segunda-feira, 7 de junho de 2010

PT e aliados de Minas decidem lançar Pimentel ao governo

Após reunião sem a participação de representantes do PMDB, o PT e partidos da base aliada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Minas Gerais decidiram apresentar aos peemedebistas chapa para a disputa do governo do Estado encabeçada pelo ex-prefeito petista de Belo Horizonte Fernando Pimentel. A vice seria ocupada por Clésio Andrade, presidente estadual do PR. O ex-ministro das Comunicações Hélio Costa (PMDB) seria o único candidato ao Senado da chapa. Costa e Pimentel disputam a indicação do nome da base aliada para disputar o governo do Estado. A nova versão, costurada após encontro na casa de Andrade que terminou no início da tarde deste domingo (6), foi referendada por representantes do PR, PT e PC do B. A proposta será apresentada ao PMDB ainda neste domingo e vai contra a vontade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e também do comando da campanha de Dilma Rousseff, pré-candidata do PT ao Palácio do Planalto. “Nós vamos propor um chapão também para as eleições proporcionais de deputados federais e, se quiserem, para deputados estaduais. Já marcamos aqui com os quatro partidos que vamos fazer a convenção oficial dia 27 [de junho] para referendar o palanque único no Estado [para Dilma]”, disse o presidente estadual do PT, deputado federal Reginaldo Lopes”, porta-voz do grupo.

Bancos ajudam Planalto a fazer lobby por Petrobras

Bancos privados nacionais e estrangeiros estão ajudando o governo Luiz Inácio Lula da Silva e a Petrobras a pressionar a oposição para aprovar no Senado o projeto de capitalização da estatal.Pelos menos três instituições financeiras com interesse direto na operação procuraram senadores do PSDB e do DEM e pediram que eles não votassem contra a proposta, vital para os projetos da Petrobras de manter seu plano de investimento.Aprovado o projeto no Senado, a estatal espera realizar a operação no final do mês que vem. Dirigentes da empresa e analistas estimam que ela possa chegar a R$ 100 bilhões, a maior da história da Petrobras e, talvez, do mercado mundial.Com isso, o capital da empresa pode ser elevado em 38%, com base no valor de mercado de anteontem.No discurso para convencer senadores da oposição, diretores e donos de bancos argumentam que a empresa poderá enfrentar dificuldades no final deste ano e no início de 2011 se a capitalização não for aprovada.A informação é que a estatal já assumiu compromissos de investimento que exigem que ela capte entre este ano e o início do próximo pelo menos R$ 60 bilhões para manter seu cronograma.Os bancos foram acionados a pedido da Petrobras e de assessores de Lula diante do risco de o projeto de capitalização não ser aprovado no início deste mês pelo Senado, o que comprometeria o cronograma da estatal.PRESSAA estatal tem pressa por dois motivos: 1) necessidade de aumentar seu capital; 2) captar recursos o mais rápido possível diante do aumento de seu endividamento líquido. Hoje, ele está na casa de 32%, o que ainda lhe garante acesso a financiamento a juros mais baixos. Segundo analistas, se esse endividamento -usado pelas agências de risco para classificar as empresas- superar 35%, a Petrobras passará a captar recursos a um custo mais elevado.Além disso, a ideia é fazer a operação antes das férias do mercado financeiro no hemisfério Norte, que começam em agosto. Depois, a operação poderia coincidir com a fase mais quente das eleições, o que é visto como não recomendável no mercado.Um auxiliar direto do presidente Lula confirmou à Folha que o governo conta com a ajuda dos bancos que vão fazer parte da operação de lançamento de ações para aprovar a capitalização, cuja votação está marcada para terça ou quarta-feira.

José Serra lidera no Sul, com 46%, contra apenas 26% de Dilma, conforme o Ibope

Pesquisa Ibope de intenção de voto para presidente da República aponta que José Serra (PSDB) manteve a liderança nas regiões Sul e Sudeste e que Dilma Rousseff (PT) e ganhou espaço entre os eleitores das regiões Norte/Centro Oeste e Nordeste. Serra manteve a liderança na região Sul, com 46% das intenções de voto, ante 48% do levantamento anterior. Dilma passou de 24% para 26%. São 20 pontos de diferença entre os dois candidatos, a maior de todas as regiões. A liderança também permaneceu com Serra no Sudeste, com 41% das intenções de voto, ante 44% verificados em abril. Dilma aparece em segundo lugar na região, com 33%, acima dos 28% da pesquisa anterior. Na região Norte/Centro Oeste, Serra passou de 33% para 31%, enquanto Dilma tem 43% das intenções de voto, acima dos 34% do último levantamento do Ibope, em abril. Na região Nordeste, Serra tem 27% das intenções de voto, ante 33% em abril. Já Dilma, passou de 41% em abril para 47%. O Sul e o Sudeste reúnem o grosso do eleitorado brasileiro.

Delegado federal aposentado relata o plano de espionagem contra Serra

Ele se chama Onézimo Sousa. É delegado aposentado da Polícia Federal. Apareceu no noticiário como chefe de um grupo de espionagem que estava sendo montado no porão do comitê de campanha da candidata petista Dilma Rousseff. O policial de pijamas foi trazido à boca do palco pelos repórteres Policarpo Junior e Daniel Pereira, da revista Veja, que fizeram uma entrevista com ele. Onézimo contou que, de fato, participou de uma reunião de planejamento. Afirma que, por ter discordado dos métodos e do tipo de operação, refugou a oferta de trabalho. Previa dois movimentos. Em um, desejava-se identificar um membro da campanha de Dilma Rousseff a quem se atribuía o vazamento de informações estratégicas do comitê. As suspeitas recaíam sobre Rui Falcão (PT-SP). Em outro, planejava-se espionar o presidenciável tucano José Serra, familiares, amigos e o deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ).
Onézimo relatou que foi convocado para uma reunião com Fernando Pimentel (PT-MG), amigo de Dilma Rousseff e um dos coordenadores da campanha petista. No local combinado, a área reservada de um restaurante fino de Brasília, apareceu o jornalista Luiz Lanzetta, da Lanza Comunicação, contratada pelo PT para atuar no setor de comunicação da campanha. Segundo Onézimo, Lanzetta lhe disse que falava em nome de Pimentel. A conversa desceu às cifras. Onézimo receberia R$ 1,6 milhão, em parcelas mensais de R$ 160 mil por mês. Não haveria contrato. O dinheiro seria provido por Benedito de Oliveira Neto, um dono de empresas que prosperou sob Lula, prestando serviços ao governo. Benedito estava presente à reunião. Também tomou parte da conversa um repórter chamado Amaury Ribeiro Jr. A seguir a entrevista que o delegado Onézimo concedeu a Policarpo e Daniel:
-O senhor foi apontado como chefe de um grupo contratado para espionar adversários e petistas rivais?
Fui convidado numa reunião da qual participaram o Lanzetta, o Amaury [Ribeiro], o Benedito [de Oliveira, responsável pela parte financeira] e outro colega meu, mas o negócio não se concretizou. Havia problemas de metodologia e direcionamento do trabalho que eles queriam.
-Como assim?
Primeiro, queriam que a gente identificasse a origem de vazamentos que estavam acontecendo dentro do comitê. Havia a suspeita de que um dos coordenadores da campanha estaria sabotando o trabalho da equipe. Depois, queriam investigações sobre o governador José Serra e o deputado Marcelo Itagiba.
-Que tipo de investigação?
Era para levantar tudo, inclusive coisas pessoais. O Lanzetta disse que eles precisavam saber tudo o que eles faziam e falavam. Grampos telefônicos...
- Pediram ao senhor para grampear os telefones do ex-governador Serra?
Explicitamente, não. Mas, quando me disseram que queriam saber tudo o que se falava, ficou implícita a intenção. Ninguém é capaz de saber tudo o que se fala sobre alguém sem ouvir suas conversas. Respondendo objetivamente, é claro que eles queriam grampear o telefone do ex-governador.
- Disseram exatamente que tipo de informação interessava?
Tudo o que pudesse ser usado contra ele na campanha, principalmente coisas da vida pessoal. Esse é o problema do direcionamento que eu te disse. O material não era para informação apenas. Era para ser usado na campanha. Na hora, adverti que aquilo ia acabar virando um novo escândalo dos aloprados.
- Quem fez essa proposta?
Fui convidado para um encontro com Fernando Pimentel. Chegando lá no restaurante, estava o Luiz Lanzetta, que eu não conhecia, mas que se apresentou como representante do prefeito.
- Ele pediu para investigar os petistas também?
Disse que estava preocupado, que tinha ocorrido uma reunião entre os seis coordenadores da campanha e que tudo o que havia sido discutido foi parar nos jornais. Havia alguém vazando informações, e ele queria saber quem era. Suspeitava do Rui Falcão.
Ouvido, Fernando Pimentel disse que não conhece Onézimo. Afirmou que Luiz Lanzetta não está autorizado a falar em seu nome. Lanzetta, segundo Veja, declarou ter feito "uma bobagem". Alegou que o grupo agiria apenas evitar ataques dos adversários. Ao longo da semana PT e PSDB trocaram farpas. Serra atribuiu à rival Dilma a montagem de um dossiê contra ele. “Uma injustiça”, uma “ignomínia”, respondeu a candidata petista. Presidente do PT, José Eduardo Dutra anunciou que, na segunda (7), vai interpelar Serra judicialmente. Se confirmar o que disse, será alvo de um pedido de indenização por danos morais. “Uma bobagem”, reagiu Serra. Cabe ao PT se explicar, disse ele. Curiosamente, a empresa de Luiz Lanzetta continua formalmente contratada pelo PT.

