segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Lacalle admite derrota para Mujica na eleição do Uruguai

O ex-presidente Luis Lacalle admitiu neste domingo sua derrota no segundo turno presidencial no Uruguai para o tupamaro José Mujica. Falando a seus partidários, Lacalle destacou que o atual presidente Tabaré Vázquez ligou para parabenizá-lo. "Fora as divergências entre nós, o presidente fortaleceu o conceito de democracia no país, como o fará o senador José Mujica, que regerá os destinos a partir de 1º de março de 2010", disse ele. "Digo, sustento e proclamo a todos os que nos quiserem ouvir e em nome do um milhão de pessoas que votou em nós, que seremos soldados da liberdade, custódios das instituições e defensores das leis", concluiu. Segundo números da consultoria Factum, Mujica obteve 51,6% dos votos, contra 44,4% de Lacalle. Votos brancos e nulos somaram 4%.

Pesquisas apontam vitória de candidato oposicionista em Honduras

O candidato oposicionista Porfirio Lobo aparece com uma liderança clara nas pesquisas de boca de urna divulgadas após a eleição presidencial em Honduras, realizada neste domingo na mais absoluta calmaria e normalidade, contrariamente aos que previam grandes conflitos, e que desejam a reinstalação no poder do golpista Manuel Zelaya. O candidato do Partido Nacional é visto como mais capaz do que Santos de tirar Honduras do impasse político e do isolamento diplomático. "Esta eleição é um passo importante para consolidar um governo que possa nos unir", disse Lobo, após a votação. O golpista Zelaya previu abstenção de mais de 50% nas eleições de Honduras, como se ele próprio não tivesse sido eleito em uma eleição na qual votaram apenas 40% dos hondurenhos, já que votar não é obrigatório no país.

Irã anuncia dez novas usinas de enriquecimento de urânio

O governo do Irã anunciou neste domingo planos de construir 10 novas usinas de enriquecimento de urânio e disse que os trabalhos começarão dentro de dois meses. A construção dessas novas fábricas provavelmente deixará ainda mais tensas as relações com os países do Ocidente, que suspeitam que a república fascista islâmica quer desenvolver bombas nucleares. Também neste domingo, o Parlamento iraniano aprovou a provisão de um fundo de US$ 20 bilhões para fazer frente às "políticas conspiradoras" dos Estados Unidos e do Reino Unido, e para denunciar as violações dos direitos humanos cometidas pelos dois países. "A decisão tem como objetivo resistir à crescente maré de complôs dos Estados Unidos e do Reino Unido contra o Irã e para conscientizar o mundo dos numerosos casos de violação dos direitos humanos tanto da Casa Branca quanto do número 10 de Downing Street", explicou a Câmara, em comunicado.

Casa Branca diz que Irã escolheu se isolar ao anunciar novas usinas nucleares

O anúncio do Irã sobre planos de construir outras dez usinas de enriquecimento de urânio seria uma grave violação de suas obrigações internacionais e novas evidências do isolamento de Teerã, disse a Casa Branca neste domingo. "Se for verdade, essa seria outra grave violação das claras obrigações do Irã segundo resoluções múltiplas do Conselho de Segurança da ONU e outro exemplo de que o Irã escolheu se isolar", disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, em um comunicado. "A comunidade internacional deixou claro que o Irã tem direitos, mas esses direitos vêm com responsabilidades", disse Gibbs. A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) censurou o Irã pela primeira vez desde 2006 na sexta-feira sobre o seu programa nuclear e sua incapacidade de cooperar na investigação de suas atividades atômicas.

Suíços aprovam em referendo proibição de minaretes no país

Pouco mais de 57% dos eleitores da Suíça votaram, em um referendo realizado neste domingo, a favor da proibição da construção de minaretes no país. Com a apuração concluída em 25 dos 26 cantões suíços, o "sim" ganhou 57,05% do total dos votos. Para se tornar lei, a proibição precisava ser aprovada na maioria dos cantões. A proposta havia sido apresentada pelo SVP (Partido do Povo), que tem maioria no Parlamento e argumenta que as torres das mesquitas são um sinal de "islamização" da Suíça. Mas o governo suíço, do SPS (Partido Social-Democrático), havia feito nos últimos dias um apelo para que a população votasse contra a proibição. Estima-se que cerca de 4,5% da população suíça (ou 400 mil pessoas) seja de muçulmanos, muitos deles vindos da antiga Iugoslávia. A Suíça tem mais de cem mesquitas e salas de oração muçulmanas, mas apenas quatro minaretes.

