domingo, 13 de setembro de 2009

Coréia do Norte treinou guerrilha brasileira

O regime comunista da Coréia do Norte treinou guerrilheiros brasileiros e enviou dólares a grupos de esquerda que pegaram em armas contra a ditadura militar nos anos 70. Instrutores do Exército coreano que falavam espanhol davam aulas de formação política, de marcha, emboscada, explosivos e manejo de armas leves, como fuzis e carabinas, aos alunos brasileiros. O jornal O Estado de S. Paulo entrevistou três dos integrantes de uma turma de brasileiros que treinou táticas de guerrilha rural naquele país. Integrantes da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR, o mesmo grupo da candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff), eles revelaram um segredo da guerra fria. Cuba e China também treinaram guerrilheiros, que depois voltaram ao Brasil. No caso dos alunos dos coreanos, isso só não ocorreu porque os planos fizeram água após a desagregação de sua organização. "O curso foi muito bom. Tinha a parte militar clássica, mas sempre voltada para o trabalho de guerrilha", afirmou o sindicalista Irany Campos, um dos guerrilheiros do curso. A turma de brasileiros era formada em sua maioria por militantes de esquerda que foram banidos do Brasil. Eles haviam sido enviados para fora do País em troca da libertação de diplomatas estrangeiros sequestrados em 1970 pelos guerrilheiros, como os embaixadores alemão ocidental (Ehrenfried von Holleben) e suíço (Giovanni Bücher).
A direção da VPR acertou com a Embaixada da Coréia, em Cuba, o envio dos militantes (a ALN quase fechou acordo semelhante). Os nove da VPR saíram do Chile e foram para Cuba. Ali pegaram um avião em Havana, que fez escalas no Canadá, em Marrocos e em Moscou, quando houve uma pausa de dois dias. Os soviéticos permitiram a estadia dos brasileiros, que depois rumaram à Sibéria, onde o avião fez a última escala antes de Pyongyang. O acampamento dos brasileiros era próximo da capital. "A gente permaneceu isolado. Só saía de lá com os coreanos", afirmou Jovelina Tonello, única mulher do grupo. "O professor de caratê era um cara que havia matado 13 em uma emboscada", disse Jovelina. O fato ocorrera na Guerra da Coréia (1950-53). Parte do treinamento, que durou três meses, ocorreu quando ainda havia gelo. As aulas de formação política eram dadas por coreanos. "Dentro da visão que eles tinham de solidariedade internacional do camarada Kim Il-sung. Nós estávamos ali em função da solidariedade internacional", afirmou Campos, citando o secretário-geral do PC daquele país.
Após três meses, os guerrilheiros voltaram a Cuba pela mesma rota. O objetivo era voltar para o Brasil, mas a maioria foi para o Chile, na época governado pelo comunista Salvador Allende. Jovelina foi uma das militantes que foram parar em Santiago. Naquele período, em 1972, a situação da VPR havia se deteriorado. Três grupos se digladiavam pelo controle da organização. O líder de um deles, o sargento Onofre Pinto, era acusado de traição por sua ligação com José Anselmo dos Santos, o cabo Anselmo, que foi preso e passou a trabalhar para o delegado Sérgio Paranhos Fleury, da polícia paulista. "Um dia me encontrei com o Onofre e ele me deu um beijo. Eu não entendi nada. Ele disse: ‘Eu recebi o relatório. Muito bom, muito bom’. Aí fiquei sabendo que era o relatório sobre o curso na Coréia", disse Jovelina.

