quinta-feira, 15 de julho de 2010

Veja e ouça a rádio de José Sarney fazendo propaganda para a petista Dilma

O candidato do PSDB à Presidência da República, da República, José Serra, ficou irritado com razão na terça-feira, durante sua visita a São Luis, quando foi interrogado por um repórter da Rádio Mirante, pertencente ao grupo do senador José Sarney, que apóia a candidata petista Dilma Rousseff e está coligado com o PT no Maranhão para tentar a reeleição de sua filha, Roseana Sarney, ao governo do Estado. O repórter, visivelmente mal-intencionado, interrogava José Serra usando a acusação das centrais sindicais pelêgas, que dizen que José Serra não foi criador do FAT. Isso é uma mentira total, já desmentida com a publicação dos anais do Congresso Nacional. O repórter insistiu até que José Serra o desmoralizou, dizendo que ele estava ali escalado para fazer propaganda para Dilma, assim como o grupo jornalístico de Sarney. Veja e ouça o video, e confirme.

Yeda Crusius repele convite do governo Lula: "Agora, pedágio é com vocês"

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), repeliu nesta quinta-feira todas as propostas do governo Lula para integrar uma comissão destinada a resolver o impasse criado com a devolução das estradas pedagiadas gaúchas ao Dnit. No ano passado, o governo federal torpedeou a aprovação do programa Duplica RS, que resolveria os problemas das estradas pedagiadas. "Não temos mais nada a ver com isto", disse a governadora em um duro ofício encaminhado ao ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos. Agora, pedágio no Rio Grande do Sul, é sinônimo de PT, é sinônimo de Dilma Rousseff, é sinônimo de Lula. Yeda Crusius percebeu que o governo do PT preparava uma armadilha para ganhar tempo para seus aliados no Rio Grande do Sul. Ela reafirmou a legalidade da denúncia dos convênios de delegação dos polos de estradas federais concedidas, acompanhado de decisões tomadas no âmbito da Justiça Federal da 4ª Região e do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, bem como amparada em manifestação da Procuradoria Geral do Estado. A comissão do governo do PT foi criada sob a alegação de que iria definir parâmetros técnicos e a metodologia que será adotada para o retorno à União dos trechos federais de rodovias pedagiadas. Lula e Dilma que se virem agora com os pedágios das estradas federais no Estado.

Justiça mineira nega liberdade a goleiro Bruno

O goleiro Bruno, do Flamengo, teve o pedido de liberdade negado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais nesta quinta-feira. O habeas corpus foi negado pelo desembargador Doorgal Andrada. O mérito ainda deve ser julgado por integrantes da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. Os advogados Ércio Quaresma e Caudineia Calabund haviam pedido a liberdade do goleiro na tarde desta quinta-feira. O jogador é acusado de envolvimento no assassinato de Eliza Samudio, sua ex-namorada, com quem teria um filho.

PSDB de Minas Gerais acusa instituto Sensus de fraude em pesquisa

A campanha do governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), protocolou nesta quinta-feira uma representação contra o instituto Sensus na Procuradoria Regional Eleitoral do Estado. Segundo a coligação, o instituto é suspeito de fraudar pesquisa ao governo mineiro registrada na terça-feira. O presidente do PSDB de Minas Gerais, Narcio Rodrigues, diz que a pesquisa tem fortes indícios de favorecimento à chapa do PMDB-PT que tem Hélio Costa na disputa ao governo e Patrus Ananias, como vice. O partido diz que a primeira irregularidade está na divulgação da pesquisa um dia depois do registro feito. A lei eleitoral pede um prazo mínimo de cinco dias. Apesar de não ter sido publicada oficialmente, a pesquisa tem sido vazada para a imprensa, afirma o PSDB. O PSDB também reclama da forma com as perguntas foram feitas. Em uma delas, Patrus Ananias (ex-ministro do Desenvolvimento Social) é apresentado, segundo o partido, como "ministro do Bolsa Família". "Trata-se de despudorada tentativa de vincular a chapa ao programa assistencial que constitui o carro-chefe do governo federal, vinculação essa que cabe à propaganda eleitoral e não ao instituto de pesquisa quando da elaboração de questionário", diz o PSDB na representação. A campanha de Anastasia diz haver ainda outras irregularidades como a não identificação das cidades onde houve a pesquisa.

Justiça mineira nega liberdade a goleiro Bruno

O goleiro Bruno, do Flamengo, teve o pedido de liberdade negado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais nesta quinta-feira. O habeas corpus foi negado pelo desembargador Doorgal Andrada. O mérito ainda deve ser julgado por integrantes da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. Os advogados Ércio Quaresma e Caudineia Calabund haviam pedido a liberdade do goleiro na tarde desta quinta-feira. O jogador é acusado de envolvimento no assassinato de Eliza Samudio, sua ex-namorada, com quem teria um filho.

Goldman Sachs vai pagar multa histórica de US$ 550 mi à CVM americana

O banco de investimentos norte-americano Goldman Sachs concordou em pagar uma multa de US$ 550 milhões para solucionar uma queixa por fraude, anunciou nesta quinta-feira a SEC (órgão regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos, equivalente à CVM brasileira). A instituição é alvo de suspeita de montar um fundo para apostar na queda dos preços de imóveis nos Estados Unidos. Trata-se da maior multa a uma instituição financeira na história da SEC. Pelo acordo, o banco irá pagar US$ 300 milhões para a SEC e outros US$ 250 milhões para compensar aqueles que perderam dinheiro com seus investimentos. O acordo também determina que o Goldman Sachs deverá rever a forma de comercializar instrumentos financeiros complexos, ligados a hipotecas.

