segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Cinco mil fazem manifestação em São Paulo contra ação militar israelense

Cerca de 5 mil pessoas realizaram no início da tarde deste domingo em São Paulo uma manifestação contra as ações militares de Israel na Faixa de Gaza. Os manifestantes fizeram uma passeata que partiu do vão livre do Museu de Arte de São Paulo, na Avenida Paulista, e terminou no Obelisco do Parque do Ibirapuera. O carro de som que abria a passeata portava uma faixa com a Estrela de Davi ao lado de uma suástica nazista. Bandeiras com fotos do presidente Hugo Chávez (o fascista, cúmplice do governo facínora do Irã, que expulsou o embaixador israelense Shlomo Cohen da Venezuela), do PCdoB, e de centrais sindicais, eram levadas pelos participantes. No percurso de quase três quilômetros, os participantes gritaram palavras de ordem contra o Estado israelense. E era uma marcha pela paz..... imagine se fosse pela guerra. Os participantes da passeata diziam: “Estado de Israel, Estado assassino, viva a resistência do povo palestino”. A manifestação, apoiada por cerca de 100 entidades esquerdóides, foi convocada pelo Comitê de Solidariedade ao Povo Palestino, formado por centrais sindicais, partidos políticos (PT, PCdoB, PCB, PSOL, PSTU), UNE, organização terrorista MST e diversas entidades árabes e islâmicas brasileiras, como a União Nacional de Entidades Islâmicas, a União dos Estudantes Muçulmanos no Brasil, a Federação das Associações Muçulmanas do Brasil, e a Sociedade Beneficente Mulçumana de São Paulo, entre outras. O assessor executivo da Federação Israelita do Estado de São Paulo, Jairo Roizen, considerou que a manifestação colaborou para “importar” o conflito do Oriente Médio para o Brasil. Roizen apontou que algumas ações dos manifestantes, como queimar a bandeira israelense, coopera para que seja gerado ódio contra os israelitas residentes no País e que isso não contribui com a paz.

Israel envia reservistas a Gaza

O Exército de Israel afirmou que unidades de reservistas começaram a ser enviadas à Faixa de Gaza neste domingo, no 16º dia da operação defensiva israelense contra o grupo terrorista Hamas no território palestino. A medida evidencia o início da terceira fase da operação militar de Israel. Autoridades israelense afirmam que a próxima fase da operação envolverá a tomada do controle de mais áreas. Eles dizem que a nova etapa irá demandar o uso de milhares de reservistas que aguardam na fronteira. O brigadeiro general Avi Benayahu disse neste domingo que as unidades de reservistas já estão em Gaza.

Obama diz que não cumprirá promessa sobre Guantánamo

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou neste domingo que não acredita que poderá cumprir sua promessa de campanha de fechar a prisão da base de Guantánamo (em Cuba) em seus primeiros 100 dias de governo, embora reiterou sua intenção de fazê-lo em algum momento. “É muito mais difícil do que muita gente acredita”, declarou Obama em entrevista pelo canal ABC. Na prisão de Guantánamo estão cerca de 250 suspeitos de terrorismo, a maioria sem julgamento, acusação nem acesso a advogados.

Hamas é acusado de bloquear ajuda humanitária egípcia

Agências de notícia e jornais egípcios e israelenses afirmaram na última semana que a organização terrorista Hamas está impedindo a entrada de ajuda humanitária do Egito na Faixa de Gaza. Palestinos envolvidos no esforço humanitário em Gaza relataram dificuldade na entrada de ajuda por meio da fronteira com o Egito. A coordenadora em Rafah do Movimento de Solidariedade Internacional para Gaza, Fida Qishta, admitiu que os terroristas não aceitam o uso de uma das fronteiras. "O Hamas não tem permitido e tem bloqueado o envio de ajuda do Egito que chega pela passagem de Kerem Abu Salem, como querem os israelenses", reconheceu ela. A passagem de Kerem Abu Salem, ou Kerem Shalom, para os israelenses, fica na fronteira entre o Egito, Israel e Gaza, sendo controlada exclusivamente por egípcios e israelenses. Israel vem há bastante tempo fazendo pressão para que esta passagem seja utilizada ao invés da passagem de Rafah, entre Gaza e o Egito, que está sob controle nominal palestino-egípcio. O governo egípcio se preocupa com a ligação do Hamas e da Irmandade Muçulmana e teme uma ampliação das atividades oposicionistas em seu território.

Forças israelenses avançam na Cidade de Gaza

Forças israelenses se aproximaram da área mais populosa da faixa de Gaza neste domingo, matando pelo menos 14 terroristas do Hamas e 12 civis em uma operação defensiva. Apoiadas pela artilharia de helicópteros, tropas israelenses e tanques abriram caminho no sul e no leste da Cidade de Gaza, confrontando terroristas do Hamas que disparavam mísseis anti-blindagem e morteiros. “Israel está perto de atingir os objetivos que estabeleceu para si”, disse o primeiro-ministro israelense Ehud Olmert. Um total de 868 palestinos, a grande maioria terroristas, e 13 israelenses foram mortos desde que começou a operação defensiva de Israel no dia 27 de dezembro.

Universidades vão organizar cursos sobre o tema étnico-racial este ano

Vinte e sete universidades públicas selecionadas pelo Ministério da Educação vão organizar cursos e produzir material didático-pedagógico este ano sobre a temática étnico-racial. A formação de professores na área é prevista na Lei 10.639/03, que obriga o ensino da cultura e história afro-brasileira nas escolas públicas e particulares de nível fundamental e médio. O MEC vai lançar até março um plano com algumas diretrizes para acelerar a implementação da Lei 10.639.

Brasil terá adidos no Exterior com salário de até R$ 37,4 mil

Quando assumir o cargo de adido policial em Portugal, no início de fevereiro, o ex-diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), o delegado federal aposentado Paulo Lacerda vai engrossar a lista de ocupantes de um cobiçado posto na diplomacia nacional. Até 2010, serão mais de cem adidos brasileiros espalhados pelo mundo, todos com altos salários, de US$ 9 mil a US$ 17 mil (entre R$ 19,8 mil e R$ 37,4 mil). O gasto mensal apenas com remuneração será de pelo menos R$ 2,2 milhões.

Secretário pessoal do presidente paraguaio Fernando Lugo militou no MST

Marcial Congo, chefete histórico do MST brasileiro, é o braço direito e segurança do presidente do Paraguai, o bispo esquerdista Fernando Lugo. Ele não é um personagem qualquer. Apresenta-se como secretário particular do presidente. Não fala nunca com a imprensa. Quando fala – muito poucas vezes – diz que daria a própria vida pela de Lugo. Marcial Congo não veste terno e gravata, desfila sempre em mangas de camisa. Prefere as sandálias de couro aos sapatos. Tem especial apreço por jaquetas, porque servem para ocultar um pistola 45 que carrega na cintura. No último dia 5 de dezembro, em visita à capital paraguaia, uma comitiva de deputados brasileiros foi a Mburuvicha Roga, a casa oficial do presidente. O encontro fora solicitado por Eduardo Santos, embaixador do Brasil em Assunção. Antes de chegar a Lugo, a delegação brasileira enfrentou a "sombra" dele. O secretário particular do presidente paraguaio trazia na mão esquerda um walkie-talkie. Vestia camisa de manga curta. A ausência da jaqueta franqueou aos presentes a imagem da pistola (calibre 45) grudada na cinta. Arrastando as sandálias, Congo encurtou a distância que o separava de um dos visitantes brasileiros, o deputado federal Raul Jungmann (PPS-PE). "Lembra-se de mim, ministro?" Jungmann pôs-se a perscrutar a fisionomia do interlocutor. Os dentes pronunciados. Os óculos de aro circular. Os longos fios de cabelo, reunidos num rabo de cavalo, calva frontal. Jungmann não se lembrava. Então o interlocutor o ajudou: "Marcial, do MST". Ex-ministro da Reforma Agrária no governo de Fernando Henrique Cardoso, Jungmann recordou. Congo se tornou conhecido dos paraguaios há 20 anos, como corredor de maratonas. E nessa época, em que corria, se meteu em um seminário católico da ordem dos Franciscanos. Emigrou para o Brasil já na condição de ex-padre. Ai está mais uma comprovação da existência e da ação internacionalizada dos terroristas do MST.

Paraguai nega aliança com MST para pressionar Itaipu

O governo do Paraguai negou na sexta-feira, que o presidente Fernando Lugo mantenha conexões com o MST do Brasil, a fim de promover ações contra o tratado de fundação da hidrelétrica binacional de Itaipu. O governo fez o esclarecimento depois da ampla repercussão em Assunção de uma publicação brasileira que assegurava que agentes de inteligência do Brasil estavam investigando a aproximação de Lugo, ex-bispo católico de esquerda, com o MST, em meio às atuais negociações entre os dois países a respeito de Itaipu. Paraguai e Brasil mantêm desde setembro uma complexa negociação sobre a administração da usina, que gera cerca de 90 milhões de megawatts por ano, com base em reclamações feitas por Lugo após sua posse, no ano passado. A renegociação do preço da energia excedente que o Paraguai vende ao Brasil foi uma das principais promessas de campanha de Lugo, assim como uma revisão do tratado de fundação da usina, que proíbe Assunção de vender a eletricidade excedente a terceiros.

GM dá férias coletivas em São José dos Campos

A General Motors concedeu férias parciais para 600 metalúrgicos de São José dos Campos na sexta-feira. Segundo a montadora, a medida atinge 400 trabalhadores da linha de montagem dos veículos S-10 e Blazer e outros 200 na divisão de transmissões e motores Powertrain II, que ficarão parados durante 29 dias, de 26 de janeiro a 23 de fevereiro. As duas linhas empregam ao todo 1,1 mil trabalhadores. Os funcionários da Powertrain II estão de férias coletivas desde o dia 15 de dezembro e voltariam ao trabalho no dia 25 de janeiro. Em novembro, 600 trabalhadores da Powertrain I e II ficaram parados. Os trabalhadores da linha da S-10 estiveram em férias coletivas de 1º a 23 de dezembro e receberam uma semana de licença remunerada no início da última semana.

Executivos da Vivo são indiciados

Um superintendente e um gerente da operadora de celular Vivo foram indiciados pela Polícia Civil de São Paulo por quebra ilegal de sigilo e formação de quadrilha. Flávio Jacinto de Morais e José Hanna, ambos do setor antifraude da empresa, prestaram depoimento sexta-feira à noite. A Polícia Civil indiciou outras cinco pessoas suspeitas de participação em uma quadrilha que armou um esquema para violar os sigilos telefônico, bancário e fiscal para obter informações sobre casais, empresários e políticos. Uma das vítimas da quebra de sigilo telefônico ilegal foi o deputado federal José Aníbal, líder do PSDB na Câmara dos Deputados.

TCU manda rescindir contrato de R$ 45 mi que Itamaraty fez com agência de viagens

O Tribunal de Contas da União determinou o cancelamento do contrato de R$ 45 milhões firmado entre o Ministério das Relações Exteriores com a agência de viagens Trips Passagens e Turismo para compra de passagens aéreas. O Tribunal de Contas da União diz que houve direcionamento do pregão eletrônico em favor da Trips após desclassificação de outras duas concorrentes que apresentaram melhores propostas.

Equador paga dívida ao Brasil e embaixador brasileiro volta a Quito

O governo Lula anunciou na noite de sábado que recebeu do Equador o valor referente às parcelas vencidas em dezembro do financiamento do BNDES para a construção da Hidrelétrica de San Francisco. O Itamaraty informou que a quantia foi paga na quinta-feira passada. Com o pagamento, o Embaixador do Brasil em Quito, Antonino Marques Porto, deverá retornar ao Equador no início da próxima semana. Ele retornou à Brasília a chamado do Ministro Celso Amorim para consultas, em 21 de novembro passado, em meio ao impasse causado após denúncias envolvendo a construção da hidrelétrica pela empreiteira brasileira Odebrecht. Após a usina de San Francisco ser fechada por falhas estruturais, em junho, o Equador anunciou que recorreria à Câmara de Comércio Internacional de Paris com o objetivo de não pagar o empréstimo de US$ 242,9 milhões contraído junto ao BNDES. O país buscava ajuda internacional para definir a legalidade da dívida. O BNDES financiou a construção de uma hidrelétrica a cargo da Odebrecht que foi inaugurada no final de 2007. Está visto que com fascistóides caloteiros só tem uma linguagem a ser tomada para acabar com a bazófia.

