segunda-feira, 28 de julho de 2008

Revitalização do cais em Porto Alegre ainda vai demorar quatro anos

A revitalização do Cais Mauá, em Porto Alegre, deverá ficar pronta em quatro anos. O estudo apresentado foi escolhido por unanimidade pela comissão criada pelo governo do Estado. O anúncio foi feito pela governadora Yeda Crusius (PSDB). A próxima etapa será preparar o edital, que deve ser lançado até o fim do ano. As obras contemplam áreas de lazer, entretenimento, cultura e gastronomia. Em relação à polêmica envolvendo o muro da Avenida Mauá, o estudo vencedor sugere a redução do tamanho do muro em um metro. Também não está descartada a demolição da estrutura. A própria governadora admite que o muro é um entrave à vista do rio. A revitalização do Cais Mauá será possível por meio de parceria público-privada. O projeto deverá causar polêmica porque prevê a derrubada de uma série de armazéns históricos do porto de Porto Alegre para a construção de edifícios-torres de mau gosto.

Yeda Crusius confirma deputado estadual Marcio Biolchi na Secretaria de Desenvolvimento

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), confirmou na noite desta segunda-feira o nome do deputado estadual Márcio Biolchi (PMDB) como novo secretário estadual do Desenvolvimento e dos Assuntos Internacionais. O anúncio foi feito pouco antes das 20h30min, na chegada da governadora à festa organizada pelo PSDB para comemorar os 20 anos do partido, realizada no Clube Farrapos. Yeda Crusius afirmou ainda que pretende anunciar nesta terça-feira outras trocas em seu governo, e vai tentar fazer com que a carta-compromisso seja assinada "por essas pessoas que vão integrar o governo".

Eike Batista consegue completar negócio com a Anglo American apesar da operação da Polícia Federal

O empresário brasileiro Eike Batista, apesar da Operação Toque de Midas, realizada há três semanas pela Polícia Federal, conseguiu na madrugada de sábado fechar um acordo com a Anglo American e receberá um cheque de 3,4 bilhões de dólares da mineradora sul-africana no próximo dia 5. Esse dinheiro se refere à venda de parte da MMX fechada em março e era para ter sido paga pela Anglo no dia 21. Mas, a operação da Polícia Federal e as investigações em curso fizeram a empresa abortar o pagamento. Na semana passada, Eike Batista foi a Londres, onde fica a sede da Anglo American, para negociar diretamente com Cyntia Carroll, presidente executiva da empresa. Na sexta-feira, voltou ao Rio de Janeiro e, na madrugada de sábado, foi assinado o negócio durante uma longa reunião em sua casa. Eike Batista vai receber o dinheiro, mas comprometeu-se a devolvê-lo se as investigações em curso tanto da Polícia Federal quanto da Justiça do Amapá encontrarem alguma irregularidade na licitação para a concessão da Estrada de Ferro Amapá, que está sendo investigada pela Polícia Federal.

Banco do Brasil vai criar um novo banco para vender carros

Aproveitando-se da boa época para a indústria brasileira de veículos, que não pára de bater recordes de vendas, o Banco do Brasil resolveu entrar decididamente no mercado de financiamento e leasing de veículos. Vai criar um banco múltiplo para atuar no setor e investir 980 milhões de reais até 2010 no financiamento de veículos. O Banco do Brasil terá como sócio o sul-africano FirstRand Limited na nova subsidiária que está criando. Na África do Sul, o FirstRand é dono de 40% desse mercado. No ano passado, financiou 15 bilhões de dólares em veículos. O Banco do Brasil terá 73% de controle social do novo banco, ainda sem nome, que passará a operar no próximo ano.

