quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Marina e Serra são preferidos na USP

Marina Silva (PV) e José Serra (PSDB) são os candidatos à Presidência preferidos dos alunos e professores da Universidade de São Paulo (USP), segundo pesquisa Datafolha, realizada em parceria com a Escola de Comunicação e Artes (ECA), divulgada nesta quarta-feira. No total, Marina Silva tem 30% das intenções de voto, Serra tem 27%, e Dilma aparece com 21%. Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) tem 7%. O levantamento, que entrevistou 1.014 pessoas em 29 faculdades ou institutos, mostra que José Serra lidera na Faculdade de Economia e Admistração (FEA), Engenharia (Poli), Medicina e Direito. Marina Silva ganha na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, no Instituto de Matemática e Estatística e na Escola de Artes, Ciências e Humanidades. Dilma e Marina empatam na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas e na ECA (Escola de Comunicação). A popularidade do presidente Lula, que na última pesquisa nacional atingiu 79%, ficou em 53% na USP.

Erenice nomeou filha do presidente dos Correios para Casa Civil

A ex-ministra da Casa Civil, a petista Erenice Guerra, que deixou o cargo após acusações de tráfico de influência, empregou no ministério uma das filhas do presidente dos Correios, David José de Matos. Nomeada assessora do gabinete da Casa Civil em 25 de junho, Paula foi exonerada na terça-feira. "Pedi que se afastasse", afirmou David Matos, que foi indicado por Erenice para presidir os Correios um mês depois que a filha dele foi trabalhar com a então ministra. Paula contou que foi Erenice quem a chamou para trabalhar na Casa Civil. "Erenice sempre foi amiga do meu pai, conheço ela desde que era criança. Ela me perguntou se eu tinha interesse em trabalhar na Casa Civil por um período curto", disse, contando ainda que o convite foi feito pela ex-ministra numa academia de ginástica. Segundo o relato de Paula, Erenice disse que o ministério estava "esvaziado por causa da eleição" e que precisava de gente para a coordenação dos trabalhos de assistência às vítimas das enchentes que destruíram Alagoas e Pernambuco em junho deste ano. Como funcionária da Casa Civil, Paula contou que tinha a função de consolidar as informações encaminhadas pelos Estados e por outros ministérios. "O combinado era eu ficar até outubro, estou terminando o mestrado e achei que a experiência poderia ser interessante. Mas como meu pai é uma pessoa pública, vi que poderia criar alguma confusão e decidi sair", relatou a filha do presidente dos Correios.

Juristas apontam "marcha para o autoritarismo" de Lula em evento em São Paulo

Juristas afirmaram que o governo Lula demonstra estar no caminho do autoritarismo ao criticar veículos de mídia e desrespeitar as instituições, durante ato pela democracia e a liberdade de imprensa realizado nesta quarta-feira no Largo de São Francisco, no centro de São Paulo. O momento mais importante do ato foi a leitura de um manifesto no parlatório do largo, um tradicional local de manifestações pela democracia. O texto foi lido pelo advogado Hélio Bicudo, que foi um dos fundadores do PT e deixou o partido em 2005. De acordo com o manifesto, "é intolerável assistir ao uso de órgãos do Estado como extensão de um partido político, máquina de violação de sigilos e de agressão a direitos individuais" e "é inaceitável que a militância partidária tenha convertido os órgãos da administração direta, empresas estatais e fundos de pensão em centros de produção de dossiês contra adversários políticos". Antes de fazer a leitura do texto, Bicudo afirmou que o presidente Lula "tenta desmoralizar a imprensa e todos aqueles que se opõem ao seu poder pessoal" e que "estamos à beira do perigo de um governo autoritário, que vai passar por cima, como já está passando, da Constituição e das leis". Participaram do ato, entre outras personalidades, os ex-ministros da Justiça José Gregori, Miguel Reale Júnior, José Carlos Dias e Paulo Brossard, o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, e o rabino Henry Sobel.

