terça-feira, 23 de novembro de 2010

Arrecadação soma R$ 74,425 bilhões e bate recorde pelo 13º mês seguido

A arrecadação de outubro bateu recorde pelo 13º mês seguido e somou R$ 74,425 bilhões, segundo informou nesta terça-feira a Receita Federal. Em relação a outubro de 2009, o crescimento real (descontada a inflação) das receitas foi de 2,89% e, em relação a setembro deste ano, de 16,48%. O saldo da arrecadação no mês passado ficou dentro das previsões do mercado, que esperava receita de R$ 70 bilhões a R$ 81,5 bilhões. A mediana das projeções estava em R$ 74,8 bilhões. No acumulado de janeiro a outubro, a arrecadação soma R$ 648,029 bilhões, com crescimento nominal de 17,33% ante o mesmo período de 2009. Em termos reais, o crescimento foi de 11,87% no período. O ritmo de crescimento da arrecadação das chamadas receitas administradas pela Receita Federal, que exclui as demais taxas e contribuições cobradas por outros órgãos do governo, perdeu fôlego em outubro. A arrecadação de receitas administradas desacelerou para um crescimento de 3,88% em relação ao mesmo mês do ano passado. Em setembro, as receitas administradas apresentavam um ritmo de crescimento muito superior, de 18,39%.

Comunista Manuela D'Ávila é sondada para assumir Ministério dos Esportes

Um interlocutor da presidente eleita, Dilma Rousseff, informou nesta terça-feira que a deputada federal comunista Manuela D'Ávila (PCdoB-RS) teria sido sondada para assumir o Ministério dos Esportes, hoje comandado por Orlando Silva. Assim, o PCdoB continuaria à frente da pasta, entregue ao partido em 2003, quando o presidente Lula tomou posse no primeiro governo. Com a escolha, Dilma Rousseff teria à frente do Ministério dos Esportes uma mulher campeã de votos. E Orlando Silva seria mantido no cargo de coordenador do Comitê Gestor de Ações do Governo Brasileiro para realização da Copa do Mundo da Fifa de 2014, com maior liberdade de ação para fiscalizar obras de estádios e de mobilização urbana, o que não tem como ministro. A sondagem, de acordo com a informação, foi feita pelo deputado federal petista José Eduardo Cardozo, ex-namoradinho da comunista, que deverá ser o novo ministro da Justiça. Ele é um dos três principais integrantes da equipe de transição de Dilma Rousseff. Se Manuela for convidada para o ministério, ela levará para sua sala de despachos o retrato de Enver Hoxa e Nicolae Ceausescu, os grandes faróis do socialismo reverenciados pelo PCdoB?

PMDB insiste em reajuste para policiais

O governo Lula enfrenta a resistência do PMDB, partido do vice-presidente eleito, Michel Temer, e de partidos da base para barrar a votação da proposta de emenda constitucional de criação do piso salarial nacional para os policiais militares, civis e integrantes do Corpo de Bombeiros, conhecido por PEC 300. A votação da proposta poderá significar a primeira derrota para Dilma Rousseff, antes mesmo de assumir a Presidência da República. A presidente eleita já manifestou ser contrária à aprovação do piso neste ano. Cálculos preliminares do Ministério do Planejamento apontam para um impacto de R$ 43 bilhões para os cofres do governo federal e dos Estados com o aumento salarial que virá em decorrência da criação do piso. Um grupo de sete governadores e vices eleitos ou reeleitos - São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Bahia, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro - os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, fizeram um apelo aos líderes partidários para tratar do salário dos policiais no próximo ano dentro de uma ampla discussão sobre segurança pública. "Não venha nos impor esse vexame", reagiu o líder do PMDB na Câmara, deputado federal Henrique Eduardo Alves (RN), em reunião na casa de Michel Temer. O líder insistiu que o adiamento da votação significaria a desmoralização da Casa que já se comprometeu em votar a proposta. Ao apresentar sua posição, Henrique Alves disse estar falando em nome do blocão - bloco parlamentar que reúne o PR, PTB, PP, PSC e PMDB. "Além de impor uma despesa aos Estados, a criação do piso nacional fere o princípio federativo, garantido na Constituição", argumentou o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), lembrando que cabe aos Estados tomar decisões administrativas e administrar seus orçamentos. "Se for criar piso para uma, duas, dez categorias, daqui a pouco os governadores ficam impedidos de fazer gestão de pessoal", continuou Wagner. "Nossa posição é clara, isso deve ficar para o ano que vem, depois da posse dos governadores e da presidente eleita. Aí discute-se segurança pública e a melhoria salarial dos policiais", disse o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Vice-presidente José Alencar é internado novamente para exames em São Paulo

