quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Governo do ditador Chavez diz que Venezuela tem a segunda maior reserva petrolífera do mundo

A reserva de petróleo da Venezuela tem, atualmente, 251 bilhões de barris, o que a torna o segundo maior reservatório do mundo, atrás apenas da Arábia Saudita, destacou o governo do ditador Hugo Chavez em um comunicado divulgado nesta quinta-feira. O ministro de Energia e Petróleo venezuelano, Rafael Ramírez, disse que, em 1999, o país contava com "reservas de 87 bilhões de barris", e agora estão "certificadas" nos "livros" da estatal Petróleos da Venezuela SA (PDVSA) "251 bilhões de barris". "Estes números nos dão um estímulo no que diz respeito ao desenvolvimento de nossa política petrolífera", acrescentou Ramírez em um comunicado. A Venezuela iniciou, em 2005, um processo de certificação de reservas na rica faixa petrolífera do Orinoco, localizada no leste do país, onde participam cerca de dez empresas estatais de vários países. De acordo com os cálculos venezuelanos, existem, pelo menos, 236 bilhões de barris de petróleos pesados e extrapesados na faixa, onde, atualmente, operam várias transnacionais associadas com a PDVSA e extraem entre 600 mil e 900 mil barris diários, segundo dados oficiais. Ramírez destacou que o Serviço Geológico dos Estados Unidos informou, neste ano, que em Orinoco "existem 1,3 milhão de barris" dos quais cerca de "585 bilhões" são recuperáveis. O ministro informou que, graças aos projetos de exploração na faixa, a Venezuela planeja aumentar sua produção para 4,15 milhões de barris diários, em 2015, e para 6,85 milhões, em 2021.

Oposição pede investigação de Dilma sobre lobby na Casa Civil

O líder do DEM na Câmara dos Deputados, Paulo Bornhausen (SC), defendeu que a candidata do PT ao Planalto, Dilma Rousseff, seja investigada pelas denúncias que envolvem a família da ministra da Casa Civil da Presidência da República, Erenice Guerra. "Se Dilma foi um hiato no processo de corrupção dentro da Casa Civil, entre José Dirceu e Erenice Guerra, ela precisa vir a público e dizer isso", defendeu Bornhausen. Antecessor de Dilma na pasta, José Dirceu deixou o cargo durante o escândalo do mensalão do PT no governo federal, em 2005. "Quais foram os critérios para indicar Erenice? Foi Dilma quem o fez, ela terá a resposta", afirmou o líder do DEM na Câmara. Após a publicação a reportagem, a avaliação do governo Lula é que Erenice Guerra não tem condições "de enfrentar" a crise e a tendência é sua "saída imediata", "ainda hoje". Mesmo com a saída da ministra, a oposição promete manter a sua convocação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado para explicar as denúncias depois das eleições.

TSE aprova envio de forças federais para Rio Grande do Norte e Amazonas nas eleições

Vinte municípios do Rio Grande do Norte poderão contar com o auxílio de forças federais para garantir a segurança pública no primeiro turno das eleições, no próximo dia 3 de outubro. O Tribunal Superior Eleitoral autorizou o envio de tropas federais para o Estado. O plenário acompanhou o pedido do relator da matéria, ministro Hamilton Carvalhido. Em seu voto, ele observou que o governador do Rio Grande do Norte foi consultado sobre a necessidade do envio de tropas para o dia das eleições. Em resposta, o governador afirmou que "as forças de segurança deste Estado têm condições de garantir a lei e a ordem durante as Eleições Gerais de 2010". Diante da resposta do governador, o ministro pediu informações à Corte regional sobre a necessidade do reforço no policiamento. O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte respondeu sob o argumento do "histórico de incidentes e conflitos ocorridos em eleições pretéritas". Assim, o envio de tropas foi aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral, com exceção do ministro Marco Aurélio, que considera desnecessário o envio de forças federais se o Estado tem condições de garantir a segurança do pleito. Na mesma sessão, o TSE aprovou o envio de forças federais para mais dois municípios do Amazonas, Tefé e Maués.

