sexta-feira, 10 de julho de 2009

Oposição pedirá cópia de auditorias e investigações na instalação da CPI da Petrobras

A oposição preparou para a instalação da CPI da Petrobras, marcada para terça-feira, uma ofensiva contra a estatal. Senadores do PSDB e do DEM vão apresentar requerimentos pedindo a cópia de todas as investigações da Polícia Federal e do Tribunal de Contas da União contra a Petrobras, além de requisitar que as auditorias internas sejam disponibilizadas. A idéia da oposição é destacar a imagem de caixa-preta da Petrobras e reunir documentos para que seus técnicos possam preparar um arsenal para constranger o governo e os diretores da estatal. "A nossa intenção é mostrar mais uma vez que a CPI não tem o objetivo de prejudicar a estatal, mas esclarecer uma série de denúncias de irregularidades que pesam sobre essa empresa que é uma verdadeira caixa-preta", disse o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), que coordena as ações da oposição na CPI. O material mais esperado pelos oposicionistas envolve as operações da Polícia Federal que investigaram fraudes em licitações e desvio de royalties de petróleo. Uma equipe de técnicos do PSDB já trabalha levantando detalhes sobre a execução orçamentária da estatal atrás de indícios de manobras ilegais. Na reunião da CPI na terça-feira, será eleito o presidente e indicado o relator. Para ter controle das investigações, os governistas decidiram ficar com os cargos de comando.

Petróleo volta a ficar abaixo de US$ 60,00 o barril

O preço do barril de petróleo voltou a ficar abaixo dos US$ 60,00 em seu nível mais baixo desde maio devido à inquietude do mercado com a fraqueza da demanda global. A cotação do barril já desvalorizou mais de US$ 13,00 na comparação com o pico da semana passada. "Este movimento dos preços pode ser interpretado como um reajuste tendo em vista os fundamentos baixistas, combinados com uma inquietude maior a respeito das perspectivas da economia mundial", avaliaram os analistas da corretora ODL Securities. O preço do petróleo vem registrando queda devido à expectativa de que a demanda recue mais, em meio aos temores de que a economia global continue em recessão por mais tempo que o previsto.

Argentina decreta feriado para tentar conter a gripe suína

O governo argentino decretou nesta sexta-feira um feriado sanitário para a administração pública nacional, que atinge em parte o setor privado, em uma tentativa de frear o avanço da gripe suína. Segundo o último balanço da OMS (Organização Mundial de Saúde), a doença afetou 2.485 pessoas no país, além de causar 60 mortes. O opositor governo da capital argentina resolveu não aderir à proposta nacional. Os funcionários públicos trabalharam normalmente, mas alguns bancos e financeiras privadas permaneceram fechados como a maior parte do comércio da cidade. O ministro da Saúde, Juan Manzur, enfatizou que o vírus mostrou um retrocesso na capital, periferia e distritos mais povoados, apesar de ainda registrar mais contágios no interior do país.

Brasil Foods pretende captar R$ 4,5 bilhões com oferta pública de ações

A Brasil Foods vai oferecer ao mercado 115 milhões de ações ordinárias, para levantar R$ 4,5 bilhões (calculado a partir do preço médio das ações já em circulação). Esse montante pode chegar a R$ 5 bilhões, caso haja demanda por um lote suplementar de ações. O período de reserva dos papéis começou nesta sexta-feira e vai até dia 14, mas restrito aos acionistas da Sadia e da Brasil Foods. Para os demais interessados, o período de reserva começa dia 17 e vai até dia 20. O preço por ação será fixado após o final do período de reserva. A oferta pública, à semelhança das demais operações, vai atender investidores institucionais e não-institucionais (que podem reservar ações até o limite de R$ 300 mil). Os coordenadores da oferta são os bancos JP Morgan, Santander, Banco do Brasil e UBS Pactual (coordenador líder). A Brasil Foods assinou um acordo de associação com a Sadia em maio deste ano, mas a fusão entre as duas companhias ainda depende da aprovação dos órgãos de defesa da concorrência. Os acionistas de Sadia e Perdigão já aprovaram a associação. Apesar da associação com a Sadia não ter sido aprovada em todas as instâncias, os recursos devem ser destinados à liquidação de dívidas dessa empresa, estimada em R$ 8 bilhões.