O vice-presidente José Alencar voltou a ser internado no Hospital Sírio-Libanês na tarde desta terça-feira. Ele passará por exames relacionados ao tratamento do câncer no abdome, doença que enfrenta há mais de 10 anos. No sábado, o vice-presidente havia recebido alta após ser submetido a uma transfusão de sangue.

Médico Roger Abdelmassih é condenado a 278 anos de prisão

O médico Roger Abdelmassih, de 66 anos, foi condenado na tarde desta terça-feira a 278 anos de prisão, acusado de ter abusado de pacientes de sua clínica de reprodução. A sentença foi proferida pela juíza Kenarik Boujikian Felippe. O advogado José Luis Oliveira Lima, que defende Abdelmassih, diz que respeita a decisão da magistrada "mas entendo que ela desprezou as provas favoráveis que existem no processo, como os 170 depoimentos prestados em seu favor de meu cliente feitos por ex-pacientes e por seus maridos". Oliveira Lima diz ainda que o médico sempre negou todas as acusações. Ele pretende recorrer ao Tribunal de Justiça de São Paulo para reverter a decisão. O médico Roger Abdelmassih, um dos mais famosos especialistas em reprodução assistida do País, foi preso no dia 17 de agosto de 2009, mas permanece solto devido a um habeas corpus. Ele teve a prisão preventiva decretada pela Justiça após cerca de 60 mulheres afirmarem ter sofrido crimes sexuais durante consultas.

Lula diz que não quere ser secretário-geral da Unasul

O presidente Lula não está disposto a assumir a secretaria-geral da Unasul (União das Nações Sul-Americanas). O bloco, formado por 12 países da região, se reunirá quinta e sexta-feira em Georgetown, Guiana, para a 4ª reunião de cúpula. Com a morte do ex-presidente argentino Néstor Kirchner, no mês passado, a Unasul ficou sem secretário-geral. Kirchner comandou o bloco por seis meses. Segundo o porta-voz da Presidência, Marcelo Baumbach, qualquer especulação de que Lula assumirá é "infundada" e que não está em seus planos "postular ou aceitar esse cargo no momento". O Brasil não apresentará nenhum nome, mas espera que o novo secretário-geral seja alguém com projeção política e trânsito em todos os continentes. Como não houve ainda a apresentação formal de indicados, o governo brasileiro não se manifestou a favor de nenhum país.

Lula diz que quer "desencarnar" do cargo de presidente

A 38 dias de deixar a Presidência da República, o presidente Lula (PT) evitou falar sobre seus projetos para o futuro, mas disse que pretende dar um tempo para "desencarnar" da Presidência: "Não tem nada pior que um jogador de bola parar de jogar e pensar que ainda é um profissional. Ou alguém que foi presidente querer ter um papel de ex-presidente". A declaração foi dada em Ribeirão Preto, interior paulista, onde esteve para lançar a obra do alcooduto (ou etanolduto) que será construído em parceria da Petrobras com cinco empresas no valor de R$ 5,7 bilhões. A obra via ligar Jataí (GO) ao porto de São Sebastião. Sem dar detalhes, Lula afirmou que, após deixar o governo, vai "surpreender de verdade" porque ainda vai "andar muito" pelo País. O presidente declarou ainda que seu papel será o de "um cidadão comum": "Sei da minha relação com a sociedade, mas quero desencarnar do cargo. Quero fazer uma limpeza para voltar a agir na mais primorosa normalidade de um ser humano". Acredite quem quiser...

