terça-feira, 7 de outubro de 2008

DEM decide apoiar Gabeira e prefeito Cesar Maia diz admirar candidato do PV

Uma reunião do diretório municipal do DEM no Rio de Janeiro sacramentou na noite de segunda-feira o apoio a Fernando Gabeira (PV) no segundo turno contra Eduardo Paes (PMDB). O encontro foi realizado no Palácio da Cidade e teve a participação do prefeito Cesar Maia, do deputado federal Rodrigo Maia (presidente nacional do partido) e da candidata derrotada a prefeita Solange Amaral. O prefeito Cesar Maia, que na campanha atacou duramente o estilo "liberou geral" do candidato do PV, disse que sempre admirou o "caráter, honradez e integridade" de Gabeira. "O PV esteve na prefeitura de 1993 a 2006. Nosso presidente do Instituto Pereira Passos é da coordenação de programa do Gabeira. O PMDB tem um estilo atropelador sobre a máquina pública que não é compatível com o nosso", acrescentou o prefeito.

Governo Lula anuncia R$ 10 bilhões para financiamentos da indústria naval

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, anunciou nesta terça-feira que o governo Lula vai disponibilizar mais R$ 10 bilhões para financiamentos para a indústria naval. O dinheiro será destinado ao Fundo de Marinha Mercante para a construção de plataformas, navios petroleiros, sondas e navios de cabotagem. "Neste momento de crise, estamos garantindo R$ 10 bilhões, o que é algo estratégico e mostra a importância da indústria naval para o País", afirmou ela, durante cerimônia de batismo da plataforma P-51, em Angra dos Reis. Dilma Rousseff disse que o governo Lula ressuscitou a indústria naval e provou que é possível construir plataformas no País. Ela lembrou que a P-51 e outras plataformas iriam ser construídas no exterior por decisão da antiga diretoria da Petrobras, em 2002. "O presidente Lula determinou que elas fossem construídas aqui. A ordem era reconstruir a indústria naval e provar que o Brasil tem condições, empregando mais trabalhadores", destacou.

Estudo indica queda na fecundidade e envelhecimento da população brasileira

A queda acelerada das taxas de fecundidade e da mortalidade registradas no Brasil provoca mudanças rápidas no ritmo de crescimento da população. A mais importante, de acordo com o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), é o envelhecimento dos brasileiros. Os dados fazem parte de um estudo divulgado nesta terça-feira pelo instituto, elaborado com base na Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) 2007. De acordo com a pesquisa "Pnad 2007: Primeiras Análises", a taxa de fecundidade total no ano passado foi de 1,83 filho por mulher. A média foi inferior à chamada taxa de reposição (de 2,1), que significa o mínimo de filhos que cada brasileira deveria gerar para que, no período de 30 anos, a população total do País seja mantida. A queda teve início na segunda metade dos anos 60 e poderá, a partir de 2030, refletir em uma população "super envelhecida" no Brasil, reproduzindo experiências de países da Europa Ocidental, além de Rússia e Japão. A projeção é que a população brasileira irá atingir o seu máximo em 2030, com um contingente de aproximadamente 204,3 milhões de habitantes. Para 2035, a expectativa cai para 200,1 milhões. Como conseqüência direta, a população com idade inferior a 15 anos, que representou 33,8% da população total em 1992, passou a responder por 25,2% em 2007. Já a população idosa que, em 1992 representava 7,9% da população, passou a responder por 10,6% no ano passado.

Parlamentares esticam recesso branco e esvaziam corredores do Congresso Nacional

O Congresso Nacional retoma seus trabalhos nesta terça-feira depois do "recesso branco" que paralisou as atividades do Legislativo e permitiu que os parlamentares participassem das campanhas das eleições municipais. Poucos deputados e senadores voltaram a Brasília para o reinício das atividades. Isso é sinal de que o Poder Legislativo deve retomar o ritmo de trabalho somente após o segundo turno das eleições. O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse que todos os 513 deputados foram avisados que os trabalhos seriam retomados a partir desta terça-feira.

PSDB oficializa apoio a Gilberto Kassab no segundo turno em São Paulo

O PSDB de São Paulo oficializou nesta terça-feira o apoio ao prefeito Gilberto Kassab (DEM), que busca à reeleição. Segundo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o prefeito foi um "bom gestor" que deu continuidade às metas do governador José Serra (PSDB). "A grande satisfação é pelo fato que o partido soube entender as circunstâncias", afirmou o ex-presidente ao falar sobre a disputa interna que dividiu o partido na campanha entre os apoiadores do prefeito e do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), candidato derrotado nestas eleições. Segundo Fernando Henrique Cardoso, a razões do apoio a Kassab são "simples": "Ele mostrou ao povo de São Paulo que é capaz. A cidade reconheceu que tem um bom gestor, o gestor que deu continuidade àquilo que tinha sido iniciado pelo agora governador José Serra".

Orlando Morando diz que passagem para o segundo turno em São Bernardo teve "gosto de vitória"

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Bernardo do Campo (ABC paulista), Orlando Morando, disse nesta terça-feira que sua passagem para o segundo turno das eleições municipais teve "gosto de vitória". Nas eleições, Luiz Marinho (PT) registrou 48% dos votos contra 37% de Morando. "Foi uma derrota para eles e uma vitória para nós. O Lula tentou me massacrar, vindo no sábado fazer carreata, mas nós conseguimos chegar lá. As alianças com o PT já estavam declaradas no primeiro turno. O discurso entre eles já estava orquestrado", afirmou Morando em resposta ao anúncio da megaaliança à candidatura de Luiz Marinho.

Governador paulista José Serra diz que subirá no palanque de Kassab em São Paulo se for chamado

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), afirmou nesta terça-feira que subirá no palanque do candidato à reeleição para a prefeitura da capital paulista, Gilberto Kassab (DEM), se for chamado. Isso na verdade significa que Serra já está na campanha de Kassab, que disputa o segundo turno das eleições com a ricaça petista Marta Suplicy. "Vou apoiar o Gilberto Kassab, que acredito é a melhor opção para São Paulo, foi muito bem nos últimos anos, na prefeitura, me sucedeu, deu continuidade aos programas, inovou. Acho que é a melhor escolha, mas não vou deixar de lado minhas tarefas de governador, fui eleito para isso, vou ao palanque de Kassab ser for chamado, se for necessário", disse José Serra.

Governo Lula mantém previsão de receitas do Orçamento de 2009 apesar da crise econômica

O governo Lula não deve alterar significativamente as suas previsões para a economia em 2009, devido à piora na crise internacional de crédito, na revisão que será enviada à Comissão Mista de Orçamento do Congresso no final do mês. O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou nesta terça-feira que seria prematuro mudar qualquer previsão neste momento de incerteza no cenário econômico. Segundo ele, as revisões das projeções para a economia que balizam o Orçamento serão enviadas ao Congresso no final de outubro e final de novembro. "Nós temos uma previsão na própria Lei de Diretrizes Orçamentária de fazer ainda neste mês de outubro o envio dos parâmetros macroeconômicos e mandar mais uma revisão no final de novembro", disse o ministro. "Se fosse mandar hoje, mandaria um quadro praticamente igual, teria muito pouca mudança. É muito prematuro tomar qualquer rumo agora, até porque nós teríamos pouca condição de acertar projeções nesse curto espaço de tempo", afirmou. O Orçamento de 2009 prevê um crescimento da economia de 4,5%; câmbio a R$ 1,71 no final do ano; juros de 13,50% ao ano em dezembro; e uma inflação de 4,5%, no centro da meta. A estimativa para as receitas é de R$ 1,585 trilhão, sendo R$ 523 bilhões de impostos e contribuições administrados pela Receita Federal.

PSB é o primeiro partido a formalizar apoio a Eduardo Paes no segundo turno do Rio de Janeiro

O PSB oficializou nesta terça-feira seu apoio à candidatura de Eduardo Paes (PMDB) à prefeitura do Rio de Janeiro. O partido, que no primeiro turno integrou a coligação de Jandira Feghali (PCdoB), é o primeiro a formalizar a adesão ao peemedebista contra Fernando Gabeira (PV). Outros partidos da base aliada do presidente Lula devem fazer o mesmo. O presidente regional do PSB e secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso, defendeu a formação de uma "frente de esquerda" para apoiar Eduardo Paes. "Gabeira é a continuidade de Cesar Maia. Nós já estamos trabalhando para Eduardo Paes", afirmou Cardoso. Esta afirmação é a demonstração de quanto as esquerdas brasileiras se prostituíram. Afinal de contas, se existe alguém no Rio de Janeiro que pode ser chamado de esquerda, uma esquerda moderna, essa figura é Fernando Gabeira. A Executiva municipal do PT se reúne na manhã desta quarta-feira para decidir se apóia Eduardo Paes ou se o partido fica neutro. Mas, é quase certo que o PT, a nova expressão da direita da esquerda, apoiará o candidato do PMDB. O presidente do diretório municipal do PDT, deputado federal Brizola Neto, disse que o partido vai se reunir na sexta-feira e também deve fechar apoio a Eduardo Paes.

