domingo, 21 de novembro de 2010

O jogo bruto da corrupção no Ministério Público de Brasília

Na manhã do dia 10 de julho de 2009, um automóvel Fiat Linea passou pela guarita da Granja Águas Claras, a residência oficial do governador do Distrito Federal. Seus dois ocupantes não precisaram se identificar aos seguranças. O motorista era o empresário Marcelo Carvalho, na época o principal executivo do grupo Paulo Octávio, um gigante nos setores de construção civil, hotelaria e comunicações, controlado pelo ex-vice-governador do Distrito Federal, Paulo Octávio Pereira. A passageira, a promotora Deborah Guerner, chegava ali depois de uma cuidadosa preparação para um encontro com o então governador, José Roberto Arruda. De acordo com denúncia do Ministério Público à Justiça Federal, a promotora Deborah Guerner foi à casa do governador fazer uma chantagem: exigir contratos de prestação de serviço para uma empresa de coleta de lixo e, também, a quantia de R$ 2 milhões para não divulgar vídeos que mostravam Arruda e assessores recebendo dinheiro de propina. Derrubado em março de 2010 pelo escândalo revelado pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, Arruda relatou o encontro com Deborah em dois depoimentos prestados ao Ministério Público Federal. Em um deles, dado em 29 de setembro, o ex-governador afirma que recebeu a promotora devido a insistentes pedidos do vice, Paulo Octávio. Diz também que, em nenhum momento, Paulo Octávio lhe contou sobre o que seria tratado na conversa com a promotora. “Fui apanhado de surpresa. Eu disse que não aceitava chantagem, e ela me ameaçou aos gritos”, diz Arruda. O ex-governador afirma que foi Carvalho quem telefonou para sua assessoria para confirmar a hora do encontro na residência oficial. Na versão de Arruda, Carvalho testemunhou boa parte da conversa com a promotora Deborah Guerner. Os preparativos para a reunião em Águas Claras foram gravados em vídeo por Deborah Guerner. A promotora tinha em sua casa um sistema interno de câmeras com sensores infravermelhos. Ali foram filmados os ex-governadores Joaquim Roriz e Arruda, e o então procurador-geral de Justiça do Distrito Federal, Leonardo Bandarra. As gravações dos preparativos mostram que a promotora não esperava uma aceitação imediata de Arruda para suas exigências. O roteiro preestabelecido previa que o então governador telefonaria para Bandarra e Paulo Octávio e seria aconselhado a se acertar com a promotora Deborah Guerner. No dia 7 de julho de 2009, três dias antes do encontro de Deborah com Arruda, Marcelo Carvalho foi flagrado pelas câmeras da promotora numa reunião que teve a participação do empresário Jorge Guerner, marido de Deborah. Eles falavam tão baixo que a perícia da Polícia Federal teve dificuldade para transcrever os diálogos. Mesmo assim, os técnicos constataram que eles usaram codinomes para se referir a Arruda (“Ricardo”), a Leonardo Bandarra (“Fernando”) e ao delegado Durval Barbosa (“Gabriel”), o delator do escândalo do panetone, como ficou conhecido o caso. Em depoimento, Marcelo Carvalho disse que esteve quatro ou cinco vezes na casa de Deborah Guerner para tratar de assuntos profissionais com Jorge Guerner. Carvalho afirmou que, a pedido de Jorge, providenciou o Fiat Linea na concessionária Bali, pertencente ao grupo Paulo Octávio. O uso desse carro, segundo os investigadores, tinha o objetivo de camuflar a visita de Deborah ao governador. Antes de seguirem para Águas Claras, Deborah e o marido chegaram ao estacionamento de um hotel da rede de Paulo Octávio em dois carros, um BMW e um Pajero. Lá, Deborah trocou de carro e entrou no Fiat Linea. E as associações de classe do Ministério Público estão absolutamente quietinhas....