Dirigente petista envolvido no Mensalão metido em negócio suspeito no Rio de Janeiro

A Refinaria de Manguinhos, envolvida em grande dificuldade financeira, agora é o centro de uma polêmica no setor de petróleo, provocada pela operação de transferência das participações da petroleira espanhola Repsol e da família Peixoto de Castro para o grupo Andrade Magro, de São Paulo. O desconforto também é grande porque à frente da operação encontra-se o ex-secretário Nacional de Comunicação do PT, Marcelo Sereno, ex-assessor de José Dirceu na Casa Civil da Presidência da República, e um dos envolvidos no esquema corruptor do Mensalão, em 2005. O nome de Marcelo Sereno aparece no banco de dados da Serasa como sócio do empresário João Manuel Magro na Grandflorum, a empresa por meio da qual o grupo adquiriu a participação na refinaria. Marcelo Sereno ser apenas presidente da nova holding controladora da Refinaria de Manguinhos. Envolta em dívidas que somam R$ 40 milhões e prejuízos que superam os R$ 15 milhões, a refinaria de Manguinhos teve o controle vendido no último 17 de dezembro, por R$ 7 milhões, para a Grandflorum Participações, controlada pela Ampar Fomento Mercantil Ltda, do grupo Andrade Magro. O grupo Andrade Magro foi vinculado pela CPI da Arrecadação de Impostos, em 2007, no Rio de Janeiro, a um amplo esquema de fraude e sonegação fiscal. Na ocasião, o grupo foi acusado de ser proprietário da distribuidora Inca Petróleo, que chegou a ter até o registro de operação cassado pela Secretaria Estadual de Fazenda de São Paulo, por não recolher ICMS. Como é que um mero sindicalistazinho de repente aparece como um grande executivo capitalista?

Israel mata responsável por foguetes do Hamas em Gaza

O comandante da organização terrorista Hamas responsável pelo lançamento de foguetes na direção de Israel, Amir Mansi, a partir da região da cidade de Gaza, foi morto no sábado por fogo terrestre israelense. O uso dos foguetes Grad, que eram controlados por Amir Mansi, permitiu que o Hamas atingisse alvos mais distantes dentro de Israel do que antes era possível. Os foguetes Grad carregam mais explosivos do que os foguetes Qassam, armamento mais primitivo que era tipicamente usado pelo Hamas até pouco tempo atrás. Alguns dos Grads podem viajar mais de 40 quilômetros. Os militares israelenses dizem que Mansi apontou e atirou dezenas de foguetes na direção de Israel, matando e ferindo civis. Mansi foi visto disparando um foguete no sábado da região de Jabel Rise, a leste da cidade de Gaza, durante uma operação terrestre do exército israelense. Os militares abriram fogo, matando Mansi e ferindo outros dois membros do Hamas, que foram capturados.

Demonstração de como é vagabundo e tendencioso o trabalho da mídia internacional sobre Israel

A mídia teve papel importante e às vezes determinando na cobertura de alguns conflitos militares de grande escada na história. Mas, nunca teve um papel tão vagabundo, tendencioso, mentiroso, como agora, na cobertura da grande operação defensiva de Israel contra a organização terrorista Hamas na Faixa de Gaza. Sobre as manifestações anti-Israel ocorridas no sábado, diz uma matéria distribuída por agência internacional: “....uma série de protestos em diversos países repudiam as mortes civis ocorridas na faixa. Neste sábado, protestos em Londres, Paris, Berna e Berlim mostraram rejeição européia à morte de civis em Gaza. Também foram palco de manifestações locais como a Malásia, o Paquistão e o Líbano. Em Londres, uma manifestação contou com a participação de cerca de 100 mil pessoas, segundo os organizadores, 12 mil, segundo a polícia, e mais de 50 mil, segundo a BBC, informou a agência de notícias Efe”. Ora, mas isso é, no mínimo, de uma canalhice monumental. Como é que uma agência internacional de peso, de grande influência, pode divulgar uma suprema sujeita como essa? Como é possível que a manifestação em Londres, a mesma manifestação, possa ter tido 100 mil, 50 mil ou 12 mil participantes? E a agência, por meio de seus repórteres foi absolutamente incapaz de averiguar isto? Cem mil manifestantes é uma coisa; 50 mil manifestantes é outra coisa, porque eles ocupam a metade do espaço dos 100 mil. E 12 mil, então, é uma ínfima décima parte dos 100 mil. Qualquer estudante de primeiro semestre de comunicação, na escola mais vagabunda de jornalismo, sabe que existe um cálculo aproximado bastante verídico para essas manifestações. Nos primeiros 20 metros do centro da manifestação dá para se considerar quatro pessoas por metro quadrado; depois disso vai se espaçando. Qualquer estudante de jornalismo, medindo seus passos na área onde se concentra a manifestação pode fazer as contas sem grande dificuldade. Mas, o sentido embutido na notícia patife, subjacente a ela, é patente. Quanto maior o número de manifestantes, supostamente mais sem razão está Israel, mais agressor é Israel, e mais inocente é a organização terroristas Hamas. Como ficou vagabundo este mundo.....

Israel alerta população de Gaza sobre escalada de ataques

O Exército de Israel bombardeou dezenas de alvos na faixa de Gaza no sábado e lançou folhetos alertando a população da região sobre uma escalada nos ataques, ao mesmo tempo em que foguetes palestinos passaram a cair no sul de Israel em maior número. O Exército de Israel afirmou que mais de 15 terroristas foram mortos nos confrontos durante a noite. Seus aviões atacaram mais de 40 alvos espalhados por Gaza, entre eles dez pontos de lançamento de foguetes, depósitos de armas, túneis usados para contrabando, um lançador de mísseis e atiradores. "As Forças de Defesa de Israel irão aumentar a operação na faixa de Gaza", afirmam os folhetos, em árabe. "As FDI não estão trabalhando contra a população de Gaza, mas apenas contra o Hamas e terroristas. Fiquem seguros seguindo nossas ordens”. Os folhetos pedem aos civis que não ajudem o Hamas e que fiquem longe dos membros do grupo.

Centro judaico pede denúncia da Venezuela por antisemitismo

O Centro Wiesenthal, organização judaica internacional de defesa dos direitos humanos, pediu aos governos do Brasil e da Argentina que denunciem a Venezuela por ter violado a Declaração contra o Antisemitismo, em um comunicado divulgado na sexta-feira, em Buenos Aires. A entidade considera que o governo da Venezuela desrespeitou a Declaração de Condenação ao racismo, à intolerância religiosa, à discriminação racial e a outras formas de preconceito, assinada no fim de 2008 por Argentina, Brasil e Venezuela. “A decisão de expulsar o embaixador de Israel em Caracas e de apoiar um grupo terrorista como o Hamas, que cita em sua Carta Orgânica um texto antisemita como os Protocolos dos Sábios de Sião, invalida o compromisso que o presidente Hugo Chávez ratificou há menos de um mês”, destaca a nota. Além disso, o Centro Wiesenthal considera que o apelo de Chávez para que “o povo judeu se oponha a estas práticas criminais do Estado de Israel, que são uma incitação a atacá-lo caso se recusem a cumprir com sua ordem”. A Venezuela - onde vivem cerca de 17.000 judeus, já havia retirado seu representante diplomático em Tel Aviv durante a guerra contra a organização terrorista Hezbollah, no Líbano, em 2006. Nada de diferente poderia ser esperado de Hugo Chávez, porque ele protege terroristas, tem ligações diretas com os terroristas, ajuda o Irã a montar a bomba atômica, e é um fascista total.

Congresso norte-americano adota resolução de apoio a Israel

O Congresso dos Estados Unidos adotou na sexta-feira, por unanimidade, uma resolução de apoio a Israel, que destaca o "direito do Estado hebreu de se defender" dos ataques de foguetes da organização terrorista Hamas, mas pede um cessar-fogo na Faixa de Gaza. “Hoje reafirmamos que Israel, como todo país, tem o direito de se defender quando é atacado”, declarou a presidente da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi. “O lançamento de foguetes e disparos de morteiro de Gaza têm aumentado em frequência e intensidade, o que constitui uma ameaça inaceitável, que Israel tem a responsabilidade de responder”, disse a resolução.

Conselho de Direitos Humanos não chega a acordo sobre Gaza

O Conselho de Direitos Humanos da ONU continuará nesta segunda-feira sua sessão sobre a situação na Faixa de Gaza, depois de não ter conseguido na sexta-feira um acordo para aprovar uma resolução de condenação a Israel e por causa do elevado número de oradores. O Conselho de Direitos Humanos se reuniu por iniciativa de 33 dos 47 países que integram este órgão das Nações Unidas, para debater as conseqüências sobre a população civil da operação defensiva militar lançada por Israel em 27 de dezembro. O projeto de resolução apresentado pelos países árabes e não-alinhados condenava a ofensiva militar israelense e pedia seu fim imediato, mas a pedido da União Européia se acrescentou também uma exigência para que a organização terrorista Hamas cesse o lançamento de foguetes contra povoados limítrofes de Israel.

Emperram negociações sobre plano egípcio de trégua em Gaza

Os esforços do Egito para obter um cessar-fogo na Faixa de Gaza chegaram a um impasse na sexta-feira em razão de discordâncias com Israel sobre como garantir a segurança da fronteira para prevenir que a organização terrorista Hamas se rearme. Diplomatas israelenses e europeus disseram que o governo do Egito opõe-se à proposta de que forças estrangeiras permaneçam do lado egípcio da fronteira de 14,5 quilômetros com a Faixa de Gaza. Israel disse que não vai concordar com um cessar-fogo a menos que ele contenha comprometimentos regionais e internacionais que evitem que os terroristas do Hamas contrabandeiem foguetes para a Faixa de Gaza. O Hamas exige que qualquer plano de paz obrigue Israel a pôr fim ao bloqueio à Faixa de Gaza e a suspender as incursões para o lado palestino da fronteira, o que é totalmente sem sentido. "As conversações para uma trégua não estão indo a lugar nenhum neste momento", disse um importante diplomata europeu. A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, disse na sexta-feira que "é muito difícil" para Israel proteger os civis na Faixa de Gaza já que a zona é densamente povoada e o grupo radical Hamas utiliza as pessoas como escudos humanos.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Exército israelense apreende mapa de batalha da organização terrorista Hamas

Soldados das Forças de Defesa israelenses apreenderam um mapa ilustrado feito por terroristas do Hamas que mostra como atacar as tropas israelenses em Gaza. O mapa foi apreendido durante uma operação do Exército na Faixa de Gaza. O mapa mostra um desenho de campos de batalha em uma área no norte de Gaza, com anotações de onde colocar explosivos e locais para posicionamento de “snipers” (franco-atiradores). As áreas indicadas para a colocação de explosivos são zonas densamente povoadas de Gaza, que tem cerca de 1,5 milhão de habitantes. O mapa foi capturado por tropas das Forças de Defesa israelenses da brigada de paraquedistas durante uma operação na cidade de Al Atra.

Militares israelenses mortos já são dez

Confrontos entre as tropas das Forças de Defesa de Israel e terroristas do Hamas deixaram três soldados mortos na noite de quinta-feira, o que elevou para dez o número de militares mortos desde o início da grande ofensiva militar israelense na faixa de Gaza. Nove soldados israelenses morreram desde o início da ofensiva terrestre de Israel em Gaza, no dia 3. Outro morreu no início da ofensiva aérea, no último dia 27 de dezembro, quando um foguete Qassam lançado por terroristas do Hamas atingiu sua base militar em Negev. Entre os mortos de quinta-feira estava o capitão israelense Omer Rabinovitch, da infantaria de Golã. Ele foi morto no norte da faixa de Gaza durante confrontos com terroristas do Hamas. O sargento Amit Robinson, de 20 anos, do kibbutz Maagal, foi morto também na quinta-feira, por um franco-atirador terrorista da Faixa de Gaza. O major Roey Rosner, de 27 anos, de Holon, foi morto em um confronto com terroristas do Hamas. Rosner era soldado da infantaria Kfi e morreu quando um míssil antitanque o atingiu. Ele fazia patrulha no campo de Netzarim. Ao menos quatro dos soldados israelense mortos foram atingidos por fogo amigo.