Grupo terrorista palestino Hamas acusa "lobby judaico" pela crise financeira

A organização terrorista palestina Hamas, que controla a faixa de Gaza, acusou o "lobby judaico" norte-americano de ser responsável pela crise financeira nos Estados Unidos. O porta-voz do Hamas, Fawzi Barhum, afirmou que os problemas do sistema financeiro norte-americano se explicam por "má gestão administrativa e financeira e um sistema bancário ruim instalado e controlado pelo lobby judaico". Não há novidade nisto, fica evidente a toda prova que esta organização terrorista é de origem nazista e, assim como os nazistas, têm um projeto de eliminação física dos judeus. Continuou o terrorista palestino: "O presidente norte-americano George W. Bush, e sua administração, injetaram bilhões de dólares para salvar a situação, silenciando o fato de que quem instalou o sistema bancário e financeiro americano e o controla é o lobby judaico". Para o terrorista Barhum, os judeus "controlam também as eleições americanas e definem a política externa de toda nova administração, de maneira que possam controlar o dinheiro americano, o governo e a economia, para que os EUA se transformem em arma do lobby e seu instrumento de dominação no mundo inteiro". Assim agem os nazistas. Isso não é novo na história.

Senado convoca Guido Mantega e Henrique Meirelles para explicações sobre a crise financeira

Nesta terça-feira, a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal aprovou requerimento do senador Pedro Simon (PMDB-RS) convidando o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para avaliar o impacto econômico e social da crise financeira global no Brasil e explicar os planos e ações do governo Lula, entre elas a Medida Provisória anunciada sobre crédito. Também deverá comparecer à reunião o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. “A nossa preocupação é avaliar o impacto da crise na economia brasileira, a eficácia das medidas do governo e, principalmente, com relação à redução da atividade econômica, o nível de emprego, poupança popular e programas sociais”, disse Pedro Simon. Na sua opinião, o Congresso brasileiro tem que participar da busca de soluções: “O assunto exige responsabilidade e a presença de todos os poderes, e devemos estar preparados. O Brasil já começa a queimar reservas e esse filme nós já vimos. Estão queimando também recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador através do BNDES”.

Dow Jones bate novo recorde de queda em dia de pânico nas Bolsas em Nova York

O índice Dow Jones Industrial Average, da Nyse (Bolsa de Valores de Nova York), encerrou esta segunda-feira em queda, tendo chegado a registrar durante o dia um novo recorde de perda em pontuação para uma única sessão, 800 pontos. Os mercados europeus e asiáticos também tiveram perdas. Temendo uma recessão global, apesar dos esforços dos Estados Unidos e da Europa para evitar o agravamento da crise financeira, os investidores reagiram em pânico. No fim do dia, o Dow Jones esboçou alguma reação, mas não conseguiu evitar um fechamento negativo: o indicador fechou o dia com perda de 3,58%, ficando com 9.955,50 pontos, abaixo da marca de 10 mil pontos pela primeira vez desde outubro de 2004. A queda de 800 pontos em um único dia superou a marca recorde anterior (777,68 pontos, atingida na semana passada depois que a Casa dos Representantes rejeitou o pacote de US$ 700 bilhões em ajuda financeira no dia 29 de setembro).

Após cair 15%, Bovespa fecha na menor pontuação desde 2007

Esta segunda-feira entrou para a história da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), embora o fechamento dos negócios tenha mostrado um cenário menos catastrófico do que se viu nas primeiras horas de pregão. O Ibovespa encerrou em baixa de 5,43% aos 42.100,79 pontos. A queda é inferior ao declínio registrado no fechamento do último dia 2, por exemplo, quando caiu 7,34%; mas a pontuação é a menor desde 5 de março de 2007 (41.179,6 pontos). O volume financeiro desta segunda totalizou R$ 5,261 bilhões. Mais cedo, contudo, o mercado brasileiro viveu um dia pânico, contaminado pela forte queda dos principais índices acionário ao redor do mundo. A Bovespa acionou duas vezes o mecanismo de “circuit breaker”, o primeiro quando a queda bateu em 10%, aos 18 minutos de pregão. Então os negócios foram interrompidos por meia hora. E o segundo ocorreu às 11h43, quando o índice derreteu até 15% e parou por uma hora, na terceira vez em que isso acontece em sua história. Excepcionalmente para esta segunda-feira foi criado um novo limite de “circuit breaker”, que seria acionado caso ocorresse uma queda de 20%. Na mínima, o Ibovespa chegou a registrar queda de 15,50%, aos 37.617 pontos. Na máxima, alcançou 44.502 pontos, com leve baixa de 0,03%. "A situação é de pura falta de confiança", resumiu o gerente de renda variável de uma corretora no Rio de Janeiro. "A leitura é de que a crise norte-americana contaminou de vez a Europa. E, aqui, apesar de o nosso presidente dizer que estamos imunes, fazemos parte do planeta Terra. Assim, resta saber se vai ficar na marola ou se estamos às portas de um tsunami”, comentou este operador.

Bolsa de Tóquio abre nesta terça-feira em baixa de 4,65%

O índice Nikkei da Bolsa de Valores de Tóquio abriu esta terça-feira com baixa de 487,04 pontos (4,65%), aos 9.986,05 pontos, abaixo dos 10 mil pontos pela primeira vez desde 11 de dezembro de 2003. O segundo indicador principal, o Topix, que reúne todos os papéis mais negociados, perdeu 47,73 pontos (4,78%), aos 951,32 pontos.

União Européia diz que não permitirá falência de grandes instituições

Os governos dos países da União Européia não vão permitir que um grande banco ou companhia de seguros vá à falência, disse o primeiro-ministro e ministro das Finanças de Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, ao fim de uma reunião do Conselho de Ministros das Finanças da zona do euro, do qual é presidente. “Todos concordamos que queremos fazer tudo o que pudermos para evitar que instituições financeiras de importância sistêmica fracassem”, disse Juncker. Os 27 países que compõem a União Européia têm uma variedade de normas nacionais e entidades supervisoras e a União não tem um plano formal para socorrer instituições financeiras. Na reunião desta segunda-feira, os ministros dos 15 países da zona do euro concordaram em coordenar ações de apoio aos bancos que têm operações em mais de um país da região, mas Juncker ressalvou que cada país vai agir "em nível nacional".

Medida Provisória de Lula autoriza Banco Central a socorrer bancos em dificuldade

O presidente Lula assinou nesta segunda-feira Medida Provisória que autoriza o Banco Central a adquirir carteiras de crédito de bancos no País por meio de operações de redesconto. A autoridade monetária também poderá fazer empréstimos em moeda estrangeira a instituições financeiras. Caberá ao Conselho Monetário Nacional definir as garantias a serem aceitas nessas operações. O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, afirmou que a Medida Provisória ajuda a preservar a economia brasileira dos efeitos da crise financeira global, mas que, no momento, ele não vê necessidade de as operações serem postas em prática. "Hoje não vemos necessidade de exercer essa prerrogativa, na medida em que já foram tomadas outras medidas que permitem aos bancos maiores adquirirem as carteiras dos bancos menores", afirmou Henrique Meirelles. "Mas, a boa técnica prudencial diz que é importante que um país tenha um emprestador de última instância com todos os recursos necessários”, acrescentou ele. O Banco Central atualmente já empresta recursos para bancos, mas as operações são de curtíssimo prazo, geralmente overnight. A Lei de Responsabilidade Fiscal já permitia operações de redesconto em prazos mais longos, disse Henrique Meirelles, mas a Medida Provisória era necessária para dissipar questionamentos jurídicos, principalmente no que diz respeito às garantias oferecidas pelos bancos.

Ricaça petista Marta Suplicy venceu só na zona sul de São Paulo, Gilberto Kassab ganhou em toda cidade

O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), surpreendeu a petista ricaça Marta Suplicy e venceu no primeiro turno das eleições em cinco das seis regiões da capital paulista. O democrata teve maior número de votos inclusive na zona leste, que era suposto reduto eleitoral da adversária, onde liderou em 11 das 21 zonas eleitorais. Já nas regiões norte, central e centro sul, o democrata venceu em todas as dez zonas eleitorais. A única região onde a ricaça petista Marta teve mais votos foi a Sul (nove, contra sete de Kassab). Das 57 zonas eleitorais do município, o prefeito venceu em 34. O primeiro turno em São Paulo terminou com a vitória de Kassab, que teve 33,61% dos votos válidos, contra 32,79% da ricaça petista Marta Suplicy.