Campanha da petista Dilma Rousseff trouxe araponga da Operação Satiagraha para montar dossiês

A articulação para montar uma central de dossiês a serviço da campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República contou com a participação de arapongas ligados aos serviços secretos oficiais. Um deles é o sargento da reserva Idalberto Matias de Araújo, o Dadá, recém-saído do Cisa, o serviço secreto da Aeronáutica. Conhecido personagem de apurações sigilosas em Brasília, o sargento esteve, por exemplo, ao lado do delegado federal Protógenes Queiroz nas investigações que deram origem à Operação Satiagraha, que levou o banqueiro Daniel Dantas à prisão. A participação de Idalberto de Araújo remonta às origens do plano de inteligência petista. Em abril, após ter sido procurado por emissários da campanha, o sargento disse que aceitaria o serviço, mas necessitaria de apoio. Deixou claro que, para executar a missão proposta pela campanha, seria preciso chamar mais gente. O sargento, então, indicou um amigo de longa data, o delegado federal Onésimo de Souza, aposentado da Polícia Federal, dono de uma pequena empresa de segurança instalada num conhecido centro comercial de Brasília. As conversas avançaram. Outros agentes, dentre eles um araponga aposentado do extinto Serviço Nacional de Informações (SNI) e um militar que já serviu à Agência Brasileira de Inteligência (Abin), chegaram a ser contatados para integrar a equipe. O passo seguinte foi chegar a um valor para o serviço. É onde começa o contato direto entre o agente e um dos principais profissionais da área de comunicação da campanha de Dilma, o jornalista e consultor mineiro Luiz Lanzetta. Dono da Lanza Comunicação, empresa contratada pelo PT para fazer a assessoria de imprensa da campanha, Lanzetta marcou um encontro com o sargento e o ex-delegado. A reunião ocorreu no restaurante Fritz, na Asa Sul de Brasília. A dupla disse a Lanzetta que, pelo serviço, cobraria R$ 200 mil por mês. O delegado justificou o preço com o argumento de que seria preciso montar uma equipe de 12 pessoas para a missão. Lanzetta se encarregou de detalhar o serviço de que precisava. A primeira tarefa seria interna, no bunker que ele próprio montara no Lago Sul. Desconfiado de que seu trabalho estaria sendo sabotado por gente do próprio PT, o consultor queria que os arapongas descobrissem a origem do fogo amigo. O pacote incluiria ainda investigações que pudessem dar à campanha de Dilma munição para ser usada, em caso de necessidade, contra adversários. O alvo preferencial era o candidato tucano José Serra. A proposta para contratação dos serviços do araponga e do delegado foi levada, então, para o núcleo central do comitê de Dilma. O assunto chegou a ser discutido com o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, coordenador da campanha. Em um primeiro momento, Pimentel avaliou que o preço estava alto demais. Disse que topava pagar, no máximo, R$ 60 mil. O grupo já estava discutindo estratégias de trabalho - um dos planos era infiltrar um agente no núcleo de inteligência da campanha de José Serra, quando começaram a vazar para a imprensa informações acerca de dossiês produzidos pelo bureau montado por Lanzetta na fortaleza petista do Lago Sul. Era o que faltava para os ânimos se acirrarem ainda mais no comitê. O imbróglio realçou, no interior da campanha de Dilma, o conflito entre dois grupos: o do mineiro Fernando Pimentel, responsável por levar Lanzetta para o staff de Dilma, e o do ex-ministro Antonio Palocci. Nos bastidores, Pimentel, alçado ao comando da campanha por conta de sua velha amizade com Dilma, acusa Palocci e o deputado paulista Rui Falcão, coordenador de comunicação do comitê, de tramarem para derrubá-lo. Aliados de Pimentel afirmam que foi Falcão quem deixou vazar informações sobre o dossiê, para enfraquecer o ex-prefeito na cúpula da campanha.

Luiz Lanzetta sai da campanha de Dilma Rousseff após divulgação da montagem de dossíê petista contra Serra

