quinta-feira, 30 de abril de 2009

Blog dos Apoiadores de Delúbio Soares escancara sua campanha de volta ao PT


A campanha de reintegração do ex-tesoureiro Delúbio Soares ao PT produziu mal-estar no partido ao expor, na internet, o nome de apoiadores da causa. No ar, um blog em favor da volta de Delúbio Soares (você pode vê-lo no endereço http://companheirodelubio.blogspot.com) exibe uma galeria de fotos que inclui do senador Eduardo Suplicy (SP) ao ex-ministro e prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho. Consultados por Delúbio Soares, eles até se comprometido a apoiar a reintegração do ex-tesoureiro, expulso do PT em 2005 em meio ao escândalo do Mensalão. Mas reclamam de sua exposição. Até terça-feira, as fotos eram acompanhadas pela inscrição "galeria de apoiadores". Na quarta-feira, depois de o ex-tesoureiro ter sido procurado pela imprensa, o título mudou para "companheiros petistas". "Não sei de campanha. Não estou participando disso. Nem participo mais do diretório", reagiu a senadora Ideli Salvatti (SC). Marinho informou não ter autorizado o uso de sua imagem, nem mesmo assinado qualquer documento em favor de Delúbio Soares. O governador do Piauí, Welington Dias,o prefeito de Vitória (ES), João Coser, e o ex-governador do Acre, Jorge Vianna, não responderam se permitiram o uso de seus nomes. O líder do PT na Câmara dos Deputados, o deputado federal Cândido Vaccarezza (SP), reiterou a disposição de votar em favor de Delúbio Soares no Diretório. Segundo ele, "seus argumentos são convincentes". Vaccarezza condena, no entanto, o lançamento de campanha. "Sou contra campanha. Disse a Delúbio que só atrapalha", afirmou ele. Já o senador Eduardo Suplicy não só admite ter assinado um manifesto pela reintegração como concordado com o uso de sua imagem. Ao receber Delúbio Soares, Suplicy sugeriu, porém, que o partido registre doações e gastos na internet: "Disse a Delúbio que ninguém deve ser condenado para sempre”. Esse é moralista Eduardo Suplicy. Delúbio Soares ainda nem foi julgado no Supremo Tribunal Federal, onde é réu na Ação Penal 470, que reúne os acusados de envolvimento no esquema corruptor do PT. O deputado federal Vicente Paulo da Silva (PT-SP) defende Delúbio Soares: "Ele não matou ninguém". Esta é a ética de sindicalistas petistas. Outro "apoiador" de Delúbio Soares, o presidente do PT de São Paulo, José Américo, argumenta: "Podemos discutir a oportunidade da campanha. Mas Delúbio tem o direito de se defender". Veja também o site de Delúbio Soares no Orkut, no seguinte endereço: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=39671567

Com queda da Selic, poupança passa a render mais que fundos com taxa superior a 1,5%

A redução da taxa básica de juros (Selic), de 11,25% para 10,25% ao ano , deve tornar a caderneta de poupança ainda mais atraente para os investidores com poucos recursos. A aplicação passará a ser ainda mais vantajosa em relação aos fundos de renda fixa, que compram títulos públicos atrelados à Selic. Em contrapartida, deve ficar mais difícil a vida do pequeno investidor que aplica nestes fundos. Para esse público, as taxas de administração passam de 4% ao ano e corroem boa parte da rentabilidade. Segundo cálculos do matemático José Dutra Sobrinho, o rendimento da poupança deve ficar em torno de 0,58% ao mês. A rentabilidade é superior à média de ganho estimada para os fundos com taxa de administração de 1,5% ao ano ou superior. Ou seja, para ganhar da poupança, agora será preciso investir em fundos com taxa de administração igual a 1% ao ano, ou menor. O problema é que estes fundos só estão disponíveis para investidores com muitos recursos. A aplicação mínima média dos fundos que cobram de 0% a 0,50% ao ano de taxa é de R$ 800 mil, considerando um universo de 99 fundos. Já nos fundos que taxam entre 0,51% e 1% ao ano, a aplicação mínima média é de R$ 85 mil, totalizando 53 fundos, de acordo com a base de dados da Associação Nacional de Bancos de Investimento (Anbid).

Empresa de laranja operou com outro banco

Para atuar no bilionário mercado de empréstimo em folha de pagamento do Senado Federal, o banco Santander também usou os serviços da Contact Assessoria de Crédito Ltda, empresa que tem sócios laranjas indicados pelo ex-diretor de Recursos Humanos, João Carlos Zoghbi. Até então, sabia-se apenas que o banco Cruzeiro do Sul havia credenciado a Contact como sua correspondente no Senado Federal. A Contact atuava como correspondente bancária de oito instituições financeiras. A empresa, cuja sócia majoritária é a ex-babá e ama de leite de Zoghbi, uma “mãe negra” (como ele a chama, de 83 anos, que mora em sua casa), recebeu R$ 2,3 milhões do Cruzeiro do Sul por serviços prestados ao Senado. O ex-diretor de Recursos Humanos colocou a Contact em nome da empregada doméstica Maria Izabel Gomes, de 83 anos, a sua “mãe negra”. Seu objetivo foi ocultar os filhos como verdadeiros donos da empresa, que, teoricamente, atuava como corretora na Casa. Zoghbi admitiu para a revista Época que colocou a empresa no nome de laranjas porque havia conflito de interesses e que essa história o comprometia. O Santander confirmou que utilizou os serviços da Contact até março de 2007. "As informações de contratos do banco com terceiros são confidenciais, razão pela qual o banco não se pronunciará sobre o assunto", disse o Santander. Sigilo bancário, como se vê, serve para encobrir grossa corrupção. No Senado Federal, 36 instituições financeiras mantêm convênio com a Casa para operar no mercado de empréstimo consignado, em um negócio que movimentou R$ 1,2 bilhão nos últimos três anos. No site da Secretaria de Recursos Humanos do Senado Federal é possível fazer simulações de empréstimos para saber qual instituição oferece as melhores taxas. Diretor até março deste ano, Zoghbi tinha informações privilegiadas sobre servidores. Além disso, ele era o principal gestor de todos os convênios com os bancos.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Agora é oficial, ameaça da febre amarela chega a Porto Alegre


Aquilo que já vinha sendo anunciado por Videversus, afinal tornou-se oficial na tarde desta terça-feira. O secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, deputado federal Osmar Terra (PMDB), também médico, confirmou que a capital gaúcha entrou para o rol das cidades de risco da febre amarela. Segundo o secretário, foram encontrados dois bugios mortos no último fim de semana portadores da doença na cidade de Guaíba, que fica de frente para Porto Alegre, do outro lado do rio Guaíba. Dezoito municípios entraram na área de risco, aumentando o número total para 290 cidades. Assim, bem mais de três quartos do território gaúcho está dentro de área de risco da febre amarela. Agora começa a correria sem limite aos postos de saúde e clínicas particulares em procura da vacina. O editor de Videversus procurou uma clínica particular, na Avenida José Alencar, no bairro do Menino Deus, em frente ao Hospital Mãe de Deus, e a mesma estava em falta da vacina, apesar do preço salgado, de 100 reais. Até agora apenas 12 postos de saúde em Porto Alegre estavam aplicando a vacina aos moradores da cidade. Nesta terça-feira, o secretário municipal de Saúde da capital gaúcha, médico Eliseu Santos, anunciou a ampliação do número de postos que disponibilizam a vacina contra a febre amarela na Capital. A partir desta quarta-feira, a vacina estará disponível em mais sete unidades de saúde, totalizando 19 locais de vacinação. A zona rural de Porto Alegre, que tem presença muito grande de bugios, precisa ter toda sua população imunizada. Na sexta-feira (feriado nacional de 1º de maio), oito unidades estarão abertas para vacinação contra a febre amarela. Os moradores de Porto Alegre podem se vacinar nos seguintes locais: UBS Macedônia - Avenida Macedônia, 236; UBS Lami - Rua Nova Olinda, 202; UBS Mapa - Rua Cel. Jaime Rolemberg de Lima, 92; UBS Panorama - Estrada João de Oliveira Remião, 6505; PSF Lomba do Pinheiro - Estrada João de Oliveira Remião, 5120; PSF Ilha dos Marinheiros - Rua Sra. Rita de Cássia s/n; PSF Ilha da Pintada - Avenida Presidente Vargas, 390; PSF Ilha dos Marinheiros - Rua Sra. Rita de Cássia s/n; PSF Ilha da Pintada - Avenida Presidente Vargas, 390; UBS Macedônia - Avenida Macedônia, 236;
UBS Lami - Rua Nova Olinda, 202; UBS Panorama - Estrada João de Oliveira Remião, 6505; UBS Belém Novo - Rua Florência Faria 195; UBS Restinga - Rua Abolição, 850; Pronto-atendimento Lomba do Pinheiro - Estrada João de Oliveira Remião, 5120; inação; UBS Passo das Pedras I (Avenida Gomes de Carvalho, 510); UBS Santa Cecília (Rua São Manoel, 543; UBS Tristeza (Avenida Wenceslau Escobar, 2442); UBS Assis Brasil (Avenida Assis Brasil, 6.615); UBS Bananeiras (Avenida Coronel Aparício Borges, 2494); Centro de Saúde Vila dos Comerciários (Avenida Moab Caldas, 400); Centro de Saúde IAPI (Rua Três de Abril, 90); Centro de Saúde Navegantes (Avenida Presidente Roosevelt, 5); Centro de Saúde Santa Marta (Rua Capitão Montanha, 27); Centro de Saúde Modelo (Rua Jerônimo de Ornelas, 55).

Movimento de Justiça e Direitos Humanos protesta contra a visita de Ahmadinejad

O Movimento de Justiça e Direitos Humanos do Rio Grande do Sul lançou nota nesta terça-feira, anunciando que repudia a decisão do Governo Lula de receber no Brasil, no dia 6 de maio próximo, o presidente da República Islâmica do Irã, Mahmoud Ajmadinejad. Diz o texto: “Em manifestação na Conferência contra o Racismo, realizada em Genebra, dia 20 de abril, o presidente do Irã, país onde se viola sistematicamente os direitos humanos – com enforcamentos e açoites - aproveitou-se da oportunidade para destilar ódio antissemita. 40 representantes de países na Conferência contra o Racismo deixaram o salão no qual Ajmadinejad proferia seu discurso, em atitude de repulsa ao conteúdo xenófobo da manifestação que desrespeitou a comunidade internacional. É de se lembrar que, no mesmo dia, eram lembradas as vítimas do Holocausto. Diante de seu virulento antissemitismo, que descamba para a negação do Holocausto, o MJDH considera a vinda do presidente iraniano ao Brasil uma agressão aos princípios da convivência pacífica entre os povos. Para o governo do Brasil, era imperioso, depois do que se observou em Genebra, desconvidar esse propagador do ódio, que representa um estado onde o homossexualismo é crime capital e mulheres, a partir da idade de nove anos, podem ser inculpadas de crimes como adultério, passível de punição por enforcamento em praça pública. O regime iraniano é um dos mais tirânicos do planeta. É o segundo país do mundo, atrás apenas da China, em que se aplica a pena de morte. O caso de Delara Darabi, de 21 anos, prestes a ser executada, é apenas mais um exemplo do desrespeito à vida naquele país. Delara, na prisão há seis anos, foi condenada à morte por enforcamento por suposto homicídio, quando tinha 16 anos. Numa época em que se constata o crescimento do ódio aos judeus em todo mundo e que a negação do Holocausto atinge níveis preocupantes, é infamante, para os brasileiros, a decisão do governo Lula, de manter o convite a Ahmadinejad para visitar nosso país. O MJDH, ao longo de sua história, vem denunciando a negação do Holocausto por propagandistas do neonazismo e atuou com firmeza, nos anos 90, para que Siegfried Ellwanger, o maior desses propagandistas no Brasil, fosse condenado à prisão. A decisão governamental, grave e injustificável, de manter o convite a Ahmadinejad, em que pese ao que todos assistiram em Genebra, não pode ser interpretada senão como complacência diante do antissemitismo e da violação contumaz dos direitos humanos”. A nota é assinada pelos dirigentes do Movimento de Justiça e Direitos Humanos: Presidente - Dani Rudnicki; Vice Presidente - Luiz Francisco Corrêa Barbosa; Secretario - Newton Muller Rodrigues; Tesoureiro - Cid Silva Soares; Conselheiro - Luis Milman; Conselheiro - Jair Krischke; e ainda Carlos Josias Menna de Oliveira, Vitor Vieira, Christopher Belchior Goulart, Afonso Roberto Licks, Paulo Roberto Castro Dias e Wilson Muller Rodrigues, membro do Conselho Fiscal.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Banco Lloyds eliminará quase mil empregos no Reino Unido

O Lloyds Banking Group, o maior banco de varejo do Reino Unido e parcialmente nas mãos do governo local, informou nesta quinta-feira que eliminará 985 empregos durante os próximos dois anos no país. A medida afetará o negócio de financiamento de compra de automóveis Bank of Scotland Motor Finance, que, segundo a entidade, não era mais "viável financeiramente". É a primeira grande medida desse tipo adotada pelo grupo bancário, formado no início de ano após a fusão do HBOS (Halifax Bank of Scotland) e do Lloyds TSB, cuja empresa resultante emprega 140 mil pessoas. Os sindicatos temem mais cortes. Em março, o Estado britânico aumentou sua participação no Lloyds Banking Group de 43% para 65%. Como parte do acordo entre o Tesouro e a entidade, o Estado garantia 260 bilhões de libras (quase US$ 290 bilhões) de ativos "podres" do banco (dívidas incobráveis e ativos de risco), em aplicação de seu Programa de Proteção de Ativos.