Vice-presidente José Alencar vai fazer quimioterapia na sexta-feira

O vice-presidente José Alencar vai se internar na sexta-feira no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para uma nova sessão de quimioterapia. Em um exame realizado na terça-feira passada pelo seu oncologista, Paulo Hoff, foi constatado que o câncer no abdôme de José Alencar voltou. Desta vez, o tratamento será feito com o auxílio do medicamento espanhol Yondelis, indicado para o tratamento de tumores avançados. O Yondelis é administrado gota-a-gota em uma veia durante 24 horas. As sessões serão realizadas de três em três semanas. Até quinta-feira, no entanto, José Alencar avisou que continuará trabalhando. Nestas terça, quarta e quinta-feiras cumprirá agenda em Minas Gerais.

Ex-funcionários do Google criam site para vencer o gigante das buscas

Uma empresa criada por antigos engenheiros do Google apresentou no domingo um novo serviço de buscas cujo objetivo é superar em tamanho o líder do setor. Seu maior desafio: mudar os hábitos de navegação dos internautas. Segundo seus donos, o Cuil (pronunciado como a palavra inglesa "cool") é capaz de indexar mais rápido e de forma mais barata uma porção da web maior que a do Google. O novo rival do Google afirma que seu serviço vai além das técnicas de busca dominantes, que se concentram em links e padrões de tráfego de audiência e, em lugar disso, analisa o contexto de cada página e os conceitos por trás de cada pedido de busca dos usuários. "Nossos significativos avanços em tecnologia de busca permitiram que indexássemos parte muito maior da internet, colocando quase toda a web ao alcance dos usuários", afirmou Tom Costello, co-fundador e presidente-executivo da Cuil. O Cuil foi fundado por um grupo de pioneiros das buscas, entre os quais Costello, que criou um protótipo da Web Fountain, a ferramenta de análise de buscas da IBM, e sua mulher Anna Patterson, arquiteta do imenso índice TeraGoogle de páginas da web, operado pelo Google.

Anistia Internacional denuncia Olimpíada como pretexto para a repressão na China

Faltando menos de duas semanas da abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, a China utiliza o evento para reforçar sua repressão contra os defensores dos direitos humanos e expulsar os "indesejáveis" de Pequim, disse nesta segunda-feira a Anistia Internacional. "As autoridades utilizaram os Jogos Olímpicos como pretexto para intensificar as medidas e as práticas existentes que levaram a violações freqüentes dos direitos humanos", disse a organização em um relatório apresentado em Hong Kong. "A repressão contra os defensores dos direitos humanos, os jornalistas e os advogados se intensificou devido à organização da Olimpíada em Pequim", afirmou a organização de defesa dos direitos humanos, com sede em Londres. "A menos que haja uma mudança radical das autoridades, o legado das Olimpíadas não será positivo para os direitos humanos na China", completou. A organização conclamou o Comitê Internacional Olímpico (CIO) e os dirigentes políticos a serem mais exigentes com Pequim, advertindo para medidas ainda mais repressivas depois dos Jogos Olímpicos. A Anistia Internacional enumerou cinco medidas para melhorar a situação dos direitos humanos no país, já apresentadas em uma carta aberta enviada ao presidente chinês, Hu Jintao. A organização pediu a China que "liberte todos os prisioneiros políticos, impeça a polícia de promover detenções arbitrárias, publique a totalidade das estatísticas sobre a pena de morte e instaure uma moratória das execuções", além da liberdade total para a imprensa em Pequim. Durante a preparação para a Olimpíada, as autoridades intensificaram o uso da detenção administrativa, principalmente contra os militantes dos direitos humanos e os mendigos.

Lula determina que Tarso Genro e José Múcio negociem projeto que amplia controle sobre grampos

O presidente Lula determinou nesta segunda-feira que os ministros da Justiça, Tarso Genro, e das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, intensifiquem as negociações no Congresso para aprovar o projeto de lei que trata dos grampos telefônicos. Pelo texto, haverá um controle maior sobre as escutas telefônicas em todo País. A orientação de Lula ocorreu após Tarso Genro e José Múcio criticarem publicamente os grampos telefônicos. Na semana passada, José Múcio Monteiro afirmou que seu celular era como se fosse uma "radio comunitária", enquanto Tarso Genro reclamou que ninguém mais tem segurança de falar ao telefone. Lula determinou que os dois ministros procurem os presidentes do Senado Federal, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), e da Câmara dos Deputados, deputado federal Arlindo Chinaglia (PT-SP), para que incluam o projeto entre as prioridades das Casas no segundo semestre. Em abril, o governo Lula encaminhou o projeto de lei sobre interceptação telefônica.