Após 11 anos sem registro da doença, Rio Grande do Sul confirma três casos de sarampo

Depois de 11 anos, a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul confirmou três casos de sarampo no Estado. De acordo com o governo gaúcho, o laboratório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, referência nacional para o sarampo, identificou nos doentes o mesmo vírus que circula na África desde 2007. Todos os casos foram registrados em Porto Alegre, sendo dois em garotas, de 10 e 11 anos de idade, da mesma família, que viajaram com a família para Buenos Aires, na Argentina, de 22 a 28 de julho, no mesmo período em que foram identificados casos de sarampo no país vizinho. As crianças não foram vacinadas contra a doença. A suspeita é de que o vírus que circula na Argentina tenha origem na África do Sul. O terceiro caso foi em uma menina de 9 meses, que contraiu a doença depois de contato com uma das outras infectadas no hospital. O Rio Grande do Sul identificou 50 casos suspeitos. Do total, 3 foram confirmados, 38 descartados e 9 continuam sob investigação. Neste ano, foram registradas três suspeitas da doença em Belém, no Pará, e 11 em João Pessoa, na Paraíba. O Ministério da Saúde informou que a circulação do vírus dentro do Brasil não ocorre desde o ano 2000 e que os casos confirmados, desde então, se originaram em outros países. Para evitar a propagação da doença, o ministério recomenda reforçar a aplicação da vacina na população na faixa etária de 1 a 49 anos.

STJ suspende todos os processos sobre cobrança de assinatura de telefone

O brasileiro que decidiu ou ainda pretende reclamar na Justiça contra a cobrança de tarifa básica da telefonia fixa terá que esperar ainda mais para ter seu processo julgado. O Superior Tribunal de Justiça suspendeu todos os processos no País sobre a assinatura básica. O tribunal considera legítima a cobrança por parte das empresas concessionárias. No entanto, o juizado especial de Uberlândia (MG) deu causa ganha a um consumidor que contestou a taxa, que hoje custa em torno de R$ 28,00 naquele Estado. O ministro Mauro Campbell Marques determinou a suspensão de todos os processos judiciais até o julgamento dessa controvérsia, sem data marcada para acontecer.

Julgamento da Ficha Limpa é interrompido por pedido de vista

O argumento do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Cezar Peluso, de que a Lei da Ficha Limpa é inconstitucional, fez o ministro José Antonio Dias Toffoli pedir vista. Ele prometeu trazer seu voto já na sessão desta quinta-feira. O Supremo julgava recurso do candidato ao governo do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PSC), contra a Lei da Ficha Limpa. Pouco antes do pedido de vista, o ministro Carlos Ayres Britto, relator do recurso, afirmou que o argumento de Peluso parece um "salto triplo carpado hermenêutico", provocando risos no plenário e entre os próprios colegas. Peluso então respondeu que poderia até ser "do ponto de vista publicitário", mas não do ponto de vista jurídico. O clima da sessão esquentou. Toffoli ia começar a votar, mas o ministro Joaquim Barbosa afirmou que a questão proposta por Peluso deveria ser analisada a parte. O colega então pediu vista. Peluso propôs que os ministros declarem que a lei é formalmente inconstitucional por conta da mudança nos tempos verbais realizados pelo senador Francisco Dornelles (PP-RJ) quando a legislação foi debatida no Senado. Para Peluso, Dornelles modificou o mérito do então projeto de lei complementar e ela deveria ter voltado à Câmara dos Deputados para nova análise. Ou seja, o presidente do Supremo argumenta que a tramitação da lei feriu o devido processo legislativo.

