domingo, 2 de maio de 2010

Grêmio é campeão no Estádio Olímpico

O Grêmio se tornou gaúcho de futebol neste domingo, no Estádio Olímpico, ao perder para o Internacional por apenas 1 a 0, em uma partida na qual dominou o adversário no segundo tempo. Quase no fim da partida, o Internacional, já desequilibrado em campo, teve expulso o jogador Tyson, que deu uma entrada criminosa no atacante tricolor Jonas.

Dilma Rousseff refaz a fisionomia em segredo

Nas últimas semanas, a candidata neopetista Dilma Rousseff cumpriu uma agenda secreta. Ela se submeteu a um tratamento de correção da arcada. Os ajustes ainda não acabaram, mas as mudanças já são visíveis, com os dentes mais alinhados e o espaço entre os incisivos preenchido. A campanha de Dilma já fez pesquisas com o "antes" e o "depois" e constatou que o novo sorriso ajudou a minimizar um certo ar de antipatia que ela projetava. Foi a terceira intervenção cosmética a que ela se submeteu desde que Lula a fez candidata. Primeiro, os óculos foram trocados por lentes de contato; depois, veio a cirurgia plástica.

Sociólogo fracês Alain Touraine diz que José Serra é continuidade

O sociólogo francês Alain Touraine, diretor de estudos da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais de Paris, foi professor do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e conhece Lula há bastante tempo, a ponto de ter atuado para que a transição de poder entre os dois se desse da maneira como ocorreu, que ele classifica de “generosa” por parte de Fernando Henrique. O sucesso do País, inclusive no campo internacional, Touraine atribui justamente a uma continuidade de projeto político, já que, numa análise mais aprofundada, ele está convencido, não é de hoje, de que os períodos de Fernando Henrique Cardoso e de Lula são parte de um mesmo projeto. Em Córdoba, onde participou da Conferência da Academia da Latinidade, Touraine disse que o Brasil está encontrando uma maturidade como nação, com um mercado interno forte e elementos de economia avançada. O consenso entre as forças políticas sobre a necessidade de combinar políticas realistas na economia e preocupação com a melhoria social tem prevalecido nesses últimos 15 anos, e a isso o professor francês atribui a continuidade dos avanços.

Fifa dá ultimato ao Brasil e diz que Inglaterra é o plano B para 2014

Em 80 oitenta anos de Copa do Mundo, 16 países já sediaram o evento. Apenas quatro experimentaram a oportunidade de fazê-lo de novo. Em outubro de 2007, o Brasil foi escolhido como o quinto país a ter o privilégio de receber pela segunda vez o maior espetáculo esportivo do mundo. Em dois anos e meio de preparação, porém, o que deveria ser motivo de euforia aos poucos vai se transformando numa fonte crescente de preocupação. A quatro anos do início do campeonato, a única realização concreta até hoje foi a escolha das doze cidades-sede, e nem isso ainda está devidamente definido. As obras de infraestrutura não começaram e os estádios só existem nas maquetes. Pelo cronograma imposto pela Fifa, as arenas já deveriam estar sendo erguidas desde janeiro passado. Como nenhum tijolo foi movido, prorrogou-se o prazo para março. Mas, de novo, nada aconteceu. O derradeiro "limite", também não levado a sério pelos organizadores, termina nesta semana. A Fifa, preocupada, enviou um alerta ao governo sobre a existência de um plano de contingência. Se o Brasil continuar descumprindo as metas e os prazos estabelecidos pela entidade, a Inglaterra já estará pronta e preparada para receber a Copa de 2014.

Evo Morales nacionaliza empresas de eletricidade na Bolívia

O presidente boliviano, o indio cocaleiro trotskista Evo Morales, nacionalizou no sábado cinco empresas de eletricidade, dirigidas por consórcios privados da França, Grã-Bretanha, Espanha e Bolívia, informou o presidente da estatal ENDE (Empresa Nacional de Eletrificação), Roberto Peredo. Explicou que as empresas nacionalizadas são a Corani, controlada pelo Inversiones Econergy Bolivia SA (subsidiária da francesa GDF Suez), Guaracachi, nas mãos da britânica Ruelec PLC, e Valle Hermoso, controlada pelo consórcio boliviano Bolivian Generating Group. Também foram nacionalizadas a TDE (Transportadora de Eletricidade), que forma parte da Rede Elétrica Internacional (companhia filial do Grupo Rede Elétrica da Espanha) e a Empresa de Luz e Força Elétrica de Cochabamba, propriedade do sindicato de trabalhadores. "Estivemos toda a manhã neste processo de recuperação, conquistamos as centrais térmicas de Guaracachi, Valle Hermoso, Carrasco, além de outras pequenas, e não poderia ser de outra maneira em Corani", afirmou Peredo, durante uma cerimônia pública realizada na central elétrica de Corani, na região de Cochabamba.