Celso Pitta começa a cumprir prisão domiciliar pelo não pagamento de pensão

O ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta, cumpre desde esta quarta-feira 30 dias de prisão domiciliar pelo não pagamento de pensão à ex-mulher Nicéia Pitta. Conforme o seu advogado de defesa, Remo Battaglia, Pitta procurou na terça-feira a Polícia Civil para oficializar e tomar ciência da decisão. A defesa ainda aguarda a decisão da 5ª Vara da Família, do Tribunal de Justiça de São Paulo, para regulamentar as condições em que Pitta continuará a realizar o tratamento no combate a um câncer no fígado recém descoberto. Na última sexta-feira ele passou por mais uma sessão de quimioterapia, segundo Battaglia. Pitta se apresentou após a decisão da 5ª Vara da Família, expedida na última sexta-feira, que informou à autoridade policial a decisão do Superior Tribunal de Justiça, de que ele deveria cumprir a pena imposta pela Justiça paulista em casa.

Pressionado, Temer recua e decide submeter restrições ao uso de passagens ao plenário

O presidente da Câmara dos Deputados, o deputado federal Michel Temer (PMDB-SP), decidiu submeter as mudanças no uso da cota de passagens aéreas dos deputados ao plenário da Casa. O recuo ocorre um dia depois de Temer anunciar as medidas, que geraram fortes críticas dos deputados. As mudanças poderiam ser referendadas por ato da Mesa Diretora da Câmara. Mas a assessoria de Temer disse que ele vai apresentar na terça-feira um projeto de resolução sobre o tema para ser votado em plenário. O projeto de resolução trará as medidas anunciadas nesta quarta-feira, como restringir o uso da cota da passagem ao deputado e assessores credenciados. As viagens ao Exterior precisarão ser autorizadas pela 3ª Secretaria da Câmara. Os gastos com passagens passarão a ser divulgados na internet. Os créditos de passagens não utilizadas retornarão para a Casa. Deputados e senadores afirmam que a direção do Congresso está agindo por pressão popular, com a adoção de "medidas precipitadas" para restringir as viagens. E, como todos os eleitores brasileiros sabem, deputados e senadores odeiam..... detestam “pressão popular”. Parlamentares subiram nas tribunas das duas Casas para classificar as medidas de "hipócritas", "violentas", "duras" e "acuadas".

Senado paga motorista de ministro Hélio Costa em Belo Horizonte

Assistente parlamentar lotado no gabinete do senador Wellington Salgado (PMDB-MG), Januário Rodrigues exerce em Belo Horizonte a função de motorista da família do ministro das Comunicações, senador Hélio Costa. Em 16 de fevereiro deste ano, o salário dele subiu de R$ 2.247,72 para R$ 2.694,64 mensais, de acordo com ato do diretor-geral do Senado. Januário foi nomeado em 2003, logo após a posse de Costa como senador. Na semana passada, o jornal Folha de S. Paulo localizou na Delegacia de Furtos e Roubos de Belo Horizonte um boletim de ocorrência em que ele declarou trabalhar para o ministro. Em 10 de abril de 2007, Januário foi à polícia registrar o roubo do veículo SpaceFox preto, placa HFP 7928. O automóvel tem Hélio Costa como proprietário e, segundo o motorista, era usado para "atender à família". O carro foi encontrado horas depois do roubo. A ocorrência está registrada sob o número 104.591. Na quinta-feira passada, a Folha deslocou-se até o endereço que Januário disse morar na capital mineira. Lá, encontrou o filho dele Delton Rodrigues. Ele não quis dar entrevista, mas disse que informações sobre o pai poderiam ser obtidas no local onde mora o ministro. Na sexta-feira, a reportagem falou com um dos porteiros do edifício onde vive Costa e sua família, em um bairro nobre na zona sul de Belo Horizonte. A conversa foi gravada. O funcionário confirmou que Januário trabalha para o ministro e tem como uma de suas tarefas levar os filhos de Hélio Costa à escola. Por meio de nota, o ministro das Comunicações confirmou que Januário Rodrigues trabalha para ele desde 1990. "Está lotado no gabinete do Senado desde 2003, quando fui eleito para o mandato de senador da República. Cumpre jornada em meu escritório e base eleitoral, em Belo Horizonte, das 8 horas às 14 holras", disse Hélio Costa. Como foi por escrito, não deu, naturalmente, para ver se o ministro ficou ruborizado, ou não. Hélio Costa justificou ainda que, depois de ser convidado pelo presidente Lula a assumir o Ministério das Comunicações, decidiu manter o seu vínculo administrativo com o Congresso Nacional. Lembrou que optou por receber o salário do Senado, abrindo mão dos vencimentos de ministro. É inacreditável..... Afinal, por que motivos os contribuintes ou eleitores têm que pagar motorista particular para os filhinhos do ministro irem ao colégio?

Ciro Gomes continua o mesmo

Entre as muitas reações às medidas anunciadas pelo presidente da Câmara dos Deputados, o deputado federal Michel Temer (PMDB-SP), contra a "farra das passagens", a do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) foi a mais "raivosa". Indignado, ele chamou colegas de "babacas" e falou palavrões enquanto conversava com jornalistas, na quarta-feira. Ao negar em plenário que tenha emitido passagens de sua cota para a sua mãe ir a Nova York, Ciro foi mais moderado. "Trata-se de leviana e grosseira mentira aquilo que foi feito, envolvendo pelo menos o nome de minha mãe, octogenária", disse ele. Mas, minutos depois, Ciro Gomes tirou a máscara de homem comedido e ponderado, e reassumiu o papel daquele ex-candidato a presidente da República, repetindo por diversas vezes aos jornalistas que creditavam a informação ao Ministério Público: "Ministério Público é o caralho! Não tenho medo de ninguém. Da imprensa, de deputados. Pode escrever o caralho aí". Que tal, hein?!!! Ainda muito irritado, o deputado criticou as medidas, anunciadas por Michel Temer, que vetam o uso da cota por familiares, chamando alguns colegas, sem dar nomes, de "babacas". "Até ontem era tudo lícito, então por que mudou? É um bando de babaca", disse ele. Em referência ao seu colega Fernando Gabeira (PV-RJ), o deputado do Ceará também fez críticas aos que "se dizem do grupo dos éticos, mas dão passagens aos seus parentes". Além dele, o deputado federal Sílvio Costa (PMN-PE) também fez fortes críticas a Michel Temer. Ele afirmou que vai recorrer em plenário caso seja aprovado o ato da Mesa que acaba com o uso da cota para parentes: "Não é justo que mulher e filhos não possam vir a Brasília. Quer dizer que agora eu venho para Brasília e minha mulher fica lá? Assim vocês querem que eu me separe. É preciso acabar com essa hipocrisia. Ou a Câmara tem a coragem de falar a verdade ou cada dia vamos apanhar mais". Naturalmente, nunca passou pela cabeça desse lastimável representante do eleitorado de Pernambuco abrir a carteira e pagar as passagens de sua mulher e filhos. Afinal de contas, teria o eleitorado também elegido a mulher e os filhos do parlamentar para o mandato na Câmara dos Deputados?!!! Ora bolas..... Aliás, está faltando também que o Senador Pedro Simon (PMDB-RS), outro expoente da ética no Congresso Nacional, anuncie quando irá restituir aos cofres públicos os recursos do Senado Federal (dos contribuintes) utilizados por ele para comprar passagens para sua mulher Ivete.

Alguns ministros do Supremo queriam censura pública a Joaquim Barbosa

Depois de três horas e meia reunidos, oito ministros do Supremo Tribunal Federal divulgaram uma nota na noite de quarta-feira reafirmando a "confiança e o respeito" ao presidente do tribunal, ministro Gilmar Mendes, e "lamentando" a discussão entre ele e Joaquim Barbosa. Pela gravidade do fato, a corte cancelou a sessão plenária desta quinta-feira. Mendes e Barbosa tiveram uma das mais graves discussões da história do Supremo. Barbosa chegou a dizer que o presidente da corte está "destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro". Com exceção de Barbosa, Mendes e Ellen Gracie, que está em viagem ao Exterior, todos os outros se reuniram no gabinete da presidência para encontrar uma forma de contornar a crise. Assim que a sessão do Supremo foi suspensa, dois ministros foram ao gabinete de Barbosa pedir que ele se retratasse publicamente. Celso de Mello, decano do Supremo, e Carlos Ayres Britto, considerado o grande mediador de conflitos da casa, ouviram um “não” como resposta. O ministro disse aos dois colegas que lamentava o fato de ter discutido publicamente com Gilmar Mendes, mas que aquele era mesmo o seu pensamento e que não retiraria "jamais" o que disse. Afirmou ainda que Gilmar Mendes nunca o respeitou e que sempre se dirigiu a ele de maneira que considera desrespeitosa. Joaquim Barbosa disse desconfiar ainda que o presidente do Supremo "planta" notícias contra ele nos jornais. Diante da negativa de Joaquim Barbosa, os dois se uniram aos outros colegas e relataram o que definiram como "o sentimento" dele. Deu-se início então a uma longa discussão, com os magistrados divididos em dois grupos: o dos que exigiam uma censura pública, em termos duros, contra Joaquim Barbosa, e o dos que preferiam uma posição mais ponderada, de solidariedade a Gilmar Mendes, mas sem ataques diretos a Joaquim Barbosa. Sobre a discussão em si, os ministros disseram que Joaquim Barbosa pode pensar o que for a respeito de qualquer coisa ou pessoa. Mas que, ao manifestar opiniões pessoais de forma descontrolada, em sessão plenária, ele contrariou a tradição do Supremo e a liturgia do cargo. Durante a conversa, os ministros lembraram as últimas brigas protagonizadas por Joaquim Barbosa. Os que queriam uma censura mais forte, como Cezar Peluso e Carlos Alberto Menezes Direito, defendiam que fosse redigida uma nota com o uso de termos como "falta de ética", "discrepância com o comportamento habitual do Judiciário" e "conduta incompatível com o cargo". De acordo com um ministro contrário a essa solução, "estaria aberto o caminho para a proposta de impeachment" de Joaquim Barbosa. O “impeachment”, porém, que só poderia ser decidido pelo Senado, seria uma solução improvável e sua discussão só faria agravar a crise. Se amanhã ou depois cair nas mãos de Joaquim Barbosa de algum deputado federal, senador ou ministro, acusando outro de tê-lo difamado, caluniado e injuriado, por acusá-lo de ter capangas em Mato Grosso, como o ministro Joaquim Barbosa julgaria o caso?

