sábado, 13 de novembro de 2010

Empresas vão pagar R$ 800 milhões por novo selo

A indústria farmacêutica estima em R$ 800 milhões os custos que terá para adotar o novo selo de segurança criado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Segundo o plano da Anvisa, o selo será produzido e distribuído pela Casa da Moeda e terá um código de barras bidimensional para armazenar informações. O prazo para implantação do sistema termina em 2012. Cada selo custará R$ 0,10. A indústria farmacêutica vende cerca de 4 bilhões de caixas de remédios por ano. Os custos estimados pela indústria incluem gastos com máquinas e a reorganização de suas linhas de produção. "O consumidor vai pagar essa conta", disse o vice-presidente-executivo do Sindusfarma (Sindicato da Indústria Farmacêutica do Estado de São Paulo), Nelson Mussolini. "Descontos que muitos laboratórios oferecem no varejo poderão ser reduzidos." A indústria propôs à Anvisa que os novos códigos de barras fossem impressos diretamente nas caixas dos remédios, o que tornaria os selos dispensáveis e os custos, bem menores. Mas a Anvisa diz que só o selo da Casa da Moeda será capaz de garantir a autenticidade dos remédios. "Os custos serão irrisórios e poderão ser absorvidos pelas empresas sem repasses para o consumidor", disse o coordenador do projeto na Anvisa, Pedro Ivo Sebba Ramalho. O selo deverá incorporar tecnologias e materiais desenvolvidos pela Arjo Wiggins, uma empresa francesa que é a principal fornecedora da Casa da Moeda e a única produtora de papel-moeda do País. A Casa da Moeda ainda não fechou o contrato com a empresa e não soube estimar o valor dos investimentos que terá que fazer para produzir os selos.

O idílio entre um petista, a Anvisa e fabricantes de remédio

Laboratórios farmacêuticos contribuíram com doações de R$ 140 mil para ajudar a quitar dívidas de campanha do deputado eleito Newton Lima Neto (PT), ex-prefeito de São Carlos (SP). A ajuda foi pedida no dia 26 de outubro, durante almoço com representantes do setor em seminário organizado pelo Sindusfarma (Sindicato da Indústria Farmacêutica do Estado de São Paulo). No almoço também estava o diretor da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Dirceu Barbano, que trabalhou com o petista Lima na prefeitura de São Carlos e chegou à agência por indicação do amigo, há um ano. Os R$ 140 mil doados pelos laboratórios pingaram na última semana de outubro, após o almoço. Somadas doações feitas antes, Lima recebeu R$ 279 mil do setor. Newton Lima não tem ligação histórica com a indústria. Sua principal base eleitoral é a área de educação. As doações de outubro foram feitas dias depois de os laboratórios receberem sinais de que uma decisão que causara grande contrariedade na indústria entre o primeiro e o segundo turno da eleição presidencial poderia ser reavaliada pelo governo. Um dos empresários que conversaram com Lima no dia 26 disse que o ex-prefeito mencionou um rombo de R$ 400 mil que precisava cobrir e pediu ajuda para contatar outros doadores. A pressa do petista em angariar o que faltava para quitar a campanha se explicava pelo prazo final para prestação de contas fixado pela legislação eleitoral, que acabava em 2 de novembro. Representantes da indústria que falaram com Barbano nas últimas semanas disseram que ele prometeu ajudá-los numa queda de braço que as empresas travam há meses com a agência, principal órgão responsável pela fiscalização do setor. Com o objetivo de combater a falsificação de remédios e outras fraudes, a Anvisa criou um selo de segurança que precisará ser afixado em todas as caixas de medicamentos vendidas no País. Entenderam agora o objetivo da criação do selo?

Ação do Mensalão do PT completa três anos de tramitação no Supremo

A Ação Penal nº 470, que julga o esquema de pagamento de propina para parlamentares e partidos políticos, promovido pelo PT, conhecido como Mensalão do PT, para obter apoio para o governo Lula, revelado em 2005, completou na sexta-feira três anos de tramitação no Supremo Tribunal Federal. De lá para cá, centenas de andamentos processuais movimentaram o gabinete do relator Joaquim Barbosa, mas o desfecho para o caso ainda está distante do fim. Um dos empecilhos para a rapidez no julgamento é justamente o número de pessoas envolvidas, além de testemunhas de defesa e acusação. São 38 réus, defendidos por dezenas de advogados, inseridos em um processo de mais de 40 mil páginas. As testemunhas a serem ouvidas no caso eram tantas que Joaquim Barbosa delegou a função de tomar os depoimentos a magistrados federais. Outro motivo que atrasa o desfecho do caso são os pedidos feitos pelos advogados no processo, como desmembramento da lista de réus, novos depoimentos de testemunhas, impugnação de laudos e solicitação de informações.

Empreiteiras com obras irregulares do PAC deram R$ 70,5 milhões ao PT

Empresas responsáveis por obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) consideradas irregulares pelo Tribunal de Contas da União doaram R$ 240,5 milhões para campanhas políticas ao longo do primeiro turno das eleições deste ano. O partido mais beneficiado pelas contribuições dessas empreiteiras foi o PT, cujas campanhas receberam R$ 70,5 milhões. Somente a direção nacional do PT foi agraciada com R$ 18,7 milhões. Empresas responsáveis ou integrantes de consórcios de 9 das 18 obras do PAC que apresentaram irregularidades graves e que, portanto, terão de ser paralisadas, foram doadoras. Entram nesse grupo a Camargo Corrêa, integrante do consórcio contratado para realizar melhoramentos no Aeroporto de Vitória (ES). Foi a empreiteira que mais doou no primeiro turno: R$ 91,7 milhões. Em seguida, vem a Construtora Queiroz Galvão. A empresa é responsável pela construção do Canal do Sertão, em Alagoas, da Adutora Pirapama, em Pernambuco, e faz parte do pool de empreiteiras que deveriam reformar e ampliar o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. A construtora contribuiu com R$ 58,2 milhões. Ainda integram o grupo as construtoras OAS (R$ 41,2 milhões), Egesa (12,3 milhões), Mendes Júnior (R$ 12,2 milhões), Constran (R$ 3,8 milhões), EIT - Empresa Industrial Técnica (R$ 9,7 milhões), Serveng (R$ 9,3 milhões) e Odebrecht (R$ 2,1 milhões). Todos esses montantes deverão ainda ser reajustados. O prazo para a prestação de contas dos candidatos que participaram do segundo turno termina no próximo dia 30. Depois do PT, a legenda que mais recebeu recursos das empreiteiras das obras irregulares do PAC foi o PMDB, com R$ 38,4 milhões. Logo atrás aparece o PSDB, com R$ 38,1 milhões. O crescimento do PSB nas urnas se refletiu nas doações às campanhas do partido. Os socialistas, que passam a governar seis Estados a partir do dia 1º de janeiro, ficaram em quarto lugar, com R$ 25,3 milhões, superando até o DEM, que recebeu R$ 16,5 milhões. O PV, da candidata derrotada à Presidência, Marina Silva, aparece apenas na nona posição, com R$ 4,2 milhões em doações. A campanha dela recebeu duas contribuições diretas por parte da Camargo Corrêa, totalizando R$ 1 milhão. No ranking das doações individuais, os oito beneficiários com maior volume de recursos são integrantes do PT ou de partidos aliados. O líder é Aloizio Mercadante, candidato petista derrotado ao governo de São Paulo, que recebeu R$ 5,5 milhões dessas construtoras. Também derrotado ao governo do Paraná, Osmar Dias (PDT) vem em segundo, com R$ 5 milhões. O governador reeleito do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), é o terceiro, com R$ 3,3 milhões. Os cinco candidatos seguintes são do PT: Fernando Pimentel (R$ 3 milhões), Jaques Wagner (R$ 3 milhões), Marta Suplicy (R$ 2,7 milhões), Tarso Genro (R$ 2 milhões) e Gleisi Hoffman (R$ 1,8 milhão). Como se vê, o peremptório não fez campanha vendendo bandeirinha e fitinha vermelha do partido. O seu Partido dos Trabalhadores agora só opera com dinheiro de tubarões.

Camargo Corrêa foi a que mais colaborou a partidos e candidatos, com R$ 50 milhões

As principais empreiteiras do País, que detêm maior volume de contratos relativos a obras públicas, doaram R$ 111 milhões a partidos e candidatos nas eleições de 2010. Registros do Tribunal Superior Eleitoral mostram que a Camargo Corrêa é a campeã de doações, repassou R$ 50 milhões a políticos. A Queiroz Galvão, outra gigante da construção civil, fez aportes que somaram R$ 46 milhões. A OAS liberou 14, 94 milhões. Os dados são parciais e constam das prestações de contas dos candidatos e comitês de campanha e dos relatórios que as próprias empreiteiras enviaram aos Tribunais Regionais Eleitorais e ao Tribunal Superior Eleitoral. Nem todo o montante desembolsado já foi comunicado às cortes eleitorais. Os candidatos que disputaram segundo turno ainda têm prazo legal até o fim de novembro para apresentar nova prestação de contas. Os R$ 111 milhões foram transferidos para o caixa de campanha de candidatos que concorreram a mandatos em Assembléias estaduais, Câmara dos Deputados e Senado Federal. Também foram contemplados políticos que disputaram cargos no Executivo, governo dos Estados e Presidência da República. As empreiteiras ocupam de longe o primeiro lugar no ranking dos maiores doadores. E não é por acaso. Ocorre que elas também têm empresas que atuam no setor do lixo no Brasil. No caso da Camargo Correa, essa empresa é a Cavo. Os contratos de lixo são sempre os mais caros de qualquer cidade do País. O setor é absolutamente bilionário. E mais do que isso, é totalmente cartelizado. São as empreiteiras que determinam a divisão do setor entre seus componentes. A Queiroz Galvão também tem empresa na área do lixo.  Além da Camargo Corrêa e da OAS, constam da relação Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, Carioca Christiani-Nielsen, Constran, Carioca, Mendes Júnior e Odebrecht (também tem empresa de lixo). E isso que ainda não apareceu, e provavelmente vai levar muito tempo para aparecer, por exemplo, o dinheiro que essas empreiteiras doaram direto para os partidos, burlando a lei eleitoral. Aí os partidos encaminham o dinheiro para o candidato de preferência da empresa doadora.