Supremo extingue punibilidade de José Janene no processo do Mensalão do PT

O Supremo Tribunal Federal extinguiu nesta quinta-feira a punibilidade do ex-deputado federal José Janene (PP-PR), 55 anos, devido a sua morte, na terça-feira. O político era suspeito de se beneficiar de mais de R$ 4 milhões das empresas do publicitário Marcos Valério, o operado do esquema do Mensalão para o PT, e estava internado no Instituto do Coração, em São Paulo, desde 4 de agosto, na espera de um transplante de coração. O julgamento do recurso havia sido suspenso na sessão de 9 de setembro, quando o ministro Gilmar Mendes pediu vista do processo. Ao trazer o agravo de volta à pauta, o presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso, propôs a extinção da punibilidade de Janene. A Corte acolheu a proposta por unanimidade. De acordo com o Supremo, o Código Penal prevê como uma das causas extintivas da punibilidade a morte do agente, o que não se estende a co-autores e partícipes.

Líder do PSDB no Senado diz que demissão de Erenice é confissão de culpa

O líder em exercício do PSDB no Senado Federal, senador Alvaro Dias (PR), afirmou que a demissão da chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, deve ser interpretada como uma "confissão". Para o tucano, trata-se de uma "consequência natural dos fatos" que, segundo ele, são "tão graves que tornaram insuportável" a permanência dela no governo. O senador acrescentou que Erenice não pode despontar isoladamente no epicentro do escândalo, porque há uma parceria dela com a presidenciável do PT, Dilma Rousseff, a ser lembrada. "Ela quer ser mãe do PAC, mãe dos brasileiros. Mas quando o filho é feio ela despreza, não quer ser nem madrasta? — provocou o tucano, em alusão à parceria entre Erenice e a candidata do PT à Presidência da República. A parceria de trabalho se iniciou ainda quando Dilma era ministra de Minas e Energia e consolidou-se na Casa Civil, a ponto de Erenice ser indicada para suceder a presidenciável no posto. No entanto, desde quando as denúncias apontaram que o filho de Erenice, Israel Guerra, estaria praticando tráfico de influência no governo vieram à tona, Dilma segue empenhada em se desvencilhar do escândalo. Ela chamou as denúncias de "factóides" e de mais uma tentativa do PSDB de ganhar a eleição "no tapetão".

Dilma diz que nova acusação contra Erenice não afeta sua campanha

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, afirmou que a saída de Erenice Guerra da Casa Civil foi atitude correta e disse não acreditar que nova acusação de prática de lobby envolvendo o filho de sua ex-assessora de confiança possa afetar sua campanha. "Considero que a ministra Erenice tomou a atitude mais correta. Porque, como o caso exige investigação, é sempre bom que a autoridade se afaste para assegurar que investigação transcorra da melhor forma possível", declarou Dilma, em curta entrevista na tarde desta quinta-feira na Associação Comercial do Rio de Janeiro. Dilma refutou envolvimento com o episódio, apesar de ser a titular da Casa Civil à época da negociação, tendo Erenice com secretária-executiva. "Onde está a prova de que eu esteja envolvida nesse caso? É importante no Brasil que a gente não perca a referência das conquistas da civilização. Tem de provar que você fez. Não você provar que não fez. Como eu estou envolvida nesse caso? Aliás, tomei conhecimento dele pelos jornais", disse a candidata petista. Dilma criticou tecnicamente a operação de financiamento de R$ 9 bilhões para projeto de energia solar no Nordeste: "Se é verdade o que o jornal diz do projeto apresentado, queria fazer dois comentários. Esse projeto de R$ 9 bilhões para 600 megawatts seria o projeto de energia mais caro do Brasil. Portanto um projeto que teria algo como 6% da energia gerada pela usina de Belo Monte com o equivalente à metade do seu valor. Seria um dos mais caros projetos. Se o BNDES o recusou, o fez muito bem. Além disso, tem outro dado que é importante vocês lembrarem. Não tenho conhecimento de o BNDES ter contratado nenhum projeto que não tenha a garantia de contrato de venda em leilão. Então, essa história me parece, sabe aquela história de compra e venda de terreno na Lua? Me parece isso".