BNDES aprova empréstimo a três estádios da Copa-2014

O BNDES aprovou verbas para três estádios da Copa-2014. Os primeiros beneficiados são Mato Grosso, Bahia e Ceará. Trata-se de um terço das arenas públicas que servirão ao Mundial da Fifa. Para Mato Grosso foram liberados R$ 393 milhões para as obras do estádio e no entorno. Como garantia, o governo apresentou recursos do fundo de participação dos estados, provenientes do Tesouro Nacional. A custo total do Verdão é de R$ 342 milhões. A arena em Cuiabá terá arquibancadas modulares, com capacidade para 42 mil pessoas durante o Mundial, e 27 mil posteriormente. Para a Bahia, o financiamento é de R$ 323,6 milhões, que servirão à reconstrução da Fonte Nova. O estádio receberá 50 mil torcedores, habilitando-o até as quartas-de-final. O estádio obedecerá critérios de sustentabilidade ambiental, com a gestão de resíduos, racionalização do uso da água e aquecimento solar. O recurso liberado corresponde a 46% do investimento total na arena. Já para Fortaleza o valor é de R$ 351 milhões, cerca de 75% do investimento. O novo Castelão abrigará 66,5 mil pessoas. É o único do Nordeste, no momento, com capacidade para a abertura e final do Mundial.

Fazenda prevê que juros reais podem cair para 2% até 2014

O secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, disse nesta quarta-feira que a taxa real de juros (descontada a inflação) poderá cair para 2% ao ano até 2014. Hoje, ela está próxima de 6%. "A taxa real de juros caiu de 16% no início de 2003 para 6%, 5,5% hoje. Caiu dez pontos percentuais neste período partindo de situação mais adversa do que a que temos hoje. Então, é bem razoável pensar que nos próximos quatro anos pode cair mais quatro pontos [percentuais], devido à situação internacional", avaliou. Para Barbosa, que foi cotado para a integrar a equipe econômica em um eventual governo de Dilma Rousseff (PT), as baixas taxas de juros mundiais e a ausência de perigo de inflação somadas ao "processo brasileiro de grande volume de investimentos e forte aumento da produção" possibilitam a redução das taxas de juros reais, sem riscos de aumentar a inflação.

Dilma defende saída de indicados por Erenice se obtiveram cargo por amizade

Dizendo não ter levado Erenice Guerra para o governo por critério de amizade, a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, afirmou na tarde desta quarta-feira que defende a exoneração de todas as pessoas indicadas por sua ex-braço-direito caso elas tenham obtido o cargo por causa de parentesco ou amizade. "Não sou a favor da indicação de parentes, nem sou a favor da indicação por critérios de amizade. Se houve indicação por parentesco e critério de amizade, sim, sou a favor da exoneração de todos os indicados por Erenice", afirmou. Dilma foi a responsável por levar Erenice, que perdeu o cargo de ministra da Casa Civil na semana passada sob acusação de tráfico de influência, ao governo, mas negou que tenha feito isso por amizade. "Não indiquei porque era minha amiga, indiquei Erenice porque era uma pessoa que conheci na transição do governo, que era do setor elétrico, advogada competente da área". A petista voltou a defender sua ex-secretária-executiva dizendo que é preciso esperar a apuração para saber se ela teve culpa. Como exemplo, afirmou que sua campanha foi acusada por três meses de ser responsável por vazamentos na Receita Federal. "Agora aparece uma moça que mostra, e a investigação confirma isso, pra quem vendia, por quanto vendia, pra quem vendia. Eu pergunto: quem é que paga o meu prejuízo político?"