Camargo Corrêa foi a que mais colaborou a partidos e candidatos, com R$ 50 milhões

As principais empreiteiras do País, que detêm maior volume de contratos relativos a obras públicas, doaram R$ 111 milhões a partidos e candidatos nas eleições de 2010. Registros do Tribunal Superior Eleitoral mostram que a Camargo Corrêa é a campeã de doações, repassou R$ 50 milhões a políticos. A Queiroz Galvão, outra gigante da construção civil, fez aportes que somaram R$ 46 milhões. A OAS liberou 14, 94 milhões. Os dados são parciais e constam das prestações de contas dos candidatos e comitês de campanha e dos relatórios que as próprias empreiteiras enviaram aos Tribunais Regionais Eleitorais e ao Tribunal Superior Eleitoral. Nem todo o montante desembolsado já foi comunicado às cortes eleitorais. Os candidatos que disputaram segundo turno ainda têm prazo legal até o fim de novembro para apresentar nova prestação de contas. Os R$ 111 milhões foram transferidos para o caixa de campanha de candidatos que concorreram a mandatos em Assembléias estaduais, Câmara dos Deputados e Senado Federal. Também foram contemplados políticos que disputaram cargos no Executivo, governo dos Estados e Presidência da República. As empreiteiras ocupam de longe o primeiro lugar no ranking dos maiores doadores. E não é por acaso. Ocorre que elas também têm empresas que atuam no setor do lixo no Brasil. No caso da Camargo Correa, essa empresa é a Cavo. Os contratos de lixo são sempre os mais caros de qualquer cidade do País. O setor é absolutamente bilionário. E mais do que isso, é totalmente cartelizado. São as empreiteiras que determinam a divisão do setor entre seus componentes. A Queiroz Galvão também tem empresa na área do lixo.  Além da Camargo Corrêa e da OAS, constam da relação Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, Carioca Christiani-Nielsen, Constran, Carioca, Mendes Júnior e Odebrecht (também tem empresa de lixo). E isso que ainda não apareceu, e provavelmente vai levar muito tempo para aparecer, por exemplo, o dinheiro que essas empreiteiras doaram direto para os partidos, burlando a lei eleitoral. Aí os partidos encaminham o dinheiro para o candidato de preferência da empresa doadora.

Ibama multa Natura em R$ 21 milhões por uso ilegal da flora

O Ibama multou em R$ 21 milhões a Natura, uma das maiores fabricantes nacionais de cosméticos, por usar recursos da biodiversidade brasileira sem autorização. As multas fazem parte de um pacote de autuações de R$ 100 milhões, aplicado a várias empresas nacionais e estrangeiras e resultado de investigação do Ministério Público Federal do Distrito Federal. A Natura pertence a Guilherme Leal, candidato a vice-presidente na chapa da senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. Segundo Rodolfo Guttilla, diretor de Assuntos Corporativos da Natura, a empresa recebeu 64 autos de infração no último dia 3 e vai recorrer. Guttilla diz que as multas se devem a "entendimentos diferentes" sobre o processo de autorização para acesso a recursos genéticos. O tema é regulado por uma Medida Provisória de 2001, que foi alvo de críticas dos cientistas, mas que o Ministério do Meio Ambiente nunca conseguiu alterar. Pela regra atual, qualquer acesso a espécies da fauna e da flora brasileiras para pesquisa depende de uma autorização prévia do CGen (Conselho de Gestão do Patrimônio Genético). Para um produto ser colocado no mercado, é preciso além disso a anuência do provedor (seja o governo ou uma comunidade tradicional ou indígena) e um contrato de repartição de benefícios. A Natura diz que 100% de seus produtos têm repartição de benefícios.

Campanhas de deputados eleitos pelo PT em São Paulo foram as mais caras do País

Para eleger a maior bancada da Assembléia Legislativa de São Paulo, em oposição ao governo Geraldo Alckmin (PSDB), os 24 deputados eleitos pelo PT fizeram as campanhas mais caras do Estado e gastaram, juntos, R$ 27 milhões. Das 10 campanhas mais caras entre os eleitos, 6 foram de petistas: Edinho Silva, Rui Falcão, Alencar Santana, João Antonio, Adriano Diogo e Carlos Grana. A média do custo por eleito petista foi de R$ 1,1 milhão. Essa média é idêntica à desembolsada pelos 88 deputados federais eleitos pelo partido. Em geral, campanhas para a Câmara dos Deputados são mais caras do que para as Assembléias. As duas campanhas mais caras entre os vencedores foram a de Rui Falcão (PT) e a de Campos Machado (PTB), ambos reeleitos para o cargo. Os dois declararam despesas de R$ 2,9 milhões. Rui Falcão foi um dos coordenadores da campanha da presidente eleita Dilma Rousseff (PT). Machado é presidente estadual do PTB, ex-secretário da Fazenda, e aliado dos tucanos.

Dilma Rousseff quer tirar o PMDB do Ministério de Minas e Energia

A presidente eleita Dilma Rousseff quer aumentar o seu poder no setor elétrico. Ela está disposta a desalojar o PMDB da pasta, colocando o petista Maurício Tolmasquim, seu braço direito no setor elétrico e presidente da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), como o ministro de Minas e Energia. Também cotada para a Casa Civil, Maria das Graças Foster é outra opção de Dilma para o ministério. O PMDB, que dá como certa a nomeação de Edison Lobão (PMDB-MA) para a pasta, teria de se contentar com cargos de segundo e terceiro escalão nas estatais do setor (Eletrobras, Furnas, Eletronorte e Chesf), hoje com o PT. Em contrapartida, cinco diretorias importantes das estatais poderiam passar para a cota do PMDB, com exceção da de Engenharia da Eletrobras, que seria mantida com o petista gaúcho Valter Cardeal. Dilma confidenciou a assessores que gostaria de pessoas de sua mais absoluta confiança para ter mais controle sobre temas polêmicos que terão que ser definidos no início do mandato. São decisões que envolvem interesses de quase todas as empresas do setor elétrico e que implicarão reflexos nas tarifas de energia. Dentre eles o encerramento, em 2012, dos contratos entre 18 geradoras e 35 distribuidoras elétricas, que atuam em praticamente todo o território nacional. Esses contratos foram feitos em leilão em 2005, a preços muito baixos, na faixa de R$ 57,00 o megawatt-hora (MWh). O valor é menor que os fixados para o próximo leilão de hidrelétricas, marcado para 17 de dezembro, com o MWh entre R$ 87,00 e R$ 131,00. O resultado do leilão terá impacto relevante sobre as tarifas de energia do país. O fim das concessões de empresas como Eletrobras, Cesp e Cemig (que vencem em 2015) e reajustes tarifários em 2011 também são temas sobre os quais Dilma que ter mais controle.

Lula e Dilma decidem propor mínimo de R$ 550,00 em 2011

O presidente Lula e a presidente eleita Dilma Rousseff querem fixar em no máximo R$ 550,00 o valor do salário mínimo no próximo ano. Isso daria um aumento real de 2,2%, abaixo dos 7,7% reivindicados pelas centrais sindicais pelêgas. As equipes de Lula e Dilma avaliam que esse seria o valor mais aceitável do ponto de vista fiscal, sinalizando ao mercado financeiro que haverá uma busca de controle dos gastos públicos. Os dois orientaram suas equipes, antes da viagem à Coréia do Sul, a barrar projetos no Congresso que possam comprometer a meta de superavit primário de 3,3% do PIB (Produto Interno Bruto). Daí a decisão de evitar um aumento elevado para o mínimo. A proposta original do governo é de R$ 538,15, sem aumento real, já que a economia não cresceu em 2009. A regra atual prevê reajuste pela inflação, mais a variação do PIB de dois anos antes. Esse valor representaria um gasto de R$ 8 bilhões no Orçamento do próximo ano.

OGX passa a deter 100% de bloco na bacia de Santos

A OGX Petróleo e Gás Participações informou na sexta-feira que foi aprovada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a transferência de participação adicional de 35% dos direitos e obrigações referentes ao bloco BM-S-29, na bacia de Santos, para a companhia. "Com essa transferência, que não implicou em ônus para a companhia, a OGX passa a deter 100% dos direitos e obrigações e, conseqüentemente, a operação do bloco BM-S-29", afirmou a empresa em comunicado.

Plataformas da Petrobras vão gerar 28 mil empregos no Rio Grande do Sul

A construção de oito cascos de navios-plataforma de petróleo vai movimentar o mercado de trabalho de Rio Grande e arredores, município da região litorânea do Rio Grande do Sul. Com investimentos de US$ 3,46 bilhões, as obras vão garantir emprego direto a 7 mil trabalhadores, no pico de produção, e a mais 21 mil ligados a empresas que prestam serviços indiretos. Os contratos foram anunciados na última quinta-feira pela Petrobras e a empresa Engevix Engenharia, encarregada das plataformas flutuantes, tipo FPSO, montadas em cascos de navios. As estruturas serão utilizadas na exploração de petróleo da camada pré-sal, projetadas para produzir, armazenar e transferir óleo e gás. Cada uma terá capacidade para processar diariamente até 150 mil barris de óleo e 6 milhões de metros cúbicos de gás natural. A previsão é que os dois primeiros cascos sejam entregues em 2013 e os demais ao longo de 2014 e 2015. O diretor executivo da Engevix, Gerson Almada, afirmou que a mão de obra será local, com aproveitamento de moradores da região. Haverá treinamento específico para cada tipo de tarefa e serão chamados alunos dos cursos do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp), patrocinado pelo governo federal e que forma anualmente milhares de pessoas no País. Até o primeiro semestre de 2011, serão criadas 1,5 mil vagas, com o auge da produção em 2012. "O Rio Grande do Sul tem uma tradição em polo metalmecânico e estamos fazendo uma reciclagem dessas pessoas para a indústria naval", afirmou ele. O porte da encomenda vai envolver nada menos do que 100 empresas subcontratadas, segundo o executivo da Engevix. O edital publicado pela Petrobras prevê um mínimo de 65% de conteúdo local, mas, segundo Almada, o objetivo é ir além, chegando a 70% das peças e equipamentos fabricados no Brasil. "As partes que ainda não se fazem no Brasil são ligadas à perfuração, sondas e determinadas bombas. Algumas coisas ainda precisamos procurar fora do País. Mas estamos começando com um trabalho de nacionalização, visto que não serão só oito navios-plataforma, pois a Petrobras declarou que precisará de mais embarcações desse tipo", afirmou o executivo Gerson Almada. Com o fortalecimento da nacionalização dos componentes, ganham centenas de empresas brasileiras, pois a complexidade do projeto vai gerar milhões de reais em encomendas. Cada casco vai utilizar 40 mil toneladas de aço, terá 8 mil toneladas de tubulações e abrigará 10 mil toneladas de equipamentos. Um dos motivos que garantiram a vitória da Engevix na disputa licitatória, segundo o executivo, foi a proposta inovadora de se construir as plataformas a partir da montagem dos cascos. Até o momento o mais comum era se recondicionar navios antigos. O executivo da Engevix previu que, mantidas as encomendas ao setor naval, o Brasil se tornará um exportador futuro de navios e plataformas, invertendo a tendência verificada em décadas passadas, quando a maior parte dos equipamentos era construída no Exterior.