Israel e Hamas rejeitam resolução do Conselho de Segurança por cessar-fogo

Após dias de reuniões a portas fechadas, o Conselho de Segurança da ONU aprovou na sexta-feira a Resolução 1860 pedindo o cessar-fogo imediato dos confrontos na faixa de Gaza. Contudo, horas depois, líderes de Israel e da organização terrorista islâmica Hamas rejeitaram a proposta. A ministra de Relações Exteriores de Israel, Tzipi Livni, afirmou nesta sexta-feira que Israel continuará agindo de acordo com seus próprios interesses e necessidades para manter a segurança no território. "Israel agiu, está agindo e agirá apenas de acordo com suas considerações, as necessidades de segurança de seus cidadãos e o seu direito de defesa", disse ela. A Resolução 1860 foi adotada por 14 votos a favor e a abstenção dos Estados Unidos. Foi a chamada resolução inócua, apenas para fazer um jogo de cena. Não há acordo que Israel possa fazer com a organização terrorista Hamas, isso equivaleria a Israel admitir que ela comando um Estado nacional, o palestino, o que não é o caso.

Manifestantes em Brasília em defesa de Israel

Centenas de pessoas reuniram-se em frente à embaixada de Israel, em Brasília, na sexta-feira, em uma manifestação em defesa do Estado israelense e contrária à ação do grupo terroristas islâmico Hamas. "Nossa mobilização é para dizer que o povo brasileiro afirma a soberania do Estado de Israel, reafirma isso, porque Israel é o único país no mundo que precisa ficar reafirmando o seu direito de existência", disse Kelita Machado, diretora no Brasil da ong Amisrael - Mensageiro da Paz. A mobilização foi um contraponto às manifestações contrárias ao Estado de Israel realizadas em diversas localidades. "O que a gente tem visto é a queima da bandeira de Israel, um símbolo pátrio, então é uma evidência declarada e aberta de apoio ao que tem feito o Hamas, de tentar destruir o Estado de Israel", explicou Kelita. Em um manifesto entregue durante a manifestação ao conselheiro da embaixada, Raphael Singer, a organização defende o direito de existência e de se defender de Israel, convoca os povos do mundo a encontrar maneiras de estabelecer a paz no Oriente Médio, rejeita o terrorismo e todo ato de violência dirigido a civis e manifesta a sua solidariedade aos povos palestino e israelense.

“Top Top” Garcia diz que diplomacia brasileira não está dividida

Na sexta-feira, o clone de chanceler do governo petista, o assessor especial presidencial, que faz a cabeça de Lula, Marco Aurélio “Top Top” Garcia, respondeu às críticas de que suas declarações sobre o conflito estariam em desacordo com o Itamaraty. “Top Top” Garcia defendeu que há "uma só" política e reivindicou novos mediadores da paz no Oriente Médio, onde os negociadores já estariam desgastados. "Há uma linha de continuidade do Itamaraty, mas há também aspectos que são determinados pelos sucessivos governos". "Vamos perder essa idéia de que essa política externa é absolutamente imutável. Não. Ela tem uma linha de continuidade que foi preservada e com os traços particulares, que o governo Lula e o chanceler Celso Amorim imprimiram, são evidentemente diferentes daquelas adotadas no governo passado”. Marco Aurélio “Top Top” Garcia faz até uma referência direta ao artigo publicado pelo jornalista Carlos Brickman na Folha de S.Paulo, no qual o jornalista acusa o assessor de Lula de dividir a política externa brasileira. "Não existe ambiguidade. E essas tentativas de estabelecê-la já são históricas em setores da mídia brasileira. Na maioria das vezes, inclusive, com mentiras. Um caso típico é o artigo de esgoto que Carlos Brickman publicou. Ele tenta estabelecer uma duplicidade que seria decorrente de uma posição ideológica que eu teria e que seria diferente da posição histórica do Itamaraty”. “Esgoto”, certamente, são as ações criminosas, de lesa pátria, desenvolvidas por esse dirigente do Foro de São Paulo, ex-dirigente trotskista, do POC (Partido Operário Comunista) e da 4ª Internacional. Ele é quem compromete os interesses brasileiros no Equador, na Venezuela, na Colômbia, na Bolívia, e toma o lado de terroristas, além de totalitários, como os irmãos assassinos da ditadura cubana, os membros da dinastia Castro (Fidel e Raul).

Você é judeu? Então eu sou judeu

A seguir você lê um artigo do jornalista Reinaldo de Azevedo, que serve para ajudar a clarear a cabeça das pessoas sobre o conflito existente no Oriente Médio. Diz ele: “Recebi algumas dezenas de comentários indagando se sou judeu. Não, não sou, como é notório e sabido. As Reinaldinhas, já afirmei aqui, têm é o sangue árabe da Dona Reinalda (Líbano) misturado ao deste escriba, um ser, assim, sem nenhum pedigree. Eu e Pipoca Maria somos os vira-latas da casa. As minhas mulheres trazem estampada no rosto a origem. Eu sou produto do vulgo mesmo, entenderam? Mas tudo bem: aceito passar por judeu ao menos enquanto Israel estiver sob um inédito ataque especulativo. Depois volto a ser coisa nenhuma. Já se viu alguém “acusar” um negro de ser favorável a cotas raciais só porque negro? Não! Se alguém o fizer, corre o risco de ser considerado racista. As cotas têm de ser vistas como uma medida técnica, de pura racionalidade. Os brancos que discordam, no entanto, despertam a suspeita óbvia: racismo. Assim, só um negro teria autoridade para criticar a medida. O mundo está ficando, de fato, bárbaro. A pergunta que me é dirigida parte da suposição de que só judeus possam fazer a defesa de Israel — como se fosse, assim, o peso nas costas de uma minoria pecadora. Se você não é “um deles” — encarados como portadores de alguma estranheza —, então não tem razão nenhuma para defender aquele estado. Curioso. As pessoas se dividiriam em dois grupos: o das que teriam interesse particular na questão (porque acometidas de “judaísmo” congênito) e o das outras: os seres não-judeus. E vejam que coisa: o “natural” dos não-judeus seria se alinhar com a causa palestina, que passa a ser, então, o lugar neutro do debate. Defender Israel é que seria adernar, ir para um extremo, pender para um lado, sair do zero do equilíbrio. Já o alinhamento com os palestinos assume a feição do não-lado. A frase símbolo poderia ser esta: “Sou neutro: os palestinos estão certos”. Os mais exaltados poderiam tentar o gênero “camiseta grandiloqüente”: “Sou neutro! Tirem as patas da Palestina”. Há uma brutalização óbvia do debate sob o pretexto de se contestar a inequívoca tragédia na Faixa da Gaza. A indignação toma o lugar da razão, coisa de que tratarei em outro post, e os argumentos vão se deixando contaminar pela propaganda. Essa, sim, é a verdadeira vitória do terror. Por isso afirmei aqui, na segunda-feira, dia do meu retorno das férias, que Israel já havia perdido a chamada “guerra na mídia”. A foto que publiquei ontem da menina palestina com um pão em uma das mãos e uma boneca suja de tinta vermelha — para simbolizar o sangue — fala por si mesma. No alto deste post, há outra imagem. É de 2005, ano que marca a retirada das tropas israelenses de Gaza. Alguém teve a feliz idéia de fotografar os fotógrafos no momento em que produziam uma peça publicitária. Quero, assim, evidenciar que todos os argumentos palestinos são falaciosos, e todos os israelenses, verdadeiros? Não! Nunca escrevi ou sugeri isso. Tenho chamado a atenção é para outra coisa: o terrorismo óbvio, explícito, escancarado, de uma milícia assassina está sendo tratado apenas como um falso pretexto, uma ladainha, para Israel invadir Gaza e, então, praticar barbaridades. Ora, não se pode fazer esse juízo sem partir do princípio, então, de que essencialmente criminoso é o Estado de Israel. E, com efeito, essa mentira escandalosa me faz mais judeu do que nunca”.

Presidente do Irã envia emissário a Brasília para conversar com Lula

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, enviou um emissário a Brasília para entregar pessoalmente uma carta ao presidente Lula. Diplomatas informaram que, na correspondência, o iraniano sugere o incremento das relações entre Brasil e Irã. O documento será entregue a Lula nesta semana pelo ministro de Cooperativas do Irã, Mohammad Abbasi. No final de 2008, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, entregou ao presidente iraniano uma carta enviada por Lula na qual expressava "o interesse brasileiro de aprofundar as relações bilaterais, particularmente na vertente econômico-comercial, e menciona a possibilidade de troca de visitas presidenciais no futuro". Na quinta-feira, o governo Lula decidiu entrar diretamente nas negociações por um cessar-fogo na região de Gaza. Mas, já entrou enviezado porque, durante a semana, a direção nacional do PT lançou uma nota oficial chamado Israel de “estado genocida”. Para quem é aliado de organizações terroristas históricas, como o Partido Baath, da Síria, o PT deu totalmente luz à sua cara. Celso Amorim viajou para o Oriente Médio na sexta-feira determinado a reforçar os apelos para o fim da guerra. Ele pretendia ir a Israel, aos territórios palestinos, à Síria e Jordânia. Videversus reproduz a opinião do jornalista Reinaldo Azevedo, que diz tudo sobre o assunto: “O Brasil nunca teve uma diplomacia tão vagabunda. Nem nos piores tempos da ditadura. Lula receber o emissário de um país que financia abertamente o terrorismo anti-Israel, como sabe o mundo inteiro, para tratar da ação Israelense é, em si mesmo, um escândalo. O Irã é um dos financiadores do Hamas. De fato, o status do atual Oriente Médio é ditado pelo regime dos aiatolás, que sustenta também o Hezbollah, a milícia terrorista que controlava o sul do Líbano — hoje, na prática, controla o Líbano inteiro. Se o Hamas não esconde, em sua carta de fundação e em suas ações, o que quer — o fim de Israel —, o fascismo islâmico de Mahamoud Ahmadinejad também não. Mais de uma vez, ele já proclamou que sua missão é riscar Israel do mapa. Logo, o governo brasileiro pretende debater uma solução para o Oriente Médio com quem tem o propósito declarado de eliminar um dos lados. Lembro há tempos que o Apedueta visitou várias ditaduras islâmicas, mas nunca pisou no solo da única democracia do Oriente Médio. Diziam-me: ‘Ah, isso não tem grande significado’. Não? Olhem, talvez seja preferível considerar que assim é por rejeição à democracia. E se for coisa pior? E se for rejeição mesmo a Israel e a seu povo? Esse encontro é inaceitável, além de trair a pretensão ridícula da diplomacia brasileira de ter uma “solução” para o conflito — solução, como se vê, com a marca da neutralidade iraniana... Os iranianos consideram que há uma ‘desproporção’ nos ataques... Ah, bom! Vai ver é por isso que eles querem ter a bomba atômica. Já que Israel tem a sua, seria só uma questão de ‘proporcionalidade’... A diferença nada ligeira é que Israel não prega o fim do Irã. Amorim vai ao Oriente Médio. Pretende visitar países árabes e também Israel. Espero que o governo israelense não o receba. Quem negocia a situação israelense com um terrorista como Ahmadinejad torna-se amigo do terror”.

Patrulha acha bunkers com foguetes no Líbano

Uma patrulha conjunta da Força Interina das Nações Unidas para o Líbano (Finul) e do Exército libanês encontrou na sexta-feira dois bunkers abandonados no sul do Líbano cheios de foguetes do conflito de 2006 com Israel. Segundo um comunicado da Finul, as armas foram encontradas no Setor Leste, zona que se encontra sob supervisão dos "capacetes azuis" espanhóis acantonados no sul do Líbano. Foram encontrados nos abrigos abandonos 34 foguetes Grad-P e várias caixas com diferentes tipos de munição. É armamento da milícia terrorista islâmica Hezbollah.

