quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Cliente de José Dirceu contradiz versão do governo sobre Eletronet

Ao contrário do que afirma o governo Lula, o "empresário" Nelson dos Santos, sócio de 25% da Eletronet, diz ter direito a receber um valor que pode passar de R$ 200 milhões independentemente de a companhia ser ou não incorporada à Telebrás, estatal de telecomunicações que deverá ser reativada com o PNBL (Plano Nacional de Banda Larga, também reconhecido como de Bandalheira Larga). A Eletronet é uma empresa em processo de falência que a União planeja recuperar para usar seu principal ativo, uma rede de 16 mil quilômetros de fibras ópticas, na oferta de internet a 68% dos domicílios até 2014. José Dirceu, deputado federal petista cassado por corrupção, e réu no processo penal do Mensalão do PT, recebeu ao menos R$ 620 mil para dar "consultoria" a Nelson dos Santos. José Dirceu nega que tenha sido sobre banda larga (bandalheira larga). O governo Lula, por meio da Advocacia-Geral da União, disse que, independentemente de a Eletronet ser usada como "espinha dorsal" do PNBL, os únicos beneficiados serão os credores. Nenhum outro grupo empresarial privado ou sócios seriam favorecidos, diz a Advocacia Geral da União. Acredite quem quiser....

Novo interino do Distrito Federal é alvo de ação por improbidade administrativa

O novo governador interino do Distrito Federal, Wilson Lima (PR), responde a processo na Justiça por improbidade administrativa. Ele e outros quatro deputados são réus em ação movida pelo Ministério Público do Distrito Federal por terem assinado ato de criação de cargos de confiança em 2008, contrariando a lei. Lima era o responsável pela área de pessoal da Câmara do Distrito Federal. Movida em outubro, a ação questiona deliberação da Mesa que recriou cargos no fundo de saúde dos deputados distritais. Quinze dias antes de os cinco distritais assinarem o documento, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal havia considerado os cargos ilegais. O Ministério Público pediu a suspensão dos direitos políticos e multa de R$ 1,2 milhão para Lima e cada um dos outros integrantes da Mesa.

Petrobras vai patrocinar a equipe Lotus na F-1

Por US$ 10 milhões, a Petrobras vai patrocinar a inglesa Lotus, que um consórcio da Malásia está trazendo de volta à Fórmula 1 depois de 15 anos fora da categoria. Além de exibir sua marca nos carros da Lotus, a Petrobras desenvolve um tipo especial de gasolina para Fórmula-1. Os carros da Lotus serão totalmente pintados de verde e amarelo. Até 2008, a Petrobras abastecia de gasolina especial a equipe Williams.

Ditador Hugo Chavez diz que Inglaterra enviou "submarino do ridículo" às Falklands

A Inglaterra já mandou para as ilhas Falkland a fragata HMS York, que conta com o apoio de quatro caças Typhoon, segundo o Ministério da Defesa do Reino Unido. Isso serviu de motivo para o ditador da Venezuela, o clown bolivariano Hugo Chavez, dar entrevista dizendo que recorrer a uma arma tão poderosa "é uma ameaça" para a Argentina. O ditador venezuelano disse que, caso se confirme que o Reino Unido enviou um submarino às ilhas Falklands, este mereceria ser chamado de "submarino do ridículo". "Dizem que mandaram um submarino, será que estão ficando loucos? — perguntou o clown bolivariano Chávez durante uma entrevista coletiva a correspondentes estrangeiros no palácio de Miraflores, sede do governo. Para ele, recorrer a uma arma tão poderosa "é uma ameaça" para a Argentina, porque envolve o potencial "uso da força militar por parte do velho e carcomido império inglês". O ditador Chávez disse que essa possível iniciativa britânica se contrapõe à decisão da Argentina de não utilizar a força militar para encarar o problema das ilhas Falklands. Em 1982, com a ditadura militar em crise, o general de fancaria Reinaldo Bignone comandou a invasão das ilhas. Foi escorraçado em pouco tempo por uma frota da Inglaterra enviada pela ex-primeira ministra Margareth Thatcher. O Brasil deu apoio discreto, permitindo que bombardeiros ingleses Vulcan utilizassem a base áerea de Canoas (RS) para reabastecimento em sua trajetória para as Falklands. A ditadura militar argentina caiu com o fracasso da guerra e a rendição de todos os militares argentinos nas ilhas. Agora, com um governo também em crise, odiada pela maioria da população argentina, a peronista populista Cristina Kirchner reativa um conflito com a Inglaterra para mobilizar os argentinos pelo nacionalismo e desviar o foco da crise de seu governo impopular. Vai ter o mesmo destino de Bignone.