Receita Federal inaugura primeira delegacia especializada em grandes contribuintes

A Receita Federal inaugurou na sexta-feira a Delegacia Especial de Maiores Contribuintes, que vai fiscalizar e atender as 204 maiores empresas do Rio de Janeiro. O foco da delegacia são as empresas que têm faturamento anual superior a R$ 370 milhões, entre elas a estatal de energia Petrobras. O objetivo, segundo o subsecretário de Fiscalização da Receita Federal, Marcos Vinícius Neder, é acompanhar as 10 mil empresas e as 5 mil pessoas físicas com grande faturamento no País, que contribuem com aproximadamente 75% da arrecadação do órgão. A Receita pretende inaugurar, até o final do ano, unidades nas cidades de São Paulo e Belo Horizonte. Nas outras sete superintendências da Receita, onde não haverá delegacias como essas, serão criados grupos especiais para fiscalizar o pagamento de impostos por grandes contribuintes.

Subnotificação de óbitos no País cai de 17,8% para 9,5% em dez anos

O sub-registro de óbitos no Brasil diminuiu nos últimos dez anos, passando de 17,8% em 1999 para 9,5% em 2009. Mesmo no Norte e Nordeste, que apresentam os níveis mais elevados de mortes não registradas, houve uma melhora na cobertura na década. Nessas regiões, em 1999, as taxas eram de 30,7% e 37,7%, respectivamente; e no ano passado, haviam caído para 23,8% e 24,9%. Os dados fazem parte do estudo Estatísticas do Registro Civil de 2009, divulgado na sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o levantamento, a falta de registros de morte é maior entre a população infantil, especialmente até 1 ano de idade. Nesse caso, para o conjunto do País, a subnotificação chega a 43%, e os índices mais alarmantes também são observados nas regiões Nordeste (68%) e Norte (45,2%). Com tanta falta de notificação de morte de crianças até 1 anos, como pode o governo afirmar que caem os óbitos no primeiro ano de vida no País? Em Estados como Maranhão, Piauí, Alagoas e Rio Grande do Norte, quase oito em cada dez mortes de crianças até 1 ano deixam de ser notificadas. De acordo com o gerente da Pesquisa do Registro Civil do IBGE, Adalton Bastos, a existência de cemitérios não oficiais contribuem para essa realidade. Segundo o estudo, especificamente no Norte, há outro fator agravante, que é a distância entre as comunidades e os cartórios. Bastos destacou também que a baixa subnotificação das mortes infantis “reflete o grau de desigualdade de acesso a bens e serviços, especialmente os de saúde, assim como as diferenças socioeconômicas regionais existentes no Brasil". “A mortalidade infantil nesses lugares é maior do que temos registrado, o que revela que ainda são muito ruins os serviços de saúde e de saneamento básico, e as crianças sofrem mais com isso, porque ainda não têm anticorpos necessários para evitar as doenças decorrentes”, acrescentou o gerente do IBGE.

Samek garante que produção de energia é suficiente para assegurar crescimento de 8% do PIB

"O sistema elétrico brasileiro trabalha com folga na produção de energia e está descartada qualquer possibilidade de desabastecimento no setor. Há mercado para a instalação de novas indústrias, cidades, casas. Não é por falta de energia que o Brasil deixará de crescer até 8% neste ano", afirmou o diretor-geral da Usina Hidrelétrica de Itaipu, Jorge Samek, em Foz do Iguaçu (PR). Só Itaipu deve produzir, neste ano, entre 82 milhões e 84 milhões de megawatts/hora (MWh). É a maior produção do mundo para uma única usina. "Perdemos apenas para a Usina de Três Gargantas, na China, que tem maior potência instalada, mas não tem a quantidade de água o ano todo como tem a usina brasileira. Estamos situados em local privilegiado, recebemos todas as águas de reservatórios, desde Brasília", disse o diretor-geral. Segundo Samek, é preciso esclarecer a razão da produção menor este ano em relação ao ano passado, que foi de 91 milhões de MWh. "As pessoas confundem, acham que a usina está com problemas, o que não é verdade. O que acontece é que a produção atende a demanda solicitada pelo ONS (Operador Nacional do Sistema). Este ano foi exigido muito menos de Itaipu porque choveu muito e outros reservatórios estavam com sobra de água, sendo, portanto, mais demandados. Nosso compromisso com o ONS é produzir, anualmente, 75 milhões de MWh. Estamos com um excedente que pode chegar, até o mês de dezembro, a quase 11 milhões de MWh". De agora em diante, a importância relativa de Itaipu para o Brasil será cada vez menor, disse Jorge Samek, devido aos novos empreendimentos que estão entrando em operação: "São 800 unidades em construção entre pequenas centrais hidrelétricas (PCH) e usinas de pequeno, médio e grande porte". Ele citou como exemplo as usinas do Rio Madeira e a Hidrelétrica de Belo Monte (PA), que está em fase de licitação e terá quase 80% do tamanho de Itaipu. Samek elogiou o SIN (Sistema Interligado Nacional), atribuindo a esse tipo de logística o período de fartura de energia vivido pelo país. "O Brasil tem uma capacidade enorme de produzir energia. Temos bons resultados na produção de energia solar, eólica, cana-de-açúcar, carvão e em nossa bacia do Rio Paraná. Temos a biomassa residual, procedente de dejetos de porco, galinha e gado, com cooperativas de produtores que abastecem suas propriedades e ainda vendem o excedente para a Copel (Companhia Paranaense de Energia)". Samek finalizou lembrando que, no ano passado, Itaipu respondeu por 19% de toda a necessidade energética brasileira, além de mais de 80% da demanda do Paraguai.

Santos recontrata Marta só para amistosos e planeja ter equipe feminina nos Estados Unidos em 2011

Um ano após sua curta passagem pelo Santos, a atacante Marta foi recontratada pela equipe na qual ganhou a Libertadores de 2009. Igualmente a sua última estada no clube, quando jogou por três meses com as Sereias da Vila, a jogadora ficará na equipe por pouco tempo, entre dezembro deste ano e fevereiro de 2011. Desta vez, porém, Marta disputará apenas jogos e torneios amistosos que o clube ainda está negociando. Serão dois amistosos, em dezembro, um torneio no Mato Grosso do Sul, em janeiro, e uma excursão pelo Nordeste, em fevereiro. "Está tudo acertado entre o clube e a jogadora. Só falta assinar. Estamos esperando ela voltar da seleção, o que deve ocorrer no fim de novembro, início de dezembro, para podermos oficializar", disse o diretor de futebol feminino, Murilo Barletta. Agora o clube espera fechar com patrocinadores que vão bancar os salários da jogadora durante sua nova passagem no Brasil. A diretoria também tem, agora, um novo objetivo: contratar a atacante por um período maior de tempo. "Para agora acho difícil, porque ela ainda é jogadora do Los Angeles Sol (dos Estados Unidos) e tem contrato com eles até 2011. Mas, quando o contrato acabar, vamos tentar ficar com a Marta por pelo menos dois anos", afirmou Barletta. Outro desejo para 2011 é a participação na Liga Americana de futebol feminino, entre março e agosto do próximo ano. A diretoria santista conversa com os organizadores para viabilizar a ação. "Eles têm uma grande vontade que nós participemos da competição. Posso dizer que hoje temos 60% de chance", revelou o dirigente. Dois fatores impedem a entrada do Santos na competição: as regras e o dinheiro. Pela norma da competição, as equipes só podem participar com cinco jogadoras estrangeiras no time. Para isso, o Santos teria que contar com atletas americanas ou naturalizadas para completar a equipe. Outro obstáculo é que todos os times participantes tem que ser associados a alguma cidade americana. "Por enquanto não temos nenhuma cidade em vista. Mas temos um mês e meio para fechar com alguma delas. A única coisa que sei é que, se der certo, vamos jogar com a camisa do Santos", concluiu Barletta.

PSOL defende salário mínimo de R$ 700,00 para o próximo ano

O PSOL defende salário mínimo de R$ 700,00 para 2011. São R$ 161,85 a mais do que o governo de Dilma Rousseff aceitou, por ora, dar: R$ 538,15. Também supera a proposta de R$ 600,00 da oposição puxada por PSDB e DEM. Governistas já consideram esse valor um golpe no orçamento, segundo cálculo do Ministério do Planejamento, cada aumento de R$ 1,00 no mínimo custa R$ 286 milhões aos cofres públicos. Conforme o deputado federal reeleito Ivan Valente, a conta fecha. "Para ter R$ 700,00 seriam necessários R$ 46 bilhões. Isso dá 44 dias de pagamento de juros da dívida pública, se pegarmos os R$ 380 milhões pagos em 2009, 36% do orçamento", disse. A sugestão, afirma, não é dar calote nessa dívida, mas questionar as altas taxas de juros. Valente lembra que o PSOL propôs a CPI da dívida pública, cujo relatório final foi apresentado no primeiro semestre. O documento reconhece que o inchaço da dívida se deve, principalmente, aos juros elevados.