Lula chama de loucura relato feito pelo ex-petista César Benjamim

O presidente bolivariano Lula classificou como "loucura" o episódio narrado em artigo do editor e ex-petista César Benjamin, publicado durante a semana no jornal Folha de S. Paulo. No texto "Os Filhos do Brasil", César Benjamin relata conversa de 1994 em que Lula teria dito que tentou "subjugar" (estuprar) um colega de cela quando esteve preso em 1980. O chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho, criticou César Benjamin e o jornal Folha de S. Paulo por publicar o texto. "O presidente está triste, abatido e sem entender o motivo das declarações. Ele falou que isso é uma loucura", disse: "Nos estranha muito a Folha ter publicado isso. É coisa de psicopata, para nós, é uma coisa que só pode ser explicada como psicopatia". Gilberto Carvalho disse que o governo não irá procurar César Benjamin "em hipótese alguma" e também descartou que o presidente processe o ex-petista: "Vamos nos sujar fazendo isso? Quando a coisa é séria, nós reagimos, mas, nesse caso, quando não é, ignoramos". O chefe de gabinete disse que conversou no sábado com Paulo de Tarso Santos, publicitário que, segundo César Benjamin, também presenciou a cena em que Lula teria relatado sua luta com o "companheiro do MEP" para estrupá-lo, quando esteve preso no DOPS, em São Paulo. De acordo com Gilberto Carvalho, o publicitário disse: "Não dá para entender o que deu na cabeça desse menino Benjamin". Paulo de Tarso também divulgou nota sobre o episódio. O ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, afirmou que o artigo é "um lixo, um nojo, de quem escreveu e de quem publicou". Cesar Benjamin, de 55 anos, militou no movimento estudantil secundarista, passou para a clandestinidade com o AI nº 5 e foi preso em 1971, quando tinha apenas 17 anos. Ajudou a fundar o PT, do qual se desfiliou em 1995. Um ano antes disso, disse ter ouvido relato de Lula de como o então sindicalista havia tentado subjugar outro preso e estuprá-lo, nos 30 dias em que esteve preso no DOPS paulista. "Chamava-o de 'menino do MEP', em referência a uma organização de esquerda que já deixou de existir. Ficara surpreso com a resistência do 'menino', que frustrara a investida com cotoveladas e socos", diz o artigo, publicado na página A-8. Pela nota assinada pelo publicitário Paulo de Tarso Santos, a reunião e a conversa de Lula parecem se confirmar. Se o publicitário Paulo de Tarso, aquele que tem contrato de R$ 300 milhões com o governo Lula, disse que não se lembrava do fato e discordava do “conceito” do texto de Benjamin, o cineasta Silvio Tendler, já aproveitou para se insinuar no assunto e informar que era ele a outra pessoa presente no encontro, cujo nome César Benjamin não lembrava. O "cineasta" (documentarista) Silvio Tendler, agressivamente, atacou César Benjamin, confirmando o relato de Benjamin. Só que Silvio Tendler diz que tudo não passava de uma “piada”. E assim se fica sabendo que a história do "ataque" de Lula ao “Menino do MEP”, afinal de contas, existiu mesmo. Diz Tendler: “Era óbvio para todos que ouvimos a história, às gargalhadas, que aquilo era uma das muitas brincadeiras do Lula, nada mais que isso, uma brincadeira. Todos os dias o Lula sacaneava alguém, contava piadas, inventava histórias. A vítima naquele dia era um marqueteiro americano. O Lula inventou aquela história, uma brincadeira, para chocar o cara. Só um débil mental, um cara rancoroso e ressentido como o Benjamin, guardaria dessa forma dramática e embalada em rancor, durante 15 anos, uma piada, uma evidente brincadeira”. Quer dizer que Silvio Tendler foi capaz de lembrar, passado todo esse tempo, com detalhes, a reunião e o tema? Quer dizer que achou que o relato de uma tentativa de "estupro" de um companheiro de esquerda preso é motivo para gargalhadas? Qual é a graça que existe em uma história de tentativa de estupro, e contada por um candidato à Presidência da República de "esquerda", contra um "companheiro de Esquerda"? Talvez a única explicação possível seja porque alguns homens, mesmo de esquerda, são muito seduzidos por histórias bagaceiras e cafajestes. Lula teria dito, na tal reunião, conforme César Benjamin, que estava na cadeia, sem mulher, e que não podia ficar tanto tempo "sem buceta" e que estão resolveu atacar o companheiro do MEP. Ora, é evidente, por vários relatos, que César Benjamin, que teve a maior intimidade com o alto comando do PT enquanto permaneceu no partido, contou a verdade. Agora, dá para entender a afoiteza de Silvio Tendler em atacar Cesar Benjamin e defender Lula. Ocorre que ele é tio de um dos roteiristas, Daniel Tendler, que é casado com Júlia Barreto, filha de Fábio, diretor de “Lula, O Filho do Brasil“. Ou seja, antes os meus..... Por liderar greves no ABC paulista, Lula passou 31 dias preso no Dops, em São Paulo, em 1980, com outros sindicalistas, quando a ditadura militar praticamente já tinha acabado. Quem dirigia o DOPS paulista era o atual senador Romeu Tuma, delegado da polícia civil paulista, que passou quase toda a ditadura chefiando aquele antro de tortura, onde reinou o famigerado delegado Sérgio Paranhos Fleury. Lembre-se: a anistia aconteceu em 1979. A revista Veja também ouviu cinco ex-companheiros de cela de Lula. Nenhum deles forneceu qualquer elemento que confirme a história de Benjamin. Eles se recordam, porém, de que havia na mesma cela um militante do Movimento de Emancipação do Proletariado (MEP). “Tinha um rapaz com a gente que se dizia do MEP. Tinha uns 30 anos, era magro, moreno claro. Eu não o conhecia do movimento sindical”, diz José Cicote, ex-deputado federal. “Quem estava lá e não era muito do nosso grupo era um tal João”, lembra Djalma Bom, ex-vice-prefeito de São Bernardo do Campo. “Eu me lembro do João, além de sindicalista, ele era do MEP mesmo”, conta Expedito Soares, ex-diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. O João em questão, aquele que Lula teria desejado "estuprar", conforme Cesar Benjamin, é João Batista dos Santos, ex-metalúrgico que morou e militou em São Bernardo do Campo. Há cerca de três anos ganhou uma indenização da Comissão de Anistia e foi viver em Caraguatatuba, no Litoral Norte de São Paulo. Diz ele: “Isso tudo é um mar de lama. Não vou falar com a imprensa. Quem fez a acusação que a comprove”. Mas, ele também não negou nada. Que tal, hein?!!!

