quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Banco do Brasil estuda aumento de capital de R$ 8 bilhões

O Banco do Brasil avisou nesta quinta-feira ao mercado que estuda um aumento de capital da ordem de R$ 8 bilhões, podendo chegar a R$ 10 bilhões, "com o objetivo de sustentar o crescimento futuro da instituição" e "preservado o controle acionário da União". No mesmo comunicado, o Banco do Brasil informou que o Tesouro Nacional e o BNDES Participações estudam plano para vender "pelo menos 5%" do capital total da instituição, de modo a aumentar a parcela desse capital em circulação pelo mercado de ações, atingindo 25%. Está em estudo, portanto, uma oferta primária (lançamento de ações novas) e uma oferta secundária (lançamento de ações já existentes) do Banco do Brasil, que não apontou prazos em seu comunicado ao mercado.

Lucro de 2009 do Bradesco foi o terceiro maior da década entre bancos

O lucro líquido de R$ 8,012 bilhões registrado pelo Bradesco no ano passado foi o terceiro melhor resultado para uma instituição financeira do País nesta última década, segundo levantamento feito pela consultoria Economática. A amostra considera somente os bancos de capital aberto (com ações na Bolsa de Valores), mas abrange justamente as maiores instituições bancárias brasileiras, com exceção do BNDES. O desempenho do Bradesco no ano passado é superado somente pelo lucro do Banco do Brasil apurado em 2008 (R$ 8,803 bilhões) e pelo resultado do Itaú apurado em 2007 (R$ 8,474 bilhões).

Organização petista Dieese diz que construção civil deve impulsionar criação de empregos em 2010

Após registrar uma taxa de desemprego praticamente estável no ano passado, em 14,2%, o mercado de trabalho deverá retomar o crescimento em 2010. A expectativa é do coordenador da equipe de análise da Fundação Seade e do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, uma organização petista), Alexandre Loloian, que acrescentou que o setor que mais irá impulsionar a alta é o da construção civil. "Há uma boa expectativa por causa do crescimento do credito no setor e também por conta do programa 'Minha Casa, Minha Vida', que terá seus efeitos mais visíveis em 2010", afirmou Loloian. O número de pessoas ocupadas no setor de construção civil cresceu 12,1% no ano passado, na comparação com 2008, enquanto a média geral ficou em 0,7%. "Nos últimos três meses do ano, tivemos um crescimento consistente no nível de ocupação. Esse desempenho prenuncia o que ocorrerá em 2010", disse ele. Empregos na construção civil são de baixa categoria e duram pouco.

CNI diz que indústria usou só 77% da capacidade instalada no quarto trimestre de 2009

O nível de utilização de capacidade instalada da indústria brasileira cresceu 3% no quarto trimestre de 2009, comparando com o mesmo período de 2008. Mas ainda ficou 3% abaixo do nível registrado no mesmo período de 2007, antes do agravamento da crise econômica global. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira pela Confederação Nacional da Indústria, o setor operou no último trimestre em média 4% acima do período anterior. Segundo a entidade, o ritmo de crescimento da indústria já se aproxima dos níveis pré-crise. O número de postos de trabalho no setor também cresceu no quarto trimestre. O indicador de emprego chegou a 53,9 pontos. No trimestre anterior, o índice estava em 52,3. No entanto, o nível do indicador está 1 ponto abaixo do verificado em 2007, e o crescimento não chegou às pequenas empresas. A CNI aponta que a produção e o emprego cresceram no fim de 2009 de forma quase tão disseminada quanto antes da crise. O indicador da produção aumentou de 56,6 para 58,1, numa escala de 0 a 100, em que números acima de 50 são positivos. O índice está ainda 0,9 ponto abaixo do registrado no mesmo período de 2007. A produção industrial cresceu de forma mais disseminada, em todos os setores industriais, aponta a sondagem industrial da entidade. Em dezembro, a indústria brasileira registrou um nível de capacidade instalada abaixo do esperado, com um indicador de 48,8 pontos. No mês, 52% das empresas operaram ao nível usual para os meses de dezembro e 27% das empresas operam abaixo do usual. Os estoques de produtos finais estão em queda --o indicador do quarto trimestre foi de 45,4 pontos. Para o gerente-executivo da CNI Flávio Castelo Branco é um bom sinal de que a indústria está eliminando o excesso de estoques e aumentando a produção.