Casal fascistóide Kirchner quer lei de restrição à imprensa aprovada nesta semana

Os aliados da presidente argentina fascistóide peronista populista Cristina Kirchner na Câmara de Deputados estão exercendo intensa pressão para tentar levar ao plenário, ainda nesta semana, o polêmico projeto da lei de radiodifusão que restringe os atuais grupos de mídia na Argentina. Os analistas políticos calculam que o governo poderá chegar à votação com um número muito apertado de parlamentares. O governo fascistóide afirma que a nova lei "acabará com os monopólios", enquanto a oposição e as empresas de mídia retrucam, afirmando que implicará em restrições à liberdade de imprensa. Para conseguir a aprovação, o governo precisaria votos de 129 dos 257 deputados. Segundo diversas estimativas, a presidente populista peronista fascistóide Cristina e seu marido, o ex-presidente Néstor Kirchner, considerado o verdadeiro poder no governo de sua mulher, possuíam há uma semana entre 130 e 134 deputados favoráveis. Mas, a incrível, inacreditável blitz da esquadra brancaleone de mais de 200 fiscais do Imposto de Renda contra a empresa do jornal Clarín, na última quinta-feira, provocou a perda de apoio de quatro a dez parlamentares. O projeto de lei dos Kirchners reduz o número de licenças que os atuais grupos de mídia, abre o caminho para a entrada das companhias telefônicas (“amigas” dos Kirchners) no segmento de televisão e favorece a presença de sindicatos e “organizações sociais” na mídia.

Câmara dos Deputados instala CPI para investigar a dívida pública nacional

A Câmara dos Deputados criou e instalou, na segunda quinzena de agosto, a CPI da Dívida Pública. Presidida pelo deputado federal Virgílio Guimarães (PT/MG), ela tem na relatoria um parlamentar do PMDB, e na vice-presidência o deputado federal Ivan Valente (PSOL/SP), que lutava pela sua instalação e conseguiu o número de assinatura. Ivan Valente anunciou a intenção de requerer que nela seja ouvido o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, uma vez que o objetivo da investigação é estabelecer as causas pelas quais a dívida pública passou de R$ 62 bilhões, em 1995, para R$ 1,6 trilhão, em 2009. Ivan Valente não esconde que o objetivo da CPI é político. Segundo ele, na gestão de Fernando Henrique Cardoso, "o pagamento de juros e o esforço fiscal para viabilizá-lo foram condicionados à chamada Lei de Responsabilidade Fiscal, fazendo com que os Estados e municípios dessem prioridade para o pagamento de juros da dívida interna em detrimento dos gastos sociais." Resumindo, o comunista paulista acha que as medidas legais de saneamento da dívida pública, que impediram a União, Estado e Municípios de gastarem mais do que arrecadam e deram seriedade e previsibilidade à gestão financeira do poder público, não têm valor algum. Ao parlamentar do PSOL pouco importa que os entes federativos se afundem em dívidas. A única condição que ele coloca é que o dinheiro dos cofres públicos tenha destino "certo": os parceiros sindicais, os profissionais das invasões de terras produtivas, o voluntariado comprometido com a esquerda, os ativistas sustentados pelo poder público, as ONGs que, desmentindo sua própria qualificação, em tudo dependem do governo para sobreviver.

Lindberg Farias negocia com PDT candidatura ao governo do Rio de Janeiro


Principal adversário do governador Sérgio Cabral (PMDB), que é candidato à reeleição, o prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias (PT), negocia com o PDT a formação de uma chapa majoritária no Estado, na tentativa de fortalecer sua candidatura ao governo. O PDT teria garantido um candidato ao Senado, em troca do apoio a Lindberg Farias. Embora o futuro político de Lindberg dependa da escolha da nova direção estadual do PT, o prefeito tenta desde já arregimentar aliados, para garantir a candidatura própria do partido, o que contraria a orientação do comando nacional petista e do próprio presidente Lula, favoráveis à aliança com Cabral no primeiro turno.

Evo Morales compra o “Cocalero Uno”, avião de R$ 100 milhões

O presidente da Bolívia, o índio cocaleiro trotskista Evo Morales, confirmou em La Paz a decisão de comprar um avião presidencial Antonov, de fabricação russa. Bolivianos já estão se referindo ao avião como "Cocalero Uno". O avião deverá ser pilotado por uma tripulação cubana, porque o cocaleiro Evo Morales não parece confiar nos militares da Força Aérea Boliviana. Será um modelo "Regional Jet", de luxo, e seu custo poderá chegar a US$ 45 milhões (R$ 100 milhões), porque o cocaleiro Evo Morales mandou instalar até sistema anti-mísseis, como no Air Force 1, de Barack Hussein. O cocaleiro Evo Morales fez a encomenda após o presidente Lula ir à Bolívia entregar US$ 322 milhões para financiar uma rodovia, naquele país. Em 2007, ele tomou refinarias da Petrobras que valiam mais de US$ 2 bilhões. O Antonov, tem capacidade para 80 passageiros e cabine reservada para o presidente, com sala, cama de casal, banheiro com hidromassagem.