Gravações mostram esquema de mesada para parlamentares no Distrito Federal

A operação Caixa de Pandora da Polícia Federal, que revelou um esquema de distribuição de mesada para parlamentares da Câmara Legislativa do Distrito Federal, revela gravações que mostram que o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, tinha conhecimento e comandava o esquema de distribuição de dinheiro para deputados distritais de sua base aliada. Apenas o secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, foi demitido. Ele fez as gravações depois de assinar um acordo de delação premiada com a Polícia Federal. No depoimento que prestou, o ex-secretário disse que o governador José Roberto Arruda pedia repasses de dinheiro a cada 15 dias para saldar despesas pessoais. Barbosa acrescentou que o desvio de recursos era tanto para enriquecimento pessoal quanto para pagamento da consciência de políticos. Em uma das negociações, segundo o depoimento de Barbosa, um valor de R$ 178 mil foi dividido entre o governador, o vice, Paulo Octávio, o assessor de imprensa, Omézio Pontes, e o chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, ficando 10% restantes à espera de comando. O ex-secretário entregou ao Ministério Público Federal 30 vídeos com imagens de negociações, feitos por ele mesmo, que participava do esquema. Já como colaborador nas investigações, em troca de redução de pena em caso de condenação, Barbosa usou câmeras escondidas. Com autorização da Justiça, gravou diálogos com o governador José Roberto Arruda e com o primeiro escalão do Governo do Distrito Federal. No último dia 21 de outubro, ele conversa com o governador numa reunião que serviria para prestar contas da divisão do dinheiro. E teve o seguinte diálogo:
Arruda - Hoje tem disponível isso aqui?
Durval - Hoje, hoje tem isso aí pra você fazer o que cê quiser, para pagar a missão. Agora, se for no, no, na coisa normal, no dia a dia, no comum, cê teria hoje 400 disponível. Pra entregar a quem você quisesse.
Arruda - Ótimo.
Em um segundo momento, a conversa é com o chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, em que também acertam a partilha do dinheiro:
Durval - Eu, na sexta-feira, já passo o dele, do Arruda. Já passo o do Arruda inteiro, tá? Aí fica faltando só umas merrecas. Porque merreca é na hora.
José Geraldo - Balduíno e eu temos alguma coisinha aí?
Durval - Tem, tem.
José Geraldo - Só pra eu ter uma idéia, cê tem mais ou menos quanto vai ser? Porque eu quero ver se eu faço um negócio.
Durval - Dá 50 pra cada um.
José Geraldo - É?
Durval - É. Por aí.
Em outro trecho das gravações, José Roberto Arruda quer saber como anda a despesa com políticos:
Arruda - Aquela despesa mensal com político sua hoje tá em quanto?
Ao todo, são 55 minutos de gravação que estão nos autos do processo e comprovam o pagamento de mesada a políticos aliados.

Imagens mostram José Roberto Arruda recebendo dinheiro, quando ainda era candidato

Um vídeo foi gravado em um dos gabinetes de uma empresa do governo do Distrito Federal por câmeras escondidas, e registraram um encontro do então presidente da Companhia de Desenvolvimento do Planalto, Durval Barbosa, com José Roberto Arruda, na época candidato a governador. Arruda teria ido ao gabinete para pegar o dinheiro. Na cena, Durval Barbosa entrega um maço de dinheiro na mão do atual governador do Distrito Federal, que diz: "ah, ótimo!" E continua: "Você podia me dar uma cesta, um negócio aqui". Durval Barbosa guarda o dinheiro em um envelope, sai de cena, e volta com uma sacola que deixa em cima da mesa. Arruda faz uma pausa, pensa melhor e diz: "Eu estou achando que você podia passar lá em casa porque descer com isso é ruim". Pouco depois, Arruda pede à um assessor: "Rodrigo, leve isso pro carro pra mim". De acordo com as investigações, o dinheiro era fruto do pagamento de propina por empresas que prestavam serviços para o governo do Distrito Federal. O advogado do governador, José Gerardo Grossi, disse que o dinheiro mostrado nas imagens foi usado para comprar panetones, que seriam distribuídos para pessoas carentes do Distrito Federal. É a tal coisa, carentes de Brasília passam bem, comem panetones. Em um outro vídeo, o assessor de imprensa Omésio Pontes e o Domingos Lamoglia, ex-chefe de gabinete de Arruda e atual conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal, aparecem recebendo quatro maços de dinheiro.

Governador de Brasília decide permanecer no cargo e se defender

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), decidiu no sábado que vai permanecer no cargo e se defender. Acusado de patrocinar um "mensalão do DEM", ele analisou três hipóteses possíveis com seus assessores: ficar no cargo, pedir uma licença ou renunciar. José Roberto Arruda está recluso em sua residência oficial desde que surgiram as denúncias de envolvimento num esquema de pagamento de propina à base aliada governista. O consultor jurídico de José Roberto Arruda, Eduardo Sá Roriz, não quis comentar a possibilidade de Arruda se afastar do cargo até as conclusões das acusações. As gravações foram feitas por Durval Barbosa que fez acordo de delação premiada com a Polícia Federal, já que responde a mais de 30 processos. A OAB-DF estuda ingressar com pedido de impeachment do governador pela participação no esquema de pagamento ilegal a sua base aliada na Câmara Legislativa distrital. A bancada do PT na Câmara Legislativa também afirmou, em nota, que vai apresentar pedido de abertura de processo por crime de responsabilidade contra o governador do Distrito Federal. Pela Constituição Federal, o vice-governador do Distrito Federal, Paulo Octavio (DEM), deve assumir o mandato num eventual impeachment de Arruda. Paulo Octavio, porém, também é mencionado em gravações da Polícia Federal como participante do esquema de pagamento de propina por ser proprietário da construtora Conbral, acusada de repassar dinheiro para os envolvidos. Nesse caso, o presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Leonardo Prudente (DEM), teria que assumir o mandato, mas ele também é citado como participante do esquema. Se o vice-governador e o presidente da Câmara forem declarados impedidos de assumir o cargo num eventual impeachment de Arruda, a OAB afirma que o presidente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal teria que assumir temporariamente o cargo até que sejam realizadas novas eleições para a escolha do governador. No sábado, o governador demitiu o secretário extraordinário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, e afastou dos cargos José Geraldo Maciel (chefe da Casa Civil), Fábio Simão (chefe de gabinete), José Luiz Vieira Valente (secretário da Educação) e Omézio Pontes (assessor de imprensa). As medidas foram tomadas depois que a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão nas casas e gabinetes dos secretários, deputados distritais e empresários que mantêm contratos com o Distrito Federal. Os deputados distritais Leonardo Prudente (DEM), Eurides Brito (PMDB), Rogério Ulysses (PSB), além do suplente Pedro do Ovo (PRB), são acusados de envolvimento no esquema, assim como Domingos Lamoglia, conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal (como se vê, os Tribunais de Contas dos Estados pelo País inteiro estão minados). A Polícia Federal investiga o objetivo do mensalinho pago por Arruda a aliados. Com base nas gravações feitas por Barbosa, a Polícia Federal realizou buscas na sexta-feira nas seguintes empresas: Infoeducacional, Vertax, Adler e Linknet. Essas empresas, segundo o despacho do SuperiorTribunal de Justiça, eram responsáveis por levantar os R$ 600 mil que Arruda mandou oferecer à base aliada.