Odebrecht explorará petróleo na Venezuela

Responsável pelas maiores obras de infraestrutura do governo Hugo Chávez, a Odebrecht se prepara para fixar presença no coração da economia venezuelana: o petróleo. A brasileira e a estatal PDVSA assinaram acordo para formar empresa mista que explorará quatro campos maduros no Estado de Zulia (noroeste). O acerto foi fechado durante a visita de Chávez a Brasília. Na futura empresa, cuja criação tem de ser aprovada pela Assembléia Nacional venezuelana, uma filial da PDVSA terá 60% e o restante será da parte brasileira. Segundo o Ministério de Energia da Venezuela, serão investidos US$ 149 milhões nos próximos 25 anos para extrair 16 mil barris de petróleo por dia. Para ter acesso às reservas venezuelanas, o grupo brasileiro pagará um bônus de US$ 50 milhões à PDVSA.

Goldman nomeia quercistas e sela aliança PSDB-PMDB em São Paulo

O PSDB oficializou no sábado o ingresso de dois aliados de Orestes Quércia (PMDB) no primeiro escalão do Palácio dos Bandeirantes. A cota peemedebista no secretariado do governador Alberto Goldman (PSDB) será preenchida pelo empresário Luiz Carlos Delben Leite, nomeado para a pasta de Assistência e Desenvolvimento Social, e pelo ex-ministro e ex-deputado Almino Affonso, indicado para a Secretaria de Relações Institucionais. Delben Leite é economista e chegou a presidir o BNDES entre março e agosto de 1993, no governo de Itamar Franco. Almino foi vice-governador na gestão de Quércia (1987-90). Goldman promoveu ainda as efetivações dos secretários adjuntos Marcos Monteiro (Gestão Pública), José Benedito Fernandes (Esportes, Turismo e Lazer), Luciano Almeida (Desenvolvimento) e Ricardo Dias Leme (Justiça e Cidadania).

