segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Dilma pede que governadores do Nordeste amadureçam debate sobre imposto para saúde

A recriação de um imposto para financiar a saúde, nos moldes da extinta Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF) foi pauta da conversa reservada dos governadores do Nordeste com a presidenta Dilma Rousseff. De acordo com o governador de Sergipe, Marcelo Déda, Dilma pediu mais discussão sobre o assunto. Nesta segunda-feira, durante o 12º Fórum dos Governadores do Nordeste, no município de Barra dos Coqueiros (SE), próximo a Aracaju, alguns governadores chegaram a defender a criação imediata de um imposto. Houve também quem se limitou a defender a aprovação da emenda 29, que estabelece um percentual para de investimentos em saúde por parte da União. Diante da divergência, Dilma indicou um amadurecimento maior da questão. “Ela sugeriu abrir uma discussão mais aprofundada sobre essa questão”, disse Marcelo Déda. O governador informou ainda que Dilma identificou três pontos que precisam ser definidos. Um deles é o percentual de investimento, sugerindo inclusive uma comparação com outros países com um grau de desenvolvimento semelhante ao do Brasil. Além do volume de recurso, outro ponto citado por Déda é sobre gestão. Dilma ainda falou sobre a necessidade de investimentos em atenção básica. “Ela disse que há muita reclamação em relação ao atendimento básico e investimentos nessa área serviriam até para desafogar a demanda nos serviços especializados”, comentou o governador.

Brasil comercializou 13,7 milhões de computadores em 2010

O Brasil comercializou 13,7 milhões de computadores em 2010 e passou a ocupar a quarta posição no ranking mundial dos países que mais vendem PCs. O número consta de um estudo realizado pela IDC Brasil. O levantamento mostra que, no último trimestre, os usuários domésticos e corporativos compraram 3,6 milhões de equipamentos. Somando a venda do ano inteiro, o mercado cresceu 23,5% em relação a 2009. Do total, foram comercializados 55% desktops e 45% notebooks. Este número representa um crescimento de 23,5% ante 2009. A movimentação levou o Brasil à quarta posição no ranking mundial das empresas que mais vendem computador no mundo, antecedido por Estados Unidos, China e Japão. "O quarto trimestre de 2010 mostrou um cenário diferente do que víamos no passado, quando eram vendidos mais computadores por conta do Natal. Com a antecipação do varejo nas compras de final de ano, o terceiro trimestre de 2010 foi mais forte. Mesmo assim, os números apontam um crescimento de 15% com relação aos meses de outubro, novembro e dezembro de 2009", salientou Luciano Crippa, gerente de pesquisas da IDC. No início de 2010, a IDC previa que o mercado chegaria à marca de 13,2 milhões de computadores, porém, devido à competição acirrada entre os fabricantes de PCs, o número foi 3,6% melhor. Durante todo o ano, 65% dos computadores vendidos foram para usuários domésticos e 35% para o mercado corporativo. Segundo o estudo da IDC, em 2010 a venda total de notebooks para usuários domésticos foi 30% maior do que a de desktops, comprovando uma tendência já apontada em estudos anteriores.

Religioso sunita lança "fatwa" pedindo assassinato de Gaddafi

O influente pregador muçulmano Yusuf al Qaradawi lançou nesta segunda-feira uma fatwa (decreto religioso) determinando que soldados do Exército líbio tenham o ditador do país, o fascista delirante Muammar Gaddafi, na mira de suas armas. "Qualquer pessoa no Exército líbio que puder atirar em Gaddafi deve fazê-lo", disse Qaradawi, um clérigo nascido no Egito, mas que vive no Qatar. Ele falou à rede de TV Al Jazeera. Ele também pediu a embaixadores líbios no mundo todo que "se dissociem do regime de Gaddafi". Qaradawi, de 85 anos, apresenta um programa popular na Al Jazeera e tem ligações com a Irmandade Muçulmana do Egito. Resumindo: é um nazista islâmico.

Navios de guerra do Irã devem atravessar canal de Suez nesta terça-feira

Funcionários do Canal de Suez, no Egito, disseram nesta segunda-feira que dois navios de guerra do Irã deverão iniciar a travessia da estratégica passagem nesta terça-feira. Segundo eles, os navios deverão pagar uma taxa de US$ 290 mil pela passagem. Caso a travessia realmente ocorra, será a primeira vez desde a Revolução Islâmica de 1979, que levou ao rompimento de relações diplomáticas entre o Irã e o Egito, que navios de guerra iranianos atravessam o canal que liga os mares Vermelho e Mediterrâneo. Israel deixou claro que vê a passagem dos navios iranianos ao Mediterrâneo como uma provocação. Funcionários do Canal disseram que os navios, uma fragata e uma embarcação de apoio, estão próximos à entrada sul de Suez. Os navios irão à Síria para uma missão de treinamento. Segundo a agência estatal de notícias Fars, do Irã, um dos navios é a fragata leve de patrulha Alvand, de 1.500 toneladas, que pode levar torpedos e mísseis, e o navio de reabastecimento e apoio Kharg, de 33 mil toneladas, com uma tripulação de 250 marinheiros e capaz de levar três helicópteros. Ambos são de fabricação britânica.