Dilma convida Tombini para o Banco Central e Miriam Belchior para Planejamento

A presidente eleita, Dilma Rousseff, convidou nesta terça-feira o diretor de Normas do Banco Central, Alexandre Tombini, para ser o presidente da instituição. Ela também já chamou Miriam Belchior para o Ministério do Planejamento, no lugar de Paulo Bernardo. Miriam Belchior coordena o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), que será incorporado pelo Planejamento. Segundo a assessoria da presidente eleita, a equipe econômica deve ser anunciada oficialmente até quinta-feira. Pelo segundo dia consecutivo, Dilma recebeu hoje o ministro Guido Mantega (Fazenda) na Granja do Torto, residência de campo da Presidência. Ele foi convidado a continuar no cargo, e aceitou. Outra preocupação é a escolha de um substituto para o atual secretário da Receita Federal, Otacílio Dantas Cartaxo. Sua permanência no cargo sofreu desgaste com a quebra ilegal do sigilo fiscal de tucanos dentro da Receita.

Brasil tem um terço dos portadores de HIV na América Latina

Cerca de um terço dos portadores do vírus HIV na América Latina são brasileiros, segundo aponta um estudo sobre a epidemia global de Aids divulgado nesta terça-feira pela ONU. A pesquisa, realizada pelo programa das Nações Unidas para a Aids (Unaids), também indica que 1,2 milhão de anos de vida de pacientes contaminados pelo HIV foram ganhos no Brasil entre 1996 e 2009, graças ao tratamento antirretroviral. Esse tratamento foi introzido no Brasil pelo ex-ministro da Saúde, José Serra, no governo Fernando Henrique Cardoso. No entanto, segundo o estudo, a projeção do número de pessoas contaminadas com o vírus no Brasil cresceu nos últimos anos, correspondentes à era Lula, ficando entre 460 mil e 810 mil pessoas em 2009, contra um mínimo de 380 mil e um máximo de 560 mil em 2001. Entre 360 mil e 550 mil dos infectados com HIV no Brasil têm 15 anos ou mais, segundo informa o relatório. Já o número de mulheres adultas contaminadas no País em 2009 ficou entre 180 mil e 330 mil. O número de mortes relacionadas à Aids no Brasil ficou entre 2 mil e 25 mil em 2009, contra um mínimo de 7,2 mil e um máximo de 24 mil em 2001. Já o número de novas infecções em 2009 se situou entre 18 mil e 70 mil. A pesquisa indica ainda que o Brasil é um dos países de média e baixa renda com melhor situação em termo de prioridade de investimento para a prevenção do HIV. Entre zero e um, o País obteve uma nota 0,8 no índice. A estimativa do número de infectados com o HIV nas Américas do Sul e Central cresceu pouco nos últimos anos, passando de algo entre 1 milhão e 1,3 milhão em 2001 para entre 1,2 milhão e 1,6 milhão em 2009. O número estimado de portadores do HIV em todo o mundo, segundo a Unaids, é de 33 milhões de pessoas. Em 2009, foram registrados 2,6 milhões de novos casos, uma redução de 19% em relação ao pico da epidemia, em 1999. Já as mortes relacionadas à Aids no mundo ficaram em 1,8 milhão em 2009, uma queda em relação aos 2,1 milhões de 2004.