Estrangeiros retiram US$ 3,4 bilhões do mercado de ações em julho

Os investidores estrangeiros trocaram o mercado de ações pelos investimentos em renda fixa no mês de julho. Dados do Banco Central mostram que, até o dia 28 de julho, os estrangeiros tiraram US$ 3,4 bilhões do mercado brasileiro de ações. Por outro lado, houve ingresso de US$ 3,27 bilhões em renda fixa no mesmo período. Os números para o mercado de ações só não foram piores devido aos papéis brasileiros negociados fora do Ppaís. Foram aplicados cerca de US$ 3,9 bilhões em ADRs (papéis de empresas brasileiras negociados na bolsa de Nova York) nesse mês. O valor foi influenciado pela oferta de ações da companhia Vale do Rio Doce. No primeiro semestre, os estrangeiros investiram US$ 4,828 bilhões em ações brasileiras. Desse montante, foram US$ 5,167 bilhões em ações compradas no País, descontada a venda de US$ 339 milhões em ADRs. Na renda fixa, foram investidos US$ 10,2 bilhões nos seis primeiros meses do ano. Esse movimento está sendo puxado pela piora no mercado internacional de ações desde o mês passado e pelo aumento dos juros no Brasil.

Terroristas do MST continuam invadindo a fazenda de Daniel Dantas no Pará

Terroristas do MST continuam nesta segunda-feira com a invasão da fazenda Maria Bonita, do banqueiro Daniel Dantas, do Banco Opportunity, no Pará. A fazenda está localizada em Eldorado dos Carajás, no sul do Estado. Cerca de 1.000 terroristas estão no local desde as 5 horas de sexta-feira. A ocupação é um protesto contra a compra da área pela Agropecuária Santa Bárbara Xinguara, pertencente ao grupo Opportunity. O MST informa que a área não poderia ser vendida, pois se trata de terra pública. "No dia 25 de julho, dia nacional do trabalhador rural, resolvemos ocupar uma das fazendas até então tidas como do grupo Santa Bárbara, por entendermos que as terras públicas são para a reforma agrária", afirmou Ulisses Manaças, chefete do MST no Pará. Também nesta segunda-feira, outros cerca de 600 terroristas invadiram o prédio da Superintendência regional do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), em Brasília.

Gasto de brasileiros no Exterior nas férias de julho é o maior da história

Os gastos de turistas brasileiros no Exterior bateram recorde histórico no mês de julho. Dados parciais do Banco Central, até o dia 28, já mostram um valor recorde de US$ 1,104 bilhão nas despesas feitas fora do País. O número supera o recorde anterior, alcançado em junho deste ano (US$ 1,05 bilhão). No primeiro semestre do ano e nos 12 meses terminados em junho os números também atingiram patamar inédito, devido à desvalorização do dólar em relação ao real. Segundo o Banco Central, foram gastos US$ 5,5 bilhões no semestre e US$ 10,25 bilhões em 12 meses. No primeiro semestre do ano passado, haviam sido gastos US$ 3,5 bilhões. Os gastos de estrangeiros que visitam o País também foram recorde no primeiro semestre (US$ 2,9 bilhões) e nos 12 meses terminados em junho (US$ 5,42 bilhões). Em julho (até o dia 28), foram mais US$ 393 milhões. Com esses dois resultados o País teve uma saída de dólares de US$ 2,6 bilhões no semestre (diferença entre os gastos dos brasileiros no Exterior e dos estrangeiros no Brasil). O Banco Central estima para este ano uma saída de dólares de US$ 5 bilhões em viagens.