Médico afirma que "Lula vai fazer check-up nem que seja amarrado pela orelha"

O cardiologista Roberto Kalil, médico particular do presidente Lula, disse que o petista "vai fazer um check-up nem que seja amarrado pela orelha". Kalil recepcionou Lula na manhã desta quinta-feira no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Após sofrer uma crise hipertensiva, o presidente ficará em repouso em seu apartamento em São Bernardo do Campo (SP) até domingo. Ele deve descansar e fazer o check-up nos próximos dias. O presidente deixou às 6h58 desta quinta-feira o Hospital Português, no Recife (PE), com destino a São Paulo. Ele sofreu a crise hipertensiva quando estava no avião com destino a Davos (Suíça), por volta da 0h30 (horário de Brasília). Por ordem médica, ele foi proibido de viajar. Lula saiu do hospital com aparência abatida, vestido com um conjunto de moletom branco. Ele estava acompanhado pelos ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e Alexandre Padilha (Relações Institucionais), que passaram a noite toda com o presidente. Lula cumprimentou a equipe médica e não deu declarações à imprensa. O médico da Presidência, Cleber Ferreira, que acompanha o presidente há cinco anos, disse que a pressão arterial de Lula chegou a 18 x 12. Lula passou por exame de eletrocardiograma, raio-x do tórax e exame de sangue. Segundo o médico, a crise hipertensiva pode ter sido provocada por um quadro de estresse e cansaço. Esta é a primeira vez, durante o período que o médico atende ao presidente, que Lula tem uma alteração na pressão arterial. A pressão arterial normal de Lula é de 11 x 8.

Superávit do setor público é o menor em 11 anos e fecha 2009 abaixo da meta

As contas públicas fecharam 2009 abaixo da meta do governo, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira pelo Banco Central. A economia da União, dos Estados e dos municípios para pagar os juros da dívida pública (chamado superávit primário) terminou o ano em R$ 64,51 bilhões. O valor corresponde a 2,06% do PIB, o menor valor nesta base desde 1998 e abaixo da meta para o ano, que era de 2,5% do PIB. No ano passado, porém, o governo estipulou que poderia ser abatido da conta os recursos investidos no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e do PPI (Projeto Piloto de Investimentos). Com isso, o governo poderá abater até R$ 17,9 bilhões para chegar à meta. De acordo com a nota, descontados os investimentos do PAC e PPI, a meta de superávit cai para 1,93% do PIB, o que foi cumprido. É a primeira vez, para o setor público consolidado, que é necessário abater investimentos para conseguir cumprir a meta. Segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes, o governo abateu da meta efetivamente 0,44% de investimentos, o que dá um total de R$ 13,9 bilhões. Em 2008, o setor público teve resultado superávitário de R$ 106,42 bilhões, ou 3,54% do PIB. No ano passado, o setor público pagou R$ 169,14 bilhões em juros. Descontado esse valor, as contas públicas registraram déficit nominal de R$ 104,62 bilhões em 2009. O governo central acumulou superávit de R$ 42,44 bilhões em 2009, contra R$ 71,3 bilhões em 2008. Já a economia dos governos regionais ficou em R$ 21 bilhões, contra R$ 30,57 bilhões no ano anterior. As estatais registraram superávit de R$ 1,07 bilhões, contra superávit de R$ 4,53 bilhões em 2008. A relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB (principal medida de endividamento do setor público) fechou 2009 em 43%.

Crise no Banco Central da Argentina chega ao Congresso

O presidente do Banco Central argentino, Martín Redrado, que luta na Justiça para se manter no cargo, do qual foi removido por decreto no último dia 8 pela presidente peronista populista Cristina Kirchner, deu na quarta-feira sua versão dos fatos para a comissão do Congresso que deve decidir a questão. Cristina Kirchner apontou "má conduta e descumprimento dos deveres" por parte de Redrado, que se opunha a transferir US$ 6,5 bilhões das reservas do Banco Central a uma conta do Tesouro, para pagamento de parte da dívida externa. A transferência havia sido determinada por decreto em dezembro. Ao exonerar Martin Redrado, a peronista populista Cristina Kirchner ignorou a exigência que a legislação argentina impõe ao Executivo de ouvir uma comissão do Congresso antes de remover a diretoria do Banco Central. Essa lacuna permitiu a Redrado voltar ao cargo, por força de uma medida judicial. Na semana passada, Cristina recuou e pediu à comissão que se reunisse. Após o pedido, uma corte de segunda instância suspendeu a liminar (decisão provisória) que mantinha o presidente do Banco Central no posto. Na terça-feira, Redrado ensaiou resistência ao enviar à comissão uma carta em que reivindicava, antes de ser ouvido, a revogação do decreto presidencial. Ele argumentou que não havia sentido uma consulta sobre decisão já tomada. A carta de Redrado desagradou a comissão, presidida pelo vice-presidente do país, Julio Cobos, que acumula a presidência do Senado e está rompido com a populista peronista Cristina Kirchner. Cobos é acusado pelo governo de ter dado apoio para a insubmissão de Redrado.