Filho do vice-presidente cubano pede ajuda para deixar o país

Juan Almeida, filho do vice-presidente cubano Juan Almeida Bosque, que morreu na sexta-feira passada, disse a um jornal chileno que precisa de ajuda para conseguir deixar o país e tratar uma doença degenerativa contra a qual luta desde a adolescência. Em uma entrevista publicada neste domingo pelo jornal El Mercurio, de Santiago, Almeida relatou que desde 1998 está proibido de deixar Cuba. Ele já foi investigado, acusado de haver colaborado com serviços de inteligência estrangeiros e acabou preso em maio deste ano, quando tentou sair do país clandestinamente para encontrar sua mulher, nos Estados Unidos. Juan Almeida tem 43 anos e sofre de espondilite anquilosante, doença inflamatória crônica que atinge as grandes articulações do corpo, especialmente as da coluna. A enfermidade não tem cura, mas há tratamento para que o paciente possa conviver com ela. Em uma carta enviada em julho passado a José Miguel Insulza, secretário-geral da OEA, a filha de Almeida, Indira, que vive com a mãe nos Estados Unidos, afirmou que em Cuba não há tratamento, e que "por razões que desconhecemos", o presidente atual da ditadura comunista, Raúl Castro (da dinastia Castro), proíbe seu pai de sair do país. "Tenho dificuldades para respirar, para me mover, e grandes dores, porque aqui não há os remédios dos quais preciso para o meu tratamento", afirmou Almeida na entrevista.

Pesquisa aponta que cocaleiro trotskista Evo Morales tem apoio de 55% para se reeleger na Bolívia

O presidente da Bolívia, o índio cocaleiro trotskista Evo Morales, e seu vice-presidente, Álvaro García Linera, candidatos à reeleição em dezembro, têm aprovação de 55% dos eleitores, segundo pesquisa publicada neste domingo pelo jornal El Deber, de Santa Cruz de la Sierra. A pesquisa foi realizada pelo instituto Equipos Mori, que entrevistou 400 pessoas maiores de 18 anos nas cidades de La Paz, El Alto, Cochabamba e Santa Cruz de la Sierra, com margem de erro de 4,9%. Quase 55% das pessoas entrevistadas consideraram boas as políticas governistas, 22% acharam irregular e 21%, ruim, concluiu o estudo. Com 25%, apareceu em segundo lugar a chapa formada pelo ex-prefeito (governador) de Cochabamba, Manfred Reyes Villa, e o também ex-prefeito de Pando, Leopoldo Fernández, que está preso em La Paz sob acusação de comandar um massacre de camponeses cocaleiros, membros de milícia de Evo Morales, em setembro do ano passado.

Rússia paga US$ 1 bilhão para operar campo de petróleo da Venezuela

O presidente da Venezuela, o clown bolivariano Hugo Chávez, disse neste domingo que empresas russas vão pagar um bônus de US$ 1 bilhão ao país pelo direito de operar um campo de petróleo pesado da Faixa do Orinoco. Venezuela e Rússia acordaram a criação de uma empresa mista para explorar o Bloco Junin 6, onde esperam produzir entre 400 mil e 450 mil barris por dia de petróleo. "As empresas russas vão pagar um bônus de US$ 1 bilhão", disse Chávez durante seu programa semanal de rádio e tevê "Alô, Presidente". As operações entre a estatal venezuelana PDVSA e o CNP (Consórcio Nacional Petroleiro), integrado pelas empresas russas Rosneft, Gazprom, Lukoil, TNK-BP e Surgutneftegaz, se iniciarão em 2012.