O jornalista e consultor Luiz Lanzetta pediu desligamento da campanha de Dilma Rousseff (PT) a presidente. A sua empresa, a Lanza, é usada pelo PT para contratar a maioria dos integrantes da equipe de comunicação da petista Dilma Rousseff. Depois de ler uma entrevista do delegado aposentado da Polícia Federal, Onésimo Sousa, à revista Veja, acusando-o de ter proposto a montagem de um esquema de espionagem contra José Serra e outros tucanos, Lanzetta oficializou sua saída enviando uma carta para a jornalista petista Helena Chagas, coordenadora da assessoria de imprensa de Dilma Rousseff. Lanzetta negou ter proposto a montagem de um esquema de espionagem contra tucanos. Apesar das acusações, disse ter ficado aliviado com a entrevista de Onésimo. E assumiu toda a responsabilidade pelo episódio: "Tudo o que aconteceu diz respeito a mim. A reunião foi um ato feito voluntariamente por mim. E agora ficou claro que não tem central de arapongas e dossiês porque ninguém foi contratado. Então eu posso me desligar e me aliviar e ir embora". A reunião à qual Lanzetta se refere foi um encontro no dia 20 de abril, no restaurante Fritz, em Brasília. Além dele próprio, estavam presentes outras quatro pessoas: o delegado Onésimo, o jornalista Amaury Ribeiro Jr., Idalberto Matias de Araújo, o Dadá (sargento da reserva e ex-agente do serviço secreto da Aeronáutica) e Benedito de Oliveira (empresário de Brasília com boas ligações no governo petista). Segundo Onésimo relatou à "Veja", no encontro no Fritz foi feita uma proposta de operação de espionagem de adversários políticos do PT. Lanzetta nega: "O importante disso tudo é que há duas coisas que se confirmam. Primeiro, os cinco dizem que não houve negócio. Segundo, dos cinco presentes só um diz que eu propus algo para ele. Os outros relatam que algo foi proposto a nós". Lanzetta relata o que teria ouvido de Onésimo: "Ele veio se oferecer para acompanhar o Marcelo Itagiba [deputado federal pelo PSDB do Rio e ligado a José Serra, pré-candidato tucano a presidente]. Disseram que sabiam que o Marcelo Itagiba estava trabalhando porque já trabalharam na equipe dele e o conheceram. Falaram que o Marcelo Itagiba estava fazendo cem dossiês contra a base aliada. Estaria fazendo isso com uma série de ex-agentes da Polícia Federal e da Abin no gabinete dele. Essa informação era o que eles queriam dar e depois se ofereceram para ir atrás disso. Era uma coisa um pouco pirotécnica. Mas da nossa parte nada prosperou. É impressionante: é uma coisa da qual caímos fora e ficou como se tivéssemos feito". Lanzetta exime de responsabilidade todos os integrantes da cúpula petista nesse episódio do restaurante Fritz. Nega também que seu principal contato na direção da campanha, o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel, soubesse do encontro previamente. Veja trechos da entrevista:
Folha - Quem estava na reunião de 20 de abril no restaurante Fritz, em Brasília?
Luiz Lanzetta - Cinco pessoas. Onésimo, Amaury, o Dadá, o Benedito e eu.
Folha - Quem marcou a reunião e fez os convites?
Luiz Lanzetta - Eu não me lembro.
Folha - Por que pessoas como o Benedito e o Amaury estavam nessa reunião?
Luiz Lanzetta - O Benedito estava lá até para me servir de testemunha agora. Até porque o Onésimo parece ter sido acometido por uma crise de ética que ficou retida por dois meses. Ele chegou ao encontro dizendo que transportava dinheiro. Os dois, ele e o Dadá, falaram ter conhecimento de que o Marcelo Itagiba estaria montando cem dossiês. Ofereceram-se.
Folha - Como foram os contatos seguintes?
Luiz Lanzetta - Nunca mais vi os dois. O fato a ser dito é que não foi feito nenhum contrato.
Folha - Numa entrevista, Onésimo falou ter sido proposto a ele grampear e espionar pessoas. Isso não é fato?
Luiz Lanzetta - Ele que ofereceu serviços de espionagem. Eu fui lá ouvir. Levantei e fui embora.
Folha - Mas Onésimo é muito assertivo ao dizer que foi proposto a ele buscar dados da vida pessoal do pré-candidato José Serra.
Luiz Lanzetta - Não é verdade. Não se tratou de Serra. Ele montou essa reunião agora para dar essa mídia toda. Não teve isso. Eu fui para uma reunião, ouço um monte de coisa, levanto e vou embora. Não faço contrato. Nunca mais falo com a pessoa. De repente aparece como se fosse uma proposta minha? Eu nunca mais quis encontrar com ele.
Ele veio se oferecer para acompanhar o Marcelo Itagiba. Disseram que sabiam que o Marcelo Itagiba estava trabalhando porque já trabalharam na equipe dele e o conheceram.
Folha - Mas Onésimo se ofereceu explicitamente para investigar Marcelo Itagiba?
Luiz Lanzetta - Explicitamente.
Folha - Qual serviço exatamente foi oferecido?
Luiz Lanzetta - Eles começaram a falar o que eles têm de serviço. Demonstram como seguem, como gravam. Essas coisas todas. Eu comecei nem prestar mais atenção. Eles falaram que o Marcelo Itagiba estava fazendo cem dossiês contra a base aliada. Estaria fazendo isso com uma série de ex-agentes da Polícia Federal e da Abin no gabinete dele. Essa informação era o que eles queriam dar e depois se ofereceram para ir atrás disso. Era uma coisa um pouco pirotécnica. Mas da nossa parte nada prosperou. É impressionante: é uma coisa da qual caímos fora e ficou como se tivéssemos feito.
Folha - Onésimo diz ter sido convidado para a reunião no Fritz pelo Pimentel. Isso ocorreu?
Luiz Lanzetta - É delírio. O Pimentel nem sabia disso. Só fui falar depois, quando começou a aparecer essa reunião. Falei para ele como tinha sido e que nada havia sido acertado.
Folha - Há uma informação de que Fernando Pimentel tinha conhecimento sobre a finalização da apuração que Amaury Ribeiro Jr. fazia, sobre privatizações e negócios de Verônica, filha de José Serra. Como se dava essa troca de informações?
Luiz Lanzetta - Não tinha. De minha parte, não.
Folha - Mas o Amaury poderia falar diretamente com Pimentel?
Luiz Lanzetta - Ah... só se houve algo assim. Porque nunca houve reunião que eu tenha visto dos dois.
Folha - Há também uma informação de que por algum canal, da pré-campanha ou do PT, Amaury Ribeiro teria sido remunerado regularmente para continuar suas apurações. Essa informação é real?
Luiz Lanzetta - Não tenho conhecimento. Pelo que eu sei não houve nada. O Amaury tem recursos para tocar a vida dele.
Folha - Quais serão seus próximos passos na pré-campanha?
Luiz Lanzetta - Hoje devo soltar uma nota a respeito de tudo. Tudo o que aconteceu diz respeito a mim. A reunião foi um ato feito voluntariamente por mim. Hoje [ontem] eu mandei uma carta para a pré-campanha e me desliguei. E agora ficou claro que não tem central de arapongas e dossiês porque ninguém foi contratado. Então eu posso me desligar e me aliviar e ir embora. Ninguém foi contratado, não existe. Mandei uma carta hoje [ontem] de madrugada. Quando eu vi as entrevistas [de Onésimo e uma reportagem sobre Dadá] eu pensei: 'Dá para falar'. Fiquei tranquilo porque tudo está no meu âmbito. A carta foi para algumas pessoas, mas basicamente para a Helena Chagas.
Folha - Mas o seu contrato não vai até o final de junho?
Luiz Lanzetta - Eu estou saindo pessoalmente. O meu contrato eu estou abrindo mão e com grande alívio.
Folha - Mas se ao seu juízo nada errado foi feito, por que então sair da campanha?
Luiz Lanzetta - Por que não tenho como ficar na campanha nessa situação. É melhor para todos a minha saída. Foram 40 dias dizendo que eu fiz uma coisa que eu não fiz. E o principal é que ficou esclarecido que nenhum negócio foi feito como nos acusaram.

