividade nos últimos anos. O custo dos equipamentos caiu e houve melhora em eficiência", diz Gustavo Estrella, diretor de relações com investidores da CPFL. "Além do enorme potencial e do avanço da tecnologia, a energia eólica gera menos problemas ambientais", afirma Lindolfo Zimmer, presidente da Copel, que procura parceiros no setor. Os projetos em construção elevarão a capacidade instalada de geração de energia eólica de 900 MW, em 2010, para 5.300 MW, em 2013. "Apesar do crescimento, a participação das eólicas na capacidade total de geração será de apenas 4% em 2013", diz Ricardo Simões, presidente da Abeeólica. Hoje, esse percentual é de 0,5%. O potencial é grande. Mapeamento realizado em 2000 aponta a possibilidade de geração de 143 GW no País. Especula-se que esse potencial seja ainda maior, caso sejam consideradas turbinas mais modernas, entre 80 e 100 metros de altura. "Ele estaria entre 300 e 400 GW, pelo menos", estima Steve Sawyer, do GWEC (Conselho Global de Energia Eólica). Durante anos apontado como um dos principais entraves ao desenvolvimento do setor, o preço passou a contar a favor dessa fonte alternativa. "Os preços têm caído. No leilão de 2009, o valor médio ficou em R$ 148,00 o MWh e, no ano passado, em R$ 135,00", diz Sérgio Marques, presidente da Bioenergy.

Petrobras dá calote de R$ 736 milhões em pesquisa

Enquanto divulga sua intenção de gastar R$ 1,4 bilhão em institutos e universidades até 2014, a Petrobras deixou de investir R$ 736 milhões em pesquisa e desenvolvimento tecnológicos entre 1998 e 2004, segundo auditoria da ANP (Agência Nacional do Petróleo). O valor retido corresponde a 60% da obrigação assumida pela Petrobras na assinatura dos contratos de exploração de petróleo. Pela legislação, os investimentos no período deveriam ter sido de R$ 1,231 bilhão. O modelo dos contratos, que hoje está sendo revisado, determina que a concessionária reverta 1% da receita bruta da exploração de campos de petróleo de alta produção em pesquisa e desenvolvimento. É a chamada "participação especial", tributo adicional aos royalties. Após a auditoria, concluída há dois meses, a ANP atualizou os números e intimou a empresa a apresentar um plano para zerar a diferença até 2014. Com o crescimento da produção de petróleo, subiram também os compromissos da empresa com esses dispêndios. Conforme a ANP, no período 1998-2010, a conta alcança R$ 5,1 bilhões. A auditoria da ANP é revelada no momento em que o governo diz que investir em inovação será prioridade para fugir da "doença holandesa", representada pela perda nas exportações de maior valor agregado pela valorização da moeda com aumento nas exportações de produtos básicos.

Folha publica só agora entrevista com diretor de teatro judeu-palestino assassinado na Cisjordânia