Lula diz que senadores não são enquadráveis e nega pressionar PT em favor de Sarney

O presidente Lula negou nesta sexta-feira que tenha enquadrado o PT para obrigar o partido a recuar no pedido de licença do presidente do Senado Federal, senador José Sarney (PMDB-AP). Lula afirmou que presidentes não enquadram senadores: "Acho engraçada a idéia de que o presidente da República enquadre o Senado. Senadores não são enquadráveis, têm mandado de oito anos e eu tenho de quatro", afirmou Lula. Perguntinha: você acredita em Papai Noel, em Coelhinho da Páscoa? O PT ameaçou pedir o licenciamento de Sarney do cargo até o final das investigações de irregularidades no Senado. Incomodado com a falta de apoio, Sarney ameaçou renunciar ao cargo. Lula, que estava no Exterior na ocasião (o que é o mais comum nele, como estava de novo no Exterior nesta sexta-feira), agiu para impedir a saída de Sarney. Ao retornar ao Brasil, se reuniu com o PT e disse que a saída de Sarney agravaria a crise.

Cidade chinesa impõe novo toque de recolher e milhares fogem de conflitos

As autoridades da cidade de Urumqi, capital da Província de Xinjiang, impuseram nesta sexta-feira um outro toque de recolher para tentar conter novos protestos e confrontos como os que resultaram na morte de 156 pessoas no último dia 5. Milhares de muçulmanos uigures fogem da cidade com medo de uma escalada na violência da repressão policial e dos confrontos com a maioria han. O toque de recolher havia sido cancelado na quinta-feira depois de um dia de intensa presença militar nas ruas da cidade para forçar à volta à normalidade. O aeroporto está cheio, assim como as estações de ônibus e de trem, o meio de transporte mais barato e acessível à pobre população uigur. A maioria dos passageiros do aeroporto eram chineses, embora de ambas as etnias.

Exibir mapa ampliado
Quase 10 mil pessoas deixaram a cidade a cada dia no decorrer da semana desde a violência de domingo, o dobro do normal. Os revendedores de passagens no mercado negro confirmaram que os moradores deixam a cidade com medo. Parte dos mais de 20 mil militares deslocados para garantir a segurança após o pior confronto desde 1949, segundo Pequim, foram alocados nesta sexta-feira em locais de grande movimentação e nas 200 principais mesquitas da cidade. As autoridades queriam manter as mesquitas fechadas nesta sexta-feira, dia sagrado de oração para os muçulmanos, para evitar reuniões que pudessem desencadear em novos distúrbios. Mas, os uigures pressionaram as forças de segurança que acabaram cedendo e abrindo as portas de algumas mesquitas em áreas de Urumqi. No domingo passado (5), a repressão dos protestos de uigures resultou na morte de 156 pessoas e deixou mil feridos, segundo dados oficiais.

Oposição leva nova denúncia contra Sarney para Ministério Público

A denúncia de que a Fundação José Sarney desviou recursos de um patrocínio cultural da Petrobras será alvo de uma investigação do Ministério Público. A oposição protocolou nesta sexta-feira uma representação contra o coordenador de projeto da fundação, Raimundo Nonato. O líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), também levou a acusação para o Conselho de Ética do Senado Federal, pedindo que o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), seja investigado por quebra de decoro parlamentar. Segundo Arthur Virgilio, as explicações de Sarney de que não tem responsabilidade administrativa sobre a fundação que leva seu nome não convenceram: "São denúncias graves, que foram rebatidas pelo presidente Sarney, mas foram explicações incompletas, inconsistentes e insuficientes". O presidente do Senado já foi denunciado no Conselho de Ética por Arthur Virgílio e é alvo de uma representação por quebra de decoro parlamentar pela edição dos atos secretos. O colegiado estava sem funcionar desde março por causa da falta de indicação dos componentes pelos líderes partidários. O conselho deve ser reativado na próxima semana, véspera do recesso parlamentar.