Folha de S. Paulo publica primeiro artigo de membro do maior clã petista do País

O jornal Folha de S. Paulo vem incrementando aceleradamente as suas relações com o petismo. Recentemente, nomeou a jornalista Suzana Singer como ombudsman. Ela é irmã do jornalista André Singer, ex-porta-voz de Lula. E filha do economista Paul Singer, secretário nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego. Agora, a Folha escalou entre seus articulistas o jornalista Claudio Weber Abramo, diretor-executivo de organização petista Transparência Brasil. Claudio Weber Abramo é membro do maior clã petista do Brasil, o clã dos Abramo. O pai dele, jornalista Claudio Abramo, foi diretor de redação dos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo, foi o mais tradicional trotskista do comunismo brasileiro. O tio dele, também jornalista, Perseu Abramo, dá seu nome para a fundação do PT. E por aí afora. Claudio Weber Abramo estreou escrevendo uma coluna que pretende mostrar as inversões existentes no País, entre o privado, que é discutido em público, e o público, discutido no privado. Depois de algumas voltinhas para lá e para cá, ele chega ao ponto desejado, quase ao final do texto, e diz: "Se alguma unanimidade existe, é que a administração pública brasileira é ineficiente. Um dos fatores mais determinantes para isso é a liberdade de os governantes nomearem pessoas para ocupar os chamados 'cargos de confiança'. Além de constituir uma usina de corrupção, o compromisso dos agentes públicos (concursados ou não) com interesses partidários se superpõe a seu compromisso com o público. Não há serviço público que resista a isso. Questões como essas três (e existem muitas mais) são as que impactam sobre o futuro da comunidade. O resto é ilusão". Claudio Weber Abramo faz o clássico, sacode o ramo de árvore, na frente da floresta, para esconder o conjunto das árvores. Absolutamente não são os CCs (cargos em comissão) os pais da corrupção no País, nem quem desfigura o serviço público. Os CCs são absolutamente ncessários porque representam a ligação dos partidos e dos políticos com a máquina pública e sua interface com a sociedade. Claudio Weber Abramo e os petistas, em geral, e suas organizações, como o Movimento Ficha Limpa (comandado pelo petista Francisco Whitaker), querem eliminar os CCs porque já controlam todas as corporações do serviço público brasileiro, nas três esferas. Vide-se o compromisso umbilical das entidades sindicais do serviço público (por exemplo, petroleiros) com a candidatura da petista Dilma Rousseff. Portanto, mudar a Constituição nesse ponto representa mais uma escalada do petralhismo em direção à tomada completa do poder no Brasil e na instauração do sovietismo bolivariano.

As festinhas das socialites paulistanas

O banqueiro Walter Appel e a dramaturga Leilah Assumpção fizeram festa para comemorar "30 anos de relacionamento insólito". Eles moram em casas separadas. Receberam, entre outros, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho (economista petista), Eliana Tranchesi (empresária dona da Daslu, condenada na Justiça Federal), Lulu Librandi e os casais petistas Marta Suplicy e Márcio Toledo e Eduardo Suplicy e Mônica Dallari. Não é uma maravilha, a socialite ricaça Marta se encontrando com o seu ex Eduardo Matarazo Suplicy? A atriz Regina Duarte, que chegou quando a anfitriã já se preparava para dormir, foi recebida por ela de pijama e colar. Rico é outra coisa.... O novo marido da ricaça petista Marta Suplicy, o também petista Márcio Toledo, é publicitário e presidente do Joquei Club de São Paulo. Ele tem o mesmo nome de um militante da ALN que foi executado por seu próprios companheiros. Marta e Marcio Toledo acompanharam a candidata petista Dilma Rousseff em sua viagem a Nova York para a homenagem ao presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.

Juiz gaúcho garante liberdade de opinião para jornalista Joabel Pereira.

Juiz gaúcho garante liberdade de opinião para jornalista Joabel Pereira.
Mais um ataque contra a liberdade de opinião e contra um jornalista acaba de ser fulminado por um juiz gaúcho. O juiz da 1ª Vara Cível de Porto Alegre, Cleber Augusto Topial, absolveu o jornalista Joabel Pereira, no âmbito do processo que lhe moveu o ex-prsidente da Associação dos Oficiais da Brigada Militar, coronel Altair de Freitas Cunha. Joabel e Cunha envolveram-se em uma troca de opiniões bastante duras. No dia 23 de março de 2007, na rádio Guaíba, o jornalista criticou o oficial por ameaçar o governo com a possibilidade de greve, em protesto pelo parcelamento dos salários. Os advogados de Joabel Pereira foram Carlos Alberto Bencke, Fabiana Regina Bencke, Lori Teresinha Cunegatto, André Krausburg Sartori e Rodrigo Ribeiro Sirangelo, todos do escritório Bencke &Sirangelo Advoacia e Consultoria.

Donos de agência de publicidade gaúcha comandarão a campanha petista de Tarso Genro

O peremptório petista Tarso Genro confirmou o que Videversus noticiou em primeirissima mão, por meio do Twitter, no dia 19 de maio, às 19h15: o publicitário gaúcho João Satte, dono da agência de publicidade Competence, será o coordenador de sua campanha ao governo gaúcho. No dia 19 de maio, Videversus informou que o peremptório candidato tinha acabado de chegar no edifício do publicitário gaúcho, conhecido como "reizinho do liberalismo" e que canta as glórias de ser rico. João Satte terá como assessor na coordenação da campanha do peremptório um outro publicitário, dono da agência Escala, Alfredo Fedrizzi. Este publicitário foi a vida inteira ligado ao PMDB. Seu pai, Nestor Fedrizzi, foi secretário de Estado em governo de Pedro Simon (PMDB) e coordenador de campanha do senador peemedebista. Com o tempo, Fedrizzi foi se dando conta que era melhor estar ao lado dos petistas, que dominam poderosas verbas de publicidade. O trio será complementado por Ricardo Silvestrin.

Israel já deportou novos ativistas que queriam afrontar o bloqueio naval a Gaza

Israel começou a deportar neste domingo os ativistas do navio irlandês Rachel Corrie, abordado no sábado pela Marinha israelense, em uma operação tranquila, ao contrário do que ocorreu na última segunda-feira, quando a abordagem de Israel á flotilha terrorista turca deixou nove mortos e dezenas de feridos. Sete integrantes do navio Rachel Corrie já estão na Jordânia, e os outros quatro devem deixaram Tel Aviv de avião. Um cubano e seis malaios (o deputado Mohd Nizar Zakaria, dois jornalistas da emissora malaia TV3 e três funcionários da organização "Perdana Global Peace") cruzaram a ponte de Alenby, na fronteira entre a Cisjordânia e a Jordânia. Pergunta: porque o cubano não vai tentar furar o bloqueio norte-americano a Cuba? "Todas as pessoas do navio serão deportadas no domingo, depois de terem assinado um documento em que abrem mão de recorrer à Justiça israelense contra a expulsão", disse a porta-voz do serviço de imigração de Israel, Sabin Hadad. Ao total o navio levava 19 pessoas, sendo 11 ativistas e oito membros da tripulação. As 12 pessoas remanescentes foram levadas ao Aeroporto Internacional Ben Gurion, em Tel Aviv, e de lá despachadas para seus países de origem. De acordo com a porta-voz Sabin Hadad, a saída de Mairead Maguire, de 66 anos, irlandesa ganhadora do prêmio Nobel da Paz e conhecida defensora da causa palestina, e dos outros ativistas, foi atrasada porque eles se recusavam a assinar o documento proposto pela Imigração isralense, obrigando-os a renunciarem seus direitos de apelarem contra a deportação. O secretário-geral da ONU, o coreano Ban Ki-moon, contatou o premiê de Israel, Binyamin Netanyahu, falando sobre a necessidade de se instalar uma comissão internacional de investigação. Por que o Ban Kimoon não determina uma investigação da Coréia do Norte, por ter afundado por um míssel um destróier sul-coreano? A comissão seria integrada por Israel, Turquia e Estados Unidos, e o premiê neozelandês, Geoffrey Palmer. Israel rejeitou prontamente a proposta, que representaria uma quebra de sua autonomia. A ONG "Free Gaza", que dá apoio internacional às organizações terroristas islâmicas, anunciou neste domingo que uma nova tentativa de romper o bloqueio a Gaza deve ocorrer nos próximos meses. No sábado, Israel abordou o navio, sem deixar vítimas. A Marinha abordou o Rachel Corrie pouco depois do meio-dia no horário local (6 horas de Brasília) e tomou o controle sem violência. O navio foi encaminhado para o porto israelense de Ashdod (ver na foto). A decisão de abordar o "Rachel Corrie" foi tomada depois de o navio se negar a obedecer quatro chamados para que mudasse de rumo e se dirigisse a Ashdod no lugar da faixa de Gaza, submetida desde 2007 a um bloqueio por parte de Israel. Em reunião de gabinete neste domingo, o premiê de Israel reafirmou que vai manter bloqueio a Gaza. Netanyahu defendeu o bloqueio dizendo que seu objetivo é impedir o acesso dos terroristas do Hamas a armas, e que não vai permitir que o Irã, aliado do Hamas, estabeleça um "porto iraniano em Gaza".