Lembram-se de Juliano Mer-Khamis, o ator e diretor de teatro que foi assassinado por extremistas palestinos na Cisjordânia, onde ele vivia e dava aulas de teatro para crianças palestinas? Ele era filho de mãe judia e pai palestino cristão. O jornal Folha de S. Paulo tinha feito uma entrevista com ele em 2010, mas resolveu mantê-la na gaveta. Resolveu publicar agora, depois que ele foi assassinado. Por que a Folha de S. Paulo engavetou essa entrevista? Talvez a explicação esteja no fato de que, embora crítico de Israel, Juliano Mer-Khamis era ainda muito mais crítico da sociedade palestina. Em suma, não era um revolucionário, nem um jihadista, tão ao gosto da Folha de S. Paulo. Leia a entrevista e confira.
"Os sete tiros que mataram o ator e diretor Juliano Mer-Khamis, 52, no último dia 4, interromperam a trajetória de um personagem único do conflito palestino-israelense. Para alguns, insubstituível. Filho de mãe judia e pai palestino, ele criou o Teatro da Liberdade, um espaço para jovens no campo de refugiados de Jenin, na Cisjordânia ocupada por Israel. Sua morte foi obra de mascarados não identificados, supostamente insatisfeitos com suas críticas duras e frequentes às lideranças dos dois lados. O crime comoveu a opinião pública regional. Em novembro de 2010, Juliano concedeu longa entrevista à Folha, que estava inédita. Disparou críticas ferozes à ocupação israelense e praticamente previu seu próprio fim. “Muita gente aqui quer se ver livre de mim.”
Folha - Dizem que Jenin trocou as armas pela resistência cultural, a começar pelo seu teatro. A cultura pode vencer a ocupação?
Juliano Mer-Khamis - Isso é uma tremenda bobagem. O teatro talvez possa salvar algumas crianças do desvio e apresentar uma imagem de que somos um povo cultural. Mas no fim das contas não significa nada. Quem lhe disser que a cultura muda alguma coisa está falando bobagem. Que resistência? Não há mais espírito de resistência entre os palestinos, e o pouco que resta está sendo corrompido pelos israelenses com dinheiro.
Israel é o único culpado?
Você vê o que está acontecendo em volta. Conseguiram transformar o movimento de resistência numa burocracia corrupta, que engorda com os dólares americanos. Vim para Jenin para lutar contra a ocupação, mas me vi tendo que lutar contra a própria sociedade palestina, que está se tornando tão corrupta que não pode lidar com nenhum tipo de crítica. Temos uma nova forma de ditadura policial, agora sob comando palestino.
(…)
Sua identidade dupla o ajuda a entender melhor os dois lados?
Minha mãe era judia, meu pai palestino cristão. Pela tradição judaica, sou judeu. Pela tradição cristã, sou cristão. Na prática é o contrário: para os palestinos, sou judeu. Para os israelenses, sou árabe. Ao mesmo tempo não me sinto parte de nenhum dos lados, e acho isso maravilhoso. Quem quer pertencer a essas duas nações? Prefiro ser o outro. Não estou em Jenin porque morro de amores pelos palestinos. Estou aqui para lutar contra a injustiça. Não sou bem-vindo em Jenin. As pessoas não gostam muito de mim aqui. Primeiro, porque me veem como um judeu. Mas o que mais incomoda é que eu critico a vida que eles levam.
O seu teatro não é uma forma de resistência contra a ocupação israelense?
O teatro não pode resistir a Israel. Isso é uma romantização. O teatro não tem como resistir a um Exército. O que o teatro pode fazer é resistir à opressão, à discriminação, ao racismo, à opressão sexual. Eu vim a Jenin para lutar contra a ocupação, mas logo percebi que isso é besteira. O teatro luta por valores humanos. A ironia amarga é que meu trabalho serve para libertar mulheres que são oprimidas por homens oprimidos por Israel. É por isso que muita gente aqui gostaria de se ver livre de mim.
Por quê?
A Palestina hoje não é um lugar nada amigável. É religioso, conservador, arruinado, corrupto, chauvinista e extremamente racista. Há 15 anos eu achava que havia um espírito de resistência entre os palestinos, um senso de liberdade, de justiça. Hoje isso acabou. Cada um só cuida dos seus interesses.