Usinas térmicas a gás e carvão deverão ficar ligadas o ano inteiro

O diretor-geral da ONS (Operador Nacional do Sistema), Hermes Chipp, disse nesta segunda-feira que as usinas térmicas a gás e carvão deverão permanecer ligadas até o fim do ano. Segundo ele, isso será feito para poupar as usinas hidrelétricas e garantir que os reservatórios cheguem ao fim do ano no nível planejado: 53% no Sudeste e Centro-Oeste, e 35% no Nordeste. De acordo com Chipp, estão ligadas por segurança térmicas que juntas geram 1.100 MW. A permanência dessas usinas térmicas ligadas também serve para compensar o fato de que o Brasil está entregando cerca de 1.000 megawatts para a Argentina poder enfrentar o inverno. Hermes Chipp afirma que, apesar disso, os níveis de chuva estão dentro da normalidade para o período e que, caso as chuvas aumentem, novas térmicas podem ser desligadas. No início do ano, com menos chuvas do que o esperado, o governo Lula acionou praticamente todas as térmicas possíveis para garantir que não faltasse energia. Como essas usinas são mais caras, houve um aumento no valor da tarifa paga pelo consumidor.

Lula ordena a ministros que evitem divergências entre aliados na campanha eleitoral

O presidente Lula reuniu alguns ministros nesta segunda-feira, no Palácio do Planalto, para falar sobre as eleições municipais. Na conversa, interlocutores informaram que o presidente apelou para que eles evitem divergências políticas entre os aliados da base que apóia o governo federal. Lula reiterou que os ministros estão autorizados a participar de campanhas eleitorais em todo País. Mas, ressaltou que a regra não é válida para os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e José Múcio Monteiro (Relações Institucionais). Dilma e Múcio poderão fazer campanhas eleitorais somente em seus Estados. A reunião política que tratou exclusivamente sobre as eleições municipais foi realizada logo em seguida à de coordenação, no Planalto. Ao longo desta semana o comando nacional do PT deve concluir as gravações nas quais ministros ligados ao partido enviam mensagens e tratam dos candidatos petistas nos municípios.

Governo Lula reduz imposto de importação para 141 máquinas e equipamentos

A Camex (Câmara de Comércio Exterior) publicou nesta segunda-feira uma lista de 141 novos produtos que terão sua tarifa de importação reduzida dentro do regime de ex-tarifários. O ex-tarifário é um mecanismo para reduzir temporariamente o Imposto de Importação sobre alguns produtos, quando não houver produção nacional ou similar do bem. São 134 bens simples (de apenas um maquinário ou equipamento) e sete de sistemas integrados (um conjunto de máquinas ou equipamentos). As tarifas de importação para esses produtos foram reduzidas para 2% até o dia 31 de dezembro de 2008. Os principais setores beneficiados foram papel e celulose, têxtil, siderúrgico e autopeças. Desde julho de 2001, quando o regime entrou em vigor, a julho deste ano, foram concedidos 6.472 ex-tarifários, que somam mais de US$ 77 bilhões em investimentos globais em todo território brasileiro. Atualmente, estão em vigor 2.691 ex-tarifários.

STJ nega habeas corpus a ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro preso há dois meses

O ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Ricardo Hallak, preso há dois meses em operação da Polícia Federal, teve o pedido de habeas corpus negado pelo Superior Tribunal de Justiça, conforme decisão divulgada nesta segunda-feira. Hallak foi preso na operação Segurança Pública S/A, a mesma que prendeu o também ex-chefe da Polícia Civil e deputado estadual Álvaro Lins (PMDB), que foi solto um dia depois por determinação da Alerj (Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro). Acusado de integrar esquema de pagamento de propina e de beneficiar grupos do jogo do bicho no Rio de Janeiro, Hallak teve o pedido negado pelo vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Cesar Asfor Rocha. Ele julgou que a lei prevê que seja decretada a prisão preventiva sem o processo penal ter sido devidamente instaurado, caso de Hallak. Os presos na operação Segurança Pública S/A todos integrantes da Polícia Civil, participavam de esquema que durou seis anos e beneficiava contraventores das máfias dos caça-níqueis, de acordo com investigações. O grupo --formado por Hallak, Lins e o ex-governador Anthony Garotinho, segundo o Ministério Público Federal, é acusado de proteger integrantes de máfias dos caça-níqueis e de nomear policiais para chefiar delegacias, para repassar verbas públicas aos mafiosos e prender grupos rivais a eles.

Copa encomenda mais dois aviões Boeing para rotas longas

A Copa Airlines anunciou nesta segunda-feira a encomenda de dois aviões Boeing 737-800, para entrega em 2010 e 2011. Com isso, sobe para nove os pedidos da empresa à Boeing, com opções de encomendas adicionais. Os aviões serão usados nas rotas mais longas da companhia no Brasil a partir de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Pedro Heilbron, presidente-executivo da Copa Airlines, afirmou que o Boeing 737-800 é o maior da frota e que apresenta os menores custos por assento, utilizado nas rotas mais longas. "Com estas futuras entregas, consolidamos ainda mais nossa liderança na aviação latino-americana", afirmou. Atualmente, a Copa Airlines conta com 40 aviões (27 Boeing 737 Next Generation e 13 Embraer 190). As aeronaves encomendadas têm capacidade para 160 passageiros, 16 na classe executiva e 144 na econômica. Exibe também amplos espaço interno e compartimentos superiores para bagagem, assentos com apoio ajustável para cabeça e um sistema de entretenimento com 12 canais de áudio e vídeo. A Copa Airlines opera atualmente 136 vôos diários para 42 destinos em 22 países nas Américas do Norte, Central, do Sul e do Caribe. Ela tem acordos com acesso para mais de 120 destinos internacionais. A partir dos Estados Unidos, a Copa opera vôos sem escalas para o Panamá: 20 vezes por semana de Miami; diariamente de Nova York, Los Angeles e Washington; e 12 vezes por semana de Orlando.