Subprocurador critica "voluntariedade" do ministro Gilmar Mendes

Ao comentar nesta quinta-feira a troca de ofensas entre o atual presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, e o ministro Joaquim Barbosa, no plenário, na quarta-feira, Wagner Gonçalves, subprocurador-geral da República, criticou o que chamou de "voluntariedade" de Gilmar Mendes. "Um presidente do Supremo precisa de serenidade para exercer sua função. Ellen Gracie ocupou o cargo com equilíbrio e serenidade. Não falta equilíbrio a Mendes, mas ele age com voluntariedade", disse Gonçalves. O mal estar no plenário do Supremo teve início depois que Gilmar Mendes, ao proclamar o resultado de um julgamento, fez críticas à visão apresentada por Barbosa sobre o caso. O ministro reagiu cobrando respeito do presidente da Corte. Para o subprocurador, o presidente da Suprema Corte está "vulnerando a imagem do Judiciário". O advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira afirmou que não iria se atrever em apontar culpados na troca de ofensas: "Barbosa agiu num momento de ímpeto”. Mariz lembrou que Joaquim Barbosa já se desentendeu com ministros do Supremo por diversas vezes. Anote aí: o que está por trás, no fundo, dessa bate-boca, é a noção de que o Poder Judiciário deve se portar como um justiceiro, ao lado de setores da Polícia Federal, e do Ministério Público. Em suma, é aquela idéia de que o Direito se acha nas ruas. O assunto é mais grave do que deixa transparecer um bate-boca. O ministro Joaquim Barbosa ainda vai criar muitos problemas. Um deles será a provável anulação do processo da Ação Penal 470, o caso do Mensalão. E isso poderá acontecer por um erro brutal para uma Corte como o Supremo Tribunal Federal: o de supressão de direito de defesa. Isso é absolutamente inaceitável para uma corte que é a suprema guardiã da Constituição. O ministro Joaquim Barbosa, sistematicamente, deixa de examinar e de expedir decisões nas reiteradas petições apresentadas pelo advogado gaúcho Luis Francisco Correa Barbosa, juiz de Direito aposentado, que atua na defesa do ex-deputado federal Roberto Jefferson.

Grupo Opportunity quer afastar juiz Fausto De Sanctis da investigação

O presidente do Grupo Opportunity, Dório Ferman, pediu o afastamento do juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, das investigações da Operação Satiagraha, que apura supostos crimes financeiros atribuídos ao banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity. Dório Ferman também é alvo da investigação. Dório Ferman requereu o afastamento de Fausto De Sanctis com a alegação de que a atuação do juiz é "desequilibrado e sem limites". Na semana passada, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região adiou o julgamento aberto pela Corregedoria contra o juiz. O julgamento foi adiado para o dia 30. No processo, Fausto De Sanctis é acusado de desobedecer uma determinação do Supremo Tribunal Federal ao expedir um segundo mandado de prisão contra Daniel Dantas. As prisões foram expedidas no âmbito da Operação Satiagraha. Fausto De Sanctis expediu um segundo mandado de prisão contra Daniel Dantas mesmo depois de o Supremo haver concedido habeas corpus para soltá-lo.

União Européia aprova registro para controlar agências de classificação de risco

O Parlamento Europeu, com sinal verde dos governos dos países membros da União Européia, aprovou nesta quinta-feira a criação de um registro de agências de classificação de risco, além de outras medidas para reforçar a vigilância destas entidades, que acusa parcialmente pela crise financeira. Esta medida pode ser tomada antes da dissolução da Eurocâmara para as eleições européias, que se realizarão em junho. A principal medida do pacote é a criação de um registro controlado pelo Comitê Europeu de Reguladores das Bolsas de Valores, uma instituição que terá mais poder de supervisão. Ele também aumenta as exigências para garantir que as agências contem com informação suficiente para emitir classificações e para evitar conflitos de interesses, dado que elas avaliam as mesmas entidades que pagam seus serviços. Além disso, elas terão que publicar um relatório anual sobre suas atividades e divulgar quais são seus 20 clientes maiores clientes, em relação à renda que lhes proporcionam. Estas agências tiveram até hoje uma linha de atuação fraudulenta. Por exemplo, mantinham baixas as posições de muitos países emergentes, apenas para que estes continuassem pagando muito mais caros aos seus controladores pelos empréstimos que precisavam tomar. São agências vagabundas, em grande parte, incapazes de prevenir o planeta Terra inteiro do que estava acontecendo com todas as grandes instituições financeiras.

Protógenes, Dantas e Lacerda ficam de fora de pedidos de indiciamentos da CPI

O deputado federal Nelson Pellegrino (PT-BA) apresentou nesta quinta-feira o relatório final da CPI das Escutas Clandestinas da Câmara dos Deputados sem sugerir o indiciamento de ex-diretores da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), do banqueiro Daniel Dantas e do delegado federal Protógenes Queiroz, todos personagens da fantástica Operação Satiagraha, da Polícia Federal. Nelson Pellegrino não viu indícios de supostos crimes cometidos por Daniel Dantas, Protógenes Queiroz ou Paulo Lacerda, policial federal aposentado, ex-diretor geral da Abin, que justifiquem a recomendação dos seus indiciamentos ao Ministério Público. O relator sugeriu o indiciamento de quatro pessoas, entre elas um delegado e dois policiais que não estão ligados à Operação Satiagraha, mas são suspeitos de interceptação telefônica clandestina. Pellegrino também sugeriu o indiciamento do sargento da Aeronática Idalberto Matias de Araújo, responsável por indicar o ex-agente do SNI (Serviço Nacional de Inteligência) Francisco Ambrósio ao delegado Protógenes Queiroz. O sargento teve o pedido de indiciamento solicitado por ter, em sua residência oficial, material sigiloso de operações da Polícia Federal. Pellegrino argumenta que Protógenes, ao depor à comissão protegido por um habeas corpus, não prestou juramento sobre afirmações ditas à comissão, por isso, não cometeu falso testemunho. Protógenes Queiroz disse à comissão que a participação de agentes da Abin na Satiagraha foi apenas "informal", mas posteriormente a comissão comprovou que quase cem homens da agência participaram da operação. Daniel Dantas, por sua vez, não teve o indiciamento sugerido pelo relator porque Pellegrino avalia que ele já foi indiciado pela Polícia Federal na Operação Chacal. O banqueiro é suspeito de participação em grampos ilegais. O PT é o partido mais fantástico da história republicana brasileira. Ele conseguiu avacalhar e liquidar com institutos que guardavam uma certa face de seriedade, como as comissões parlamentares de inquérito. Tão sério que as CPIs eram consideradas o único instrumento de direito das minorias no Congresso Nacional. Hoje elas poderiam ser banidas do instituto jurídico nacional e ninguém sentiria falta dessas CPIs.

Mais denúncias de paternidade recaem sobre o “Pai Nosso” Fernando Lugo no Paraguai

Outras duas mulheres apresentarão nesta quinta-feira denúncia por reconhecimento de paternidade contra o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, ex-bispo da Igreja Católica, aumentando para cinco o número de casos apresentados nos últimos dias. Por esse motivo o presidente do Paraguai já está sendo chamado de “Pai Nosso”. As mulheres são Raquel Torres, de 33 anos, que diz ter tido uma filha, atualmente com quatro anos, com o “Pai Nosso” Fernando Lugo. Também apareceu uma mulher chamada Narcisa De La Cruz, enfermeira em Santani, que seria mãe de outro filho do “Pai Nosso”, concebido quando ele ainda era bispo. Raquel Torres de abalou da Espanha, onde vivia, para ir ao Paraguai reivindicar a paternidade de sua filha de quatro anos. Estas duas se somam assim a Viviana Carrillo, de 26 anos, Benigna Leguizamón, de 27 anos, e Damiana Hortensia Morán, de 39 anos. Benigna foi a única, até o momento, que iniciou uma demanda judicial. O filho de Viviana Carrilo foi logo reconhecido pelo “Pai Nosso” Fernando Lugo. Damiana Hortênsia Moran informou que o processo de reconhecimento de seu filho já está em curso. O processo movido por Benigna Leguizamon está aos cuidados da juíza Delcy Cardoso, de Ciudad del Este.

Supremo cancela sessão desta quinta-feira

A sessão desta quinta-feira do Supremo Tribunal Federal foi cancelada depois do bate-boca ocorrido na sessão desta quarta-feira, entre os ministros Joaquim Barbosa e o presidente, Gilmar Mendes. Barbosa chegou a dizer que o presidente do tribunal destrói a credibilidade da Justiça brasileira. A decisão foi tomada depois de uma reunião fechada que durou 3 horas e 30 minutos, que contou com a presença de oito dos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal. Eles assinaram uma nota de apoio ao presidente e lamentaram o bate-boca. Não assinaram a nota os ministros Joaquim Barbosa e Ellen Gracie, ausentes do encontro. A ministra está participando da sabatina da Organização Mundial do Comércio, em Genebra. Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa bateram boca no plenário do tribunal. Barbosa acusou o presidente da Corte de estar "destruindo a credibilidade da Justiça brasileira" durante o julgamento de duas ações, referentes ao pagamento de previdência a servidores do Paraná e à prerrogativa de foro privilegiado. Clique no vídeo abaixo para ver e ouvir o ridículo bate-boca iniciado pelo ministro Joaquim Barbosa.