Gravação indica "compra de apoio político" por Marconi Perillo

Gravações inéditas em poder do Supremo Tribunal Federal indicariam que o vice-presidente do Senado Federal, senador Marconi Perillo (PSDB-GO), teria montado esquema de compra de apoio político para garantir sua eleição, em 2006. Os diálogos foram gravados pela Polícia Federal com autorização da Justiça. Perillo, que antes da campanha havia deixado o cargo de governador de Goiás, é alvo de inquérito no Supremo para apurar suposto caixa 2 e suspeitas de uso da máquina pública durante a eleição. Nos relatórios, investigadores afirmam que os diálogos "demonstram a movimentação do alvo (Perillo) para obter dinheiro, visando o pagamento de dívidas de campanha e compra de apoio político". A lista dos que teriam garantido apoio a Perillo em troca de dinheiro inclui vereadores e deputados federais e estaduais de Goiás. As conversas sobre pendências financeiras prosseguiram após a eleição. De acordo com a investigação, o senador teve de recorrer a empréstimos para cumprir as promessas. Passado o pleito, telefonemas para cobrar pagamentos eram frequentes. Em um deles, Francisco Sobrinho de Oliveira, que perdera a disputa por uma cadeira de deputado federal pelo PSDB, reclama dizendo que estava endividado. Engraçado é como a Polícia Federal investiga opositores do governo Lula, mas nunca investigou, por exemplo, o senador Aloizio Mercadante (PT), ou as campanhas políticas da petista ricaça Marta Suplicy.

Decreto de Sérgio Cabral favoreceu cliente de sua mulher

Alvo de ação civil pública movida pelo município de Angra dos Reis em outubro de 2007, por danos ambientais e construções irregulares em sua casa de veraneio, o apresentador de TV Luciano Huck é representado pelo escritório de advocacia do qual é sócia a primeira-dama do Rio de Janeiro, Adriana Ancelmo Cabral. Seu marido, o governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), editou, em junho do ano passado, o Decreto nº 41.921, que alterava a legislação da Área de Proteção Ambiental (APA) de Tamoios, na Baía de Ilha Grande. A medida, cuja constitucionalidade é questionada no Supremo Tribunal Federal pela Procuradoria-Geral da República, beneficiaria proprietários de residências consideradas irregulares na região, o que é o caso de Luciano Huck e sua casa na Ilha das Palmeiras. Ambientalistas contrários às mudanças determinadas por Sérgio Cabral se referem ao decreto como "Lei Luciano Huck". Na ação nº 2007.003.020046-8, que tramita na 2ª Vara Cível de Angra, o apresentador é representado por dois integrantes do escritório Coelho, Ancelmo e Dourado Advogados. O município obteve liminar, em maio de 2008, que obrigou Huck a paralisar as obras em sua casa, que incluíam a construção de bangalôs, decks, garagem de barcos e muro para criação de praia artificial, "o que pode ocasionar danos ambientais irreversíveis, assim como agravar os já existentes", conforme despacho do juiz Ivan Pereira Mirancos Junior.

Petistas preparam uma nova proposta para Ciro Gomes

Sabendo que o PSB vai esticar a corda na negociação para a retirada do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), neocoronel cearense, da disputa presidencial, o PT desenha uma saída honrosa para o parlamentar. A idéia é formar uma coordenação de campanha estrelada para a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e ter Ciro Gomes (PSB-CE) como um dos expoentes. A estratégia da campanha seria dividida entre o ex-ministro de Lula e o deputado federal Antônio Palocci, em uma forma de compensação pela desistência dele da corrida ao Planalto. A oferta, que ainda não foi oficializada, evitaria forçar Ciro Gomes a concorrer ao governo de São Paulo. Essa proposta significa sinalizar que ele seria ministro em um possível governo da petista Dilma Rousseff. A disputa pelo governo de São Paulo já foi rejeitada pelo neocoronel cearense, certamente receoso de levar um vareio eleitoral.