Operação da Polícia Federal contra governador do Distrito Federal assusta DEM

A operação deflagrada na sexta-feira pela Polícia Federal para investigar irregularidades no governo do Distrito Federal e o envolvimento do governador José Roberto Arruda (DEM) no esquema de propina para a base aliada na Câmara Legislativa provocou um clima de apreensão em toda a cúpula nacional do DEM. Único governador do partido, Arruda estava com a exposição em alta na mídia nos últimos meses. Dava entrevistas a grandes veículos de comunicação, com o intuito de valorizar a imagem da legenda em todo o País. Por isso, integrantes do DEM no Congresso passaram o dia preocupados, tentando obter mais informações da operação da Polícia Federal. O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) classificou o caso de "muito grave e um acontecimento que preocupa muito": "Não posso falar por todo o partido, mas eu estou preocupado, sim. O DEM não pode tolerar desvios. O momento é de aguardar, mas estamos todos tensos". O presidente nacional do partido, deputado federal Rodrigo Maia (RJ), afirmou que o "governador é e vai continuar sendo uma vitrine para o DEM": "Da nossa parte cabe agora dar todo o apoio possível. Ele é um governado muito bem avaliado e já disse que vai colaborar com as investigações, o que é fundamental neste momento. Agora, o que é estranho é que criaram fatos consumados antes mesmo do final das investigações". O líder do DEM no Senado, Agripino Maia (RN), disse achar estranho que "isso venha à tona em ano pré-eleitoral": "O momento é de esclarecimentos sobre as acusações e sobre a defesa, mas acho que a imagem do partido não fica nem abalada nem desabalada com a operação da Polícia Federal. O partido mantém a confiança em seu governador".

Polícia Federal apreendeu R$ 700 mil na Operação Caixa de Pandora

Na operação que investiga pagamento de propina pelo governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), para parlamentares da base aliada do DEM na Câmara Legislativa do Distrito Federal, a Polícia Federal apreendeu R$ 700 mil em dinheiro nos 24 endereços onde foram realizadas nesta sexta-feira ações de busca e apreensão. Além do dinheiro, os 150 agentes que participaram da operação também apreenderam documentos e computadores. Os recursos serão depositados em conta judicial do governo federal, na Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil, onde ficam bloqueados até o final das investigações. Além dos agentes policiais, procuradores da República acompanharam as ações de busca e apreensão nas casas e escritórios dos suspeitos de envolvimento nas fraudes.

Lula proíbe a entrada de qualquer tipo de equipamento eletrônico em seu gabinete

O presidente Lula não quer correr o risco enfrentado pelo governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, que teve conversas gravadas por membro do seu secretáriado dentro de gabinetes. Lula preferiu chamar o seu chefe de gabinete, Gilberto Carvalho, e dar uma ordem para ser passada a todo o governo. A partir de agora, os ministros não poderão nenhum tipo de equipamento eletrônico em audiências com o presidente. Os aparelhos devem ser deixados na portaria ou com ajudantes de ordem. Na porta do gabinete de Lula foi instalado um magnetômetro.

Ex-ditador argentino nega ter roubado filhos de desaparecidos

O ex-ditador argentino Jorge Videla negou ter roubado e entregue a terceiros os filhos de desaparecidos políticos, em uma investigação sobre a origem dos filhos adotivos da dona do grupo de comunicação Clarín, Ernestina de Noble. "Não entreguei criança alguma a ninguém", limitou-se a repetir Videla, de 84 anos, diante do juiz encarregado da causa. O ex-ditador (1976/1981), detido no quartel militar de Campo de Mayo (periferia noroeste), é processado por centenas de crimes contra a Humanidade. Videla foi condenado à prisão perpétua em 1985, depois indultado em 1990, e voltou a ser detido em 1998, acusado de roubo sistemático de bebês durante a ditadura (1976/83). O indulto de 1990 foi anulado pela justiça em 2007. Cerca de 500 filhos de desaparecidos, a maioria nascido durante o cativeiro das mães, foram roubados e dados para adoção ilegal durante a ditadura. Videla foi citado a prestar depoimento depois que o ex-empresário José Pirillo, do setor jornalístico, declarou há alguns meses que o diretor do Clarín, Héctor Magnetto, havia lhe contado há muitos anos que fez "gestões pessoais para que Videla conseguisse as crianças para Ernestina de Noble".

Golpista Zelaya diz que não pedirá asilo no Brasil nem em outro país

O presidente deposto de Honduras, o golpista Manuel Zelaya, disse no sábado que não está pedindo asilo no Brasil nem em outro país caso não recupere o cargo antes que o candidato vencedor das eleições deste domingo assuma o mandato. “Essa é uma especulação. Não sou um improvisado. Tenho 35 anos de luta. Não tenho tempo nem espaço para isso. Escolhi uma posição que é defender um direito do povo, não o meu mesmo", disse o golpista hondurenhos.

Dilma Rousseff vê enchente gaúcha por cima, e deixa umas migalhas em Porto Alegre

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), apresentou à candidata petista Dilma Roussef e ao séquito ministerial que trouxe junto ao Estado, no sábado, a conta dos prejuízos dos atuais eventos climáticos no Estado, um total de prejuízos calculados que já ultrapassam R$ 3,5 bilhões. O cálculo dos prejuízos foi feito pela Defesa Civil. A candidata petista Dilma Roussef ouviu a governadora Yeda Crusius na reunião que teve com ela na manhã de sábado, mas já saiu avisando que tinha feito suas próprias contas e que deixaria no Rio Grande do Sul a merreca de 162 milhões para atender aos prejuízos dos seus conterrâneos. Em seguida, ela pegou o avião de volta e se mandou.