Cinco senadores tomam posse e vão trabalhar duas semanas em três meses

Às vésperas do recesso parlamentar e do "recesso branco" no período pré-eleitoral, cinco senadores tomaram posse nesta semana. Os novatos vão trabalhar apenas duas semanas nos próximos três meses durante o "esforço concentrado" convocado pelo comando do Senado até outubro. Entre agosto e outubro, o Senado e a Câmara vão trabalhar nos dias 3, 4, 5 de agosto e, em seguida, nos dias 31 de agosto, 1º e 2 de setembro. O "recesso branco" é a alternativa que libera os parlamentares para dedicarem-se às campanhas eleitorais, sem votações nas duas Casas. Da semana que vem até agosto, o Congresso fica em recesso. Nesses períodos, todos os senadores recebem integralmente os salários (R$ 16.512 mensais) e benefícios, como a verba indenizatória de R$ 15 mil para gastos no Estado. Os novos senadores seguem a mesma regra: apesar do Congresso estar com as atividades praticamente paralisadas até outubro, assumem as cadeiras com todos os benefícios dos titulares. Quatro suplentes assumiram os cargos para substituir senadores-candidatos, enquanto Regis Fichtner (PMDB-RJ) reassumiu a cadeira por ter se afastado da chefia do gabinete civil do governo do Rio de Janeiro. Fichtner substitui Paulo Duque (PMDB-RJ), que era segundo suplente do governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ). Os suplentes João Faustino (PSDB-RN), Niura Demarchi (PSDB-SC) e Belini Meurer (PT-SC) assumiram os mandatos em substituição a Garibaldi Alves (PMDB-RN), Raimundo Colombo (DEM-SC) e Ideli Salvatti (PT-SC), candidatos aos governo do Rio Grande do Norte e Santa Catarina. Já o senador José Bezerra Júnior (DEM-RN) substitui o líder do DEM, José Agripino Maia (RN), candidato à reeleição.

Petrobras anuncia estudo para pólo gás-químico no Espírito Santo

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, anunciou nesta quinta-feira que a empresa estuda a construção de um pólo gás-químico no Estado do Espírito Santo para utilizar a produção de gás natural da região. "Nós estamos desenvolvendo projetos, que estão ainda em fase de projetos, mas se tornarão realidade dentro em breve, para desenvolver a química do gás natural, para produzir produtos químicos no Estado do Espírito Santo", disse Gabrielli, após ser incentivado a fazer o anúncio pelo presidente Lula. Os dois participaram nesta quinta-feira da cerimônia que marcou o início da produção comercial na camada pré-sal do Espírito Santo, no campo de Baleia Franca, que vai produzir inicialmente 13 mil barris diários de óleo leve (28 graus API) e atingir 100 mil barris no final do ano. Esta é a primeira produção comercial na camada pré-sal do País, que tem na bacia do Espírito Santo uma situação diferente da encontrada na bacia de Santos, onde estão os maiores reservatórios. Enquanto a camada de sal capixaba é de cerca de 100 metros, na bacia de Santos chega a dois quilômetros. "Fomos informados pelo Gabrielli hoje que há uma discussão interna na empresa sobre a localização de um pólo petroquímico de gás aqui, e queremos agregar valor ao gás", disse o governador de Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB).

Linha aérea brasileira inaugura vôos para balneário cubano de Varadero

A companhia aérea brasileira Whitejets já está operando a linha entre Rio de Janeiro e São Paulo com o balneário cubano de Varadero, que transportará 200 turistas semanais. A Whitejets, fundada pelo empresário José Manuel Antunes, opera a partir de Viracopos, no interior de São Paulo. As viagens são feitas por um Boeing 767, durante julho e agosto. Segundo o Birô Nacional de Estatísticas, entre janeiro e maio deste ano chegaram a Cuba 6.146 turistas brasileiros, contra 5.478 no mesmo período de 2009. De águas cristalinas e areia branca, a 150 quilômetros a leste de Havana, Varadero é o principal polo turístico da ilha e recebe mais de 40% dos dois milhões de turistas anuais que chegam a Cuba. O turismo, com uma receita de US$ 2 bilhões, é a segunda fonte de divisas do país.

Defesa pede liberdade do goleiro Bruno e mais seis acusados no sumiço de Eliza

A defesa do goleiro Bruno Fernandes, apontado pela polícia como mandante do assassinato de Eliza Samudio, sua ex-amante, entrou com pedido de habeas corpus em favor do jogador na tarde desta quinta-feira. O pedido será analisado pelo desembargador Doorgal Andrade, da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. Além de Bruno, os advogados pediram a libertação de Luiz Henrique Romão, o Macarrão; Flávio Caetano de Araújo e Wemerson Marques de Souza, o Coxinha, amigos do jogador; Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, sua mulher; Elenilson Vitor da Silva, caseiro do sítio de Bruno em Esmeraldas (MG); e de Sérgio Rosa Sales, o Camelo, primo de Bruno. Entre os acusados de envolvimento no crime, só não foram incluídos no pedido à Justiça o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, apontado pela polícia como autor do assassinato, e o adolescente de 17 anos primo do jogador, que confessou ter participado do sequestro de Eliza.

Estudante que atropelou frentista em 2008 no interior de São Paulo diz que estava inconsciente

O estudante Caio Meneghetti Fleury Lombardi, de 21 anos, foi ouvido na quarta-feira pela Justiça, pela primeira vez, dois anos após atropelar o frentista Carlos Pereira da Silva, de 39 anos, em um posto de combustível na avenida Independência, em Ribeirão Preto (SP). O rapaz alegou que estava inconsciente por ter sido obrigado por alunos veteranos a ingerir bebida alcoólica e a inalar lança-perfume na noite do acidente. Na época, Lombardi tinha entrado na faculdade e voltava de uma festa de recepção aos calouros. Desde janeiro, o estudante está preso em Franca e aguarda a análise de um habeas corpus pelo Superior Tribunal de Justiça, em Brasília. O pedido foi negado em maio pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. No mês passado, o frentista fechou acordo financeiro com o estudante para receber indenização por danos moral, estético e material. O atropelamento aconteceu em fevereiro de 2008. Segundo a polícia, o rapaz atravessou o canteiro da avenida e entrou com o carro direto no posto. Na invasão, arrancou a bomba de gasolina, bateu em um Corsa que estava abastecendo e em seguida atropelou o frentista, que ficou preso sob o carro. Logo depois, o estudante tentou fugir, mas foi impedido por pessoas que estavam no posto. Laudo da polícia apontou que Lombardi estava embriagado.

