sábado, 21 de novembro de 2009

Exportações argentinas caem 21% em outubro

As exportações argentinas chegaram a US$ 4,839 bilhões em outubro passado, o que representa queda anualizada de 21%, informou nesta sexta-feira o Indec (Instituto Nacional de Estatísticas e Censos). Nos primeiros dez meses do ano, a Argentina acumulou um superavit comercial de US$ 14,439 bilhões, com uma alta anualizada de 29%. As trocas do mês passado deixaram ao país um superavit de US$ 1,182 bilhão, 16% maior frente a outubro de 2008. Segundo o Indec, a Argentina importou em outubro mercadorias no valor de US$ 3,657 bilhões, 29% menos que no mesmo mês de 2008. Entre janeiro e outubro último, as exportações totalizaram US$ 45,965 bilhões, com uma queda anualizada de 25%. Já as importações alcançaram US$ 31,526 bilhões, o que reflete uma baixa de 37% frente ao mesmo período de 2008. A Argentina fechou o ano passado com um saldo comercial positivo em US$ 13,176 bilhões, produto de exportações de US$ 70,589 bilhões e importações de US$ 57,413 bilhões. Para 2009, o orçamento prevê um superavit de US$ 11,977 bilhões, com exportações de US$ 75,700 bilhões.

Corpo do produtor Herbert Richers é cremado no Rio de Janeiro

O velório do produtor de cinema Herbert Richers, que morreu na sexta-feira, aos 86 anos, terminou por volta das 17 horas no cemitério Memorial do Carmo, no Rio de Janeiro, e o corpo seguiu para um crematório da cidade. Richers estava internado desde o último dia 8 e morreu em consequência de um problema renal. Herbert Richers foi responsável por várias produções nacionais nas décadas de 50, 60 e 70. Entre os filmes que produziu está "O Assalto ao Trem Pagador", de 1962. O produtor era amigo pessoal de Walt Disney, que o apresentou ao sistema de dublagens, algo já bastante difundido em Hollywood na época. Os filmes dublados pela empresa são conhecidos pelo anúncio que diz "versão brasileira, Herbert Richers" ao início. Atualmente, a empresa fundada por ele possui um dos maiores estúdios de dublagem da América Latina e é responsável por grande parte dos filmes exibidos em português no País.

Brasil chega a 168 milhões de celulares em outubro, com 82% deles pré-pagos

O mês de outubro registrou 1,9 milhão de novos celulares no Brasil, elevando para 168 milhões o número de acessos ao serviço de telefonia móvel pessoal, segundo dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Isso quer dizer que, de cada 100 brasileiros, 87,6 têm celular. Se esse ritmo de expansão se mantiver, em menos de um ano haverá um celular para cada habitante do País. Do total de acessos, 82,3% é de celulares pré-pagos, e 17,7%, pós-pagos. O Maranhão foi o Estado que apresentou o maior crescimento percentual de celulares, depois aparecendo o Piauí e, em terceiro lugar, São Paulo. As regiões Norte e Sudeste são os destaques em crescimento de densidade de celulares no mês. A empresa Vivo continua líder do mercado, com 29,5% do bolo. Depois vem a Claro, com 25,5% e a TIM, com 23,7% dos clientes. A tecnologia dominante no Brasil é a GSM, presente em 90% dos celulares.

Tarso Genro ofende a Itália, mas ministro italiano evita polemizar com o peremptório ministro petista