Polícia Federal aponta fraude na Petrobras que provoca rombo de R$ 1,4 bilhão

Ao menos cinco grandes obras da Petrobras licitadas no governo Lula foram alvo de acordos e manobras clandestinas de empreiteiras que resultaram em um custo adicional de R$ 1,4 bilhão para a estatal. O superfaturamento foi constatado por peritos da Polícia Federal a partir de documentos apreendidos em cinco operações desde 2008. Técnicos da Polícia Federal descobriram que construtoras participaram indiretamente da elaboração dos editais, de maneira a restringir a quantidade de concorrentes, e combinaram previamente o lance vencedor dos certames. Em um dos casos, o acerto incluiu também a divisão "por fora" da execução do projeto e do sobrepreço imposto à petrolífera. Desde o início de março, o jornal Folha de S. Paulo publica uma série de reportagens a respeito de "consórcios paralelos" montados por empreiteiras em todo o País para repartir contratos públicos à margem do resultado das licitações. Em volume de recursos, os casos relacionados à Petrobras são, de longe, os maiores até agora identificados. Os valores contratados pela estatal somam R$ 5,88 bilhões. Referem-se aos seguintes empreendimentos: Unidade de Tratamento de Gás de Caraguatatuba, Unidade de Coque da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), Refinaria do Nordeste, Refinaria do Vale do Paraíba (Revap) e Unidade Termelétrica de Cubatão. Entre as empresas participantes do conluio, de acordo com os documentos da Polícia Federal, estão a Camargo Corrêa e a GDK, protagonista de um escândalo envolvendo a Petrobras e o então secretário-geral do PT, Silvio "Land Rove" Pereira, em 2005 (mensaleiro confesso, já condenado, porque fez transação penal no caso do Mensalão do PT). Ele recebeu um carro Land Rover, avaliado em R$ 73,5 mil, do dono da GDK. O episódio foi investigado na ocasião pela CPI dos Correios, que considerou a doação "um caso exemplar de tráfico de influência". A participação da construtora baiana GDK se deu na licitação da unidade de Caraguatatuba (SP). Em uma primeira disputa, realizada em 2006, a GDK havia apresentado a menor proposta, com valor de R$ 988 milhões. Mas ela não foi qualificada. Nenhuma empresa foi, levando a Petrobras a fazer nova concorrência no ano seguinte. Da segunda vez, a GDK não participou. O consórcio vencedor, composto por Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e IESA, deu um lance de R$ 1,462 bilhão, ou seja, R$ 474 milhões acima do oferecido pela GDK no ano anterior. Posteriormente, após negociação imposta pela Petrobras, o valor do contrato caiu para R$ 1,395 bilhão. A empreiteira baiana, contudo, deixou a concorrência apenas oficialmente. Por fora, de acordo com a Polícia Federal, a GDK levou 20% do empreendimento. Os peritos da polícia encontraram também, na sede da Camargo, uma proposta individual da empreiteira para a mesma licitação, com valor de R$ 1,263 bilhão, ou R$ 200 milhões a menos do que o lance vencedor. Ou seja, quando a GDK se retirou oficialmente, e a Camargo se associou às demais construtoras, a proposta vencedora aumentou consideravelmente. A Polícia Federal acredita que o valor do lance tenha sido acertado antes da formação do consórcio. Em uma análise detalhada do contrato de Caraguatatuba, os peritos identificaram superfaturamento de R$ 351 milhões, o que representa 33,65% a mais no valor total. No projeto das unidades da Repar ocorreu algo semelhante. Um consórcio liderado pela Camargo Corrêa, do qual fez parte a Promon, venceu a concorrência com lance de R$ 2,488 bilhões. Também nesse caso, a Polícia Federal encontrou uma proposta individual da Camargo, com valor de R$ 2,261 bilhões, mais uma vez, com a redução da competição, o lance vencedor aumentou. Além disso, a perícia constatou um superfaturamento na obra no valor de R$ 655 milhões. Tanto nas unidades de Caraguatatuba quanto na Repar e em outras duas obras da Petrobras (Revap e UTE de Cubatão), os peritos constataram que a CNEC Engenharia, braço da Camargo Corrêa até janeiro deste ano, foi responsável pela elaboração dos projetos básicos dessas obras constantes dos editais das licitações. Assim, de acordo com os técnicos da polícia, a Camargo Corrêa e seu grupo passaram a ter informações privilegiadas, prejudicando a competitividade dos certames. Na Revap, UTE de Cubatão e na Refinaria do Nordeste, o superfaturamento constatado pelos peritos somou R$ 405 milhões. O esquema dos "consórcios paralelos" foi identificado pela Polícia Federal, Controladoria Geral da União e Tribunal de Contas da União em diversas obras importantes do país, como os metrôs do Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza, Salvador e Porto Alegre e a BR-101. As investigações, porém, estão suspensas por determinação do Superior Tribunal de Justiça.

José Serra pede oração a evangélicos em Santa Catarina

José Serra, candidato do PSDB à Presidência, fez um discurso repleto de referências bíblicas diante de uma platéia de missionários evangélicos e foi saudado como "futuro presidente" por pastores da Assembléia de Deus, na noite deste sábado, em Camboriú (SC). "Orem, rezem a Deus, por mim no sentido de eu ter mais sabedoria para enfrentar as batalhas e as lutas que nós temos daqui por diante", discursou José Serra, aludindo a uma passagem do Velho Testamento em que o rei Salomão pede a Deus sabedoria para governar. Na discurso, o católico Serra vinculou passagens da Bíblia à sua atuação como ministro da Saúde e governador. Citando trecho do Evangelho de João, sobre Cristo ter vindo à Terra para dar "vida abundante", Serra lembrou que propôs legislação restritiva ao cigarro em São Paulo para dar "qualidade de vida" à população. José Serra falou para um auditório lotado com cerca de 10 mil pessoas, segundo pastores da Assembléia de Deus. Líderes da igreja pentecostal afirmaram que o discurso foi ouvido por 160 mil pessoas que participaram do 28º Encontro Internacional de Missões dos Gideões Missionários, espalhados em um parque de Camboriú. O palanque evangélico de Serra foi articulado pelo pastor Everaldo Pereira, presidente do PSC (Partido Social Cristão), deverá apoiar o tucano na eleição. A Assembléia de Deus é a igreja da candidata Marina Silva (PV). Pastores trataram Serra várias vezes como "futuro presidente". Durante sua oração, o pastor Cezino Cavalcante pediu que os fiéis rezassem para que o presidenciável se elegesse e conclamou o ex-governador a voltar ao encontro em 2011 como presidente. Serra respondeu com um "amém". O pastor Reuel Bernardino incentivou a ovação a Serra: "Esse povo não só ora como vota, haverá um rebuliço no País". Ao sair do ginásio, diante de uma multidão que gritava seu nome, Serra fez o V de vitória.