quarta-feira, 2 de julho de 2008

Presidente Alvaro Uribe é ovacionado em Bogotá após notícia do resgate de Ingrid Betancourt

O presidente colombiano, Álvaro Uribe, foi ovacionado nesta quarta-feira em Bogotá ao chegar para a cerimônia de reabertura de um hospital depois que o Exército libertou 15 reféns da organização terrorista e traficante de cocaína Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), entre eles Ingrid Betancourt. Uribe disse ter ficado "feliz" com o resgate de Ingrid Bettancourt e mais três norte-americanos e 11 militares e policiais. Além disso, ele se referiu à operação de resgate como a "mais perfeita da história". Uribe chegou à sede do hospital infantil Lorencita Villegas de Santos, reaberto hoje como Hospital Universitário San José, sem fazer comentários sobre a libertação dos seqüestrados, embora parecesse cortês e satisfeito. Ao entrar no hospital, o chefe de Estado foi ovacionado e apertou a mão de várias pessoas. O resgate foi realizado em uma zona de floresta do Departamento de Guaviare, no sudoeste da Colômbia.

Ex-refém diz que nunca perdeu a esperança de encontrar Ingrid Betancourt

"Nunca perdi a esperança de voltar a ver Ingrid", disse nesta quarta-feira Clara Rojas, ex-assessora da franco-colombiana que também ficou em poder dos terroristas e traficantes de cocaína das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) por 6 anos. Clara Rojas foi solta em 10 de janeiro. Em uma entrevista à rede de TV CNN em espanhol, Clara Rojas disse estar "comovida, muito feliz e aliviada, como todo o povo colombiano" depois da libertação de Ingrid Betancourt, acrescentando que considera "uma bênção de Deus que Ingrid tenha sido libertada e esteja bem". "Eu devo encontrá-la daqui a pouco", revelou Rojas, destacando que, segundo foi informada, Ingrid Betancourt "está abatida", mas negando que ela precise de mais que "os controles médicos normais" a que os reféns são submetidos, após viver por anos em condições muito difíceis. A franco-colombiana foi seqüestrada em 2002, quando fazia campanha eleitoral como candidata à Presidência. Ela havia sido vista pela última vez em um vídeo da guerrilha divulgado no ano passado, onde aparecia abatida e doente. "Quero primeiro dar graças a Deus e aos soldados da Colômbia", afirmou Ingrid Betancourt à rádio do Exército colombiano logo após seu resgate. "A operação foi absolutamente impecável", acrescentou ela: "Creio que é um sinal de paz para a Colômbia”.

Equador lamenta modo como Betancourt foi solta

O ministro da Defesa do Equador, Xavier Ponce, disse nesta quarta-feira que a libertação de Ingrid Betancourt e de outros 14 reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), organização terrorista e traficante de cocaína, é "algo que o mundo estava esperando", mas lamentou que tenha ocorrido por meio de um resgate. "É uma lástima que não tenha sido iniciado um processo de paz e sim um resgate. É algo que o mundo já esperava", declarou Ponce. Ele indicou que o resgate diminui ainda mais as possibilidades de uma saída política para a situação vivida na Colômbia e insistiu que o Equador advoga por uma "saída integral" ao problema, pela libertação dos reféns e pelo acordo de paz. O Equador deve advogar por resolver os seus problemas, que são muitos, e deixar de se intrometer nos seus assuntos da vizinha Colômbia, com seus discursos revolucionários e seu apoio aberto para os traficantes de cocaína das Farc.

Mais quatro bebês morrem na Santa Casa de Belém

Mais quatro bebês oriundos da Santa Casa de Belém (PA) foram enterrados na terça-feira no cemitério municipal Tapanã, na capital paraense. Com isso, o número de mortes de crianças nascidas ou levadas à maternidade do hospital estadual desde o dia 20 subiu para 24. As novas mortes foram confirmadas pela assessoria do governo petista de Ana Julia Carepa, mais uma vez sem dar detalhes das causas. Dois dos bebês eram gêmeos e nasceram mortos no último dia 29. Outros dois, recém-nascidos, morreram no dia 30. Um viveu por 48 horas e o outro, por 30 minutos, segundo um funcionário do cemitério Tapanã, que se baseou nas guias de sepultamento. De acordo com Silvia Cumaru, presidente interina (interventora) do hospital e chefe da comissão que gerencia o local desde o último sábado, os motivos das mortes estarão em nota conjunta do Ministério da Saúde e do governo do Pará ainda a ser divulgada. Esse é o modo petista de governar. Médicos que trabalham na maternidade e o Ministério Público do Estado já tinham denunciado falta de pessoal, equipamentos e material para cuidar dos bebês. Também dizem que os 22 leitos da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal são insuficientes para atender a demanda.