Dona da Penthouse oferece US$ 210 milhões pela rival Playboy

A dona da revista revista Penthouse, a empresa FriendFinder Networks, tornou pública uma oferta de US$ 210 milhões para a compra da editora Playboy Enterprises. A oferta da FriendFinder pela rival é anunciada três dias depois de o fundador da Playboy, Hugh Hefner, de 84 anos, oferecer-se para comprar todas as ações em circulação da empresa. Hefner quer pagar aos investidores US$ 5,50 por cada ação da empresa, um prêmio de cerca de 40% sobre o valor de cotação das ações classe B na última sexta-feira (US$ 3,94). Segundo informação da empresa, o fundador está preocupado com a marca da companhia e com a direção editorial da revista. Sediada na Flórida, a FriendFinder anunciou em comunicado que "sua proposta é boa para os interesses da Playboy Enterprises e seus acionistas porque proporciona uma base para o futuro crescimento da marca Playboy e o enaltecimento do legado Playboy".

Ministério Público Federal processa Incra, pelos sem terras contratados como CCs

O Ministério Público Federal no Acre entrou com ação civil pública na Justiça Federal para obrigar o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) a excluir de seus projetos de assentamentos todos os servidores públicos que constem como beneficiários da reforma agrária e ainda não possuam o título definitivo de propriedade. A ação também pede que os lotes recuperados sejam redistribuídos entre famílias de trabalhadores rurais que se encaixem no perfil de beneficiários da reforma agrária. A ação, assinada pelo procurador Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, apurou que existem servidores cadastrados como beneficiados em assentamentos da reforma agrária. O decreto que regulamenta a distribuição de terras do programa nacional de reforma agrária, além de normas de execução do próprio Incra, veda expressamente a participação de servidores públicos na seleção de beneficiários do programa.
O texto da ação diz que “se o Poder Público desapropria um imóvel para doação a um servidor público, certamente estará desviando da finalidade constitucional, legal e infralegal da reforma agrária, prejudicando, ao mesmo tempo, o patrimônio público e o direito à terra de milhões de agricultores brasileiros sem-terra que permanecem desamparados em seus direitos humanos constitucionais".

Número de celulares supera 185 milhões no Brasil

O número de celulares habilitados no Brasil superou 185 milhões em junho, segundo dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) divulgados nesta quinta-feira. Apenas em junho foram mais de 1,424 milhão de habilitações, representando um crescimento de 0,78% em relação a maio. Com isso, os acessos móveis somam 185,135 milhões e densidade de 95,92 acessos por 100 habitantes (crescimento de 0,69% sobre o mês anterior). Considerando os dados do primeiro semestre, a Anatel registrou 11,175 milhões de novas habilitações, o segundo melhor resultado para o período. O recorde ocorreu em 2008, com 12,188 milhões de novas habilitações. Do total de acessos, 82,32% são pré-pagos e 17,68%, pós-pagos.

DEM e PT apoiam candidatos filmados no caso do Mensalão do Distrito Federal

Após prometer que não fariam campanha com envolvidos no Mensalão do Distrito Federal, DEM e PT vão apoiar candidatos que aparecem em vídeos recebendo dinheiro do delator do esquema. Os dois partidos, que se opuseram durante a crise, agora terão em suas chapas João Luiz Arantes (DEM) e Luiz França (PHS), candidatos à Câmara Legislativa do Distrito Federal. Arantes e França apareceram no auge da crise em vídeos entregues à Justiça por Durval Barbosa, delator do Mensalão de Brasília. João Luiz Arantes (DEM), ex-subsecretário de Saúde, foi flagrado recebendo dois maços de dinheiro de Barbosa e guardando nos bolsos do paletó. Luiz França (PHS), por sua vez, recebe pouco mais de R$ 30 mil e ainda devolve troco para Barbosa. Ele era chefe do "Na Hora", serviço de expedição de documentos do governo de José Roberto Arruda (sem partido). O lançamento das candidaturas coloca em contradição os discursos de DEM e PT.

Sarney ignora recomendações para que senadores não façam campanha no plenário

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), rejeitou parecer elaborado pela Advocacia Geral da Casa com recomendações para que os senadores não façam campanha eleitoral em seus discursos no plenário. Pressionado por senadores que consideram o parecer "censura" às suas atividades, Sarney decidiu ignorar o texto do advogado-geral, Luiz Fernando Bandeira de Mello, depois de inicialmente tê-lo acatado. No parecer, elaborado há mais de 15 dias, Mello recomenda que o presidente da sessão plenária "solicite ao orador da tribuna que evite as referências expressas a candidaturas". O advogado também sugere que a TV e a rádio Senado não reprisem as sessões do plenário, como ocorre atualmente, para se "limitar às transmissões ao vivo". Caso as reprises sejam necessárias, o advogado recomenda que a emissora retire os trechos com referências às campanhas, editando os discursos. "Caso seja inviável a edição, que simplesmente não sejam retransmitidas tais sessões", diz o parecer. A TV Senado suspendeu as retransmissões do plenário nos últimos 15 dias, mas já voltou atrás com a decisão de Sarney. Pela Constituição Federal, os parlamentares têm "direito inviolável" à palavra, sem a possibilidade de censura aos seus discursos.

José Alencar afirma que vai pedir votos a Dilma em Minas Gerais

O vice-presidente da República, José Alencar, disse, ao sair nesta quinta-feira do hospital Sírio-Libanês, onde estava internado, que vai participar das eleições pedir votos para a candidata petista Dilma Rousseff. "A Dilma é uma figura extraordinária. Eu pretendo participar especialmente no meu Estado, Minas Gerais, pedindo votos pra ela, e demonstrando por quê as pessoas devem votar nela. Não é pela amizade. É também pela amizade, mas é pela admiração que eu tenho", disse José Alencar, que lembrou que ambos trabalharam juntos durante muito tempo.