PSDB decide apoiar Gilberto Kassab no segundo turno em São Paulo

A executiva do diretório municipal do PSDB em São Paulo aprovou, por unamidade, a proposta de apoio a candidatura do prefeito Gilberto Kassab (DEM) no segundo turno. O anúncio será oficializado nesta terça-feira na sede do diretório estadual com a presença dos presidentes dos diretórios municipal, estadual, nacional e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A cerimônia não contará com o candidato derrotado do partido, Geraldo Alckmin, que ficará “descansando” em seu sítio em Pindamonhangaba pelos próximos dias. Durante a plenária, realizada na sede do Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo, que durou cerca de três horas, militantes e integrantes da executiva saudaram os esforços colocados pelos coordenadores da campanha de Alckmin. A divisão do partido nas eleições e a punição dos chamados "infiéis", que haviam apoiado Kassab já no primeiro turno, também foram assunto na pauta.

Pedro Simon elogia gestão das contas públicas do governo Yeda Crusius

Antes de retornar a Brasília para retomar seu trabalho no Congresso Nacional, o senador Pedro Simon (PMDB) reuniu-se com a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), na tarde desta segunda-feira, no Palácio Piratini. Simon elogiou a equipe de governo que produziu o Orçamento para o próximo ano, prevendo déficit zero e a retomada dos investimentos do setor público estadual. "É com satisfação que vejo a atuação da governadora Yeda, trabalhando com austeridade, gerando equilibro fiscal. Tenho certeza de que 2009 será o grande ano de seu governo e do Rio Grande do Sul", afirmou ele. O senador gaúcho destacou ainda a importância para o Estado do financiamento de US$ 1,1 bilhão obtido junto ao Banco Mundial (Bird), para reestruturação da dívida com a União, e disse estar convicto do acerto das ações adotadas pela governadora.

PT elege 11 prefeitos no grupo das 79 cidades com mais eleitores do País

Com 11 candidatos eleitos no primeiro turno e outros 11 disputando o segundo, o PT sai na frente dos principais partidos rivais na disputa para conquistar o chamado G79, o grupo formado pelas 26 capitais do País e pelos 53 municípios com mais de 200 mil eleitores. O PMDB vem na seqüência, seguido por PSDB e DEM. Enquanto o PT pode emplacar 22 prefeitos no G79, o PMDB pode fazer o mesmo em 16 cidades, já que elegeu nove candidatos no primeiro turno e tem sete representantes no segundo. O PSDB vem em seguida, com oito prefeitos que garantiram sua cadeira no primeiro turno e outros cinco que foram para a segunda fase da campanha. O DEM foi o quarto colocado, ao conquistar quadro prefeituras.

Lula marca para a próxima semana reunião para definir sua participação no segundo turno

O presidente Lula vai reunir o conselho político que apóia seu governo, integrado por ministros e parlamentares da base aliada, na próxima semana. A idéia de Lula é fechar com os aliados os lugares em que irá participar direta e indiretamente das campanhas eleitorais no segundo turno das eleições. Nesta segunda-feira, o presidente avisou que não subirá em palanques em que partidos integrantes da base disputam votos.

Ex-paramilitar colombiano diz que grupo incinerava vítimas

Os paramilitares construíram fornos para incinerar os corpos de suas vítimas, enquanto as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, organização terrorista e traficante de cocaína) usam atualmente portadores de deficiências mentais para transportar e instalar explosivos, denunciaram nesta segunda-feira um ex-combatente e um oficial. Jorge Ivan Laverde Zapata, conhecido como El Iguano, ex-chefe das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC, paramilitares) no departamento (Estado) do Norte de Santander, disse que homens do grupo incineraram suas vítimas em fornos construídos principalmente para isso. Os paramilitares construíram em 2001 um primeiro forno em Juan Frío, uma paragem rural do município de Villa del Rosario, no qual incineraram 28 corpos, confessou o ex-comandante do chamado bloco Fronteiras das AUC, em uma versão dentro do processo de Justiça e Paz, que serve de marco legal para a desmobilização paramilitar. El Iguano admitiu que as vítimas foram incineradas nesse lugar, cerca de 800 km ao nordeste de Bogotá, para evitar riscos e eliminar evidências. Em 2003, outro forno foi construído na mesma região e com fins similares, revelou igualmente o ex-chefe paramilitar. Em ambos os fornos teriam sido incineradas cem vítimas, acusadas de pertencer às Farc. Por outra parte, o coronel Marcos Evangelista Pinto, comandante de um batalhão do Exército no departamento de Huila, sul, revelou a emissoras locais que a frente 37 das Farc, sob comando de um guerrilheiro conhecido como Pablo, recruta indigentes e drogados para que instalem explosivos nessa região colombiana.

PSDB sai na frente e elege 201 prefeitos em São Paulo, enquanto PT fica com 61

O PSDB foi o partido que mais elegeu prefeitos no Estado de São Paulo nas eleições. De 639 cidades, o PSDB vai comandar 201, seguida pelo DEM, com 76, e PMDB, 69. O PT conquistou até agora 61 prefeituras. Dos 646 municípios do Estado, sete terão segundo turno: São Paulo, São José do Rio Preto, Guarulhos, Santo André, São Bernardo, Mauá e Bauru. Já o PDT elegeu o prefeito de Campinas, além de vencer em mais 26 cidades.

Aécio Neves minimiza resultado em Belo Horizonte e atribui segundo turno a pouca fama de Márcio Lacerda

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), afirmou nesta segunda-feira que o resultado das eleições no Estado foi "extraordinário". "Estou muito satisfeito com o resultado em Minas Gerais. O PSDB, como havia ocorrido em 2004, mais uma vez é o partido que faz o maior número de prefeitos, crescendo, inclusive, em relação a eleição de 2004. Nessa eleição nós elegemos 159 prefeitos. Na outra, havíamos eleito 150 prefeitos”. Aécio Neves também comentou o resultado em Belo Horizonte: "Estou muito tranqüilo, porque o candidato que apoiei, Márcio Lacerda, do PSB, chegou no segundo turno na frente e o outro candidato, Leonardo Quintão, do PMDB, que chegou com ele, diz que me apóia. Então, é uma situação confortável. É óbvio que, agora no segundo turno, nós vamos ter que politizar um pouco mais a campanha. Mostrar também com mais clareza para os belo-horizontinos de que não se trata de uma aliança eleitoral. Nós construímos foi uma aliança política, uma tese de uma convergência em favor da cidade”. Uma ova, ele deu uma de Feola, mandando Garrincha driblar todos os russos e fazer o gol, sem ter combinado antes com os próprios “russos” (o povo da cidade, que o mandou às favas com sua proposta de candidato único e partido único, tudo para justificar sua candidatura à presidência da República em 2010).

Gabeira reconhece dificuldade para construir alianças

O deputado federal Fernando Gabeira (PV), candidato a prefeito do Rio de Janeiro, admitiu nesta segunda-feira a dificuldade em costurar alianças na disputa de segundo turno contra Eduardo Paes (PMDB). A presença do PSDB na coligação, a oposição ao governo Lula como deputado federal e o possível apoio do prefeito Cesar Maia geram resistência entre os partidos de esquerda. O presidente do diretório municipal do PT, Sebastião Alberes Lima, disse que o partido descarta apoiar Gabeira e discute se fica neutro ou se se alia a Paes. Já o presidente regional do PSB e secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso, informou que "Gabeira é a continuidade de Cesar Maia" e defendeu a formação de uma frente de esquerda para apoiar o candidato do PMDB. Gabeira admitiu a dificuldade de amealhar apoio entre dirigentes de partidos da base de apoio do presidente Lula. "A gente não considera muito viável que PCdoB, PT ou PSB nos apóiem oficialmente", disse, frisando, porém, que vai procurar a ex-candidata Jandira Feghali (PCdoB), que ficou em quarto lugar no primeiro turno.

Para especialista, campanha de Kassab sobre saúde ajudou a conquistar votos

Apesar do crescimento contínuo nas últimas pesquisas de intenção de voto, o resultado do primeiro turno das eleições em São Paulo pegou de surpresa os eleitores paulistanos. Líder nas pesquisas de intenção de voto, a ricaça petista Marta Suplicy ficou atrás do adversário Gilberto Kassab (DEM), com 32,79% dos votos válidos, enquanto o prefeito e candidato à reeleição teve 33,61% dos votos na capital paulista. Para o especialista em ciências políticas Alberto Carlos Almeida, autor do livro "A Cabeça do Eleitor", o resultado surpreendente se deve à acertada estratégia do candidato: martelar suas propostas e realizações na área da saúde. "Durante a campanha inteira foi falado insistente sobre a questão da saúde. Em duas frentes, o que foi feito e o ainda pode ser feito", disse Almeida. "Kassab fez com que o tema fosse abordado até nos programas dos vereadores, repetidas vezes", afirma. Segundo Almeida, a tática fez com que Kassab conseguisse se infiltrar em um eleitorado tradicionalmente petista, entre a população de classe social baixa, daí o crescimento do candidato democrata sobre o eleitorado da ricaça petista Marta Suplicy.