Não é a primeira vez que o ministro Joaquim Barbosa bate boca com seus colegas. Ele é um personagem que realmente não engrandece o Supremo Tribunal Federal, nem a democracia. Não deveria fazer parte da Corte. Seus julgados na Ação Penal 470, ou a falta de análise, decisão, em uma série de petições, como aquelas apresentadas pelo advogado gaúcho Luiz Francisco Correa Barbosa, juiz de direito aposentado, defensor de Roberto Jefferson, no processo do famigerado Mensalão, ainda acabarão levando à nulidade de todos os atos desse processo até o momento. Leia abaixo a íntegra da sessão que gerou o bate boca:
Menezes Direito - O tema é exatamente igual.
Cesar Peluso - Mas as consequências são de uma gravidade... é a anulação de todos os processos criminais já julgados, cumprimento de penas, etc.
Carmen - A questão da modulação é que é a mesma, mas a matéria.
Direito - Se vossa excelência quiser tirar de pauta.
Cármen - Talvez fosse de conveniência que esse aqui não fosse julgada agora, presidente.
Gilmar Mendes - É a prova que é preciso embargos de declaração nesse tipo de matéria.
Joaquim Barbosa - No caso anterior era embargos de declaração para dar aposentadoria a notários. Aqui, embargos de declaração para impedir o desfazimento...
Mendes - Não se trata disso.
Barbosa - Se trata disso, ministro Gilmar.
Mendes - Não, nada disso, desculpa.
Barbosa - A lei fala expressamente ...
Mendes - ... de aposentadoria de pessoas, vossa excelência que está colocando... não é nada disso. O parâmetro ideológico é vossa excelência que está dando. Porque senão aí o causuísmo fica por conta dos eventuais interessados.
Barbosa - Pois é. Nós deveríamos ter discutido quem seriam os beneficiados.
Mendes - A doutrina responsável defende essa possibilidade de que, cito Rui Medeiros e outros, de que se houver omissão, porque é dever do tribunal, ele próprio perquirir, não se trata de fazer defesa de A ou B, esse discurso de classe não cola.
JB - Porque a decisão era uma decisão de classe.
GM - Não, não era decisão de classe.
JB - Era sim.
GM - Não.
(espera)
CP - Agora. O tribunal tem a sua exigência de coerência.
GM - O tribunal pode aceitar ou rejeitar, mas não com o argumento de classe. Isso faz parte de impopulismo judicial.
JB - Eu acho que o segundo caso prova muito bem a justeza da sua tese. Mas a sua tese ela deveria ter sido exposta em pratos limpos. Nós deveríamos estar discutindo ...
GM - Ela foi exposta em pratos limpos. Eu não sonego informação. Vossa Excelência me respeite. Foi apontada em pratos limpos.
JB - Não se discutiu a lei...
GM - Se discutiu claramente.
JB - Não se discutiu
GM - Se discutiu claramente e eu trouxe razão. Vossa Excelência... Talvez Vossa Excelência esteja faltando às sessões.
JB - Eu não estou...
GM - Tanto é que Vossa Excelência não tinha votado. Vossa Excelência faltou a sessão.
JB - Eu estava de licença, ministro.
GM - Vossa Excelência falta a sessão e depois vem...
JB - Eu estava de licença. Vossa Excelência não leu aí. Eu estava de licença do tribunal.
GM - Portanto...
CB - Senhor presidente, eu vou pedir vista do processo.
GM - Ministro Direito rejeita...
MD - Estou mantendo a coerência. Para mim não existe distinção. Nós estávamos discutindo a tese, que foi posta claramente, de saber se, havendo não decisão alguma, nem constando do pedido, a questão dos efeitos modulados se caberia ou não caberia embargo de declaração. Eu já estou com esse processo em pauta há muito tempo, mas como havia um outro que já estava em curso, eu aguardei julgar o outro que estava em curso. A tese é exatamente a mesma e eu estou rejeitando os embargos com esse fundamento.
CP - Se Vossa Excelência me permite, eu acho que há uma distinção aqui. No caso anterior, nós discutimos e conhecemos dos embargos. Os embargos foram rejeitados. Em outras palavras, o tribunal considerou admissíveis os embargos de declaração e rejeitou. Neste caso nós podemos considerar conhecer dos embargos e agora temos de discutir se nós vamos ou não vamos conceder esse efeito limitado.
MD - Ministro Peluso, se vossa excelência me permite, eu compreendo perfeitamente a tese que vossa excelência está sustentando. Só que é exatamente o caso, eu estou conhecendo dos embargos e estou rejeitando pelo menos fundamento que nós adotamos como foi claramente discutido aqui. A única diferença que pode existir é quanto à matéria substantiva. Mas quanto à tese que está sendo observada nos embargos de declaração ela é absolutamente idêntica. É prudente, claro, diante das advertências que foram feitas - e essa corte faz isso com absoluta tranquilidade sempre, com absoluta transparência, sempre - que se examine e se reexamine a jurisprudência. Não é uma coisa santificada.
GM - E não teve outro caso, se não me engano do Rio Grande do Sul, em que o tribunal - não sei se era matéria de concurso ou coisa assemelhada - em que se discutiu também em embargos de declaração porque o próprio tribunal do Rio Grande do Sul fazia advertência das consequências, e o tribunal houve por bem rejeitar os embargos, mas não os disse inadimissíveis.
MD - Eu não estou entendendo que é inadimissível também. Estou conhecendo dos embargos, porque os embargos podem ser conhecidos. Como é uma tese que estava em controvérsia eu estou rejeitando os embargos pela mesma fundamentação. Mas o ministro Carlos Britto vai pedir vista do processo. Quem sabe Sua Excelência, examinando o processo, encontre uma omissão que eu não encontrei e nessa omissão (densa essa corte de supri-la) e, suprindo-a, acolher os embargos também com a extensão dos efeitos modulativos, não em função da omissão dos efeitos modulativos, mas sim em razão de uma outra eventual omissão que possa ter existido.
CP - Essa matéria é de uma delicadeza extrema.
CB - Vai ser muito difícil divergir de Sua Excelência.
CP - Significa a anulação de todos os processos julgados em execução desde 2005.
CL - De 2002 a 2005.
GM - Portanto, após o voto do relator que rejeitava os embargos, pediu vista o ministro Carlos Britto. Eu só gostaria de lembrar em relação a esses embargos de declaração que esse julgamento iniciou-se em 17/03/2008 e os pressupostos todos foram explicitados, inclusive a fundamentação teórica. Não houve, portanto, sonegação de informação.
CB - Tá bem claro.
JB - Eu não falei em sonegação de informação, ministro Gilmar. O que eu disse: nós discutimos naquele caso anterior sem nos inteirarmos totalmente das consequências da decisão, quem seriam os beneficiários. E é um absurdo, eu acho um absurdo.
Mendes - Quem votou sabia exatamente que se trata de pessoas...
Barbosa - Eu chamei a atenção de vossa excelência.
Peluso - Não, mas eu já tinha votado porque compreendia uma classe toda de serventuários não remunerados.
Barbosa - Só que a lei, ela tinha duas categorias.
Peluso - Não apenas notários.
Barbosa - Tinha uma vírgula e, logo em seguida, a situação de uma lei. Qual era essa lei? A lei dos notários. Qual era a consequência disso? Incluir notários nos regimes de aposentadorias de servidores ...
Mendes - porque pagaram por isso durante todo o período e vincularam...
Barbosa - ora, porque pagaram...
Mendes - se vossa excelência julga por classe, esse é um argumento...
Barbosa - eu sou atento às consequências da minha decisão, das minhas decisões. Só isso.
Mendes - vossa excelência não tem condições de dar lição a ninguém.
Barbosa - e nem vossa excelência. Vossa excelência me respeite, vossa excelência não tem condição alguma. Vossa excelência está destruindo a justiça desse país e vem agora dar lição de moral em mim? Saia a rua, ministro Gilmar. Saia a rua, faz o que eu faço.
Britto - ministro Joaquim, nós já superamos essa discussão com o meu pedido de vista.
Barbosa - Vossa excelência não nenhuma condição.
Mendes - eu estou na rua, ministro Joaquim.
Barbosa - vossa excelência não está na rua não, vossa excelência está na mídia, destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro. É isso.
Britto - ministro Joaquim, vamos ponderar.
Barbosa - vossa excelência quando se dirige a mim não está falando com os seus capangas do Mato Grosso, ministro Gilmar. Respeite.
Mendes - ministro Joaquim, vossa excelência me respeite.
Marco Aurélio - presidente, vamos encerrar a sessão?
Barbosa - Digo a mesma coisa.
Marco Aurélio - eu creio que a discussão está descambando para um campo que não se coaduna com a liturgia do Supremo.
Barbosa - Também acho. Falei. Fiz uma intervenção normal, regular. Reação brutal, como sempre, veio de vossa excelência.
Mendes - não. Vossa excelência disse que eu faltei aos fatos e não é verdade.
Barbosa - não disse, não disse isso.
Mendes - Vossa excelência sabe bem que não se faz aqui nenhum relatório distorcido.
Barbosa - não disse. O áudio está aí. Eu simplesmente chamei a atenção da Corte para as consequências da decisão e vossa excelência veio com a sua tradicional gentileza e lhaneza.
Mendes - é vossa excelência que dá lição de lhaneza ao Tribunal. Está encerrada a sessão.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Oposição denuncia Lugo judicialmente por estupro de mãe de seu filho


O oposicionista Partido Colorado denunciou o presidente paraguaio Fernando Armindo Lugo pelo delito de estupro. A denúncia foi apresentada perante os tribunais em Assunção pela senadora Lilian Samaniego, principal líder dos colorados. A senadora exige que a Justiça investigue se o presidente e ex-bispo Lugo estuprou Viviana Carrillo, quando esta tinha 16 anos. Menor de idade na época, a jovem tem atualmente 27 anos. Em 2007 ela deu à luz a Guillermo Armindo, filho do então monsenhor, hoje conhecido no Paraguai pela alcunha de “Pai Nosso”. A notícia da existência desse suposto filho do presidente tumultuou o plácido feriado da Pácoa. Para evitar o crescimento do escândalo, na segunda-feira da semana passada Lugo reconheceu a criança e a registrou no cartório. Segundo a senadora Lilian Samamiego, em nenhum momento o presidente Lugo negou que a relação entre ele e Viviana havia iniciado quando esta era menor de idade. O Código Penal paraguaio considera que é delito de estupro quando um homem maior de idade seduz uma mulher de 14 a 16 anos.

Senadores gaúchos também entraram na farra das passagens aéreas com dinheiro público

Os senadores do Rio Grande do Sul também não escaparam da licenciosidade no uso de dinheiro público, no caso, na emissão de passagens aéreas, de suas cotas, para parentes. Sérgio Zambiasi (PTB) confirmou que as duas filhas utilizaram passagens da sua cota. Paulo Paim (PT) disse não lembrar dos casos, mas afirmou que familiares já embarcaram com bilhete expedido pelo Senado. Pedro Simon (PMDB) afirmou que, por recomendação médica, não viaja desacompanhado: “Sou um homem de 79 anos. Minha mulher viaja comigo há um ano”. Muito bem, ninguém quer que ele viaje desacompanhado na idade em que está, mas por que não paga a viagem da mulher Ivete com dinheiro do seu próprio bolso? Nessa farra de uso das passagens, pagas com dinheiro público, também os deputados federais gaúchos Afonso Hamm (PP) e Onyx Lorenzoni (DEM) ter usado a cota para viagens de seus parentes.

Ministro gaúcho do TCU voa na cota de amigo deputado federal

O gaúcho Augusto Nardes, ministro do Tribunal de Contas da União, órgão responsável por fiscalizar as despesas dos Três Poderes, viajou de Brasília a Porto Alegre, no dia 6 de dezembro de 2007, às 10h20, no vôo JJ 8020, com passagem que foi paga pela cota do deputado federal gaúcho José Otávio Germano (PP-RS), e custou R$ 519,12. Nomeado para o TCU em 2005, o gaúcho Nardes foi deputado federal por dois mandatos, e pertenceu à Arena. O gabinete de José Otávio Germano e a assessoria do TCU garantem que o dinheiro foi ressarcido aos cofres públicos, embora não tenham apresentado comprovantes de pagamento. O vôo do ministro do Tribunal de Contas da União, Augusto Nardes, pela cota de passagens aéreas do deputado federal José Otávio Germano (PP-RS), foi justificado pela secretária do parlamentar, Daniela Maier, como uma “troca de favores” entre amigas, feita sem o conhecimento dos seus respectivos chefes. Ah..... quer dizer que secretárias de parlamentares têm então essa elevada noção de uso de dinheiro público? Aprenderam com quem? Com seus chefes? Segundo Daniela esclareceu, Constance entrou em contato com ela às vésperas da viagem do ministro. A amiga disse que estava fora de Brasília, que o chefe precisava viajar e que não tinha como emitir o bilhete. “Nós trabalhamos juntas aqui na Câmara, ela é minha melhor amiga. Eu emiti a passagem, e ela, em seguida, emitiu um crédito não voado do ministro em nome do deputado como pagamento”, disse a secretária de José Otávio Germano. Quanto gentileza..... com dinheiro público, é claro.... Acontece que o bilhete emitido pela secretária de Nardes em favor do parlamentar gaúcho era, na verdade, fruto de um “crédito” da cota de passagens aéreas de Nardes enquanto ele era deputado, antes de ser nomeado no Tribunal de Contas da União, em 2005.

Presidente da Confederação Israelita repudia visita de Ahmadinejad ao Brasil

O presidente da Confederação Israelita do Brasil, Cláudio Lottenberg, manifestou repúdio à visita ao Brasil do presidente do Irã, o fascista Mahmoud Ahmadinejad, que na segunda-feira fez um discurso antissemita contra Israel e os judeus na conferência sobre racismo das Nações Unidas. Ahmadinejad tem uma visita ao Brasil marcada para o próximo dia 6. "Acreditamos que a visita de Ahmadinejad ao Brasil, prevista para maio, não responde aos interesses da construção da democracia em nosso País e tampouco envia a sinalização correta a um líder que, em vez de priorizar o diálogo, cultiva o confronto", diz a nota divulgada nesta terça-feira pelo Conib. "Repudiamos a eventual presença de Ahmadinejad no solo de um País como o nosso, democrático e hospitaleiro, que acolheu tantos sobreviventes do Holocausto”, acrescentou o texto. Lottenberg disse, na nota da Federação Israelita, esperar que o presidente Lula "não permita que o presidente do Irã acredite ter um aliado em Brasília".