Nova fábrica da Toyota no Brasil vai produzir 70 mil veículos por ano

A nova fábrica da Toyota no Brasil, em Sorocaba, a 96 quilômetros de São Paulo, vai produzir cerca de 70 mil veículos por ano, segundo as informações anunciadas pela montadora nesta quinta-feira. As obras começarão em setembro, e a produção deve ter início no segundo semestre de 2012. O projeto já havia sido anunciado pela empresa, mas, com a crise econômica mundial, havia sido congelado. O investimento previsto é de cerca de US$ 600 milhões, com a geração de 1.500 empregos. Na planta de Sorocaba, a terceira da montadora no País, será produzido o recém-desenvolvido carro compacto da marca, que pode também ser exportado. A Toyota começou as operações no Brasil em 1958, com a construção da primeira unidade industrial fora do Japão. Atualmente, a montadora produz peças na planta de São Bernardo (SP) e o Corolla em Indaiatuba (SP). As vendas de veículos novos (automóveis, comerciais leves, ônibus e caminhões) registraram expansão de 8,98% no primeiro semestre ante o mesmo intervalo no ano anterior, com o emplacamento de 1,58 milhão de unidades, batendo o recorde de licenciamentos para o período, de acordo com a Fenabrave (federação das concessionárias).

Vice-presidente José Alencar tem alta hospitalar após procedimento cirúrgico

O vice-presidente da República, José Alencar, afirmou que o coração está ótimo depois de passar por um cateterismo (exame para verificar as condições de vasos sanguíneos) no domingo. Nesta quinta-feira, José Alencar recebeu alta do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 7 de julho. Segundo ele, a principal artéria do coração estava 72% obstruída, o que complicou o procedimento cirúrgico. Na quarta-feira da semana passada, José Alencar passaria apenas por uma sessão de quimioterapia, mas foi detectada hipertensão e ele ficou no hospital para avaliações. No sábado foi diagnosticada uma isquemia (deficiência na irrigação sanguínea) cardíaca, o que estava provocando uma irrigação insuficiente em uma das paredes laterais de seu coração. No cateterismo foi colocado um stent para dilatar a artéria que estava com 72% de obstrução.

Serra critica uso da máquina e diz que Dilma não anda com as próprias pernas

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, condenou nesta quinta-feira o uso da máquina pública nas eleições e criticou o que chamou de "máquina de fazer mentiras" contra sua campanha. "Eu penso que usar a máquina pública com objetivo eleitoral não é bom para a eleição, e não é justo do ponto de vista de valores da nossa sociedade, numa eleição em que as pessoas devem fazer seu julgamento individual", disse ele em entrevista à rádio Tupi. Serra voltou a dizer que o uso da máquina na campanha de sua adversária petista, Dilma Rousseff, ocorre porque "ela não anda com as próprias pernas". "Ela é fruto de marketing, foi construída. A verdadeira Dilma não está aparecendo, é produto de uma construção da qual faz parte a máquina do governo federal." Segundo o tucano, existe uma máquina de inventar mentiras contra sua campanha. "Estão dizendo que eu quero privatizar os Correios. Eu quero é estatizar os Correios, que agora está apropriado por partidos políticos. É uma fábrica de mentiras que daqui a pouco vai cobrar quinquênio, férias em dobro e adicionais trabalhistas", disse ele. José Serra ainda condenou o uso de recursos do BNDES para financiar o trem-bala: "Estão dizendo que o trem-bala será construído com recursos privados. Acho difícil, são R$ 35 bilhões, precisamos ver como será financiado, porque se tiver dinheiro do BNDES, então não é financiamento privado, é dinheiro público". Para Serra, o dinheiro do BNDES não deve ser usado para financiar fusões e aquisições de empresas, movimento intensificado nos últimos quatro anos: "O BNDES usa recursos do Tesouro, subsidiado por todos nós. Ele deve usar o dinheiro para criar empregos no Brasil e não frigoríficos que estão criando empregos lá fora. Nem financiar fusões de empresas porque esses processos acabam cortando empregos". Para ele, o dinheiro do banco deve financiar a produção de bens de capital.

Obra de Portinari avaliada em R$ 1,2 milhão é furtada de museu em Olinda

Um quadro do pintor Cândido Portinari (1903-1962) foi furtado nesta quarta-feira do Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco, localizado no centro histórico de Olinda (região metropolitana de Recife). A obra, um óleo sobre madeira de 23 cm x 33 cm, chamada "Enterro", avaliada em R$ 1,2 milhão, estava em uma sala com outras cinco peças do artista, que não foram furtadas. Segundo a diretora do museu, Célia Labanca, o furto só foi percebido no início da noite de quarta-feira, quando os seguranças fechavam o prédio, uma construção do século 17, com grades de ferro no lugar de janelas. Para fechar essas aberturas, os seguranças usam tapumes de madeira. Ao colocar uma delas no lugar, a moldura do quadro caiu no chão. Ela estava escondida atrás do tapume, presa por uma fita adesiva vermelha. A obra furtada foi pintada em 1959 e faz parte da fase conhecida como "série azul" de Portinari. A pintura integrava a coleção de Assis Chateaubriand, e foi doada para compor o acervo que deu origem ao museu, em 1966. Segundo a diretora, o MAC, com cerca de 4.000 obras, não possui vigilância eletrônica, como câmeras e sensores de presença.

Para Banco Central, desafio agora é baixar tarifas de cartões

Com o fim da exclusividade das máquinas de leitura de cartões de crédito, o Banco Central acredita que, agora, os desafios do setor passam a ser a redução das tarifas cobradas de lojistas e consumidores e a concorrência da bandeiras de emissão dos cartões. Segundo o chefe do Departamento de Operações Bancárias e do Sistema de Pagamentos do Banco Central, José Antônio Marciano, o fim da exclusividade no credenciamento de lojistas abre espaço para o aumento desse tipo de concorrência. Marciano ponderou que o prazo de recebimento do dinheiro pelos lojistas no Brasil é maior. Enquanto um comerciante brasileiro demora, na média, 28 dias para receber o pagamento feito no cartão de crédito, um lojista no Exterior recebe em 2 a 15 dias em boa parte dos casos. A atualização da pesquisa sobre cartões de crédito do Banco Central mostrou que nos últimos dois anos aumentou a participação dos cartões com chip e do segmento "premium", para alta renda. Segundo o levantamento, as transações com cartões com chip na função crédito passaram de 9,3% no fim de 2007 para 41,2% em 2009. Na função débito, a participação desse tipo de plástico avançou de 15,5% para 39,4% no mesmo período. Segundo o relatório, "o crescente uso de cartões com esse tipo de tecnologia contribuiu fortemente para a redução das fraudes nas compras presenciais, uma vez que são mais seguros do que os cartões que possuem apenas tarja magnética, mais suscetível à clonagem. Essa migração para o chip é iniciativa das próprias instituições financeiras, que têm interesse em reduzir as fraudes.