Espetacular operação do exércto colombiano liberta Ingrid Betancourt e mais 14 reféns

A ex-senadora política franco-colombiana Ingrid Betancourt, três norte-americanos e 11 militares colombianos foram espetacularmente resgatados das mãos de seus seqüestradores, os terroristas e traficantes de cocaína das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), por comandos especiais do exército colombiano, na tarde desta quarta-feira. A bem sucedida operação representa uma vitória de proporção incalculável do regime democrático do presidente Álvaro Uribe. O comunicado do sucesso da operação foi feito pelo ministro da defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos. Ele informo que todos os ex-reféns estão em estado de saúde razoavelmente bom após anos como reféns na selva colombiana. "Essa foi uma ação sem precedentes", declarou Santos, em entrevista coletiva realizada na sede do Ministério da Defesa, em Bogotá: "Isso entrará na história por sua audácia e efetividade”. Ingrid Betancourt, os três norte-americanos, três políticos e dezenas de militares e policiais colombianos integravam o grupo de cerca de 40 reféns que os terroristas propunham trocar por 500 bandidos que estão presos, após a criação de uma zona desmilitarizada no país. Ingrid Betancourt foi seqüestrada em 2002, quando fazia campanha eleitoral como candidata à presidência da Colômbia. Ela foi vista pela última vez em um vídeo da guerrilha divulgado no ano passado, no qual aparecia abatida e doente. A imagem do vídeo e boatos de que ela estaria com uma série de doenças desencadearam uma pressão da comunidade internacional e do governo francês pela libertação de Ingrid Betancourt. O resgate foi realizado em uma zona de floresta do Departamento de Guaviare, no sudoeste da Colômbia, de acordo com Santos. "Seguiremos trabalhando na libertação dos demais seqüestrados. Fazemos um chamado aos atuais líderes das Farc para que não matem, liberem os outros seqüestrados e não sacrifiquem seus homens", declarou o ministro. Os norte-americanos (três funcionários do Departamento de Defesa dos Estados Unidos) foram capturados em 2003, após o pequeno avião em que estavam cair na floresta. Eles participavam de uma operação de erradicação de campos de cultivo de coca no país. As Farc usam a cocaína colombiana para financiar suas atividades. Depois de mais de seis anos, o pesadelo de Ingrid Betancourt, seqüestrada por terroristas em fevereiro de 2002, enfim terminou.
2:15 p.m. - Comunicado
“Muy buenas tardes. Nos complace comunicarle a la opinión pública nacional e internacional lo siguiente:
En una operación especial de inteligencia, planeada y ejecutada por nuestra inteligencia militar, fueron rescatados, sanos y salvos, 15 de los secuestrados que se encontraban en manos de las Farc.
Entre los secuestrados se encuentran Ingrid Betancourt, los tres ciudadanos norteamericanos y 11 miembros de nuestra Fuerza Pública.
Fueron rescatados en una operación en donde se logró infiltrar la primera cuadrilla de las Farc, la misma cuadrilla que ha mantenido durante los últimos años a un grupo numeroso de secuestrados en su poder.
A través de diferentes procedimientos se logró, también, infiltrar al secretariado. Como los secuestrados estaban divididos en tres grupos, se logró que se reunieran en un solo sitio y luego se facilitara su traslado al sur del país, para que, supuestamente, pasaran directamente a órdenes de ‘Alfonso Cano’.
Se coordinó para que los secuestrados fueran recogidos en un sitio predeterminado por un helicóptero de una organización ficticia. Se coordinó, también, que el propio alias ‘César’ y otro miembro de su estado mayor, viajaran, personalmente, con los secuestrados para entregárselos a ‘Alfonso Cano’.
El helicóptero, que en realidad era del Ejército Nacional y tripulado por personal altamente calificado de nuestra inteligencia, recogió a los secuestrados en inmediaciones del departamento del Guaviare hace unos minutos y están volando libres, sanos y salvos a San José del Guaviare. Allá abordarán un avión que los llevará a Tolemaida.
Alias ‘César’ y el otro miembro de su cuadrilla fueron neutralizados en el helicóptero y serán entregados a las autoridades judiciales para que sean procesados por todos sus delitos.
A los miembros de la cuadrilla que acompañaron a ‘César’ en la operación de entrega, unos 15, más o menos, como al resto que se encontraban a unos kilómetros, decidimos no atacarlos y les respetamos la vida, en espera de que las Farc, en reciprocidad, suelten al resto de los secuestrados.
Esta operación, que se denominó ‘Jaque’, es una operación sin precedentes, que pasará a la historia por su audacia y efectividad y que deja muy en alto, muy en alto, la calidad y el profesionalismo de las Fuerzas Armadas colombianas.
Mis felicitaciones muy sinceras, muy sinceras, a nuestros hombres de la Inteligencia del Ejército, al general Mario Montoya, su Comandante, y al general Freddy Padilla de León, quien estuvo al frente de la operación de principio a fin. Mis sinceras felicitaciones general, muy sinceras. El país, el mundo y los seres queridos de los secuestrados no tendrán cómo agradecerles a estos generales y a sus hombres semejante operación de rescate.