CVM multa em R$ 2 milhões acusados de lucrar com informações na vendada Ipiranga

A Comissão de Valores Mobiliários multou em R$ 2,015 milhões três acusados de terem obtido informações privilegiadas na venda da Ipiranga para a Petrobras, em março de 2007. A multa representa o triplo do que cada um teria ganho com a compra e venda de ações de empresas envolvidas no negócio, segundo o órgão regulador do mercado de capitais. O investidor Franklin Delano Lehner recebeu a maior punição. Foi condenado a desembolsar R$ 1,375 milhão. Segundo a CVM, ele obteve, negociando ações da Ipiranga, lucro de R$ 458 mil. Depois de ouvir a condenação, Lehner disse que a decisão é uma "leviandade e jogada de marketing" da Comissão de Valores Mobiliários. "Não vou pagar a multa", afirmou. Lehner era amigo pessoal do ex-gerente executivo da BR Distribuidora (subsidiária da Petrobras na distribuição de combustíveis), Pedro Caldas Pereira, também acusado de ter se beneficiado no mercado de ações. Ele teria obtido um lucro de R$ 120 mil nas operações, e já havia concordado em pagar multa de R$ 360 mil. O também investidor Carlos Felipe Almeida de Paiva Nascimento terá que pagar R$ 540 mil. Segundo a investigação, ele nunca havia operado no mercado de capitais, e comprou ações da Ipiranga no dia 15 de março de 2007. No dia seguinte, comprou também ações da Petrobras e da Braskem. A Petrobras anunciou a compra da Ipiranga no dia 19. Ele teve um lucro de quase R$ 238 mil nessas operações, segundo a Comissão de Valores Mobiliários. Já Rodolfo Lowndes, agente autônomo registrado na Comissão de Valores Mobiliários, foi condenado a pagar R$ 100 mil por atuação irregular no mercado.

STJ mantém decisão favorável a Palocci em processo de improbidade administrativa

O Superior Tribunal de Justiça rejeitou, por unanimidade, recurso do Ministério Público de São Paulo contra o deputado federal Antonio Palocci Filho (PT-SP). Palocci, um dos principais assessores políticos de Dilma Rousseff e cotado para assumir um ministério na próxima gestão, era acusado de improbidade administrativa. Ele entrou na mira do Ministério Público por contratação considerada irregular do Instituto Curitiba de Informática (ICI). O petista era prefeito de Ribeirão Preto quando, entre 2001 e 2002, contratou a ICI sem licitação. Na ocasião, a prefeitura pagou R$ 3 milhões pelos serviços da empresa de informática. Ministros da Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça ratificaram as decisões de tribunais inferiores na tarde desta terça-feira. Palocci já havia sido absolvido pela primeira e segunda instância, mas o Ministério Público entrou com recurso. Em 2001, o ICI chegou a interromper seus serviços para a prefeitura, após duas liminares da Justiça em Ribeirão preto suspenderem o contrato. Uma das responsabilidades do ICI era criar programas de computador de um sistema para modernizar a arrecadação tributária da Secretaria da Fazenda. Segundo a assessoria do Superior Tribunal de Justiça, o ministro relator do recurso, Teori Zavascki, julgou que "nada de ilegal houve na dispensa de licitação". Os outros ministros acompanharam o voto favorável a Palocci.

Hotel de luxo de R$ 10 milhões com apenas 11 suítes será inaugurado em Gramado

O empresário Guilherme Paulus anunciou nesta terça-feira seu novo hotel Saint Andrews, pioneiro no Brasil no conceito de "Exclusive House". O hotel, que fica em Gramado (RS) e será inaugurado em dezembro, tem somente 11 suítes, para 22 hóspedes. Um total de 24 funcionários trilíngues, entre eles três mordomos, vão atender os clientes. Há também biblioteca, sala de massagem e chofer. O Saint Andrews fica em uma área total de 10 mil metros quadrados. A obra teve investimentos de R$ 10 milhões e seu preço de diária por apartamento é entre R$ 1.200,00 a R$ 4.000,00. Sua arquitetura original foi inspirada nos antigos castelos escoceses e ingleses, principalmente os localizados na região de Saint Andrews, onde fica a primeira universidade escocesa, fundada em 1413. O conceito Exclusive House indica algo muito reservado, privativo, com poucos apartamentos, com altíssimo requinte e conforto, além da personalização e flexibilidade de todos os serviços, como gastronomia. Guilherme Paulus é presidente da GJP Participações, empresa controladora da companhia aérea Webjet e da GJP Hotéis & Resorts. É também presidente do Conselho de Administração da CVC Turismo.