Defesa de Arruda diz que ele aceita ficar afastado do governo

O governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), não pretende voltar ao governo se for libertado pelo Supremo Tribunal Federal e aceita assumir, por carta, o compromisso de ficar licenciado do poder até o fim das investigações sobre o escândalo de corrupçpão no governo de Brasília. A informação foi passada nesta quinta-feira pelo advogado de Arruda, Nélio Machado. O compromisso de se manter afastado seria uma das cartas na manga para a defesa de Arruda conseguir convencer os ministros do Supremo a conceder o habeas-corpus a favor do governador. Os advogados alegariam que Arruda, fora da cadeia, não teria como usar o cargo para atrapalhar as investigações, fato que motivou sua prisão. "Isso está decidido, ele não volta mais ao governo", afirmou Nélio Machado. O movimento de anunciar o compromisso de permanecer afastado até o fim das investigações ainda está sendo decidido, informou o advogado. Pode ocorrer durante o julgamento do habeas ou dias antes.

Suspeita de dengue hemorrágica deixa Ijuí em alerta

A cidade gaúcha de Ijuí está em alerta devido à primeira suspeita de caso de dengue hemorrágica após o surto da doença no município. Internada no Hospital Bom Pastor em fase crítica, uma idosa de 61 anos pode ter contraído a forma mais severa da doença. "Há fortes indicativos de que pode ser dengue hemorrágica, mas somente exames de sangue, que já foram encaminhados, poderão confirmar ou não a supeita", diz o médico Celso Melo. Segundo a Prefeitura Municipal de Ijuí, 20 pessoas estão internadas com sintomas da dengue no município.

General Motors anuncia fim da marca Hummer

Após o fracasso nas negociações com a empresa chinesa Tengzhong, a GM (General Motors) anunciou nesta quarta-feira que encerrará a fabricação dos veículos da marca Hummer. A GM não explicou as razões que levaram a Tengzhong a não assumir o controle da Hummer como estava previsto. O vice-presidente de Planejamento Corporativo e Alianças da GM, John Smith, disse que desde que foi decidido se desfazer da Hummer foram consideradas uma série de possibilidades, e que a montadora está "desiludida" com o fracasso no acordo com a Tengzhong. É a segunda vez que a GM fracassa na tentativa de vender uma marca. Em 2009, também tentou negociar a Saturn ao grupo norte-americano Penske, mas a operação foi cancelada no último momento. Recentemente, a GM conseguiu vender a marca sueca Saab à empresa holandesa Spyker. Também desprezada pela montadora norte-americana, a Pontiac deverá ser fechada nos próximos meses.

Comissão na Câmara do Distrito Federal vota na sexta-feira pedidos de impeachment contra Arruda

O futuro político do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), começa a ser definido nesta sexta-feira na Câmara Legislativa. A Comissão Especial se reúne para votar o relatório do deputado Chico Leite (PT) dos quatro pedidos de impeachment contra Arruda. O petista já antecipou que vai apresentar parecer favorável ao impeachment do governador afastado porque desde que surgiram as denúncias do esquema de arrecadação e pagamento de propina não surgiram fatos novos capazes de isentá-lo de participação no esquema de corrupção. Governistas reconhecem que a decisão de deixar um oposicionista na relatoria dos pedidos de impeachment de Arruda evita um desgaste de um aliado ter que fazer um parecer favorável a saída dele do cargo, deixando a responsabilidade do afastamento para o plenário. Para o processo ser aprovado, é necessário que 16 dos 24 distritais votem favoravelmente.

Banco Central eleva parcela de depósitos que bancos são obrigados a recolher

O Banco Central anunciou nesta quarta-feira um aumento na alíquota do chamado depósito compulsório para 15%. Durante a crise, para liberar mais recursos para o mercado, o banco reduziu o percentual para 13,5%. Além disso, o banco limitou a 45% o valor que os bancos poderão abater do compulsório relativo à aquisição de ativos de bancos menores. Até agora, eles poderiam abater o valor total. Com a medida haverá um recolhimento líquido ao Banco Central de mais de R$ 70 bilhoes. "O que estamos anunciando é um retorno às condições de compulsório que prevaleciam no inicio da crise", afirmou o presidente do banco, Henrique Meirelles. De acordo com nota divulgada pelo Banco Centrral, as medidas dão continuidade à reversão daquelas adotadas para o combate à crise econômica a partir de outubro de 2008. As medidas adotadas durante a crise liberaram R$ 99,8 bilhões "ajudando a mitigar a escassez de crédito e melhorar sua distribuição para bancos médios e pequenos", afirma nota do Banco Central.