Lula defende mudanças no sistema de educação

O presidente bolivariano Lula defendeu mudanças no sistema de educação e criticou os meios de comunicação por não apresentarem material educativo durante a inauguração do parque Cidade dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Bernardo do Campo Eurídice Ferreira de Mello, nome da sua mãe, também conhecida como dona Lindu. Lula afirmou ainda no evento que, para resolver questões como a da criança e do adolescente, é preciso uma mudança na educação: "Não é falta de lei, é falta de cultura. Não é trabalhar para ter um projeto de lei, é trabalhar nas escolas corretamente a formação das pessoas". O presidente declarou que é preciso coragem para formar os cidadãos: "Se a gente tiver medo de ensinar o combate ao racismo na escola vai ficar mais difícil ensinar depois. Se a gente tiver medo de ensinar a educação sexual para os nossos filhos nas escolas, vai ficar muito mais difícil depois porque eles vão fazer aquilo que é próprio da natureza humana, muitas vezes por falta de uma explicação".

Evo Morales diz que pensa em estatizar o esporte na Bolívia

O presidente da Bolívia, o cocaleiro trotskista Evo Morales, anunciou no sábado que vai estatizar o esporte em seu país, depois das eleições gerais de dezembro, quando buscará sua reeleição. Ele se declarou preocupado com a massificação, o desenvolvimento e o nível dos atletas bolivianos. "Parece que no esporte ainda há neoliberalismo e isso precisa mudar. O Estado deve participar de maneira ativa e direta em qualquer disciplina esportivo. Em outras palavras, estou pensando em estatizar o esporte para melhorá-lo", afirmou, durante um ato público em La Paz. Mas, que tal hein? Agora esperemos pelos sucessos da Bolívia nas Olimpíadas.

Testemunha de acusação contra suspeito de assassinato de irmã Dorothy é baleada

Uma das principais testemunhas de acusação contra um dos investigados pelo assassinato da irmã Dorothy Stang sofreu um atentado no último dia 26, no município de Anapu, no Pará. Apesar de ter levado diversos tiros nas pernas, na cabeça e na boca, Roniery Bezerra Lopes não morreu, e está em estado grave, internado em um hospital da região. O atentado foi cometido menos de três horas após Roniery ter recebido intimação da Justiça para ser testemunha de acusação contra Regivaldo Pereira Galvão, no caso que investiga fraudes, uso de laranjas e falsificação de documentos para esconder a grilagem do lote 55, local onde a Irmã Dorothy foi assassinada e centro dos conflitos agrários na região. Durante o julgamento pela morte da Irmã Dorothy, Regivaldo havia alegado não ter nenhum tipo de vínculo com o lote 55. No entanto, em 2008 ele passou a dizer ser o dono do lote, apresentando à Polícia Federal diferentes versões sobre como teria adquirido as terras. Um inquérito foi aberto e a Polícia Federal acabou comprovando a falsificação documental, o que levou à abertura de novo processo em fevereiro de 2009 contra Regivaldo, para quem Roniery trabalhava.

Defesa do consumidor quer processar Aneel por erro em conta

Os órgãos de defesa do consumidor articulam a proposição de ação penal contra a direção da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Entendem que já há provas de que a agência se omitiu no caso da cobrança indevida na conta de luz. O Ministério Público Federal tenta evitar a medida. A instituição quer que a agência recue, determine unilateralmente a mudança do contrato de concessão e proponha medida para compensação tarifária do que foi pago a mais. A Aneel alega que não pode fazer isso. A agência também não entregou informações à CPI das Tarifas. "Acho que a decisão da Aneel de não responder a um requerimento da CPI é muito grave, mas estamos tentando ainda negociar uma solução administrativa e evitar a via judicial", disse Marcelo Ribeiro, coordenador do Grupo de Trabalho de Energia e Combustível do Ministério Público Federal. O grupo tenta unificar a ação da Procuradoria no País. Hoje, quatro unidades acompanham o assunto: São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

Eleição coloca em xeque posição brasileira sobre Honduras

A realização de eleições em Honduras, sem que o presidente deposto, o golpista Manuel Zelaya, tenha sido restituído ao cargo, colocará o governo brasileiro diante de uma discussão delicada: como levar adiante a promessa de não reconhecer o novo presidente. A posição pública do Palácio do Planalto é de que o reconhecimento da eleição, neste domingo, significa "legitimar o golpe", que em junho forçou a saída do golpista Zelaya do poder e do país. A promessa do governo brasileiro, se colocada em prática, poderá resultar no congelamento das relações diplomáticas entre os dois países. Entre as consequências práticas estão o fechamento da embaixada e a suspensão de acordos. Segundo um diplomata brasileiro, existem ainda implicações políticas. Oficialmente o governo não tem um Plano B para Honduras. Na última quinta-feira, a Suprema Corte de Justiça de Honduras deu seu parecer sobre a questão do eventual retorno do golpista Zelaya ao poder, aconselhando os parlamentares a rechaçar a restituição do mandatário eleito, que foi classificado como "traidor da pátria". Com a recomendação da Corte, reduziu-se ainda mais a possibilidade do retorno de Zelaya ao poder. Na avaliação do governo brasileiro, uma saída seria o presidente eleito convencer sua bancada no Congresso a aprovar a restituição de Zelaya.

Pará repõe floresta nativa com eucalipto

O governo do Pará, Estado líder em desmatamento, mudou as diretrizes de seu programa de recomposição de áreas destruídas na Amazônia e passou a contabilizar espécies exóticas, como eucalipto, para aumentar os números e se aproximar da meta de 1 bilhão de árvores. Quando lançou o programa "1 Bilhão de Árvores para a Amazônia", em maio deste ano, o governo petista de Ana Julia Carepa previu somente o plantio de espécies nativas. Mas 65% do reflorestamento deverá ser feito com eucalipto, segundo a Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente). A preferência pelo eucalipto decorre do menor tempo de maturação (em torno de seis anos) em relação a espécies nativas brasileiras. A produtividade da espécie também é maior do que as outras por ter sido melhorada geneticamente no país. O programa do Pará oferece financiamento e auxílio técnico a empresas e produtores que apresentarem projetos de reflorestamento, e também promete menos burocracia na futura concessão de licenças ambientais de exploração. Quer dizer que governadora petista pode plantar "desertos verdes" em seu Estado, e governadora do PSDB (Yeda Crusius, no Rio Grande do Sul), não pode? A xiitada não guarda qualquer coerência, só respeita seus próprios interesses. O governo da petista Ana Julia Carepa já autorizou o plantio de 222 milhões de árvores, quase um quarto da meta.