Pai de Messi diz que Maradona nunca orientou seu filho em campo

Jorge Messi, pai do jogador argentino Lionel Messi, somou-se ao batalhão de críticos que vêm questionando o trabalho de Diego Maradona à frente da seleção do país, ao dizer que seu filho jamais recebeu orientações do técnico sobre de que forma deve atuar na equipe. A queixa foi feita por Jorge Messi em um telefonema a Luis Segura, secretário de Seleções Nacionais da Associação do Futebol Argentino (AFA). “Meu filho não se sentiu à vontade com Diego. Ele não está feliz. Maradona não fala com ele. É a primeira vez na carreira que Leo não recebe indicações de um treinador. Ele realmente não sabe em que posição deve jogar”, afirmou Jorge Messi. Como Segura é um dos colaboradores mais próximos de Julio Grondona, o presidente da AFA, a imprensa esportiva argentina crê que a nova reclamação pode tornar a situação de Maradona ainda mais incerta. Já é grande a pressão sobre o ex-craque, que ainda não acertou o time e precisa vencer o Peru e o Uruguai nas últimas rodadas das Eliminatórias para conseguir uma vaga na Copa de 2010.

Banco público compensa juro baixo com tarifa alta

Para compensar a redução nas taxas de juros, os bancos estatais aumentaram as tarifas bancárias e aumentaram suas receitas em até 50%. A Caixa Econômica Federal é a recordista entre os cinco maiores bancos do País. No primeiro semestre, ela aumentou em 50,86% a renda com tarifas bancárias em relação ao mesmo período de 2008. No Banco do Brasil o crescimento foi de 27,23%. Os bancos privados também tiveram ganhos, mas em proporção menor: Bradesco (11,78%) e Santander/Real (10,96%). No Itaú, houve queda de 5%.

TCU aponta desvios de R$ 680 mil no Ministério da Justiça do peremptório Tarso Genro

Cerca de R$ 680 mil terão de ser devolvidos por secretários e funcionários do Ministério da Justiça e da Secretaria Especial de Direitos Humanos, comandados pelo peremptório ministro Tarso Genro (candidato petista já escolhido ao governo do Rio Grande do Sul) aos cofres públicos por fraudes em contratos de promoção de eventos. A lista inclui até mesmo um encontro sobre corrupção e lavagem de dinheiro. A decisão, tomada pelos ministros do Tribunal de Contas da União, foi publicada na sexta-feira no Diário Oficial da União. A empresa beneficiada é a Aplauso Organização de Eventos, que recebeu R$ 51 milhões do governo Lula em três anos. A empresa já foi investigada tanto pelo Tribunal de Contas da União quanto pela Controladoria-Geral da União por fraudes junto a outros ministérios. De acordo com o TCU, R$ 161 mil saíram, há três anos, dos cofres da Secretaria de Direitos Humanos para a Aplauso, que deveria negociar 963 diárias de hotel para uma conferência. As diárias não saíram do papel, segundo o acórdão. O mesmo ocorreu com 600 cafés da manhã. No total, R$ 9,6 mil foram transferidos à Aplauso, mas os cafés jamais foram servidos. Outros R$ 70 mil foram desembolsados para custear almoços e jantares que igualmente não ocorreram. Houve ainda o superfaturamento de R$ 214 mil no aluguel de um clube em Brasília. Nos eventos do Ministério da Justiça, segundo o Tribunal de Contas da União, houve fraudes nos contratos. A pasta gastou, por exemplo, R$ 38,4 mil para alugar 1,2 mil cadeiras de restaurante para conferência sobre direitos da criança e do adolescente. No entanto, nenhuma mesa foi alugada para acomodar as cadeiras. Seminários das polícias Civil e Militar também foram usados para fraudar contratos de eventos. Foram alugados computadores que não foram usados, além de vans e ônibus em quantidade superior ao necessário, em período não compatível com o evento. Houve desvio de recursos também em encontro do Ministério da Justiça sobre corrupção e lavagem de dinheiro.