Banco do Brasil compra 49% do Banco Votorantim por R$ 4,2 bilhões

O Banco do Brasil anunciou na sexta-feira a compra de 49% do Banco Votorantim, terceiro maior banco privado e sétimo maior em ativos do País. A operação de cerca de 4,2 bilhões de reais aumenta a exposição do Banco do Brasil ao setor de veículos que foi impactado pela crise financeira internacional. O Banco do Brasil passará a deter participação equivalente a 49,99% do capital votante e 50% do capital social do Banco Votorantim. O Banco do Brasil pagará 3 bilhões de reais pela aquisição de ações ordinárias do Votorantim e fará um aporte de 1,2 bilhão de reais com a subscrição de novas ações preferenciais da instituição. A operação ainda envolve distribuição de dividendos de 750 milhões de reais. O Votorantim ocupa a quarta posição no ranking de financiamento de veículos do Brasil, com uma participação de 12%. A carteira de crédito nesse segmento soma 16,8 bilhões de reais, correspondente a 77,6% do crédito à pessoa física disponibilizado pela instituição. Já a participação de veículos na carteira do Banco do Brasil para a pessoa física é de 10,9%. Com a operação essa exposição sobe para 30,6%. Ou seja, o Banco do Brasil praticamente passa a se tornar um apêndice da indústria automobilística. O anúncio da aquisição do Banco do Brasil no Banco Votorantim ocorre depois da compra do banco paulista Nossa Caixa por 5,39 bilhões de reais, em novembro, acumulando oferta de crédito de 8 bilhões de reais ao setor automotivo. E mais do isso, mostrando como o governo Lula investe gigantescamente, e de maneira concentrada, na economia paulista, esquecendo-se do resto do País. A conclusão da operação com o Banco Votorantim, da família Ermírio de Moraes, representa que a instituição prosseguirá sendo uma casa financeira privada majoritariamente, deixando de ser estatizada por uma margem de 0,02% das ações. Mas, o presidente do Banco do Brasil, Antônio Francisco de Lima Neto, e José Ermírio de Moraes Neto, presidente do Banco Votorantim, disseram que a gestão do banco será compartilhada. Todas as decisões terão que ser tomadas em conjunto, e não haverá voto de Minerva. Eles decidirão em 120 dias se a instituição mudará de nome. O presidente do Banco do Brasil vai ocupar a presidência do conselho do Votorantim no primeiro ano, e Ermírio de Moraes será o vice-presidente. Eles disseram que a presidência do conselho, que terá oito integrantes, será rotativa entre Lima Neto e Ermírio de Moraes, com a troca a cada ano. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que a compra de parte do Votorantim pelo Banco do Brasil vai ajudar na retomada dos financiamentos de veículos novos e usados. "Estamos interessados em que se aumente o financiamento para veículos, principalmente veículos usados. Os recursos adicionais do Banco do Brasil estarão dando funding para o Banco Votorantim, que poderá aumentar o financiamento de carros novos e usados. É importante nesse momento que queremos recuperar o ritmo de venda nessa área", disse o ministro. A próxima operação de compra a ser concluída pelo Banco do Brasil é a do Banco de Brasília (BRB). Antônio Francisco de Lima Neto, presidente do Banco do Brasil, ressaltou que o grande atrativo para o banco federal na transação é a forte presença do Votorantim no financiamento para a compra de veículos: "Não tínhamos uma presença muito grande no segmento de automóveis". O interesse no ramo tinha levado o Banco do Brasil a criar uma parceria com o grupo sul-africano FirstRand, especializado na área, parceria que foi cancelada em dezembro, enquanto evoluíam as conversações com o Votorantim. "Esse é o movimento que o Banco do Brasil está fazendo. O banco comercial que não tem canais alternativos de distribuição está condenado a ficar para trás", disse Aldo Nandes, vice-presidente de finanças do Banco do Brasil. Para a família Ermírio de Moraes, controladora do Grupo Votorantim, o negócio amplia a rede de distribuição para oferecer crédito. Mas é também um meio de reforçar a posição do banco, alvo de especulação sobre sua situação de liquidez, em meio aos efeitos da crise internacional intensificada em setembro, que provocou entre outros estragos, uma perda de 2,2 bilhões de reais ao Grupo Votorantim em perdas com operações de hedge cambial. O Banco Votorantim tem financiamentos com 18 mil revendas de veículos, 8,6 mil lojas de material de construção, manutenção de 2,3 mil convênios privados e 400 com o setor público. Além disso, o Votorantim tem atualmente 4,1 mil agências e 15 mil pontos de atendimento em 3,2 mil cidades. A operação de compra da instituição não é pacífica. Ela está sendo contestada por ninguém menos do que José Dirceu, ex-ministro chefe da Casa Civil, deputado federal petista cassado por corrupção, que responde como réu no processo do Mensalão no Supremo Tribunal Federal. Ele disse que a compra foi “nada mais que uma ajuda ao Grupo Votorantim”. E acha que os problemas do Votorantim deveriam ser resolvidos pela iniciativa privada. “Trata-se de uma história mal contada”, diz José Dirceu em seu blog. “Por que nenhum banco privado se interessou pelo Votorantim? Os contribuintes, os eleitores e o PT deveriam ser os primeiros a questionar a operação, porque têm o direito de saber o que aconteceu ao Votorantim e a suas operações de derivativos; em suas relações com a Aracruz (do mesmo grupo); qual a real situação do banco e do grupo Votorantim (...) É bom que se diga, ainda, que o Votorantim tinha, em julho de 2008, uma carteira de financiamento de carros usados de R$ 17,9 bilhões, o que pode ser agora um problema e tanto”. De fato, atolado em financiamentos a carros, quem garantiria que o Banco Votorantim iria receber os pagamentos desses financiamentos? Era (é) o “subprime” nacional.

Brasil e Estados Unidos fecham acordo que amplia visto para dez anos

Os governos do Brasil e dos Estados Unidos fecharam acordo para ampliar o prazo de validade do visto de turista de cinco para dez anos. A mudança abrange apenas a validade dos vistos. Os Estados Unidos mantêm as exigências como prova de vínculos com o Brasil por meio de renda fixa, bom emprego e casa própria. A expectativa do Itamaraty é que o visto de dez anos passe a valer já neste semestre. "Todos têm grande interesse que isso saia: o povo brasileiro quer, os congressistas querem, os empresários querem, os americanos querem", diz Mitzi Gurgel da Costa, chefe do departamento de imigração e assuntos jurídicos do Itamaraty.

Boeing anuncia corte de 4.500 empregos

A Boeing anunciou na sexta-feira que irá eliminar 4.500 postos de trabalho no departamento de aviões comerciais, medida que os responsáveis consideram essencial para enfrentar a grave crise financeira mundial. A informação foi publicada no site da empresa e pelas agências internacionais. A Boieng, que em 2008 chegou a contrariar a tendência de demissões do setor desde o inicio da crise e contratou em média 55 trabalhadores por semana, deverá voltar a ter o mesmo número de funcionários que tinha no início de 2008, ou seja, 63,5 mil trabalhadores.

Caixa espera ter até R$ 10 bilhões dos trabalhadores para infraestrutura

Até maio, os trabalhadores poderão começar a aplicar até 10% do saldo no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para financiar investimentos em infraestrutura. A data foi confirmada na sexta-feira pelo vice-presidente de Ativos de Terceiros da Caixa Econômica Federal, Bolívar Tarragó Moura Neto. A informação foi divulgada após reunião entre o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e a presidente do banco, Maria Fernanda Coelho. Apesar de prevista em lei, a nova regra ainda precisa da aprovação do Conselho Curador do FGTS. Segundo Moura Neto, a Caixa Econômica Federal, banco gestor dos recursos do Fundo de Garantia, espera arrecadar até R$ 10 bilhões dos trabalhadores para financiar o Fundo de Investimentos do FGTS, que financia empreendimentos em infra-estrutura (energia, transporte e saneamento). Originalmente, o orçamento do FI-FGTS ganharia o reforço de R$ 15 bilhões, que equivale a 10% dos R$ 150 bilhões que os trabalhadores possuem aplicados no FGTS. Como apenas parte dos cotistas deve optar pelo investimento, o vice-presidente da Caixa estima que a captação final deva ficar entre R$ 7 bilhões e R$ 10 bilhões.

Rentabilidade da poupança foi a segunda pior em 10 anos

A tradicional caderneta de poupança, que oferece segurança e isenção de impostos ao poupador, teve um dos piores desempenhos dos últimos 10 anos durante 2008. A rentabilidade nominal do investimento foi de 7,9% no ano passado. Segundo levantamento da empresa de consultoria Economatica, o resultado só perde para 2007, quando o ganho foi ainda menor, 7,77%. Os brasileiros deveriam se conscientizar de que esse investimento é pouco mais do que uma porcaria e colocar seus recursos em papéis do Tesouro Nacional, investimento no qual ganhariam muitas vezes mais do que a poupança.

Governo Lula dá 39% mais licenças ambientais com o ministro Carlos Minc

A concessão de licenças ambientais pelo Ibama aumentou 39% após Carlos Minc assumir a pasta do Meio Ambiente, em 27 de maio. O licenciamento ambiental é uma obrigação para a instalação de qualquer empreendimento e atividade potencialmente poluidores ou que degradem o ambiente, como ferrovias, hidrelétricas e rodovias. A demora na concessão de licenças era a principal queixa contra a ex-ministra Marina Silva, e Minc entrou no governo com a missão de destravar o Ibama, do qual trocou o comando. Em julho passado, ele anunciou medidas como o prazo máximo de 13 meses para todas as etapas de licenciamento. Ambientalistas dizem que o ministro cedeu à pressão política do governo para facilitar a liberação de licenças a empreendimentos, principalmente os do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Turbinas de Corumbá são finalmente entregues

A usina hidrelétrica de Corumbá III, perto de Brasília, finalmente recebeu na sexta-feira as duas turbinas que deveriam ter sido entregues em agosto do ano passado pelo governo russo. O equipamento viajou em dois aviões cargueiros, o maior do mundo, o Antonov-A124, e um Boeing 747, que pousaram em Brasília na manhã de quinta-feira, com quase cinco meses de atraso. A conclusão da hidrelétrica de Corumbá está 14 meses atrasada. O governo Lula também comprou da Rússia mais 90 turbinas para as hidrelétricas de Jirau e Santo Antonio, no Rio Madeira.

Renuncia o presidente do conselho de administração da financeira da GM

O GMAC, braço financeiro da GM (General Motors), anunciou na sexta-feira a renúncia do presidente do conselho de administração, Ezra Merkin, e a formação de uma nova junta após a transformação do grupo em uma instituição financeira. A entidade ressaltou que o novo conselho de administração será formado por sete membros. Um será o executivo-chefe do GMAC, outro um representante da FMI Holdings, dois conselheiros serão nomeados pelo Departamento do Tesouro e outros três serão independentes nomeados pelos outros assessores. A General Motors (que controla 49% do GMAC) e a FIM Holdings terão direito, cada uma, a nomear um conselheiro como observador, que não terá direito a voto. A financeira, que fornece empréstimos para a compra de veículos e hipotecas para casas e lojas comerciais, decidiu se converter em instituição bancária para ter acesso às ajudas federais previstas no pacote de US$ 700 bilhões para o resgate do sistema financeiro norte-americano.

MPF pede condenação do atual e ex-prefeito de Torres por danos ao meio ambiente

O Núcleo de Meio Ambiente do Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul ajuizou ação de improbidade administrativa contra o prefeito e o ex-prefeito de Torres, João Alberto Machado Cardoso e José Batista da Silva Milanez, respectivamente, por descumprimento de sentença judicial que determinava a fiscalização das ligações de esgoto na rede pluvial do município. A ação, promovida pelas procuradoras Carolina da Silveira Medeiros e Cristianna Brunelli Nácul, do Ministério Público Federal, pede a condenação de ambos à reparação do dano causado, suspensão dos direitos políticos por oito anos e pagamento de multas. Ao atual prefeito, requer ainda a perda da função pública. Muito meritória a atuação das procuradoras federais, mas elas deveriam dar uma verificada sobre o que está acontecendo em Capão da Canoa, a praia de maior especulação imobiliária do Rio Grande do Sul. Ali, os crimes ambientais cometidos pelos construtores civis dão para preencher uma enciclopédia.

Embraer vende oito aviões Super Tucano para República Dominicana

A Embraer fechou a venda de oito aeronaves Super Tucano para o governo da República Dominicana, por um valor não revelado. Segundo a empresa, a efetivação do contrato ocorreu no final do ano passado. Em nota, a Embraer explica que os aviões serão operados pela Força Aérea do país em missões de segurança interna e patrulhamento de fronteiras, em um cenário de operações de combate ao narcotráfico. O contrato representa a terceira exportação da aeronave, após as vendas para as Forças Aéreas da Colômbia (FAC) e do Chile (FACH). "Até a presente data, 63 unidades do Super Tucano já foram entregues à Força Aérea Brasileira (FAB) e 25 à FAC, utilizadas na vigilância de fronteiras e em outras missões operacionais", informa a Embraer. No total, 144 aviões foram vendidos para quatro clientes na América Latina. O Super Tucano entrou em operação na FAB em dezembro de 2003 para ser empregado tanto no treinamento de pilotos como para executar missões operacionais. O modelo conta com cerca de 650 unidades em serviço em 15 forças aéreas no mundo.