Lula diz que não deixará "herança maldita" para Dilma

O presidente Lula disse na sexta-feira em seu discurso na reunião do G20, na Coréia do Sul, que não deixará para sua sucessora Dilma Rousseff uma "herança maldita" como a que recebeu quando assumiu a Presidência em 2003. "A presidenta Dilma não vai fazer discurso algum dizendo que recebeu uma herança maldita do presidente Lula porque ela ajudou a construir tudo que nós fizemos até agora", afirmou o presidente, acrescentando que o Brasil "vive seu melhor momento em décadas". O presidente repetiu o discurso que adotou desde sua chegada no governo, com críticas ao seu antecessor Fernando Henrique Cardoso, que governou o País entre 1995 e 2002. Ele falou também da situação difícil encontrada pelo seu colega norte-americano Barack Obama quando assumiu a Presidência dos Estados Unidos: "O Obama recebeu uma herança maldita, que foi uma crise financeira sem precedentes. E eu recebi uma herança maldita, que era um país andando para trás. Nossa geração não terá herança maldita".

PMDB já tem favoritos a ministérios e alvos a serem derrubados

O PMDB já tem uma lista com alguns nomes que pretende emplacar no ministério da presidente eleita Dilma Rousseff e também uma relação de peemedebistas que deverão perder o apoio do partido para permanecer na Esplanada dos Ministérios. Dois senadores do partido disseram, sob a condição de anonimato, que um dos nomes mais fortes para ser apresentado a Dilma é o do senador Edison Lobão (MA), para voltar a ocupar o Ministério de Minas e Energia. O ex-governador do Amazonas e senador eleito, Eduardo Braga (PMDB-AM), também integra a lista de ministeriáveis do partido, assim como o ex-governador do Rio de Janeiro, Moreira Franco, também cotado para a presidência da Caixa Econômica Federal. Para voltar ao comando do Ministério de Minas e Energia, Lobão tem a seu favor o fato de que, na sua passagem anterior pela pasta, acabou se aproximando de Dilma. Os dois trabalharam juntos na elaboração do marco regulatório do pré-sal quando Dilma estava na Casa Civil e o desempenho de Lobão foi bem avaliado pela presidente eleita.

Promotor quer que Tiririca faça novo teste para comprovar alfabetização

O promotor do caso Tiririca, Maurício Antonio Ribeiro Lopes, vai entrar com mandado de segurança para que o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo realize novo teste para comprovar a alfabetização do deputado federal eleito pelo PR. Lopes questiona a declaração que o palhaço deu à Justiça Eleitoral, em que afirma saber ler e escrever. Deputado federal mais votado do País, com 1,3 milhão de votos, Francisco Everardo de Oliveira Silva é acusado de falsidade ideológica. Em audiência realizada na quinta-feira no Tribunal Regional Eleitoral, Tiririca fez um teste para comprovar sua alfabetização. O promotor ainda solicitará outro mandado de segurança para que o Ministério Público tenha o direito de produzir provas contra Tiririca. Lopes, que classificou como "insatisfatório" o teste de leitura e escrita do deputado eleito, afirmou que vai recorrer, caso o deputado seja absolvido. Para o promotor, durante o teste para verificar a alfabetização do humorista, "o juiz eleitoral extrapolou os limites de sua atribuição". Além disso, Lopes afirmou que houve um "cerceamento da atividade acusatória" durante a audiência, já que o direito de produção de provas sobre os crimes a que o humorista é acusado foi impedido.

Oposição acusa governo Kirchner de subornar deputados por Orçamento

Parlamentares acusaram nesta quinta-feira o governo da presidente Cristina Kirchner de tentar subornar os deputados da oposição para aprovar o Orçamento de 2011 da Argentina. As denúncias tumultuaram o debate da proposta e forçaram o governo a pedir uma nova sessão especial da Câmara dos Deputados, às 10h30 na próxima quarta-feira. Na sessão de quinta-feira, a oposição se impôs e mandou que o projeto fosse revisado mais uma vez na Comissão Orçamentária, presidida pelo aliado do governo, Gustavo Marconato. Ao longo do debate, o governo partiu para ofensiva em busca do voto da oposição ou ao menos da saída dos opositores para que não impedissem a aprovação: 12 deputados opositores foram embora. Duas deputadas chegaram a denunciar a ação do governo, mas não citaram o nome do funcionário que as procurou. A deputada Cyntia Hotton disse que foi pressionada a deixar a Câmara com promessa de "tudo o que podemos te oferecer neste momento". Já a deputada Elsa Alvarez disse apenas que foi pressionada por três ligações que tentavam convencê-la a ir embora. Já a deputada Patricia Bullrich disse que "houve ministros, secretários de Estado e funcionários que chamaram para oferecer coisas".

Recursos do FGTS vão financiar mais de 200 mil novas moradias em 2011

Os recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) previstos para 2011 vão possibilitar a construção de mais de 200 mil residências. Serão destinados R$ 30,6 bilhões para o financiamento de imóveis, a maior parte do programa "Minha Casa, Minha Vida". Segundo o secretário executivo do Conselho Curador do FGTS, Paulo Furtado, a maioria dos recursos se destina a área habitacional para tentar reduzir o déficit de moradias no País. Ele informou que também haverá recursos para financiamento de imóveis novos e usados que não se enquadram nos critérios do "Minha Casa, Minha Vida". O orçamento para 2011, de R$ 46,9 bilhões, foi votado na ultima terça-feira, na última reunião do Conselho Curador do FGTS. Além dos recursos para moradia, serão destinados R$ 4,8 bilhões para saneamento básico e 11,5 bilhões para obras de infraestrutura em energia, rodovias, ferrovias, hidrovias e portos. No caso do saneamento básico, Furtado explicou que, na maior parte dos casos, os recursos são destinados para implantação de redes de água e esgoto.

Dilma e Serra já pagaram R$ 63 mil em multas aplicadas pela Justiça Eleitoral

O Tribunal Superior Eleitoral aplicou 28 multas por propaganda irregular contra a presidente eleita Dilma Rousseff (12), o candidato do PSDB, José Serra (9), e o presidente Lula (7). As multas somam R$ 175,5 mil, sendo que R$ 63 mil já foram pagos. Dilma pagou cinco multas, que somam R$ 23 mil dos R$ 58 mil que deve. A petista ainda recorre de outras seis multas. A última de R$ 5.000,00 foi aplicada na quarta-feira. Serra já pagou quatro multas, num total de R$ 40 mil dos R$ 70 mil que deve à Justiça Eleitoral. Serra apresentou recurso contra quatro ações e uma ainda não foi quitada. Já o presidente Lula foi multado em R$ 47,5 mil nas sete representações por propaganda antecipada em favor de Dilma. Lula recorreu de todas as decisões. Perguntinha: com essas "condenações", Dilma Rousseff não se torna "ficha suja"?

Os dois maiores navios do mundo se encontram na Flórida

Oasis of the Seas
O cruzeiro gigante "Allure of the Seas", que chegou na Flórida na quinta-feira, encontrou-se pela primeira vez com o navio-irmão "Oasis of the Seas" neste sábado. O navio "Oasis of the Seas", com 360 metros de comprimento e cerca de 225.280 toneladas, tem simbólicos cinco centímetros menos que o navio-irmão "Allure of the Seas", maior do mundo; ambos possuem 16 decks (andares) e pertencem à Royal Caribbean. A intenção original era que fossem iguais, com capacidade para 5.400 hóspedes em ocupação dupla das suas 2.700 cabines. O novo navio oferece performances de entretenimento como o primeiro carrossel em alto mar; exibições com cinema em 3D em parceria com a DreamWorks Animation e do sucesso da Broadway, "Chicago: o Musical". Há espaços de compras, 26 opções de alimentação, incluindo o primeiro Starbucks em alto mar. E até mesmo "praças" no navio. Nos próximos dias o "Allure" receberá centenas de paisagistas a bordo para a colocação de mais de 12.000 plantas. Até dezembro de 2009, os maiores navios eram o
Allure of the Seas
"Independence", "Liberty" e "Freedom of the Seas", os três também da Royal Caribbean. Praticamente iguais, eles possuem 154.000 toneladas, capacidade de 3.634 hóspedes e 339 metros, além de 13 decks. Centenas de pessoas esperavam na quinta-feira e celebravam a chegada do navio, entre eles executivos e funcionários da empresa proprietária, e também organizações comunitárias, moradores e uma frota de escolta marítima composta de embarcações privadas e barcos anti-incêndio. O navio, segundo da classe "Oasis", chegou aos Estados Unidos depois de uma viagem pelo oceano Atlântico de 13 dias, saindo de Turku, na Finlândia.

Os dois maiores navios do mundo se encontram na Flórida

O cruzeiro gigante "Allure of the Seas", que chegou na Flórida na quinta-feira, encontrou-se pela primeira vez com o navio-irmão "Oasis of the Seas" neste sábado. O navio "Oasis of the Seas", com 360 metros de comprimento e cerca de 225.280 toneladas, tem simbólicos cinco centímetros menos que o navio-irmão "Allure of the Seas", maior do mundo; ambos possuem 16 decks (andares) e pertencem à Royal Caribbean. A intenção original era que fossem iguais, com capacidade para 5.400 hóspedes em ocupação dupla das suas 2.700 cabines. O novo navio oferece performances de entretenimento como o primeiro carrossel em alto mar; exibições com cinema em 3D em parceria com a DreamWorks Animation e do sucesso da Broadway, "Chicago: o Musical". Há espaços de compras, 26 opções de alimentação, incluindo o primeiro Starbucks em alto mar. E até mesmo "praças" no navio. Nos próximos dias o "Allure" receberá centenas de paisagistas a bordo para a colocação de mais de 12.000 plantas. Até dezembro de 2009, os maiores navios eram o "Independence", "Liberty" e "Freedom of the Seas", os três também da Royal Caribbean. Praticamente iguais, eles possuem 154.000 toneladas, capacidade de 3.634 hóspedes e 339 metros, além de 13 decks. Centenas de pessoas esperavam na quinta-feira e celebravam a chegada do navio, entre eles executivos e funcionários da empresa proprietária, e também organizações comunitárias, moradores e uma frota de escolta marítima composta de embarcações privadas e barcos anti-incêndio. O navio, segundo da classe "Oasis", chegou aos Estados Unidos depois de uma viagem pelo oceano Atlântico de 13 dias, saindo de Turku, na Finlândia.