MST pratica ato terrorista no Pará, com o registro das câmeras da TV Globo



A organização terrorista MST finalmente chegou lá, optou pela realização de uma iniciativa abertamente terrorista: o uso de escudos humanos, a exemplo do que fazem as organizações terroristas Hezbollah e Hamas, com as quais o terrorismo do MST tem relações diretas. A coisa chegou a um nível inacreditável, aquele em que o jornalista vê o fato, filma o fato, exibe o fato, mas está prisioneiro da linguagem, prisioneiro de João Pedro Stedile. Como todo o Brasil pôde ver nas imagens divulgadas pelo Jornal Nacional, da Rede Globo, o que aconteceu não foi, de jeito nenhum, uma armadilha montada por jagunços, ou milícia de seguranças privados, contra os coitadinhos dos sem-terra. Os repórteres Victor Haor e Felipe Almeida, da TV Liberal, afiliada da Rede Globo no Pará, estavam na propriedade. Nada disso. Os terroristas do MST promoveram uma INVASÃO, ou melhor, uma tentativa de INVASÃO, porque foram escorraçados pelos seguranças da fazenda do Grupo Opportunity. A palavra INVASÃO fica grafada em maiúsculo, para relembrar que todos os jornalistas brasileiros, petistas militantes ou simpatizantes, ou na pior das hipóteses, gente assustada com a patrulha petista, reluta em usar o termo adequado, ou seja, INVASÃO, para tratar o fato com um eufemismo, o da “ocupação”. Não, não foi uma “ocupação”, foi uma violenta tentativa de INVASÃO. Os bandidos terroristas do MST estavam armados, com armas de fogo, e acharam que ia ser fácil. Pois bem: os sem-terra, que já ocupam uma área da Fazenda Castanhais, pertencente à Agropecuária Santa Bárbara, no Pará, decidiram invadir a sede da propriedade, no sábado. E estavam armados, com armas de fogo. Queimaram um carro que estava colocado na frente da porteira da propriedade, para impedir o avanço da coluna armada de terroristas, pularam a cerca de se dirigiam em correria para a sede da propriedade, quando foram rechaçados a bala pela segurança da fazenda, portando armas legais. Não tem mais essa conversa de tititi, foi este que começou , foi aquele outro, não adiante a conversinha mole dos padres da Pastoral da Terra da Igreja Católica, uma filial do MST. Acontece que, desta vez, com os olhos turvados pelo sangue, os terroristas do MST se esqueceram de uma lição elementar: como haviam bloqueado a estrada de chegada à fazenda, não havia como se retirar do local, antes que começasse o confronto, a equipe de televisão da afiliada da Rede Globo. E ela filmou tudo. Vale o filme, porque a descrição do repórter é uma porcaria, o idiota desmente as próprias cenas que estava narrando, ao falar em “supostas” agressões. Não tem suposta para cá ou para lá, a imagem não engana. Os outros jornais, que não conseguiram ficar dentro da propriedade (o que comprova o erro dos jornalistas em se postar do lado errado, para depois contar uma farsa), começaram a contra as lorotas da Pastoral da Terra e dos terroristas. Os ordinários chegam ao ponto de dizer que dois dos terroristas do MST, baleados, que ficaram estendidos no chão, tinham permanecido reféns dos seguranças na fazenda. Mais do que bobagem, uma versão crimonosa dos jornalistas. Os terroristas feridos ficaram ali estendidos, sob a guarda dos seguranças da fazenda, pela simples razão de que a fazenda estava bloqueada pelos terroristas do MST. A versão idiota foi propagada pelo repórter do jornal O Estado de S. Paulo. No total, parece que oito terroristas do MST foram feridos à bala, assim como quatro seguranças da fazenda. O tiroteio correu solto, e a filmagem da Rede Globo (clique no vídeo em Videversus para ver as cenas) não deixa margem para engano ou dúvida. O repórter do Estadão ouviu o advogado da Comissão Pastoral da Terra, José Batista, o qual disse que oito sem-terra haviam sido feridos a bala. Sim, é claro? Ele queria que fossem feridos com confete? Atacaram, como não resta dúvida no vídeo da Rede Globo, armados com armas de fogo, e foram recebidos a bala. Conforme o advogado dos terroristas, José Batista, a aproximação à sede só ocorreu pois os integrantes do MST tentavam resgatar um líder do acampamento que, afirmaram, foi capturado por seguranças e estava sendo espancado e ameaçado de morte no local. Grosseira mentira e chicana das grossas. O sujeito não devia saber da permanência da equipe da Rede Globo dentro da fazenda. A coisa ficou tão grave que, pela primeira vez, a Associação Nacional de Jornais divulgou uma nota repudiando a ação dos terroristas do MST. O teor é o seguinte: "A Associação Nacional de Jornais repudia com veemência a ação criminosa de integrantes do MST do Pará, no sábado, dia 18, que mantiveram quatro jornalistas como reféns e os usaram como escudos humanos no enfrentamento com seguranças da Fazenda Castanhais, em Xinguara. É injustificável e condenável sob todos os aspectos que se atente dessa forma contra a integridade física das pessoas, num revoltante descaso com a vida humana. Além disso, os integrantes do MST atentaram contra o livre exercício do jornalismo, aterrorizando profissionais que cobriam o evento com objetivo de informar à sociedade. Felizmente, ninguém saiu fisicamente ferido dessa ação criminosa. A ANJ espera que as autoridades do Pará cumpram com sua obrigação, investigando com rapidez e eficiência o crime cometido contra os jornalistas e a sociedade, identificando seus autores e levando o caso à Justiça, para a devida punição. A democracia é o regime da ordem, do respeito à vida humana e da valorização da liberdade”.

CNA acusa governadora petista Ana Júlia de omissão

A Confederação Nacional da Agricultura (CNA) acusou o governo do Pará de ser tolerante e conivente com a violência dos terroristas do MST contra fazendeiros. Em nota, a entidade acusou a governadora petista Ana Júlia Carepa (PT) de adotar uma política de "deliberada omissão". Por isso, enviará representação à Procuradoria-Geral da República para que o Supremo Tribunal Federal determine intervenção no Estado.

Crescem as denúncias contra o Incra no Rio Grande do Sul

Aumentam a cada dia as denúncias envolvendo o Incra e seu superintendente, Mozar Dietrich. E são denúncias pesada e graves. Após as notícias de extorsão sobre arrozeiros que arrendaram terras irregularmente em assentados do MST em Nova Santa Rita, e de denúncias que o órgão estaria recolhendo mais de 150 mil sacas de arroz em Viamão de 152 famílias, sob alegação de uso de agrotóxicos no cereal, agora surgem fatos novos relacionados à pressão do Incra sobre assentados com processos em andamento de desapropriação de terras. Os assentados afirmaram para o deputado estadual Jerônimo Goergen (PP) que muitas famílias que não concordaram com a alteração de valores propostos pelo Incra, mais do que dobrando o pagamento em sacas de arroz pelo uso da terra para plantio no município, estariam enfrentando processo de reintegração de posse interposto pelo órgão, impedimento de trabalhar na terra e ameaças pessoais. Os assentados entregaram documentos ao deputado Jerônimo Goergen comprovando que o arroz plantado não estaria contaminado, como também contestam a não aprovação de projetos para plantio, afirmando que os mesmos foram aprovados pelo Incra. O Incra se transformou em uma máquina criminosa, uma filial da organização terrorista clandestina MST. Os assentados de Viamão, do assentamento “Filhos de Sepé”, também afirmam que são vítimas de extorsão por parte do Incra, que exigiu antecipamente o pagamento de propina na forma de 16 mil sacas de arroz.

Receita Videversus – A chef de cuisine Simone ensina a fazer o Bolo Mármore


No Brasil, desde a Constituição de 1891, a Igreja está separada do Estado. Antes disso, todas as religiões que não fossem a Católica estavam proibidas. O catolicismo, subvencionado pelo Estado, gozava de enormes privilégios. Nossa atual Constituição, felizmente, prega a liberdade religiosa. Nada contra crucifixos nos cartórios, desde que outros símbolos também sejam permitidos e respeitados. Todavia, embora não vejamos mais a Santa Inquisição torturando e matando em nome de Deus, muitas vezes somos surpreendidos pela influência oculta da religião sobre a conduta daqueles que deveriam, em razão do ofício, zelar pelo Estado Laico. Montesquieu, em seu Espírito das Leis, repisando e melhorando a teoria inicialmente trazida por Locke, ensina que “todo aquele que detém o poder é levado a dele abusar, e vai até onde encontra limites” . Perdoem a digressão, mas hoje eu estou particularmente inspirada a pregar a separação entre a Igreja e o Estado. Quando perguntaram a Jesus se deveriam pagar os impostos, ele pegou uma moeda, com a efígie de César, e respondeu: “a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. Religiosidade à parte, não devemos permitir que os assuntos do Reino de Deus interfiram nos assuntos de Estado, e vice-versa. Tomar decisões dentro de Lojas Maçônicas, por exemplo, além de ser uma agressão ao Estado Democrático de Direito, é um acinte ao cidadão que busca justiça segundo a lei dos homens, e não de interpretação conforme oráculos mágicos. Hoje trago uma receita maravilhosa de bolo mármore, um bolo de duas cores que não se misturam. Parece uma receita comum de bolo, mas existem alguns segredos que vão deixá-lo simplesmente divino – ou humano, como prefiram. Precisamos de meio pacote de manteiga sem sal (125g), uma colherinha de essência de baunilha, 2 xícaras de açúcar, 2 ovos, três quartos de xícara de leite, 2 xícaras de farinha, 1 colher de sopa de fermento e meia xícara de cacau em pó. Preaquecemos o forno e untamos com manteiga uma forma de bolo com buraco no meio. Batemos a manteiga com o açúcar, a baunilha e os ovos. Batemos bem, pelo menos durante uns oito minutos. Não substitua a manteiga por margarina, por favor. O bolo feito com manteiga fica molhadinho com o passar dos dias, enquanto que o bolo feito com margarina fica farelento e seco. Quando a mistura estiver bem batida, acrescentamos o leite e continuamos batendo. Juntamos a farinha, o fermento, batemos mais e dividimos a mistura em duas partes. A uma delas, acrescentamos o cacau em pó. Use cacau em pó, não chocolate em pó e muito menos achocolatado. O cacau é mais forte e vai deixar o bolo muito mais gostoso. Colocamos porções de massa branca e preta na forma untada. Desencontramos as massas. Não mexa, para que não se misturem. Leve ao forno por 35 minutos. Costumo deixar o bolo nos primeiros 5 minutos no forno forte, e depois abaixo a temperatura, para que cozinhe bem. Por favor, não abra a porta do forno, em hipótese alguma, antes dos primeiros vinte minutos. Tire do forno, deixe esfriar um pouco e desenforme. Você pode cobrir com açúcar de confeiteiro e cacau em pó peneirado, ou derreter chocolate branco e preto e cobrir o bolo. Ele dura alguns dias, e a cada dia ficará mais gostoso, devido à manteiga. Vale a pena experimentar! Para esclarecer dúvidas, pedir receitas, me contar histórias ou me contratar para organizar o seu evento, o e-mail é simonenejar@hotmail.com

Dica Videversus de uma refeição rápida


A dica hoje é fazer peixe com alcaparras em menos de vinte minutos. Compramos filé de peixe (pode ser de caixinha) e o temperamos com sal, pimenta e limão. Passamos na farinha de trigo e fritamos. A seguir, aquecemos um pouco de requeijão cremoso e misturamos com uma colher de sopa de alcaparras, servindo sobre o peixe. Mais rápido, impossível.

Discurso do fascista racista Ahmadinejad implode Confederência antiracista da ONU

Não podia dar em outra coisa. Os oportunistas de todos os matizes, presentes em Genebra, que permitiram que a Conferência Mundial sobre o Racismo, da ONU, fosse aberta na segunda-feira, em Genebra, na Suíça, com um discurso do fascista e racista presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, viram a cena ser roubada por ele. Enquanto ele vociferava contra Israel e seus aliados, vale dizer, todo o mundo ocidental, que aprovou a sua criação ao final da 2ª Guerra Mundial, autoridades ocidentais levantavam-se ostensivamente das suas bancadas e abandonavam o recinto em protesto. A cena passou em todas as televisões do mundo, e ganhou a Internet, gravada em cenas que não serão esquecidas. Não foi por falta de aviso. Países como os Estados Unidos, a Alemanha e Israel já tinham avisado que essa conferência da ONU é uma fraude, dominada por organizações esquerdóides, aliadas do mundo islâmico, desejosas de explodir o mundo ocidental e eliminar Israel da face da Terra. Algumas coisas são absolutamente simbólicas. Nesta segunda-feira, quando Ahmadinejad vituperava contra Israel e os judeus, começavam as solenidades do Dia do Holocausto. E, nesse dia, também, o super facínora Adolf Hitler faria 120 anos se fosse vivo. A retirada coletiva dos representantes dos 23 Estados da União Europeia, deixou Ahmadinejad como único chefe de Estado presente. O embaixador francês, Jean-Baptiste Mattei, um dos diplomatas que prontamente se levantou e deixou o local durante o discurso, lamentou que Ahmadinejad estivesse tentando “tomar a conferência como refém”, acrescentando que a polêmica gerada pelo iraniano estava além do que era esperado. “Tais considerações ultrajantes e antissemitas não têm lugar em um fórum antirracismo da ONU”, concordou o embaixador britânico, Peter Gooderham. Os Estados Unidos classificaram as declarações do iraniano como “odiosas”, mas não deixaram de reafirmar a vontade de dialogar com o Irã. O Vaticano defendeu a Conferência Mundial sobre o Racismo, mas criticou o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, por suas declarações "inaceitáveis e extremistas". "Discursos como o do presidente iraniano não vão na direção certa, já que embora não tenha negado o Holocausto ou o direito à existência de Israel, usou expressões extremistas e inaceitáveis", afirmou o porta-voz sa Santa Sé, Federico Lombardi.

Brasil critica países que boicotam a conferência Durban II

O Brasil considerou "inexplicável e inaceitável" o boicote, por parte de Estados Unidos e outros oito países, da Conferência "Durban II" da ONU contra o racismo, que começou na segunda-feira, em Genebra. A ausência de alguns países é inexplicável e inaceitável", afirmou em seu discurso o ministro brasileiro da Igualdade Racial, Edson Santos. Estados Unidos, Canadá, Holanda, Alemanha, Polônia, Austrália, Nova Zelândia, Itália e Israel decidiram não participar do fórum, alegando que poderia ser utilizado como tribuna contra Israel, como efetivamente foi, e logo na abertura, pelo fascista iraniano Ahmadinejad. "Ausentar-se do processo negociador significa render-se à falta de diálogo. É negar a mudança. Há que aceitar o pluralismo, tolerar a diferença e respeitar a diversidade", destacou Santos. O que esse Edson Santos faz é dar suporte para as alegações de organizações terroristas. Estão na conferência cerca de 2.000 ONGs. Advinhem qual a tendência delas?