ONG turca IHH divulga fotos de soldados de Israel feridos durante ataque

A ONG turca IHH (que mantém relações diretas com os terroristas do Hamas e contratou os navios para a flotilha que decidiu afrontar o bloqueio naval de Gaza imposto por Israel) divulgou neste domingo fotos de soldados israelenses feridos pelos terroristas que estavam a bordo, quando o exército de Israel realizou a abordagem do navio turco "Mavi Marmara". A Ong IHH divulgou imagens que mostram um soldado israelense ferido cercado por terroristas turcos. De acordo com a IHH os soldados foram feridos quando abordaram o barco turco. O porta-voz do governo israelense Mark Regev disse que as imagens "mostram que nossas equipes que abordaram o navio de fato enfrentaram violência mortal dos ativistas islâmicos no barco do movimento fundamentalista IHH".

Farc lucram mais com drogas no Brasil, diz ex-integrante

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc, organização terrorista e traficante de cocaína) têm fortes ligações com o Brasil, segundo relato de um ex-terrorista ao jornal O Estado de São Paulo. A organização colombiana se voltou ao Brasil pela vantagem econômica que o País oferece. No Brasil os terrorista arrecadam cerca de R$ 50 mil por quilo de cocaína pura, contra R$ 15 mil na Colômbia e R$ 25 mil na Venezuela. Esse dinheiro é revertido para financiar as operações militares da organização terrorista. Segundo o ex-integrantes da guerrilha que usou um nome fictício, as Farcs têm forte presença em, pelo menos, seis cidades do Amazonas. São Gabriel da Cachoeira, Benjamin Constant, Tabatinga, Cucuí, Tefé e a capital Manaus têm bases e integrantes da organização, que recebem mesada das Farc para ações no País.

Pesquisa Ibope aponta empate entre Serra e Dilma

Os pré-candidatos José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) estão empatados com 37% das intenções de votos na disputa presidencial, segundo pesquisa Ibope, contratada pela TV Globo e o jornal O Estado de S. Paulo. No levantamento, a senadora Marina Silva (PV) aparece em terceiro lugar, com 9%. O levantamento anterior do Ibope, feito em abril, mostrava Dilma Rousseff com 32% das intenções, e Serra com 40%. Marina tinha 9%. O empate entre a petista e o tucano continua em um eventual segundo turno com 42% para casa. Em abril, Serra tinha 46% e Dilma, 37%. Os indecisos somam 8% dos entrevistados e 9% disseram que votarão em branco, nulo ou em nenhum candidato. Essa foi a primeira pesquisa feita depois do programa partidário que do PT, que teve Dilma como estrela, e do DEM, que foi ocupado em 75% dos 10 minutos por Serra.

Operação da BP consegue capturar 40% do óleo de vazamento

Um dispositivo de contenção posicionado pela companhia petroleira BP sobre o duto danificado no golfo do México conseguiu capturar 6.000 barris de petróleo (950.000 litros) na sexta-feira, e espera-se que o volume de óleo contido aumente em breve, informou o comandante da Guarda Costeira americana, almirante Thad Allen. "No primeiro ciclo completo de 24 horas, eles conseguiram capturar 6.000 barris do duto", disse o almirante Thad Allen, que monitora a resposta ao vazamento. O dispositivo está captando cerca de 40% do óleo que sai do poço.

Egito vai retirar nacionalidade de cidadãos casados com israelenses

A Alta Corte Administrativa do Cairo confirmou, no sábado, um veredicto que cancela a nacionalidade dos egípcios casados com uma mulher israelense, um tema muito controverso no Egito, apesar da paz assinada com Israel há mais de 30 anos. O juiz Mohamed al Husseini, da Alta Corte administrativa, considerou que o ministério do Interior deveria pedir ao governo para tomar as medidas necessárias para tirar a nacionalidade de egípcios casados com uma israelense, bem como de seus filhos. No ano passado, o tribunal de primeira instância havia pedido ao ministério do Interior que examinasse o caso de um egípcio casado com uma israelense, e de seus filhos, para "tomar as disposições necessárias para retirar-lhes a nacionalidade". O número de egpípcios casados com israelense é de 30.000, dos quais "a maioria com sionistas e apenas 10% com árabes-israelenses". Milhares de egípcios, em particular os que viviam no Iraque e tiveram que partir durante a guerra do Golfo (1990), foram buscar trabalho em Israel, onde muitos se casaram.

Fornecimento de energia elétrica da geração térmica é ampliado no País

Desde a última quinta-feira, a energia que chega na casa dos brasileiros tem uma diferença de origem. Vai aumentar três vezes a parte originada em usinas térmicas, para preservar os reservatórios das hidrelétricas durante o período de menor chuva na Região Sudeste, onde estão as maiores barragens. Embora sejam mais caras e poluentes, as termelétricas são acionadas para manter os níveis mínimos de segurança definidos pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que coordena o sistema elétrico do País. Por isso, o custo extra é repassado para as contas dos consumidores. A geração térmica sobe de 700 megawatts (MW) médios para 2 mil MW. A média necessária para atender ao consumo nacional é de 55 mil MW. Até novembro, quando termina o chamado "período seco", é preciso que os reservatórios do Nordeste tenham mantido ao menos 20% de seu volume, enquanto a média do Sudeste terá de ficar acima de 39%. No mês passado, o ONS já havia determinado a operação de termelétricas, para garantir a segurança enquanto não eram concluídas as obras de reforço do sistema de transmissão da energia de Itaipu.

Impostos para a indústria chegam a 59,8% do PIB

Nos últimos cinco anos, a carga tributária média na indústria brasileira de transformação bateu em 59,8% do Produto Interno Bruto (PIB) do setor. É mais que o dobro da média entre todos os setores de atividade econômica do País no período, que foi de 26,7%. Os dados são de estudo do diretor do departamento de competitividade e tecnologia da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), José Ricardo Roriz Coelho. "A carga tributária é alta para todos os setores, porém, na indústria é mais elevada, o que afeta as empresas tanto do ponto de vista do capital de giro como na exportação", afirmou ele. Apesar de crescente nos últimos anos, a carga tributária recuou para 57,3% do PIB industrial em 2009, depois de ter atingido 65,5% no ano anterior. "É um comportamento passageiro, já que resultou tanto de reduções fiscais pontuais e provisórias, como da retração das vendas e dos lucros das empresas, provocadas pela crise financeira mundial", diz o diretor da Fiesp. Com a retomada do crescimento econômico, a carga tributária deverá voltar a crescer em 2010. A alta incidência de impostos afeta a decisão de investimento, mostra pesquisa da Fiesp.

Petista Dilma Rousseff ironiza slogan "o Brasil pode mais" de José Serra

A pré-candidato do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, ironizou na sexta-feira o slogan da campanha de seu principal adversário, José Serra (PSDB), que vem repetindo a frase "o Brasil pode mais". "A gente quer fazer mais e nós podemos fazer mais porque temos um legado digno", disse a ex-ministra durante plenária nacional da Federação Única dos Petroleiros (FUP, sindicato aliado ao PT), citando como uma das realizações do governo o crescimento econômico com distribuição de renda. Tratada pelos presentes como candidata mesmo antes do ínicio oficial da campanha, Dilma foi aplaudidada pelos participantes quando disse que a oposição tinha o projeto de privatizar a Petrobras.