Gol fecha pedido para 30 aeronaves Boeing no valor de R$ 4,6 bilhões

A Gol anunciou na sexta-feira a compra de mais 30 aeronaves Boeing B737-800 para atualização da frota da companhia. Segundo o presidente da empresa, Constantino Júnior, os pedidos firmes foram feitos por um valor de US$ 2,7 bilhões (R$ 4,6 bilhões) e devem ser entregues de 2014 a 2017. Com isso, o número de pedidos firmes sobe para 104, além de 40 opções com adiamentos para aquisição a partir de 2012. Constantino Júnior descartou problemas para o aumento de demanda no final deste ano. Segundo ele, a Gol terá um plano de contingência durante o período de festas. O presidente disse que os cerca de 140 copilotos recém-contratados já estarão disponíveis para atuar em dezembro: "A situação está absolutamente normalizada, a gente não enxerga nenhum problema para a alta temporada e principalmente para o período de festas". Segundo o presidente, as vendas indicam que continua existindo uma pressão de demanda. Ele espera que a ocupação das aeronaves fique acima de 70%. No terceiro trimestre, a ocupação das aeronaves foi de 71,3%, 5,6 pontos percentuais acima do mesmo período do ano passado.

Governador do Distrito Federal apela para Fifa e critica "influências obscuras" por Itaquerão

O governador do Distrito Federal, Rogério Rosso (PMDB), partiu para o ataque na sexta-feira contra a decisão do Comitê Local da Copa-2014 de fazer a abertura dos jogos no novo estádio do Corinthians, que ainda não tem nem forma de financiamento viabilizada. Em carta enviada a Fifa, Rosso diz que os jogos deveriam ser exemplo de "ética e compromisso". "Nós todos estamos cientes das tentativas de influência política na decisão da Fifa, e a mídia tem sido capaz de nos apresentar cenários completos de valores indesejáveis que têm sido empregados na disputa. Esperamos que a Fifa esteja consciente do tipo de mensagem errônea que poderia ser passada à população se uma decisão baseada em influências obscuras for tomada", escreveu. Rosso critica ainda o cronograma dado ao Corinthians para levantar o Itaquerão, enquanto as outras cidades-sede terão um ano a menos para entregar os estádios: "Estávamos em esforço permanente para cumprir todas as exigências quando fomos surpreendidos ao ver que a escolha se baseia em um estádio que não possui sequer um projeto pronto para a sua construção, não há previsão de fonte de financiamento e a possibilidade de sua entrega é prevista apenas para o fim de 2013". E o governador do Distrito Federal conclui: "esta suposta decisão do Comitê Organizador contraria várias determinações que todas as demais 11 cidades-sede têm que cumprir. Entre elas, a exigência de que todos os estádios estejam prontos no início de 2013, para a Copa das Confederações. A suposta decisão por São Paulo admite que a arena não obedeça esse rigoroso prazo".

Bordéis inspiraram modelos de afrescos da Capela Sistina

O artista renascentista Michelangelo Buonarroti se inspirou em bordéis italianos para pintar algumas das formas e modelos dos afrescos da Capela Sistina, defendeu a estudiosa Elena Lazzarini em artigo publicado na sexta-feira no jornal italiano "Corriere della Sera". De acordo com a estudiosa italiana, muitos dos fiéis e dos condenados que fazem parte dos afrescos são retratados em situações obscenas. "Um condenado, por exemplo, é conduzido ao inferno agarrado pelos testículos, além dos beijos e abraços ambíguos, claramente tendendo à homossexualidade", explicou a estudiosa. Lazzarini acrescenta que os corpos masculinos que compõem a pintura do Juízo Final correspondem à aparência física de peões retratados durante o trabalho, com os músculos à mostra e com o cansaço e o esforço refletidos em seus rostos. Conforme a especialista, os artistas renascentistas italianos frequentavam os espaços, que eram numerosos durante o século XVI na Itália e, em particular, em Roma. "Eles frequentavam as casas de banho para tratamentos de beleza e de hidroterapia e alguns deles eram também pontos de prostituição masculina e feminina", explicou Lazzarini. A imponente cena do Juízo Final foi pintada por Michelangelo entre 1536 e 1541 para decorar a parede que se encontra atrás do altar da capela.

Airbus lança alerta internacional para problemas elétricos em aviões

A fabricante de aviões Airbus vai lançar um alerta internacional a respeito de problemas elétricos em suas aeronaves. A companhia afirma que o alerta será voltado para os aviões A319, A320 e A321. O alerta da Airbus ocorre depois de uma série de incidentes com seus aviões. Em agosto, um Airbus da companhia britânica British Midlands apresentou problemas e não respondeu aos comandos do piloto por vários minutos, com os displays da cabine se apagando. As autoridades do setor de aviação há anos têm demonstrado preocupação com os problemas elétricos de aviões da Airbus, que ainda não foram explicados. A Airbus também enfrenta problemas recentemente com seu modelo A380, o maior avião para passageiros do mundo, em operação há três anos. Na segunda-feira a companhia aérea australiana Qantas suspendeu os voos de todos os seus seis aviões Airbus A380 por pelo menos mais três dias depois de descobrir vazamento de óleo em três turbinas.

Procurador diz que vai recorrer de decisão que derruba suspensão do Enem

Oscar Costa Filho, Procurador da República no Ceará, afirmou na sexta-feira que vai recorrer da decisão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região de derrubar a suspensão do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). "Vamos pedir que a decisão, que foi tomada pelo presidente do TRF-5, seja submetida ao pleno", disse Costa Filho. O objetivo, segundo o procurador, é restaurar a suspensão do Enem. O procurador disse que pediu uma audiência com o presidente do TRF-5 para falar sobre o Enem. "O ministro da Educação, Fernando Haddad, não foi ouvido? Não é justo que ele me ouça também? Tem de haver o princípio da igualdade", criticou o procurador. Haddad teve uma audiência com o presidente do tribunal na manhã de sexta-feira. O procurador da República no Ceará fez duras críticas ao Ministério da Educação, afirmando que a pasta está "distorcendo os fatos". "Se for liberado esse processo, eles farão provas diferentes no mesmo concurso. Eles dizem que são provas equivalentes, mas passam equivalência por igualdade. Devemos observar o princípio da igualdade em concursos públicos", rechaçou o procurador. Costa Filho disse ainda que não há segurança na proposta do MEC (Ministério da Educação) em dar continuidade ao exame, na medida em que os candidatos indicarão como será realizada a correção do gabarito. "Abre precedente para que, não só no Enem, mas em qualquer outro concurso o candidato tenha o direito de indicar como será realizada a correção do seu gabarito. Isso acaba com a segurança do Enem e de qualquer outro concurso que venha a ser feito posteriormente", disse.

MPX reduz prejuízo no terceiro trimestre

A MPX, empresa de energia do grupo EBX, do empresário Eike Batista, registrou prejuízo de R$ 66,1 milhões no terceiro trimestre. No mesmo período em 2009, o prejuízo havia sido maior, de R$ 91,2 milhões. A empresa atribuiu o resultado ao fato de as principais usinas ainda não estarem em operação. "O resultado financeiro reflete as aplicações financeiras realizadas com o caixa da empresa e os gastos para construir as usinas", afirmou a empresa, em comunicado ao mercado. A receita operacional líquida totalizou R$ 29,2 milhões, alta de 136,1% na comparação com o período de julho a setembro de 2009. O presidente da MPX, Eduardo Karrer, ressaltou que houve "sólidos avanços" na carteira de projetos da companhia, ao longo do terceiro trimestre. Foram investidos, de julho a setembro, R$ 410 milhões na construção das três usinas termelétricas do grupo. Já foram utilizados R$ 2,5 bilhões de um total de R$ 4 bilhões previstos para essas unidades. A projeção é que a operação das usinas, aliada a contratos firmados com distribuidoras, gere uma receita anual de R$ 749,2 milhões por 15 anos. Elas começam a entrar em operação a partir do final do primeiro semestre do próximo ano.

CVM autoriza negócios com ações de Microsoft, GE, Procter&Gamble e Intel na Bovespa

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) autorizou o grupo americano Citi a negociar na Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo), a partir do final deste mês, ações de grandes empresas globais, como Intel, Procter&Gamble, Wells Fargo e Microsoft. No início do mês passado, o grupo alemão Deutsche Bank já havia recebido sinal verde para "trazer" as ações de outras grandes empresas estrangeiras, como Apple, Google, Avon e Walmart. Da mesma forma, o Citi  seráa instituição depositária dos BDRs (recibos de ações estrangeiras negociadas no Exterior) disponíveis no chamado "mercado de balcão" da Bovespa, um segmento de negócios mais desregulamentando mas também de acesso mais restrito. Em princípio, somente instituições financeiras, fundos de investimento e gestores de carteiras podem adquirir diretamente esses papéis. Para a pessoa física, fica a alternativa de investidor nesses ativos por meio de eventuais fundos que podem ser criados com lastro desses BDRs. Como os demais ações no mercado brasileiro, os BDRs serão negociados em reais. Veja a lista das empresas e suas respectivas áreas de atuação: 1 - Alcoa (commodities); 2 - Cisco Systems (tecnologia da informação); 3 - Citigroup (setor financeiro); 4 - Freeport-McMoran Copper & Gold (commodities); 5 - General Electric (produtos eletroeletrônicos); 6 - Intel (tecnologia da informação); 7 - Merck (produtos farmacêuticos); 8 - Microsoft (tecnologia da informação); 9 - Procter & Gamble (bens de consumo); 10 - Wells Fargo (setor financeiro).