Tribunal do Camboja indicia quatro líderes do comunista Khmer Vermelho

O tribunal de crimes de Guerra do Camboja, realizado em parceria com a ONU, indiciou nesta quinta-feira quatro ex-líderes do comunista Khmer Vermelho, regime que governou o país asiático na década de 70 e que é acusado de milhares de mortes no período. Os quatro estavam presos desde 2007 e são acusados de genocídio, tortura e perseguição religiosa. Nuon Chea, que foi o segundo no comando do líder do Khmer Vermelho, Pol Pot, irá a julgamento em 2011, juntamente com o ex-chefe de Estado, Khieu Samphan, o ex-ministro de Assuntos Exteriores, Ieng Sary, e sua mulher, Ieng Thirith, ex-ministra de Assuntos Sociais. O juiz e investigador do caso, You Bunleng, disse que os juízes da ONU decidiram retomar os julgamentos. "O caso, que havia sido abandonado sem investigação durante quase 30 anos, já tinha evidências suficientes para seguir adiante", afirmou. Em julho, o antigo chefe de prisão cambojano Duch foi condenado a 35 anos de prisão por crimes contra a humanidade. Ele foi a primeira pessoa a ser condenada pelo tribunal. O Khmer Vermelho, regime comunista maoísta fundado por Pol Pot, governou o Camboja entre 1975 e 1979. Foi a maior experiência recente de genocídio comunista dos últimos tempos. O governo aboliu a religião, as escolas e a moeda, determinou a evacuação de cidades e trabalhos forçados em plantações de arroz. Durante o período, cerca de 2 milhões de pessoas morreram de fome, por excesso de trabalho, ou foram executadas.

Projeto piloto de Tupi só produzirá 100 mil barris diários em 2012

O projeto piloto do campo petrolífero de Tupi, na bacia de Santos, só atingirá a produção prevista de 100 mil barris diários em 2012, e se os testes comprovarem a produtividade esperada pela Petrobras, afirmou nesta quinta-feira o assessor técnico de exploração e produção no pré-sal da estatal Alberto Sampaio. "Existe uma incerteza associada, é um projeto piloto, há uma expectativa de se alcançar essa produção e se a gente não alcançar com os poços projetados a gente conecta mais um ou dois poços, mas deve alcançar 100 mil b/d com os poços projetados", disse ele a jornalistas após palestra na Rio Oil & Gas. A plataforma flutuante que será instalada em Tupi, a FPSO Angra dos Reis, já está cruzando o Atlântico e chega ao Brasil em outubro, quando será conectada aos poços produtores. A previsão é de que a produção comece até o final do ano e inicialmente manterá os mesmos 14 mil barris diários que estão sendo produzidos durante o teste de longa duração (TLD), iniciado em maio de 2009. O projeto piloto de Tupi será a primeira prova de fogo da Petrobras na região do pré-sal, uma nova fronteira aberta pela empresa e que promete colocar o Brasil entre os maiores produtores mundiais de petróleo nos próximos anos. O objetivo é declarar a comercialidade do campo até o final do ano e gradativamente buscar a produção de 100 mil barris até 2012. Para o restante da região petrolífera a Petrobras programa a instalação de plataformas padronizadas, que começarão a ser instaladas a partir de 2015 e terão capacidade para produzir 150 mil barris diários de petróleo e 6 milhões de metros cúbicos de gás natural. "A idéia é ter módulos padronizados e colocar menos ou mais equipamentos [plataformas] de acordo com a vazão do campo", disse em palestra no mesmo evento o engenheiro Giovanni Cavalcanti Nunes. A partir de 2015 serão instaladas oito dessas plataformas padronizadas na região do pré-sal, gerando uma produção de 1 milhão de barris a partir de 2017, informou. As barreiras tecnológicas no entanto precisam ser ultrapassadas, destacaram os executivos, principalmente em relação ao grande volume de dióxido de carbono (CO2) que será liberado junto ao óleo e gás natural produzido pela estatal em larga escala.

Após escândalos, presidente do PSDB diz que campanha de Dilma é "estelionato"

O presidente do PSDB, Sérgio Guerra, disse nesta quinta-feira, em Recife, que o caso envolvendo a ex-ministra da Casa Civil é de polícia, mas teve uma solução de política. "Eu acho que o caso da Erenice Guerra não era da política, era de polícia. Mas a solução, a saída de Erenice Guerra do governo, foi da política", afirmou o tucano. Sérgio Guerra fez a declaração enfatizando que a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, deve explicações porque Erenice era seu braço direito. "A campanha da Dilma é o maior estelionato da vida política brasileira", afirmou o presidente do PSDB, explicando na sequência que, por causa dos escândalos contra o PT, ela não poderia continuar candidata. Segundo Guerra, o presidenciável do PSDB, José Serra, não falaria sobre o caso Erenice, pois foi orientado pela coordenação de comunicação da sua campanha.