O ministro da Defesa da Itália, Ignazio La Russa, evitou na sexta-feira comentar as declarações do ministro da Justiça do Brasil, o peremptório petista Tarso Genro, que ao se referir ao caso do terrorista Cesare Battisti afirmou que pode identificar "influências fascistas" em alguns setores do governo italiano. "Ele é livre para expressar sua opinião, como nós fazemos aqui na Itália", disse La Russa, na tentativa de não alimentar a polêmica. O peremptório Tarso Genro, que concedeu refúgio político ao terrorista Cesare Battisti em janeiro (considerado ilegal pelo Supremo Tribunal Federal), sob o argumento de que o italiano estaria ameaçado por um "fundado temor de perseguição" em seu País, disse na sexta-feira que há uma tendência no governo do presidente bolivariano Lula, a quem caberá a palavra final, de manter o terrorista italiano no País por razões "humanitárias e políticas". Ele também se referiu de maneira ofensiva à Itália, que requer e tem feito pressão para obter a extradição: "A Itália não é um país nazista nem fascista, mas vem sendo constatado um crescimento preocupante do fascismo em parte da população. O fascismo vem ganhando força inclusive em setores do governo". De maneira peremptoriamente desrespeitosa, Tarso Genro afirmou ainda que alguns membros do governo italiano parecem querer "vingança" do terrorista Cesare Battisti. É engraçado, nunca se ouviu essa peremptória figura se referir de maneira tão incisiva sobre o "democrático" Irã, ou ao ainda mais democrático "Sudão". Nunca ninguém ouviu o judeu Tarso Genro fazer qualquer comentário sobre a extraordinariamente democrática organização "humanista" Hamas, ou o Hoezbollah. E acha de condenar fascismo na Itália. Muito mais curioso é que o "garoto de ouro", como é conhecido no Rio Grande do Sul, queira ser governador do Estado, que tem cerca de metade de sua população de origem italiana. Tarso Genro ofende diariamente a democracia italiana, da maneira como está acostumado, ou seja, peremptoriamente.

Lula diz que Brasil vai criar 1,3 milhão de empregos formais no ano

O presidente bolivariano Lula afirmou na sexta-feira que o País encerrará o ano com a criação de 1,3 milhão de empregos formais. "Vamos terminar o ano criando 1,3 milhão de empregos com carteira assinada", afirmou o presidente durante visita à fábrica da Ford, em Camaçari, para um anúncio de investimentos, no qual ele desprezou seu colega petista gaúcho, Olívio Dutra, esquecendo-se de convidar para a solenidade o grande responsável pela implantação da Ford na Bahia. O número de empregos prometido é maior que o estimado durante a semana pelo ministro do Trabalho, Carlos Lupi, para quem o País criaria entre 1 milhão e 1,1 milhão de vagas com carteira assinada em 2009. No próximo ano, sua previsão é de 2 milhões. De janeiro a outubro, foram criados 1,163 milhão de empregos formais no País. Em dezembro, tradicionalmente há uma dispensa líquida de empregados. Aos funcionários da fábrica, Lula fez um breve histórico da crise financeira internacional, repetiu o conceito da "marolinha" e defendeu a atuação de bancos públicos nos meses de maior dificuldade. Segundo ele, somente o Banco do Brasil tem disponibilizado hoje todo o crédito que o País tinha em 2003: "O Brasil em 2003 tinha R$ 380 bilhões em crédito disponibilizados para o Brasil inteiro. Hoje, só o Banco do Brasil tem isso".

Bolivariano Celso Amorim ironiza saída temporária de Micheletti da Presidência de Honduras

O ministro de Relações Exteriores, o bolivariano Celso Amorim, ironizou na sexta-feira o anúncio do presidente de Honduras, Roberto Micheletti, de que vai deixar por uma semana o cargo. "Ele nunca deveria ter estado" a frente do governo, afirmou Celso Amorim. "Do ponto de vista legal, ele nunca deveria ter estado no governo. Então, que diga agora que vai sair provisoriamente soa estranho para mim', disse Amorim, que marcou as palavras com um gesto de desdém das mãos e um sorriso de incredulidade. Jamais o Brasil teve um ministro das Relações Exteriores tão medíocre e incompetente como esse bolivariano, que não tem qualquer respeito pela nações soberanas com as quais o Brasil mantém relações. Na quinta-feira, Micheletti, anunciou que vai se licenciar do cargo entre 25 novembro e 2 dezembro para permitir um período de "reflexão" aos hondurenhos para as eleições gerais no próximo dia 29. O presidente deposto de Honduras, o golpista Manuel Zelaya, classificou o gesto como uma manobra para "enganar bobos" e afirmou que ao anunciar sua saída temporária do poder Micheletti admite que é "uma mancha" para a democracia. O latifundiário golpista hondurenho invadiu a embaixada do Brasil no dia 21 de setembro e se mantém nela, que transformou em um palanque de suas pregações subversivas.