Cinquenta munícipios respondem por quase 60% das exportações brasileiras

Um total de 50 municípios brasileiros, ou menos de 1% do total do País, responderam por aproximadamente 60% das exportações brasileiras nos primeiros dez meses deste ano, quando o Brasil vendeu ao Exterior o equivalente a US$ 163,309 bilhões. O volume exportado por esses 50 municípios somou US$ 96,140 bilhões (58,8% da cifra total). Segundo as estatísticas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o município com maior cifra de vendas ao exterior foi Angra dos Reis (RJ), com exportações de US$ 6,894 bilhões no período de janeiro a outubro deste ano. Em segundo lugar, Parauapebas (PA) teve US$ 6,120 bilhões em exportações. São Paulo surge em terceiro lugar, com exportações de US$ 5,186 bilhões, seguido por Itabira (MG), com US$ 4,737 bilhões e Santos (SP), com US$ 4,107 bilhões. Na ponta inversa, São Paulo foi o município com o maior volume de importações (US$ 11,4 bilhões). Em segundo lugar veio Manaus (US$ 9,2 bilhões) e logo em seguida, o Rio de Janeiro, com US$ 5,7 bilhões. O Estado com o maior volume de exportações no período de janeiro a outubro foi São Paulo, com embarques de US$ 42,4 bilhões, seguido por Minas Gerais (US$ 24,9 bilhões), Rio de Janeiro (US$ 14,8 bilhões), Rio Grande do Sul (US$ 12,9 bilhões) e Paraná (US$ 11,8 bilhões).

Previdência privada cresce 16% no terceiro trimestre

O mercado de previdência privada arrecadou R$ 11,1 bilhões no terceiro trimestre do ano, 16,34% acima do resultado no mesmo período de 2009, segundo dados divulgados na sexta-feira pela Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida). Os planos VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), que se popularizaram por serem indicado ao investidor que não declara Imposto de Renda pelo modelo completo, acumularam R$ 8,9 bilhões, alta de 18,13% em relação ao terceiro trimestre de 2009. De acordo com a entidade, o crescimento no volume de depósitos no VGBL deve-se à popularização do produto. Já o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), mais indicado para quem faz a declaração completa do IR, cresceu 16,09% no período com arrecadação de R$ 1,3 bilhão. E os planos tradicionais fecharam o terceiro trimestre com R$ 768,8 milhões, queda de 0,63%. Os planos individuais tiveram alta de 24,55% no trimestre e atingiram arrecadação de R$ 9,5 bilhões ante R$ 7,6 bilhões registrados no mesmo período de 2009. Enquanto isso, os planos corporativos acumularam R$ 1,2 bilhão e os planos para menores, por sua vez, responderam por R$ 350 milhões da arrecadação.

África do Sul quer ser quinto Bric

A África do Sul pediu para entrar no grupo de países emergentes do Bric, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia e China, disse na sexta-feira o presidente russo, Dmitri Medvedev. A África do Sul é a 31ª maior economia do mundo, segundo dados do Banco Mundial para 2009, e representa menos de um quarto da menor economia do Bric, a Rússia. Alguns economistas haviam nomeado a Indonésia, cuja economia está crescendo rápido, para ser o próximo Bric. A economia sul-africana crescerá apenas 3% neste ano, de acordo com o governo, muito abaixo do ritmo registrado em países do Bric.

Biólogo brasileiro "cura" célula autista com droga experimental

Em estudo publicado na sexta-feira, o brasileiro Alysson Muotri, da Universidade da Califórnia, em San Diego, descreve como "curou" um punhado de células defeituosas com uma droga experimental. Ao recriar neurônios a partir de células retiradas da pele de crianças com uma síndrome de autismo genética, Muotri identificou características da doença independentes do sintoma comportamental, observando as células vivas em microscópios. "Isso sugere que a técnica tem um potencial de diagnóstico", diz ele: "É a primeira descrição de um modelo humano que recapitula uma doença psiquiátrica". O biólogo é cauteloso, porém, quando questionado sobre se seu trabalho é a descoberta de um tratamento para o autismo. A droga usada no experimento, a IGF-1, altera os níveis de insulina no organismo, e pode levar a uma série de efeitos colaterais indesejados caso seja administrada no sistema nervoso de pessoas normais. Mesmo que a descoberta de um medicamento adequado possa levar décadas, Muotri se diz otimista. Ele está elaborando testes com uma série de outras drogas em um sistema robótico de experimentação, como o que empresas farmacêuticas usam: "Não acho que uma droga conseguiria consertar tudo, no caso de alguém que tenha desenvolvido um problema de cognição e memória mais profundo. Mas mostramos que é possível reverter o estado desses neurônios em grande medida". As descobertas ganharam a capa da prestigiosa revista Cell. No estudo com células, reprogramadas, ele usou material biológico de crianças portadoras da síndrome de Rett, uma das variantes mais graves das várias doenças designadas como autismo. Essa condição é causada pelo defeito em um único gene, o que facilita seu estudo em laboratório, mas não é representativa de todas as outras síndromes do autismo.

Rolls-Royce admite falhas em motores de superjumbos Airbus A380

A fabricante de motores britânica Rolls-Royce admitiu na sexta-feira que um "componente específico" nas turbinas Trent 900 foi o responsável pelo incidente em um vôo da Qantas na semana passada, quando uma das turbinas de um superjumbo Airbus A380 sofreu um incêndio em pleno vôo, tendo que fazer uma aterrissagem forçada em Cingapura. Em comunicado após as investigações, a Rolls Royce afirma ter chegado a duas conclusões: "o problema é específico do motor Trent 900. Além disso, afeta um elemento específico no setor da turbina do motor". A avaria provocou um vazamento de óleo, seguido por um incêndio, destacou a empresa. A Qantas decidiu deixar em terra seus seis aviões do mesmo modelo depois que uma explosão em um motor do Airbus A380 durante um vôo à Austrália, no último dia 4, obrigou o piloto a aterrissar em Cingapura. A Rolls-Royce reconheceu ainda que os problemas com esse motor terão um "ligeiro" impacto negativo em seus lucros, mas tratou de dissipar os temores dos investidores de que o problema pudesse afetar toda a família de motores.

Dilma pensa em esvaziar Casa Civil e passar PAC para outro ministério

A presidente eleita Dilma Rousseff estuda esvaziar a Casa Civil e transferir parte de suas funções para outras áreas. Uma das possibilidades discutidas na equipe de transição é tirar de lá o Programa de Aceleração do Crescimento. Há três destinos possíveis para o PAC, caso a petista opte mesmo por esse desenho: passá-lo para o Ministério do Planejamento, levá-lo para a Secretaria-Geral da Presidência ou dividir a gestão e o acompanhamento do programa entre a Casa Civil e a Presidência da República. A proposta de reduzir o tamanho da Casa Civil vem sendo estudada desde a campanha eleitoral. Nos últimos dias, porém, ganhou forte apoio entre os integrantes do grupo de transição. Para Dilma, a Casa Civil tem hoje inúmeras atribuições executivas e outras prerrogativas de pouca ou nenhuma afinidade com a função original da pasta. Ela própria já repetiu mais de uma vez em reuniões que não quer um superministério, nem um superministro. A hipertrofia da Casa Civil começou com a nomeação de José Dirceu em 2003. Naquela ocasião, o petista acumulou tarefas e transformou-se em uma espécie de primeiro-ministro, até ser derrubado pelo escândalo do Mensalão do PT. Substituta de José Dirceu no cargo em 2005, e depois escolhida por Lula para sucedê-lo, Dilma acabou beneficiada pelo poder da cadeira que agora cogita diminuir. Na avaliação de pessoas que acompanham as discussões sobre a dança de cadeiras na Esplanada, a ida do PAC para o Planejamento significaria reforçar o nome de Miriam Belchior para assumir a vaga, hoje ocupada por Paulo Bernardo.

Justiça Federal derruba liminar que suspendia prova do Enem

O presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, desembargador Luiz Alberto Gurgel de Faria, derrubou na manhã de sexta-feira a decisão que impossibilitava o prosseguimento do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), após problemas encontrados na prova realizada nos dias 6 e 7. Na decisão, o desembargador afirmou que a suspensão do exame traria transtornos aos organizadores e candidatos de todo o Brasil. Ele ainda afirmou que a alteração do cronograma do Enem repercutiria na realização dos vestibulares promovidos pelas instituições de ensino superior, uma vez que diversas entidades utilizarão as notas da prova. Segundo o Tribunal Regional Federal, Faria destacou ainda o possível prejuízo de R$ 180 milhões decorrente da contratação da logística necessária à realização de um novo exame. A suspensão do Enem havia sido determinada na última segunda-feira. Na decisão, a juíza federal Karla de Almeida Miranda Maia, da 7ª Vara Federal, se baseou no argumento de que o erro da impressão das provas prejudicou os candidatos. Ao todo, o Enem teve 4,6 milhões de inscrições neste ano. Porém, a abstenção foi de 27% no sábado e fechou o domingo em 29%. Asssim, cerca de 3,3 milhões compareceram em 1.698 cidades do País. A previsão do MEC (Ministério da Educação) é que os inscritos no exame concorressem a 83 mil vagas em 83 instituições federais de ensino, por meio do Sisu (sistema que destina vagas em instituições federais apenas com base na nota do Enem).

IBGE aponta que 23% dos casamentos de solteiros são de mulheres mais velhas com homens mais jovens

O casamento entre mulheres mais velhas e homens mais jovens está se tornando mais popular. Segundo a pesquisa "Estatísticas do Registro Civil 2009", divulgada na sexta-feira pelo IBGE, os casamentos entre solteiros com esse perfil de união já somam 23% do total. Em 1999, eles representavam 19,3%. Segundo o IBGE, o maior volume de casamentos entre mulheres mais velhas e homens mais jovens ocorreu na faixa etária de mulheres de 25 a 29 anos (33,9%). De acordo com Adalton Bastos, gerente da pesquisa, os resultados mostram que o preconceito em relação a este perfil de união está em queda. "O conceito sobre qual é a idade certa do homem ou da mulher para o casamento está deixando de existir", disse. Os casamentos entre solteiros ainda são maioria no País. Eles representam 82,4% do total. Apesar disso, nos últimos anos houve um aumento dos chamados "recasamentos" (uniões que envolvem ao menos uma pessoa divorciada ou viúva). Em 1999, esse tipo de união representava 10,6% do total. No ano passado, esse patamar era de 17,6%. Uniões formais entre mulheres divorciadas e homens solteiros foram mais frequentes em Goiás (5,8%), Rio de Janeiro (5,6%) e Mato Grosso do Sul (5,6%).