Citigroup quer US$ 60 bilhões por danos no caso Wachovia-Wells Fargo

O grupo financeiro norte-americano Citigroup anunciou nesta segunda-feira que vai reclamar mais de 60 bilhões de dólares por danos e prejuízos de seus concorrentes Wells Fargo e Wachovia por "ruptura de contrato" e "ingerência delitiva". O banco norte-americano Wells Fargo ganhou terreno na batalha pelo banco Wachovia na noite de domingo, ao conseguir a anulação de uma ordem judicial que congelava a fusão com o segundo, que havia sido obtida um dia antes pelo Citigroup. De acordo com comunicado do Wachovia, o Citigroup e Wells Fargo acertaram na tarde desta segunda-feira aguardar uma trégua jurídica até quarta-feira. No último dia 3, o Wells Fargo anunciou a fusão com o Wachovia, incluindo as operações bancárias de varejo da instituição; estas, no entanto, já haviam sido negociadas em um acordo preliminar, feito entre o Citi e o Wachovia e anunciado no dia 29 de setembro, com a assistência da FDIC (Corporação Federal de Seguro de Depósito), órgão do governo que garante operações do setor bancário norte-americano. O Wachovia ficaria apenas com as operações de varejo em corretagem e em negociações de títulos. O Citigroup considerou que o acordo entre o Wachovia e o Wells Fargo foi uma "clara ruptura" do acordo que tinha.

Oposição boliviana diz que cocaleiro trotskista Evo Morales está "desesperado" por reeleição

O presidente do Senado na Bolívia, o opositor Óscar Ortiz, afirmou nesta segunda-feira que o cocaleiro trotskista Evo Morales está "desesperado" para ser reeleito presidente o mais rápido possível e, para isso, quer que seja aprovado um projeto de Constituição que "não tem consenso nacional". "Vemos um desespero no presidente e seu partido porque ele quer a reeleição o mais breve possível", disse Ortiz, legislador do “Podemos” e representante de Santa Cruz, reduto da oposição autonomista. Segundo Ortiz, Morales procura a "reeleição" para aplicar uma Constituição que permita a ele "controlar tudo, as duas câmaras do Congresso, o Tribunal Constitucional, o Tribunal Eleitoral e a Corte Suprema". "Isso é dar uma fachada constitucional ao que na realidade seria uma ditadura com um regime praticamente de partido único, isso é o que estão querendo conseguir e, certamente, nós não estamos de acordo com isso", disse o presidente do Senado.

Primeiro-ministro britânico adverte contra "riscos irresponsáveis"

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, advertiu nesta segunda-feira contra "riscos irresponsáveis", e considerou que os mercados precisam de "moralidade". "Meus valores, os valores do país - a promoção do trabalho, do esforço, da empresa e dos riscos responsáveis - estas são as qualidades de que os mercados precisam para que as recompensas geradas sejam consideradas justas", declarou Brown em um discurso em Londres, na organização judaica UJIA. "Mas, quando assumir riscos ultrapassa a linha que separa o empresariado responsável, que queremos promover, dos riscos irresponsáveis, então é preciso atuar para garantir que os mercados funcionem pelo interesse público", afirmou o premier. Para Brown, "a criação de riqueza não deve constituir um privilégio, mas sim uma responsabilidade".

Justiça Eleitoral investiga denúncia contra Eduardo Paes, que pode perder registro da candidatura

A Justiça eleitoral do Rio de Janeiro investiga denúncia de que o candidato do PMDB à prefeitura do Rio, Eduardo Paes, teria cometido crime eleitoral nesta segunda-feira. Eduardo Paes disputa com o deputado federal Fernando Gabeira (PV) o segundo turno das eleições municipais na capital carioca. Se julgado, o candidato poderá ter o registro de candidatura cassado, segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. De acordo com o presidente em exercício do tribunal, desembargador Alberto Motta Moraes, o TRE recebeu nesta segunda-feira a denúncia de que Paes teria anunciado um comício na praça Saens Peña, na região da Tijuca (zona norte), e teria passado a manhã distribuindo panfletos de sua campanha. Segundo a Justiça Eleitoral, os candidatos que disputarão segundo turno ainda não podem fazer campanha.

Petrobras reavalia plano estratégico em função da crise financeira

A Petrobras admitiu nesta segunda-feira que está reavaliando a revisão de seu planejamento estratégico em função da conjuntura de crise financeira iniciada nos Estados Unidos, mas mantém, por ora, a previsão para o final deste mês sobre a divulgação do novo plano. "Estamos encerrando a revisão de nosso planejamento estratégico, mas vamos ter que dar uma reavaliada com esse novo cenário", afirmou o gerente executivo de Engenharia da Petrobras, Pedro Barusco. A estatal faz nesta terça-feira, em Angra dos Reis (RJ), cerimônia de batismo da plataforma P-51, que contará com a presença do presidente Lula. A primeira-dama, Marisa Letícia, será a madrinha da embarcação. A P-51 produzirá até 180 mil barris/dia de petróleo e 6 milhões de metros cúbicos/dia de gás natural no campo de Marlim Sul. A unidade só começa a operar no final do ano e atingirá o pico de produção no segundo semestre de 2009. O custo total da plataforma foi de US$ 1 bilhão, elevados em função do dólar e da alta do aço. Será a primeira plataforma da Petrobras cujo casco foi construído integralmente no país, na Nuclep. O restante da embarcação foi feito no estaleiro BrasFels, em Angra. Com isso, o índice de conteúdo nacional da unidade ficará em torno dos 75%.

Presidente do Lehman faturou US$ 300 milhões em oito anos

O presidente do banco Lehman Brothers, que pediu concordata nos Estados Unidos em setembro, disse nesta segunda-feira, durante uma sessão no Congresso norte-americano, que recebeu US$ 300 milhões em salários e bônus nos últimos oito anos. Richard Fuld revelou a cifra durante depoimento em uma audiência do Comitê de Supervisão e Reforma do Governo da Câmara dos Representantes, que investiga as causas da crise econômica que atinge o país. O presidente do Comitê, Henry Waxman, perguntou a Fuld se era verdade que ele havia recebido US$ 480 milhões em salários e bônus desde 2000 e se ele considerava justo ter ganhado tudo isso. Fuld corrigiu a cifra, dizendo ter recebido US$ 300 milhões. Waxman criticou Fuld por ter pedido bônus milionários para os executivos da Lehman Brothers poucos dias antes do colapso do banco, no mês passado. "Em outras palavras", disse Waxman, "enquanto o secretário americano do Tesouro, Henry Paulson estava fazendo campanha por um resgate federal, o Lehman continuava a torrar milhões em compensações para os executivos".

Tesouro dos Estados Unidos anuncia licitação para implementar pacote de US$ 700 bilhões

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira a licitação para contratar empresas financeiras que irão prestar serviços a fim de abrir caminho para colocar em funcionamento o pacote de US$ 700 bilhões aprovado na semana passada pelo Congresso. Os serviços procurados pelo Tesouro são: custódia, contabilidade, gerência de leilões e outros serviços de infra-estrutura; serviços de gestão de valores mobiliários e títulos de crédito; e serviços de gestão de empréstimos no atacado. O comunicado do Tesouro diz que a licitação está aberta para receber propostas de empresas financeiras até o próximo dia 8.

Governo boliviano reforçará presença militar na fronteira com Brasil

O governo da Bolívia anunciou nesta segunda-feira que reforçará a presença militar no departamento (Estado) de Pando, no norte do país, que faz fronteira com Brasil e Peru. Será instalado um Comando Amazônico quando terminar o estado de sítio declarado pelo governo há quase três semanas por causa da intensificação dos conflitos armados na região. O ministro da Defesa boliviano, Wálker San Miguel, declarou que "a presença militar vai permitir a geração de uma verdadeira institucionalização" em Pando, onde o Executivo decretou o estado de sítio em 12 de setembro após a onda de violência entre opositores e membros do exército SA pró-governo que deixou pelo menos 18 mortos.

Ayres Britto diz que TSE vai julgar processos contra eleitos até a data da diplomação

O Tribunal Superior Eleitoral vai acelerar o julgamento dos processos de políticos que tiveram as candidaturas impugnadas, mas disputaram as eleições deste domingo. O presidente do tribunal, Carlos Ayres Britto, disse que os processos serão julgados até a data da diplomação dos eleitos, em 18 de dezembro. "Esses processos serão objeto de planejamento para que todos estejam julgados antes da data limite da diplomação. Vamos priorizar pedidos de registros de candidaturas pendentes de recurso, de quem tem a chance de disputar o segundo turno", afirmou Britto.