Governo libera mais R$ 2 bilhões do orçamento em 2009

O governo federal liberou mais R$ 2,04 bilhões do Orçamento Geral da União para gastos em 2009. O valor faz parte do total contingenciado pelo governo para pagamento dos juros da dívida pública. Desse total, R$ 2,01 bilhões ficarão com o Poder Executivo, R$ 9,3 milhões com o Legislativo, R$ 21,7 milhões com o Judiciário e R$ 2,9 milhões com o Ministério Público. A liberação consta do quinto relatório bimestral de reavaliação do Orçamento. No relatório, foi mantida a previsão de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) para 2009 em 1%. A expectativa de inflação no ano (IPCA) também foi mantida em 4,42%. De acordo com o relatório, a liberação foi possível porque houve uma revisão na estimativa da receita líquida em R$ 329,7 milhões. Esse resultado se dá principalmente por conta do aumento na expectativa de recebimento de dividendos no ano por parte da União em R$ 3 bilhões. "A atual estimativa incorpora a realização da receita até o mês de outubro bem como a expectativa de maior recolhimento, nos meses seguintes desse ano, por parte das instituições financeiras federais e da Petrobrás", afirma o texto.

Ford confirma investimento de R$ 4 bilhões no Brasil

A Ford Motor, segunda maior montadora dos Estados Unidos, planeja investir R$ 4 bilhões no Brasil para aumentar a produção, disse na sexta-feira o presidente da companhia para as Américas, Mark Fields. O governador da Bahia, Jacques Wagner, havia adiantado que a empresa anunciaria investimento de R$ 2 bilhões no Nordeste. A maior parte dos recursos, R$ 2,8 bilhões, será direcionada a duas fábricas, no Ceará e na Bahia, disse Marcos de Oliveira, presidente-executivo da montadora para o Brasil e o Mercosul. A Ford espera que os investimentos criem 1.000 empregos e aumentem a produção das fábricas no Nordeste do Brasil dos atuais 250 mil para 300 mil veículos, acrescentou. O governador da Bahia, o petista Jaques Wagner, é um grande ingrato, porque não convidou para a festa de anúncio o seu colega petista gaúcho, Olívio Dutra, responsável pela instalação da Ford na Bahia, já que escorraçou a fábrica do Rio Grande do Sul durante o seu governo. O que não servia para os petistas gaúchos, é altamente saudado pelos petistas baianos. É indesmentível, petista gaúcho gosta de carroça, petista baiano gosta de carro do último modelo.

Ala do PMDB vai lançar informalmente nome de Requião à Presidência

Na tentativa de buscar apoio à tese da candidatura própria do PMDB à Presidência da República em 2010, um grupo de peemedebistas reúne-se neste sábado em Curitiba para mostrar a disposição do governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), de disputar o Palácio do Planalto. O grupo pretende lançar informalmente o nome de Requião como pré-candidato do PMDB para tentar buscar apoio à candidatura própria do partido, tese descartada pela cúpula da legenda. O senador Pedro Simon (PMDB-RS) disse na sexta-feira que o objetivo do grupo é mostrar para a cúpula do PMDB que parte da legenda é favorável à candidatura própria. "Fala-se em vários nomes para a nossa candidatura, mas fica nisso. Fica o governo dizendo que o PMDB não tem um nome de expressão, por isso temos que apresentar um nome para a candidatura própria do PMDB", disse ele. A cúpula do PMDB firmou pré-acordo com o PT para disputar a vice-presidência na chapa da candidata petista Dilma Rousseff (Casa Civil). Apesar de alguns peemedebistas discordarem da aliança, o presidente licenciado do partido, deputado federal Michel Temer (PMDB-SP), dá como certo o embarque na candidatura petista. Simon disse que o objetivo do grupo é conquistar apoio à candidatura própria depois que Requião formalizar a sua disposição em disputar o Palácio do Planalto. Segundo o senador, Requião vai lançar o seu nome durante a reunião do grupo favorável à candidatura própria. "O senador Jarbas Vasconcelos apoia o Serra, o Orestes Quércia apóia o Serra. Eles acham que não têm chance de candidatura própria. Amanhã, se pode aceitar a tese da candidatura própria e veremos como ficam essas pessoas", afirmou Simon.