GM anuncia saída de concordata "mais forte e responsável"

Após 40 dias do pedido, a montadora norte-americana GM (General Motors) anunciou nesta sexta-feira que está de saída da proteção judicial oferecida pelo capítulo 11 da Lei de Falências dos Estados Unidos, o equivalente à concordata, ou à recuperação judicial no Brasil. O executivo-chefe da empresa, Fritz Henderson, informou que a empresa saiu da concordata mais rápido do que se poderia esperar, e que a "nova GM" será "mais rápida e responsável com os consumidores do que a antiga" e que pagará os cerca de US$ 50 bilhões que pegou emprestado do governo norte-americano antes de 2015, que é a data limite para a quitação. A nova GM, explicou o executivo, agora focará mais nos consumidores, incluindo uma parceria com o site de leilões virtuais eBay para as pessoas comprarem veículos em leilões online. Além disso, Henderson informou que a GM irá produzir os carros e caminhões que os consumidores querem --indicando uma tendência da empresa ter maior percepção das mudanças nas preferências dos seus potenciais consumidores, e farão isso mais rápido que no passado.

Ciro Gomes diz que aceita aliança com Maluf, mas não com Orestes Quércia

Possível candidato ao governo de São Paulo, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) disse na quinta-feira que uma eventual aliança com o “colega” Paulo Maluf (PP-SP) não afetaria "a hegemonia moral e intelectual" de sua aliança. Quá, quá, quá, falar em hegemonia moral e intelectual e uma coligação com Maluf é qualquer coisa de inenarrável... "Não vou para uma aliança com o Quércia, não vou. Ponto final", disse Ciro Gomes. A pergunta é, quem se associa a Maluf, pode haver coisa pior?!!! Quércia é aliado do governador José Serra. "Não vou com Newton Cardoso, com Jader Barbalho”, insistiu o campeão da moral cearense. "E com Maluf?”. Aí o campeão moral vacila: "Depende da hegemonia moral e intelectual que se estabeleça, porque o PP não tem hoje tamanho para alterar o centro de uma hegemonia moral e intelectual boa". Quá, quá, quá. O cara não aprendeu ainda a extensão do ridículo. E ainda aparece como um intelectual, citando o comunista italiano Gramsci: "Faço aliança até com Satanás se for para fazer a obra de Deus". Ciro Gomes foi casado com a atual senadora Patricia Saboya, uma militante do PCdoB na juventude.

Ibama rejeita licença para obra do PAC na Amazônia de asfaltamento da BR-319

Parecer do Ibama (Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) rejeitou licença ambiental para uma das mais polêmicas obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) na Amazônia. Trata-se do asfaltamento de trecho de mais de 400 quilômetros da BR-319, que liga Porto Velho (RO) a Manaus (AM). Para o Ibama, o projeto de asfaltamento da BR-319 provoca danos ambientais. O parecer considera o empreendimento "inviável ambientalmente" e aponta "falhas graves" no diagnóstico dos impactos da rodovia no meio ambiente e nas medidas de compensação desses impactos. De acordo com a reportagem, a decisão compromete o cronograma da obra. O último balanço do PAC previa que a conclusão da obra se daria no final de 2011. Para isso, a licença ambiental prévia deveria ter sido liberada há três semanas.

