segunda-feira, 10 de maio de 2010

Exército colombiano mata tres terroristas das Farc e prende outros 17

Tropas do Exército colombiano reportaram a morte de três terroristas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc, organização terrorista e traficante de cocaína) neste domingo, além da captura de outros 17, em operações realizadas em duas regiões do país. Segundo uma nota de imprensa divulgada pela 9ª Brigada do Exército, soldados mataram, perto de Neiva, no sul do país, três terroristas das Farc, entre eles o conhecido como "Jorge", terceiro líder da quadrilha Angelino Godoy. De acordo com o comunicado das autoridades colombianas, Jorge é responsável pelo assassinato de pelo menos 10 pessoas e pelo sequestro de outras 15. Além disso, é acusado de ter participado nos últimos dois anos de três atentados terroristas contra oficiais da polícia em Neiva, capital do departamento de El Huila. Na mesma operação, outros 17 terroristas das Farc foram capturados, entre eles o irmão do conhecido como Mincho, comandante da frente 30 da organização terrorista e traficante de cocaína. Segundo a rádio Caracol, entre os detidos há dez homens e quatro mulheres, dois dos quais asseguraram ser representantes de duas ONGs.

Gabinete de Segurança da Presidência viola sigilos de oficiais do Exército

O jornalista Claudio Humberto (www.claudiohumberto.com.br) revela na sua coluna desta segunda-feira violações de sigilos fiscais promovidas pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, sobre seis oficiais do Exército, aí incluídos três generais da ativa, que criticaram o governo Lula ou seriam indicados para o exercício de cargos. Diz a matéria de Claudio Humberto: "O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência fez a Receita Federal quebrar o sigilo fiscal de seis oficiais do Exército (três generais da ativa) que criticaram o governo Lula ou seriam indicados a cargos. 'Nada consta', informou a Receita sobre todos eles. A ordem do Gabinete de Segurança Institucional chegou ao Ministério da Fazenda pelo sistema “Note”, de comunicação entre ministros, às 15h37 de 18 de janeiro. O pedido foi enviado à Receita às 13h08 de 23 de janeiro. A coluna tentou, mas GSI, Receita e Fazenda se recusaram a comentar a informação. Na lista do GSI estava o general Maynard Santa Rosa, que era o chefe de Pessoal do Exército e fez críticas à “Comissão da Verdade”. Outras vítimas - Raymundo Cerqueira Filho, hoje no Superior Tribunal Militar, critico de gays na tropa, e Francisco Albuquerque, ex-comandante do Exército no atual governo, também foram vítimas de quebra de sigilo fiscal. Teve também a vida fiscal devassada o general Marius Luiz Carvalho Teixeira Neto, atual comandante Logístico do Exército. Também foram alvos da GSI os coronéis Cid Canuzzo Ferreira, morto em dezembro durante um assalto no Rio de Janeiro, e Carlos Alberto Brilhante Ustra, acusado de suposta tortura a presos políticos, e autor do livro 'A Verdade Sufocada'.

Delegado João Paulo Martins deixará a chefia da Polícia Civil do Rio Grande do Sul