Justiça do Rio mantém acusado de matar João Hélio sem proteção e no regime semiaberto

A Justiça do Rio de Janeiro decidiu nesta quarta-feira manter o bandido acusado de matar o menino João Hélio, de seis anos, em 2007, fora do PPCaam (Programa de Proteção à Criança e Adolescente Ameaçados de Morte), após quatro horas de audiência na 2ª Vara da Infância e da Juventude. O bandido será encaminhado ao Criaad (Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente) para continuar a cumprir medida socioeducativa em regime semiaberto. O mérito da decisão, porém, ainda será julgado novamente pela 4ª Câmara Criminal. De acordo com a decisão do juiz Marcius da Costa Ferreira, a Justiça não entendeu que o bandido jovem, que progrediu para o regime semiaberto no início do mês, é alvo de ameaças, e por isso decidiu mantê-lo fora do programa de proteção. Ele conseguiu o benefício há 16 dias, depois de ter sido preso pelo crime em março de 2007, quando tinha 16 anos. Não há a menor sombra de dúvida de que o Estatuto da Infância e Adolescência precisa ser alterado, e que deve ser diminuída a idade penal brasileira, para alcançar bandidos como esse. O garoto João Hélio estava com a mãe e a irmã quando o carro foi parado por criminosos, em Oswaldo Cruz (zona norte). Ele não conseguiu sair, ficou preso pelo cinto de segurança e foi arrastado por aproximadamente qiuilômetros. Além do então adolescente, outros quatro bandidos foram acusados pelo crime. Eles foram condenados em janeiro de 2008 a penas que vão de 39 a 45 anos de prisão em regime fechado. É tudo mentira. Em poucos anos os bandidos estarão na rua. Para começar, a hipocrisia do sistema brasileiro começa pelo fato de um bandido ser condenado a 39 e 45 anos, mas a Constituição proíbe que qualquer pessoa cumpra mais de 30 anos de pena.

Corregedor da Câmara do Distrito Federal pede investigação contra nove deputados

O corregedor da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Raimundo Ribeiro (PSDB), apresentou nesta quarta-feira seu parecer pedindo a abertura de investigação na Comissão de Ética contra oito deputados distritas suspeitos de participação no esquema de arrecadação e pagamento de propina que envolve o governador afastado, José Roberto Arruda (sem partido). Raimundo Ribeiro também pede que a comissão investigue o presidente interino da Câmara, Cabo Patrício (PT), acusado de beneficiar uma empresa da cidade que tem como funcionário o filho do ex-presidente da Casa, Leonardo Prudente (sem partido), assinando um projeto sobre recolhimento de lixo. Os processos seguem para a análise da Comissão de Ética, que terá que votar pela abertura dos processos por quebra de decoro parlamentar contra os parlamentares. A comissão é formada por cinco deputados e atualmente está sem dois integrantes. Se os processos forem acolhidos, serão indicados relatores para analisarem os casos. Aprovados na comissão, os pedidos de cassação serão levados ao plenário.

Ex-presos políticos e dissidentes cubanos homenageiam Zapata

Quase cem ex-presos políticos e opositores cubanos se reuniram nesta quarta-feira em uma casa no centro de Havana para dar o último adeus ao preso político Orlando Zapata, morto na terça-feira depois de mais de dois meses de greve de fome na prisão. "Quero com minha presença homenagear o irmão falecido. Não poderemos ir a Banes (povoado onde Zapata será enterrado), mas meu coração está com ele", afirmou Niurkis Rivera, um dos participantes do "funeral simbólico" realizado na casa de Laura Pollán, líder do grupo Damas de Branco. "Como mulher, mãe e esposa culpo os irmãos facínoras e genocidas Castro pela morte de Zapata", disse Niurkis Rivera. Carmelo Díaz, um dos 75 dissidentes condenados em 2003 a penas de até 28 anos de prisão, disse que a ditadura cubana "praticamente deixou Zapata morrer, num ato atroz para castigar a sociedade civil". Zapata, de 42 anos, considerado "prisioneiro de consciência" pela Anistia Internacional, morreu em um hospital de Havana em decorrência de uma greve de fome iniciada em dezembro último, para protestar contra as suas condições carcerárias. O dissidente, que morreu no hospital Hermanos Ameijeiras, da capital, para onde foi levado às pressas, na noite de segunda-feira, procedente do hospital do presídio Combinado del Este, foi seputado nesta quarta-feira em Banes, a 850 quilômetros a nordeste de Havana.