Enrique Iglesias diz que Brasil deve tentar complementar Estados Unidos na América Latina

O secretário-geral da Cúpula Ibero-Americana, o uruguaio Enrique Iglesias, disse para a BBC que o Brasil não deve tentar ser um contraponto aos Estados Unidos no protagonismo político na América Latina, mas sim ser complementar ao país norte-americano. "O Brasil é uma grande potência no mundo inteiro, particularmente na América Latina. Portanto, precisamos de todo o mundo, precisamos da cooperação com os Estados Unidos, com o Brasil, com a Europa. Portanto, temos de ver o Brasil não como contraponto, mas como complemento", afirmou Iglesias em Lisboa, onde dirige a 19ª Cúpula Ibero-Americana, a partir deste domingo. Pelo menos 18 dos 22 chefes de Estado da região confirmaram sua presença.

Polícia arruma chalé para prisão domiciliar de Polanski na Suíça

Especialistas em segurança começaram a preparar no sábado o chalé Via Láctea, de propriedade do cineasta franco-polonês Roman Polanski nos Alpes Suíços, enquanto as autoridades suíças decidem a respeito da extradição do cineasta para os Estados Unidos. Uma caminhonete estacionou fora da propredade de três andares, enquanto três homens e uma mulher tiravam fotos do interior da propriedade. Eles passaram cerca de uma hora no local. Uma das imposições da Justiça para a prisão domiciliar de Polanski é que ele permaneça com uma pulseira eletrônica, que vai monitar caso ele se afaste do chalé. As autoridades exigem ainda que o bracelete esteja funcionando antes que Polanski seja transferido ao chalé, o que acontecerá nesta segunda-feira.

Líbios são excluídos do Fórum de Davos por conflito com Suíça

Os representantes líbios não poderão participar do Fórum Econômico de Davos enquanto não forem normalizadas as relações entre Líbia e Suíça, anunciou o porta-voz do fórum, Kai Bucher, no sábado. As relações entre os dois países são tensas desde que o regime líbio reteve, em julho de 2008, dois suíços como represália pela breve detenção em Genebra de Hannibal, um dos filhos do líder líbio, Muammar Kadafi. O porta-voz, que confirmou a decisão adiantada semanas atrás pelo fundador e diretor do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, declarou que os pedidos de inscrição de cidadãos líbios para o próximo Fórum de Davos serão rejeitados. No ano passado, Saif al-Islan Kadafi, outro filho do líder líbio, participou do Fórum e aproveitou a ocasião para falar sobre esta crise com a ministra de Assuntos Exteriores suíça, Micheline Calmy-Rey. O conflito diplomático entre Suíça e Líbia explodiu quando Hannibal, um dos filhos de Kadafi, foi detido por algumas horas em Genebra em julho de 2008, após ter sido acusado de maus-tratos por dois empregados domésticos. A polícia o deteve junto com sua esposa, grávida de oito meses, e pouco depois o liberou após pagamento de uma grande fiança. Após este incidente, as autoridades líbias retiveram dois empresários suíços e congelaram todas as exportações de gás e petróleo para a Suíça. Os vôos entre os dois países foram cancelados e os suíços foram aconselhados a não viajar à Líbia. Os dois suíços retidos há 16 meses na Líbia estão na Embaixada da Suíça em Trípoli, mas continuam sem poder deixar o país.

Um quarto dos professores da rede particular de Minas Gerais já presenciaram agressões de alunos

Um em cada quatro professores de escolas e faculdades particulares de Minas Gerais já presenciou agressões de alunos a outros professores no ambiente escolar. E três em cinco (62%) já testemunharam ataques verbais. Os dados fazem parte de pesquisa recém-concluída pelo Sinpro (Sindicato dos Professores de Minas Gerais), em parceria com a PUC. Foram ouvidos 686 educadores da rede privada do Estado, do ensino infantil ao superior. O levantamento aponta também que 20% testemunharam tráfico de drogas entre alunos no ambiente escolar. Os pesquisadores não questionaram se os próprios professores foram alvo de violência. O objetivo do levantamento, segundo o sindicato, foi analisar a percepção da violência na relação com os alunos.

Metade do 13º salário será paga até esta segunda-feira

As empresas têm até esta segunda-feira para pagar a primeira parcela do 13º salário deste ano a seus empregados. Também chamado de gratificação natalina, o benefício é devido igualmente aos empregados domésticos, aos trabalhadores rurais e aos avulsos. A primeira parcela do 13º equivale à metade do salário que o trabalhador recebeu em outubro, desde que tenha sido registrado até o dia 17 de janeiro deste ano, inclusive. É que, pela legislação trabalhista, o período de 15 ou mais dias é considerado mês integral. Os empregados que foram registrados de 18 de janeiro deste ano em diante receberão o 13º proporcionalmente ao número de meses trabalhados. Cada mês corresponde a 1/12 avos do salário do trabalhador. Quem já recebeu a primeira parcela com o pagamento das férias não receberá nada nesta segunda-feira.

Aneel decide multar a Light por cortes de energia no Rio de Janeiro

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) decidiu multar a distribuidora fluminense Light pelos frequentes apagões nos últimos dias, em especial na zona sul do Rio de Janeiro. A multa pode chegar a 1% do faturamento anual bruto da companhia. Esse dado não consta do balanço da Light, mas sua receita líquida somou R$ 3,9 bilhões de janeiro a setembro deste ano. Segundo o diretor-geral da Aneel, Nelson Hubner, não foi aceita a justificativa de que os cortes foram motivados pelo calor. "A Light alegou que não tinha praticamente aumento de mercado nos últimos dez anos e que a onda de calor pegou de surpresa a empresa, que trabalhou com limites de carga de suprimento de energia muito acima dos últimos anos".