Promotoria de São Paulo apura se mais empresas pediram quebra de sigilo criminal

O Ministério Público de São Paulo investigará se, assim como a Petrobras, outras empresas também receberam informações sigilosas da Polícia Civil. Investigação da Corregedoria da Polícia Civil concluiu que, durante pelo menos dez anos (de 2000 a 2009), policiais quebraram o sigilo criminal de milhares de pessoas que tentaram emprego na Petrobras ou em alguma de suas subsidiárias. Os policiais pesquisavam nos bancos de dados do governo e repassavam à empresa os antecedentes criminais. A apuração terá como base informações da própria Petrobras, que diz que "o levantamento de informações sócio-funcionais é prática corrente no meio corporativo". "Se é prática comum, que outras empresas faziam isso? Como faziam? Quem era o funcionário designado para fazer essa pesquisa? Como ficava a finalidade precípua da polícia? Porque a polícia tem uma missão", diz o promotor Saad Mazloum. Na verdade, o que a Petrobras praticou, de forma continuada, por dez anos da era Lula, é um dos maiores crimes do sistema judiciário brasileiro, consistente na violação de direitos constitucionais dos cidadãos.

Serra diz que saída de Erenice é "um primeiro passo" e cobra investigações

José Serra, candidato à Presidência pelo PSDB, disse na tarde desta quinta-feira, em Campinas, que a saída de Erenice Guerra da Casa Civil é "um primeiro passo" e cobrou "investigações sérias" sobre as acusações que envolvem a ex-ministra e seu filho. Uma empresa de Campinas confirmou, segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, que um lobby opera dentro da Casa Civil e acusou um filho de Erenice de cobrar dinheiro para obter liberação de empréstimo no BNDES. "A saída da ministra é um primeiro passo. Tem que ver as investigações agora, porque até ontem estavam dizendo que era uma jogada eleitoral", disse Serra. "Estavam procurando jogar areia nos olhos com essa história. Agora, todo o escândalo que aparece sempre tem um pretexto. Dizem que é a eleição, que são denúncias de caráter eleitoral. A prova é que o governo foi obrigado a afastar essa toda poderosa ministra", disse Serra. O candidato disse ainda que a saída da ministra e as acusações não são uma "questão eleitoral": "Essa é, sim, uma questão que tem a ver com os rumos do Brasil. São sucessivos escândalos na Casa Civil nos últimos anos, um mau exemplo para o Brasil e também um problema grave para o funcionamento do governo. Eu não falo aqui como candidato, eu falo como brasileiro".

Governo do Distrito Federal exonera filho e irmão de Erenice Guerra

O governo do Distrito Federal exonerou nesta quinta-feira o filho da ex-ministra Erenice Guerra, Israel Dourado Guerra, do cargo comissionado que tinha na Terracap (Companhia Imobiliária do Distrito Federal). O governador Rodrigo Rosso (PMDB) também determinou a suspensão de pagamento que o filho da ex-ministra tenha a receber. A Corregedoria do Distrito Federal fará ainda um procedimento administrativo para apurar eventuais irregularidades de Israel na sua função. O governo mandou a Novacap (Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) exonerar o irmão de Erenice, José Euricélio Alves de Carvalho. Depois de se reunir com o presidente Lula, a ministra Erenice Guerra entregou o cargo. A situação dela se tornou insustentável no governo com a publicação de reportagem na edição desta quinta-feira do jornal Folha de S. Paulo que aponta lobby feito por seu filho dentro da Casa Civil. Uma empresa de Campinas confirma a existência de um lobby na Casa Civil e acusa Israel Guerra de cobrar dinheiro para obter liberação de empréstimo no BNDES. No lugar da Erenice assume Carlos Eduardo Esteves Lima, secretário-executivo. Ele ficará interinamente no cargo de ministro. O presidente deve decidir o substituto até a próxima semana. Lula disse que quem trabalha no governo não pode errar, em referência a Erenice. "Quando a gente está na máquina pública, não tem o direito de errar", disse: "E se errar, a gente tem de pagar". A declaração foi dada momentos antes de receber de Erenice a carta de demissão. Além da empresa de Campinas, Erenice também teria atuado, segundo reportagem publicada na revista Veja, para viabilizar negócios nos Correios intermediados por uma empresa de consultoria de propriedade de Israel. A coordenadora-geral do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), Miriam Belchior (ex-mulher do assassinado prefeito petista Celso Daniel), cotada para o lugar de Erenice, perdeu força nas últimas horas porque ela está com receio de assumir o cargo e virar alvo da imprensa. Lima foi indicado por Erenice para a secretaria-executiva do ministério. No período em que Dilma Rousseff esteve no comando da Casa Civil, ele era subchefe-adjunto de Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais. Funcionário de carreira, foi interventor da Previ (fundo de previdência privada dos funcionários do Banco do Brasil) e inventariante da LBA no governo Fernando Henrique Cardoso.