Furlan assume presidência da Sadia

O ex-ministro Luiz Fernando Furlan foi anunciado nesta segunda-feira como novo presidente do Conselho de Administração da Sadia, no lugar de Walter Fontana Filho. Ele foi convidado para reassumir o cargo pelo conselho da empresa. Em reunião extraordinária do conselho, Fontana Filho e Eduardo Fontana d'Avila, presidente e vice-presidente do conselho, respectivamente, pediram renúncia de seus cargos. Furlan presidiu a Sadia por dez anos e deixou o cargo há seis para assumir o Ministério do Desenvolvimento a convite do presidente Lula. Ele diz que está voltando para a empresa porque foi convocado para, num momento de turbulência, dar tranqüilidade ao grupo. A empresa anunciou há alguns dias perdas de mais de R$ 700 milhões em operações cambiais. De acordo com Furlan, a empresa exporta atualmente US$ 300 milhões e deve manter o investimento em seis novas fábricas que devem ser inauguradas ainda este ano no País.

Ricardo Berzoini diz que PT vai partir para o confronto e comparar projetos sociais de Marta e Kassab em São Paulo

No esforço de garantir a vitória da candidata Marta Suplicy em São Paulo, o PT vai partir para o confronto direto e mostrar as diferenças nos projetos sociais executados por ela e pelo adversário, o candidato do DEM, Gilberto Kassab. A idéia é apresentar a petista como o nome que defende a inclusão dos mais pobres e menos favorecidos, enquanto o democrata seria o contrário. O presidente nacional do PT, deputado federal Ricardo Berzoini (SP), disse que os petistas intensificarão a campanha neste segundo turno para mostrar as diferenças entre os governos da ricaça petista Marta Suplicy e Gilberto Kassab na prefeitura de São Paulo.

Crise financeira derruba petróleo, que cai abaixo dos US$ 90,00

Os preços do petróleo caíram abaixo dos US$ 90,00 nesta segunda-feira em Nova York, em conseqüência do agravamento da crise financeira originada nos Estados Unidos, que gera temores de uma forte desaceleração da demanda de petróleo cru no futuro. Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de West Texas Intermediate (designação do "light sweet crude" negociado nos Estados Unidos) para entrega em novembro terminou a US$ 87,81, em queda de US$ 6,07, depois de chegar a ser negociado a US$ 87,56 dólares, nível que não é registrado desde fevereiro. "O raciocínio é simples para os investidores, uma contração da economia significa uma diminuição da demanda e, conseqüentemente, dos preços", explicou John Kilduff, da MF Global. Segundo estatísticas do departamento de Energia americano, o consumo de produtos derivados do petróleo no país caiu 7,1% nas últimas quatro semanas em relação ao mesmo período do ano passado, a 19 milhões de barris diários.

TSE deve manter tropas federais no Rio de Janeiro até o segundo turno das eleições

O Tribunal Superior Eleitoral deve manter as tropas federais no Rio de Janeiro até a conclusão do segundo turno das eleições municipais para assegurar a segurança da disputa. O presidente do TSE, ministro Carlos Ayres Britto, defendeu nesta segunda-feira a permanência das tropas ao afirmar que o tribunal pretende definir em curto prazo sobre a presença do militares no local, após receber o pedido oficial do presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, Alberto Motta Moraes. "O governador do Rio, Sérgio Cabral, pediu explicitamente a permanência das forças. Estamos no aguardo do pronunciamento do presidente do TRE que tem a jurisdição imediata sobre o Rio. Até o começo da noite, deveremos deliberar", disse Britto. O presidente do TSE afirmou que a presença dos militares do Rio assegurou a tranqüilidade no primeiro turno das eleições tanto para os candidatos quanto para a imprensa e a população em geral.

PSDB elege maior bancada e supera PT na Câmara Municipal de São Paulo

O PSDB foi o partido que mais elegeu vereadores nas eleições deste ano em São Paulo. Ao todo, o partido conseguiu 13 das 55 vagas do Legislativo municipal, o mesmo número de vereadores eleitos nas eleições de 2004. O PT, que também conseguiu 13 cadeiras nas eleições passadas, desta vez elegeu dois a menos, ficando com 11 cadeiras. O tucano Gabriel Chalita foi o campeão de votos, com 102.048. Em seguida, Goulart (PMDB) foi quem mais recebeu votos, com 90.054. O terceiro mais votado foi o cantor e apresentador de TV Netinho de Paula (PCdo B), que obteve 84.406. O DEM, de Gilberto Kassab, foi o terceiro partido que mais elegeu, somando sete vereadores. Desempenho superior ao de 2004, quando o então PFL elegeu apenas dois. O pior desempenho quando comparado às eleições anteriores foi do PTB, que na ocasião elegeu sete e desta vez apenas três. PMDB e PP também apresentaram desempenhos inferiores. Neste ano cada um elegeu dois vereadores, enquanto em 2004 cada partido conseguiu quatro vagas. O PR, que surgiu da junção dos antigos PL e Prona, elegeu cinco nomes.

Greves reduzem produção de veículos em setembro

A produção de veículos em setembro foi afetada negativamente devido as greves de funcionários nas montadoras e autopeças que ocorreram no mês passado. Segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), o mês passado fechou com queda de 4,3% em relação a agosto deste ano. "Isso se deve muito as greves de setembro, que ocorreram em função das negociações salariais", afirmou o presidente da Anfavea, Jackson Schneider. De acordo com a entidade, em setembro foram produzidos 298.367 veículos, ante 311.628 unidades concluídas no mês anterior. Mesmo com a variação mensal negativa, a produção em setembro deste ano foi 18% maior que o mesmo mês de 2007, quando foram produzidos 252.930 veículos. Mas se a produção caiu no mês passado, o mesmo não foi verificado nas vendas, que registrou alta de 9,8% em relação a agosto. Segundo a Anfavea, foram licenciados, indicador de vendas, 268,7 mil veículos em setembro contra 244,8 mil unidades no mês anterior.

PTB paulista marca reunião para decidir apoio a Gilberto Kassab

O deputado estadual Campos Machado, presidente estadual do PTB e vice do candidato derrotado à prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), marcou para quarta-feira uma reunião para decidir quem seu partido vai apoiar no segundo turno das eleições municipais em São Paulo. O encontro com os líderes do partido no Estado deve referendar o nome do prefeito Gilberto Kassab (DEM), que tenta se reeleger. Apesar de na reta final Machado redobrar os esforços do PTB para eleger Alckmin, ele cogitava essa reunião desde a semana passada, quando as pesquisas de intenções de voto apontavam um segundo turno entre o democrata e a petista Marta Suplicy.

DEM decide apoiar PSDB no segundo turno das eleições

Em reunião realizada nesta segunda-feira, o DEM decidiu encaminhar à Executiva Nacional do partido a proposta de apoiar o PSDB nas eleições municipais em que a legenda não está disputando o segundo turno. "Fizemos uma avaliação do quadro político nacional após a finalização do primeiro turno das eleições municipais e concluímos que o melhor caminho é apoiar o PSDB nas cidades em que não estamos no segundo turno", afirmou o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), candidato à reeleição. Participaram da reunião em São Paulo o presidente nacional do partido, deputado federal Rodrigo Maia (RJ); o presidente de honra, Jorge Bornhausen (SC), o presidente do Instituto Tancredo Neves, deputado federal José Carlos Aleluia (BA), e Kassab.

Banco Central anuncia linha de crédito em dólares e amplia linha do BNDES

O governo Lula vai utilizar parte do dinheiro das reservas internacionais para garantir crédito em dólares para os exportadores brasileiros e ajudar a diminuir a pressão sobre o câmbio. Também foi anunciado o aumento de uma linha de financiamento do BNDES para financiar as exportações. As medidas foram anunciadas nesta segunda-feira pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, e pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, após o dólar romper o patamar de R$ 2,15 e a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) ter o pregão interrompido duas vezes, por causa de quedas no Ibovespa que superaram os 10% e os 15%. A primeira medida vai funcionar como um empréstimo em dólares. O Banco Central irá comprar títulos dos bancos no Exterior, que serão pagos com o dinheiro das reservas. Haverá, no entanto, um contrato de recompra dos mesmos dólares. Esse mecanismo vai funcionar como um empréstimo em moeda norte-americana. A garantia para o empréstimo serão os títulos oferecidos pelos bancos, que terão de ser papéis de primeira qualidade, como emissões feitas pelo governo do Brasil. O Banco Central só anunciará o volume de dinheiro que será liberado no momento das operações, que serão feitas por meio de leilões. Os detalhes serão divulgados nesta terça-feira. Segundo Meirelles, esse é um "uso inteligente das reservas internacionais do Brasil", já que os dólares não serão vendidos, mas emprestados aos bancos. Dessa forma, será possível manter o nível atual das reservas internacionais, que superam os US$ 200 bilhões. "Estamos procurando manter as reservas em seu patamar elevado. É uma orientação do presidente que nós temos cumprindo", disse Mantega, ao explicar que as reservas serão usadas de forma inteligente para financiar o comércio exterior. "Vamos disponibilizar parte de reservas para banco brasileiros que vão financiar o comércio exterior. É só uma mudança de aplicação", definiu o ministro. Segundo ele, o dinheiro será tirado de um banco internacional e colocado em um banco brasileiro, o que manterá o nível das reservas e, ao mesmo tempo, "irrigará o sistema bancário". A outra medida é o aumento da linha de financiamento pré-embarque do BNDES, que terá mais R$ 5 bilhões (cerca de US$ 2,5 bilhões). Os recursos vão sair do caixa do governo. Essa linha financia a produção do bem que vai ser exportado.