Ministro elogia ação contra civis no caso Perus

O ministro dos Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, comemorou na sexta-feira a primeira ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal de São Paulo contra civis que tiveram participação em fatos da repressão na ditadura militar (1964-85). Em ação apresentada à Justiça, o Ministério Público Federal pediu que o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), o senador Romeu Tuma (PTB-SP) e o diretor da Eletrobrás, Miguel Colasuonno, sejam condenados a pagar indenização e percam suas funções públicas ou aposentadorias. Eles são acusados de participar do funcionamento da estrutura que ocultou cadáveres de opositores da ditadura nos cemitérios de Perus e da Vila Formosa, em São Paulo, na década de 70. Tuma foi responsável pelo Dops paulista (Departamento Estadual de Ordem Política e Social) de 1967 a 1983. Maluf e Colasuonno foram prefeitos da capital, de 1969 a 1971 e de 1973 a 1975, respectivamente. Na Unicamp, Vannuchi declarou: "Eu saúdo a iniciativa porque ela reforça a consciência nacional de que o tema não está com ponto final. Lideranças civis e empresariais deram sustentação a esse regime, então não é justo que se faça um debate centralizado unicamente nas Forças Armadas. Quem estudar a história do regime verá que civis foram bater nas portas dos quartéis pedindo que os militares saíssem para depor João Goulart". Segundo a denúncia, Maluf ordenou a construção do cemitério de Perus, com quadras marcadas para "terroristas". O projeto da prefeitura incluiu a construção de um crematório, idéia depois abandonada. Na gestão de Colasuonno, de acordo com documentos, o cemitério de Vila Formosa foi reurbanizado, quase impossibilitando a identificação dos locais onde estavam corpos dos militantes. Tuma foi implicado porque, segundo os procuradores, sabia de mortes ocorridas sob a tutela de policiais do Dops, mas não as comunicou às famílias. Outros dois nomes na ação são Fábio Pereira Bueno, diretor do Serviço Funerário Municipal, entre 1970 e 1974, e o médico legista Harry Shibata, ex-chefe do necrotério do IML. "É inequívoco que havia um esquema e que o cemitério de Perus era um centro de ocultação de cadáveres de militantes políticos", diz Eugênia Fávero, procuradora da República.

Acusado de matar Dorothy Stang vai a júri popular pela terceira vez

Acusado de matar a missionária Dorothy Stang, o pistoleiro Rayfran das Neves, o "Fogoió", será submetido pela terceira vez a júri popular. O julgamento foi marcado para o dia 10 de dezembro no Fórum Criminal de Belém. A religiosa norte-americana, naturalizada brasileira, foi morta com seis tiros em 12 de fevereiro de 2005, em Anapu, no Pará. Em um primeiro júri, em 2005, Rayfran foi condenado a 27 anos de prisão. Em outro julgamento, em 2007, negou ter sido contratado e afirmou que havia sido ameaçado pela religiosa, mas não conseguiu alteração da pena. A mudança levou à absolvição do suposto mandante, Vitalmiro Bastos de Moura, o "Bida". A absolvição foi anulada pela Justiça em abril deste ano. Bida, que aguarda em liberdade, recorreu. Em vez de entrar com recurso, Rayfran solicitou o terceiro julgamento. Segundo sua defesa, o pistoleiro "já se encontra há quatro anos preso e tem direitos, como remissão de pena".

Eleições em Honduras provocam racha entre países da América Latina

As eleições presidenciais em Honduras provocaram um racha nos países da América Latina. De um lado, estão países que, como os Estados Unidos, dizem que, "se tudo correr bem" apoiarão o pleito deste domingo, alegando que rejeitá-lo só pioraria a crise iniciada com o golpe de Estado que tirou o golpista Manuel Zelaya do poder. Neste grupo estão ainda Peru, Colômbia, Panamá e Costa Rica. Na sexta-feira, o presidente costa-riquenho, Óscar Arias, mediador das negociações entre o governo de Roberto Micheletti e o presidente deposto, pediu à comunidade internacional que reconhecesse as eleições em Honduras para que o país centro-americano recupere a normalidade depois da crise política. Do outro lado estão nações que fazem parte da aliança bolivariana, como Brasil, Chile, Venezuela, Argentina, Uruguai, Bolívia, Nicarágua, Equador, Paraguai, Guatemala, que defende que reconhecer a votação é um mau precedente para a região. Muitos deles já anunciaram, inclusive, que não vão reconhecer o pleito por considerá-lo ilegítimo. Mas, vão encontrar muitos problemas daqui para frente, por negarem uma eleição plenamente legal e constitucional.

Anistia Internacional faz terrorismo na véspera das eleições em Honduras

A Ong Anistia Internacional chegou na sexta-feira Tegucigalpa para fazer terrorismo sobre as eleições que ocorreriam neste domingo no país, e que terminaram acontecendo, em absoluta calma. Dirigentes da Anistia Internacional "advertiram" que Honduras se encontra em uma situação de "tensão" e "incerteza". Ora, por favor.... A Ong também denunciou que autoridades hondurenhas armazenaram milhares de granadas de gás lacrimogêneo. Javier Zuñiga, chefe de uma missão da Anistia Internacional, disse que pôde constatar a existência "de um perceptível medo perante o que possa acontecer no domingo" à população. Ele informou que sua Ong tinha informação de que o governo de Roberto Micheletti adquiriu recentemente "10 mil granadas de gás lacrimogêneo e 5 mil projéteis para as mesmas". Zuñiga indicou que, além disso, foram informados da recente aquisição de um tanque de água pressurizada e assinalou que a organização teme que todo este material possa ser utilizado nos próximos dias. Agora, esse tal de Javier Zuñiga passa por palhaço e terrorista.