Procuradora estuda ação que pode tirar petista Dilma da eleição presidencial

A vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, disse que requisitou as fitas da cerimônia de lançamento do edital do trem-bala para estudar a possibilidade de entrar com uma ação contra o presidente Lula, por abuso de poder político e uso da máquina pública em favor da candidata do governo, Dilma Rousseff. A ação também pode ser feita contra a candidata do PT. Sandra Cureau disse que, pelo que ela leu nos jornais, em tese, houve abuso de poder político e uso da máquina pública. "Isso é absolutamente proibido", afirmou ela. Esse tipo de ação que Sandra estuda ingressar no Tribunal Superior Eleitoral, se acatada, pode resultar até na cassação da candidatura da pessoa beneficiada pelo uso da máquina do governo. Pela ação, o presidente Lula pode ser punido com multa e até responder uma ação por abuso de poder político. Na terça-feira, durante a cerimônia oficial de lançamento do edital do trem-bala que ligará São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro, o presidente Lula promoveu Dilma, atribuindo a ela a responsabilidade pelo projeto do Trem de Alta Velocidade (TAV). Disse ele: "A verdade é a seguinte: eu não posso deixar de dizer que nós devemos o sucesso disso tudo que a gente está comemorando a uma mulher". E emendou: "Na verdade, nem poderia falar o nome dela porque tem um processo eleitoral, mas a história a gente também não pode esconder por causa de eleição. A verdade é que a companheira Dilma Rousseff assumiu a responsabilidade de fazer esse TAV, e foi ela quem cuidou, junto com a Miriam Belchior, junto com a Erenice (atual ministra da Casa Civil)".

Serra diz que sozinho Brasil poderia fechar mais rápido acordo com União Européia

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, afirmou nesta quinta-feira que o Brasil teria mais chances sozinho de fechar, de forma ágil, um acordo com a União Européia, sem depender do Mercosul. "Seria importante ter uma flexibilização das regras do Mercosul. O Brasil tem condições de avançar mais sozinho", disse o tucano. Ele lembrou que, em 2004, as negociações dos dois blocos sofreram fortes resistências da Argentina. Serra participou de reunião com o presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, que já tinha se encontrado no mês passado em Bruxelas com a candidata do PT, Dilma Rousseff. Em entrevista após o encontro, que aconteceu no Rio de Janeiro, Serra também voltou a fazer criticas a política externa do governo Lula. Serra disse que o Brasil investiu muito em estreitar relações com países de pouca relevância no comércio mundial. Já Barroso destacou a importância da proposta de regulação do sistema financeiro, a chamada taxação global dos bancos. O governo Lula é contrário a idéia. Em sintonia com Barroso, Serra também defendeu uma maior regulação: "Temos que estabelecer mais mecanismos que previnam crises futuras".

Serra participa de encontro com artistas no Rio de Janeiro

Em desvantagem nas intenções de voto no Rio de Janeiro, o candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, buscou apoio junto à classe artística em um encontro na noite desta quarta-feira. O evento aconteceu num tradicional reduto de intelectuais na Zona Sul do Rio, o restaurante La Fiorentina. Nas paredes, fotos de personagens que fizeram história na cultura brasileira. O tucano dividiu a mesa com seu vice, o deputado carioca Índio da Costa (DEM), o candidato ao governo do Estado, Fernando Gabeira (PV), o poeta Ferreira Gullar e o ator Carlos Vereza. Também estiveram presentes ao encontro mais de 150 artistas e intelectuais de diversas áreas, entre eles os atores André Gonçalves, Rosamaria Murtinho, Maitê Proença, Stephan Nercesian, o crítico de cinema Rubens Edwald Filho, o cineasta Andrucha Waddington, o humorista Marcelo Madureira e os músicos Fausto Fawcett, Charles Gavin (Titãs) e Sandra de Sá. Antes de falar sobre cultura, o assunto em pauta, José Serra disparou críticas contra o governo Lula, ao qual acusou de ter transformado o Brasil em uma “república sindicalista”. “Temos assistido a uma partidarização do governo. O estado está todo aparelhado. Falam do governo do Jango. Eles eram anjos. República sindicalista nós temos agora”, afirmou. Serra fez críticas ao governo federal em relação ao modo como a Lei Rouanet vem sendo aplicada, citando o caso do Cirque de Soleil, "que, por sinal, eu acho chato", disse o candidato: "É uma coisa que se paga, mas teve incentivo porque o Ministério da Cultura quis. O conselho que julga recomendou que não se desse. É curioso isso".

Em Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) tem 47,8% e Jarbas Vasconcelos (PMDB) alcança 25,9%

Pesquisa do Instituto Maurício de Nassau sobre a eleição para governador de Pernambuco indica vitória no priimeiro turno do atual governador, Eduardo Campos (PSB). Campos tem 47,8% das intenções de voto contra 25,9% de Jarbas Vasconcelos (PMDB). Eleitores indecisos, que vão anular ou votar em branco são 26,3%. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais, para mais ou para menos. A sondagem foi feita em 7 e 8 de julho com 2.500 eleitores de Pernambuco e está registrada no TRE-PE com o n°29753/2010. Para presidente da República, Dilma Rousseff (PT) lidera entre os pernambucanos com 52% dos votos. José Serra (PSDB) tem 23%. Marina Silva (PV), 4%. Outros candidatos, juntos, tiveram 1% das menções.