Vale Fertilizantes deverá lançar ações no primeiro semestre de 2011

Deverá ocorrer no primeiro semestre de 2011 a oferta primária de ações da Vale Fertilizantes, empresa que vai reunir os ativos da mineradora Vale no setor, afirmou nesta quarta-feira o diretor da divisão, Mário Barbosa. Segundo ele, a oferta de ações, emissões de dívida e o caixa da empresa vão garantir o investimento previsto de US$ 12 bilhões até 2014. "A empresa não será pequena. A Vale investiu entre US$ 6 bilhões e US$ 7 bilhões nesses ativos", afirmou Mario Barbosa, acrescentando que Vale Fertilizantes reunirá ativos que a empresa possui nesta área também em outros países. Do total a ser investido, cerca de US$ 8 bilhões irão para os projetos de potássio (usado principalmente na cultura da cana, do café e da soja) e US$ 4 bilhões para fosfato (usado em praticamente todos os grãos). As unidades de nitrogenados devem permanecer do mesmo tamanho de hoje, informou o diretor. Segundo Barbosa, a produção de potássio da Vale Fertilizantes em 2014 deverá girar em torno dos 10 milhões de toneladas e a de fosfato por volta dos 13 milhões de toneladas. "Quando estiver consolidada, a Vale Fertilizantes vai ser o segundo maior negócio da Vale", disse o diretor, o que desbancaria posição ocupada atualmente pelo níquel, abaixo apenas do minério de ferro no faturamento da companhia. A Vale Fertilizantes reunirá instalações da companhia no Exterior e no Brasil. Além de minas no Peru, Moçambique, Canadá e Argentina, a nova empresa vai agrupar ativos comprados da Bunge no Brasil com a Fosfertil, cujo controle também foi adquirido pela Vale em 2010.

Antonio Anastasia vai à Justiça Eleitoral contra Hélio Costa e os Correios

A campanha do governador Antonio Anastasia (PSDB), candidato à reeleição, entrou com ação na Justiça Eleitoral por uso eleitoral dos Correios pelo ex-ministro das Comunicações, Hélio Costa (PMDB), que disputa o governo de Minas Gerais contra o tucano. Os Correios são subordinados ao Ministério das Comunicações, que Hélio Costa comandou até março deste ano e, conforme a representação encaminhada ao Tribunal Regional Eleitoral, podem ter sido usados eleitoralmente desde o período pré-eleitoral. A ação pede investigação sobre as "inaugurações políticas" de agências dos Correios em Minas Gerais e pede também informações sobre deslocamentos, custos e pagamentos de aeronaves usadas nos deslocamentos de Hélio Costa e diretores dos Correios.

Presidente do OAB diz que está "otimista" sobre decisão a favor da Ficha Limpa no STF

O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, disse nesta quarta-feira que a entidade se mantém "otimista" em relação ao julgamento da Lei da Ficha Limpa pelo Supremo Tribunal Federal. Para Cavalcante, a lei é constitucional e deveria ser aplicada nas eleições deste ano. O Supremo julgava recurso do candidato ao governo do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PSC), contra a Lei da Ficha Limpa. Ele foi considerado "ficha suja" pelo Tribunal Superior Eleitoral por ter renunciado ao cargo em 2007 para escapar de processo de cassação. O julgamento foi interrompido após o ministro José Antonio Dias Toffoli pedir vista, mas será retomado na próxima quinta-feira.

Datafolha aponta queda de cinco pontos da petista Dilma

Nova pesquisa presidencial Datafolha divulgada nesta quarta mostra que a diferença entre a candidata do PT, Dilma Rousseff, para os demais adversários somados caiu cinco pontos percentuais (de 12 para 7 pontos) com relação ao levantamento anterior, realizado nos dias 13, 14 e 15. A petista agora aparece com 49% (tinha 51% há uma semana), contra 42% de todos os outros postulantes (que apareciam com 39%). José Serra (PSDB) está em segundo, com 28% (tinha 27% na semana passada), enquanto Marina Silva subiu dois pontos percentuais e passou de 11% para 13%. É o primeiro levantamento do instituto após as revelações de tráfico de influência e a consequente crise que culminou com a demissão da sucessora de Dilma na Casa Civil, a petista Erenice Guerra: 52% dos entrevistados disseram ter tomado conhecimento do caso, mas apenas 13% julgam-se bem informados sobre o episódio. Brancos e nulos somam 3% na nova pesquisa (ante 4% da semana passada), enquanto 5% dos eleitores entrevistados se declaram indecisos (dois pontos percentuais a menos do que o cenário dos dias 13, 14 e 15). Dilma caiu principalmente nos segmentos dos que possuem renda familiar mensal entre 5 e 10 salários mínimos (10 pontos), nível superior de escolaridade (três pontos) e têm entre 35 e 44 anos (quatro pontos). O crescimento de Marina Silva se deu entre os mais escolarizados (onde a verde cresceu quatro pontos) e os que têm renda de 5 a 10 salários mínimos, faixa em que a candidata do PV saltou de 16% para 24% (Serra subiu de 28% para 34%). Considerados apenas os votos válidos (excluindo-se, portanto, brancos e nulos), a candidata petista, que figurava com 57% no levantamento anterior, lidera a corrida presidencial com 54% das intenções de voto. José Serra (PSDB) está com 31% (tinha 30%), e Marina Silva (PV), chegou a 14%. Quanto menor a diferença entre o líder das intenções de voto e os demais candidatos, maior a probabilidade de um segundo turno (para ser eleito numa única rodada de votação, um candidato precisa de 50% mais um dos votos válidos ou superar a soma de seus rivais).