Oposição questiona na promotoria jatinho usado por Cid Gomes

O deputado estadual Heitor Férrer (PDT) entrou nesta segunda-feira com uma representação no Ministério Público do Ceará sobre a viagem que o governador do Estado, Cid Gomes (PSB), fez no jato particular do empresário Alexandre Grendene para os Estados Unidos. Férrer afirmou que pediu a investigação por acreditar que o governador cometeu improbidade administrativa. A fabricante de calçados Grendene recebe incentivos fiscais do Estado e doou R$ 1,2 milhão para a campanha de reeleição de Cid, no ano passado. Antes de recorrer ao Ministério Público, Férrer tentou aprovar um requerimento com pedido de explicação ao governador na Assembléia Legislativa do Ceará. O pedido foi derrotado por 40 votos a 1. Na semana passada, o neocoronel socialista Cid Gomes se negou a prestar informações sobre a viagem, ocorrida em janeiro, por se tratar de um período de férias e de sua vida particular. Já o empresário Grendene afirmou que deu apenas "uma carona" para o governador, seu amigo há 20 anos. Os Grendene são useiros nesta prática de empréstimo de jatinhos para governantes. Fizeram a mesma coisa no Rio Grande do Sul, no início da década de 80, com o ex-governador Jair Soares, conforme matéria da revista Veja publicada na coluna Radar na época.

Novo dispositivo pode revolucionar controle da pressão arterial

Um dispositivo que pode ser usado como um relógio pode revolucionar a forma como a pressão arterial é controlada nos próximos anos, de acordo com pesquisadores de Cingapura e da Universidade de Leicester desenvolveram um dispositivo para medir a pressão na maior artéria do corpo. Evidências mostram que a novidade permite uma leitura muito mais precisa do que o medidor de braço. A tecnologia foi financiada pelo ministério da Saúde do Reino Unido e apoiada pelo secretário de Saúde, Andrew Lansley. O novo dispositivo funciona por meio de um sensor no relógio que grava as ondas de pulsação da artéria, que são passadas para um computador junto com a tradicional leitura da pressão arterial do punho. Assim, os cientistas são capazes de ler a pressão da aorta, próxima ao coração. Segundo o professor Bryan Williams, do Departamento de Ciências Cardiovaculares da Universidade de Leicester e do Hospital de Glenfield, "a aorta está a milímetros de distância do coração e perto do cérebro e nós sempre soubemos que a pressão aqui é um pouco menor do que no braço". Ele disse que o aparelho iria "mudar a forma como a pressão arterial é monitorada há mais de um século" e espera que a tecnologia seja utilizada em centros especializados em breve, antes de ser "usada em larga escala" no prazo de cinco anos. "A beleza de tudo isso é que é difícil argumentar contra a tese de que a pressão próxima ao coração e ao cérebro é provavelmente mais relevante para o risco de acidente vascular cerebral e doença cardíaca do que a pressão em seu braço", disse ele.

Ministro do Supremo manda Câmara dos Deputados dar posse a suplente de partido

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, seguiu entendimento de colegas e determinou que a Câmara dê posse a Severino de Souza Silva (PSB-PE), suplente do partido, para a vaga de Danilo Cabral, que assumiu a Secretaria das Cidades no governo de Pernambuco. A decisão do ministro se choca com a prática que a Câmara tem adotado nesses casos, dando posse aos suplentes da coligação. Desde dezembro, outros quatro casos desse tipo foram analisados no Supremo, sendo que em todas as liminares os ministros determinaram que a posse seria do suplente do partido. Os ministros argumentam que, pela regra de fidelidade partidária, o mandato pertence ao partido, e não ao parlamentar. Em meio à polêmica, os deputados decidiram encampar uma PEC (proposta de emenda constitucional) que diz que suplentes de deputados assumirão seguindo a ordem das coligações, e não dos partidos. No despacho, Marco Aurélio justifica que, encerradas as eleições, as coligações são desfeitas. "A votação nominal se faz presente o número do candidato, sendo que os dois primeiros algarismos concernem não a imaginável número de coligação, de todo inexistente, mas ao da legenda. Encerradas as eleições, então, não se pode cogitar de coligação. A distribuição das cadeiras - repito - ocorre conforme a ordem da votação nominal que cada candidato tenha recebido, vinculado sempre a um partido político". Para o ministro, a posse do suplente das coligações pode mudar a relação de forças das bancadas no Congresso. "Não se pode conceber que, em caso de licença de determinado titular, vinculado a este ou àquele partido, venha a substituí-lo suplente de partido diverso, potencializando-se algo que, em última análise, visa um somatório de forças políticas para lograr êxito nas eleições e que tem a personalidade jurídica imprópria cessada após o pleito", afirmou Marco Aurélio Mello.