Sobrevivente do Holocausto diz que presidente do Irã fez "insulto"

Elie Wiesel, Prêmio Nobel da Paz e sobrevivente do Holocausto, afirmou nesta terça-feira que não consegue compreender como permitiram ao presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, fazer comentários antissemitas durante a Conferência sobre o Racismo em Genebra. "O fato de que esta pessoa seja convidada à ONU é algo que não posso compreender. Porquê ele teve permissão para dizer o que disse, porquê o presidente não o interrompeu, é algo que não compreendo", afirmou Wiesel. "A presença de Ahmadinejad e seu discurso foram insulto a nossa inteligência. Aqui estamos nas Nações Unidas, uma organização criada como uma resposta às atrocidades da Segunda Guerra Mundial, e temos que protestar contra um discurso antissemita", reafirmou Wiesel. Ele declarou que Ahmadinejad insiste com os comentários contra Israel porque "deseja entrar para a história do Islã como o primeiro e único líder islâmico que aniquilou o povo judeu": "Que ele tenha estado aqui, hoje ou ontem, e que tenha falado o que falou, é um insulto, um insulto a nossa inteligência, um insulto a nossa sensibilidade e um insulto a nossa memória".

Israel chama seu embaixador e pede direito de resposta

O ministro das Relações Exteriores israelense, Avigdor Lieberman, criticou na segunda-feira a Conferência sobre o Racismo e rebateu as acusações do presidente iraniano, o fascista Mahmoud Ahmadinejad, que acusou Israel de ser um “Estado racista”. O governo israelense também pediu que seu embaixador na Suíça, Ilan Elgar, tenha um direito de resposta às declarações do presidente iraniano. “Uma conferência internacional na qual um racista como Ahmadinejad, que defende dia e noite a destruição de Israel, é convidado a palestrar, expõe por si só quais são seus objetivos e seu caráter”, afirmou Lieberman em comunicado. Em protesto contra um encontro mantido no domingo à noite entre o presidente suíço, Hanz Rudolf, e Mahmoud Ahmadinejad, Israel chamou a consultas seu embaixador na Suíça. O Ministério de Exteriores israelense denunciou, em comunicado, a reunião “entre o presidente de um Estado negacionista do Holocausto, como é o presidente do Irã, que também prega a destruição do Estado de Israel” e o presidente suíço. Segundo a nota, o ministério de Exteriores israelense sugere que a recepção do líder suíço a Ahmadinejad é “duplamente grave”, por coincidir com a véspera do dia em que se lembra o Holocausto em Israel, que começou na tarde de segunda-feira e lembra o genocídio de 6 milhões de judeus nas mãos do regime nazista.

Vice-premier israelense afirma que Irã é como a Alemanha de Hitler

O atual regime iraniano é como a Alemanha de Hitler, afirmou nesta terça-feira o vice-premier israelense Silvan Shalom, antes de uma cerimônia em recordação das vítimas do Holocausto, no antigo campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau (Polônia). "O que o Irã tenta fazer atualmente não é muito diferente do que Hitler fez com o povo judeu há 65 anos", afirmou Shalom, antes da marcha que recorda as vítimas deste campo, onde foram exterminados mais de um milhão de judeus durante a Segunda Guerra Mundial pelas tropas alemãs que ocupavam a Polônia.

Israel lembra o Holocausto


Israel iniciou na noite de segunda-feira as comemorações do "Dia da Shoah", uma cerimônia que recorda os seis milhões de judeus mortos pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. A celebração começou poucas horas depois de o presidente do Irã, o fascista Mahmmoud Ahmadinejad, tachar Israel de "racista". O presidente israelense, Shimon Peres, e o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, assistiram a uma cerimônia no memorial de Yad Vashem, em Jerusalém, onde os sobreviventes do Holocausto acenderam seis velas em homenagem às vítimas. "O antissemitismo é fenômeno histórico antigo. Se alguém pensava que depois dos atos atrozes da Shoah, este fenômeno desapareceria, é evidente que se equivocava", declarou Netanyahu em um discurso. "O triste é que, enquanto nós observamos esse dia em Jerusalém, outros escolheram assistir a um espetáculo de ódio contra Israel, no coração da Europa", acrescentou. "Estou profundamente indignado porque, num dia como hoje, foi inaugurada uma conferência em Genebra que aceita o racismo, e que teve como principal participante Mahmmoud Ahmadinejad, um homem que já pediu para apagar Israel do mapa", lamentou Peres. Nesta terça-feira, às 7h00 GMT, as sirenes soaram durante dois minutos em Israel para relembrar o Holocausto. E tudo parou em homenagem aos seis milhões de mortos judeus. Mais de 230.000 sobreviventes do Holocausto vivem atualmente em Israel.

Veja a lista dos brasileiros que foram aplaudir o terrorista Admadinejad

Quem abriu a Conferência Contra a Discriminação Racial das Nações Unidas, aberta segunda-feira, em Genebra? Ora, o super terrorista Mahamoud Ahmadinejad, presidente do Irã, país que financia o terrorismo islâmico, especialmente as organizações terroristas Hizbollah (no Líbano) e Hamas (na Faixa de Gaza), arma e treina seus militantes. Pois esse grande líder da paz, esse monumento anti-racista, foi lá e abriu a Conferência com um virulento discurso racista. E como fica o Brasil do presidente Lula nessa? Ora, a diplomacia do governo petista, iluminada por esse gênio trotskista chamado Marco Aurélio Garcia, que tanto acalenta o terrorismo, mandou uma grande comitiva para lá, para aplaudiu o celerado do Ahmadinejad. Foi mais um festival com dinheiro público gasto em passagens, hospedagens e diárias. Tudo isso para ouvir o gênio fascista que vocifera pela eliminação física de Israel e dos judeus. Vejam a lista dos enviados pelo governo petista para ouvir o fascista Mahamoud Ahmadinejad: CHEFE – Edson Santos, Secretário de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República; DELEGADOS - Embaixadora Maria Nazareth Farani Azevedo, Representante Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas em Genebra; Glaucia Silveira Gauch, Diretora do Departamento de Direitos Humanos e Temas Sociais do Ministério das Relações Exteriores; Alexandre Guido Lopes Parola, Ministro-Conselheiro da Delegação do Brasil em Genebra junto à Organização das Nações Unidas e aos Organismos Internacionais em Genebra; Martvs Antonio Alves das Chagas, Subsecretário de Ações Afirmativas da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; Alexandre da Anunciação Reis, Subsecretário de Comunidades Tradicionais da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; Manuela Pinho de Azevedo Souza, Subsecretária de Planejamento da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; José Gregori, Secretário Especial de Direitos Humanos do Município de São Paulo; Célio Whitaker, assessora da Secretaria Especial de Direitos Humanos do Município de São Paulo; Magali Silva Santos Naves, Chefe da Assessoria Internacional da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; Márica Canário de Oliveira, Assessora Internacional da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; Carlos Alves Moura, Ouvidor da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; Zulu Araujo, presidente da Fundação Cultural Palmares; Regina Célia Sant’Anna Adami, assessora parlamentar da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República; Mário Theodoro, especialista em temas de diversidade do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão; Leonor Franco de Araújo, Coordenadora-Geral de Diversidade da Secretaria Continuada de Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação; José Armando Fraga Diniz Guerra, Assessor da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República; Maria do Carmos Rebouças da Cruz, Assessora da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República; Eduardo Santarelo Lucas, Coordenador do Plano Brasil sem Homofobia da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República; Deise Benedito, da Ong "Fala Preta"; Iradj Roberto Eghrari, da Ong "Comunidade Baha'i do Brasil"; Nilza Iraci, da Ong "Geledés – Instituto da Mulher Negra"; Ivanir dos Santos, da Ong "Centro de Articulações de Populações Marginalizadas"; Maria Aparecida Bento, da Ong "Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades"; Jurema Werneck, da Ong "Criola"; Olivia Santana, Ong "União de Negros pela Igualdade; Jacinta Maria Santos, da Ong "Agentes da Pastoral Negra"; Gilberto Leal, da Ong "Conselho de Negros"; Marcos Benedito, da Ong "Instituto pela Igualdade Racial"; Samoury Mugabe, da Ong "Articulação Política de Juventude Negra"; Ronaldo dos Santos, da Ong "Conselho Nacional Quilombola"; Marcelo Paixão, professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro; e Wania Santana, consultora da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Gastança de passagens na Câmara dos Deputados é ruim? É, sim senhor. E gastança inútil de dinheiro no Legislativo é o quê?

Alemanha busca vala comum de judeus em Berlim

Segundo Jörg Schönbohm, ministro do Interior do estado federado de Brandeburgo, onde fica Jamlitz, a vala, com 5 mil metros quadrados de superfície, pode conter os restos mortais de 753 judeus assassinados. As informações reunidas até agora asseguram que eles ficaram presos no campo de concentração de Sachsenhausen, ao norte de Berlim, e que foram fuzilados em Jamlitz, em 2 de fevereiro de 1945, por membros da SS nazista. As escavações podem durar três semanas e, caso sejam encontrados restos mortais, o local deve se transformar em ponto de "lembrança silenciosa" das vítimas, que procederiam originariamente da Polônia e da Hungria.

Caixa estuda facilitar financiamento para eletrodomésticos

A presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho, disse nesta terça-feira que o banco já tem novas formulações para a linha branca que teve o IPI reduzido recentemente pelo governo Lula. A chamada linha branca são geladeiras, fogões e máquinas de lavar. A presidente da Caixa informou que a instituição estuda fazer parcerias com as redes de varejo para facilitar que o consumidor vá direto a uma loja, escolha o produto e tenha acesso ao crédito da Caixa.

Governo dos Estados Unidos destinará mais US$ 5,5 bilhões para GM e Chrysler

O governo dos Estados Unidos dará US$ 5 bilhões para a GM (General Motors) e outros US$ 500 milhões à Chrysler para que possam continuar operando durante as próximas semanas, segundo um relatório federal divulgado nesta terça-feira. O documento, preparado pelo escritório do Inspetor Geral do Departamento do Tesouro norte-americano, prevê que os recursos destinados à GM permitam que o fabricante continue funcionando até o dia 1º de junho, a data limite dada por Washington para que a empresa desenvolva um novo plano de reestruturação. Já a Chrysler tem até o dia 1º de maio para fazê-lo, e os US$ 500 milhões de ajuda estatal permitirão que a companhia siga em funcionamento até lá. Estes detalhes estão contidos no relatório sobre o programa de resgate financeiro de US$ 700 bilhões, denominado Programa de Socorro a Ativos Problemáticos, iniciado no final de 2008.

Produção global de aço cai 23,5% em março

A produção mundial de aço caiu 23,5% em março em comparação com o mesmo mês do ano passado, liderada pelo forte declínio na Europa e na América do Norte, informou a Associação Mundial de Aço. A produção no mês passado ficou em 92 milhões de toneladas métricas. No primeiro trimestre de 2009, a produção caiu 22,8% em comparação a igual período do ano passado, para 264 milhões de toneladas. A produção no primeiro trimestre caiu em todos os grandes países produtores, exceto China, onde aumentou 1,4%. Na Europa, a produção caiu 43,8%, para 30 milhões de toneladas, enquanto nos Estados Unidos o recuo foi de 52,1%, para 16,6 milhões de toneladas.

Bolívia promete enviar mais gás para a Argentina no inverno

A Bolívia se comprometeu a enviar para a Argentina pelo menos 4 milhões de metros cúbicos de gás natural durante o inverno no hemisfério sul, o dobro do mesmo período bombeado no ano passado para os argentinos, informou a petroleira estatal boliviana YPFB. O compromisso foi assumido na noite de segunda-feira, em uma reunião bilateral realizada em Santa Cruz, na qual foi definida uma mofificação de um contrato de compra e venda vigente desde 2006, de acordo com o presidente da YPFB, Carlos Villegas. Hummmm...... contrato assinado pela Bolívia?!!!! O envio de um volume extra para a Argentina durante o inverno compensará parcialmente a queda na demanda do Brasil, que recebe neste início de ano cerca de 20 milhões de metros cúbicos diários, contra 30 milhões em 2008. Além disso, aliviará o impacto da queda do preço do gás, que atualmente está em 4,60 dólares por milhão de unidades térmicas britânicas (BTU), ante 7,80 dólares do primeiro trimestre, em função da queda nos preços do petróleo.