Bancários ameaçam entrar em greve a partir da próxima quarta-feira

Bancários de todo o País ameaçam entrar em greve, por tempo indeterminado, a partir da próxima quarta-feira, caso a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) não atender a reivindicação da categoria, que quer reajuste salarial de 11%. Os representantes dos banqueiros consideraram o pedido "exageradamente alto". A determinação dos bancários pela paralisação ficou mais forte depois que a Fenaban ofereceu nesta quarta-feira correção de 4,29%, equivalente à inflação dos últimos 12 meses, em reunião com o Comando Nacional dos Bancários, em São Paulo. Os representantes dos banqueiros informaram ainda que a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) também será corrigida só pela inflação passada, que servirá de parâmetro para os reajustes das demais verbas. Quanto à valorização do piso salarial, não apresentaram proposta. Para a presidente da Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Juvandia Moreira Leite, o resultado da reunião foi ruim: "Foi uma vergonha. Os banqueiros vieram para a rodada de negociação em que se comprometeram a a apresentar proposta sem a proposta de aumento real. Parece provocação". Ela disse que "por alguma razão os bancos querem levar seus funcionários à greve". A presidente afirmou que o lucro dos bancos subiu mais de 28% no primeiro semestre deste ano e lembrou que "grande parte das categorias de trabalhadores está conquistando reajustes maiores que em 2009. Os ganhos dos funcionários do setor mais lucrativo do País também têm de crescer mais".

Datafolha aponta avaliação do governo Lula com 78% de aprovação

A avaliação do presidente Lula manteve-se estável segundo nova pesquisa Datafolha, divulgada nesta quarta-feira. O percentual dos que consideram o governo Lula ótimo ou bom é de 78%, idêntico ao registrado em levantamento na semana passada. Para 17% dos entrevistados, o governo é regular, enquanto 4% o consideram ruim ou péssimo. Os pesquisados dão a Lula nota média de 8,1, assim como na semana passada. As médias mais altas estão entres os menos escolarizados, os que possuem menor renda familiar e os nordestinos. Outro dado aferido pelo Datafolha é a influência do presidente nas eleições, onde também não houve mudanças significativas. A taxa dos que dizem que votariam com certeza num candidato apoiado por Lula oscilou de 45% para 44%, enquanto a dos que rejeitam totalmente um candidato com a chancela presidencial passou de 31% para 32%.