O delegado João Paulo Martins confirmou neste domingo que vai sair da chefia da Polícia Civil do Rio Grande do Sul. O pedido deve ser publicado no Diário Oficial nesta segunda-feira. Há mais de um mês Videversus avisou que João Paulo Martins era um ex-chefe de Polícia, a partir do momento em que vacilou e deu razão ao Ministério Público, quando promotores lançaram pesadas suspeitas sobre a investigação da polícia civil no assassinato do médico Eliseu Santos, secretário de Saúde da Prefeitura de Porto Alegre. O delegado João Paulo Martins, que havia sido o corregedor geral da polícia gaúcha, antes de assumir a chefia, talvez com o cacoete da antiga função, reagiu dizendo que talvez fosse o caso de abrir uma investigação sobre as suspeitas lançadas pelo Ministério Público sobre um investigador que atuou no caso Eliseu Santos. A reação de quase todos os delegados, inclusive de todos os superintendentes da Polícia Civil, foi a convocação de uma coletiva de imprensa, na qual todos estiveram presentes, e na qual os delegados deram uma dura resposta aos promotores que insistem na versão de que o crime foi uma encomenda de assassinato. Esta versão interessa politicamente ao PT e ao seu candidato ao governo do Estado, o peremptório Tarso Genro (aquele que era chefe da Polícia Federal, e chefe de Tuma Junior, e não sabia nada sobre a ligação de seu chefiado com a máfia chinesa de São Paulo). Agora o delegado João Carlos Martins, que assumiu a chefia da Polícia Civil no dia 30 de janeiro de 2009, confirmou que vai se aposentar. Enquanto isso, ele sai de férias e não retorna mais para a função. Como se não fosse suficiente as atitudes vacilantes dele no caso Eliseu Santos, abandonando sua corporação e dando apoio à versão do Ministério Público, João Carlos Martins ainda se prestou ao ridículo de ter sua pistola, uma arma Taurus calibre 40, roubada de dentro do seu carro oficial, quando o mesmo foi enviado para ser lavado em oficina da própria polícia. O subchefe de Polícia, delegado Álvaro Steigleder, um profissional experiente e competente, assumirá a função interinamente até que a governadora Yeda Crusius anuncie o nome do novo comandante da Polícia Civil.

Ministério Público apura fraude milionária no Instituto Militar de Engenharia

O Ministério Público Militar e o Exército investigam um cartel montado por militares e ex-militares dentro do Instituto Militar de Engenharia. O objeivo da fraude era ganhar licitações para a prestação de serviços de consultoria em obras financiadas pelo governo federal. O esquema funcionou principalmente entre 2004 e 2006, dirigido por um coronel e envolvendo outros oficiais do Exército. A descoberta da irregularidade ocorreu só em janeiro de 2010, quando começou a investigação. Doze empresas estariam envolvidas. Entre os sócios estão parentes de oficiais e laranjas que receberam R$ 15 milhões por consultorias técnicas em obras em rodovias como a BR-101. Um dos grandes meios de roubalheiros na construção de estradas no Brasil está nas chamadas auditorias, contratadas para que fiscalizem as obras. É óbvio que essas auditorias, que liberam pagamentos, são no mínimo contestáveis.

Justiça penaliza deputada que ingressou com ação popular

Após ter ação popular de sua autoria julgada improcedente pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, a ex-deputada Iara Bernardi (PT) foi condenada a pagar R$ 4 milhões em honorários advocatícios. Ela ingressou com ação em 2004 para que a Fundação Dom Aguirre (ligada à Igreja Católica), em razão de cobrar mensalidades dos alunos, devolvesse ao Município os bens públicos (prédio e móveis) que lhe foram doados desde a década de 1950 para criação das faculdades de Filosofia, Ciências e Letras, cujo ensino era gratuito. Se a moda pega, o cidadão não poderá mais mover ação popular para proteger o erário contra atos lesivos, principalmente em causas cujo valor é alto, o que torna inviável o instrumento democrático criado pela Constituição de 1988.

Lula diz que não há chance do PT perder eleições

Em entrevista ao jornal espanhol "El Pais", o presidente bolivariano Lula disse que "não vê possibilidade" de o PT não ganhar as eleições presidenciais, em outubro. "Ganhe quem ganhar, ninguém fará nenhum absurdo. O povo quer seguir caminhando, e não retroceder. No entanto, não vejo a possibilidade de perdemos as eleições", disse ele. Na entrevista, Lula destacou ainda a "coragem" de seu governo para enfrentar a crise econômica, "fazendo investimentos em setores-chaves da economia". "Se o Brasil mantiver, nos próximos cinco anos, a seriedade nas políticas fiscal e monetária, nas inversões e no controle da inflação, tem tudo para se transformar em uma potência respeitada", afirmou o bravateiro presidente Lula.

Ditador Chávez culpa "burguesia" por problemas econômicos na Venezuela

O ditador venezuelano, Hugo Chávez, culpou especuladores "burgueses" pela inflação galopante em seu país e pelo bolívar estar cada vez mais fraco, e prometeu uma "ação forte" nos próximos dias para controlar a economia do país. "Precisamos parar com isso agora. A burguesia não ouve os apelos de sua consciência. Vamos agir com mão firme", disse o socialista bolivariano em uma reunião de gabinete transmitida pela TV.