Montadoras oferecem reajuste salarial de 6,53% para seus trabalhadores

As montadoras ofereceram reajuste de 6,53% aos metalúrgicos do ABC paulista e abono de R$ 1.500,00 segundo o sindicato da categoria. A reunião entre os metalúrgicos e Sinfavea (Sindicato Nacional das Indústrias de Veículos Automotores) terminou às 4 horas de sábado. O reajuste contempla 4,44% correspondente ao INPC acumulado de 1º de setembro de 2008 a 31 de agosto de 2009, acrescido de cerca de 2% de aumento real. Os metalúrgicos aceitaram a oferta. Esse reajuste foi proposto para os salários até o teto de R$ 7.000,00. Ainda segundo a proposta, para os salários superiores ao teto, será incorporada a parcela fixa de R$ R$ 457,10. O piso salarial também será reajustado e passará de R$ 1.250,00 para R$ 1.275,00.

Ditadura cubana chora morte do vice-presidente gerontocrata Juan Almeida Bosque

A ditadura cubana fez uma homenagem no sábado ao vice-presidente, o gerontocrata Juan Almeida Bosque, que morreu na noite de sexta-feira, aos 82 anos, vítima de uma parada cardiorrespiratória. Em cerimônia, o presidente da Assembléia Nacional, Ricardo Alarcón, pediu um minuto de silêncio e proclamou uma das frases mais famosas de Almeida, que se transformou em slogan da Revolução Cubana: "Aqui ninguém desiste!". Esta frase foi dita por Almeida ao companheiro de revolução Ernesto Che Guevara, quando eles, junto aos irmãos Fidel e Raúl Castro, retornaram ao país em dezembro de 1956. Eles estavam entre os 16 que sobreviveram aos tiros das tropas do governo. Alarcón disse que Almeida foi "um dos principais artífices da Revolução Cubana" e esteve com o ditador gerontocrata Fidel ao longo de todo o movimento. O ministro da Cultura cubano, Abel Prieto, afirmou que o comandante foi "uma das grandes figuras da Revolução". O vice-presidente será enterrado com honras militares no Mausoléu da 3ª Frente Oriental Mario Muñoz Monroy, da qual foi fundador e seu único chefe. Um dos únicos três dirigentes a ostentar o título de Comandante da Revolução, junto com Ramiro Valdés e Guillermo García, Almeida era vice-presidente do Conselho de Estado, membro do poderoso birô político e do Comitê Central do PCC, além de deputado. Nascido em 17 de fevereiro de 1927, Juan Almeida acompanhou fielmente os irmãos ditadores Fidel e Raúl Castro durante mais de meio século de ditadura. Almeida teve nove filhos de três casamentos. Sua primogênita, Beatriz, vive nos Estados Unidos desde 2005, e um dos rapazes, Juan Juan Almeida García, foi detido em maio passado quando tentava imigrar clandestinamente para Miami para se reunir com sua mulher.

Justiça do Mato Grosso vai decidir destino de área que vale mais de R$ 1 bilhão

A Justiça de Mato Grosso tentará na próxima semana pôr fim a uma disputa que se arrasta há 30 anos e envolve cerca de 150 mil hectares de terras agricultáveis no município que é um dos maiores produtores de soja no mundo. Do tamanho da cidade de São Paulo, a área em litígio representa 16% do território de Sorriso (cidade localizada a 420 quilômetros de Cuiabá) e vale mais de R$ 1 bilhão. Ela abriga dezenas de fazendas de 100 hectares a até 2.000 hectares e é considerada uma das melhores áreas de cultivo na região. Na próxima quinta-feira, uma audiência de conciliação vai reunir a defesa do norte-americano Edmund Augustus Zanini e representantes de 275 produtores rurais já estabelecidos na área a partir da década de 1970.