Abigeato no Rio Grande do Sul aterroriza proprietários rurais

Proprietários rurais gaúchos estão muito assustados e revoltados com a intensa atividade de abigeatários, que estão abatendo bois, ovelhas e até cavalos de raça na região Sul do Estado. Nos últimos dias, foi atingida na cabeça por um tiro uma égua da raça Crioula, campeã da Expointer de 1993, Gaita do Mata Olho. Esse atentado ocorreu no município de Candiota. Mas, a ação dos abigeatários é livre, e ocorre em quase todos os municípios da região Sul. Ocorre que o campo gaúcho está despovoado. O editor de Videversus comprovou, durante os últimos dias, em Dom Pedrito, essa situação. Uma viagem afetiva aos campos do Ponche Verde comprovou que todas as fazendas estão vazias. Nelas, só episodicamente aparece um caseiro. Praticamente nem cachorro de guarda existe mais nas propriedades. Fazendas magníficas, históricas, de grande valor, têm dezenas de herdeiros, muitos deles jovens, e neste período de férias estão vazias. Nenhuma criança, nenhum jovem, tampouco os donos, aparecem em suas sedes. As porteiras, muitas delas, estão abertas, para que bois, vacas e ovelhas saiam para os “corredores” (estrada de terra interna do município) e pastem ali, já que a pastagem das fazendas está amarelada (seca) pela estiagem. É fácil, portanto, a ação para um abigeatário. O jornalista Vitor Vieira percorreu mais de 70 quilômetros de estradas internas do município de Dom Pedrito, foi até o marco da divisa com o Uruguai, e não encontrou obstrução para a ação de qualquer abigeatário, a qualquer hora do dia. Os proprietários rurais são unânimes em gritar pela proteção policial. Nas cidades, moradores de um condomínio vertical ou horizontal contratam empresas de segurança. No Interior, esses proprietários são incapazes de se reunir e montar um esquema de segurança para garantir o patrimônio que eles deixam abandonados no campo. Em Dom Pedrito, cidade com uma população inferior a 30 mil pessoas, marginais atacam o comércio armados, à luz do dia, inclusive fazendo reféns. A polícia não os prende, embora saiba quem são, porque é impossível em uma cidade pequena não se saber quem são. E os policiais ficam apenas fazendo operações para aparecer, como vistoria de carteiras de motoristas. Como iriam encontrar tempo para também policiarem os “corredores” do interior do município?

Câmara de Illinois aprova impeachment de governador

A Câmara dos Representantes do Estado norte-americano de Illinois aprovou na sexta-feira o impeachment do governador Rod Blagojevich. O governador do Estado é acusado de diversos crimes de corrupção e abuso de poder, inclusive de ter tentado vender a vaga do presidente eleito Barack Obama no Senado, e vem sofrendo crescentes pressões para deixar o cargo. O pedido de impeachment do governador foi aprovado por 114 votos a favor e apenas um contra na Câmara dos Representantes de Illinois, que é controlada pelos democratas, partido de Blagojevich. A decisão abre caminho para que o impeachment do governador seja julgado pelo Senado do Estado. Caso Blagojevich seja condenado por dois terços dos senadores, terá de deixar o governo. No início de dezembro, o governador chegou a ser detido (e logo depois liberado sob pagamento de fiança) sob várias acusações de corrupção, entre elas a acusação de tentar vender o assento no Senado deixado vago por Obama (que era senador democrata pelo Estado de Illinois).

Colômbia prende chefe terrorista das Farc que cuidou de Ingrid Betancourt

A polícia da Colômbia capturou no sul de Bogotá o chefe das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, organização terrorista e traficante de cocaína), conhecido como "Comandante Romel", encarregado do cuidado direto da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, resgatada em julho do ano passado. A notícia foi divulgada na sexta-feira por meio de um comunicado oficial. Walter Tapiero, o "Comandante Romel", foi preso na tarde de quinta-feira na localidade de Bosa, no sul da capital colombiana. "O 'Comandante Romel' era o encarregado de fornecer alimentos e outros itens, e era responsável pelo cuidado direto dos seqüestrados que foram libertados na 'Operação Xeque'", na qual foram resgatados pelo Exército colombiano Ingrid Betancourt, três norte-americanos e onze militares e policiais. Tapiero militou nas frentes 39 e 1 das Farc, e participou ativamente nas operações terroristas nos municípios de Mitú (Vaupés) e Miraflores (Guaviare).

Exportações agrícolas atingem recorde de US$ 71 bilhões em 2008

As exportações do agronegócio totalizaram a marca histórica de US$ 71,9 bilhões em 2008, alcançando um acréscimo de US$ 13,4 bilhões em relação a 2007, o que corresponde a um crescimento de 23%, segundo divulgou na sexta-feira o Ministério da Agricultura. O superávit da balança comercial do agronegócio também registrou recorde, alcançando a cifra de US$ 60 bilhões. A participação do setor nas exportações totais brasileiras foi de 36,3%. De acordo com o Ministério, o bom desempenho das exportações em 2008 foi resultado do aumento da receita com a venda dos principais produtos da balança comercial do agronegócio. O complexo soja (óleo, farelo e grão) registrou crescimento de 58%; o setor de carnes, 29%; café, 22%; fumo e seus produtos, 22%; complexo sucroalcooleiro, 18%; e produtos florestais, 6%.

Economia norte-americana perde 524.000 empregos em dezembro

A economia norte-americana perdeu 524.000 empregos em dezembro, ficando com uma taxa de desemprego de 7,2%, a maior desde janeiro de 1993, segundo os dados corrigidos das variações sazonais publicados na sexta-feira pelo Departamento do Trabalho. No acumulado de 2008, a economia perdeu 2,6 milhões de vagas, quantidade registrada pela última vez no país apenas em 1945, acrescentou o órgão, destacando que 1,9 milhão delas foram eliminadas nos quatro últimos meses do ano. Os cortes líquidos de empregos do mês de dezembro correspondem às previsões dos analistas, de 525.000 postos.

IBGE aponta que inflação da construção civil quase dobrou em 2008

O redução do ritmo da construção civil contribuiu para o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo IBGE, registrar alta de 0,62% em dezembro, uma queda de 0,19 ponto percentual em relação a novembro. Apesar disso, a inflação no setor quase dobrou em 2008, passando de 6,08%, em 2007, para 11,73%, elevando o preço do metro quadrado construído para R$ 676,78. Os materiais foram os principais responsáveis pela aceleração do índice, já que ficaram 13,78% mais caros, acima dos 5,25% registrados em 2007. A parcela do custo referente à mão-de-obra aumentou 8,97% e também ficou acima da registrada no ano anterior (7,21%).

Ministério Público Federal denuncia mulher acusada de aliciar chineses em Rondônia

O Ministério Público Federal em Rondônia apresentou denúncia contra uma mulher suspeita de aliciar, introduzir e ocultar chineses clandestinos no País. Ela foi presa em flagrante no último dia 25 de dezembro, em um quarto do Hotel Paraná, em Vilhena, com os pertences de quatro chineses que entraram clandestinamente no Brasil e iriam trabalhar em São Paulo. Nilcelia Paulina Vieira Gonçalves, moradora de Ji-Paraná, disse à polícia que os chineses Huijuan Zhou, Zhenlin Gong, Junyao Xiao e Weixin Chen já haviam sido levados por um taxista até a cidade de Pimenta Bueno. Com as informações, o taxista e os estrangeiros foram localizados e levados à Polícia Federal.

InBev completa emissão de US$ 5 bilhões

A Anheuser-Busch InBev, maior cervejaria do mundo, afirmou nesta sexta-feira que completou a precificação de uma emissão de US$ 5 bilhões em bônus e usará o dinheiro para refinanciar e repagar dívidas. Os papéis de cinco anos terão juro anual de 7,2%, os de dez anos terão 7,75% e os de 30 anos, de 8,2%, informou a ABInBev. Os recursos líquidos levantados na operação serão usados para pagamento de parte da dívida criada quando a InBev comprou a norte-americana Anheuser-Busch, em uma aquisição financiada de US$ 52 bilhões feita no ano passado.

Financial Times diz que Lula foi complacente com a crise global

O presidente Lula foi complacente ao lidar com os primeiros estágios da crise econômica global, que chegou à América Latina e ao Brasil, diz reportagem de sexta-feira do jornal britânico Financial Times. Segundo o diário britânico, a crise está frustrando o otimismo que existia no continente até poucos meses atrás de que conseguiria escapar do pior. Em artigo intitulado "Going South" ("Piorando"), o jornal lembra que o presidente Lula disse em setembro que a crise era do presidente norte-americano George W. Bush. "Mas, agora, ela é de Lula da Silva", afirma. E o Financial Times diz que "a produção industrial do País caiu 6,2% no ano até novembro, segundo números anunciados nesta semana - a queda mais acentuada da produção desde dezembro de 2001". "O líder brasileiro não estava sozinho em sua complacência", ao acreditar que a turbulência não atingiria o seu país, disse o jornal. "Por todo o continente a crise provocou uma destruição de riqueza em grande escala. As duras lições das crises financeiras anteriores encorajaram cautela entre os formuladores de políticas latino-americanos", disse o Financial Times. "Muitos governos coibiram empréstimos no exterior tanto pelo setor público quanto privado. Eles mantiveram suas dívidas baixas, deixaram o câmbio flutuar para evitar crises de desvalorização e formaram grandes reservas de moeda estrangeira. Eles vigiaram seus bancos como falcões, o que ajudou a assegurar que permanecessem em grande parte livres das dívidas tóxicas norte-americanas”. Porém, continua o jornal britânico: "Mas o pior choque global em três quartos de século expôs a fraqueza mascarada pelos números agregados. Uma dessas fraquezas no Brasil e no México foi uma série de contratos falhos de derivativos que as empresas assumiram juntamente com um grupo de bancos de investimento. Isso as deixou desesperadas em busca de dólares, colocando o real brasileiro e o peso mexicano em queda acentuada em outubro”.

Louvre bate recorde ao receber 8,5 milhões de visitantes em 2008

O museu do Louvre, em Paris, superou em 2008 o seu próprio recorde de visitantes por ano, tendo recebido cerca de 8,5 milhões de pessoas, aproximadamente 200 mil a mais que em 2007, continuando assim a ser o museu mais visitado do mundo. O público aumenta exponencialmente no Louvre já há alguns anos. O crescimento do número de visitas foi de 67% de 2001 até hoje. O principal responsável pelo fato é o acervo permanente do museu e, de modo particular, a obra "Monalisa", de Leonardo da Vinci, que atraiu mais da metade dos visitantes.

sábado, 10 de janeiro de 2009

Campo de futebol serve de ‘transbordo’ para o lixo da cidade de Matinhos no litoral paranaense

A falta de planejamento público levou a autoridade e empresário a improvisar o serviço de transbordo dos resíduos sólidos domiciliares e urbanos da cidade de Matinhos (PR). O lixo coletado na cidade, localizada o litoral paranaense, está sendo destinado para um campo de futebol da cidade e depositado a céu aberto. A área serve de transbordo do lixo. Após ser depositado provisoriamente no local, o lixo é levado durante a madrugada até o aterro de Pontal do Paraná. Essa operação está sendo feita há duas semanas e incomoda os contribuintes e turistas de Matinhos. O campo de futebol fica no bairro Mangue Seco. Segundo moradores da região, o terreno pertence ao ex-prefeito Francisco Carlin dos Santos (PSDB), o Xiquinho, que tentou reeleição, mas foi derrotado pelo empresário Eduardo Dalmora. A empresa que coleta o lixo e opera a área de transbordo é a Leão & Leão Ltda, de Ribeirão Preto (SP), contratada pelo governo do Paraná, sem licitação pública, em caráter de emergência, para coletar o lixo durante a Operação Verão. O setor do lixo tem os maiores contratos de todas as cidades brasileiras, e é cartelizado, além de ser altamente corruptor.

Barril do petróleo cru da Opep cai 8% e volta à cotação de US$ 42,13

O barril de petróleo da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) foi vendido na última quinta-feira a US$ 42,13, US$ 3,62 a menos (8%) que no dia anterior, informou o secretariado do cartel, em Viena (Áustria). O crescimento das reservas de petróleo nos Estados Unidos, junto com outras notícias que confirmam a deterioração da conjuntura mundial, intensificou a percepção de que a demanda energética se encontra em retrocesso. As economias em desenvolvimento, especialmente as asiáticas, também notaram um forte freio econômico, que se traduz em menor consumo de combustíveis fósseis.