Ex-PMDB, prefeito de Salvador anuncia filiação ao PP

O prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro, anunciou nesta segunda-feira que irá se filiar ao PP, partido comandado na Bahia pelo ministro das Cidades, Mário Negromonte. O convite foi feito durante uma reunião em Salvador entre João Henrique e lideranças estaduais do PP. A filiação deve ocorrer no dia 12 de março. A filiação visa também uma aproximação com o governador Jaques Wagner (PT). O PP se tornou o principal aliado do petista após a saída do PMDB da base do governo, em 2009, para lançar o ex-ministro Geddel Vieira Lima na disputa pelo governo do Estado. João Henrique está sem partido atualmente porque foi suspenso do PMDB em janeiro. Ele responde a um processo disciplinar na Comissão de Ética do partido, sob acusação de má administração municipal. A decisão sobre a expulsão dele deve sair até abril. Em meio ao processo de expulsão, João Henrique pediu ao Tribunal Regional Eleitoral baiano a desfiliação do PMDB por justa causa, a fim de evitar ser alvo de uma ação por infidelidade partidária. Em seu pedido, o prefeito argumentou que foi alvo de "declarações ofensivas por parte de membros da direção estadual do PMDB". Dias antes, Geddel o chamou de "menino maluquinho" em seu perfil no Twitter. O PMDB baiano está de olho na decisão do Tribunal Regional Eleitoral sobre o pedido de desfiliação. Caso seja desfavorável a João Henrique, o partido não precisará nem esperar o fim do processo disciplinar para ir à Justiça pedir o mandato do prefeito. Em seu segundo mandato como prefeito, ele enfrenta dificuldades como a perda de apoio na Câmara, atrasos em pagamentos a servidores e funcionários terceirizados e a rejeição das contas municipais do exercício de 2009.

Dilma erra nome de cidade e passa a culpa para sua "ótima assessoria"

Em seu mais longo discurso desde que tomou posse, com 47 minutos de duração, a presidente Dilma Rousseff buscou tranquilizar os governadores do Nordeste reunidos para um fórum regional em Sergipe e negou que o corte de R$ 50 bilhões no Orçamento anunciado pelo governo afetará investimentos na região. Ao falar da necessidade de se reproduzir experiências de sucesso em economias locais, Dilma acabou errando o nome de uma cidade que se destaca pela confecção de jeans. E cobrou publicamente sua assessoria. "Há que dar suporte e fazer que se reproduza experiência de sucesso, como é o caso das confecções em Ibotirama (BA)", disse a presidente. Imediatamente, foi corrigida por Eduardo Campos (PSB-PE). O nome da cidade bem sucedida na área de confecções era Toritama, em Pernambuco. "Vocês vejam o que é uma ótima assessoria. É Toritama. E eles acharam esse Ibotirama, sabe aonde? Na internet", afirmou Dilma. Essa é ela..... e os brasileiros ainda não viram nada.....

Crise na Líbia tem potencial de desestabilizar economia global

Na condição de 12º maior exportador de petróleo do mundo, a Líbia tem potencial de desestabilizar a economia global, se os protestos antigoverno que terminaram em violência interromperem o fornecimento do produto. Desde que a suspensão das sanções impostas pela ONU e pelos Estados Unidos puseram fim ao status de pária do Estado líbio, investidores estrangeiros voltaram em bando ao país, ao longo dos últimos cinco anos, incluindo grandes petroleiras como a BP e a Exxon Mobil. Mas a BP, por exemplo, está tão preocupada com a crise atual que está planejando retirar funcionários do país. A empresa, que emprega 40 estrangeiros na Líbia, pretende retirar familiares de empregados e funcionários considerados não essenciais ao longo dos dois próximos dias. A BP assinou um contrato com a Corporação de Investimento da Líbia, em 2007, para explorar duas áreas, uma envolvendo perfuração em águas profundas na Bacia de Sirte, no Mar Mediterrâneo, e outra no deserto no oeste do país. A perfuração na Bacia de Sirte continuaria, mas que equipes na região desértica de Ghadames foram retiradas e a atividade suspensa no local. Apesar de as operações da BP ainda não terem levado à produção real de petróleo no local, a Bacia de Sirte é responsável pela maior parte da produção no país. O local contem cerca de 80% das reservas comprovadas de petróleo líbias, que chegam a 44 bilhões de barris, as maiores da África. A Líbia também se beneficia por ter o tipo de petróleo cru leve que negociadores internacionais gostam, com pouco enxofre e uma gravidade específica que torna o produto ideal para transformação em gasolina e diesel. E como apenas um quarto do vasto e pouco populoso território do país foi explorado, há muito para animar a indústria. Mais da metade do PIB da Líbia vem dos setores de petróleo e gás natural, que respondem por mais de 95% das exportações do país, de acordo com o Banco Mundial. Antes de a crise começar, a economia do país passava por um boom. O Fundo Monetário Internacional acredita que a Líbia tenha crescido 10,6% ano passado, e que venha a crescer cerca de 6,2% em 2011. Mas uma das principais razões por trás dos protestos é que essa enorme riqueza não está passando para as mãos da população. De acordo com algumas estimativas, cerca de um terço dos líbios vive na pobreza. Não é incomum no país que as pessoas tenham dois empregos, devido aos baixos salários, apesar de cidadãos terem direito a sistema de saúde e outros benefícios de forma gratuita. Desde que a Líbia retornou ao cenário dos negócios internacionais, após pagar indenização para as vítimas do atentado contra um avião que caiu em Lockerbie, em 1988, as expectativas cresceram entre a população. Muitos pensavam que o fim do isolamento significaria aumento da qualidade de vida. Até agora, a espera foi em vão.