Nicarágua concede asilo a irmão de "chanceler" das Farc

A Nicarágua anunciou na sexta-feira que concedeu asilo político ao professor universitário colombiano Rubén Darío Granda, irmão do chamado "chanceler" das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc, organização terrorista e traficante de cocaína), que se encontrava na embaixada nicaraguense em Bogotá desde 31 de maio. Rubén é irmão de Rodrigo Granda, libertado pelo governo do presidente Álvaro Uribe em 2007, a pedido da França, para que se avançasse no acordo de troca de reféns, mas ele voltou à luta armada. Granda foi preso há alguns meses acusado de apoiar atividades financeiras das Farc, mas um juiz ordenou sua soltura por falta de provas. A Nicaraguá é um refúgio de terroritstas.

Primeiro ministro da Turquia diz que Hamas não é grupo terrorista

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, disse na sexta-feira que o Hamas não é um grupo terrorista e equiparou a abordagem israelense aos navios da flotilha que pretendia afrontar o bloqueio naval da Faixa de Gaza com a ação de piratas somalis. Em discurso na cidade conservadora de Konya, no centro da Anatólia, retransmitido pelas televisões locais, Erdogan leu em hebraico a passagem da Torá no qual se diz "Não matarás". Além disso, defendeu o movimento terrorista islâmico Hamas, considerado um grupo terrorista por Israel e Estados Unidos. "O Hamas não é uma organização terrorista", afirmou Erdogan, que assegurou que o movimento não está relacionado com a Al Qaeda. Este primeiro ministro turco tem imprimido uma iniciativa cada vez mais marcadamente islâmica na Turquia, o que ainda criará problemas para o país na União Européia. Parecer ser o que ele deseja.

Governadora Yeda Crusius assina primeiro Decreto de Meritocracia no serviço público gaúcho

Em uma iniciativa pioneira no Estado, servidores públicos aderiram ao sistema de meritocracia, onde os avanços funcionais e salariais são regidos pela produtividade. A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), assinou o Decreto 47.258, publicado no Diário Oficial do Estado de sexta-feira, que regulamenta a Carreira de Analista de Planejamento, Orçamento e Gestão da Secretaria de Planejamento e Gestão. Para a gratificação, haverá um sistema de 2,5 mil pontos atribuídos ao conjunto de ações, etapas e indicadores selecionados para acompanhamento e medição. Onze indicadores serão levados em consideração para a promoção e progressão na carreira: compromisso institucional; qualidade do trabalho; uso adequado de equipamentos e instalações; criatividade e iniciativa; comunicação; autodesenvolvimento; aplicação do conhecimento; assiduidade e disposição para o trabalho; trabalho em equipe; flexibilidade e adaptabilidade; e administração e organização das condições de trabalho. A meritocracia é a forma de governo baseado no mérito. As posições hierárquicas são conquistadas com base no merecimento e há uma predominância de valores associados à educação e à competência. Pelo sistema, os funcionários estatais são selecionados para seus postos de acordo com sua capacidade e a capacitação permanente. A avaliação de desempenho será realizada uma vez por ano, iniciando o período de avaliação no mês de abril de cada ano e se encerrando em março seguinte. A carreira, que hoje tem 60 servidores, prevê 150 vagas.

Governadora Yeda Crusius autoriza repasse de R$ 50 milhões para o enfrentamento de desastres ambientais

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, autorizou na sexta-feira o repasse de R$ 50 milhões às cidades habilitadas ao Enfrentamento de Desastres Ambientais. A meta é reestruturar a rede de saúde municipal (Unidades Básicas, Hospitais, Pronto Atendimento e Centros de Atenção Psicossocial), diminuindo a vulnerabilidade do sistema e proporcionando maior segurança para possíveis novos eventos. A ação faz parte do Programa Estruturante Saúde Perto de Você, articulado com o Estruturante Nossas Cidades, dentro da transversalidade de áreas do governo estadual. Os recursos deverão ser utilizados no investimento em equipamentos para a recuperação e reaparelhamento da Rede de Atenção à Saúde, como reposição ou conserto de equipamentos danificados ou, ainda, aquisição de novos equipamentos, como geradores. Com isso, o município estará preparado para possíveis desastres ambientais. De setembro de 2009 a fevereiro de 2010, o Rio Grande do Sul sofreu eventos ambientais adversos marcantes, decorrentes de mudança climáticas, registrados pela Defesa Civil. Isso resultou em mais de 274 municípios em situação de emergência, com mais de 33 mil gaúchos ficando desabrigados e ocorrendo oito óbitos. Os estudos climatológicos nacionais e internacionais têm alertado para o aumento destes fenômenos, caracterizando o Estado como corredor para eventos climáticos agudos.

Cuba prende 37 dissidentes nas últimas horas

A ditadura cubana prendeu 37 dissidentes nas últimas 72 horas, segundo denunciaram grupos da dissidência cubana (a "Agenda para a Transição" e a "Unidade Liberal da República de Cuba"), informou na sexta-feira o jornal "El Nuevo Herald". As detenções ocorreram para impedir a realização de duas importantes reuniões na casa do ativista Héctor Palacios. Palacios explicou por telefone que a polícia prendeu 14 pessoas na quinta-feira e outras 23 na sexta-feira. "Foi como em tempos de guerra", comentou Palacios. "Enquanto o governo cubano diz que está fazendo concessões, é difícil acreditar que haja uma intenção de diálogo entre a Igreja e o Estado cubano", disse ele ao jornal. Se as prisões forem confirmadas, elas acontecem depois que a Igreja Católica de Cuba anunciou, na terça-feira passada, a transferência de seis presos políticos a prisões mais perto de suas casas.

Serra diz que ameaça de processo do PT é factóide para enganar a imprensa

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, disse na sexta-feira, em Campina Grande (PB), que o PT tenta criar um factóide quando anuncia que vai interpelá-lo judicialmente para que prove que a pré-candidata petista, Dilma Rousseff, elaborou um dossiê contra ele. "Isso é factoide para enganar a imprensa", declarou Serra em entrevista à rádio 98 FM, do Sistema Correio de Comunicação. Segundo ele, quem tem que de se explicar é o PT e a ex-ministra Dilma Rousseff. Serra afirmou que o PT "tem tradição nessa matéria" de criar dossiê. A verdade, de acordo com ele, é que "foi descoberto um esquema de dossiê fajuto e difamante da parte deles". José Serra disse que não é a primeira vez que o PT cria dossiê contra ele: "Você lembra que isso ocorreu em 2006? Lembra do dossiê dos aloprados? Era contra mim, que era candidato a governador de São Paulo". Segundo Serra, o PT, na tentativa de desviar o foco do noticiário, "cria factóide deste tipo". "Os petistas é que têm de explicar o que está acontecendo, e não os outros, que são vítimas", disse Serra.