Consórcio inicia batalha jurídica pela usina de Jirau

O consórcio Jirau Energia, derrotado na disputa pela segunda hidrelétrica do rio Madeira (RO), pediu formalmente que a Agência Nacional de Energia Elétrica suspenda o leilão realizado em maio. A Aneel não fixou prazo para a resposta ao recurso apresentado na sexta-feira e que ameaça levar um dos principais negócios do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) a uma batalha na Justiça. O recurso à agência reguladora é o primeiro gesto formal de contestação da escolha do consórcio Energia Sustentável do Brasil, liderado pela multinacional francesa Suez e integrado também pela empreiteira Camargo Corrêa. O presidente Lula interveio pessoalmente para tentar evitar a contestação. O Enersus apresentou o menor preço para construir e operar a hidrelétrica mediante mudanças no projeto. O consórcio derrotado, liderado pela empreiteira Norberto Odebrecht, alegou falhas técnicas para tentar impedir a homologação do resultado, prevista para o dia 23. Um dos problemas apontados foi o fato de documentos do consórcio vencedor não terem a assinatura do representante legal da Suez nem das demais consorciadas. A Odebrecht investe na convocação de um novo leilão. Pelas regras do negócio, em caso de a habilitação do vencedor ser negada, o segundo colocado é convocado a assumir o negócio pelo preço definido no leilão (R$ 71,40 por MWh). A Odebrecht descarta a possibilidade de fornecer energia a esse preço. Desde o dia seguinte ao anúncio do resultado do leilão, a Odebrecht insiste em que o edital do negócio teria sido contrariado com a mudança de localização da usina. O deslocamento não seria de 9,2 quilômetros, como diz o consórcio vencedor, mas de 12,5 quilômetros, segundo o grupo derrotado. Além disso, a área alagada pelo novo projeto seria 10 quilômetros quadrados maior, segundo a Suez, e 27 quilômetros quadrados maior, segundo a Odebrecht. Em outro revés no processo de Jirau, a Secretaria de Meio Ambiente de Rondônia embargou na segunda-feira trabalhos de sondagem no novo local escolhido pelo Enersus. A empresa contratada foi multada em R$ 600 mil por não ter licença ambiental. A empresa já havia sido autuada em maio, mas retomou o trabalho após protocolar pedido de licenciamento. A Odebrecht negou que pleiteie mudança na condição de financiamento da usina de Santo Antônio, também no rio Madeira, para equipará-la a vantagens que viriam a ser concedidas pelo BNDES ao concorrente na disputa por Jirau.