Ministros do STJ rejeitam mudança em lei Maria da Penha

O Superior Tribunal de Justiça decidiu nesta quarta-feira não alterar a lei Maria da Penha, que instituiu penas específicas para quem agride mulheres, e manteve, por maioria, a necessidade de representação por parte das vítimas de lesões corporais leves, configuradas como violência doméstica, para dar início a uma ação penal contra o agressor. A decisão da Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça foi contra o entendimento do relator do processo, ministro Napoleão Nunes Maia Filho, que assim como o Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios, autor do recurso, considera que a ação penal nestes casos de violência deve independer da vontade da vítima. O relator destacou que, em alguns casos, é conveniente que a vítima tenha a oportunidade de optar pela representação para proteger sua intimidade, mas isso deve independer da gravidade do delito. "Por vezes, isso se dá para proteger a intimidade da vítima em casos que a publicidade do fato delituoso, eventualmente, pode gerar danos morais, sociais e psicológicos. É o que se verifica nos crimes contra os costumes. Assim, não há qualquer incongruência em alterar a natureza da ação nos casos de lesão corporal leve para incondicionada enquanto se mantêm os crimes contra os costumes no rol dos que estão condicionados à representação", afirmou. A questão foi apreciada pela Corte devido aos inúmeros recursos que chegam ao STJ sobre esse ponto da lei. O Ministério Público pedia a alteração na legislação para, entre outras coisas, evitar que a vítima renunciasse à representação caso fosse intimidada, dando ao Estado o direito de manter o processo.

Ministro do Supremo acata pedido e adia julgamento de habeas corpus de Arruda

Atendendo a um pedido da defesa, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu nesta quarta-feira o julgamento do pedido de liberdade do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido). Não há previsão de quando o caso será levado ao plenário da Suprema Corte. O adiamento foi solicitado na tarde desta quarta-feira pelo advogado Nélio Machado. O julgamento estava previsto para a sessão desta quinta-feira. Segundo Machado, ele precisou adicionar novos argumentos no habeas corpus porque só agora teve acesso às notas taquigráficas da sessão do Superior Tribunal de Justiça que determinou a prisão de Arruda. "Com as notas taquigráficas, eu pude atacar o teor do que foi decidido", afirmou. Machado defende ainda que Arruda seja ouvido pelo Superior Tribunal de Justiça sobre a suposta tentativa de suborno do jornalista Edson dos Santos, o Sombra, antes da análise do pedido de habeas corpus.

Presidente da OAB defende auditoria externa no governo do Distrito Federal

O presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, disse nesta quarta-feira que o governador interino do Distrito Federal, Wilson Lima (PR), deve fazer uma auditoria externa nas contas do governo caso queira a governabilidade. "A legitimidade desse governo está condicionada a uma prestação de contas à sociedade por meio de uma rigorosa auditoria externa. A auditoria é condição básica para se construir hoje a governabilidade na capital da República", afirmou ele, agindo como um promotor, vontade que não manifesta na mesma intensidade quanto ao megaescândalo da Telebras, envolvendo o mensaleiro José Dirceu, o presidente Lula e o governo petista. Sobre a continuidade das obras iniciadas pelo governador afastado José Roberto Arruda (sem partido), Ophir afirmou que é importante fazer uma análise de custos: "Daí, a importância de uma auditoria neste momento para que a sociedade tenha conhecimento do que está pagando".

Brasil alcança 7,6 milhões de domicílios com TV por assinatura

Foram vendidos 149,9 mil novos pacotes de TV por assinatura em janeiro, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Dessa forma, o Brasil chegou a 7,6 domicílios com o serviço. É um incremento de 2% em relação à base de assinantes de dezembro de 2009, maior percentual verificado desde 2006 para o mês de janeiro. Levando em conta o número médio de 3,3 pessoas por domicílio, considerado pelo IBGE, são 25,2 milhões de brasileiros com acesso à TV paga. Do total de assinaturas, 4,4 milhões são prestadas por meio de sinais enviados via cabo (TVC), o que representa 57,9% do mercado. Em seguida vem a tecnologia via satélite (DTH), que atende 2,8 milhões de assinantes. Por último, está a transmissão de sinais por micro-ondas (MMDS), que atende a 353,7 mil domicílios. A região Norte apresentou nos últimos 12 meses crescimento de 33,94% do número de assinaturas de TV paga. No Nordeste, o crescimento foi de 24,9%. A região Sudeste vem em terceiro lugar, com incremento de 20,1% nos últimos 12 meses.