GM dá partida à construção da nova fábrica na quarta-feira

Foi agendado para quarta-feira, 10h30min, o início solene da construção da nova fábrica de automóveis da GM em Gravataí, que implicará em investimentos de R$ 1,4 bilhão. A nova fábrica, somada à atual, que completará 10 anos na quarta-feira, produzirá 380 mil carros por ano até 2012. Além da governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), também estará presente à solenidade de início das obras o presidente da GM no Brasil, Jaime Ardila, e seu vice, José Carlos Pinheiro Neto. O Rio Grande do Sul deveria estar produzindo mais de 500 mil carros por ano, se o petista Olívio Dutra (conhecido como Exterminador do Futuro) não tivesse escorraçado a Ford do Estado.

rocuradoria entra com representação contra PSDB por propaganda contra Dilma Rousseff

O Ministério Público Eleitoral entrou com uma representação contra o PSDB por propaganda negativa contra a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. A procuradoria pede ao Tribunal Superior Eleitoral que multe o partido em R$ 25 mil por causa do site gentequemente.org.br. A página, que está no ar há cerca de um ano, traz críticas ao presidente Lula e a pré-candidata petista. A representação, assinada pela vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, quer que o PSDB pare de fazer comentários no site e suspenda o conteúdo da página por 24 horas. O relator é o ministro Henrique Neves. Segundo a procuradoria, o partido tem permitido que internautas façam comentários "cujo conteúdo demonstra a existência de notória propaganda eleitoral antecipada negativa em desfavor de Dilma Rousseff e positiva em favor de José Serra". O Ministério Público diz que a representação é apenas contra comentários de terceiros. Sandra Cureau informa que no site o administrador afirma que os comentários são moderados.

PT de Minas Gerais cria movimento "Empurrado eu não vou"

Às vésperas do provável anúncio do senador Hélio Costa (PMDB) como cabeça da chapa única com o PT para o governo de Minas Gerais, a militância petista no Estado lançou na internet uma espécie de campanha de resistência contra a decisão, tomada pelas cúpulas nacionais dos dois partidos. Chamado de "Empurrado eu não vou", o movimento no Twitter insiste no nome do ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), como cabeça de chapa. A campanha ganhou o apoio do presidente do PT mineiro, deputado federal Reginaldo Lopes, que negou que já haja uma definição sobre a chapa. "Estamos aos 40 do segundo tempo, ainda temos jogo", afirmou o deputado federal Miguel Corrêa Júnior (PT-MG), um dos principais interlocutores de Pimentel e que também apoiou o "Empurrado eu não vou". PR e PSB, aliados de PT e PMDB no campo nacional, podem preferir apoiar a reeleição de Antonio Anastasia (PSDB) se o candidato da oposição for Hélio Costa. O nome da campanha repete uma declaração do ex-governador Aécio Neves (PSDB-MG), que em março, ao ser mais uma vez pressionado a ser vice do tucano José Serra, disse: "Não adianta empurrar, empurrado eu não vou". Aécio Neves afirmou que a frase foi usada por seu avô Tancredo Neves, em 1985, quando fora pressionado pelo então deputado João Amazonas para assumir "posições radicais" para a época. No meio dessa bronca mineira, Aécio Neves não perde oportunidade para tentar se colocar na altura de seu avô, o que obviamente não consegue.

José Serra defende militares para comandar ministério da Segurança

O pré-candidato tucano à Presidência, José Serra, afirmou na sexta-feira que colocará militares reformados para comandar o ministério da Segurança se for eleito. "Criarei um ministério da Segurança com gente especializada. Aí você põe como ministro um coronel da PM reformado, um general do exército reformado, um policial federal experiente. A gente tem vários bons exemplos no Brasil", disse ele. Serra voltou a criticar o governo federal pela atuação na área de segurança pública. "Tráfico de drogas e contrabando de armas é de responsabilidade federal. Mas o governo federal não mergulha nisso como deveria. O governo deveria compartilhar com os Estados as responsabilidades", atacou.

Presidente do Uruguai diz que seu único patrimônio é um fusca 1987

Um velho Fusca 1987 é o único patrimônio declarado pelo presidente do Uruguai, José Mujica, um ex-guerrilheiro tupamaro que gosta de exibir o estilo desalinhado e austero, e também se exibe como o mandatário mais pobre da América Latina. O único bem que Mujica, de 75 anos, tem em seu nome é o carro da marca Volkswagen avaliado em 37.500 pesos (cerca de R$ 3.500,00), segundo declaração apresentada em 31 de maio na Junta de Transparência e Ética Pública, publicada no Diário Oficial. "Pepe" Mujica declarou como única renda o salário de presidente, de quase 230.000 pesos (cerca de R$ 21 mil), dos quais destina quase 70% como aporte a seu partido, a Frente Ampla, e a um fundo para um plano de moradia que ele impulsiona. Desconfie de gente que gosta de exibir a sua pobreza.

Lula sanciona projeto do Ficha Limpa sem vetos

O presidente bolivariano Lula sancionou na sexta-feira o projeto Ficha Limpa sem vetos. A nova lei impede a candidatura de políticos condenados por um colegiado (mais de um juiz, e isto só ocorre em caso de recurso de uma condenação, ou no caso de gente com privilégio legal). A Advocacia-Geral da Uniãotiha encaminhado a Lula parecer que recomendava a sanção do projeto. O Ficha Limpa, um projeto quase inócuo, é a primeira tentativa de "democracia direta" exercida pela rede petista na internet, que tem em seu comando o empresário petista Francisco Whiteaker e também o jornalista Claudio Weber Abramo, que comanda a organização petista Transparência Brasil. Claudio Weber Abramo faz parte do maior clã petista do Brasil, a família Abramo. Um tio seu, o também jornalista Perseu Abramo, foi o fundador da fundação petista Perseu Abramo.

Obama critica plano da BP de pagar dividendos a acionistas

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, criticou duramente na sexta-feira a petrolífera BP pelos seus planos de pagar dividendos de US$ 10,5 bilhões a acionistas da empresa. Obama fez o comentário durante sua terceira visita à costa da Louisiana, uma das principais regiões afetadas pelo vazamento de óleo que teve início no golfo do México no dia 20 de abril. "Pelo que entendo, a BP pagou US$ 50 milhões em propaganda na TV para gerenciar sua imagem durante o período do desastre", disse Obama. "Além disso, há relatos que a empresa irá pagar US$ 10,5 bilhões - isto é bilhão com "B" - em dividendos neste trimestre. A BP tem uma obrigação moral e legal aqui no golfo pelos danos causados", completou ele.

Testes confirmam presença de colunas de óleo submersas no golfo do México

Testes de laboratório confirmaram que o óleo que jorra no golfo do México acumulou-se em pelo menos duas grandes colunas a grandes profundidades. A avaliação foi divulgada na sexta-feira por cientistas da Universidade do Sul da Flórida. Os testes são a prova mais concreta até o momento para a presença de óleo sob a superfície (normalmente, o petróleo emerge e fica na superfície). O resultado também ajuda a explicar onde todo o óleo vazado está indo parar. Especialistas afirmam que colunas grossas de óleo podem matar peixes adultos e seus ovos ao expô-los a grandes concentrações de toxinas. Os dispersantes, utilizados para quebrar o óleo na superfície e fazê-lo afundar, também aumentam o potencial para que pequenas criaturas marinhas sejam envenenadas.

Procuradora critica mudança no Ficha Limpa que impede TCU de vetar nome

A procuradora regional eleitoral no Rio de Janeiro, Silvana Batini, considerou um "absoluto retrocesso" a mudança feita pelo Congresso Nacional no projeto original do Ficha Limpa que pode facilitar a candidatura de pessoas condenadas pelo Tribunal de Contas da União por irregularidade na gestão do dinheiro público. Com a alteração, o Ministério Público não poderá mais pedir a impugnação das candidaturas apenas com base na lista de condenados pelo tribunal. Para isso, terá de haver condenação judicial, o que pode levar anos. Segundo a procuradora, nas últimas eleições, aproximadamente 80% dos registros indeferidos no Estado tiveram como motivação a rejeição das contas do candidato por tribunais de contas.