Volkswagen investirá quase US$ 30 bilhõesw no mundo até 2012

A Volkswagen planeja investimentos automotivos de aproximadamente 19,9 bilhões de euros (US$ 29,55 bilhões) nos próximos três anos, metade somente na Alemanha, afirmou a maior montadora da Europa na sexta-feira. Para o período entre 2010 e 2012, a expectativa de relação entre investimento/vendas é de 6% em média, informou a empresa em comunicado. Aproximadamente 13,3 bilhões de euros desse investimento total em fábricas, propriedades e equipamentos serão destacados para modernização e expansão de sua gama de produtos. "Na área de conjunto motor e transmissão, gerações novas de motores serão apresentadas oferecendo melhorias adicionais em desempenho, consumo e emissão. A capacidade da caixa de câmbio automática será alinhada com a demanda crescente", afirmou a empresa. Os 6,6 bilhões de euros restantes serão investidos em "tecnologias de produtos" nos próximos três anos.

Lula diz que aguarda acórdão do Supremo para revelar decisão sobre caso do terrorista Battisti

O presidente bolivariano Lula afirmou na sexta-feira que só anunciará sua decisão sobre a extradição do terrorista italiano Cesare Battisti depois que receber formalmente o acórdão do Supremo Tribunal Federal e se reunir com a sua assessoria jurídica para discutir o assunto. Por 5 votos a 4, o Supremo autorizou a extradição do terrorista Battisti, mas deu a palavra final sobre o caso ao presidente. Na quinta-feira, uma fonte do governo disse que Lula não deve extraditar o terrorista italiano e não tem pressa para anunciar sua decisão. O governo procura agora argumentos jurídicos para embasar sua posição. "Primeiro, eu tenho que receber a comunicação da Suprema Corte brasileira, que ainda está sendo redigida. Depois que eu receber a decisão, eu vou tomar a decisão", disse o presidente a jornalistas em Salvador. "Esse não é um assunto que eu possa ficar insinuando o que eu vou fazer. Eu tenho que fazer, vou fazer, e quando eu fizer toda a imprensa brasileira vai saber", afirmou. Lula disse ainda que Battisti deveria encerrar a greve de fome porque não é o momento para tal tipo de "pressão". O terrorista italiano está em greve de fome desde o dia 13. "Já disse para Battisti: pare com a greve de fome, porque eu já fiz greve de fome e é um ato de desespero ou de ignorância, eu jamais faria outra vez. Isso não ajuda a ele, nós não estamos mais no momento de ficar recebendo esse tipo de pressão", disse o presidente bolivariano Lula.

Lula diz que Dilma Rousseff tem perspectiva enorme de vencer eleição em 2010

Em entrevista dada na sexta-feira a rádios de Natal (RN), o presidente bolivariano Lula disse que quer a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, como candidata petista à Presidência da República em 2010 e avaliou que ela tem uma "perspectiva enorme de vencer": "É importante todo mundo saber que quero a Dilma como candidata, estou trabalhando para isso, porque trabalho com a Dilma há oito anos e sei da competência gerencial e política dela. Ela iria apenas colocar o estilo dela no governo e fazer as coisas novas que não conseguimos fazer". Lula disse também que se a simpatia for importante para ganhar as eleições, a ministra não sai perdendo: "Tem adversário dela que é muito menos simpático do que ela, então, se for por simpatia, ela já está eleita". Lula inventa qualquer desculpa para justificar sua candidata. Lula também avaliou o potencial que tem de transferir votos para os candidatos que apóia. Para ele, é mais difícil transferir votos para cargos como os de vereador e prefeito, por se tratar de políticos que estão mais próximos das pessoas em seus bairros e cidades. Já no caso de presidente da República, o presidente avalia que seu apoio teria mais peso. "Acho que o governo tem possibilidade de repassar muito voto, claro que tudo isso é relativo, porque vai depender muito da performance da nossa candidata, do desempenho dela durante a campanha, nos debates", disse ele.