Marco Maciel assume comando do DEM-DF com desafio de reorganizar o partido

Nomeado interventor do DEM no diretório do partido no Distrito Federal, o senador Marco Maciel (DEM-PE) disse nesta quarta-feira que vai trabalhar para reorganizar a legenda depois do episódio do mensalão no Distrito Federal. Com a prisão do governador afastado José Roberto Arruda (sem partido) e a renúncia do governador interino Paulo Octávio, dois ex-filiados do partido, Maciel disse que o DEM precisa sair da crise para discutir o seu papel nas eleições do Distrito Federal. "O partido deve estar habilitado para as eleições deste ano. Queremos levar o partido a um bom desempenho aqui também", afirmou ele. Marco Maciel disse que não tem prazo para reorganizar o diretório do DEM no Distrito Federal nem mesmo para eleger a sua nova composição: "Uma das grandes tarefas da política é a administração do tempo. Vou decidir de acordo com as circunstâncias, espero que seja o mais rápido possível".

Diretório regional do DEM se antecipa à Executiva e pede autodissolução no Distrito Federal

O diretório regional do DEM no Distrito Federal pediu nesta quarta-feira sua autodissolução diante da ameaça da Executiva Nacional do partido de intervir na entidade. O presidente interino do DEM distrital, Osório Adriano, disse que a medida teve o objetivo de evitar novos traumas à legenda: "Não podemos enfrentar a cada dia uma acusação. Achei menos traumático entregar à Executiva Nacional o pedido de autodissolução". O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) e o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM-GO) já haviam encaminhado à Executiva pedido de dissolução do diretório. Como o órgão se antecipou à cúpula da legenda, acabou dissolvido antes mesmo da deliberação da Executiva. O DEM também decidiu nesta quarta-feira manter a determinação para que os filiados do partido entreguem seus cargos no governo do Distrito Federal.

Justiça argentina confirma proibição do uso de reservas para pagar dívida

A Câmara de Contencioso Administrativo argentina, que funciona como um Tribunal Federal, decidiu nesta quarta-feira proibir o governo local de usar reservas do Banco Central da República Argentina para pagar a dívida pública, e transferiu o caso à Corte Suprema. A iniciativa, anunciada em dezembro do ano passado, motivou uma crise institucional que levou à demissão do presidente do Banco Central da República Argentina, Martín Redrado. A Câmara rejeitou uma apelação do governo a uma outra sentença que também proibia o uso das reservas. O Executivo pretendia formar um fundo de US$ 6,569 bilhões, destinado a pagar parte da dívida de 2010. No entanto, o tribunal remeteu o caso à Corte Suprema de Justiça depois de aceitar recurso extraordinário do Executivo. A intenção do governo de criar o chamado Fundo do Bicentenário gerou uma crise que terminou no dia 7 de janeiro com a demissão oficializada do titular do Banco Central, Martín Redrado, que se opunha à iniciativa e resistiu por vários dias à sua destituição por decreto assinada pela presidente Cristina Kirchner. A Argentina deverá pagar US$ 13 bilhões da dívida que vence em 2010.

Supremo pede que Polícia Federal investigue falsa ação da defesa de Arruda contra ministro Marco Aurélio

O Supremo Tribunal Federal vai pedir que a Polícia Federal investigue a autoria de uma ação protocolada na Corte que pedia a suspeição do ministro Marco Aurélio Mello no julgamento do pedido de habeas corpus do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido). O documento foi apresentado nesta quarta-feira e teria sido assinado pelo advogado José Gerardo Grossi, que faz a defesa de Arruda. Grossi, no entanto, negou que tenha solicitado o impedimento de Marco Aurélio, que, em decisão preliminar, rejeitou o pedido de liberdade de Arruda, mantendo a prisão determinada pelo Supremo Tribunal Justiça. "Esse processo vai ser encaminhado para a Polícia Federal. Tomei conhecimento hoje dessa questão que revela a quadra atual de abandono dos princípios e da perda dos parâmetros e inversões de valores. Nunca imaginei, em 31 anos de carreira, enfrentar uma arguição de suspeição. Vamos buscar a correção dos rumos", disse o ministro.