Justiça decreta internação de adolescentes acusados de agressão na av. Paulista

A 1ª Vara da Infância e Juventude de São Paulo decretou na segunda-feira a internação na Fundação Casa (antiga Febem) dos quatro adolescentes envolvidos em agressões na avenida Paulista no último dia 14. A internação foi pedida pela promotora da Infância e Juventude, Ana Laura Lunardelli. O caso está sendo investigado pelo 5º DP (Aclimação) e ainda não há denúncia formal. O advogado Alexandre Dias Afonso, que defende um dos pityboys, afirmou que vai recorrer da decisão. De acordo com ele, os adolescentes cumprem todos os requisitos necessários para responderem em liberdade. O delegado Renato Felisoni, responsável pelo caso, disse que deve entregar o inquérito sobre o caso para o Ministério Público na sexta-feira. A polícia já havia informado que irá indiciar os jovens sob suspeita de lesão corporal gravíssima e formação de quadrilha, mas o delegado disse acreditar que há elementos suficientes para que a Promotoria os denuncie também por tentativa de homicídio.

Jarbas Vasconcelos critica Lula e pede que Dilma tenha "relação de respeito" com oposição

No primeiro discurso no Senado após ser derrotado nas eleições para o governo de Pernambuco, o senador Jarbas Vasconcellos (PMDB-PE) prometeu nesta terça-feira fazer oposição ao governo de Dilma Rousseff (PT) na mesma postura adotada pelo peemedebista na gestão Lula. Com duros ataques ao petista, Jarbas Vasconcelos sugeriu que a sucessora, Dilma, mantenha uma "relação de respeito" com a oposição a partir do dia 1º de janeiro. Jarbas Vasconcelos também anunciou que não vai se "intimidar" com a maioria governista na Casa a partir de fevereiro. "No início de seu segundo mandato, o presidente Lula fez uma encenação. Recebeu alguns integrantes da bancada de oposição, sinalizando a possibilidade de se estabelecer um diálogo civilizado, mas na primeira oportunidade o presidente se dedicou ao trabalho de exterminar os parlamentares da oposição. Disse isso textualmente pelos palanques do Brasil. Lula agrediu a oposição e perseguiu seus líderes, como se vivêssemos em pleno regime autoritário", afirmou Jarbas Vasconcelos. Ele lembrou que, nos seus próximos quatro anos de mandato no Senado, vai falar "em nome de 43% dos brasileiros que votaram na oposição no segundo turno" ao optarem por José Serra (PSDB): "A democracia é isto, quem ganha vai governar, quem perde vai fiscalizar, vai fazer oposição. É esse o nosso papel". O peemedebista acusou Lula de agir como "chefe de facção" durante o período eleitoral para conseguir eleger Dilma: "O presidente fez pouco caso das multas determinadas pela Justiça Eleitoral. O mesmo tom jocoso e debochado o presidente destinou ao Tribunal de Contas da União, que apontou diversas irregularidades em obras do PAC. Lula agiu cinicamente quando considerou uma herança maldita feitos da gestão Fernando Henrique Cardoso".