OGX perde R$ 10,9 bilhões de valor na Bolsa

A OGX, petroleira do grupo de Eike Batista, perdeu na segunda-feira R$ 10,9 bilhões de seu valor de mercado por causa da frustração de expectativas em relação à revisão de seu portfólio. Na última sexta-feira, com base em auditoria da consultoria DeGolyer & MacNaughton (D&M), a companhia havia revisado o potencial de suas reservas de 6,8 bilhões para 10,8 bilhões de barris de óleo equivalente. O aumento de 58,8% sobre a última projeção, feita em setembro de 2009 pela mesma consultoria, foi recebido na sexta-feira como uma boa notícia, embora conservadora na visão da empresa. Mas, na segunda-feira, no primeiro pregão da Bovespa após o anúncio, as ações da OGX despencaram 17%, puxando para baixo não somente outras empresas do grupo, como também a petroleira HRT, que vinha sendo vista como uma “cópia”, com desempenho e perspectivas semelhantes. “Parece que, de repente, o mercado acordou para os riscos do setor de petróleo”, comentou o analista Nelson Rodrigues Matos, do Banco do Brasil. Em uma primeira leitura logo após o relatório divulgado no final da tarde de sexta-feira, as ações da empresa chegaram a subir 3,5% no “after market”, período que sucede o fechamento do pregão, às 17h30. A euforia, porém, deu lugar à frustração na segunda-feira, logo pela manhã, quando começaram a ser divulgados relatórios de bancos com as análises da revisão de portfólio. Em teleconferência, o empresário Eike Batista chegou a ser ríspido com um analista. Ao ser indagado sobre a elevada taxa de retorno fixada pela OGX para suas áreas (49%, ante 25% estimados pela D&M), ele afirmou que se recusa a aceitar esse padrão. Para as áreas do pré-sal de Santos, a Petrobrás também estima retorno de 25%. “Estamos em um mundo digital, em que temos novas tecnologias de exploração. A consultoria (D&M) já mostrou ao mercado o quão conservadora é. Eu respeito, mas estou avaliando a possibilidade de contratar outros relatórios no futuro. Seria interessante que os analistas avaliassem dois ou três relatórios de consultorias diferentes antes de emitir suas opiniões”, protestou o bilionário feito de papel.

Lula gastou mais que Fernando Henrique Cardoso com publicidade no fim do mandato

O ex-presidente Lula (PT) gastou com publicidade no ano passado, o último de seu mandato, 70,3% a mais do que seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), gastou em 2002, quando encerrou os oito anos de seu governo. Segundo dados divulgados pela Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência, o governo Lula consumiu R$ 1,629 bilhão em publicidade em 2010. O valor se refere aos gastos da administração direta (os ministérios) e indireta (autarquias, fundações e empresas estatais). No seu oitavo ano no Planalto, em 2002, Fernando Henrique Cardoso registrou gastos com publicidade de R$ 956,4 milhões, em valores atualizados pelo índice de preços IGP-M. Em oito anos no Planalto, Lula registrou um gasto total de R$ 10,304 bilhões em publicidade. É o equivalente a um terço do total orçado para construir o trem-bala, projetado para o trajeto Campinas-São Paulo-Rio e com custo estimado em R$ 33,1 bilhões. Quantos milhares de casas do PAC não daria para construir com toda essa dinheirama?

União Européia já tem plano de invasão por terra da Líbia

A União Européia já tem pronto um plano de operações para o ingresso de pelo menos mil soldados, em especial britânicos e franceses, no território da Líbia. O objetivo da estratégia seria garantir o acesso de assistência humanitária à cidade de Misrata. Sitiado há 50 dias, o município de 300 mil habitantes é o mais severamente bombardeado pelo regime, em ataques que já teriam deixado mil mortos. A revelação foi feita pelo jornal britânico The Guardian. O plano foi traçado em Bruxelas e dependeria apenas do aval das Nações Unidas para que seja posto em prática. O projeto, denominado Eufor, teria obtido a aprovação dos 27 países da União Européia no início do mês. A intervenção militar terrestre seria estritamente humanitária, com a criação de corredores de auxílio, segurança de portos e escolta de navios, entre outras medidas. Além disso, os soldados teriam autorização para revidar a eventuais ataques em caso de bombardeios pelo regime de Muamar Kadafi. Caso venha a se concretizar, a programa Eufor será a primeira intervenção militar por terra na Líbia. O plano da União Européia aguardaria um parecer do Escritório para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha), da ONU, para ser levado adiante.