Pesquisa da Folha de S. Paulo constata que juventude brasileira é de direita

O jornal Folha de S. Paulo publicou na sua edição de domingo uma ampla pesquisa sobre o que pensam os jovens brasileiros, em um caderno especial de 20 páginas, chamado “Jovem Século 21”. De acordo com a pesquisa do Instituto Datafolha, a juventude brasileira é de direita, predominantemente. De maneira formal, 37% dos jovens entrevistas declaram ser de direita. Apenas 28% se dizem de esquerda. No centro, estão 23%. Como é possível que jovens não saibam discriminar corretamente a diferença entre posições tidas como de “direita” daquelas de “esquerda”, a pesquisa foi mais fundo. E constatou que 68% dos entrevistados não querem mudar a lei do aborto. Eles querem que o aborto continue a ser considerada uma prática criminosa, com duas exceções: gravidez decorrente de estupro e risco de morte da mãe. Este também é o mesmo índice da população em geral que se opõe à liberalização do aborto. Quanto à pena de morte, os jovens se mostraram ainda mais severos do que o povo como um todo: 50% se disseram favoráveis (contra 47% no caso da população como um todo). Já os contrários à pena de morte são apenas 46%. Uma das respostas mais acachapantes para os esquerdistas, adoradores da “cannabis sativa”, da “baura”, é que 72% dos jovens entrevistados se declararam terminantemente contrários à liberdade de fumar maconha. Já no geral, 76% dos brasileiros são contrários à maconha e aos maconheiros. Apenas 25% dos jovens disseram que “fumar maconha” deve “deixar de ser crime”. Como se vê, os jovens brasileiros são radicalmente direitistas, já que, no Brasil, “fumar maconha” não é crime, apenas o tráfico é penalizado. Só os esquerdistas maconheiros acham que o hábito de puxar fumo deve deixar de ser crime, o que, como já se disse acima, não é crime há bastante tempo. No caso da maioridade penal, os jovens brasileiros desferem uma monumental porrada nos esquerdistas maconheiros e abortistas. Simplesmente 83% dos jovens entendem que deve baixar a idade penal. E 37% dos jovens são ultra-radicais: entendem que a maioridade penal deve ser inferior a 16 anos. Já 46% dos jovens entendem que deve ser a partir dos 16 anos. Se os comunistas aborteiros e maconheiros também pretendem que os jovens sejam ateístas, como eles, aí a coisa encrespa. Simplesmente 59% dos jovens se declaram católicos, 16% dizem ser evangélicos pentecostais, 8% se declaram evangélicos não-pentecostais, 2% são espíritas, 1% dizem professar a religião judaica, 1% a umbanda, 1% o candomblé e 2% se declaram adeptos de outras religiões. É para arrasar com o ânimo de qualquer esquerdista comunista maconheiro abortista e ateu, não é mesmo? Pela ordem, os jovens brasileiros acham as seguintes coisas “muito importantes”: família (99%), saúde (99%), trabalho (97%), estudo (96%), lazer (88%), amigos (85%), religião (81%), sexo (81%), dinheiro (79%), beleza (74%), casamento (72%). A pesquisa do Instituto Datafolha constatou ainda que os jovens brasileiros querem casa, carro, grana, todas essas malditas coisas do “consumismo”, que deixam os comunistas que já têm todas essas malditas coisas muito decepcionados com a juventude. Diz o jornalista Reinaldo Azevedo: “Mais uma vez, constata-se o óbvio, há um enorme hiato entre o que pensa o conjunto da população — e, nela, sua fatia mais pretensamente inquieta — e os vários canais que vocalizam a opinião pública. Não, senhores! Não temos a imprensa que representa os valores que vão acima: a nossa, com as exceções de praxe, é majoritariamente “politicamente correta” e experimenta um verdadeiro divórcio em relação ao pensamento da maioria. Até aí, tudo bem! Sou o primeiro a defender que veículos devam ter e defender pontos de vista. A questão que merece debate é outra: tais opiniões são verdadeiramente demonizadas pela patrulha politicamente correta do jornalismo. Pegue-se o caso do aborto: raramente alguém que se opõe à sua legalização é tratado, vá lá, com respeito ao menos. Do mesmo modo, descarta-se que um indivíduo civilizado possa considerar uma tolice a maioridade penal a partir dos 18 anos — o Brasil, saibam, faz parte das poucas exceções que adotam tal idade; na esmagadora maioria dos casos, é inferior. Em muitos países, nem mesmo há uma idade mínima: depende do crime. No que respeita aos costumes, temos uma imprensa de esquerda e um povo de direita. Ora, o jornalismo — de fato, os meios de comunicação nas suas várias manifestações — são, sim, importantes formadores de opinião. Políticos temem afrontar a doxa. Daí que os partidos evitem ao máximo “politizar” as questões referentes a valores — politização que é corriqueira em qualquer democracia do mundo, a começar dos Estados Unidos. O povo, como se vê, não tem receio de ser ou de parecer de direita, mas os políticos evitam tal "estigma" — ou, mais apropriadamente ainda, fogem