Governo brasileiro vai indicar ex-ministro José Graziano para chefiar a FAO

O governo brasileiro decidiu indicar o agrônomo, economista e ex-ministro José Graziano da Silva para o cargo de secretário-geral da FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação), um dos órgãos da cúpula da ONU. "Nós vamos indicar o companheiro Graziano para disputar a FAO", anunciou o presidente Lula após reunião na Base Aérea de Brasília, com os ministros Celso Amorim (Relações Exteriores) e Guilherme Cassel (Desenvolvimento Agrário). Chegou a se cogitar que o próprio presidente Lula, após deixar o cargo, pudesse ser o candidato brasileiro. O presidente, contudo, sempre viu em Graziano o nome ideal para a disputa do posto. A escolha do nome do novo diretor-geral da FAO ocorrerá no final de 2011. O atual diretor-geral é o senegalês Jacques Diouf. O objetivo central da FAO, sediada em Roma, é promover a segurança alimentar em todo o mundo. Graziano é, desde 2006, o representante regional do órgão para a América Latina e Caribe. A função que poderá ser exercida por Graziano é semelhante, guardadas as proporções, com o posto que ocupou no início do primeiro mandato do governo Lula, em 2003. Na época, à frente do extinto Ministério Extraordinário de Segurança Alimentar e Combate à Fome, Graziano era um dos principais nomes da então nova estrutura de governo. Era ele o responsável pelo programa Fome Zero.

PT critica blocão de PMDB em reunião da nova bancada

Deputados do PT criticaram nesta terça-feira, durante reunião da nova bancada do partido, o anúncio do PMDB de criar de um bloco parlamentar, composto por PR, PP, PTB e PSC. As críticas tiveram início com o líder do partido, deputado federal Fernando Ferro (PE). "Mostramos aos novos deputados que o PMDB sinalizou que fará um bloco. Colocamos que foi uma atitude precipitada, principalmente agora, que estamos dando preferência para uma coalizão forte. Essa montagem não nos pareceu adequada, é um movimento que não contribui", disse ele. O blocão, anunciado visando a nova Legislatura, teria 202 deputados. O objetivo é ganhar força na montagem do governo da presidente eleita, Dilma Rousseff, e nas disputas pelos cargos de comando no Congresso. O mentor do acordo foi o líder do PMDB, deputado federal Henrique Eduardo Alves (RN), que almeja a presidência da Casa. Na reunião, os deputados federais Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Ricardo Berzoini (PT-SP) foram escalados para preparar um documento de conjuntura e cenários políticos, que deve ser apresentado no próximo encontro da bancada do PT, marcado para o dia 6 de dezembro.

Parecer do TRE reprova contas de governador reeleito e novos senadores do Amazonas

Parecer de comissão do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas reprovou as contas de campanha do governador reeleito, Omar Aziz (PMN), e dos senadores eleitos Eduardo Braga (PMDB) e Vanessa Grazziotin (PCdoB). O parecer técnico foi feito pela Comissão de Análise de Prestações de Contas. De acordo com o chefe da seção de contas eleitorais e partidárias, Rinaldo Guimarães, os três candidatos contrataram uma mesma empresa para que ela fizesse o pagamento de cabos eleitorais na campanha. Com isso, as informações sobre pagamento de pessoal não passaram pela conta dos candidatos, mas sim pela conta da empresa AC Nadaf Neto Assessoria. Por isso, diz, a comissão optou pela desaprovação das contas. "O que a legislação prevê é que no ato da apresentação da prestação de contas nós tenhamos acesso irrestrito a qualquer tipo de movimentação, qualquer tipo de gasto do candidato. Quando você terceiriza, você tem que solicitar informações numa outra empresa que não é o candidato, ou seja, é um gasto de campanha sendo administrado por um terceiro, dificultando o acesso e o controle da Justiça Eleitoral." Segundo ele, aproximadamente 6.800 cabos eleitorais foram contratados para a campanha dos três candidatos, em vários municípios. O gasto com pessoal dos três eleitos, afirma, supera R$ 8 milhões.