Banco Central diz que a inflação na meta mostra que política monetária está no caminho certo

O cumprimento da meta de inflação indica que a política monetária adotada nos últimos cinco anos está correta, afirmou o Banco Central em nota divulgada na sexta-feira. "O cumprimento da meta de inflação dos últimos cinco anos mostra que o Banco Central está no caminho certo. A política monetária adotada pelo Banco Central é adequada para preservar o poder de compra da população e a manutenção do ganho real dos salários. Estes são os principais dividendos da estabilidade”, diz a nota. A inflação medida pelo IPCA fechou 2008 com alta de 5,90%, acima dos 4,46% observados no ano anterior. É o maior resultado desde 2004, quando a inflação havia ficado em 7,60%. O resultado ficou dentro do limite da meta estipulada pelo Banco Central, de 4,50%. O Banco Central trabalha com um teto de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

UBS fecha 19 mil contas de norte-americanos

O banco suíço UBS vai fechar 19 mil contas abertas discretamente no Exterior por residentes norte-americanos, sob pressão do fisco dos Estados Unidos, por suspeitar que tal situação permitiria aos titulares sonegar impostos, informou na sexta-feira o jornal "The New York Times". Os ativos dessas contas serão transferidos a outros bancos ou a outras divisões do UBS. O banco terá, assim, que emitir um cheque para os titulares de suas contas, com o que os fiscais da Receita norte-americana terão documentos para apoiar suas acusações. Os clientes também podem optar por depositar seu dinheiro em novas contas no Exterior, com a obrigação de declarar as somas superiores a US$ 10.000,00. O UBS, maior banco privado do mundo, se comprometeu em julho passado a não abrir mais contas não declaradas de residentes nos Estados Unidos. O fisco americano estima que o banco suíço tenha ajudado à sonegação de impostos no valor de US$ 300 milhões.

Obama critica pacote de US$ 700 bilhões e promete ajuda além de Wall Street

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, criticou o pacote de US$ 700 bilhões aprovado pelo governo do presidente George W. Bush e promete expandir a ajuda financeira para pequenas empresas além de Wall Street. A informação foi divulgada na sexta-feira pelo jornal Washington Post. O pacote foi aprovado em outubro e tinha como objetivo salvar os bancos atingidos pela crise. "Confrontado com o intenso ceticismo em torno do pacote, Obama nomeou o secretário do Tesouro da nova gestão, Timothy F. Geithner, para discutir formas de revisar o pacote e ampliar o seu âmbito para além de Wall Street", informou o jornal. Segundo a publicação, Geithner tem trabalhado dia e noite na equipe de transição, em Washington, ao lado de Lawrence H. Summers e outros conselheiros econômicos, para expandir o programa de ajuda aos municípios, pequenas empresas e também consumidores. Nos últimos dias, Obama prometeu um plano de resgate da economia de até US$ 800 bilhões para concentrar esforços na criação de ao menos três milhões de empregos. Na quinta-feira, o presidente eleito prometeu um corte de US$ 1.000,00 em impostos para 95% das famílias de trabalhadores de classe média norte-americanos. Obama também prometeu dobrar a produção de energias alternativas nos três próximos anos e melhorar a eficiência energética em dois milhões de lares.

Piratas somalis liberam super petroleiro capturado havia quase dois meses

O megapetroleiro saudita Sirius Star e seus 25 tripulantes foram libertados na sexta-feira. O navio, que tem capacidade de transportar 2 milhões de barris de petróleo, estava em poder de piratas somalis desde 15 de novembro do ano passado. A libertação foi confirmada por um porta-voz dos criminosos e pelo Programa de Assistência aos Marinheiros. Os piratas exigiam US$ 25 milhões (mais de R$ 57 milhões). Segundo o PAM, ao menos US$ 3 milhões foram pagos (R$ 6,9 milhões). "O Sirius Star está livre, a tripulação está livre", declarou o porta-voz dos piratas, Mohamed Said, por telefone, falando do porto de Harardhere, ao norte da capital somali Mogadício. O navio deve ser levado para a Cidade do Cabo, na África do Sul. O seqüestro do Sirius Star foi a ação mais ousada dos piratas somalis. O megapetroleiro foi capturado no Oceano Índico, a cerca de 800 quilômetros do litoral entre a Tanzânia e o Quênia, e a mais de 1.700 quilômetros do litoral de Puntlândia, no norte da Somália, para onde foi levado pelos sequestradores. O Sirius Star é uma das 19 embarcações da sociedade saudita Aramco e foi construído na Coréia do Sul.

FIA e equipes definem mais cortes de custos na Fórmula 1

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e a Associação das Equipes de F-1 (FOTA) realizaram uma reunião na última quinta-feira, em Heathrow, na Inglaterra, e chegaram a um acordo para tentar antecipar para este ano algumas medidas que visam diminuir os altos custos da categoria. "Mesmo antes da crise econômica mundial o atual modelo da F-1 não é viável", afirmou Max Mosley, presidente da FIA, em carta aos membros da associação. "Temos um campeonato excessivamente baseado na vontade da indústria automobilística mundial para seguir gastando cifras enormes de dinheiro na F-1. Seria uma loucura continuar assim”, acrescentou ele. Entre o que ficou acordado em Heathrow está a limitação imediata de testes aerodinâmicos e o corte significativo nos gastos com motores e caixas de câmbio.

Garibaldi Alves critica interferência do governo Lula no Senado e excesso de Medidas Provisórias

Em carta em que defende sua reeleição para a presidência do Senado Federal, o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) afirmou que é candidato porque o colega José Sarney (PMDB-AP), então favorito para o posto, "declinou enfaticamente do convite" feito pela bancada peemedebista. Enviada à imprensa e aos 80 senadores, a carta foi distribuída na última quinta-feira, três dias após o senador petista Tião Viana (PT-AC), seu adversário, ter feito o mesmo. No texto, Garibaldi foi duro ao criticar a interferência dos poderes Executivo e Judiciário no Legislativo. "O imoderado avanço do Poder Executivo e do Poder Judiciário sobre as atribuições do Congresso são evidentes, e, desgraçadamente, cada vez mais próximos", disse ele. Sobre as medidas provisórias, disse que demonstrou "os danos que a prática rotineira e o uso banalizado desse instrumento".

Crédito consignado para aposentado recua 73%

A concessão de crédito consignado aos aposentados do INSS desabou em novembro, um dos meses de pico da crise financeira internacional. No penúltimo mês de 2008, apenas 16.365 operações de empréstimo com garantia de desconto na folha de pagamento foram realizadas pelos bancos. Isso representa uma queda de 72,9% na comparação com outubro. Naquele mês, o nível de contratação do crédito consignado já havia caído em relação a setembro, mas com menor intensidade (redução de 21,4%). O valor das operações fechadas em novembro também ficou abaixo do montante contratado em outubro. A queda foi de R$ 198,4 milhões para R$ 115,5 milhões, o que representou uma diminuição na contratação de 41,7%. Desde junho do ano passado, o crédito consignado dos aposentados vinha mostrando sinais de arrefecimento. De junho a setembro, houve redução de 150 mil operações. O Ministério da Previdência Social, no entanto, dizia que ainda era cedo para falar dos efeitos da crise e declarava haver relativa estabilidade, levando em conta o elevado estoque de operações, mas os técnicos já demonstravam preocupação e esperavam que a crise atingisse os aposentados. De acordo com os dados de novembro, o estoque de operações ativas no crédito consignado chegava a 14,98 milhões de contratos. Desse total, 12,7 milhões referem-se a operações de empréstimo na modalidade tradicional e 2,2 milhões são relativas ao uso do crédito rotativo do cartão de crédito. Já os valores contratados acumulados até novembro chegaram a R$ 23,82 bilhões.

Oi conclui aquisição do controle da Brasil Telecom

A Oi informou na noite da última quinta-feira que concluiu a aquisição do controle da Brasil Telecom com o desembolso de cerca de R$ 5,3 bilhões. Como parte da operação, a Oi assumiu dívida de aproximadamente R$ 1 bilhão da Invitel, detentora anterior das ações de controle da BrT. Juntas, Oi e BrT têm cerca de 53 milhões de clientes, sendo 22 milhões em telefonia fixa, 27 milhões em telefonia móvel, 3,7 milhões em banda larga e 60 mil em TV por assinatura. Agora, após adquirir o controle da Brasil Telecom, a Oi dará início aos procedimentos para realizar a oferta pública de compra de ações (OPA) dos minoritários da Brasil Telecom Participações e da Brasil Telecom, conforme estabelecido em lei.

UFMG pede no Supremo mandado contra acórdão do Tribunal de Contas da União

A Universidade Federal de Minas Gerais impetrou um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal alegando que o acórdão do Tribunal de Contas da União inviabiliza o prosseguimento de vários projetos em curso. A universidade pediu uma liminar para suspender a decisão do Tribunal de Contas da União e para que possa continuar contratando a fundação de apoio para a execução de obras. Reclamou ainda da "ameaça" de imposição de sanções ao reitor da Universidade Federal de Minas Gerais, dizendo que o Tribunal de Contas da União foi foi "generalista" e abusou de seu poder. O Supremo concedeu parcialmente a liminar no último dia 2, suspendendo as sanções, mas mantendo a decisão do Tribunal de Contas da União na parte em que o tribunal manda parar obras no campus. É absolutamente escandaloso que as universidades públicas brasileiras continuem utilizando-se dessa criminosa falseta das “fundações de apoio”, entidades de direito privado que utilizam-se de verbas públicas, sem licitação, e praticando desvios de toda ordem. Um exemplo desses escândalos: o hospital universitário da Universidade Federal de Santa Maria é mantido por verbas públicas que são repassadas para a Fatec (fundação de direito privado que é apontada com uma dessas famigeradas “instituição de apoio”). Hospital universitário tem que ser mantido por verbas públicas, oriundas exclusivamente do orçamento público, e tem que se adequar ao regime legal da concorrência pública. Trata-se apenas de uma questão de planejamento para tudo funcionar legalmente. O uso das ditas “fundações de apoio”, entidades de direito privado, não passa de uma fraude.

IBGE divulga que produção industrial em novembro caiu em todas as regiões

A produção industrial caiu em todas as 14 regiões pesquisadas em novembro, na comparação com o mês anterior, informou o IBGE na sexta-feira. As principais quedas foram notadas no Espírito Santo (-17,2%), Minas Gerais (-13,4%), Rio Grande do Sul (-7,2%) e Amazonas (-7,8%). Na comparação com novembro de 2007, a produção da indústria caiu em 12 das 14 regiões avaliadas. Apenas Paraná (5,7%) e Pará (4%) cresceram nessa relação. O IBGE informou que a produção industrial do País em novembro marcou o segundo mês consecutivo de queda, com uma desaceleração de 5,2% em relação ao mês anterior. Trata-se da maior queda desde maio de 1995. Em outubro, a queda foi de 2,8% (antes da revisão, era 1,7%). Em relação a novembro do ano passado, foi verificada queda de 6,2%, interrompendo um ciclo de 28 altas consecutivas nesse dado comparativo.

Deputados pedem reembolso até para vacinas que são gratuitas na rede pública

Como as regras para os gastos com saúde são bastante vagas, deputados federais têm um verdadeiro "cheque em branco" para gastos nesse campo, e abusam. São muito os exemplos de congressistas que tentam ser ressarcidos por despesas que não estão previstas no ato da Mesa Diretora que, em 1983, estabeleceu o benefício. Já houve pedidos para a compra de equipamento para tirar a pressão e para o pagamento de vacinas disponíveis de graça na rede pública. Em outro exemplo, o deputado Laurez da Rocha (PSB-TO) pediu o reembolso de R$ 5.800,00 por equipamento para tratamento de apneia do sono. "Pedi porque pago um plano que não cobria. Eu acho que foi certo a Mesa recusar o pedido, nem questionei. Agora, se a Câmara tivesse pago, eu também não iria dispensar", disse o deputado muito cara de pau. As atas da reunião da Mesa Diretora revelam pedidos de reembolso em gastos com alimentação e despesas de acompanhantes. O deputado federal Jader Barbalho (PMDB-PA), por exemplo, incluiu em pedido de reembolso de R$ 15,00 de um café da manhã. A Câmara barrou este ressarcimento, mas pagou outros R$ 31.000,00 referentes a tratamento médico do deputado.