BNDES venderá em leilão 15% das ações da controladora da Oi

Até o final do mês, a BNDESPar venderá em leilão aproximadamente 15% das ações com direito a voto da Telemar Participações, holding que controla o grupo de telefonia Oi. O preço mínimo de venda previsto é de R$ 824 milhões. Apesar de o leilão ser, tecnicamente, aberto a qualquer interessado, é certo que os fundos de pensão estatais Petros (da Petrobras) e Funcef (da Caixa Econômica Federal) ficarão com as ações, pelo preço mínimo do leilão. Os dois fazem parte do bloco de acionistas da empresa, e, por isso, estão em vantagem. Se comprarem as ações, cada um terá representante no conselho de administração da companhia, poder de veto nas reuniões prévias das assembléias de acionistas e outros direitos. Se um candidato de fora do grupo vencer o leilão, será minoritário nas assembléias de acionistas, e não poderá vender suas ações nas mesmas condições dos controladores, em caso de venda da empresa. "Se aparecer outro comprador no leilão, será um contrassenso, porque as ações não têm liquidez na Bolsa e o valor do negócio é muito alto. A compra só faz sentido para quem já está no grupo de controle acionário", afirma o presidente da Funcef, Guilherme Lacerda. O leilão é a última etapa da reorganização societária da Oi, iniciada em abril de 2008, com a compra da Brasil Telecom. O BNDES financiou a reestruturação, com R$ 2,569 bilhões. Na reorganização, alguns sócios (grupos GP, Opportunity, Citibank e seguradoras ligadas ao Banco do Brasil) deixaram a companhia. Os grupos La Fonte e Andrade Gutierrez somaram suas ações às do fundo de pensão Atlântico, dos empregados da Oi, e ficaram majoritários no capital votante. Antes da mudança, o BNDES tinha 25% do capital da Telemar. Com a saída de alguns sócios, passou a ter 31,6%, mas cairá para 16,89% depois do leilão, para que Petros e Funcef aumentem suas fatias e tenham representantes no conselho. Os dois fundos possuem hoje, cada um, pouco menos de 3% das ações com direito a voto da Telemar Participações e ambicionam chegar a 10%. A Previ (fundo de pensão do Banco do Brasil) tem cerca de 13%.

Poço seco pode levar governo a rever planos para o pré-sal

A descoberta do pré-sal da bacia de Santos sofreu um revés nesta semana com o anúncio do consórcio liderado pela Exxon de um poço seco, o primeiro onde não foi encontrado óleo na nova e ainda promissora província petrolífera. Para especialistas, a notícia serviu para dar um "choque de realidade" tanto no governo como na Petrobras e levará certamente a um redesenho das propostas em análise para o novo marco regulatório do setor, que estava prestes a ser anunciado. "O furo seco mostrou que o risco do pré-sal não é zero, como apregoava o governo, que vendeu a idéia com estardalhaço de que as reservas serviriam para suprir todo o mundo de petróleo e quitar a dívida social do País. Agora, vimos que o pré-sal não é um bilhete premiado, mas também não é uma porcaria", diz Adriano Pires, da consultoria CBIE (Centro Brasileiro de Infraestrutura). Até o insucesso de Guarani (área perfurada pela Exxon), o pré-sal era disparadamente a mais promissora região exploratória do mundo. É que havia sido encontrado óleo em todos os poços perfurados até então. Na própria área de concessão de Guarani, o bloco BMS-22, o consórcio (que conta ainda com Amerada Hess, 40%, e Petrobras, 20%) obteve sucesso e descobriu a reserva de Azulão. Para David Zylbersztajn, ex-diretor-geral da ANP, o "anormal" era a taxa de sucesso de 100% do pré-sal, e não o poço seco, algo comum. O geólogo Giuseppe Bacoccoli, pesquisador da Coppe-UFRJ, diz que o índice na bacia de Santos é de 20%. Ou seja, em 80% dos poços não é achado petróleo em volumes comerciais. "Furar e não dar nada é a vida do setor, que é um cassino, no qual o crupiê é a natureza. O pré-sal era algo espantoso, mas se viu que nem tanto como se pensava. Mas ainda é uma reserva muito importante, muito promissora", diz Zylbersztajn.