Polícia Federal investiga vazamento de informações de operação que apurou empresa da família Sarney

A Polícia Federal instaurou inquérito para investigar o vazamento de informações da Operação Boi Barrica, que identificou indícios de que a família do empresário Fernando Sarney utilizou uma factoring para formar Caixa 2 utilizada nas eleições de 2006. O ministro da Justiça, Tarso Genro, disse que, como inquérito tramita em segredo de Justiça, a Polícia Federal tem que apurar o vazamento de informações. Tarso Genro negou, peremptoriamente, que a Polícia Federal tenha agido politicamente para prejudicar o senador José Sarney (PMDB-AP), pai de Fernando. Segundo o peremptório ministro, o vazamento de informações ocorreu no envio do processo para o Ministério Público. "Quando foi para o Ministério Público, para o âmbito do Judiciário, o processo vazou, e vazou ilegalmente. Então, a Polícia Federal está investigando para ver quem fez esse vazamento. Quanto ao conteúdo do inquérito, como este em segredo de Justiça, eu não posso comentá-lo e ele não deveria ter sido divulgado por quem o fez”.

Ministro Tarso Genro diz que eleições mostram ausência de partidos com vocação nacional

O ministro da Justiça, Tarso Genro (PT), disse nesta segunda-feira que PT, PSDB e PMDB saíram "fortalecidos" nas eleições municipais deste ano, mas afirmou que os partidos estão enfraquecidos nacionalmente por terem como prioridade questões políticas regionais. O peremptório ministro Tarso Genro, que se pretende grande analista político, disse que as alianças firmadas nos municípios comprovam a "ausência" de partidos fortes nacionalmente. "Em cada região, nós tínhamos alianças diferentes em todos os partidos. Há predominância das questões regionais e os partidos estão sem uma vocação nacional, não têm uma identidade nacional firme. Isso leva o sistema político ao esgotamento, por isso uma reforma política seria bem-vinda para não sufocar, mas para valorizar ainda mais os partidos políticos", afirmou ele.

Governo boliviano pretende mudar Constituição antes de referendo

O governo da Bolívia, do presidente cocaleiro trotskista Evo Morales, planeja mudar no Congresso o capítulo de autonomias do projeto de nova Constituição antes de submetê-lo a referendo, afirmou nesta segunda-feira o vice-ministro de Coordenação com os Movimentos Sociais, Sacha Llorenti. O vice-ministro disse que "imediatamente antes do plebiscito" será incorporado ao projeto constitucional os progressos sobre autonomias alcançadas juntos aos governadores de oposição no diálogo de Cochabamba. Llorenti disse ainda que "provavelmente será o Congresso que terá que incorporar estes acordos no novo texto constitucional", que foi aprovado pela Assembléia Constituinte em dezembro passado. O governo e a oposição autonomista deram por finalizado neste domingo, sem que se assinasse nenhum acordo, o processo de diálogo aberto em Cochabamba para pacificar o país. O Congresso se torna agora o palco da crise, já que o oficialismo pretende aprovar a lei de convocação dos referendos que a nova Carta requer para entrar em vigor, o que é plenamente rejeitado pela oposição.

Ministro Guido Mantega diz que mercado está em "momento de irracionalidade"

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta segunda-feira que a queda de mais de 15% verificada na Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) durante o dia e a disparada do dólar refletem um "momento de irracionalidade" do mercado financeiro. Mantega destacou que é um reflexo da crise financeira dos Estados Unidos e das perdas de grandes bancos lá e na Europa. Apesar de considerar que esse movimento é passageiro, o governo Lula anunciou nesta segunda-feira mais duas medidas para minimizar os efeitos da crise.

Perfil de bancos brasileiros livra Brasil de uma crise hipotecária

Até mesmo o governo do presidente Lula já admite que a crise financeira dos Estados Unidos poderá reduzir o ritmo de crescimento da economia brasileira em 2009. Economistas descartam, no entanto, que o país possa enfrentar algo nos moldes da crise hipotecária, que começou nos Estados Unidos e já deixa seqüelas na Europa. Segundo o economista Jason Freitas Vieira, economista-chefe da Uptrend Consultoria Econômica, a diferença de perfil entre os bancos brasileiros e os norte-americanos impede que a crise de crédito hipotecário de alto risco ("subprime") atinja o sistema financeiro por aqui. Além de ter operações menos alavancadas, os bancos brasileiros dispõem de um varejo capaz de garantir a entrada generosa de recursos. "O perfil é diferente dos bancos aqui e nos Estados Unidos e isso define que não vamos ter crise de hipotecas. Somos menos alavancados e a base de varejo é muito grande nos bancos brasileiros, o que garante recursos. Também não temos ativos podres com alto risco de calote. A crise hipotecária é baseada em empréstimos sem vergonha, os 'subprime', com lastro ruim, que era a especulação imobiliária", explica Vieira. A atitude dos Estados Unidos beira a irresponsabilidade, conforme o economista. Segundo ele, há pelo menos três anos o governo e o sistema financeiro têm sido avisados dos riscos a que a economia norte-americana se submetia, financiando clientes, de modo geral, de baixa renda, por vezes com histórico de inadimplência e com dificuldade de comprovar capacidade de pagar dívidas.

Ministro Luiz Dulci diz que crise pode atingir o Brasil, mas que governo Lula está preparado

O ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Luiz Dulci, disse nesta segunda-feira que há possibilidade de contaminação da crise internacional na economia brasileira, mas afirmou que o presidente Lula acompanha atentamente os desdobramentos e que as providências devidas serão tomadas. O ministro afirmou que a economia nacional é "sólida' e "não se pode dar aos problemas um peso que eles não têm". "Não há falta de seriedade ou desatenção em relação aos efeitos da crise internacional. Não se pode dar aos problemas um peso que eles não têm", afirmou Luiz Dulci. "Seremos afetados de alguma maneira, como todos os países, mas a solidez na nossa economia nos permite enfrentar com seriedade e o presidente já disse, a medida que nós formos detectando problemas, se houver problema na agricultura, medidas serão tomadas para fortalecer os setores que vierem a ser impactados", disse Luiz Dulci.

Ministro Edison Lobão nega interferência de filho de José Sarney no seu ministério

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, negou nesta segunda-feira ter conversado com o empresário Fernando Sarney, filho do senador José Sarney (PMDB-AP) sobre indicações para cargos no ministério ou na Eletrobrás. Ele disse ainda que não existe tráfico de influência no Ministério de Minas e Energia. "Não conversei hoje, não conversei ontem, não conversei jamais. Não existe tráfico de influência no ministério, apenas não existe. As decisões do Ministério de Minas e Energia são tomadas pelo ministro e pelo presidente da República, por ninguém mais", afirmou ele. A Polícia Federal do Maranhão acusa o empresário Fernando Sarney de tráfico de influência no Ministério de Minas e Energia e nas estatais associadas, como Eletrobrás e Eletronorte, além da Caixa Econômica Federal, para favorecer negócios privados.

Lula deverá subir nos palanques de Marta Suplicy e Luiz Marinho, e evitará Rio de Janeiro e Porto Alegre

O presidente Lula deverá evitar choques com a base aliada no segundo turno das eleições municipais. Para isso, ele vai se esforçar para escapar dos palanques de partidos que apóiam o governo federal e que disputam prefeituras entre si. Ele já definiu que irá a São Paulo e São Bernardo do Campo (região metropolitana de São Paulo), e vai evitar Rio de Janeiro e Porto Alegre. Como no Rio de Janeiro os candidatos Eduardo Paes (PMDB) e Fernando Gabeira (PV) pertencem a partidos que apóiam seu governo, Lula não pretende interferir no processo eleitoral. Em Porto Alegre, a situação é semelhante. Na disputa entre o atual prefeito José Fogaça (PMDB) e Maria do Rosário (PT), o presidente não quer causar transtorno com os peemedebistas. Mas, deverá incentivar a participação de seus ministros na campanha da petista Maria do Rosário. Para justificar sua distância das campanhas eleitorais, Lula marcou viagens para Espanha, Índia e Moçambique, além do Haiti.

