terça-feira, 9 de março de 2010

Dilma Rousseff admite que receberá salário do PT e diz que não pode "viver de brisa"

Candidata do PT à Presidência da República, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) confirmou nesta terça-feira que vai receber salário pago pelo partido durante a campanha eleitoral. Como Dilma Rousseff deixará o governo no começo de abril para poder ser candidata, ela disse que não pode "viver de brisa", e por isso será custeada pelo partido ao longo da campanha. Ora, isso não é verdade. Dilma Rousseff é funcionária, desde outubro de 1975, da Fundação Economia e Estatística do governo do Estado do Rio Grande do Sul. Saindo do ministério, para o qual ela está cedida pela FEE, recebendo salário da FEE (a fundação é ressarcida dos seus custos pelo governo federal), ela deveria se reapresentar para o trabalho. E poderia ser licenciada, conforme prevê a lei, no momento em que o partido oficializar a sua candidatura em convenção nacional, quando ficaria com o salário integral durante o período oficial de campanha eleitoral. "Eu vou ter que viver, eu sou obrigada a licenciar da minha atividade não só como ministra, mas da minha origem. Eu sou da fundação de economia e estatística e também não posso receber, tenho que pedir licença para tratamento de interesse. Não posso viver de brisa e não sou rica, vou ter que ter um salário do PT", afirmou ela. Sem falar em valores do seu futuro salário, estimado em R$ 10 mil, Dilma Rousseff disse que nunca recebeu dinheiro do PT anteriormente. Ela confirmou que o partido pretende manter uma tesouraria específica para gerir os recursos de sua campanha presidencial, separada da tesouraria geral da legenda (mas, como o PT registrará os gastos dela enquanto não for candidata oficialmente?). "Nós temos tido nas últimas eleições uma opção por diferenciar as duas tesourarias do partido, uma vez que ela tem mais obrigações, que é a campanha presidencial. A tendência é manter isso, a mesma coisa que ocorreu em 2006, na época da eleição do presidente Lula", afirmou a candidata neopetista.