Para Ministério Público, houve abuso de poder em elogio de Lula a Dilma

A vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, afirmou nesta quinta-feira que o presidente Lula pode ter cometido abuso de poder político ao fazer elogios a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, em um evento do governo. "É absolutamente proibido, nessa época do ano, que em inaugurações se faça propaganda para um candidato. Isso é uso da máquina pública", disse Sandra Cureau. Mas, ela ressaltou que estava falando em tese já que apenas soube do fato pelos jornais. Segundo a procuradora, a área técnica do Ministério Público já solicitou o áudio dos eventos. Na terça-feira, ao lançar a licitação do trem-bala, no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), sede provisória do governo, Lula elogiou a ex-ministra da Casa-Civil. Segundo o presidente, "foi ela que começou, foi ela que trabalhou, foi ela que organizou, foi ela que fez todo o trabalho". Nesta quarta-feira, diante da repercussão negativa, ele debochou da lei e da Justiça, pedindo desculpa, mas voltando a elogiar Dilma. "Eu fiquei quase que na obrigação moral de dizer que quem tinha começado a trabalhar a questão do trem-bala, a começar o projeto, a discutir, tinha sido a companheira Dilma. Possivelmente não devesse ser eu a ter falado, tinha outros companheiros", disse ele. Para a procuradora Sandra Cureau, a nova fala de Lula pode ser um agravante. A procuradora lembrou que Lula pode ser multado mesmo sem a presença de Dilma no evento. Essa é a diferença entre o Brasil e Honduras. Lá, a Constituição vale. E existe um Supremo Tribunal Federal que dá ordens ao Exército para depor um presidente golpista que tentava derrubar a constituição. Aqui, a lei não vale nada, e há juízes condescendentes. Então, Lula segue debochando da lei. Não é por acaso que ele queria o retorno do golpista Zelaya ao poder em Honduras, porque se pega o exemplo hondurenho, ele já estaria preso. Presidente que reiteradamente afronta a lei, está cometendo crime de responsabilidade. Porém, não existe Congresso, nem Supremo Tribunal Federal, no Brasil, para processar Lula.

Óleo pára de vazar de poço da BP no Golfo do México

Não há óleo vazando do poço da British Petroleum no Golfo do México pela primeira vez desde abril, afirmou nesta quinta-feira um executivo da companhia. O vice-presidente sênior Kent Wells disse a jornalistas que um novo tampão fechou por completo o poço, durante um teste crítico de pressão. Fica controlado, assim, o pior desastre ambiental produzido pela indústria petrolífera nos Estados Unidos. Wells afirmou que o petróleo parou de fluir às 14h25, hora local, depois que engenheiros gradualmente reduziram o fluxo de óleo cru que escapava pela última das três válvulas do tampão de 75 toneladas. "Estou muito satisfeito de que não há óleo vazando para o Golfo do México, na verdade estou mesmo entusiasmado porque não há óleo entrando no Golfo do México", disse ele. A interrupção ocorre 85 dias, 16 horas e 25 minutos após a primeira notícia, em 20 de abril, de uma explosão na plataforma de exploração Deepwater Horizon, que matou 11 trabalhadores e desencadeou o vazamento, e depois afundou.Agora começa a espera para ver se o tampão é capaz de conter o óleo sem explodir. Engenheiros vão monitorar as leituras de pressão por até 48 horas antes de reabrir o tampão e decidir o que fazer. Embora não represente uma solução final, o fechamento foi a única medida a funcionar para conter o fluxo desde abril. A BP está perfurando dois poços para aliviar a pressão no que está descontrolado, a fim de conseguir bombear concreto e lama para seu interior e fechá-lo de vez em meados de agosto. Até 700 milhões de litros de petróleo já foram derramados pelo poço no Golfo do México.

Estadão desmonta a farsa das centrais sindicais petistas contra Lula

Do jornalista Reinaldo Azevedo: "No dia em que aquele manifesto de pura delinqüência política - além de ilegal - veio a público, expliquei aqui como se deu a história do FAT. O mecanismo foi parar na Constituição em razão de uma proposta originalmente apresentada por Serra, que resultou na Artigo 239 da Carta. A lei, depois, regulamentou o FAT. Reportagem do Estadão demonstra que o agora presidenciável foi co-autor também desse projeto. Mais uma vez, fica evidenciado que as centrais mentiram. Estavam apenas fazendo campanha eleitoral. Da pior maneira possível. Leiam: Documentos nos anais da Câmara dos Deputados mostram que o candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, foi o autor de proposta constitucional que garantiu os recursos do PIS/Pasep para financiar o seguro-desemprego. Mostram também que o tucano foi um dos parlamentares que propuseram a criação do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Durante a Assembléia Constituinte, em 1987, Serra propôs uma emenda ao texto em que se discutia o seguro-desemprego. Nela, especificou que os recursos do PIS/Pasep deveriam financiar o programa, criado em 1986. A emenda foi acolhida e tornou-se texto da Constituição. Dois anos depois, Serra apresentou um projeto de lei, de número 2.250, para regulamentar o dispositivo constitucional que tratava do assunto. Nele, propôs a instituição do FAT “para custeio do programa do seguro-desemprego e do pagamento do abono anual”. O relator da matéria à época, na Comissão de Trabalho, era o deputado Osmar Leitão (PFL-RJ), que elaborou um texto substitutivo, anexando a ele a proposta de Serra e de outros dois deputados, Jorge Uequed (PMDB-RS) e Paulo Paim (PT-RS). O texto substitutivo acabou tramitando com o número 991-A/88, em referência à primeira proposta, que era a de Uequed (991/88). Leitão acabou usando no seu texto final, que deu origem à lei 7.998 de 1990, trechos idênticos à proposta de Serra de criação do FAT. No relatório de Leitão, publicado no Diário do Congresso Nacional, em 13 de dezembro de 1989, está escrito que tanto Serra como Paulo Paim propuseram a criação do FAT. “Os projetos de lei dos deputados Paulo Paim e José Serra instituem o FAT e estabelece (sic) que a aplicação dos seus recursos ficará sob a responsabilidade do BNDES. O deputado Jorge Uequed não prevê a vinculação do programa a um fundo". “A criação do FAT já era uma discussão naquele momento. O meu projeto e o do Serra eram muito semelhantes”, disse o hoje senador Paulo Paim. Para Uequed, “ninguém é dono do projeto”. Mas, para as centrais sindicais pelêgas, vagabunda, braços do PT, era preciso falsificar a história para favorecer a candidatura da petista Dilma Rousseff. A canalha sindicaleira age como Stalin, que mandava a KGB adulterar as fotografias, tirando delas os inimigos que o velho ditador comunista tinha mandado matar.