Justiça obriga empresa Qualix a recolher lixo de Teresina em 48 horas

O Juiz da 2° Vara dos Feitos da Fazenda Pública, Reinaldo Araújo Magalhães Dantas, concedeu, na tarde desta quinta-feira, uma liminar determinando que, em 48 horas, o município de Teresina e a empresa Qualix providenciem o recolhimento e remoção do lixo das ruas, avenidas e bairros de Teresina. Em caso de descumprimento da determinação, o município será multado, diariamente, em R$ 50 mil reais. A liminar foi pedida pelo Ministério Público do Piauí, por meio da 35ª Promotoria de Justiça da Comarca de Teresina - Núcleo da Fazenda Pública. O Ministério Público Estadual entrou com pedido de liminar no último dia 14, contra a prefeitura de Teresina e a empresa Qualix. A ação requereu que fossem adotadas todas as providências necessárias para o imediato recolhimento e remoção do lixo depositado em ruas e avenidas da cidade, no prazo de 48 horas. A solicitação partiu de reclamações constantes de moradores, que estavam tendo que conviver com o acumulo de lixo nas ruas e espalhados por toda a cidade. A Qualix, que também tem o contrato de recolhimento do lixo de Porto Alegre, é uma empresa em estado falimentar, desde que foi abandonada pelo grupo argentino Macri, seu ex-proprietário. Há poucas semanas a empresa também quebrou em Cuiabá, obrigando a que a prefeitura decretasse o rompimento unilateral do contrato e a contratação de emergência de novos serviços. Em Porto Alegre, os caminhões da empresa trafegam em condições muito precárias.

Dilma tem 51% e venceria no primeiro turno

Dilma Rousseff (PT) venceria a disputa no primeiro turno se a eleição fosse hoje. Segundo pesquisa Datafolha realizada nos dias 13 a 15 deste mês com 11.784 entrevistas em todo o País, a petista tem 51%. Oscilou um ponto percentual para cima em relação ao levantamento anterior, dos dias 8 e 9. A margem de erro máxima é de dois pontos, para mais ou para menos. Quando se consideram só os votos válidos, os dados apenas aos candidatos (excluindo-se os brancos e os nulos), Dilma vai a 57%. José Serra (PSDB) ficou exatamente como há uma semana, com 27%. Marina Silva (PV) também repetiu sua taxa de 11%. Em votos válidos, o tucano tem 30%. Marina fica com 12%. Há 4% que dizem votar em branco, nulo ou nenhum. Outros 7% se declaram indecisos. O levantamento comprovou que teve impacto mínimo até agora, quase imperceptível, o escândalo da quebra de sigilo de tucanos e da filha de Serra, Veronica. O Datafolha apurou que 57% dos eleitores tomaram conhecimento do assunto. Mas, apesar de a maioria conhecer o caso, só 12% se consideram bem informados a respeito. Na simulação de segundo turno, Dilma venceria com 57%, contra 35% de Serra. Os percentuais eram 56% e 35% há uma semana. Do ponto de vista geográfico, as únicas variações significativas e além da margem de erro ocorreram no Paraná, no Rio Grande do Sul, em Brasília e em Belo Horizonte. Dilma perdeu oito pontos em Curitiba (PR) e voltou a ficar atrás de Serra nessa capital. A petista tem 28%, contra 36% do tucano. No Paraná como um todo, ela recuou cinco pontos, mas ainda lidera por 41% a 35%. A petista também piorou seu desempenho em Brasília, saindo de 51% para 43%, mas continua líder porque Serra está com 21%. No Rio Grande do Sul e em Belo Horizonte ocorreu o inverso, com Dilma melhorando seu desempenho. Entre os gaúchos, a petista foi de 43% para 45%, e Serra desceu de 38% para 34%. Na capital mineira, a petista foi de 40% para 44%. Serra oscilou de 23% para 25%.