Petistas do Maranhão dizem que não aceitam aproximação com Roseana Sarney

A ala do PT do Maranhão contrária à aliança com a governadora Roseana Sarney (PMDB) diz que não irá respeitar a decisão do diretório nacional, caso seja aprovada a coligação com o PMDB no Estado. "Vamos desobedecer", disse o secretário de organização do PT-MA, Bira do Pindaré, pré-candidato ao Senado. "Jamais vamos nos unir ao grupo do senador José Sarney (PMDB-AP)", disse ele. As coligações do PT no Maranhão serão discutidas na reunião do diretório nacional do partido, marcada para a próxima sexta-feira, em Brasília. A governadora Roseana Sarney, pré-candidata à reeleição e aliada do presidente Lula, pressiona o PT nacional para ter o apoio do partido no Estado. A decisão de levar a discussão sobre as alianças estaduais para o diretório nacional pode ser vista como uma intervenção no Estado. No encontro estadual do PT-MA, realizado em março, foi aprovada, por 87 a 85 votos, a aliança com o PCdoB, cujo pré-candidato ao governo é o deputado federal Flávio Dino. Para Bira do Pindaré, o resultado do encontro foi legítimo e não houve irregularidades no processo.

Em ato de apoio a Dilma, PSDB é acusado de tentar vender Petrobras

No ato que a FUP (Federação Única dos Petroleiros, satélite do PT) declarou abertamente apoio à eleição de Dilma Rousseff (PT), na tarde de sexta-feira, os tucanos foram alvos da acusação de que pretendiam vender a Petrobras. Embora a legislação eleitoral proíba campanha eleitoral antes de 6 de julho, os diretores da federação não mediram palavras no apoio a Dilma e na crítica aos tucanos. "Não estamos dando ou emprestando palanque à companheira Dilma. A companheira conquistou na luta esse palanque", discursou Aldemir Caetano, dirigente da FUP a uma platéia de cerca de 100 sindicalistas. No evento, que ocorreu em um hotel de Brasília, Dilma insinuou que o governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) pretendia vender a Petrobras. Ela citou viagem que fez à Argentina em que teria ouvido que a estatal petrolífera vendida por lá arrecadou US$ 16 bilhões, o mesmo tanto que o Brasil receberia pela venda da sua. Dilma também afirmou que a tentativa de trocar o nome da Petrobras para "Petrobrax", no governo anterior, seria o mesmo que trocar o nome do Brasil para "Brazil".

Compra de jornais independentes gera temor de censura em Angola

Um novo protagonista na mídia de Angola anunciou na sexta-feira a compra de três dos jornais mais independentes de Angola, suscitando temores com a censura no país africano. Acredita-se que o comprador tenha fortes laços com o governo angolano. O grupo Media Investments, cujos proprietários são desconhecidos, informou em um comunicado que comprou o "Semanário Angolense", "A Capital" e 40% das ações do "Novo Jornal". Todos os periódicos ficaram conhecidos por denunciar a corrupção no governo comunista que domina Angola desde a independência de Portgual. A iniciativa ocorre no momento em que o "Semanário Angolense", o mais crítico dos três jornais com relação ao governo, intensificou suas reportagens sobre a corrupção envolvendo as principais autoridades governamentais. Manuel Vicente, presidente da empresa estatal de petróleo Sonangol, era alvo frequente do jornal, que o acusou de usar dinheiro da empresa em benefício próprio. A ditadura angolana, apoiada pela diplomacia bolivariana de Lula, controla dois canais nacionais de televisão, uma rádio e o único jornal diário.vAngola é governada há três décadas pelo ditador José Eduardo dos Santos, que deve se manter no poder depois de uma eleição geral em 2012. Triste destino do povo de Angola, ter saído do domínio português para cair nas mãos de um ditador.

Bolas de piche chegam à costa da Flórida

Bolas de piche apareceram em praias no noroeste da Flórida na sexta-feira. É o primeiro impacto do vazamento de óleo do golfo do México nesse Estado americano. As bolas de piche avistadas em Pensacola variavam de tamanho de botões a bolas de pingue-pongue. O óleo desembocou na praia de Pensacola, parte de um grupo de praias que se autodenomina "as mais brancas do mundo". O Estado da Flórida, com um indústria turística que gira US$ 60 bilhões anualmente, está se preparando para a chegada do óleo, que já atingiu as costas da Louisiana, Mississippi e Alabama. O turismo emprega quase 1 milhão de habitantes e representa 21% dos impostos de vendas recolhidas no Estado. Cercas de 80 milhões de pessoas visitam a Flórida anualmente.

Tennessee aprova lei que exige aos empregados falarem inglês no trabalho

Os defensores dos imigrantes criticaram na sexta-feira a aprovação no estado americano do Tennessee de uma lei que permite às empresas exigir que seus empregados falem apenas inglês. O Senado desse estado aprovou na quinta-feira uma lei que especifica a necessidade de utilizar o inglês por razões de "segurança e rendimento" e requer que os empregadores notifiquem seus empregados sobre as consequências de não cumprir com a política. Os defensores argumentam que a disposição é uma medida de "proteção" para as empresas em casos de processos. Durante as últimas semanas, os legisladores do Tennessee aprovaram medidas e resoluções prejudiciais para os imigrantes "ilegais". O Arizona tornou-se em 23 de abril o primeiro estado americano a tornar a imigração ilegal um crime. A lei polêmica que pode afetar quase meio milhão de imigrantes que vivem ilegalmente nesse Estado, na fronteira dos Estados Unidos com o México.

Mais uma agência de risco rebaixa nota da BP por causa do vazamento

A agência de classificação financeira Standard & Poor's rebaixou na sexta-feira de "AA" para "AA-" a nota de longo prazo do grupo de petróleo britânico BP devido aos gastos que a empresa enfrenta pelos danos causados com o vazamento de petróleo no Golfo do México. "A degradação da nota da BP reflete nossa opinião sobre os importantes desafios operacionais que o gigante britânico arca para frear ou conter o derramamento de seus poços no Golfo do México", explicou Simon Redmond, analista de crédito da Standard & Poor's.

Maré negra atinge santuário de pelicanos na Louisiana

Um santuário de pelicanos na Louisiana, sul dos Estados Unidos, foi afetado pela maré negra que cobriu de petróleo 60 aves, entre as quais mais de 40 pelicanos. Em um comunicado, o centro encarregado da luta contra a maré negra do golfo do México anunciou que a ilhota Queen Bess Island, situada na baía de Barataria, havia sido atingida pela mancha, "empurrada por fontes ventos". "Sessenta pássaros, dos quais 41 pelicanos, ficaram cobertos de petróleo", informou o centro. É a primeira vez que tantos pássaros são afetados simultaneamente desde a explosão da plataforma Deepwater Horizon, em 20 de abril, no golfo do México. As aves foram enviadas a um centro de auxílio na localidade de Fort Jackson para serem limpas. No entanto, a experiência demonstra que muitos animais morrem durante a viagem e que têm entre 50% e 70% de chances de sobreviver depois da retirada do petróleo do corpo. A colônia de Bess Island tem um valor sentimental para a Louisiana, pois o pelicano foi reintroduzido neste local em 1968, depois de ter desaparecido, por causa de inseticidas.

Petista Dilma Rousseff diz que não produziu "dossiê" e que acusação é "ignomínia"

A petista Dilma Rousseff classificou na tarde de sexta-feira de "falsidade e ignomínia" a acusação de que tenha produzido ou encomendado um dossiê contra José Serra (PSDB). Ela afirmou ainda que o PT tomou a atitude certa ao decidir interpelar judicialmente o seu adversário. "Essa acusação representa uma falsidade e uma ignomínia. Tais documentos, se existem, não foram produzidos por nós. Tenho certeza de que a verdade vai aparecer. Estou sendo claramente injustiçada", disse ela, na entrada de encontro em que receberia apoio da FUP (Federação Única dos Petroleiros), sindicato ligado à CUT (Central Única dos Trabalhadores, petista).