Ou o Congresso brasileiro reage ou pratica suicídio coletivo – de Reinaldo Azevedo

Deputados e senadores têm apenas uma alternativa, acho eu, para estancar a sangria — de reputação — que hoje enfraquece o Congresso: assinar um documento pedindo desculpas aos brasileiros pelas farras com as passagens aéreas. Sei que há outras farras. Mas essa, parece, atravessou todos os partidos, todas as ideologias, toda a hierarquia. Deixariam de assinar o documento apenas aqueles que usaram pessoalmente as cotas, sem transferir passagens a ninguém, e para o exercício do mandato. É bem possível que ninguém se enquadre nessa exigência. Não estou sendo irônico, não. Falo sério. O Congresso brasileiro parou. Nada mais que Câmara e Senado digam ou façam é levado a sério pelo eleitor. A cada dia, surgem nomes novos na lista das passagens. A desmoralização parece não ter fim. Estamos sem o Legislativo. É como se ele tivesse acabado. O Executivo governa o país como déspota. Os escândalos vão pipocando, e deputados e senadores nada têm a dizer porque ocupados em se justificar. O expediente iguala oposição e situação. Pois que façam o documento e assumam o erro. Mais ainda: admitam que as cotas eram usadas como salário indireto. Por isso os deputados e senadores não viam mal nenhum em usá-las para pagar viagens de familiares e amigos. Cada um faz o que quer com o seu dinheiro. É verdade. Ocorre que o dinheiro não era deles. Era do Congresso — de fato, dos brasileiros. Mas parece que os valentes não perceberam o tamanho do buraco. Ao criarem “novas” regras para as passagens, apenas oficializaram a mamata, o que é o fim da picada. Eles realmente acham que temos a obrigação de pagar as viagens de seus familiares. E, é claro, nós não temos. A lambança não pára aí: as duas Casas legislativas são dois pantagruélicos cabides de empregos. Neste momento, o Legislativo está acabado. Ou os líderes partidários se dão conta disso, ou, reitero, continuarão a reboque do Executivo, sendo vistos pela população como pesos mortos, que custam caro ao país, locupletam-se e ainda não nos trazem nenhum benefício. Que essa gente se emende. Ou, na prática, chegaremos à venezuelização sem que o Executivo nem precise avançar sobre o Legislativo, como fez o Beiçola de Caracas. Aqui seria tudo mais fácil: os senhores parlamentares prefeririam o suicídio coletivo. Ou o Parlamento brasileiro reage ou morre. E a reação pede duas iniciativas: o pedido de desculpas e a moralização de procedimentos.

Padre Nosso Fernando Lugo acusado de ter feito mais um filho com outra adolescente

Uma mulher de 27 anos anunciou na segunda-feira que pedirá ao presidente do Paraguai, o ex-bispo católico Fernando Lugo, que reconheça seu filho de 6 anos, em uma ação judicial semelhante à que ocorreu há menos de 15 dias. Lugo chocou o país na semana passada quando, pressionado por uma reivindicação judicial, admitiu ser pai de um menino de quase dois anos, resultado de uma relação com uma jovem quando era sacerdote. Ou seja, além de ter violado o voto de castidade da Igreja Católica, o então bispo Lugo também era chegado a uma pedofilia. O presidente registrou o menino e iniciou os trâmites para que a criança leve o seu sobrenome. Agora, Benigna Leguizamón, uma humilde vendedora de detergentes que mora na periferia da Ciudad del Este, a 350 quilômetros de Assunção, disse que pedirá a Lugo o reconhecimento de um de seus quatro filhos. "Tive um relacionamento com este senhor e desta relação existe esta criatura que está sofrendo", disse Benigna Leguizamón a jornalistas um pouco depois de ter apresentado seu caso a representantes da secretaria estatal da Infância e da Adolescência. "Um dia ainda vou esperar, se não assumir a sua responsabilidade, amanhã, às seis da manhã, apresentarei o pedido", acrescentou ela. Benigna Leguizamon assegurou que o relacionamento com o bispo Lugo começou em 2001, quando ela era mãe solteira de uma criança. "Eu fui pedir a ajuda do bispo Lugo, porque o pai da minha primeira filha tinha se recusado a dar uma assistência à menina", disse ao jornal Última Hora. "Neste momento, Lugo me deu apoiou, mas se aproveitou da minha enorme necessidade e me induziu para que tivéssemos relações. Em um ano estava grávida dele. Tive meu filho com uma parteira na casa em que morava, cujo aluguel ele pagava", informou Benigna Leguizamon. Ela disse que não denunciou o presidente por medo, mas que teve coragem de denunciar assim que ficou sabendo do caso que veio à luz na semana passada. "Ofereceram-me dinheiro para que denunciasse durante a campanha eleitoral, mas recusei porque não quero que o caso de meu filho seja manipulado. Lugo me deu dinheiro até que meu filho tivesse dois anos, depois foi cortando e hoje não atende mais as minhas chamadas", comentou Benigna Leguizamon. Em um comício para comemorar o primeiro aniversário da sua vitória, realizado na noite de segunda-feira, o Pai Nosso Fernando Lugo já percebeu o resultado da divulgação de seu casanovismo. O vice-presidente, Federico Franco, foi aclamado. Benigna Leguizamón, de 27 anos, teve o filho do Pai Nosso, Lucas Fernando, nascido em 9 de setembro de 2002, no departamento de San Pedro. O Pai Nosso Lugo era justamente titular da diocese de San Pedro, a região mais pobre do país. Ele já admitiu ser o pai de Guillermo Armindo, que fará dois anos no dia 4 de maio, e é filho de Viviana Rosalith Carrillo Cañete, de 26 anos. O Paraguai, quando terminou a guerra com o Brasil, tinha tido toda sua população masculina exterminada. O Pai Nosso Lugo está contribuindo para repovoar o Paraguai.

Lula gasta em salários para a burocracia o que economiza em juros da dívida

O presidente Lula está preparando bombas fiscais que vão cobrar o seu preço no futuro governo, seja ele com uma petista, ou com um opositor. A diminuição do superávit fiscal, sob o pretexto de incentivar o crescimento, é uma delas. A conseqüência pode ser o aumento da relação dívida/PIB, o que, dizem, será compensado por uma economia mais robusta e pela possível redução dos juros. O governo Lula precisa de mais dinheiro para enfrentar o custeio da máquina pública, não para investir. Lula está “dando” R$ 1 bilhão para os prefeitos, mas decide um reajuste de 9% do salário mínimo para 2010, mesmo com uma inflação de estimados 4% e um crescimento que pode ficar perto de zero, ou abaixo disso. O salário mínimo não tem grande impacto nas empresas privadas. As maiores vítimas de sua elevação, muito acima da inflação, e do crescimento da economia, são justamente as prefeituras, que estão de pires na mão. Além das que vão acima, listava outras dificuldades que estão sendo contratadas pelo governo: casa própria equipada com calote; fim da DRU; corpo mole num espeto bilionário ligado a ressarcimento da poupança por causa de planos econômicos e fim do fator previdenciário. O governo Lula usou praticamente toda a economia que teve com a queda dos juros desde 2006 para reforçar sua própria estrutura e aumentar o salário do funcionalismo público. Pouco foi feito para elevar os investimentos, necessários para permitir que o País cresça sem solavancos. É o que revela estudo feito pelo economista Alexandre Marinis, sócio da consultoria Mosaico. Entre abril de 2006 e fevereiro de 2009, os gastos anuais do governo central com juros caíram cerca de R$ 40 bilhões. No mesmo período, as despesas com pessoal subiram iguais R$ 40 bilhões, e as de custeio, R$ 26,7 bilhões. Já as despesas de capital (os investimentos propriamente ditos) aumentaram apenas R$ 14,7 bilhões.

Protógenes Queiroz, a lenda, acha que terá 1,5 milhão de votos

Protógenes Queiroz, o delegado fundamentalista que está a um passo de ser expulso da Polícia Federal, por causa de seus descontroles durante a Operação Satiagraha, anda exultante. Ele acreditou piamente na conversa de dirigentes do PSOL, entre eles a deputado federal Luciana Genro (filha do ministro da Justiça, o peremptório Tarso Genro, superior hierárquico de Protógenes), de que teria em torno de 1,5 milhão de votos como candidato a deputado federal por São Paulo. Os chefes do PSOL disseram a Protógenes Queiroz, com seu linguajar moralista do combate à corrupção, alcançará a marca de 1,5 milhão de votos. Eles disseram acreditar que Protógenes, com sua fama de "justiceiro", alcance um desempenho duas vezes superior ao conquistado pelo ex-prefeito Paulo Maluf (PP-SP) na urnas em 2006. Tá bem.... vamos esperar as urnas.

Doze deputados federais gaúchos tiraram passagens da Câmara para seus parentes

Dos 31 deputados federais gaúchos, já está confirmado que 12 colocaram a parentada a viajar com uso de dinheiro público. A maioria afirma que os deslocamentos ocorreram entre o Rio Grande do Sul e Brasília. Mas, alguns já admitiram que usaram as passagens da Câmara para viagens ao Exterior de seus parentes. “Meus filhos já foram para Brasília e outros lugares”, afirmou o deputado federal Eliseu Padilha (PMDB). O que os contribuintes gaúchos e brasileiros têm a ver com a vontade de viajar dos filhos de Eliseu Padilha. O deputado federal Germano Bonow (DEM) justificou as viagens de sua mulher: “Se moro em Porto Alegre e em Brasília, acho ético que meu emprego propicie que pessoas próximas estejam junto comigo”. Quem sabe ele experimenta usar dinheiro do próprio bolso para ter perto de si o parente? O deputado federal Vieira da Cunha (PDT) afirmou que a mulher já o acompanhou em roteiros oficiais ao Exterior. O mais desalentador no caso de Vieira da Cunha é que ele é promotor de carreira. Ou seja, já se vê a visão de gasto público que tem o fiscal da Lei trabalhista gaúcho. O deputado federal caxiense Ruy Pauletti (PSDB) admitiu sua sofisticação e confirmou ter ido a Paris, para conhecer o parlamento, e ter aproveitado para fazer turismo.

Presidente da CPI do Grampo diz que mandante do crime foi Paulo Lacerda

"Há um mandante nesse crime e o nome dele é Lacerda", declarou o deputado federal Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), presidente da CPI dos Grampos, referindo-se ao envolvimento do ex-diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), delegado federal aposentado Paulo Lacerda, na Operação Satiagraha. Para Marcelo Itagiba, o delegado federal Protógenes Queiroz, mentor da Satiagraha, "pôs em prática" ilegalidades no curso da investigação contra o banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity, condenado a 10 anos de prisão por corrupção ativa. "Lacerda é o mandante. Protógenes não agiu sozinho e por conta própria", disse o parlamentar, que ouviu em São Paulo três procuradores da República.

A ditadura Chávez avança na Venezuela

O prefeito de Maracaibo, Manuel Rosales, um dos principais líderes da oposição venezuelana, decidiu pedir asilo político a um "país amigo" em vez de comparecer a um tribunal venezuelano para responder a processo por corrupção. O partido de Rosales, “Um Novo Tempo”, acusa o presidente Hugo Chávez de perseguí-lo por questões políticas. "A entrega de Rosales não seria uma entrega à Justiça, mas a Chávez, que o está perseguindo", afirmou Omar Barboza, presidente do partido. Segundo ele, o líder opositor está escondido em algum lugar na Venezuela desde março. Há mais de 30 anos na política, Rosales já foi duas vezes governador de Zulia, Estado mais populoso e rico em petróleo do país. Nas eleições de 2006, ele concorreu à presidência contra Chávez, mas foi derrotado. No ano passado, começou a ser investigado por corrupção. Durante a campanha para as eleições regionais de novembro, nas quais Rosales concorreu à prefeitura de Maracaibo (capital de Zulia), o presidente ameaçou prendê-lo e o chamou de "ladrão" e "mafioso".

Toque de recolher para menores começa a valer no interior de São Paulo

O toque de recolher para menores de idade começou a vigorar, na noite de segunda-feira, em dois municípios do Interior de São Paulo. São eles: Itapura e Ilha Solteira. A partir de agora, crianças e adolescentes de até 14 anos, desacompanhadas dos pais, só poderão ficar nas ruas e locais públicos até as 20h30. Os jovens entre 14 e 16 terão que voltar para casa às 22 horas, e os que tiverem entre 16 e 18 anos, às 23 horas. Quem descumprir as normas será encaminhado ao Conselho Tutelar. A medida foi adotada pelo juiz da Vara da Infância e Juventude de Ilha Solteira, Fernando Antônio de Lima, para garantir a integridade física e moral dos menores.