Quatro bancos sofrem intervenção na Venezuela por irregularidades

Quatro bancos privados sofreram intervenção de autoridades venezuelanas, que alegaram "irregularidades recorrentes" nas instituições financeiras, de acordo com o ministro das Finanças, Alí Rodríguez. Os bancos representam 5,7% do sistema bancário venezuelano. Ainda não está imediatamente claro por quanto tempo deve durar a intervenção, mas as autoridades venezuelanas afirmaram que o atendimento aos clientes seria mantido. "A Superintendência de Bancos, junto com o Banco Central da Venezuela, emitiram quatro resoluções decretando a intervenção a portas abertas destes quatro bancos. Isso quer dizer que as operações continuam normalmente", disse o ministro. Os bancos Canarias, Bolívar, Pro Vivienda e Confederado foram os alvos das intervenções, todos eles pertencentes ao mesmo conglomerado financeiro, um grupo de investidores liderado por Ricardo Fernandez, também envolvido com o setor alimentício, que abastece a rede de fornecedores públicos conhecida como "Mercal". Segundo o ministro, entre as irregularidades que os bancos teriam cometido estão: o aumento de capital sem especificar a origem dos fundos, a repartição de dividendos sem autorização e a realização de operações proibidas com empresas coligadas.

Ministro Carlos Ayres Britto nega ter inovado e diz que competência para extraditar é de Lula

O ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal, negou nesta sexta-feira ter mudado o seu voto ao defender que o presidente bolivariano Lula decida sobre a extradição do terrorista Cesare Battisti com o objetivo de beneficiar o italiano. O ministro votou pela extradição do terrorista Battisti. "Não inovei em nada. Há dois meses, quando da extradição de um israelense, o tema foi debatido ainda com mais rapidez, eu disse isso com todas as letras, quem tem competência para entregar o extraditando ou o extraditável é unicamente o presidente da República. Só fiz confirmar isso agora. Não foi invencionice, não foi improvisação", afirmou ele. Segundo o ministro, a tarefa do Supremo no caso Battisti foi concluída ao final do julgamento: "Cada coisa em seu lugar, o Supremo decide sobre a extraditabilidade, a parte jurídica, encerra aí. Em sequência vem a parte política, que é de responsabilidade do presidente da República". O ministro Ricardo Lewandowski minimizou as dificuldades do tribunal em redigir o acórdão com a decisão final sobre a extradição do terrorista Battisti, o que pode atrasar a decisão do presidente Lula sobre o caso. Lewandowski considerou natural o ministro Cezar Peluso, relator do caso Battisti, pedir auxílio da ministra Cármen Lúcia para redigir o documento. "Como ele foi vencido em parte, ele entendeu que o acórdão deveria ser redigido na parte em que ele foi vencido pela parte vencedora", afirmou. Peluso disse ontem que teria dificuldades para redigir a parte do acórdão referente à decisão do STF de deixar para o presidente a palavra final sobre o caso Battisti. Durante o julgamento, Peluso se mostrou contrário a essa possibilidade, defendendo que a decisão do STF de julgar pela extradição do italiano fosse automaticamente cumprida pelo Poder Executivo. Por esse motivo, o relator disse não ter "condições" de redigir parte do acórdão. Carmen Lúcia foi a primeira a votar em favor do direito de Lula extraditar, ou não, Cesare Battisti. Por isso Peluso deve pedir seu auxílio na elaboração do documento. Para Ayres Britto, o tribunal deixou explícita a sua posição favorável à decisão final ser submetida ao presidente Lula porque os votos foram "claríssimos" nesse sentido. Com as dificuldades apresentadas por Peluso, o caso da extradição do terrorista italiano só deve chegar à mesa do presidente em 2010. Lula só deve analisar o processo após a publicação do acórdão, que oficializa a posição do STF. Segundo Peluso, o tribunal precisa encontrar uma forma técnica e clara para esclarecer que cabe ao presidente Lula a decisão final sobre o caso.