Petrobras defende investimento em refinarias por demanda maior

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, defendeu nesta segunda-feira os investimentos em refinarias e disse que é "um suicídio no longo prazo" não construir as cinco novas unidades previstas. Gabrielli afirmou que, apesar dos investimentos, a companhia terá em 2020 uma produção maior de óleo bruto do que sua capacidade de refino, que já chegou ao final de 2010 "no limite". Para 2020, está prevista a produção de 3,9 milhões de barris de óleo, para uma capacidade de refino de 3,2 milhões de barris. Isso sem contar com mais 650 mil barris produzidos pelos parceiros da Petrobras. De acordo com o plano de negócios 2010-2014 da companhia, a área de refino, transporte e comercialização deve receber a segunda maior verba prevista, com aporte de US$ 73,6 bilhões. Os recursos visam aumentar a capacidade de refino, em consonância com o aumento da produção previsto. Diante do crescimento do consumo, disse Gabrielli, a capacidade de refino de alguns produtos está no limite. É o caso da gasolina, cuja demanda cresceu 19% e o Brasil passou de exportador para importador em 2010. Gabrielli não descarta novas importações do produto em 2011, dependendo do crescimento da demanda, que deve ser menor por conta do crescimento econômico mais baixo. O executivo estimou ainda que a cessão onerosa de 5 bilhões de barris firmada com a União durante o processo de capitalização no ano passado resultará numa produção de petróleo entre 800 mil e 1 milhão de barris até 2020. O cálculo foi feito por empresas certificadoras contratadas para fazer a avaliação das reservas durante o processo de capitalização.

OGX, de Eike Batista, anuncia nova descoberta na bacia de Campos

A OGX, empresa de Eike Batista, anunciou nesta segunda-feira nova descoberta na bacia de Campos. A companhia identificou presença de hidrocarbonetos no poço 1-MRK-5-RJS. no bloco BM-C-37. A OGX detém 50% de participação e a Maersk Oil, operadora do bloco, os demais 50%. A empresa informou em comunicado que o poço exploratório 1-MRK-5-RJS, prospecto denominado Carambola-B, é o segundo poço perfurado no bloco BMC- 37 e sua perfuração continua em andamento até a profundidade total estimada em 3.000 metros abaixo do nível do mar. "Estudos adicionais serão necessários para se determinar a produtividade dessa área", declarou. O poço 1-MRK-5-RJS situa-se a aproximadamente 80 quilômetros da costa do estado do Rio de Janeiro, onde a lâmina d'água é de aproximadamente 130 metros. A sonda Blackford Dolphin iniciou as atividades de perfuração no dia 9 de janeiro de 2011.

Produção de aço no Brasil sobe 4% em janeiro

A produção de aço bruto do Brasil cresceu 3,8% em janeiro em relação ao mesmo período do ano passado e aumentou 16,2% na comparação com dezembro. A produção somou 2,8 milhões de toneladas, contra 2,69 milhões de toneladas em janeiro de 2010 e 2,41 milhões de toneladas em dezembro. Em vendas, o setor vendeu 1,7 milhão de toneladas no mercado interno, representando expansão de 4,5% na comparação anual e alta de 11,4% sobre dezembro. Ao mercado externo, as vendas somaram 1,1 milhão de toneladas, significando um salto de 60% sobre janeiro de 2010, mas queda de 1% em relação ao total de dezembro. O setor importou 343,6 mil toneladas de aço em janeiro, volume menor sobre as 384,3 mil toneladas compradas um ano antes e na comparação com as 432,1 mil toneladas de dezembro.