Colômbia cria Divisão militar para fronteira com Brasil e Venezuela

A Colômbia criou na sexta-feira a VIII Divisão do Exército, com 16 mil homens, cuja jurisdição envolverá as fronteiras com Brasil e Venezuela. O início das atividades da VIII Divisão foi marcado por uma cerimônia em Yopal, capital do departamento de Casanare, presidida pelo comandante das Forças Armadas, general Freddy Padilla. A nova Divisão terá a missão de "incrementar o poder de combate para enfrentar a ameaça procedente dos grupos narcoterroristas", especialmente "desarticulando as estruturas do Bloco Oriental das Farc" (organização terrorista e traficante de cocaína). A medida ocorre no momento em que o ministro colombiano da Defesa, Gabriel Silva, denuncia a presença de terroristas das Farc e do ELN (Exército de Libertação Nacional) no território da Venezuela. "Sabemos que o líder das Farc, Iván Márquez, está na Venezuela, que comandantes de várias Frentes derrotados na costa Atlântica se refugiaram naquele país", disse Silva à rádio Caracol.

Casal que invadiu jantar na Casa Branca chegou a cumprimentar presidente Barack Hussein

O casal que invadiu o jantar de Estado da Casa Branca chegou a cumprimentar o presidente norte-americano, Barack Hussein, durante a recepção protocolar prévia ao evento oferecido na última terça-feira ao primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh. O momento do encontro entre Barack Hussein e o casal Michaele e Tareq Salahi, figuras frequentes em coquetéis e recepções da alta sociedade norte-americana, foi registrado em uma fotografia divulgada pela rede de televisão CNN. É impressionante como eles furaram tranquilamente a segurança da Casa Branca, expondo que qualquer um pode chegar até o lado do presidente da maior potência do planeta.

Reunião da Unasul deixa em aberto discussão sobre bases da Colômbia

O Conselho de Defesa da Unasul (União de Nações Sul-Americanas) concluiu uma reunião extraordinária na sexta-feira, em Quito, na qual foi aprovado um documento sobre medidas de confiança e segurança na região, embora tenha ficado em suspenso uma decisão sobre o tema do uso de bases militares colombianas pelos Estados Unidos. O ministro das Relações Exteriores do Equador, país que ocupa a direção temporária do grupo, avaliou como um "sucesso" o resultado da reunião, mas disse que algumas questões ficaram em aberto, como uma decisão sobre a situação em Honduras e a tensão entre Venezuela e Colômbia. Por iniciativa da Venezuela, a "nova doutrina de segurança" pretende analisar a proibição, no futuro, da instalação de bases militares estrangeiras nos 12 países da Unasul, disse o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro. É só por que deseja o fascista Hugo Chavez.....

Estados Unidos afirmam que eleição de Honduras é "oportunidade única" para democracia

O governo dos Estados Unidos afirmou na sexta-feira que o presidente eleito na eleição hondurenha deste domingo terá a oportunidade "única" de impulsionar a "vital" tarefa de restabelecer a ordem democrática no país por meio do Acordo Tegucigalpa-San José, que já foi rejeitado pelo presidente hondurenho deposto, o golpista Manuel Zelaya. "O presidente que vier a ser eleito em eleições vistas como livres e justas terá a oportunidade única de promover esta vital missão", declarou o porta-voz do Departamento de Estado, Ian Kelly, em comunicado. Segundo a nota, a eleição constitui "outro passo crucial" rumo ao restabelecimento da ordem democrática e constitucional em Honduras depois da assinatura do acordo Tegucigalpa-San José no último dia 30, sob mediação norte-americana. Ressalte-se: em Honduras, em nenhum momento houve rompimento da ordem democrática ou institucional. Quando um presidente golpista, Zelaya, tentou mudar a constituição para permanecer no poder, a Suprema Corte determinou o seu afastamento do governo, o que foi cumprido pelo exército e pelo Congresso Nacional.

Ditador Hugo Chávez garante pleno apoio a Abbas e o saúda com um "Viva Palestina"

O ditador da Venezuela, Hugo Chávez, garantiu seu pleno apoio à criação de um Estado palestino ao receber na sexta-feira, em Caracas, o presidente da ANP (Autoridade Nacional Palestina), Mahmoud Abbas, com honras de chefe de Estado e saudando-o com um "Viva Palestina". "Damos as boas-vindas, presidente, irmão", disse Chávez, que cumprimentou o "heróico povo palestino" e ressaltou que "a revolução bolivariana, desde o primeiro dia, se pôs ao lado do povo palestino, de sua memorável luta contra o império ianque, seus lacaios, o Estado genocida de Israel, que atropela, que mata. Viva Palestina, que viva o Estado palestino", falou o ditador bolivariano na cerimônia de recepção a Abbas no Palácio de Miraflores, sede do governo venezuelano.

Evo Morales diz que Lula é o melhor presidente da América Latina

O presidente da Bolívia, o cocaleiro trotskista Evo Morales, afirmou na sexta-feira que o presidente bolivariano Lula é atualmente o melhor governante da América Latina. Evo Morales demonstrou sua admiração por Lula, de quem destacou as origens operária e sindical, no discurso de fechamento de sua campanha, no Departamento amazônico de Pando, para as eleições que serão realizadas no dia 6 de dezembro, nas quais o presidente indígena buscará a reeleição.

Itaú Unibanco estende parceria com Magazine Luiza até 2029

O Itaú Unibanco pagará R$ 250 milhões para a rede varejista Magazine Luiza para estender até 31 de dezembro de 2029 o prazo de sua parceria exclusiva com a Luizacred, informou o banco na sexta-feira. "O valor a ser pago pelo Itaú Unibanco para a extensão do prazo da exclusividade não acarretará impactos materiais em seus resultados", informou o banco em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários. A Luizacred, financeira detida em iguais proporções pelo Magazine Luiza e pelo Itaú Unibanco, faz a distribuição de crédito nas lojas físicas e virtuais da varejista, que teve faturamento anual de R$ 3,2 bilhões em 2008, segundo o comunicado.