PT critica tom "conservador incrustado" em mídia

Em resolução aprovada na sexta-feira em reunião do Diretório Nacional, o PT voltou a criticar a mídia afirmando ser preciso debater o "conservadorismo que se incrustou em setores da sociedade e dos meios de comunicação". No segundo turno das eleições, questões como a descriminalização do aborto e a união estável entre homossexuais deram um tom conservador ao debate entre os então candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). O documento aprovado aponta que é urgente a necessidade de uma reforma política e a democratização da comunicação no País. Parte do texto ameniza os ataques ao estabelecer que as discussões precisam ser realizadas em um ambiente que respeite a liberdade de imprensa e de expressão. "No plano interno, está colocada a urgência da reforma político-institucional e da democratização da comunicação", afirma a resolução. Na avaliação do partido, as duas medidas "são importantes para superar o descrédito de amplos setores de nossa sociedade para com partidos e instituições".

Ex-ministro Antonio Palocci cotado para articulação

A articulação política do governo Dilma Rousseff e a relação com o Congresso e os partidos devem ser comandadas, do Palácio do Planalto, pelo deputado Antonio Palocci (PT-SP). Segundo interlocutores da equipe de transição, Dilma deverá escalar ainda o ex-prefeito Fernando Pimentel e Alexandre Padilha, ministro de Relações Institucionais, em pastas ligadas à articulação política. Assim, Dilma ficaria longe do varejo com os aliados.

José Dirceu e Lula, uma amizade inquebrantável

Sentindo-se em dívida com o companheiro que teve que afastar do governo por causa do escândalo do Mensalão do PT, em 2005, o presidente Lula, que pretende se despedir do Palácio da Alvorada no dia 24, não quis deixar Brasília antes de fazer um afago ao deputado federal cassado (por corrupção) José Dirceu. Reabilitado entre os companheiros e com função de direção no PT, faltava a José Dirceu a volta ao palco do poder, sem ter que ser às escondidas. Na quinta-feira passada, José Dirceu foi para o Palácio da Alvorada tomar café da manhã com Lula, quando conversaram sobre o futuro dos dois. O próprio ex-ministro relatou sobre o que falaram: "Foi uma coisa pessoal. O Lula estava preocupado comigo, como vou ficar. E prometeu que quando sair do governo, além da reforma política, da criação do instituto voltado para África e da articulação de partidos de esquerda, vai desmontar essa farsa que é o Mensalão. Ele quer me ajudar". O mensaleiro José Dirceu é um dos 81 membros do Diretório Nacional do PT.

Dilma afirma que próximo ministro da Saúde terá perfil técnico

Em encontro com médicos na capital paulista, a presidente eleita, Dilma Rousseff, garantiu  no sábado que o próximo ministro da Saúde terá perfil técnico, conforme disseram vários presentes ao almoço oferecido pelo cardiologista Roberto Kalil Filho, na residência dele, nos Jardins. Dilma ressaltou aos 26 médicos reunidos que a pasta da Saúde não é um cargo para ser usado de maneira política. A sinalização foi confirmada pelos médicos do Hospital Sírio Libanês, Raul Cutait e Guilherme Almeida, além do presidente do Instituto do Coração de São Paulo (Incor-SP), Noedir Stolf. O anfitrião do encontro, Roberto Kalil Filho, é médico de Dilma e um dos nomes cotados para o Ministério da Saúde. Segundo a titular da Secretaria de Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Linamara Batisttella, todos os presentes gostariam que Kalil fosse o indicado para o cargo. Durante o almoço, no qual foram servidos camarão à provençal, bacalhau à Bela Cintra, cordeiro e sericaia (um doce português, como sobremesa) estiveram em discussão propostas para a área da saúde na futura administração federal. As discussões se pautaram principalmente nas áreas de financiamento e gestão em Saúde. Também estavam entre os convidados o presidente da Agência Nacional de Saúde, Maurício Ceschin, o médico cancerologista Drauzio Varella, o presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), José Luiz Gomes do Amaral, e o presidente do Conselho Federal de Medicina, Roberto Luiz d'Ávila.