Exibir mapa ampliado
O norte-americano reivindica a propriedade das terras e tenta reverter na Justiça o que alega ter sido uma fraude promovida ainda no processo de colonização do município. Os fazendeiros dizem que compraram as terras de "boa-fé" de uma colonizadora e não estão dispostos a aceitar nenhum acordo. O processo tramita na Vara Cível Especializada em Conflitos Agrários e tem sua origem em 1964, quando Zanini comprou uma grande na então inóspita faixa de terras no médio-norte de Mato Grosso. Em 1978, uma procuração supostamente assinada por ele a terceiros permitiu a venda e o loteamento da maior parte da área. O norte-americano tem a seu favor uma decisão de 1991, em um processo criminal, na qual a Justiça de Mato Grosso condenou três pessoas pela participação na fraude do documento. Com base no resultado, ele ingressou com ação cível para reaver o patrimônio e receber por danos materiais e morais.

Banco Central aprova entrada do Banco do Brasil no controle do Votorantim

A diretoria do Banco Central aprovou na sexta-feira a entrada do Banco do Brasil no grupo de controle do Banco Votorantim. A autoridade monetária determinou que os ganhos de eficiência resultantes da operação sejam repassados aos clientes por meio de redução das tarifas bancárias. A compra foi anunciada em janeiro deste ano. Pelo acordo, o banco federal comprou 49,99% do capital votante e 50% do capital social, ou seja, a família Ermírio de Moraes, proprietária do Votorantim, manterá o controle acionário, mas a gestão será compartilhada com o Banco do Brasil.

Líder esquerdista colombiano propõe denunciar as Farc ao Tribunal Penal Internacional

O senador colombiano Gustavo Petro, que busca ser o candidato da esquerda nas eleições presidenciais de 2010, propôs na sexta-feira que as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, organização terrorista e traficante de cocaína) sejam denunciadas ao Tribunal Penal Internacional por crimes de guerra. O senador disse que a organização de inspiração comunista tortura e, portanto, comete crimes de guerra contra seus prisioneiros. O legislador também falou das condições em que os terroristas mantêm os dez reféns que, segundo provas recolhidas pelo Exército, aparecem com correntes no pescoço e mostram em seus semblantes os rigores do sequestro. “Líder de esquerda” nunca perde o cacoete, ele parece estar denunciando as Farc, na verdade está fazendo um jogo de palavras, para atribuir a essa organização terrorista o status de uma guerrilha, de um exército combatente. E assim as Farc poderiam sentar na mesa para negociar com o governo.

Senado Federal entra com ação no Supremo para esclarecer as funções da Polícia Legislativa

O Senado Federal encaminhou na sexta-feira ao Supremo Tribunal Federal uma ação com o pedido para que o tribunal estabeleça os reais poderes da Polícia Legislativa da Casa. Na ação direta de constitucionalidade, o Senado quer esclarecer se os policiais legislativos podem executar funções como prisões, busca e apreensão e cumprimento de mandados judiciais, a exemplo do que já é permitido à polícia judiciária. Os policiais pedem na ação maior liberdade de atuação e possibilidade de tomar medidas atualmente não previstas pela Constituição, como a execução de prisões nas dependências da Casa. Além disso, a Polícia Legislativa trabalha para desfazer a imagem de que é orientada a agir politicamente dentro do Senado, especialmente depois da crise política que atingiu a instituição. Durante a tramitação de processos contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), a Polícia Legislativa foi acusada de tomar medidas favoravelmente ao peemedebista, como ações para conter manifestantes contrários à permanência de Sarney no cargo. Na minuta da ação encaminhada ao Supremo fica clara a justificativa de que os policiais legislativos não atuam sob a orientação política dos parlamentares.

Hacker invadiu site da AFA e vestiu a camiseta da seleção brasileira em Maradona

Um grupo de piratas virtuais autointitulado "KKR" invadiu na sexta-feira (11) o site da AFA (Associação do Futebol Argentino) e publicou em sua página principal uma foto do técnico Diego Maradona usando a camisa da seleção brasileira. Em uma tela inteiramente negra, os invasores incluíram apenas a foto e, abaixo dela, a frase "uma imagem vale mais que mil palavras". A foto de Maradona foi tirada de uma campanha publicitária do Guaraná Antárctica, marca brasileira, em que Maradona sonhava que era jogador da seleção brasileira. Para corrigir o problema, a AFA tirou sua página do ar durante todo o fim de semana.