Estudo aponta que troca de arquivos na web impulsiona economia

Ao contrário das alegações da indústria do entretenimento, a troca de arquivos digitais causa menos prejuízo do que se pensa. A afirmação é de um estudo publicado pela Harvard Business School. Conduzida pelos economistas Felix Oberholzer-Gee e Koleman Strumpf, a pesquisa aponta que, apesar de a venda de discos ter caído desde 2000, o número de álbuns criados mais que dobrou. Em 2000 foram lançados 35,5 mil títulos, enquanto em 2007 o número chegou a 79,6 mil, incluindo 25,1 mil álbuns digitais. O estudo também aponta que a troca de arquivos protegidos por direitos autorais não tem efeitos econômicos drásticos. "Não vemos evidência alguma de que o compartilhamento de arquivos desencorajou a produção artística. A tecnologia digital diminuiu os custos de produção de filmes e músicas e permitiu que os artistas alcançassem seu público de novas maneiras", diz o texto. O download não representaria, portanto, uma venda perdida. Além disso, aumentou a demanda por shows. Na conclusão, os pesquisadores apontam que o maior acesso do público às músicas e uma proteção mais fraca dos direitos autorais, aparentemente, beneficiaram a sociedade.

Aécio Neves critica "populismo" de Lula e quer coluna da oposição

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), criticou na quinta-feira os "populistas" do governo Lula e pediu que os 94 jornais que publicam coluna do presidente também dêem espaço para a oposição. Aécio Neves, um dos possíveis candidatos à Presidência, disse que sugeriu isso a líderes do DEM, recebidos por ele, e do PSDB. Pediu que tentem conseguir espaço nos jornais para a oposição se posicionar sobre os mesmos assuntos tratados pela coluna de Lula. Aécio Neves disse que o País precisa de "gestão pública mais qualificada e menos populismo", citando o PAC e a publicidade do programa “Luz para Todos”. Então foi questionado se considerava a coluna de Lula um ato populista: "Nós não vamos proibir o presidente de se manifestar. Se os jornais dão a ele esse espaço, que seja dado. Mas eu acho que, em benefício da democracia, para que não fique um discurso unilateral, poderia ser dado espaço no dia seguinte para que alguém da oposição fizesse comentário em relação ao que foi colocado”. Segundo o governador, isso impediria que fosse passada a idéia de que há "vinculação desses veículos com o governo". "Seria importante que se abrisse o mesmo espaço para alguma liderança de oposição se manifestar", disse Aécio Neves. Na primeira coluna "O presidente responde", publicada na última terça-feira, Lula falou sobre SUS, habitação e Copa, aproveitando para explicar irregularidades na preparação dos Jogos Pan-Americanos de 2007. Aécio Neves disse que não colocou em dúvida as explicações de Lula sobre o Pan, mas que a oposição poderia dar também sua versão sobre o fato. Ao falar dos atos populistas de Lula, Aécio Neves se referiu às propagandas de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), que pode ser uma das principais plataformas eleitorais do governo federal na eleição de 2010, quando deverá tentar eleger a ministra Dilma Rousseff. "Há muita propaganda que não corresponde às ações concretas que vão sendo tomadas", disse ele, citando também a publicidade do programa “Luz para Todos”. Conforme Aécio Neves, 70% do programa em Minas Gerais é custeado pelo governo estadual, mas a Eletrobrás e o governo Lula não citam isso na propaganda: "O governo federal entra com cerca de 30% e se apropria do programa Luz para Todos, como se fosse ele, solitariamente, o responsável por esse programa”.