Governo Lula limita gastos para evitar elevação da Selic

Mesmo com o Orçamento deste ano aprovado, o governo Lula vai limitar os gastos até março para demonstrar ao Banco Central e ao mercado financeiro que está comprometido com o cumprimento da meta de superávit primário (economia para pagamento dos juros) de 3,3% do Produto Interno Bruto em 2010. Na próxima semana, o governo federal vai editar um decreto de programação orçamentária provisória para fevereiro e março, estabelecendo que nesse período poderão ser gastos o equivalente a dois doze avos do Orçamento. Esse instrumento costuma ser utilizado nos anos em que a aprovação sofre atraso. O uso do decreto neste ano não significa que o governo esteja cortando gastos, mas indica que pretende manter o Orçamento sob controle. A limitação deve ser mantida até março, quando será feita, pela primeira vez neste ano, a avaliação bimestral das receitas e despesas e será editado o decreto definitivo para 2010. Ou seja, será definido se haverá ou não cortes no orçamento.

Sociólogo esquerdóide "exige" fim da "perseguição" ao MST no Rio Grande do Sul

Diante de 50 promotores e procuradores do País, que participaram nesta quinta-feira de um encontro sobre direitos humanos, durante a programação do Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos (figurinha carimbada do evento) fez uma crítica veemente à atuação do Ministério Público. Mesmo sem ser painelista, ele pediu a palavra para contestar a tendência de "criminalização dos movimentos sociais". E aproveitou para reivindicar o arquivamento de todas as ações civis públicas de criminalização ao MST. Disse ele: "Vejo com muita inquietação esse cenário de criminalização dos movimentos sociais. O que se passa no Rio Grande do Sul é grave". Segundo este comunista português, a prática de proibição das marchas sociais e o fechamento das escolas itinerantes cria um estado de exceção, com perda de direitos fundamentais. "Então venho aqui pedir respeitosamente ao Ministério Público que arquive todas as ações. Se isso continuar, a criminalização dos movimentos sociais, o ar do Rio Grande do Sul torna-se irrespirável para o Fórum Social Mundial", disse o esquerdopata português. O tom de crítica à Justiça também esteve presente em outras manifestações, como a do procurador-geral do Paraná, Olympio de Sá Sotto Maior Neto, que disse: "Quando é que a Justiça vai deixar de ser um espaço para manutenção de privilégios? Dizem que há leis que pegam e leis que não pegam, como se a lei fosse um resfriado, que algumas pessoas fossem imunes. Isso é um misto de hipocrisia com tragégia. Parece que só pegam as leis que interessam aos grupos hegemônicos". Fiquem de olho neste promotor, porque ele certamente faz parte do chamado grupo do Direito Achado na Rua. Em sua apresentação, o consultor em segurança pública, ex-deputado federal gaúcho e jornalista Marcos Rolim (atualmente ele é assessor de imprensa do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul), defendeu o Plano Nacional de Direitos Humanos. Rolim desafiou alguém a mostrar onde está escrito que o plano prevê a revisão da lei da anistia, como acusam críticos do projeto, e contestou a visão de que o plano pretenderia cercear a liberdade de imprensa. Bem, esse é Marcos Rolim, que posa de democrata, mas que trabalha por uma boa ditadura do proletariado. Disse o esquerdopata Rolim: "Os donos de rádios e TVs criaram a idéia de que liberdade de expressão é fazer qualquer coisa sem serem responsabilizados". Conforme o esquerdopata Marcos Rolim, como são concessões públicas, rádios e TVs deveriam ter por finalidade educar a população. Sendo assim, programas que fazem apologia à pena de morte ou o racismo, por exemplo, seram ilegais, por estarem em contrariedade com a legislação. Rolim trabalha pela instituicionalização da ditadura comunista no Brasil. É mais um jornalista petista gaúcho que luta pela censura à imprensa, pelo fim da liberdade de informação.

Golpista Zelaya articula ida ao México para pleitear vaga no Parlamento Centro-Americano

O presidente deposto de Honduras, o golpista Manuel Zelaya, exilado desde a quarta-feira na República Dominicana, sinalizou que pretende ficar pouco tempo no país. Zelaya articula sua ida para o México, em busca de uma vaga no Parlamento Centro-Americano (Parlacen). O golpista Zelaya não esconde também que planeja retornar, sem ameaças a ele e seus seguidores, para Honduras. O Parlacen é uma instituição política, integrada pelos países da América Central, que elege um total de 20 deputados. Os parlamentares cumprem mandato de cinco anos e são eleitos pelos países-membros. No período que permanecer em Santo Domingo, Zelaya será tratado pelo governo do presidente dominicano, Leonel Fernández, como um “hóspede distinto”. Para Fernández, Zelaya é o “símbolo da democracia” e disse estar orgulhoso de conceder abrigo ao hondurenho. Por aí se tira uma idéia do quanto o presidente dominicano Leonel Fernandez preza a democracia. O presidente dominicano afastou a hipótese de tratar o presidente deposto como um “asilado”. Ao chegar à República Dominicana, o golpista Zelaya criticou a chamada Carta Democrática da Organização dos Estados Americanos por ter ocorrido o fracassado nas negociações para que ele retornasse ao poder. E olha que ele teve a ajuda possível do esquerdopata Miguel Inzulsa, que preside a OEA, atualmente uma mera linha auxiliar do ditador fascista venezuelano, Hugo Chavez.