Terezinha Zerbini, uma campeã da liberdade, agora contra o fascismo petista

Terezinha Zerbini é a assinatura de número 5 entre os intelectuais e personalidades brasileiras que assinam o manifesto o qual será apresentado nesta quarta-feira, na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, em São Paulo, em defesa da democracia, do Estado de Direito, da liberdade de imprensa e dos direitos individuais. É sintomático que uma senhora de 82 anos de idade tenho novamente que sair à ruas para se empenhar pessoalmente na luta por tão importantes princípios. Ela foi a criadora do Movimento Brasileiro da Anistia, na década de 70. Foi presa política no presídio Tiradentes, em São Paulo, onde teve por companheira de cela a então terrorista Dilma Rousseff. Terezinha Zerbini era a mulher do general Euryalis Zerbini, que comandava a unidade de Caçapava, em São Paulo, em março de 1964, e ficou ao lado da legalidade, contra o golpe militar. Por conta disso foi preso e expulso do exército. Então o general Euryalis foi trabalhar como gerente de uma fábrica de papel e voltou a estudar. Defendeu tese na Faculdade de Filosofia da USP sobre o existencialismo e o filósofo Maurice Merleau-Ponty. Terezinha Zerbini acompanhou Lenel de Moura Brizola e foi refundadora do PTB em São Paulo, e depois criou o PDT, quando Brizola perdeu a sigla para Ivete Vargas, em uma trampa armada pelo general Golbery do Couto e Silva, o verdadeiro fundador do PT. Ela empreendeu este trabalho ao lado de Eusébio Rocha, deputado federal trabalhista antes do golpe militar, e autor do projeto de lei que criou a Petrobrás; de Ana Luisa Vianna, Mário Wohlers de Almeida e dos jornalistas Vitor Vieira e Marcos Faerman, do advogado Valter Vetori, entre outros. Pois apesar de o PTD estar ao lado de Dilma Rousseff e do PT, Terezinha Zerbini segue digna como sempre, e sempre defensora da democracia e de seus princípios fundadores. Bem diferente dos arrivistas que comandam hoje o PDT e da laia de proto-fascistas que domina amplamente o PT.

Personalidades lançam manifesto em defesa da democracia, do Estado de Direito e da liberdade de imprensa