Revista britânica The Economist chama Senado de "casa de horrores"

A longa lista de escândalos do Senado brasileiro chegou às páginas da revista britânica The Economist, uma das mais conceituadas do mundo. Com o sugestivo título de "Casa de Horrores", a publicação relembra o escândalo dos atos secretos, a residência de R$ 4 milhões omitida pelo presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), da Justiça Eleitoral, os negócios de crédito consignado de seu neto José Adriano Sarney, dentro do Senado, além da farra das passagens aéreas e o castelo de R$ 5 milhões não declarado à Receita Federal pelo ex-diretor Agaciel Maia. Com o irônico subtítulo "O que os parlamentares britânicos podem aprender com os senadores brasileiros", a reportagem começa lembrando outros detalhes da vida no Senado com que os brasileiros já estão acostumados: 10 mil servidores para tomar conta de apenas 81 senadores, plano de saúde gratuito e vitalício para os parlamentares, auxílios-moradia generosos. "Um ex-servidor conta que seus colegas costumam dizer que o Senado era como uma mãe para eles. Outros o comparam a um clube", diz a revista. The Economist conta, ainda, que senadores de todos os espectros políticos estão envolvidos, citando o caso de Arthur Virgílio (PSDB-AM), que teve uma conta de seu hotel em Paris paga por Agaciel Maia. Sarney, na reportagem, é apontado como um "sobrevivente" e o prognóstico da revista é de que ele deverá manter a cadeira de presidente do Senado, lembrando a defesa do senador feita pelo presidente Lula e seu interesse em manter o PMDB como aliado. "Em um período em que a economia apenas começa a ressurgir de uma recessão, a saga dos atos secretos lembra aos brasileiros que seus políticos nunca impõem austeridade a eles mesmos. Também por relembrar os defeitos de alguns aliados de Lula e sua disposição para fechar os olhos a escândalos quando isso lhe serve", finaliza The Economist.

Veja o talento redescoberto de Ronaldo Nazário

Receita Videversus – aprenda a fazer uma moqueca de frango com a chef de cuisine Simone Nejar


Jorge Amado foi injustiçado por não ter recebido o Prêmio Nobel, pois conseguiu criar um imaginário fantástico da sua região no Brasil. Em seus romances, a culinária tem seus momentos de glória, pelo menos com duas protagonistas quituteiras, Gabriela Cravo e Canela e Dona Flor, e só por isso ele já mereceria o Nobel - da culinária, pelo menos... Enquanto Dona Florípedes foi criada em Salvador e lá aprendeu suas receitas, como a moqueca de siri mole imortalizada por Vadinho, Gabriela, retirante da seca e da violência, vindo da caatinga, aparece na história sem que se saiba onde terá aprendido a fazer coisas tão boas. Inocente, não tem noção de seus atrativos nem dos reflexos de sua impensada traição com Tunico Bastos. Nassib, homem de boa paz, terá de vingar-se de Tunico e Gabriela matando-os para manter o código de honra da região, embora isso não faça sentido para ele. Está ferido, mas tem de esforçar-se para sentir raiva. Não quer perder a companhia daquele raio de luz em sua vida, nem a quituteira absolutamente excepcional do Bar Vesúvio. Os poderosos de Ilhéus também não querem perder aqueles quitutes, e acham a solução com o casamento. Assim, a alta burguesia de Ilhéus não vai ficar sem seus pratos. Hoje vamos inventar uma moqueca de frango. Precisamos de 1 cebola grande em rodelas, sal, uma xícara de molho de tomate, um pimentão em rodelas, dois dentes de alho fatiados, uma folha de louro, uma pimenta dedo-de-moça sem sementes picada, um vidrinho de 200 ml de leite de coco, três colheres de sopa de azeite de oliva, três colheres de sopa de azeite-de-dendê , tempero verde, 500 g de peito de frango e quatro colheres de sálvia fresca. Vamos cortar o peito de frango em lascas grandes, temperar com sal e sálvia fresca picada. Aquecemos uma panela (pode ou não ser de barro) e misturamos ali os dois azeites, para fritar o alho fatiado e a seguir as lascas de frango. Se você não gostar do sabor do azeite de dendê, use apenas o de oliva. Quando o frango estiver dourado, juntamos a folha de louro, o molho de tomates, o coentro, a pimenta e o leite de coco. Colocamos por cima as rodelas de cebola e de pimentão, o tempero verde, tampamos a panela se for de barro e a levamos ao forno por 25 minutos. Servimos com arroz branco.