da palavra “direita” como o diabo foge da cruz — e acabam se alinhando com... o diabo, hehe. Vejam como é freqüente que lideranças se digam “de esquerda” sem qualquer vergonha, mas jamais de direita — quando muito, são todos de centro-esquerda... Será que temem o povo? Não! Temem o jornalismo politicamente correto. Líderes conservadores, mundo afora, tiveram a coragem de enfrentar a hegemonia esquerdista. No Brasil, até agora, todos se ajoelham no altar da hipocrisia. Sem dúvida, a Folha e o Datafolha prestam um serviço relevantíssimo ao País, ao jornalismo e à política — especialmente para quem ler os dados com coragem e ousadia. O levantamento é bastante amplo. Trata até do desempenho escolar — lastimável, diga-se — da juventude. A edição merece algumas observações, talvez reparos. Aqui e ali vaza uma certa decepção com a caretice da molecada. A tentação de lamentar que eles não queriam mais virar a mesa — e quando é que quiseram, santo Deus? — se insinua, mas logo cede à realidade. Afinal, é insustentável criticar os moços porque revelam o anseio de subir na vida e se dar bem profissionalmente. Mas aquele velho espírito da “revolução” — nem que seja a de costumes — espreita o caderno. Por alguma razão que o Datafolha não consegue explicar, ele é muito colorido, coloridíssimo, colorido até a irritação. O jovem é caretão, mas o caderno resolveu adotar uma estética meio Hair (o filme de Milos Forman), a que se somam alguns símbolos do ‘capitalismo’ — porque, afinal, eles querem casa, carro e grana... As tabelas do Datafolha são editadas num misto de pichação com trapaça concretista: o número “60”, por exemplo, aparece num corpo maior do que o “30”, que é maior do que o “10”, sacaram? Legal, né? Às vezes, números e letras se esbarram, uns borrando os outros. Afinal, é um caderno feito por jovens, sobre jovens com uma edição... jovem. A questão é saber se foi lido por uma maioria de jovens — duvido. Caso tenha sido, o que há de errado com as tabelas que eles estão acostumados a ver nos livros e até na Internet? Em algumas páginas, publicam-se textos na diagonal... Pra quê? Suponho que seja para dificultar a leitura... Sei que tal observação parece uma bobice (e reitero que se trata de um trabalho importante ), mas não é. Em certo sentido, a edição do caderno nos devolve para o centro deste longo texto: boa parte da imprensa (e não é muito diferente em todo o mundo democrático) não se conforma que o povo — os jovens também — possa ser careta, conservador, de direita. Recorre-se nem que seja a uma estética do inconformismo — “moderna” — para evidenciar o conservadorismo, ainda que ela crie mais dificuldades de leitura do que facilidades, ainda que ela mais turve a realidade do que ajude a explicá-la — como é da natureza, diga-se, de quase todos os inconformismos. Os dados que ali estão, no entanto, são de grande relevância. Seria conveniente que muitos dos nossos políticos, especialmente os que não são de esquerda, começassem a refletir a respeito”. O mesmo jornalista Reinaldo Azevedo transcreve em seu blog, no site da revista Veja, o artigo que havia escrito no dia 9 de abril de 2007: “O Povo é de direita, revela o Datafolha. (...) um político que tivesse rigorosamente as opiniões do povo brasileiro (...) seria chamado de ‘direitista’ pela esquerda, certo? Quem sabe até de reacionário... E isso estaria a indicar que o povo brasileiro é, então, majoritariamente, ‘de direita’. Ora, se ele é de direita, por que, então, estamos sendo governados pela esquerda — ainda que essa ‘esquerda’ seja a petista, com seu fanatismo recém-adquirido pelo financismo? A resposta é simples: questões como as colocadas acima [aborto, pena de morte, drogas] simplesmente estiveram ausentes do debate eleitoral. E os politicólogos brasileiros, quase todos de esquerda, acham que isso é um sinal do nosso amadurecimento. Essas clivagens aparecem nos confrontos eleitorais dos EUA e da Europa — sabem?, eles são os bárbaros... Já os civilizados brasileiros preferem não entrar nesse mérito porque acham que esse é um debate grosseiro.” “DEM e PSDB cometem, a meu ver, dois erros crassos: não conseguem ter um discurso organizado sobre economia para confrontar o PT e renunciam a fazer o que chamo de guerra de valores com a esquerda. O Datafolha esfrega no nariz das duas legendas o óbvio: o povo brasileiro é conservador e, vejam só, não tem, no Parlamento, quem o represente a contento.” Antes ainda, no dia 13 de agosto de 2006, escrevi aqui: “Uma boa leva de políticos no Brasil deveria olhar para os dados do Datafolha com vergonha. Vergonha de si mesmos e de sua covardia. Existe uma maioria silenciosa que hoje não encontra uma representação consistente. Uma boa pergunta seria a seguinte: como pode Lula vencer, ao menos por enquanto, a disputa presidencial no 1º turno se a maioria da população é mesmo de direita?”