Número de casamentos cai 2,3% após seis anos de crescimento

A pesquisa "Estatísticas do Registro Civil 2009", divulgada na sexta-feira, mostra que no ano passado o número de casamentos realizados no País recuou pela primeira vez após seis anos de expansão. Em números absolutos, o País teve 914.799 casamentos ocorridos e registrados de pessoas com 15 anos ou mais. Segundo o IBGE, a variação mostra uma tendência de estabilidade ou leve oscilação negativa na comparação com 2008. A análise dos dados nas últimas décadas mostra que mesmo com o crescimento das uniões registradas nos últimos anos, o País ainda não voltou ao patamar de casamentos da década de 1970. A comparação é dada pela taxa de nupcialidade, que consiste no número de casamentos a cada mil habitantes de 15 anos ou mais. Em 1974, a taxa era de 13 casamentos por mil habitantes. Em 2009, o patamar era de 6,5 casamentos por mil habitantes. No ano anterior, de 6,7 casamentos por mil habitantes.

Mais mulheres deixam para ter filhos a partir dos 30 anos

A pesquisa "Estatísticas do Registro Civil 2009", do IBGE, mostra que mais mulheres estão deixando para ter filhos a partir dos 30 anos. Segundo Adalton Bastos, gerente da pesquisa, essa tendência é mais acentuada nas regiões Sul e Sudeste e também no Distrito Federal. Para o instituto, os resultados comprovam a mudança no padrão de fecundidade das brasileiras. A análise dos dados dos últimos dez anos dos registros de nascimento de acordo com a idade da mãe da criança mostram que a participação na faixa de 15 a 19 anos caiu de 20,6%, em 1999, para 18,2%, no ano passado. Na faixa etária de 30 a 34 anos, o percentual aumentou de 14,8%, em 1999, para 16,8%, no ano passado. Para Adalton Bastos, gerente da pesquisa, a mudança reflete aspectos como o aumento da presença feminina no mercado de trabalho, o aumento da qualificação profissional e também os avanços da medicina, que permitem o adiamento da maternidade. "Esse movimento é mais visível em locais com escolaridade mais alta", disse. Em São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Distrito Federal o volume de nascimentos do grupo de mães de 30 a 34 anos já supera os registrados na faixa de 15 a 19 anos. Em São Paulo, o percentual de registros de nascimentos feitos por mães entre 30 e 34 anos foi de 19,8%. Na faixa de 15 a 19, ele ficou em 14,8%.

Mais de um quarto das grávidas procuram hospitais em outra cidade para ter filhos

Mais de 25% dos registros de nascimentos em 2009 ocorreram em hospitais fora do município de residência da mãe. Segundo o IBGE, os dados indicam que as grávidas recorreram a hospitais em outras cidades em busca de atendimento para fazer o parto. Os dados são das "Estatísticas do Registro Civil 2009", divulgadas pelo IBGE. Segundo Adalton Bastos, gerente da pesquisa, os resultados sinalizam a estrutura hospitalar insuficiente em parte das cidades do País. Os dados sugerem ainda, segundo ele, que a população pode recorrer também a especialidades médicas em outras cidades. Entre os municípios com mais de 500 mil habitantes, os maiores percentuais de nascimentos ocorridos em hospitais fora do município de residência da mãe foram verificados em Contagem, em Minas Gerais, (73,3%), Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco (69,1%) e Aparecida de Goiânia (57,9%). Os percentuais mais elevados são de municípios que ficam próximos das capitais dos Estados. Em São Paulo, nos municípios com mais de 500 mil habitantes, os maiores percentuais foram registrados em São Bernardo do Campo (38,1%), Osasco (36,4%), Santo André (25,7%) e Guarulhos (19,5%).

Quase 11% dos nascimentos de crianças no Acre e Amazonas ocorrem em casa

A pesquisa "Estatísticas do Registro Civil 2009", divulgada na sexta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostra que Acre e Amazonas têm os maiores percentuais de nascimentos ocorridos em casa. Em todo o País, 97,7% dos nascimentos registrados no ano passado ocorreram em hospitais. Em alguns Estados, no entanto, ainda persiste um percentual significativo de nascimentos em domicílios, como Acre (10,8%), Amazonas (10,7%), Pará (6,2%) e Roraima (6,1%). Segundo o IBGE, a ocorrência do parto fora de um hospital, principalmente em casa, contribui para que as famílias adiem o registro do nascimento da criança. Em 2009, os nascimentos registrados que ocorreram em casa representam 1,3% do total. Quando se considera apenas os registros feitos em 2009 de crianças que nasceram em anos anteriores, o percentual de partos realizados em casa em todo o País sobe para 32%. O instituto ressalta que o motivo do atraso está associado a questões de distância e deslocamento até hospitais e cartórios.

Modelo transexual brasileira, filho de Toninho Cerezo, diz que é "apedrejada diariamente"

A "brasileira" Lea T., de 28 anos, abriu seu caminho na moda. Apadrinhada pelo amigo Riccardo Tisci, diretor criativo da Givenchy, estrelou desfiles e campanha da grife francesa. Em contrapartida, ganhou o pesado título de primeira top transexual do mundo. "Se eu pensar nisso de ser pioneira, nem saio da cama", disse a modelo. Estrela de editoriais das maiores revistas do mundo, incluindo o próximo número da influente revista "Love", Lea também está sendo assediada por grifes brasileiras, que a convidaram para desfilar na São Paulo Fashion Week. A top acaba de ser contratada pela agência brasileira Way, que confirma os convites, embora não revele o nome das marcas. Lea, que nasceu Leandro, mora em Milão, para onde foi ainda criança, por conta da carreira internacional de seu pai, o ex-jogador de futebol Toninho Cerezo. Ela explica porque Tisci a convidou para ser um dos rostos da Givenchy: "Pela nossa amizade. Conheci o Riccardo há uns dez anos, ele era recém-formado e estava batalhando para entrar no mercado. Sempre nos ajudamos. E quando ele me chamou para fazer trabalhos para a Givenchy, primeiro como assistente dele, e depois como modelo, eu estava passando por uma fase muito difícil, de depressão. Assumir a realidade de ser transexual é muito complicado. Comecei a pensar no futuro e não via nenhuma perspectiva, nada que pudesse ultrapassar o preconceito que eu sentia e sinto em relação a mim. E aí veio o Riccardo, que é capaz de entender a complexidade de um conflito humano. Ele me deu uma voz para que eu pudesse enviar uma mensagem, que transexual não é sinônimo de promiscuidade, como muitos pensam. Que podemos ter amigos, batalhar por uma carreira, por nossa vida, que não precisamos baixar a cabeça, com vergonha de nós mesmos". Ela também explica porque fez uma foto nua para revista Vogue francesa: "Mostrar o que eu sou hoje, meu corpo, minha verdade. Infelizmente, tudo foi deturpado, muita gente repercutiu aquilo como se fosse pornografia. Fiquei arrasada. A indústria da moda posa de tolerante quando o assunto é gênero e sexualidade. Essa imagem é verdadeira? Não. É claro que existem pessoas esclarecidas, mas tenho de me cuidar para não ser explorada, ridicularizada. Numa sessão de fotos, queriam que eu vestisse uma camiseta com um pênis desenhado. Desse choque barato, raso e burro, não participo. Fora aqueles que me pedem pra ficar pelada entre uma foto e outra na frente de uma equipe gigante. Sobra hipocrisia e falta respeito". Ela faz um tratamento preparatório para a operação de mudança de sexo e isso afeta o seu corpo: "Tomo muitos hormônios, que mexem com tudo, das formas do corpo ao humor. Fico cansada, com sono, triste, ansiosa. Além disso, para ser modelo, tenho de me encaixar no padrão das meninas, mas, mesmo com os hormônios, minha estrutura óssea é masculina". Lea T. também fala de sua relação com a família: "Ai, é um sofrimento só. Escreveram em sites e jornais, no Brasil, que meu pai me odiava, que tinha nojo de mim. Isso é mentira. Eu amo o meu pai, e ele me ama. Não é fácil para ele entender as escolhas que fiz para a minha vida, mas são dificuldades que enfrentamos com amor". E diz o modo como faz para suportar as pressões: "Faço análise, porque sou discriminada o tempo inteiro. Sou apedrejada diariamente, aguento olhares tortos e ofensas da hora que saio de casa até o momento que entro de volta. Se não fosse a análise, viveria trancada e deprimida".

SBT negocia venda de horário para evangélicos

Silvio Santos já tem na mesa propostas suficientes para aumentar o faturamento do grupo, diante da necessidade de saldar a dívida de R$ 2,5 bilhões com o FGC (Fundo Garantidor de Créditos). Ao menos três igrejas evangélicas fizeram nas últimas horas ofertas para comprar horário na madrugada do SBT. O SBT diz que "não são novas as ofertas de igrejas, mas até o momento não surgiu nenhuma proposta que tenha interessado", confirmando negociações. Duas delas disputam a atenção: o ministério do pastor Silas Malafaia e a Igreja Internacional da Graça de R.R.Soares. Emissários de Soares teriam oferecido R$ 10 milhões por mês por cinco horas diárias. No primeiro trimestre de 2009 Soares já havia ofertado a Silvio Santos R$ 5 milhões por três horas, mas a emissora recusou. A Universal de Edir Macedo, que é cunhado de R.R.Soares, também sinalizou a Silvio com novas ofertas. O SBT por enquanto é a única TV aberta sem qualquer programação religiosa (até a Globo tem a "Santa Missa" católica). A eventual locação dessa faixa horária também pesará muito porque a madrugada é a única faixa horária em que o SBT encosta ou fica em 1º lugar no ibope. Aos 80 anos completados na sexta-feira, Sílvio Santos se queixa de cansaço e do desgaste provocado pela guerra do ibope.