Brasileiros das mais diversas áreas lançam nesta quarta, às 12 horas, na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, um manifesto em defesa da democracia, do Estado de Direito, da liberdade de imprensa e dos direitos individuais. Trata-se de um movimento apartidário. Entre os signatários iniciais do documento estão o jurista Helio Bicudo, o historiador Marco Antonio Villa, o poeta Ferreira Gullar, os atores Carlos Vereza e Mauro Mendonça, os professores José Arthur Gianotti e Leôncio Martins Rodrigues e o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Carlos Velloso. Abaixo, segue a íntegra do documento. Um bom exercício é confrontar o seu conteúdo com o manifesto que o PT e sindicalistas fascistas estão divulgando contra a liberdade de imprensa. De um lado, a civilização democrática; de outro, o flerte bom a barbárie ditatorial. Leiam e divulgue. Creio que o documento será tornado público para receber adesões:
MANIFESTO EM DEFESA DA DEMOCRACIA
Em uma democracia, nenhum dos Poderes é soberano. Soberana é a Constituição, pois é ela quem dá corpo e alma à soberania do povo. Acima dos políticos estão as instituições, pilares do regime democrático. Hoje, no Brasil, os inconformados com a democracia representativa se organizam no governo para solapar o regime democrático. É intolerável assistir ao uso de órgãos do Estado como extensão de um partido político, máquina de violação de sigilos e de agressão a direitos individuais. É inaceitável que a militância partidária tenha convertido os órgãos da administração direta, empresas estatais e fundos de pensão em centros de produção de dossiês contra adversários políticos. É lamentável que o Presidente esconda no governo que vemos o governo que não vemos, no qual as relações de compadrio e da fisiologia, quando não escandalosamente familiares, arbitram os altos interesses do país, negando-se a qualquer controle. É inconcebível que uma das mais importantes democracias do mundo seja assombrada por uma forma de autoritarismo hipócrita, que, na certeza da impunidade, já não se preocupa mais nem mesmo em fingir honestidade. É constrangedor que o Presidente da República não entenda que o seu cargo deve ser exercido em sua plenitude nas vinte e quatro horas do dia. Não há “depois do expediente” para um Chefe de Estado. É constrangedor também que ele não tenha a compostura de separar o homem de Estado do homem de partido, pondo-se a aviltar os seus adversários políticos com linguagem inaceitável, incompatível com o decoro do cargo, numa manifestação escancarada de abuso de poder político e de uso da máquina oficial em favor de uma candidatura. Ele não vê no “outro” um adversário que deve ser vencido segundo regras da Democracia , mas um inimigo que tem de ser eliminado. É aviltante que o governo estimule e financie a ação de grupos que pedem abertamente restrições à liberdade de imprensa, propondo mecanismos autoritários de submissão de jornalistas e empresas de comunicação às determinações de um partido político e de seus interesses. É repugnante que essa mesma máquina oficial de publicidade tenha sido mobilizada para reescrever a História, procurando desmerecer o trabalho de brasileiros e brasileiras que construíram as bases da estabilidade econômica e política, com o fim da inflação, a democratização do crédito, a expansão da telefonia e outras transformações que tantos benefícios trouxeram ao nosso povo. É um insulto à República que o Poder Legislativo seja tratado como mera extensão do Executivo, explicitando o intento de encabrestar o Senado. É um escárnio que o mesmo Presidente lamente publicamente o fato de ter de se submeter às decisões do Poder Judiciário. Cumpre-nos, pois, combater essa visão regressiva do processo político, que supõe que o poder conquistado nas urnas ou a popularidade de um líder lhe conferem licença para rasgar a Constituição e as leis. Propomos uma firme mobilização em favor de sua preservação, repudiando a ação daqueles que hoje usam de subterfúgios para solapá-las. É preciso brecar essa marcha para o autoritarismo. Brasileiros erguem sua voz em defesa da Constituição, das instituições e da legalidade. Não precisamos de soberanos com pretensões paternas, mas de democratas convictos.
As seguintes personalidades já assinaram o manifesto: 1 - Hélio Bicudo; 2 - D. Paulo Evaristo Arns; 3 - Carlos Velloso; 4 - René Ariel Dotti; 5 - Therezinha de Jesus Zerbini; 6 - Celso Lafer; 7 - Adilson Dallari; 8 - Miguel Reali Jr.; 9 - Ricardo Dalla; 10 - José Carlos Dias; 11 - Maílson da Nóbrega; 12 - Ferreira Gullar;