Empresa acusa filho de Erenice de cobrar comissão para liberar crédito no BNDES

Uma empresa de Campinas confirma que um lobby opera dentro da Casa Civil da Presidência da República e acusa filho da ministra Erenice Guerra de cobrar dinheiro para obter liberação de empréstimo no BNDES. Interessada em instalar uma central de energia solar no Nordeste, a EDRB do Brasil Ltda diz que o projeto estava parado desde 2002 na burocracia federal até que, no ano passado, seus donos foram orientados por um servidor da Casa Civil a procurar a Capital Consultoria. Trata-se da firma aberta em nome de um dos filhos de Erenice, Saulo, e que foi usada por outro, Israel, para ajudar uma empresa do setor aéreo a fechar contrato com os Correios, primeiro negócio a lançar suspeitas de tráfico de influência no ministério, revelado pela revista Veja. A Casa Civil confirmou que houve uma reunião com representantes da EDRB em novembro na sede da Presidência, mas negou que a hoje ministra Erenice Guerra tenha participado. "A audiência foi pedida inicialmente com a secretária-executiva, mas, por incompatibilidade de agenda, foi conduzida pelo então assessor especial e atual chefe de gabinete da Casa Civil", informou a assessoria.

Justiça gaúcha decreta libertação de sargento acusado de arapongagem

O sargent Cesar Rodrigues, da Brigada Militar, foi libertado nesta quarta-feira por uma decisão do juiz da 3ª Vara Criminal de Canoas, após pedido apresentado pelo promotor Amilcar Macedo, que atua no caso. O sargento Cesar Rodrigues de Carvalho deixou o quartel no qual estava detido às 17 horas, acompanhado de seu advogado, Adriano Pereira. Cesar Rodrigues é acusado pelo promotor Amilcar Macedo dos crimes de extorsão de bingueiro e espionagem de políticos, advogados e jornalistas. Ao sair da prisão no quartel, o sargento Rodrigues declarou: "Garanto que sou inocente. Estou me sentindo abalado, parece que desmoronou o mundo". Na manhã desta quarta-feira, o sargento prestou novo depoimento por três horas no Ministério Público de Canoas. Segundo o promotor, ele apresentou o nome de quatro oficiais e civis e apresentou provas de que eles mandavam o militar acessar dados sigilosos.

Banrisul demite ex-superintendente de Marketing

Walney Fehlberg, ex-superintendente de Marketing do Banrisul, com 34 anos de banco, foi demitido nesta quarta-feira, por justa causa. Fehlberg foi preso e acusado de participação em uma quadrilha que superfaturava serviços de terceiros para a área que dirigia. Ele foi demitido sem qualquer defesa, porque não está sequer denunciado na Justiça pelo cometimento de qualquer crime.

Justiça Federal do Distrito condena Caixa a pagar R$ 500 mil a Francenildo

A Justiça Federal do Distrito Federal condenou a Caixa Econômica Federal nesta quarta-feira a indenizar o caseiro Francenildo dos Santos Costa em R$ 500 mil por danos morais por violação do seu sigilo bancário em 2006. Francenildo se disse feliz com a decisão, mas teme que o banco recorra e o dinheiro demore a sair: “Eu agora tenho que esperar para ver quando vão pagar. Dá para aliviar, mas ainda pode levar anos para sair. Esse dinheiro, se um dia eles me pagarem, vai me aliviar. Mas o que fizeram comigo não tem dinheiro que pague”. Em 2006, o caseiro, que trabalhava na casa frequentada por pessoas ligadas ao ex-ministro da Fazenda e atual coordenador da campanha de Dilma Rousseff (PT), Antonio Palocci, teve seu sigilo bancário violado. Palocci foi acusado pelo Ministério Público de ter ordenado a quebra do sigilo, mas a denúncia acabou arquivada pelo Supremo Tribunal Federal. O ex-presidente da Caixa, o trotskista gaúcho Jorge Mattoso, responde ao processo.

Governo vai comprar dólares que entrarem na capitalização da Petrobras para segurar real

Entre as medidas a serem adotadas para combater a apreciação do real, o governo vai usar o fundo soberano para comprar dólares no mercado que, por ventura, entrem no País em decorrência da capitalização da Petrobras, segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega. O ministro disse que o governo está "preparado para enxugar um eventual excesso de dólares", egressos de investidores estrangeiros que venham aportar recursos na operação de venda de ações da estatal. Para tal, diz, o fundo soberano poderá comprar dólares por meio de seu "subfundo" cambial. Esse instrumento, afirma, não foi utilizado ainda e funcionaria da seguinte forma: o Tesouro aporta títulos da dívida pública no fundo, que os vende no mercado doméstico e troca os reais obtidos com a transação por dólares. A operação, segundo o ministro, é financeira e não envolve recursos orçamentários.