Ex-número 1 do banco PanAmericano é sócio em 20 empresas

Afastado do cargo de presidente do PanAmericano, Rafael Palladino, de 59 anos, não tem o perfil de executivo do mercado financeiro nem costuma circular entre banqueiros. Formado em educação física pela Universidade de São Paulo, Palladino trabalhou como personal trainer e foi professor durante 12 anos. Aos 32 anos, deixou as salas de aula para se dedicar às academias de ginástica. Foi nessa época que o executivo começou a ter contato com a área comercial. Cuidou dos negócios de oito academias e, com isso, diz ter ganho experiência em vendas e marketing. O empresário foi diversificando os negócios e montou uma rede de postos de gasolina em São Paulo e no Rio de Janeiro. Atualmente, ainda é sócio de três postos em São Paulo. Na Junta Comercial de São Paulo, Palladino aparece como sócio em 20 empresas, incluindo também as ligadas ao grupo Silvio Santos, como o PanAmericano, o Bau Distribuidora de Títulos e Valores Imobiliários, a Liderança Capitalização S.A. e a TV Studios Anhanguera. Palladino é primo em primeiro grau de Íris Abravanel, mulher de Silvio Santos, que o convidou em 1990 para assessorar o grupo empresarial na área imobiliária. Um ano mais tarde, foi trabalhar na área financeira do grupo. No comando da instituição financeira, Palladino tinha autonomia para cuidar do banco e de negócios considerados prioritários para Silvio Santos, como o hotel de luxo Sofitel, no Guarujá, aberto no início de 2007. Palladino ajudou a comandar o projeto ao lado de Patrícia Abravanel, a filha "de número quatro" do empresário, que comanda hoje o SBT. A proximidade com Patrícia começou quando ela foi estagiária do banqueiro no PanAmericano.

Índice que reajusta aluguel acumula alta de 9,56% em 12 meses

A inflação mensurada pelo IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), usado como referência na maioria dos contratos de aluguel, subiu 0,79% na primeira leitura de novembro, de acordo com dados divulgados na sexta-feira pela FGV (Fundação Getulio Vargas). Para o mesmo período de apuração no mês anterior, a variação foi de 0,75%. No ano, a variação foi de 9,85%, enquanto nos últimos 12 meses foi de 9,56%. O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência. O IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo) registrou variação de 1,02%, nos primeiros dez dias de novembro.

Lucro do grupo JBS cai 12% no terceiro trimestre

O grupo JBS, maior processador global de carne bovina, apresentou na sexta-feira lucro líquido de R$ 133,5 milhões para o terceiro trimestre, resultado 11,9% inferior ao registrado no mesmo período do ano passado. No segundo trimestre, o lucro havia sido de R$ 3,7 milhões. De julho a setembro, a empresa apurou receita líquida de R$ 14,1 bilhões, volume 67,9% superior na comparação com igual período do ano passado. Sobre as operações na Argentina, que vêm concentrando as atenções do mercado, o JBS afirma no demonstrativo de resultados que "mesmo com as dificuldades estruturais encontradas naquele país, temos sido incansáveis na busca por soluções". As medidas já adotadas pelo grupo na Argentina incluem o corte de 1.500 funcionários em quatro unidades, o fechamento de três fábricas e encerramento de atividades de abate em outra, além da transferência da sede da empresa para a unidade de Rosário.

Sarkozy reitera confiança em venda de caças ao Brasil

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, reiterou na sexta-feira que tem confiança na possibilidade de obter o contrato bilionário de venda de caças ao Brasil, uma licitação que tem na disputa o modelo francês Rafale, ao fim da reunião do G20 de Seul. "Continuo confiante na possibilidade de concretizar a venda", declarou Sarkozy durante uma entrevista coletiva após a conclusão da reunião de cúpula do G20 na capital sul-coreana. Sarkozy teve um rápido encontro bilateral com o presidente Lula à margem da reunião. A presidente eleita do Brasil, Dilma Rousseff, também participou da conversa. Os aviões de combate Rafale construídos pela francesa Dassault competem com o americano F/A-18 Super Hornet (Boeing) e com o sueco Gripen NG (Saab) por um contrato de bilhões de dólares para a compra de 36 caças pelo Brasil.

Aneel estuda dar incentivo para "turbinar" usinas

As usinas hidrelétricas brasileiras receberão incentivo econômico para expandirem a atual capacidade instalada. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) vai propor, até junho de 2011, um modelo a partir do qual pretende disciplinar a fórmula de incentivo para esse tipo de investimento. Como toda a conta do setor elétrico, essa também deverá ser paga pelos consumidores. Mas, nesse caso, o custo pode ter como resultado uma boa causa. Com o mecanismo, a agência espera estimular investimentos que resultem no aumento de 4.600 MW da capacidade instalada no País, mais do que uma usina do rio Madeira. O número é apenas uma projeção, podendo inclusive ser maior. A principal vantagem é o ganho de nova energia para abastecer o País sem todos os impactos ambientais e sociais de uma usina nova. Outra vantagem que pode advir dessa expansão é o aumento da confiabilidade do sistema elétrico brasileiro nos chamados "horários de pico", período entre as 18 e 21 horas, em que o consumo de energia dispara no País. O ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), responsável pela gestão segundo a segundo do setor elétrico nacional, afirma que o País tem hoje capacidade instalada para abastecer o chamado "horário de pico", mas reconhece que o estímulo para ampliar a capacidade atual pode conferir mais confiabilidade. Hoje, o País tem uma base instalada total (hidrelétricas, termelétricas, eólicas e nuclear) de 110 mil MW, e a carga necessária para energizar a rede brasileira é, em média, de 55 mil MW. Mas o aumento da demanda brasileira também tende a expandir a necessidade nos horários de ponta. Em fevereiro, o País atingiu picos de consumo superiores a 70 mil MW. Segundo Hermes Chipp, diretor-geral do ONS, até 2014 o País tem folga de 35% a 40% nas usinas para atender o horário de alto consumo. No entanto, isso se reduz bastante no período seco, quando os reservatórios das usinas hidrelétricas estão baixos, momento em que a demanda nos horários mais críticos é abastecida com as termelétricas. Essa mudança pode abrir espaço para investimentos de geradores que estão parados há anos, como a Cesp (Companhia Energética de São Paulo). A Cesp pode elevar em quase 1.000 MW a capacidade atual, com projetos de montagem das quatro máquinas finais em Porto Primavera e das três finais em Três Irmãos.

Nasa encontra duas fissuras no tanque externo do Discovery

Os técnicos da Nasa encontraram duas fissuras no metal do tanque externo de combustível do Discovery, após um vazamento de hidrogênio adiar o lançamento do ônibus espacial na semana passada. Além da fuga de hidrogênio, verificada quando o tanque era abastecido, os especialistas detectaram uma rachadura de 51 centímetros na espuma isolante quando esvaziavam o hidrogênio e o oxigênio líquidos, após adiar o lançamento para o final do mês. As fissuras estão na zona intermediária do tanque, que separa a parte com hidrogênio líquido, abaixo, da parte com oxigênio líquido. Os dois elementos formam o combustível que alimenta os três motores criogênicos do ônibus espacial. "Os engenheiros examinam fotos das fissuras para decidir a melhor forma de repará-las sobre a plataforma de lançamento", informa o site da Nasa. Trata-se de um reparo jamais realizado na plataforma de lançamento, destacou a agência.

Caixa de CDs de R$ 1.000,00 reúne obra completa de John Lennon

No caso de um artista da estatura de John Lennon, o aparecimento de uma canção inédita como "India, India" já seria motivo suficiente para o lançamento de todo um pacote de luxo só para acompanhá-la. Mas não é isso que acontece agora, com a chegada às lojas da "John Lennon Signature Box". A caixa com 11 CDs pretende ser a obra definitiva do Beatle assassinado em 1980, em Nova York. O lançamento chega ao País nos próximos dias, importado pela EMI brasileira, a R$ 1.000,00. Traz os oito discos lançados por Lennon (sete em vida e um póstumo) mais um álbum duplo dividido em singles e gravações caseiras. O primeiro traz os singles lançados fora de álbuns, apenas cinco, e inclui sua mais rara canção oficial, "Move Over Ms. L", lado B de "Stand By Me", de 1975. O segundo CD inédito, "Home Tapes", inclui "India, India", gravada em 1980. A letra, simples e direta, como a maioria que ele escreveu, traz recordações da viagem àquele país em 1968, com os Beatles. "One of the Boys" é outra inédita que se refere aos Beatles. O 11º CD da caixa é o disco bônus ao vivo que saiu com "Some Time in New York City", em 1972. Uma crítica que já corre entre os críticos é o peso da mão de Yoko Ono na caixa. Segundo especialistas, nos anos 70 Lennon andava implicando com sua própria voz, que considerava um tanto esganiçada. Por isso, embolava a mixagem para maquiar a "imperfeição". Nos anos 2000, Yoko supervisionou a remasterização para relançamento de todos os CDs solo do artista, mas nessa nova mixagem ela escolheu destacar a voz do artista.

Dilma diz que se acostumar à nova rotina é 'inexorável'

A presidente eleita, Dilma Rousseff, disse na sexta-feira em Seul que será "inexorável" se acostumar com o novo aparato presidencial e que cumprirá o mandato "a bom termo". "Eu me acostumo com esse aparato porque é inexorável. Mas, como ministra, a vida também não era muito normal, não", disse Dilma pela manhã em Seul antes de ir à reunião de cúpula do G20. "Eu penso todo dia quando eu acordo é que tenho de desempenhar esse papel para o qual fui eleita. É uma missão que vou desempenhar, que vou levar a bom termo", afirmou. Questionada se é mais difícil a formação do governo ou resolver os problemas reais da nação, disse que, "sem dúvida, resolver os problemas reais da nação". Na primeira viagem ao Exterior depois de eleita, Dilma Rousseff acompanhou o presidente Lula durante toda a programação oficial do G20.