13 - Carlos Vereza; 14 - Zelito Viana; 15 - Everardo Maciel; 16 - Marco Antonio Villa; 17 - Haroldo Costa; 18 - Terezinha Sodré; 19 - Mauro Mendonça; 20 - Rosamaria Murtinho; 21 - Marta Grostein; 22 - Marcelo Cerqueira; 23 - Boris Fausto; 24 - José Alvaro Moisés; 25 - Leôncio Martins Rodrigues; 26 - José A. Gianotti; 27 - Lurdes Solla; 28 - Gilda Portugal Gouvea; 29 - Regina Meyer; 30 - Jorge Hilário Gouvea Vieira; 31 - Omar Carneiro da Cunha; 32 - Rodrigo Paulo de Pádua Lopes; 33 - Leonel Kaz; 34 - Jacob Kligerman; 35 - Ana Maria Tornaghi; 36 - Alice Tamborindeguy; 37 - Tereza Mascarenhas; 38 - Carlos Leal; 39 - Maristela Kubitschek; 40 - Verônica Nieckele; 41 - Cláudio Botelho; 42 - Jorge Ramos; 43 - Fábio Cuiabano; 44 - Luiz Alberto Py; 45 - Gabriela Camarão; 46 - Romeu Cortes; 47 - Maria Amélia de Andrade Pinto; 48 - Geraldo Guimarães; 49 - Martha Maria Kubitschek; 50 - Gilza Maria Villela; 51 - Mary Costa; 52 - Silvia Maria Melo Franco Cristóvão; 53 - Glória de Castro; 54 - Risoleta Medrado Cruz; 55 - Gracinda Garcez; 56 - Josier Vilar; 57 - Jussarah Kubitschek; 58 - Luiz Eduardo da Costa Carvalho; 59 - Tereza Maria de Britto Pereira. O Editor de Videversus, jornalista Vitor Vieira, desde já considera aposta neste manifesto a sua assinatura. Desde a ditadura militar, desde a prisão e assassinato de Vladmir Herzog nos porões da Operação Oban, na delegacia de polícia civil da Rua Tutóia, em São Paulo, jamais se viu tamanha violência contra a imprensa e os jornalistas no Brasil como agora, como essa que está sendo armada pelo fascista Lula e por suas hordas de SA da canalhas de sindicalistas fascistas. Em 24 de outubro de 1975, o jornalista Vladimir Herzog se apresentou à Operação Bandeirantes (Oban), na Rua Tutóia, em São Paulo, para ser interrogado pelos repressores que o haviam procurado na TV Cultura, onde ele trabalhava. Menos de 24 horas depois, Vladimir Herzog estava morto pela tortura. Os torturadores da Operação Bandeirantes simularam seu suicídio e distribuíram uma foto com a qual pretendiam provar seu álibi. Os jornalistas de São Paulo, indignados, paralisaram o trabalho em todas as redações de jornais, rádios, revistas, televisões e assessorias, declararam-se em assembléia permanente e vigília constante na sede do Sindicato dos Jornalistas, localizada na rua Rego Freitas, a poucos metros da Igreja da Consolação e a três quadras da antiga redação do jornal O Estado de S. Paulo. A vigília permaneceu até o enterro de Vladimir Herzog. Neste enterro, o rabino Henri Soibel, contrariando os militares, determinou a abertura do caixão para a lavagem do corpo, como é costume na religião judáica, e determinou que Vladimir Herzog fosse enterrado como a grande maioria dos judeus, e não na área destinada aos suicidas. Foram recados diretos aos torturadores. Uma semana após, Vitor Vieira saía de seu apartamento, na Rua Eça de Queiroz, no bairro de Vila Mariana, junto com sua mulher, para se dirigir de carro até a Praça da Sé, onde aconteceria o cultor ecumênico pela morte de Vladimir Herzog. Não foi possível passar com o carro, porque o general Ednardo de Mello D'Àvila, comandante do II Exército, havia determinado o bloqueio de todas as grandes avenidas de São Paulo que conduziam para o centro da capital paulista e para a Praça da Sé, como uma maneira de tentar evitar o grandiosidade do ato solene. Vitor Vieira deixou o carro em casa e, junto com a mulher, tomou o metrô, descendo na estação da Sé. E compareceu ao ato na Catedral da Sé. Nos prédios em volta da praça, de cada janela, avultava um meganha da ditadura com máquina fotográfica ou filmadora na mão, tentando intimidar as pessoas que compareciam ao ato. Mas, ali, naquele dia, todas aquelas pessoas perderam o medo da ditadura militar. Ali, naquele dia, a ditadura militar morreu. Algumas semanas depois o general Geisel, ditador de plantão, demitiu o general Ednardo de Mello D'Ávila do comando do II Exército. Os jornalistas o sindicato dos jornalistas de São Paulo, dirigido por um grande jornalista, Audálio Dantas, um homem de grande fibra, e um grande democrata, desempenharam um papel fundamental na defesa da vida, da liberdade, da democracia. Na Catedral da Sé, outros homens também fizeram o mesmo papel, o cardeal Dom Evaristo Arns, o rabino Henri Soibel e o pastor Roger Wright. Hoje, com mais de 90 anos, Dom Evaristo Arns novamente se levanta para defender a vida, a liberdade e a democracia, encabeçando o manifesto em defesa da liberdade de imprensa e da democracia. E o sindicato dos jornalistas de São Paulo, lastimavelmente, tornou-se uma casa de pulhas, de canalhas que desonram a história e a vida de Vladimir Herzog e de todos os jornalistas que exercem a sua profissão, diariamente, com dignidade, altivez, independência e agudo senso de defesa da democracia, do Estado Democrático de Direito, da liberdade, da vida, contra as tentativas de protofascistas como Lula, os petistas, o PT e seu séquito de bucaneiros sindicalistas.