Ignorar tratado de extradição pode gerar ação contra Lula no Senado

Se o presidente bolivariano Lula descumprir o tratado de extradição entre Brasil e Itália para manter o terrorista italiano Cesare Battisti no País, ele poderá responder por crime de responsabilidade perante o Senado. A avaliação é de assessores jurídicos do Supremo. A lei nº 1.079 de 1950, que trata dos crimes de responsabilidade cometidos por autoridades, prevê no parágrafo 11 do artigo 5º que "são crimes de responsabilidade contra a existência política da União violar tratados legitimamente feitos com nações estrangeiras". Qualquer cidadão, assim como a Procuradoria-Geral da República, pode denunciar o presidente pela prática de crime de responsabilidade. Caberia ao Senado, porém, aceitar ou recusar a denúncia. O tratado foi firmado em Roma em 1989 e ratificado pelo Congresso em 1993 e tem força legal. Ele permite que o presidente se recuse a entregar o italiano. Diz, contudo, que o fato precisa ser "motivado", justificado. Existem sete opções para que o presidente deixe de entregar um extraditando, mas a única que poderia ser usada no caso é dizer que o terrorista poderá ser submetido a "atos de perseguição por opinião política". Lula busca uma saída jurídica para manter o terrorista Cesare Battisti no Brasil sem afrontar o Supremo nem desrespeitar o tratado. O advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, vai se encarregar da engenharia jurídica para sustentar a decisão do bolivariano Lula.

Equipe Williams da Fórmula 1 vende parte de suas ações

Frank Williams, dono da equipe Williams de F-1, e Patrick Head, cofundador da equipe, venderam uma parte minoritária das ações da escuderia, atitude que tomaram pela primeira vez desde que fundaram a empresa, em 1977. As ações foram vendidas para uma companhia de investimentos liderada pelo austríaco Toto Wolff. Apesar da venda, Frank Williams ressaltou que continua no controle da escuderia e que não pensa em se aposentar, mas Wolff terá participação nas decisões da equipe. "A venda foi feita por motivos pessoais. Falando por mim, é tempo de pagar algumas contas, como minha hipoteca", disse Frank Williams, bem-humorado. "Vamos apenas continuar com a festa. Não tenho nenhuma razão neste momento da minha vida, carreira ou saúde para querer parar de trabalhar", continuou o britânico de 67 anos. A equipe, nove vezes campeã Mundial de Construtores e sete vezes vencedora do Mundial de Pilotos, passa por problemas financeiros e nos últimos dez anos não conseguiu apresentar carros competitivos.

Neta de Mussolini denuncia venda de restos mortais do avô pela internet

A deputada italiana Alessandra Mussolini, neta do ditador Benito Mussolini, denunciou à polícia do país a venda pela internet do sangue e restos do cérebro obtidos após a autópsia de seu avô, cujo corpo foi pendurado em praça pública após ser fuzilado em 1945. Em comunicado de imprensa divulgado na sexta-feira, o gabinete de imprensa de Alessandra, do governista Povo da Liberdade (PDL), informa que a neta do ditador italiano apresentou a denúncia assim que soube desta possível venda por meio do site de leilões on-line eBay. Segundo a nota, a venda dos supostos restos está ilustrada com fotografias de fragmentos de cérebro e sangue de Benito Mussolini. De acordo com a neta do ditador, o material posto à venda no eBay é parte dos restos conservados pela Policlínica de Milão após a autópsia realizada no dia seguinte à exposição pública do cadáver. "É uma coisa muito grave. São coisas das quais é preciso se defender", comenta Alessandra.Fontes da Policlínica de Milão se apressaram em desmentir que haja no local algum tipo de restos de Mussolini e que, portanto, é impossível que as amostras de sangue e cérebro da autópsia realizada ali sejam postas à venda no eBay.