Mesmo com suspensão da Justiça, PT volta a promover Dilma em novas propagandas

As duas novas inserções do PT, que substituíram as propagandas suspensas pelo Tribunal Superior Eleitoral, voltaram a promover a pré-candidata do partido à Presidência, Dilma Rousseff. Exibidas no sábado, as propagandas seguiram a estratégia de fixar Dilma como candidata e de comparar o governo Lula ao de Fernando Henrique Cardoso ao repetir o slogan "o Brasil não pode voltar ao passado". "O governo Lula já criou mais de 12 milhões de emprego. Quem você acha que pode aumentar mais rápido esse número? Uma pessoa que tem a mesma visão de Lula ou uma pessoa que fez parte de um dos governos que menos criou emprego no Brasil", afirma um ator em uma das inserções. As inserções do PT voltarão a ser exibidas nesta terça-feira. Na sexta-feira, o ministro Aldir Passarinho Junior, do Tribunal Superior Eleitoral, suspendeu a pedido do PSDB a veiculação de dois comerciais do PT exibidos na quinta-feira. O ministro, no entanto, permitiu ao partido a substituição das peças. Na decisão liminar, Passarinho lembrou que as novas inserções não poderiam fazer propaganda de candidatos.

Crise promove retirada em massa de investimentos do País

A crise da Europa está promovendo uma enorme revoada de recursos da bolsa brasileira. As incertezas dos últimos dias já fizeram estragos no País. Os estrangeiros tiraram quase R$ 900 milhões da Bolsa de Valores de São Paulo nos três primeiros dias úteis de maio. A média diária de saída (próxima a R$ 300 milhões) supera até mesmo a do pior momento da crise global. Em outubro de 2008, deixaram a Bolsa R$ 4,7 bilhões, valor recorde dos últimos anos. Na média diária, eram R$ 213 milhões. No mercado futuro de câmbio, os estrangeiros passaram a apostar na desvalorização do real. Até o início da semana passada, esses investidores tinham uma posição de US$ 2,6 bilhões a favor da moeda brasileira. Terça-feira, inverteram-na rapidamente. Agora, a posição está em US$ 2,5 bilhões pró-alta do dólar. Essa é uma das razões que explicam o ganho de 6,45% da moeda norte-americana nos cinco primeiros dias úteis de maio. Outra evidência de que o sinal amarelo acendeu foi o recuo da Odebrecht, na sexta-feira, em uma emissão internacional. A empresa pretendia captar US$ 200 milhões no Exterior. Um grande banco de atacado adiou três operações de abertura de capital (IPO) por causa da piora dos mercados globais. O cenário nebuloso põe em risco até mesmo a megacapitalização da Petrobrás, prevista para os próximos meses.

Polícia Federal diz que Tuma Jr. tentou relaxar apreensão de dólares

Suspeito de manter ligação com chefe da máfia chinesa em São Paulo, o secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, foi gravado pela Polícia Federal tentando evitar um flagrante no aeroporto de Guarulhos que levou à detenção de sete pessoas e à apreensão de US$ 160 mil. Os dólares seriam levados ilegalmente para Dubai. Conversas interceptadas com autorização da Justiça revelam que Tuma Júnior foi acionado horas depois de agentes da Polícia Federal descobrirem, em 28 de junho do ano passado, os dólares na bagagem de familiares da deputada estadual Haifa Madi (PDT). A tentativa de Tuma Júnior de evitar o flagrante apareceu na investigação graças à interceptação do telefone de seu braço direito no Ministério da Justiça, o policial Paulo Guilherme Mello. O assessor foi destacado pelo secretário para solucionar o problema. O secretário e o policial foram acionados por um escritório de advocacia. Tuma Júnior afirma, no diálogo, ter sido procurado tardiamente. O “pedido de socorro”, de acordo com a Polícia Federal, foi feito por Francisco Teocharis Papaiordanou Júnior, amigo do secretário e conselheiro do Corinthians.