Em meio ao pânico, Banco Central brasileiro coloca mais US$ 1,468 bilhão no mercado com leilão cambial

O leilão de swap cambial realizado pelo Banco Central no final da manhã desta segunda-feira colocou US$ 1,468 bilhão no mercado financeiro, cerca de 70% dos US$ 2,1 bilhões ofertados pela instituição. A medida foi anunciada após a cotação do dólar ultrapassar a casa dos R$ 2,15. Nesses leilões o Banco Central oferece proteção contra a alta do dólar. Em troca, recebe a variação da taxa de juros. Dessa forma, em tese, pode ajudar a segurar a alta da moeda norte-americana, que disparou na manhã desta segunda-feira. O Banco Central não realizava esse tipo de operação desde maio de 2006. Nos últimos tempos, o Banco Central vinha realizando uma operação inversa, o "leilão de swap cambial reverso", no qual a instituição oferecia proteção contra a queda do dólar. Mas, com a alta do dólar, a demanda do mercado mudou de rumo. No mês passado, o Banco Central chegou a vender US$ 1 bilhão à vista no mercado quando o dólar chegou a R$ 1,90.

Soninha nega apoio a Gilberto Kassab e Marta Suplicy

A vereadora e candidata derrotada à prefeitura de São Paulo, Soninha Francine (PPS), disse nesta segunda-feira que não subirá no palanque de nenhum dos candidatos, de Marta Suplicy (PT) e Gilberto Kassab (DEM), que disputam a eleição municipal no segundo turno, apesar de reconhecer que seu partido deve apoiar o democrata. Nos planos de Soninha está uma visita ao Rio de Janeiro para demonstrar apoio a Fernando Gabeira (PV), que concorre com Eduardo Paes (PMDB) na eleição municipal no Rio de Janeiro. "Vou apoiar o Fernando Gabeira enfaticamente. O PPS apoia o Gabeira no Rio de Janeiro e acho ótimo e quero muito ir lá", disse ela.

Prejuízos e nacionalizações marcam crise financeira na Europa

Prejuízos de bilhões de dólares e necessidade de intervenção governamental para evitar quebras em série em instituições financeiras, que poderiam acelerar uma recessão em escala global, são os efeitos da atual crise financeira entre os bancos europeus. O mercado imobiliário dos Estados Unidos viveu um "boom" logo após a crise das empresas "pontocom", em 2001. A expansão no mercado imobiliário acabou por chegar a um nicho ainda não explorado: o de clientes "subprime", que representava um risco maior de inadimplência e que, por isso mesmo, prometia retornos mais altos. Esses retornos atraíram instituições norte-americanas e estrangeiras, que compraram esses títulos "subprime" das companhias hipotecárias e permitiram que uma nova quantia em dinheiro fosse emprestada, antes mesmo do primeiro empréstimo ser pago. Esse sistema gerou uma cadeia de venda de títulos. Em um mercado financeiro cada vez mais integrado (resultante da globalização nos últimos anos), o efeito do não-pagamento de um empréstimo na ponta (quem toma o empréstimo) gera um ciclo de não-recebimento por parte dos compradores dos títulos. Isso cria uma desconfiança generalizada que se espalha por praticamente todas as categorias de crédito. O resultado é uma relutância cada vez maior por parte das instituições financeiras em oferecer crédito, e o reflexo dessa desconfiança é a paralisia em curso nos mercados financeiros. Muitas das instituições européias hoje beirando a falência acabaram assim com papéis "podres" (de resgate muito improvável, ou seja, sob sério risco de calote) em suas reservas, adquiridos de instituições norte-americanas. Um dos primeiros passos logo no início da dança da crise foi a decisão do banco francês BNP Paribas, em agosto de 2007, de congelar cerca de 2 bilhões de euros em fundos, citando as preocupações sobre o setor de crédito "subprime" (de maior risco) nos Estados Unidos. Até então, um termo que não ocupava tanto espaço no vocabulário do mercado financeiro. A Federação Européia de Bancos considerou o sistema bancário europeu sólido o bastante para passar pela crise financeira e garantir as economias de seus clientes. A vítima mais recente entre as instituições européias atingidas pela crise foi o banco hipotecário alemão Hypo Real Estate (HRE). O governo alemão, em parceria com outros bancos privados, fecharam um pacote de 50 bilhões de euros (cerca de US$ 69 bilhões ou R$ 141,3 bilhões) para salvar o Hypo. Além disso, a chanceler alemã, Angela Merkel, sinalizou com uma garantia do governo a todos os depósitos bancários no país, que chegam a 568 bilhões de euros (cerca de R$ 1,5 trilhão). O governo alemão tenta, assim, se mobiliza para tentar evitar que a crise financeira se transforme em uma crise econômica. Mas, esta crise econômica já está às portas da França e da Irlanda, e os dois países vivem em recessão há dois trimestres. O suíço UBS, um dos primeiros e dos mais atingidos pelos efeitos da crise, teve no segundo trimestre deste ano um prejuízo de US$ 328,45 milhões, ligado ao setor de créditos "subprime" e já cortou 6.000 empregos desde o ano passado. No Reino Unido, o Northern Rock, uma das principais instituições hipotecárias do país, foi nacionalizado neste ano. O britânico Bradford & Bingley (B&B), uma das grandes operadoras de hipotecas do país, também foi nacionalizado, com parte de suas operações vendida ao espanhol Santander. Bélgica, França e Luxemburgo também se uniram para salvar o banco franco-belga Dexia, com uma injeção de US$ 9,2 bilhões. O grupo bancário e de seguros belgo-holandês Fortis também se viu em meio a problemas causados perla crise. As ações do banco já caíram mais de 70% neste ano. Autoridades financeiras da Holanda, Bélgica e Luxemburgo anunciaram a nacionalização de parte do grupo, colocando cerca de US$ 18 bilhões para evitar o colapso da instituição. Os governos dos quatro países europeus do G8 (Alemanha, França, Itália e Reino Unido) chegaram a um acordo para processar os responsáveis de bancos que precisem de ajudas públicas. O presidente da França, Nicolas Sarkozy, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e dos primeiros-ministros do Reino Unido, Gordon Brown, e da Itália, Silvio Berlusconi, apelaram para uma "cúpula internacional o mais breve possível com os Estados mais interessados na reforma do sistema financeiro mundial". A reforma que pretendem ver efetuada envolve a regulamentação de todas as instituições envolvidas com o sistema financeiro, e não só os bancos; uma modificação das normas contábeis para evitar bolhas especulativas; um controle político mais presente das instituições internacionais encarregadas de regular os mercados para garantir a coerência de suas ações; e a criação, em tempos de crise, de um grupo de trabalho entre supervisores do mercado, bancos centrais e Ministérios de Finanças.

Com demissão de mil pessoas, eBay corta 10% dos funcionários

O eBay anunciou nesta segunda-feira uma redução drástica em seu quadro de funcionários. As demissões vão atingir mil pessoas, cerca de 10% dos empregados da companhia, entre fixos e temporários. "Nunca é uma decisão fácil, mas essa redução irá ajudar na melhoria das nossas operações e teremos mais força para continuar investindo no crescimento", disse o executivo-chefe do eBay, John Donahoe. Mesmo com a redução, o eBay está adquirindo alguns sites e expandindo seus interesses. A companhia, que sofreu uma queda em seus negócios nos últimos anos, anunciou que irá comprar o Bill Me Later por US$ 820 milhões (R$ 1,8 bilhão). O sistema oferece ao consumidor financiamentos com prazos mais longos. Além do Bill Me Later, o eBay está adquirindo o site de classificados dba.dk e o site de veículos bilbasen.dk por US$ 390 milhões (R$ 850 milhões).

Captação da caderneta de poupança recua pelo terceiro mês seguido

A captação da caderneta de poupança ficou em R$ 1,461 bilhão em setembro (diferença entre depósitos e saques realizados no mês), abaixo dos resultados registrados nos dois meses anteriores. Segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo Banco Central, no mês passado, os depósitos somaram R$ 95,7 bilhões e os saques, R$ 94,3 bilhões. Com esse resultado, o saldo acumulado de depósitos na caderneta de poupança chegou a R$ 257,6 bilhões. A procura pela caderneta de poupança caiu cerca de 50% nos nove primeiros meses deste ano. Entre janeiro e setembro, os depósitos feitos pelos poupadores superaram os saques em R$ 10,017 bilhões, ante R$ 19,719 bilhões captados no mesmo período do ano passado. Em 2007, a poupança terminou o ano com uma captação recorde de R$ 33,38 bilhões. Apesar da queda até setembro, a expectativa é que, em 2008, a poupança registre o segundo melhor resultado desde 1995.

Balança registra superávit de US$ 129 milhões no início de outubro

A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 129 milhões nos três primeiros dias de outubro. O resultado é a diferença entre exportações de US$ 2,561 bilhões e importações de US$ 2,432 bilhões. O saldo comercial registrado na primeira semana do mês de outubro, pela média diária, ficou 72,4% abaixo do apresentado em todo o mês de outubro de 2007 (US$ 156 milhões) e 65,7% inferior ao superávit médio diário registrado durante setembro último (US$ 125,5 milhões). De janeiro à primeira semana de outubro (192 dias úteis), as exportações acumularam US$ 153,429 bilhões, com média diária de US$ 799,1 milhões, um incremento de 28,6% sobre o desempenho médio diário apresentado no mesmo período de 2007 (US$ 621,5 milhões). Na mesma comparação, observou-se um crescimento de 51,8% nas importações brasileiras.