Governo Lula faz propaganda oficial de Dilma em kit para mulheres

O governo Lula produziu e distribuiu 215 mil cartilhas, 20 mil cartazes e 3 mil livros defendendo o voto nas mulheres. Também foi incluído no material um discurso de seis páginas da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. O kit foi enviado em caixas de papelão pela Secretaria de Políticas para as Mulheres (órgão vinculado à Presidência da República) a partidos políticos, deputados, senadores e demais candidatos nos Estados. Apesar de ter sido elaborado em 2008 e 2009, o material só foi impresso em maio. A distribuição, por parte do governo, começou no mês passado, pouco antes do início oficial da campanha eleitoral. A capa da cartilha, intitulada "Mais Mulheres no Poder Plataforma 2010", traz a imagem de um botão verde com a expressão “confirma”, similar a uma urna eletrônica, e a frase “eu assumo este compromisso”. Nesta quarta-feira, a Secretaria para as Mulheres distribuiu a publicação em Brasília em uma conferência sobre a mulher na América Latina. Já o livro intitulado "Mais Mulher no Poder: uma questão da democracia & Pesquisa Mulheres na Política" informa ser a Presidência da República a responsável pela obra e a secretaria pela “elaboração, distribuição e informações”. A partir da página 17, Dilma relata seu passado de militante de esquerda, seu histórico no governo Lula e destaca ter sido a primeira mulher a ocupar a chefia da Casa Civil. “Eu acredito que as mulheres são capazes de assumir esses espaços e têm uma dedicação inequívoca”, diz trecho do discurso feito por Dilma em um seminário no ano passado. Em carta assinada no dia 18 de junho e enviada ao Congresso, Sônia Malheiros Miguel, subsecretária de Articulação Institucional e Ações Temáticas, relata aos parlamentares detalhes sobre o livro e a cartilha. Ela avisou que, se for necessário, o governo poderá enviar mais exemplares. O nome de Sônia Miguel está o site "Mais Mulheres no Poder", que destaca a cartilha que pede votos para as mulheres com o botão verde “confirma”. Ela aparece como “coordenadora-geral”. O governo contribui para a manutenção do site. Em abril, por exemplo, lançou edital para contratar consultoria destinada a abastecer o seu conteúdo. No mês passado, o site oficial da campanha de Dilma indicou a visita a essa página, informando que o “governo federal” a lançou. O custo de impressão das cartilhas, dos livros e dos cartazes foi de, pelo menos, R$ 72 mil . O dinheiro saiu de um convênio entre o governo e o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). Coube à Secretaria de Políticas para as Mulheres enviar para a gráfica o arquivo com o material a ser impresso, aprovar o produto final e recebê-lo para distribuição em todo o País. Dois funcionários da secretaria foram destacados para cuidar dessa etapa de produção. Inicialmente, seriam impressas 100 mil cartilhas ao preço total de R$ 27 mil, mas um pedido extra de mais 115 mil foi feito à gráfica contratada, acrescentando uma despesa de mais R$ 31 mil. Os livros custaram R$ 9,7 mil e os cartazes, R$ 4,7 mil. As caixas enviadas pelo governo ao Congresso, cada uma com 450 publicações, pegaram os parlamentares da oposição de surpresa. O conteúdo do material chamou a atenção por defender o voto nas mulheres com um discurso de Dilma Rousseff dentro de um livro. Esse governo bolivariano lulista petista perdeu toda a vergonha, já não esconde mais suas tentações totalitárias, porque desconhece completamente a lei.

Intelectuais cariocas se reúnem com Serra e criticam a petista Dilma

O poeta Ferreira Gullar, que recentemente foi o vencedor do Prêmio Camões de literatura, não escondeu sua preferência pelo tucano José Serra, na noite de quarta-feira, durante jantar entre o candidato do PSDB à Presidência e intelectuais no Restaurante Fiorentina, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Ferreira Gullar também não poupou críticas ao governo Lula, e, sem citar o nome da candidata petista Dilma Rousseff, disse que “seria um absurdo que uma pessoa que nunca dirigiu nada, que não sabe nem falar, que mente sem parar e diz bobagem a cada momento, venha a ser presidente do Brasil". Ele acrescentou: "Já basta o Lula dizendo bobagem o tempo inteiro". Para José Serra, o poeta Ferreira Gullar reservou só elogios: "Eu conheço o Serra desde a UNE. Você sabe de alguma coisa contra ele? Ele já foi acusado de corrupção, de safadeza? De 1964 até hoje temos meio século. São poucos os políticos brasileiros que podem dizer: 'Não há nada contra mim'. Além disso, tem que haver alternância de poder. Não pode um partido só ficar no governo". Indagado sobre qual deveria ser o papel do governo em relação à cultura, o poeta enfatizou que “quem faz arte é o povo”: "O governo tem a função de administrar as coisas. É essa a função do governo em todas as artes. Não é ele que faz cultura. Ele dá o dinheiro, ele constrói o teatro, ele cria o espaço para o artista fazer cultura, o povo fazer cultura. Mas todo governo autoritário, pretencioso, tem a mania de ditar. Esse governo aí tentou ditar leis, criando comissões para orientar a intelectualidade, o jornalismo. É uma cabeça autoritária que acha que tem a verdade, que sabe para onde as coisas têm que seguir. A vida é inventada. Ninguém sabe. O governo é só a quem nós delegamos o poder para dirigir o País. Mas eles se apropriam do Estado e empregam os amigos, os parentes. Isso tem que acabar em tudo, e na cultura também". Sobre Marina Silva, Gullar fez questão de elogiar a candidata do PV, mas disse que ela ainda não seria capaz de ser eleita presidente: "A Marina Silva é uma pessoa admirável, íntegra, com um ideal, com um objetivo. Mas ainda não tem possibilidade de ser eleita nas circunstâncias atuais".