ANP beneficia empresa presidida pelo petista Marcelo Sereno

Dirigentes da ANP (Agência Nacional do Petróleo) passaram por cima de regras do órgão para beneficiar o grupo empresarial Andrade Magro, dono da Refinaria de Manguinhos, no Rio de Janeiro. Até dezembro de 2009, a empresa tinha como principal executivo o petista Marcelo Sereno, que foi assessor do ex-ministro da Casa Civil, o mensaleiro petista  José Dirceu (2003-2005, deputado federal cassado por corrupção). Dirigentes da ANP que tomaram as decisões a favor do grupo são aliados dos senadores peemedebistas José Sarney (AP) e Edison Lobão (MA). Marcelo Sereno foi nomeado presidente da empresa que comanda a Refinaria de Manguinhos em 2008. Ele foi candidato a deputado federal, mas não se elegeu (garantiu a terceira suplência). O período em que esteve à frente dos negócios coincide com a fase em que o grupo empresarial passou a colecionar decisões favoráveis na ANP. A agência chegou a contrariar sua própria legislação em favor dos empresários. No caso mais evidente, em abril de 2009, a procuradoria da ANP deu parecer favorável ao cancelamento do registro da empresa Tiger Oil, subsidiária do grupo Magro, que ficou mais de um ano sem distribuir combustível. Pela legislação, a paralisação é tolerada até o limite de seis meses. Depois desse prazo, o registro deve ser cancelado por uma decisão da diretoria colegiada da ANP, e a empresa não pode funcionar. Após a decisão dos técnicos, o caso da Tiger foi encaminhado para o diretor de Abastecimento da ANP, Allan Kardec Duailibe Barros Filho, que deveria mandá-lo ao colegiado para decidir pelo cancelamento. Ex-filiado ao PCdoB, Kardec é genro do ex-presidente da Fundação José Sarney, José Carlos Sousa e Silva. Sua indicação ocorreu quando Lobão era ministro de Minas e Energia.

Nazista acusado de 430 mil mortes morre aos 89 anos na Alemanha

Ex-guarda de um campo de concentração nazista, Samuel Kunz morreu na quinta-feira passada, aos 89 anos, antes de enfrentar julgamento pela morte de 430 mil judeus. "Samuel Kunz morreu em 18 de novembro, aparentemente em sua residência. Temos o atestado de óbito", afirmou o promotor Andreas Brendel, diretor do Escritório Central para a Elucidação de Crimes Nazistas de Dortmund. Kunz era o terceiro na lista de nazistas mais procurados do centro e devia ser julgado por crime contra a humanidade pelo assassinato de judeus aprisionados no campo de concentração de Belzec, então parte da Polônia ocupada pelos nazistas, entre janeiro de 1942 e julho de 1943. Ele era acusado de ter matado dez dos prisioneiros pessoalmente, além de participar da morte de outros 430 mil. Depois da guerra, Kunz trabalhou como funcionário do Ministério Federal da Construção. Na lista de criminosos nazistas mais procurados permanecem, entre outros, o húngaro Sandor Kepiro, ex-oficial de polícia que participou de uma matança de 1.200 civis em Novi Sad (Sérvia), o ex-chefe de polícia croata Milivoj Asner, que colaborou na deportação de sérvios e judeus. Entre os alemães mais buscados por crimes de guerra, está Adolf Storms, sub-oficial das forças nazistas que matou 58 prisioneiros judeus.

Dilma compra berço e prepara quarto para neto na Granja do Torto

A presidente eleita, Dilma Rousseff, prepara um quarto na Granja do Torto para receber seu neto, Gabriel, que nasceu em setembro, durante a corrida presidencial. Os móveis foram entregues no início da tarde desta segunda-feira na residência de campo da Presidência, cedida a Dilma até a posse em 1° de janeiro. Dilma comprou um berço e um colchão na loja Enlace Móveis Infantis, em um shopping de Brasília, no valor total de R$ 750,00. A compra foi realizada no dia 17 pela servidora do governo de transição, Marly Ponce Branco. Não há confirmação se o valor foi pago pela Presidência. Gabriel é o primeiro neto de Dilma, filho de Paula, filha única da presidente eleita. Segundo interlocutores, a família de Dilma é esperada para a cerimônia de diplomação, marcada para 17 de dezembro no Tribunal Superior Eleitoral.