Ministro israelense reage e diz que comparação com o nazismo feita pelo PT é ofensiva

O ministro de Assuntos Sociais de Israel, Isaac Herzog, classificou como ofensiva as críticas do PT à operação militar israelense na faixa de Gaza. Segundo Herzog, ao criticar os ataques israelenses a áreas civis como "uma prática típica do Exército nazista", o PT mostra que "ignora a história". Herzog (cuja mulher passou a infância no Rio de Janeiro) afirmou que a declaração do assessor internacional do governo petista e do presidente Lula, o clone de chanceler Marco Aurélio “Top Top” Garcia, ofende Israel que "protege seus cidadãos em um ato de legítima defesa e está tentando ao máximo reduzir o drama humanitário e o número de baixas civis". O ministro não quis responder diretamente se os comentários do trotskista Marco Aurélio “Top Top” Garcia descredenciam o governo do presidente Lula de participar das negociações. "Não vou interferir na política brasileira e não sei quem fez esses comentários. Mas rejeito categoricamente qualquer comparação descabida com o nazismo", disse ele. Isaac Herzog disse ainda que a mediação dos confrontos em Gaza proposta pelo governo brasileiro é bem aceita. "Parte dos esforços do Brasil e da comunidade internacional em geral poderia ser o fortalecimento do processo que já começamos com os palestinos moderados da Autoridade Nacional Palestina e o presidente Mahmoud Abbas, para melhorar a economia da Cisjordânia", explicou o ministro.

Crise econômica vai acabar com 243 mil empregos em Nova York

A recessão da economia norte-americana vai eliminar 243 mil empregos em Nova York e elevará o déficit da cidade para US$ 4,3 bilhões durante o ano fiscal de 2009, informou na quarta-feira o IBO (Escritório Orçamentário Independente). O relatório acrescenta que, no ano fiscal de 2010, que terá início em 1º de julho do próximo ano, o déficit fiscal de Nova York chegará a US$ 7 bilhões. Entre abril e novembro de 2008, a cidade perdeu 28,2 mil empregos, segundo o IBO, que calcula que as demissões continuarão pelo menos até o fim de 2010. Ao todo, 243 mil postos de trabalho serão fechados entre abril de 2008 e o final do próximo ano, mais que os 228,1 mil empregos eliminados nos quase três anos que a cidade levou para se recuperar da crise econômica de 2001. O número de vagas que serão fechadas por conta da atual crise é 40% maior que os últimos cálculos do fiscal de contas do estado de Nova York, Thomas DiNapoli. O IBO, que é uma entidade pública mas não está subordinada à prefeitura, assegura que em todos os setores haverá demissões, menos nas áreas de saúde e educação. Já o setor financeiro será o mais prejudicado pelos cortes, uma vez que 82,3 mil pessoas deverão ser demitidas.

Seca gera prejuízos superiores a R$ 8 milhões no Rio Grande do Sul

Municípios do norte do Rio Grande do Sul já estão sofrendo com o intenso período de seca na região. Em algumas cidades, os prejuízos com a perda da produção agrícola passam de R$ 8 milhões. De acordo com a Defesa Civil do Estado, 56 municípios decretaram situação de emergência e 90 mil pessoas já estão afetadas pela estiagem. Em Cruz Alta, a produção de milho, soja e feijão foi bastante atingida. O ressecamento das pastagens também atingiu a produção de leite, reduzida em 50%. No município de Dezesseis de Novembro houve perda significativa da produção de alfafa, milho e soja. E 90% da plantação de soja foi atingida. A cidade é considerada a capital nacional da alfafa, plantada em mais de 500 hectares. A perda foi de um milhão de quilos de alfafa. Outro problema é a falta de água para o gado. Em Erval Seco, algumas propriedades rurais estão sendo abastecidas por caminhões pipa e o prejuízo com a produção de milho chega a R$ 6 milhões.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Israel invade Faixa de Gaza e luta se estende casa a casa

Israel invadir a Faixa de Gaza a partir do meio dia de sábado e manteve neste domingo a ofensiva terrestre e os ataques aéreos contra alvos do grupo terrorista islâmico Hamas. Em oito dias de atividades militares, as ações já resultado em cerca de 500 mortos, mais de 90% deles de terroristas integrantes do Hamas. Fontes oficiais de Israel confirmaram que foram mortos neste domingo mais dois terroristas chefes do Hamas, e o os próprios terroristas informaram a morte de um terceiro dirigente. Somente fontes inconfiáveis de dentro da Faixa de Gaza apontam para a existência de cerca de 2.450 feridos. Ao longo desde domingo, as tropas israelenses obtiveram controle da seção leste do norte da faixa de Gaza, menos de 24 horas depois de iniciar sua incursão terrestre ao território palestino. Apoiadas por bombardeios da artilharia e da aviação, as tropas israelenses avançaram em vários setores do território palestino, onde entraram na noite de sábado após uma semana de ataques aéreos. Enquanto isso, dirigentes terroristas do Hamas se disfarçam de médicos e enfermeiras nos hospitais para fugir dos soldados israelenses. Combates foram registrados perto do campo de refugiados de Jabaliya, no norte da Faixa de Gaza, e no bairro de Zeitun, no leste da cidade de Gaza. "Nossas forças atingiram os objetivos que haviam sido definidos para impedir os disparos de foguetes. A operação está indo mais rápido que o previsto", declarou o porta-voz do Exército israelense, o general Avi Benyahou, o qual negou que Israel tenha a intenção de reocupar a faixa de Gaza. "É possível que tenhamos de manter por algum tempo o controle de alguns setores de onde são disparados os foguetes, mas o objetivo não é reocupar a faixa de Gaza", afirmou o general. Israel teve sua primeira baixa nessa ofensiva. O sargento Dvir Emmanueloff, de 22 anos, foi atingido próximo ao campo de refugiados de Jabalya. Segundo o exército israelense, mais 30 soldados ficaram feridos. Os bombardeios da Força Aérea de Israel mataram dois importantes terroristas chefes do Hamas, informa o jornal israelense "Haaretz". Outro líder também teria sido morto, segundo o grupo radical islâmico. Hussam Hamdan, que estava no comando dos lançamentos de foguetes artesanais a Beer Sheva e Ofakim, em Israel, morreu em um ataque aéreo em Khan Yunis, na tarde deste domingo. O mesmo ataque matou Muhammad Hilo, chefe das forças especiais do Hamas em Khan Yunis. Segundo o Hamas, o terceiro terroristas chefe morto neste domingo foi Mohammed Shalpokh, atingido por foguetes em Jabalya, no norte da faixa de Gaza. Ele estava escondido dentro da mesquita que foi atingida por Israel. No sábado, a Força Aérea israelense afirmou ter matado um outro importante comandante militar da organização terrorista Hamas. Mamduk Jamal (Abu Zakaria al-Jamal) foi morto na Cidade de Gaza, quando seu veículo foi atacado. Segundo o porta-voz do Exército israelense, Jamal era um comandante militar responsável por várias brigadas de lançamento de foguetes. Na quinta-feira, um bombardeio israelense em um campo de refugiados matou Nizar Rayan, o mais alto responsável do Hamas morto desde o início das operações, no último dia 27. Segundo o Exército de Israel, dezenas de membros do Hamas foram mortos. O Exército israelense conta com tanques, artilharia pesada e aviões e helicópteros para proteger os soldados que avançam por terra contra a resistência dos terroristas do Hamas. As Forças de Defesa israelenses atacaram ao menos 45 alvos do Hamas, incluindo um quartel-general do grupo. As tropas de Israel dividiram a faixa de Gaza em duas partes para reduzir o fluxo de armas, suprimentos e militantes para a parte norte da região.

A guerra da informação na Faixa de Gaza

Em contraste com a situação dos jornalistas barrados, as forças israelenses divulgaram imagens de caminhões carregados de mantimentos ingressando o território pelo sul da faixa de Gaza (por Kerem Shalom). É um dos mais de 20 vídeos publicados no canal que as Forças de Defesa abriram no Youtube na última segunda-feira. "A blogosfera e as novas mídias são basicamente uma zona de guerra", disse a major Avital Leibovich, porta-voz do Exército, sobre o canal no Youtube. "Muitas vitórias nos conflitos modernos são mediadas pela mídia. Temos a internet e todas as formas de comunicação modernas, e os militares decidiram divulgar suas mensagens com tais ferramentas", disse Gideon Doron, ex-presidente da agência regulatória que monitorou a privatização dos serviços de rádio e TV em Israel. A estratégia tem inclusive um órgão gerencial, o Diretório Nacional de Informações, criado há oito meses por recomendação de um escrutínio da guerra contra o Hizbollah, travada no Líbano em 2006. "O aparato de hasbara (termo em hebraico que significa "explicação" e é usado também como sinônimo de propaganda) precisava de um órgão para coordenar suas agências e virou uma plataforma de cooperação de todas entidades que lidam com relações públicas", disse o chefe do diretório, Iarden Vatikai. A investida passa também por canais diplomáticos. Nesta semana, a Embaixada de Israel em Brasília encaminhou fotos de alvos israelense visados pelos foguetes do Hamas e um vídeo no Youtube justificando os ataques a Gaza, entre outros e-mails diários. O consulado israelense em Nova York conduziu uma "entrevista coletiva" por meio do Twitter, sistema de microblogs que permite a publicação de textos de até 140 caracteres. O esforço não é voltado só ao Ocidente. O jornal "Haaretz" registrou que a ação israelense visa também "conquistar" canais de TV árabes via satélite", ao noticiar o esforço do Exército e da chancelaria em destacar quadros fluentes em árabe para falar à Al Jazeera e a outras emissoras do mundo árabe. Agentes de defesa palestinos e israelenses disseram ao jornal Jerusalem Post que a população próxima aos alvos dos ataques foi avisada com antecedência dos bombardeios para reduzir a morte de civis. Os aviões israelenses lançaram panfletos em toda a região com um número de telefone e um endereço de e-mail para que as pessoas relatem locais onde estão líderes da organização terrorista Hamas e seus depósitos de foguetes. Matéria do jornal Jerusalém Post, neste domingo, diz que terroristas do Hamas balearam nas pernas 75 ativistas do Fatah na Faixa de Gaza, e quebraram as mãos de vários outros, desde o início da ofensiva militar de Israel contra a Faixa de Gaza. O Hamas também determinou a prisão domiciliar de centenas de ativistas pólíticos do Fatah, que só têm autorização para sair às sextas-feiras, para rezar em mesquitas. Já na Cisjordânia, as lideranças do Fatah instruíram seus militantes em Gaza para que tomem controle da Faixa, se Israel for bem sucedido em sua ofensiva. Autoridades do Fatah disseram ao Jerusalem Post que muitos de seus ativistas na Faixa foram detidos na última semana. Wisam Abu Jalhoum, ativista do Fatah no campo de refugiados de Jabalyia, foi baleado nas pernas porque expressou satisfação pela ofensiva israelense contra alvos do Hamas. "O Hamas está muito nervoso porque está vendo o final de seu regime acabar", disse uma autoridade do Fatah ao Jerusalem Post. "Eles estão desencadeando uma brutal campanha contra membros do Fatah na Faixa de Gaza". Fontes do Hamas admitiram que foram executados mais de 35 membros do Fatah nesta semana, "suspeitos" de colaboração com Israel. Os "suspeitos" estavam presos em instalações de segurança do Hamas. Justicando as execuções, autoridades do Hamas disseram ter sido informadas sobre instruções do presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abas, para que militantes do Fatah assumissem controle da Faixa. "Vamos matá-los se tentarem ajudar Israel a derrubar nosso governo", avisou a autoridade do Hamas contatada pelo Jerusalem Post. "Vamos enforcar Abas e Muhammad Dahlan (ex-chefe das forças de segurança do Fatah) em praça pública, se tentarem entrar na Faixa de Gaza depois dos tanques israelenses". A mesma autoridade, cujo nome não foi revelado, disse que o Hamas lançou uma "campanha preventiva" contra o Fatah, para evitar "o alastramento da anarquia e do caos na Faixa de Gaza". Ele confirmou que muitos ativistas do Fatah foram baleados nas pernas nos últimos dias "para que tenham certeza de que não irão ajudar Israel". Fahmi Zaarir, um porta-voz do Fatah na Cisjordânia, acusou o Hamas de "executar" prisioneiros do Fatah em Gaza. Ele disse que pelo menos dois homens do Fatah foram assassinados pelo Hamas depois de terem sido libertados da prisão. "É uma vergonha que o Hamas esteja direcionando sua energia contra seu próprio povo", afirmou. Zaarir informou que inúmeras pessoas que compareceram aos funerais de seus parentes, depois dos ataques de Israel, foram espancadas pela milícia do Hamas, acusadas de colaborarem com Israel.

Presidente Sarkozy diz que Hamas é o grande responsável pelo sofrimento em Gaza

O presidente francês Nicolas Sarkozy afirmou que a organização terrorista islâmica Hamas "tem grande responsabilidade no sofrimento dos palestinos de Gaza", em entrevista concedida a três jornais libaneses, e que será publicada nesta segunda-feira. "O lançamento da ofensiva terrestre israelense torna ainda mais urgente a necessidade de conseguir um cessar-fogo", afirmou Sarkozy aos diários "An Nahar", "As Safir" e "L'Orient le Jour". Sarkozy fará nestas segunda e terça-feiras uma turnê pelo Oriente Médio, durante a qual visitará o Egito, Cisjordânia, Israel, Síria e Líbano. "Condenamos esta ofensiva junto com nossos parceiros europeus, porque afasta um pouco mais as oportunidades de paz, e porque dificulta o envio de ajuda à população de Gaza”.