Banco Central Europeu faz nova injeção de US$ 50 bilhões no sistema bancário

O Banco Central Europeu injetou nesta segunda-feira US$ 50 bilhões com vencimento nesta terça-feira e a uma taxa de juros marginal de 4% em uma operação extraordinária para colocar liquidez no mercado. O Banco Central Europeu informou que 59 bancos participaram desta operação de refinanciamento e pediram US$ 90,868 bilhões. Na sexta-feira, o Banco Central Europeu injetou mais US$ 50 bilhões com vencimento nesta segunda-feira e a uma taxa de juros marginal de 2,51%. Além disso, no dia 30 de setembro, a instituição havia feito uma injeção de pouco mais de US$ 60 bilhões em duas etapas, rimeiro uma injeção de US$ 30 bilhões a uma alta taxa de juros marginal de 11% e, horas depois, uma outra, de US$ 30,74 bilhões, à taxa de juros de 0,5%, com vencimento de um dia em ambos os casos. O Federal Reserve (Fed, banco central americano) e o BCE decidiram duplicar seu acordo de divisas recíproco (swap line) para aumentar a oferta de liquidez em dólares na zona do euro. No dia 29 de setembro, o Federal Reserve (Fed, o BC americano) anunciou, em conjunto com o BCE e outros oito bancos centrais a ampliação de seus acordos de trocas recíprocas de divisas ("swap lines") para US$ 620 bilhões, contra um volume de US$ 290 bilhões anunciado inicialmente. As trocas feitas dessa forma permitem injetar liquidez em dólares nos mercados que controlam. Os demais bancos centrais envolvidos são o Banco do Canadá, o Banco da Inglaterra, o Banco Nacional da Dinamarca, o Banco da Noruega, o Banco do Japão, o Reserve Bank (da Austrália), o Sveriges Riksbank (da Suécia) e o SNB (Banco Nacional da Suíça).

Fiat dá férias coletivas e desacelera produção de carros em Betim

Cerca de 1.700 funcionários da Fiat, de um total de 15 mil, entrarão em férias coletivas a partir do próximo dia 13, na unidade de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a empresa, a parada reduzirá em 13% a produção de automóveis na unidade, que está em 70 mil carros por mês, e deve durar entre 10 e 20 dias. A GM do Brasil anunciou no sábado que vai parar a produção de algumas linhas e conceder férias coletivas para mais de 12 mil funcionários nas três unidades de São Paulo. De acordo com a assessoria de imprensa da Fiat, a parada parcial será utilizada para "administrar a produção", após a fábrica em Betim trabalhar em seu "limite da capacidade" para atender a demanda por veículos novos da marca no País. Segundo a empresa, não há previsão de demissões por conta da redução de vendas de carros no Brasil, devido, principalmente, ao aumento das taxas de crédito. A unidade em Betim possui quatro linhas de produção, que trabalham em três turnos. As férias coletivas atingirão apenas dois turnos de uma linha. A GM vai paralisar a produção entre 20 de outubro e 2 de novembro para cerca de 2.000 funcionários da unidade de São José dos Campos e para todos os 10.000 em São Caetano. Em Mogi das Cruzes, a medida vai atender parte dos cerca de 800 funcionários. Em São José dos Campos serão paralisadas as linhas de produção do Corsa, Zafira e Montana e na Powertrain. Em São Caetano param a produção de Corsa, Vectra e Astra. Os fabricantes de automóveis assistem à queda generalizada nas vendas nos Estados Unidos em decorrência da crise financeira que atinge o país. A Ford e o grupo Chrysler registraram, respectivamente, quedas de 34% e 33% nas vendas, enquanto as japonesas Toyota e Honda, que até agora vinham se mostrando como as mais resistentes às oscilações do setor, viram as compras de veículos despencar 29,5% e 20,9%. Com uma retração de 15,8%, a GM vendeu um total de 284 mil unidades nos Estados Unidos, contra 337.640 de um ano atrás.

Juliana Brizola atribui sucesso nas urnas ao avô

Juliana Brizola (PDT), 33 anos, reconhece que a força do sobrenome herdado do seu avô impulsionou a sua candidatura à Câmara Municipal de Porto Alegre e a sua eleição, entre as mais votadas. A advogada é neta de Leonel de Moura Brizola, o mítico ex-governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro. Ela entrou na política em 2004, logo após a morte do avô. Ela reconhece um dia depois das eleições: “Por onde andei, percebi muito carinho pelo meu avô. Ouvi histórias de gratidão, de pessoas que ele teria ajudado. Acho que isso demonstra toda a credibilidade que ele teve, se doou a vida inteira por um projeto de um País melhor, mais justo. Acho que o voto tem muito ver com isso”. Juliana Brizola é militante política desde os 18 anos. É advogada, tem mestrado em Ciências Criminais e é presidente da Juventude do PDT do Rio Grande do Sul. Ela obteve 9.247 votos e ficou em sexto lugar entre os mais votados, e foi a mais votada da bancada do seu partido, que elegeu cinco parlamentares.

Justiça gaúcha recebeu parte do inquérito da Operação Solidária

Os deputados federais Eliseu Padilha (PMDB) e José Otávio Germano (PP) entregaram ao Supremo Tribunal Federal suas defesas no inquérito que investiga fraudes em licitações em prefeituras de cidades da região metropolitana de Porto Alegre. O processo agora será remetido à Procuradoria Geral da República. Cabe ao procurador Antônio Fernando de Souza analisar a documentação e decidir se solicita novas diligências. Eliseu Padilha e José Otávio Germano são alvo de investigações da Operação Solidária da Polícia Federal.

Faturamento da indústria gaúcha tem queda de 5,6% em agosto

O faturamento real da indústria gaúcha caiu 5,6% em agosto, em comparação com o mesmo mês de 2007. O dado foi divulgado nesta segunda-feira pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS). O valor já vinha desacelerando desde março deste ano. Mesmo com este resultado negativo, o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), medido pela FIERGS, conseguiu uma pequena expansão de 2,5%, principalmente pela influência das variáveis ligadas ao mercado de trabalho. As indústrias focadas nas vendas externas tiveram baixa de 12,1% na margem de lucro de agosto deste ano em comparação com 2007. Os desempenhos negativos mais expressivos foram registrados nos setores de fumo (-23,9%), refino de petróleo (-10,1%) e couros e calçados (-4,4%). Apesar da queda no desempenho, o número de vagas abertas e o valor dos salários pagos subiu no mesmo período. As oportunidades de emprego na indústria do Estado cresceram 8,4% e o salário pago aos trabalhadores subiu 4%. Os setores que mais contrataram foram máquinas e equipamentos (22,4%), veículos automotores (13,5%) e alimentos (7,4%). De acordo com o presidente da Fiergs, os efeitos da crise norte-americana ainda não afetaram o mercado interno, mas não se sabe até quando esta condição irá permanecer.

Banco Morgan Stanley diz que previsão de recessão global já é consenso

Analistas do banco Morgan Stanley afirmaram nesta segunda-feira que todas as economias industrializadas ficarão estagnadas em 2009. Os mesmos analistas dizem que apenas a profundidade e duração da recessão é que permanecem incertas. Diz a análise do banco Morgan Stanley: “Estamos vivendo um círculo vicioso de aperto no crédito e deterioração na qualidade de crédito, combinados com sustentação menor para o crescimento global, que ameaçam minar uma economia já fraca”. No geral, o Morgan Stanley reduziu sua previsão de crescimento global para 2,7%. O pânico nos mercados desta segunda-feira se deve ao agravamento da crise de confiança diante do reconhecimento de que a economia global deve crescer muito menos daqui para a frente, disse nesta segunda o economista do Dresdner Kleinwort em Nova York, Kevin Logan: “A percepção de crescimento mundial menor está sendo antecipada pelos mercados. O risco global de recessão está muito mais forte”. Segundo ele, essa percepção aumentou após as ações dos últimos dias dos bancos centrais e governos da Europa (Alemanha, Irlanda, Grécia, Itália, Bélgica e Holanda) para estancar a crise financeira. E acrescentou: “A turbulência nos mercados deve levar ainda algum tempo para passar”. Essa percepção só faz piorar o cenário para os países de economias emergentes, diz Kevin Logan: “Como muito da dinâmica dos emergentes se deve às exportações, que devem diminuir, eles serão afetados também. Não creio que serão afetados pela crise financeira, mas pela redução da demanda de seus produtos. As perspectivas de lucros das empresas nos emergentes serão reduzidas e o interesse em investir nos emergentes deve cair”. Logan disse não restar mais dúvida de que os Estados Unidos estão em recessão: “Acho que a contração da economia norte-americana irá durar algum tempo”. O economista disse que a recuperação norte-americana pode demorar até pelo menos 2010, e pode levar ainda mais tempo para se recuperar na Europa.