Governador José Serra faz homenagem a Ruth Cardoso durante missa de sétimo dia em São Paulo

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), homenageou sua amiga, antropóloga e ex-primeira-dama Ruth Cardoso, mulher do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, morta na última terça-feira, citando Manuel Bandeira durante missa de sétimo dia. Em cerca de cinco minutos de discurso, Serra simulou uma "conversa" com a ex-primeira-dama ao declamar e parafrasear poema de Bandeira em homenagem à morte de Mário de Andrade. "Me permiti parafrasear o texto, nesta que é uma das 'conversas' fraternas que tenho com a Ruth", disse o governador. "Você não morreu: ausentou-se. Eu direi: faz tanto tempo que ela não escreve. Irei até a sua casa e ela não estará. Imaginarei: está no sítio em Ibiúna (propriedade da família no interior paulista), está numa reunião na Cidade Tiradentes (bairro da zona leste de SP) ou no Rio de Janeiro, com seus netos", parafraseou Serra. Muito emocionado durante toda a cerimônia, Fernando Henrique Cardoso ficou ainda mais sensibilizado e não conteve as lágrimas ao ouvir José Serra. O ex-presidente estava na primeira fileira da capela Nossa Senhora de Sion, acompanhado pelos filhos Paulo Henrique, Beatriz e Luciana, além dos netos e outros parentes. Iniciada às 11h, cerimônia foi discreta e durou 45 minutos. Além do governador, falou por 20 minutos o padre Hector Velarde. "Ruth não tornou-se cúmplice de situações erradas. Manteve-se firme no que acreditou e teve coerência de vida, levada com generosidade", afirmou o religioso. Fernando Henrique Cardoso mais uma vez se emocionou e foi amparado por uma das filha que enxugou suas lágrimas. Durante a missa foram executadas cinco músicas, que variaram entre três e cinco minutos. Ao piano, o maestro João Carlos Martins iniciou com a ária de quatro cordas de Bach. Depois foi a vez de Eliana Chagas cantar a ária bachiana número cinco, de Villa-Lobos. Um coral com 40 integrantes interpretou "Intermezzo", da ópera "Cavalaria Rusticana", do italiano Pietro Mascanni. Por fim, Martins executou "Ave Maria", de Gounod, e "Eu sei que vou te amar", de Vinicius de Moraes, sobre um prelúdio "Jesus, alegria dos homens", de Bach. Ruth Cardoso morreu às 20h40 da última terça-feira, em sua casa, no bairro de Higienópolis. Ao final da missa, emocionado e chorando, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que sua família é "imensamente grata" ao carinho que recebeu da população. "Eu não pude ler o que se escreveu sobre ela, mas sei que foi muita coisa. Nós sentimos o carinho do povo. Nossa família é imensamente grata. Infelizmente não posso dar um abraço e um beijo em cada um daqueles que se dirigiram calorosamente a Ruth. Eu não direi nada sobre ela, eu não posso e o Brasil entende", disse Fernando Henrique Cardoso.
Veja a íntegra do texto lido pelo governador José Serra na missa de sétimo dia de Ruth Cardoso:
“Pouco antes de sua morte, o presidente John Kennedy, ao participar de uma homenagem ao poeta Robert Frost, disse que uma nação se revela não apenas pelos indivíduos que produz, mas também por aqueles que decide honrar, que decide homenagear. Eu diria que o Brasil se revelou grande nesta semana pelas tantas coisas boas e justas que foram ditas a respeito da Ruth. O que se viu foi raro entre nós: elogios à discrição, à dignidade, à simplicidade, ao rigor intelectual e ao ativismo solidário, coerente, conseqüente e inovador, dessa amiga que nos deixou. Ruth nos lembrou a todos que as nossas melhores virtudes ainda existem, nela reunidas de modo exemplar. Ela morreu e, no entanto, vive na sua obra e nos afetos que cultivou. E, por isso, nós a sentimos tão presente. Vive na sua família: lembro-me que a primeira vez que soube dela foi numa dedicatória de um livro do seu marido, o professor Fernando Henrique Cardoso, no começo dos anos sessenta: “À Ruth, laços fundamentais.” Os laços que eles souberam tão bem manter e ampliar entre todos os filhos e netos. Eu não seria capaz de dizer aqui nada melhor de tudo o que foi dito. Por isso, prefiro lembrar um dos nossos melhores poetas, Manuel Bandeira. Aquele que se vai, mas vive além da morte, é o tema do poema que ele dedicou a Mário de Andrade quando perdeu o amigo. Permiti-me parafrasear seu texto, nesta que é mais uma das conversas que tenho com Ruth. Digo então à minha amiga:
Anunciaram que você morreu.
Meus olhos, meus ouvidos testemunham:
A alma profunda, não.
Por isso não sinto agora a sua falta.