OAB pede urgência do Supremo em decisão sobre intervenção no Distrito Federal

O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, pediu urgência do Supremo Tribunal Federal na decisão sobre a intervenção no Distrito Federal. Para o advogado, a renúncia do governador interino, Paulo Octávio (ex-DEM, sem partido), é motivo para que o tribunal acelere a tramitação do pedido de intervenção feito pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel. "É importante que o Judiciário esteja presente e dê uma solução para esta questão no Distrito Federal: dizendo sim ou não ao pedido de intervenção da Procuradoria Geral da República. O que não pode prosseguir é essa incerteza, essa falta de referência sobre quem governa Brasília", afirmou Cavalcante em nota. Ele age como se fosse um promotor no caso da corrupção em Brasília, mas releva e tem voz dócil para tratar do escândalo da Telebrás, envolvendo Lula e o mensaleiro José Dirceu.

Chávez segue passos de Lula e vai a Cuba se reunir com Fidel

O ditador da Venezuela, Hugo Chávez, decidiu seguir os passos do colega brasileiro, o bolivariano Lula, e viajou direto da cúpula regional no México para Cuba, informaram nesta quarta-feira fontes do governo venezuelano. Segundo uma nota da Presidência venezuelana, Hugo Chávez viajou na terça-feira para Havana, horas depois de uma entrevista a jornalistas onde anunciou que visitaria Cuba para se reunir com o ex-ditador Fidel Castro. Chávez chegou à ilha "momentos antes" de Lula. A última visita de Chávez ao país foi em dezembro de 2009, para participar da 8ª Cúpula da Alba (Aliança Bolivariana para as Américas). Por que eles procuram tanto Cuba? Seria apenas pelo interesse ideológico? Pela busca do modelo na matriz? Ou haveria ainda algum outro interesse que não pode ser expressado?

Ministro Marco Aurélio afirma que renúncia de Paulo Octávio reforça tese de intervenção no Distrito Federal

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, admitiu nesta quarta-feira que a saída de Paulo Octávio do governo do Distrito Federal reforça a tese de intervenção federal, defendida pela Procuradoria Geral da República. Segundo o ministro, não seria "normal" o vice-governador renunciar. "A renúncia não revela um quadro de normalidade, e a intervenção se baseia justamente na discrepância dos fatos e tendo em conta o funcionamento das instituições. Não é normal o vice renunciar", afirmou. Marco Aurélio disse que a intervenção é uma medida séria e que por isso fica a cargo do presidente da Suprema Corte, ministro Gilmar Mendes, apresentar um parecer. "Temos que aguardar o voto do Gilmar Mendes. A questão é tão séria que quando se cogita a intervenção, há um relator exclusivo que é o presidente do Supremo", disse ele. O Palácio do Planalto e o Supremo já teriam começado a articular a intervenção no Distrito Federal. Com a renúncia de Paulo Octávio e a prisão do governador José Roberto Arruda (sem partido), o governo do Distrito Federal fica nas mãos do presidente da Câmara, Wilson Lima (PR), que substituiu Leonardo Prudente, que também saiu do cargo por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção local.

Ditador da Bolívia acusa seu Uribe de ser agente dos Estados Unidos

O ditador boliviano, o trotskista cocaleiro Evo Morales, acusou nesta terça-feira seu colega colombiano, Alvaro Uribe, de ser um "agente dos Estados Unidos" que busca impedir a criação de um novo organismo regional na América Latina e no Caribe que não inclui Washington. O cocaleiro trotkista Evo Morales disse a jornalistas durante a cúpula do Grupo do Rio no balneário mexicano de Playa del Carmen que Uribe provocou na segunda-feira uma acalorada discussão com o ditador venezuelano, o clown bolivariano Hugo Chávez, para o fracasso do evento. "Qual a minha conclusão? Como neste evento, na Cúpula da Unidade da América Latina e do Caribe, viemos debater uma nova organização sem os Estados Unidos, os agentes dos Estados Unidos estão tentando atolar e fracassar a criação do novo organismo", disse Morales. Segundo o ditador boliviano, um subordinado de Chávez, o ditador venezuelano ouviu as reclamações de seu colega colombiano e quando respondeu, Uribe interrompeu-o repetidamente. A discussão entre Uribe e Chávez e as declarações de Morales deixaram evidentes as fissuras na região apesar dos esforços de unidade regional. Morales e Hugo Chavez defendem a abertura da América Latina para o terrorismo fascista islâmico do Irã.