Embraer entrega primeiros E-190 a companhia aérea argentina

A Embraer anunciou nesta quarta-feira a entrega dos dois primeiros aviões E-190 de um pacote de 20 aeronaves desse modelo encomendados pela companhia argentina Austral Linhas Aéreas em maio de 2009. A Embraer informou que as aeronaves são do modelo Advanced Range, que pode voar 2,4 mil milhas náuticas sem escala, autonomia suficiente para cobrir todo o território argentino. "Com a entrada da Austral em nossa lista de operadores, chegamos a 53 companhias", disse o vice-presidente executivo de aviação comercial da Embraer, Paulo César de Souza, que acrescentou que os aviões da empresa operam em 36 países. O contrato entre Embraer e Austral foi fechado em abril deste ano e a companhia argentina pretende usar as novas aeronaves para substituir algumas mais antigas em rotas regionais, intensificar as freqüências de voos atuais e chegar a novas cidades.

Lula suspende presença na ONU para se dedicar às eleições

O presidente Lula não vai comparecer à abertura da 65ª Assembléia Geral das Nações Unidas no próximo dia 23 de setembro, informou a secretaria de imprensa da Presidência da República. De acordo com a assessoria, neste momento o presidente Lula tem uma demanda doméstica grande, em função das eleições, o que pesou na decisão. Desde que assumiu o governo, em 2003, esta é a primeira vez que Lula deixa de comparecer à reunião, realizada todos os anos em Nova York, sede do organismo.

Petrobras pretende iniciar produção em campos no golfo do México no final do ano

A Petrobras mantém para o final do ano a entrada em produção dos campos de Cascade e Chinnok, no golfo do México, mas não sabe quando poderá completar a sua campanha de perfuração de poços interrompida pela moratória decretada pelos Estados Unidos para a região após o acidente da BP. A empresa conseguiu completar a perfuração dos dois poços existentes cinco dias antes do presidente Barack Obama proibir mais perfurações no local, que permitiu a complementação dos poços, informou o gerente de projeto da Petrobras America, subsidiária norte-americana da Petrobras, Cesar Palagi. "O impacto da moratória é na campanha dos poços adicionais. Evidentemente, outros poços serão perfurados nesses campos (Cascade e Chinook), mas isso vai depender do resultado da moratória, do tempo e da nova regulamentação," disse o executivo, informando que não há um número pré-determinado de poços que ainda serão perfurados. "Vai depender do desempenho de cada um desses poços já perfurados, a gente vai gradativamente colocando mais poços para atingir a capacidade do reservatório", complementou. Palagi explicou que a estrutura de produção está preparada para oito poços, mas que pode ser dobrada para 16 poços se for necessário. "Podemos ir a 16 poços, mas esperamos que não precise disso para produzir 80 mil barris diários", disse referindo-se à meta de produção que corresponde à capacidade da plataforma flutuante (FPSO) que em breve será instalada nos dois poços já perfurados. Por ser a primeira unidade flutuante na região, não havia regulamentação para a instalação da unidade, o que foi sendo construído em negociações entre a Petrobras com autoridades norte-americanas, ao mesmo tempo em que o projeto é desenvolvido. Assim que for interligada aos poços, a FPSO BW Pioneer vai produzir a uma profundidade de 2,5 mil metros. "É a primeira vez que estamos implantando um projeto dessa complexidade fora do Brasil", disse Palagi, afirmando que outras empresas do Golfo podem também começar a utilizar FPSOs, que facilitam a retirada em casos de furacões, muito comuns no Golfo.

José Alencar recebe alta de hospital em São Paulo

O vice-presidente da República, José Alencar, recebeu alta nesta quarta-feira do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. José Alencar havia reiniciado na terça-feira as sessões rotineiras de quimioterapia. Na última sexta-feira, José Alencar foi internado na UTI do hospital por conta de um edema agudo de pulmão. No dia seguinte foi transferido para uma unidade semi-intensiva e no domingo foi para um quarto comum. O edema, considerado uma situação clínica grave, é caracterizado por um acúmulo anormal de líquidos. Há mais de dez anos, José Alencar enfrenta um câncer na região abdominal. Nos últimos anos, ele passou por 15 cirurgias.