Duas outras violações de sigilo na Receita Federal ficam sem punição

Investigação da Polícia Federal sobre violação de sigilo fiscal de Eduardo Jorge Caldas, ocorrida em 2001, ainda não foi concluída. O inquérito, instaurado em maio de 2005 para apurar o crime, ainda tramita na Delegacia de Polícia Fazendária da Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, com o número 446/2005. Agora está sob o comando do delegado Fernando de Sousa Oliveira. Isso é que é falta de vontade de investigar. Em 2001, dados fiscais de Eduardo Jorge foram publicados pela imprensa. Ele representou à Receita e à Polícia Federal, pedindo a investigação de quem ou quais seriam os responsáveis pelo vazamento da informação. Na Receita, o procedimento aberto concluiu que não houve vazamento das informações no órgão e que o acesso aos dados naquela repartição foi legal, pois havia sido requisitado pelo Ministério Público Federal. “No ano passado, fui chamado para prestar depoimento no inquérito, que ainda está por aí, sem conclusão. Na Receita, disseram que de lá os dados não saíram”, disse Eduardo Jorge. Nas contas dele, com a violação de seu sigilo fiscal neste ano, será a terceira vez que isso ocorre. “A segunda foi em 2003, exatamente como agora, e em 2001. Minhas declarações aparecem na imprensa. Representei à Receita Federal, mas de novo a conclusão foi que os dados não foram vazados por lá”, afirmou ele. Nesta quarta-feira, Eduardo Jorge considerou uma embromação o depoimento do secretário da Receita, Otacílio Cartaxo, em seu depoimento ao Senado Federal: “É embromation”, disse ele, após a sessão da Comissão de Constituição e Justiça: “Adianta na medida em que projeta para o País que estão tentando encobrir a violação“.
Sentado sozinho no fundo da sala de sessões da Comissão de Constituição e Justiça, o tucano ficou presente durante as mais de duas horas de depoimento. Eduardo Jorge não levou assessores e foi saudado por senadores. Para ele, os nomes dos responsáveis pela quebra não são divulgados pelo governo Lula por pura “conveniência”.

Dissidente cubano quer desculpas de Lula

Um dos dissidentes cubanos libertados esta semana e degredado para a Espanha quer que o presidente Lula se desculpe pelas declarações que fez comparando os presos políticos de Cuba a detentos comuns do Rio de Janeiro e de São Paulo. Professor e jornalista, Pablo Pacheco, de 40 anos, passou mais de sete anos preso sob acusação de fazer "propaganda inimiga" ao criticar o regime ditatorial dos irmãos facínoras Castro. "Luiz Inácio Lula da Silva era, é um homem que admiro muito. Ele cometeu um erro ao nos comparar com os prisioneiros comuns que vivem em São Paulo ou Rio de Janeiro. O crime que cometemos foi amar Cuba acima de tudo. Se dissesse que sua declaração não me decepcionou, seria um grande mentiroso", disse ele. "Talvez Lula possa se desculpar conosco um dia, porque não temos nada a ver com os presos comuns de São Paulo ou Rio, mesmo que eles sejam pessoas normais, que cometeram erros em suas vidas. Respeito muito Lula. Mas espero que se desculpe conosco, porque não foi consequente, não foi cortês". Afirmando que se sente, agora, "o homem mais feliz na Terra", por voltar a conviver com a mulher e o filho de 11 anos, o degredado cubano disse que não se sente à vontade para comemorar enquanto seus "irmãos" continuarem na prisão: "Todo o meu corpo, o meu ser, o meu pensamento está em Cuba".

Veja o video depoimento de Peña Esclusa, o adversário que o ditador Chavez mandou prender

Agentes do serviço de inteligência venezuelano detiveram na noite da última segunda-feira o opositor Alejandro Peña Esclusa em seu apartamento, em Caracas. Ex-candidato presidencial e diretor das ONGs UnoAmérica e Fuerza Solidária, Peña Esclusa é acusado de relacionamento com o salvadorenho Francisco Chávez Abarca, preso no aeroporto de Caracas há duas semanas e deportado para Cuba, onde é procurado por "atos terroristas". De acordo com o Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin), a policia política fascista de Chavez, Peña teria sido mencionado em um depoimento do próprio Chávez Abarca, no qual ele teria confessado que viajou para a Venezuela para promover "atos violentos" durante as eleições legislativas de setembro. David Colmenares, diretor de contrainteligência da polícia venezuelana, disse que, na busca, teriam sido encontrados diversos explosivos e detonadores no apartamento de Peña. Em um relato publicado no site da Fuerza Solidária, porém, a mulher de Aleandre Peña Esclusa, Indira de Peña, afirmou que os explosivos foram "plantados" no local pelos agentes de inteligência.
Um desses explosivos, inclusive, foi "encontrado" na gaveta da escrivaninha de sua filha de 8 anos. Além disso, o advogado de Peña, Alfredo Romero, denuncia que os agentes venezuelanos não permitiram que ele entrasse no apartamento no momento da busca, feita por ordem de um tribunal bolivariano, um tribunal da ditadura, aos moldes dos tribunais nazistas. A prisão de Peña dá impulso às críticas da oposição venezuelana, que acusa o governo do ditador Hugo Chávez de perseguir seus críticos. Nos últimos anos, vários opositores foram presos, foram obrigados a partir para o exílio em países como o Peru e os Estados Unidos ou estão sendo processados (o Judiciário do país é totalmente dependente do ditador Chávez). Peña já foi preso temporariamente em setembro de 2002, acusado de relação com um grupo de militares que participou da tentativa frustrada de golpe contra Chávez. Ele é acusado pelo governo de uma série de crimes. O chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, por exemplo, disse no ano passado que Chávez teve de cancelar sua visita a El Salvador para a posse do presidente Mauricio Funes porque a polícia política de seu país teria descoberto um plano para matá-lo orquestrado por Peña e pelo cubano Luis Posada Carriles, acusado de terrorismo. Antes de ser preso, Peña deixou em seu site uma mensagem na qual nega essas acusações e alerta para o risco de o governo levá-lo para a cadeia: "Estão querendo criar uma matriz de opinião contra mim para que um dia possam me incriminar", afirma. No vídeo, Peña afirma que "não acredita na violência", mas é a favor de um "movimento de opinião intenso" para "derrotar Chávez" por vias pacíficas. "É preciso conseguir uma mudança de governo por vias pacíficas, democráticas ou constitucionais, mediante o que pode ser a renúncia ou destituição de Chávez, porque ele não está apto para governar e viola a Constituição todos os dias", defende.