Esquerda pressiona Obama a se pronunciar

O presidente eleito dos Estados Unidos, o democrata Barack Obama, não vacila para abrir a boca e anunciar planos econômicos de seu governo, que começará no dia 20. Mas, enquanto não se senta na cadeira presidencial, ele mantém o mutismo sobre o assunto Israel e Faixa de Gaza. Por isso esquerdistas de todos os matizes o estão pressionando, e a sua equipe, para que Obama se manifeste. Esquerdistas alertam que o silêncio atual não ajuda Obama a construir a confiança necessária para avançar as negociações de paz entre Israel e os palestinos. "Negligenciar o engajamento neste estágio crítico envia a mensagem errada sobre a seriedade com a qual Obama perseguirá um papel ativo no conflito", escreveu o comentarista John Nichols na revista esquerdista "The Nation".

A imbecilidade da mídia e os fatos

O jornalista e filósofo Luis Milman, professor da pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, escreve seu segundo artigo para Videversus sobre o conflito entre Israel e a organização terrorista Hamas. Leia o texto: “Enquanto a mídia ocidental continua perseguindo quimeras lançadas pela linguagem protocolar da ONU- a primeira foi a da “resposta desproporcional” e a mais nova é a “da crise humanitária”-, o Ministério da Defesa de Israel divulgou, no último sábado, as primeiras informações oficiais detalhadas sobre a ofensiva aérea deflagrada contra o Hamas, na Faixa de Gaza, em 27 de dezembro. O ataque começou no sábado e envolveu 50 caças-bombardeiros F-16. Os 50 caças foram divididos em formações de cinco (um líder). Em apenas 3 min e 40 segundos, 50 alvos do Hamas foram atingidos. Os alvos foram previamente selecionados pelo Shin Bet (a Agência de Segurança de Israel), o Comando Militar do Sul e a Inteligência Militar. Até a última quinta-feira, cinco dias depois de iniciada a operação, os caças F-16 de Israel fizeram 600 incursões na Faixa de Gaza. Todos os ataques são filmados e analisados simultaneamente pelo Quartel General do Comando Militar do Sul e pelo Centro de Comando Central das Forças Armadas, em Tel Aviv, num local desconhecido dos próprios israelenses. Historicamente, os militares que operam no Comando Central são proibidos de falar sobre sua localização até mesmo para seus familiares. Os ataques são precedidos de avisos prévios, enviados em árabe, por telefonia celular, para os habitantes da Faixa de Gaza. Os avisos insistem para que os civis se afastem das instalações do Hamas e da vizinhança onde residem as principais lideranças do movimento. A população palestina de Gaza também se comunica com as Forças Armadas israelenses, por meio da Internet e telefones celulares, pedindo para não visar somente integrantes da milícia terrorista, que disparam foguetes contra Israel de hospitais, escolas e bairros densamente povoados das cidades de Faixa. Muitos dos contatos são feitos na tentativa de oferecer aos israelenses informações sobre a localização das lideranças do Hamas. Um dos objetivos das operações de Israel é precisamente este: matar as lideranças militares e políticas do Hamas (e da Jihad Islâmica), que controla a Faixa de Gaza. E, com isto, quebrar a cadeia de comando destas milícias que, reunidas, contam com 20 mil homens (15 mil do Hamas). No último sábado, dia 3 de janeiro, foi morto um dos principais comandantes militares do Hamas, Abu Zacharia Al-Jamal. Ele era subordinado apenas a Ahmed Jabri, que continua escondido. Na quinta-feira, dia primeiro do ano, Israel matou o mentor dos suicidas do movimento, Hizar Rayyan, de 49 anos, em sua casa (Jabalya). Rayyan, em 2001, enviara um de seus filhos para cometer um ataque suicida contra Israel. Entre as figuras mais importantes do Hamas, que se encontram escondidas em bunkers ou disfarçadas de médicos e enfermeiros, estão o líder espiritual do movimento, sheik Ismail Hamieh e o próprio Ahmed Jabri. Hamieh ocupou o posto depois de 2004, quando Israel matou o sheik Ismael Yassin, que fundou o Hamas, em 1987. Yassin era o líder da Irmandade Muçulmana (sede no Egito) na Faixa de Gaza, quando resolveu criar seu próprio movimento, naquele ano. Também em 2004, um ataque israelense matou o sucessor de Yassin, Abdel Aziz Rantini. Depois disto, o movimento solicitou a Jerusalém uma hudna, ou seja, um cessar-fogo em árabe. O Hamas é um acrônimo para Haratat al-Muqawamah al-Islamiyyah (em português, Movimento de Resistência Islâmica). Atualmente, seu principal líder militar, Kaled Mashal, encontra-se exilado em Damasco, Síria. Da capital síria, Jamal declarou, no último dia 2 de janeiro, que se Israel iniciar uma ofensiva por terra na Faixa de Gaza, muitos soldados israelenses, como Gilat Shalit – que está nas mãos do Hamas desde 2006 - serão seqüestrados. É do Comando Central em Tel Aviv que partem todas as ordens para novos ataques. O Ministro da Defesa Ehud Barak e o Primeiro Ministro Ehud Olmert são informados da situação em Gaza a cada hora. As informações também são repassadas ao Gabinete de Segurança do Governo. Já o Comando de Administração, Coordenação e Comunicação das Forças Armadas informou que, desde o primeiro dia após o início da ofensiva aérea, foi permitida a entrada, na Faixa de Gaza, de 330 caminhões com alimentos, medicamentos e equipamento médico, além de 10 ambulâncias e 2 mil unidades de sangue, pelo portão de Erez. O fluxo da ajuda humanitária, que permite também ações de ONGS internacionais, não será interrompido, segundo o Comando. Na frente diplomática, a Ministra das Relações Exteriores de Israel, Tzipi Livni, mantém constantes contatos com as principais lideranças da Comunidade Européia, o Egito, a Jordânia e a Autoridade Nacional Palestina (AP), além da Rússia e, obviamente, os Estados Unidos. O Egito mantém fechada a sua fronteira com a Faixa de Gaza, em Rafah, para evitar que milicianos do Hamas entrem em seu território. Mesmo assim, segundo o Ministério da Defesa egípcio, 60 milicianos do Hamas conseguiram entrar no Egito por túneis, depois que Israel iniciou suas operações. Os 60 homens foram presos e devolvidos a Faixa de Gaza. O Presidente egípcio Hosni Mubarak já declarou que somente permitirá a abertura da fronteira, em Rafah, depois que a AP reassumir o comando político e militar na Faixa de Gaza. As ações coordenadas de Israel, no campo militar, diplomático e humanitário, têm sido, até aqui, bem sucedidas. O governo de Jerusalém, é claro, não adianta por quanto tempo ainda continuarão suas operações militares. A mídia ocidental, no entanto, deleita-se em repercutir as fórmulas exaradas pela ONU, sem analisá-las ou confrontá-las com os fatos. Se Israel tivesse a intenção de atacar indiscriminadamente a Faixa de Gaza, com seu poderio de fogo e depois de sete dias de incursões ininterruptas, o número de mortos já teria chegado a dezenas de milhares. Além disto, não permitiria que, diariamente, medicamentos, alimentos, equipamento médico e sangue chegassem à Faixa. E obviamente teria interrompido o fornecimento de energia elétrica para Gaza. Mas, o exercício da lógica não parece fazer parte da rotina da cobertura jornalística. Às favas com a racionalidade. A mídia se deleita com slogans. Como só quer ver sangue por todos os lados, fica cega aos próprios fatos. Em lugar da análise, entrega-se a especulações imbecilóides que sequer vislumbram os objetivos legítimos e de curto prazo de Israel: desmontar a estrutura militar do Hamas, liquidar sua liderança e expulsar o Irã (que financia e vinha armando o Hamas por meio de contrabando) de sua fronteira Sul”.

Milhares de pessoas vão às ruas em Paris para apoiar Israel

Milhares de pessoas foram às ruas no início da tarde deste domingo, em Paris, para apoiar "a ação de autodefesa de Israel" e celebrar "a memória das vítimas israelenses do Hamas". O CRIF (Conselho Representativo das Instituições Judaicas da França), que convocou a manifestação, disse que 12 mil pessoas foram às ruas para expressar apoio a Israel. Muitas pessoas portavam bandeiras israelenses e cantaram os hinos nacionais da França e de Israel antes de entoar cantos em hebraico. "Nosso primeiro pensamento vai para o soldado Gilat Shalit", detido desde 2006 na Faixa de Gaza depois de ter sido capturado por um comando palestino, declarou o Grande Rabino da França, Gilles Bernheim. "Israel luta apenas pela liberdade e pela sobrevivência de seu povo. Não há nenhuma vontade de destruir outro povo", alegou. "É fundamental que judeus e muçulmanos da França mantenham relações baseadas na qualidade e na confiança", acrescentou.

Prefeito de Nova York visitará Israel para "demonstrar apoio"

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, junto com o comissário da polícia da cidade, Raymond Kelly, e o deputado democrata Gary Ackerman, foi a Israel "para demonstrar seu apoio ao país", disse seu porta-voz, Andrew Brent. Michael Bloomberg, que é judeu, teve neste domingo agendou para este domingo um encontro com os prefeitos das localidades de Sderot e Ashkelon e com nova-iorquinos que moram em Israel. Ele já estará de volta a Nova York na manhã desta segunda-feira. O prefeito nova-iorquino já declarou seu apoio a Israel nos últimos dias, dizendo que o país tem o direito de se defender dos ataques palestinos.

Moradores do norte de Gaza fogem de tanques israelenses

Os habitantes do norte de Gaza fugiram apavorados após a entrada de tanques israelenses apoiados por bombardeios aéreos, informou um ativista e morador da região, que entrou em contato por telefone com Jerusalém. "No antigo assentamento de Duvit, entraram tanques que levaram muitas pessoas a fugir de suas casas", disse Alberto Arce, ativista espanhol que se encontra na sede do Crescente Vermelho do campo de refugiados de Jabalya. Segundo Arce, as pessoas correram para a avenida de Salah ad-Din (a principal do campo), "carregadas com cobertores e bolsas de plástico". Jabalya foi um dos primeiros locais do território palestino a sofrer a invasão das tropas terrestres israelenses. Desde o início da ofensiva israelense, conforme o “ativista” Arce, de 32 anos, as ambulâncias que saíam para fazer atendimento voltavam vazias, porque não podiam chegar aos lugares onde tinham que atender os feridos, já que os impactos dos mísseis israelenses fizeram buracos imensos nas ruas que não lhes permitiram avançar".

Ministro da Defesa de Israel diz que invasão de Gaza "não será fácil nem será curta"

O ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, afirmou no sábado que a incursão militar da faixa de Gaza "não será fácil nem será curta". Em entrevista transmitida pelas estações de TV, o ministro israelense comentou que as Forças Armadas "continuam ampliando a operação" e previu "dificuldades e vítimas". "Não abandonaremos nossos cidadãos. O trabalho do Exército é defender a fronteira nacional". Barak ainda afirmou que o país está preparado para qualquer eventualidade em sua fronteira norte com o Líbano, em uma advertência velada ao grupo terrorista islâmico libanês Hizbollah.

Israel mobiliza reservistas para apoiar ofensiva terrestre

O exército israelense já começou a mobilizar tropas de reserva para apoiar a operação defensiva que desenvolve na Faixa de Gaza. Uma fonte militar afirmou que o Comitê de Defesa do parlamento israelense já autorizou a convocação de reservistas. A fonte não informou o efetivo já mobilizado para a incursão a Gaza, mas afirmou que as forças são apoiadas tanto pela Força Aérea quanto pela Marinha, bem com por várias agências de inteligência e segurança. Em um comunicado oficial, o Exército israelense afirmou as tropas foram "bem treinadas" e preparadas para a ofensiva terrestre durante "um largo período de tempo". A frente da operação está o general Yoav Galant. Em sua nota à imprensa, as Forças Armadas dizem ainda que "os residentes de Gaza não são o objetivo da operação. Aqueles que usam civis, os anciões, as mulheres e as crianças como escudos humanos são responsáveis por todos os danos à população civil". E adverte que "qualquer um que esconda armas ou um terrorista em sua casa será considerado um terrorista".