Supremo reduz processos em 40,9% em um ano

Supremo reduz processos em 40,9% em um ano
O filtro de repercussão geral adotado pelo Supremo Tribunal Federal para selecionar melhor os processos que chegam até a Corte resultou em uma redução de 40,9% no número de processos distribuídos na instância máxima da Justiça brasileira. O balanço do primeiro ano da gestão do ministro Gilmar Mendes na presidência da Corte mostra que, entre abril de 2008 e março de 2009, foram distribuídos 56.537 processos. Entre abril de 2007 e março de 2008, foram 97.435 processos. O filtro, aplicado nos últimos 12 meses, permite que o Supremo julgue apenas temas que possuam relevância social, econômica, política ou jurídica para toda a sociedade brasileira. Ao colocar em prática a repercussão geral, em meados de 2008, a corte decidiu montar um sistema totalmente informatizado para garantir a celeridade, bem como a publicidade, no processamento dos recursos extraordinários submetidos ao filtro. Para tanto, foi criado o Plenário Virtual, sistema disponível no portal da corte e operado pelos próprios ministros.

Militares uruguaios depõem sobre crimes na ditadura

A justiça uruguaia retomou na segunda-feira os depoimentos de mais de 40 militares e policiais, na investigação de dois crimes emblemáticos cometidos durante o regime militar do país (1973-1985), entre eles o assassinato de Cecilia Fontana, mulher de um líder do Partido Nacional, em 1978. Cinco membros da Brigada de Narcóticos da polícia se apresentaram ao juiz para esclarecer as circunstâncias do assassinato da esposa de Mario Heber, que morreu ao beber um vinho envenenado destinado a seu marido, opositor de regime, e cuja responsabilidade nunca foi esclarecida. Durante a semana, todos os membros da brigada envolvidos no caso ou em sua investigação devem depor nesta semana. Cecília morreu ao beber um vinho que havia sido enviado ao marido dela junto com um cartão na qual se elogiavam seus esforços para restabelecer a democracia no país.

Tesouro transfere R$ 244 milhões para os municípios

O Tesouro Nacional transferiu na segunda-feira uma parcela de R$ 244,010 milhões aos municípios para complementar a cota do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) referente ao mês de abril, informou o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkoski. Ele disse que a parcela maior, no valor de R$ 2,054 bilhões, foi repassada no dia 10 deste mês. Com o adicional desta segunda-feira, o FPM de abril soma R$ 2,298 bilhões. Esse valor corresponde, segundo ele, a um aumento de 1% sobre a previsão inicial do Tesouro, que era de R$ 2,274 bilhões. Ziulkoski mencionou que a transferência da cota adicional do FPM no mês foi 14,5% menor do que a previsão de R$ 285 milhões,e um pouco menor também que os R$ 250,558 milhões do mês anterior.

Déficit da Previdência em março alcança R$ 3,13 bilhões

O déficit da Previdência Social foi de R$ 3,130 bilhões em março deste ano, valor 12,1% maior que o rombo de R$ 2,792 bilhões registrado em igual período do ano passado. No acumulado do primeiro trimestre, o déficit da Previdência alcança R$ 12,093 bilhões, 16,3% maior que os R$ 10,394 bilhões registrados entre janeiro e março de 2008. Para todo o ano, a proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias enviada ao Congresso na semana passada prevê um déficit de R$ 40 bilhões nas contas da Previdência. O total de recolhimentos realizado no mês passado atingiu R$ 14,209 bilhões, um recorde no setor, excluindo-se números registrados nos meses de dezembro, quando sazonalmente há aumento da arrecadação. O número do mês passado representa um crescimento de 10,6% sobre os R$ 12,852 do recolhimento feito em março de 2008.

Até R$ 4 bilhões serão liberados para Estados

Bahia, Ceará e Maranhão terão acesso a R$ 958 milhões da nova linha de crédito subsidiado de R$ 4 bilhões anunciada pelo governo Lula para ajudar os Estados a manterem o ritmo de investimentos. Os detalhes da nova modalidade de concessão de empréstimos, incluindo a repartição dos recursos entre as unidades da federação, foram divulgados na segunda-feira pelo secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Cléber Oliveira. O Rio de Janeiro, de acordo com Oliveira, poderá sacar até R$ 61,1 milhões. Os valores foram divididos seguindo as proporções de repasses do Fundo de Participação dos Estados (FPE) estabelecidas pelo Tribunal de Contas da União no fim do ano passado. Dessa forma, quem poderá sacar menos dinheiro emprestado são Distrito Federal, São Paulo e Santa Catarina. Os R$ 4 bilhões equivalem justamente a um mês de repasses do FPE, explicou Oliveira. O juro final a ser cobrado é de 9,25% ao ano, considerando que os encargos para os Estados equivalem à Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) mais 3% anual. O crédito será concedido atrelado ao compromisso de uso com despesas de capital, o que significa, na prática, projetos de investimento estabelecidos no Programa Aplicativo Fiscal (PAF). É possível usar o dinheiro para renegociar dívidas ou até mesmo para cumprir a contrapartida exigida dos Estados nas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). É inacreditável o que faz o governo Lula, e todos os governadores ficam quietos. Ele retira a parte dos impostos lhes pertence, em função das desonerações de IPI, cria um fundo para compensação dos Estados inferior ao que eles teriam direito a receber, e ainda condiciona que só libera os recursos mediante aplicação em obras do PAC ou para pagamento da dívida para com a própria União. Isso é inacreditável. Mas acontece..... e ninguém chia. Que País é este?

Superávit em abril sinaliza retomada da economia

O superávit da balança comercial deve superar US$ 2 bilhões no fechamento de abril. Esse seria o melhor resultado mensal deste ano. Especialistas já notam uma retomada da corrente de comércio mundial e acreditam que o saldo comercial deste mês deve superar a cifra obtida em abril do ano passado, de US$ 1,738 bilhão, quando foi prejudicada pela greve dos auditores fiscais da Receita Federal. O início da safra da soja e a redução das importações, em relação às exportações, devem contribuir para alavancar o superávit da balança comercial deste mês, acredita o vice presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro.

Jackson Lago tenta manter cargo com recurso no Supremo

A segunda ação cautelar ajuizada, no Supremo Tribunal Federal, pela defesa de Jackson Lago, que teve o mandato de governador do Maranhão cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral, foi distribuída, segunda-feira, à ministra Cármen Lúcia, designada relatora da nova petição. O recurso havia sido encaminhado ao gabinete da ministra, já que o ministro Ricardo Lewandowski, que devia ser o relator, não estava em Brasília. Como ela também não foi encontrada, a petição acabou nas mãos do ministro Marco Aurélio que, por sua vez, devolveu-a aos advogados, ao reparar que faltava uma página no documento. Embora Roseana Sarney, a segunda mais votada no pleito de 2006, já tenha sido empossada na chefia do governo do Maranhão, os advogados de Lago, José Eduardo Alckmin e Francisco Rezek, pretendem que o ato seja anulado, com a “restauração da situação anterior”, até que o Supremo se pronuncie definitivamente sobre a questão, em recurso extraordinário a ser proposto logo que publicado o acórdão da decisão final do Tribunal Superior Eleitoral.

Governo Lula quer poupança na rolagem da dívida pública

O governo Lula estuda redirecionar recursos da poupança para financiar a rolagem da dívida pública, afirmou o senador Aloizio Mercadante (PT-SP), na segunda-feira, durante congresso de empresários e políticos em Comandatuba (BA). Conforme ele, a alternativa está sendo discutida por uma comissão sobre mudanças nos critérios atuais para rentabilizar essas aplicações. "Seria um mecanismo de redirecionamento de parte dos recursos da poupança", afirmou o parlamentar, membro da comissão, da qual também fazem parte o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e os economistas Delfim Netto e Luiz Gonzaga Beluzzo. O parlamentar disse que esse mecanismo pode vir acompanhado de outra medida que mude a forma de remuneração da poupança.

“Cérebro” do 11 de Setembro foi submetido 183 vezes a simulações de afogamento

A CIA submeteu o "cérebro" dos atentados de 11 de setembro de 2001, Khalid Sheikh Mohammed, a 183 simulações de afogamento, ou "submarinos", enquanto outro membro da Al-Qaeda, Abu Zubaida, foi submetido a esse tipo de tortura em 83 oportunidades, segundo uma nota interna do Departamento de Justiça norte-americano. O uso dessa técnica nos interrogatórios realizados pela CIA sobre os dois detidos é mencionado no rodapé de uma nota secreta fechada no dia 30 de maio de 2005. O método consiste em afundar a cabeça de uma pessoa imobilizada em um recipiente com água para provocar uma sensação de asfixia. O paquistanês Khalid Sheikh Mohammed, considerado o organizador dos atentados de 11 de setembro de 2001 e capturado em 2003, foi submetido 183 vezes durante o mês de sua prisão a essa polêmica técnica, segundo a nota do Departamento de Justiça. Abu Zubaida, o primeiro suspeito da Al-Qaeda detido após o 11 de setembro, sofreu a simulação de afogamento pelo menos 83 vezes em agosto de 2002, segundo a mesma fonte.

Câmara dos Deputados pretende só agora mudar seus métodos

A Câmara dos Deputados anunciou na segunda-feira que vai realizar estudo para reestruturar os gastos executados pela Casa depois das denúncias de má utilização das passagens aéreas pelos parlamentares. O presidente da Câmara, deputados federal Michel Temer (PMDB-PR), admitiu que utilizou parte da cota de passagens para o transporte de familiares e pessoas não relacionadas com o exercício do seu mandato. O deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) promete realizar nesta próxima quarta-feira um discurso para reconhecer o "erro" ao ceder passagens aéreas da cota a que faz jus como deputado para que familiares viajassem ao Exterior. "Em razão da ampla utilização de passagens aéreas nos gabinetes parlamentares, o presidente da Câmara reconhece que deputados, inclusive ele próprio, destinaram parte dessa cota a familiares e terceiros não envolvidos diretamente com a atividade do Parlamento", afirmou Michel Temer em nota. O presidente da Câmara criticou as brechas nas regras para uso da cota: "O uso irregular das passagens ocorreu porque o crédito era do parlamentar, inexistindo regras claras definindo os limites da sua utilização". Até o Tribunal de Contas da União entrou no caso das passagens aéreas. A despesa com passagens aéreas para os nove ministros do Tribunal de Contas da União chegou a R$ 720.344,38 no ano passado, o que representa aumento de 45,2% em relação a 2007 e corresponde a uma média de R$ 80 mil anuais por integrante da corte. O TCU é o responsável por fiscalizar a aplicação do dinheiro público.

Deputado federal faz greve de fome para acabar com IR e IPI

O deputado federal José Edmar (PR-DF) iniciou na segunda-feira, na Câmara dos Deputados, uma greve de fome sem data para terminar. Segundo ele, a greve tem o objetivo de sensibilizar os deputados para discutir e votar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que acaba com o Imposto de Renda e com o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Pela PEC, esses impostos seriam substituídos pelo Imposto Único Federal (IUF), com uma alíquota de 2%, sendo 1% no crédito e 1% no débito. Segundo o deputado, a PEC se encontra na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aguardando a análise de sua admissibilidade. Se for aceita pela Comissão de Constituição e Justiça, a proposta terá que tramitar em comissão especial e só depois será levada à votação no Plenário da Câmara.

Produção de leite cai quase 20% no Rio Grande do Sul por causa da estiagem

A chuva do fim de semana não foi suficiente para amenizar os prejuízos da estiagem para a pecuária gaúcha. A produção gaúcha de leite já caiu quase 20%. Em Boa Vista do Incra, a produção de leite está escassa desde novembro pela falta de chuva. Em uma propriedade rural da cidade, cada uma das 13 vacas fornecia em média 18 litros de leite por dia. Agora são 13 litros diários por animal, representando uma quebra de 30% na produção. Em Jóia, a produção de leite caiu pela metade. Situação semelhante é enfrentada por pecuaristas de Porto Mauá, no Noroeste, e em Erechim, no norte do Estado, onde não chove há cinco meses.

Brasil e Peru fecharão acordo energético durante encontro dia 28

O Brasil e o Peru fecharão na próxima semana um convênio de integração energética que permitirá investimentos de pelo menos 4 bilhões de dólares na construção de seis centrais hidrelétricas. O convênio será assinado pelo presidente Lula e o presidente peruano, Alan García, em uma reunião no dia 28 de abril, no Acre. O governo brasileiro é quem tem financiado o projeto, mas será o setor privado que finalmente investirá mais de 4 bilhões de dólares na construção de seis centrais. Os presidentes também inaugurarão a primeira linha de ônibus para passageiros que unirá as regiões de Madre de Dios (no Perú) e o Acre. O diplomata disse que ambos os presidentes fecharão também um acordo para desenvolver hidrovias na selva.