Tribunal Superior do Trabalho nega recurso de empresa do vice-presidente José Alencar

A Coteminas, um dos maiores grupos têxteis do País, pertencente à família do vice-presidente José Alencar, está sob risco de entrar para a lista negra do trabalho escravo. O Tribunal Superior do Trabalho negou o primeiro recurso da empresa para não ser incluída na lista, que será editada pelo Ministério do Trabalho no próximo mês. A Coteminas contesta a inclusão. Em 2007, o Grupo de Fiscalização Móvel para Erradicação do Trabalho Escravo do Ministério do Trabalho retirou 26 trabalhadores rurais que prestavam serviço em uma fazenda de eucaliptos da Coteminas, no município de Gaspar (SC). Eram empregados de uma empresa fornecedora de mão de obra, a Ambitec Serviços, contratada pela Coteminas, que, segundo a fiscalização, trabalhavam em condição análoga à de escravo. Os fiscais responsabilizaram a Coteminas pelas irregularidades, alegando que a empresa terceirizada não tinha idoneidade financeira e pertenceria a um "gato" (fornecedor de mão de obra escrava). Outro argumento dos fiscais é que a Coteminas não poderia ter terceirizado plantio e corte de eucalipto, porque o carvão movimenta as caldeiras da fábrica, em Blumenau, e seria uma atividade essencial no processo de fabricação. No mesmo dia da fiscalização, a Coteminas rompeu contrato com a empresa, contratou os empregados diretamente e pagou as multas aplicadas pelo Ministério do Trabalho. O ministério abriu um processo administrativo para apurar as infrações. Segundo o presidente da Coteminas, Josué Gomes da Silva, ela recorreu contra as autuações, mas seu recurso foi negado. A punição pela condenação administrativa seria a inclusão da empresa na lista negra do trabalho escravo. Quem está na lista fica impedido de receber empréstimos públicos, além de outras retaliações. A Coteminas entrou com ação na Justiça do Trabalho, em Blumenau, pedindo a anulação das multas sofridas e para não ser incluída na lista. A sentença em primeira instância foi favorável à Coteminas, mas a Advocacia Geral da União a contestou no Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina. No dia 14 de setembro, a 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho revogou a sentença, e deixou a empresa sob risco iminente de ir para a lista. A Coteminas entrou, então, com uma ""reclamação correicional" no Tribunal Superior do Trabalho contra a decisão da 2ª Turma, e pediu que se seu nome já estiver na lista a ser divulgada em dezembro, que seja excluído dela, até que haja decisão judicial final. A empresa disse que nunca manteve funcionários em situação análoga a de escravos e que sua inclusão na lista causaria perda em suas exportações e nas divisas para o País. O pedido foi negado pelo corregedor-geral da Justiça do Trabalho, ministro Carlos Alberto Reis de Paula, porque ele entendeu que não cabia a reclamação correicional (que se aplica quando há abusos dos juízes e tumulto processual) e que a empresa tem outras opções de recurso. A Coteminas é o maior grupo do setor têxtil do Brasil, com 12 mil funcionários e unidades de produção nos Estados de Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Norte e Paraíba.

Lula diz que disputar um terceiro mandato seria criar "ditadorzinho"