Bento 16 diz que controvertido papa Pio 12 "salvou mais judeus do que ninguém"

O papa Pio 12 foi "um dos grandes justos, que salvou mais judeus do que ninguém", declara Bento 16 em um livro de entrevistas intitulado "Luz do mundo", que será lançado nesta terça-feira. Pio 12 "fez todo o possível para salvar as pessoas", afirma o pontífice. Bento 16 menciona, por exemplo, o fato de o papa Pio 12 ter escrito em 1938 a todos os bispos do mundo para que agissem a favor da entrega de vistos a todos os judeus que quisessem abandonar a Alemanha nazista. "Naturalmente, sempre se pode perguntar: Por que não protestou com mais força? Acredito que viu as consequências que um protesto público poderia gerar", acrescenta o Papa Bento 16, que é alemão e pertenceu à Juventude Nazista e foi membro do exército nazista. "Pessoalmente, sofreu muitíssimo, sabemos disso. Sabia que deveria falar, entretanto, a situação o proibia", acrescenta Bento 16. No dia 19 de dezembro de 2009, Bento 16 proclamou Pio 12 "venerável", última etapa antes da beatificação, suscitando protestos de diversas comunidades judaicas. Vários líderes de comunidades judaicas acusam Pio 12 de manter silêncio quando mais de mil judeus romanos foram deportados, em 16 de outubro de 1943, do gueto situado a poucos metros do Vaticano, do outro lado do rio Tibre. Poucos deles sobreviveram aos campos de concentração.

Juíza aposentada ignora blitz e provoca acidente com sete veículos em Porto Alegre

A juíza aposentada Rosmari Girardi, de 53 anos, provocou um grave acidente de trânsito em Porto Alegre, segundo a polícia, com sete veículos abalroados, após ignorar a abordagem de um policial militar. O caso ocorreu no bairro Cidade Baixa, tradicional bairro boêmio da capital gaúcha, na madrugada de sábado. Segundo a polícia, o Kia Sorento pertencente à juíza estava parado em fila dupla quando ela foi abordada pela Brigada Militar, que realizava uma blitz no local. Os policiais que participavam da operação informaram que, no instante em que o policial iniciava a abordagem, a motorista arrancou subitamente e provocou o acidente. Primeiro, o utilitário de luxo da juíza bateu em um Peugeot e continuou avançando, colidiu ainda contra a lateral de um Monza até parar ao se chocar contra um Citroën C4. Este, com o impacto, provocou o engavetamento de três carros. Levada à delegacia, a juíza Rosmari Girardi se recusou a ser submetida ao teste do bafômetro ou aos exames clínicos para comprovar a quantidade de álcool consumida. A delegada Clarissa Rodrigues, que atendeu o caso, afirma que a juíza apresentava sinais de embriaguez ao chegar à delegacia: "Parecia sonolenta, tinha falta de equilíbrio e estava com a fala arrastada".

Bento XVI eleva brasileiro a cardeal

O papa Bento XVI consagrou 24 novos cardeais neste sábado, incluindo o arcebispo de Aparecida, dom Raymundo Damasceno Assis, em uma cerimônia marcada por ovações na Basílica de São Pedro, na Cidade do Vaticano. A nova ordenação devolveu aos italianos a maioria no colégio de cardeais encarregado de eleger o sumo pontífice. Com os novos integrantes, a Igreja passa a ter 203 cardeais, sendo 121 deles com idade inferior a 80 anos, o que lhes permite participar do conclave papal. A nomeação de d. Damasceno surpreendeu os vaticanistas. Esperava-se que outros arcebispos fossem elevados a essa função. O mais cotado era o do Rio de Janeiro, d. Orani João Tempesta. Especialistas apostam que d. Damasceno será transferido para outra arquidiocese, como Salvador, cujo arcebispo, d. Geraldo Majella Agnelo, apresentou sua renúncia por ter completado 75 anos. Nesse caso, o novo cardeal seria o primaz do Brasil, título dado ao ocupante da primeira jurisdição eclesiástica do País.