Ministro Temporão avalia pedido para aumentar número de vacinados no Rio Grande do Sul

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, prometeu avaliar o pedido do governo gaúcho para aumentar o número de vacinados contra a gripe A no Estado. Temporão, no entanto, não garantiu a liberação de mais doses. O governo gaúcho pretende ampliar o universo da população que vai receber a vacina, incluindo o grupo com faixa etária entre 30 e 39 anos. Esta população não está contemplada no programa de imunização anunciado pelo Ministério da Saúde. Com esta medida, cerca de 45% da população gaúcha deve ser imunizada. A orientação do ministério é que profissionais de saúde e pessoas que estão nos considerados grupos de risco em relação à enfermidade, o que inclui crianças de 0 a 6 anos, indígenas, gestantes, doentes crônicos e população de 20 a 29 anos, sejam imunizados. No Rio Grande do Sul, no entanto, os habitantes que tiverem entre 30 e 39 anos também deve ser vacinados, conforme pedido encaminhado pela secretaria estadual de Saúde ao Ministério da Saúde na quarta-feira. A justificativa da secretaria é que esta faixa etária foi muito atingida pelo vírus no inverno passado com grande número de óbitos. Com os critérios atuais do ministério, cinco milhões de gaúchos receberiam a vacina, o equivalente a 45% da população. Caso o pedido de ampliação feito pela secretária seja atendido, 6,5 milhões de pessoas serão imunizadas no Estado.

Lula teve uma crise hipertensiva forte

No jantar no Palácio do Campo das Princesas, o presidente Lula sentiu alguma dor no peito. Como passou, ele saiu do jantar e se dirigiu para a Base Aérea de Recife, e pretendia voltar a Brasília, para dali seguir para a Europa. Mas, quando já estava dentro do avião, voltou a sentir dores fortes no peito. O médico da Presidência da República tirou a sua pressão e constatou que ela estava alterada, em 18 por 12. Então Lula foi transferido com urgência para o Hospital Português de Recife. Ele está internado no quarto 1301. Os médicos do hospital trabalham para estabilizar sua situação clínica. Pela manhã, quando estiver estabilizado, ele será transferido para São Paulo, provavelmente para o Instituto de Cardiologia. Sua viagem para Davos foi cancelada. O governo enviou nesta madrugada o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, para representar Lula.

Lula fará tomografia de tórax e poderá ser transferido para hospital de São Paulo ainda nesta madrugada

Fontes do Hospital Português informam que o estado de saúde do presidente Lula não é grave. Ele teria sentido uma indisposição pouco depois do jantar com Eduardo Campos, ainda no Palácio do Campo das Princesas, e apesar de aconselhado pelo médico da Presidência a ir ao hospital, Lula teria resistido. Na base aérea, no entanto, já com a porta da aeronave fechada, o presidente voltou a sentir dores e foi imediatamente levado ao Português. Lá, recebeu avaliação de dois médicos e deverá ser submetido a uma tomografia de tórax. Ainda segundo fonte do hospital, Lula poderá ser transferido para o Hospital Albert Einsten, em São Paulo, ainda nesta madrugada. Informações recolhidas no site do jornalista Jamildo.

Lula se queixou de dores no peito

O presidente Lula foi levado da Base Aérea do Recife para o Hospital Português em uma comitiva de carros em alta velocidade. Conforme o governador Eduardo Campos, os médicos teriam constatado que ele estava com a pressão alterada. Lula está no apartamento 1301 do Hospital Português de Recife. Durante o dia será transferido para o Instituto de Cardiologia de São Paulo. A viagem para Davos foi cancelada.

Cancelada viagem de Lula a Davos, na Suiça

Foi cancelada a viagem de Lula à Suiça, onde participaria do Forum Mundial de Davos. Ele será levado mais tarde para São Paulo, onde será examinado pelos médicos que costumam atendê-lo. A informação oficial é que está fortemente gripado.