O presidente bolivariano Lula disse na quinta-feira que não aceita concorrer ao terceiro mandato porque, desta forma, "nasce um ditadorzinho". Ele afirmou que nenhum político é "insubstituível". "É importante que haja uma espécie de alternância do poder, rotação, para exercermos a democracia em toda sua plenitude", disse ele em evento de assinatura do termo de compromisso entre a Petrobras e o governo do Rio Grande do Norte que dará inicio às obras de ampliação da Refinaria Clara Camarão. Algumas pessoas da platéia, formada por funcionários da refinaria, gritaram "terceiro mandato", ao que Lula respondeu: "Não se pode brincar com a democracia, ficar mais um, mais dois, porque aí começa a nascer um ditadorzinho". Lula disse que oito anos para quem está no poder passam muito rápido, mas para os adversários, afirmou, "é uma eternidade". "Na política, a gente não pode se achar nem insubstituível, nem imprescindível. É sempre importante a gente acreditar que virá alguém melhor para fazer muito mais". Mesmo ausente, a candidata petista Dilma Rousseff foi citada por Edson Lobão (Minas e Energia), José Sérgio Gabrielli (presidente da Petrobras) e pela governadora do Rio Grande do Norte, Wilma Faria (PSB). Os três chamaram a candidata de "guerreira" e disseram que ela deveria ter participado do evento porque a refinaria só está sendo construída por sua persistência.

Suspeitos de roubar bebês na Argentina farão teste de DNA

O Congresso argentino aprovou nesta semana uma lei que autoriza a Justiça a determinar exames compulsórios de DNA em casos de suspeita de crime contra a humanidade. O projeto era uma bandeira da associação Avós da Praça de Maio, que tem nos testes de DNA um instrumento para identificar crianças apropriadas pela última ditadura militar argentina (1973-1986). Até hoje, nove filhos de desaparecidos políticos foram identificados com testes de DNA. O debate sobre o atrito que a questão provoca entre direitos pessoais e o direito à verdade foi reaceso no Senado, que aprovou o texto por 57 votos a favor e um contra. A tramitação do projeto foi questionada pela líder opositora Elisa Carrió, que vê na iniciativa intenção do governo de atingir a dona do Grupo Clarín, Ernestina Herrera de Noble. A empresária tem dois filhos adotivos. As Avós da Praça de Maio suspeitam que os pais biológicos dos filhos de Herrera De Noble tenham sido vítimas da ditadura militar. A lei, aprovada com o voto da bancada governista, serviria para obrigar os filhos de Herrera De Noble a confrontar seus exames de DNA com os registros de todos os pais cujos filhos são procurados pelas Avós. Principal conglomerado de mídia argentino, o Clarín adota desde 2008 tom crítico ao governo Cristina Kirchner, a quem acusa de promover uma série de ações para lesá-lo. Investigações sobre o regime militar indicam que, num de seus principais centros de detenção em Buenos Aires, funcionava uma maternidade clandestina. As presas políticas que davam à luz na carceragem foram assassinadas, e seus filhos, adotados ilegalmente por militares ou simpatizantes.

Congressista norte-americano critica Lula por receber ditador do Irã

Eliot_Engel O presidente da Subcomissão para a América Latina da Câmara de Deputados dos Estados Unidos, o democrata Eliot Engel, criticou nesta sexta-feira o presidente bolivariano Lula por receber o colega iraniano, o ditador fascista islâmico Mahmoud Ahmadinejad, que chegará ao Brasil na segunda-feira. "O presidente Lula está cometendo um grave erro", disse Engel por meio de um comunicado. "O Irã executou dois atentados terroristas letais em solo sul-americano nos anos 90, pede a destruição de Israel e desenvolve armas nucleares em segredo", afirmou o influente congressista. "Lula não deveria legitimar Ahmadinejad encontrando-se com ele no Brasil", acrescentou. O governo brasileiro indicou seu desejo de dialogar com o Irã, ao invés de isolá-lo para tentar fazer com que o país desista de prosseguir com seu programa nuclear. Em entrevista coletiva após a cúpula do G20 em Pittsburgh (nos Estados Unidos), há dois meses, Lula afirmou que pretendia aumentar as relações comerciais com o Irã, apesar da confirmação de que o país havia construído mais uma usina nuclear em segredo. A posição do presidente brasileiro não foi bem recebida por alguns membros do Congresso norte-americano. "O Brasil é um país democrático que passa por um acelerado processo de modernização, quer entrar no Conselho de Segurança da ONU e também deseja ser um líder mundial. Espero sinceramente que chegue a esse ponto, mas ampliar seus vínculos com Ahmadinejad não é o caminho", afirmou Engel.