Sei bem que ela virá
(Pela força persuasiva do tempo).
Virá súbito um dia,
Inadvertida para os demais.
Por exemplo assim:
À mesa conversarão de uma coisa e outra.
Uma palavra lançada à toa
Baterá na franja dos lutos de sangue.
Alguém perguntará em que estou pensando,
Sorrirei sem dizer que em você
Profundamente.
Mas agora não sinto a sua falta.
(É sempre assim quando o ausente
Partiu sem se despedir:
Você não se despediu.)
Você não morreu: ausentou-se.
Direi: "Faz tempo que ela não escreve".
Irei até sua casa e ela não estará.
Imaginarei: está no sítio de Ibiúna,
está numa reunião na cidade Tiradentes, ou
no Rio, com seus netos.

Saberei que não, você ausentou-se. Para outra vida?
A vida é uma só. A sua continua.
Na vida que você viveu.
Por isso não sinto agora a sua falta.

FMI pede que Estados Unidos suprimam tarifas sobre o etanol brasileiro

O Fundo Monetário Internacional pediu nesta terça-feira aos Estados Unidos que eliminem a tarifa imposta às importações de etanol brasileiro, como parte de suas recomendações para responder à alta dos alimentos em nível mundial. O FMI atribuiu parte da culpa da escalada do valor da comida ao "boom" dos biocombustíveis, em seu primeiro relatório detalhado sobre o tema. Mas, Mark Plant, subdiretor do Departamento de Desenvolvimento e Revisão de Políticas do FMI, fez uma distinção entre a política do Brasil e a dos Estados Unidos, que juntos produzem 70% do etanol do mundo. Plant disse que, nos E stados Unidos, as subvenções desviam parte da colheita de milho e trigo para a produção desse biocombustível. A isso contrapôs a "boa" política do Brasil, que retira o biocombustível da cana-de-açúcar, cultivada em terras onde não precisa deslocar a produção de outro alimento. Sanjeev Gupta, assessor do Departamento de Assuntos Fiscais do FMI, lembrou que o etanol brasileiro "está sujeito a impostos muito altos nos Estados Unidos" e disse que o organismo é a favor de sua eliminação. Os EUA mantêm uma tarifa de US$ 0,54 por galão (3,8 litros) à importação desse combustível para proteger seus produtores de milho, embora o governo brasileiro tenha solicitado reiteradamente à Casa Branca sua eliminação nos últimos anos. Além da proteção imposta pela tarifa, os produtores de etanol americanos se beneficiam de subsídios generosos. Plant disse que essas ajudas, e as que também a Europa dá a seu setor de biocombustíveis, acrescentam "tensão" ao mercado mundial de alimentos.

Colômbia aprova 26 extradições para os Estados Unidos

O governo da Colômbia autorizou nesta terça-feira a extradição de 26 criminosos para os Estados Unidos. Os 26 extraditados, entre eles quatro mulheres, serão processados nos Estados Unidos por ligação com o tráfico de drogas. Além disso, o colombiano Edgar Gutiérrez Ortiz será extraditado ao Peru, segundo uma lista divulgada pela Secretaria de Informação e Imprensa do Executivo. Já as autoridades da Espanha receberam a confirmação da extradição ao país de Gabriel Martínez Franco, também por ligação com o narcotráfico. Desde agosto de 2002, o governo do democrata Álvaro Uribe extraditou mais de 600 pessoas, a maioria para os Estados Unidos e quase todos por crimes ligados ao narcotráfico.

Brasil e Argentina acertam fornecimento de trigo e energia

A Argentina liberou meio milhão de toneladas de trigo para atender às necessidades do Brasil, informou o presidente Lula nesta terça-feira, ao final da Cúpula do Mercosul, em Tucumán (Argentina). Lula disse ainda que o Brasil está pronto para vender energia elétrica à Argentina para que o país possa enfrentar a elevada demanda no inverno. As exportações de trigo argentino ao Brasil foram interrompidas em duas ocasiões este ano, devido a problemas internos na Argentina, o que gerou complicações no mercado brasileiro. A questão do trigo foi analisada por Lula e pela presidente argentina, Cristina Kirchner, durante um encontro paralelo à Cúpula de Tucumán. Lula destacou que o Brasil tem água suficiente em suas represas para fornecer energia à Argentina e também ao Uruguai. O presidente brasileiro disse que a integração energética é decisiva para a América do Sul e ressaltou a importância da interconexão das redes da região.