Contas externas brasileiras têm pior desempenho no primeiro semestre desde 1947

A conta corrente do balanço de pagamentos do Brasil com o Exterior registrou em junho um déficit de US$ 2,596 bilhões, totalizando no primeiro semestre de 2008 um saldo negativo de US$ 17,402 bilhões, o equivalente a 2,51% do Produto Interno Bruto (PIB). O desempenho é o pior acontecido na história da economia nacional, desde o ano de 1947. De janeiro a junho do ano passado, a conta corrente teve superávit de US$ 2,413 bilhões, o equivalente, à época, a 0,38% do PIB. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo Banco Central. No resultado de junho, a balança comercial contribuiu com um saldo positivo de US$ 2,718 bilhões, enquanto a conta de serviços e rendas registrou déficit de US$ 5,635 bilhões. As transferências unilaterais tiveram saldo positivo de US$ 320 milhões no mês passado. No primeiro semestre, a balança comercial contribuiu com um superávit de US$ 11,349 bilhões, a conta de serviços e rendas com déficit de US$ 30,603 bilhões e as transferências unilaterais, com saldo positivo de US$ 1,852 bilhão. No acumulado de 12 meses (julho de 2007 a junho deste ano), a conta corrente do balanço de pagamentos acumula um déficit de US$ 18,103 bilhões, o equivalente a 1,32% do PIB. Os investimentos estrangeiros diretos (IED) no Brasil somaram US$ 2,718 bilhões em junho, totalizando US$ 16,702 bilhões no primeiro semestre do ano (equivalente a 2,41% do PIB). Em junho de 2007, o IED havia sido de US$ 10,318 bilhões, com acumulado de US$ 20,852 bilhões no período de janeiro a junho (à época, 3,28% do PIB). No acumulado de 12 meses encerrado em junho, o IED registra um saldo positivo de US$ 30,435 bilhões, o equivalente a 2,22% do PIB. As remessas de lucros e dividendos das empresas ao Exterior somaram em junho US$ 3,396 bilhões, ante US$ 1,746 bilhão em junho do ano passado. No primeiro semestre, as remessas totalizaram US$ 18,993 bilhões, quase o dobro dos US$ 9,807 bilhões verificados no período de janeiro a junho de 2007. As despesas com juros somaram em junho US$ 565 milhões, ante US$ 561 milhões em junho de 2007. No primeiro semestre, o gasto com juros somou US$ 3,356 bilhões, ante US$ 4,514 bilhões em igual período de 2007.

TSE deve decidir na quarta-feira sobre envio de força-tarefa ao Rio de Janeiro

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Carlos Ayres Britto (do Supremo Tribunal Federal), marcou para quarta-feira um encontro com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, Roberto Wider, para decidir se determina ou não a atuação de uma força-tarefa para coibir a atuação de milícias e traficantes nas eleições no Estado. Nesta segunda-feira, Carlos Ayres Britto conversou sobrea proposta com o presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, o deputado federal Raul Jungmann (PPS-PE). O presidente do Tribunal Superior Eleitoral afirmou que só tomará uma decisão com o apoio do presidente do Tribunal Regional do Rio de Janeiro e do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza. “É uma questão de Estado, que demanda a participação da Justiça Eleitoral. Faremos de comum acordo a partir do poder que tem a Justiça Eleitoral de zelar por eleições livres, limpas, a partir do ponto de vista democrático”, disse Carlos Ayres Britto.