quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Lobão Filho não conhecia as irregularidades das suas empresas, diz o sócio

O empresário Marco Antonio Costa, afirmou na terça-feira que o suplente de senador Edison Lobão Filho (DEM-MA), também conhecido como Lobinho, não sabia do uso de laranja e de assinaturas falsas na transferência de ações da Bemar Distribuidora de Bebidas em 1998. Lobão Filho diz que Costa "foi seu verdadeiro sócio" na Bemar de 96 a 98, período em que ficou na empresa. Quando deixou a empresa, parte das ações de Lobão Filho foi transferida para uma empregada doméstica, que teve a assinatura falsificada no negócio, segundo laudo da Polícia Federal. "Quem não sabia que era a doméstica, digamos assim, mas uma pessoa de muita confiança, era o Edinho. O Edinho não sabia, mas eu sabia", afirmou Costa. Por meio de seu advogado, Costa responsabilizou sua ex-mulher, Maria Luiza Thiago de Almeida, por indicar uma laranja para transferir as ações e por falsificar assinaturas. Costa e Maria Luiza estão separados desde o fim de 2002 e brigam na Justiça para definir valor de pensão alimentícia. Maria Luiza rebateu a acusação e afirmou ontem à Folha que Lobão Filho sabia da transferência das cotas para a empregada doméstica, usada como laranja. Maria Lúcia Martins, a laranja, trabalha na casa de Maria Luiza. Segundo Maria Luiza, as assinaturas foram falsificadas por uma funcionária da Itumar Distribuidora de Bebidas, empresa administrada por Costa e seu irmão Marco Aurélio. O suplente de senador é suspeito de transferir as ações para laranjas para fugir de dívidas da Bemar no valor de R$ 13 milhões. Esse Marco Antonio Costa é o tipo do empresário que todo mundo queria ter como sócio.....

Diplomatas de 40 países são investigados por contrabando na Argentina

A Justiça argentina investiga diplomatas de cerca de 40 países, em um caso de suspeita de "contrabando agravado" de automóveis importados dentro de um regime especial de isenção de impostos, após uma denúncia penal da Chancelaria e da Aduana. A pesquisa envolve funcionários de embaixadas européias e latino-americanas, além de representantes de organismos multilaterais. A revisão de trâmites de importação de veículos isentos de direitos alfandegários para uso diplomático permitiu estabelecer irregularidades cometidas entre 2004 e 2007 na entrega de licenças para que entrem no país veículos livres de impostos para este fim. A investigação motivou, na segunda-feira passada, uma denúncia por parte da Chancelaria perante a Justiça penal, e o chanceler Jorge Taiana afastou do cargo o titular do Departamento de Franquias de seu ministério. A investigação começou em agosto passado, após uma denúncia do Registro Automotivo ao então ministro do Interior, Aníbal Fernández (hoje ministro da Justiça), que alertou a Chancelaria. O sistema de franquias permite importar veículos livres de impostos, o que representa um preço final 50% inferior ao de mercado. Quando uma embaixada quer importar um veículo, apresenta um pedido de isenção de impostos à chancelaria, que abre um expediente e envia a ordem de ingresso para a Aduana. Dos 98 automóveis que a Justiça investiga, de um total de 960 importados entre 2004 e 2007, ao menos 18 não foram matriculados com placas diplomáticas, motivo pelo qual existe a suspeita de que tenham sido vendidos no mercado local. Segundo a auditoria interna da Chancelaria, a lista de automóveis irregulares inclui 17 veículos de luxo, como Porsche, Lamborghini, BMW e Audi, e pelo menos 24 jipes Hummer.

Delúbio Soares diz na Justiça que pediu empréstimo para pagar festa da posse de Lula

Delúbio Soares diz na Justiça que pediu empréstimo para pagar festa da posse de Lula
O ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, negou nesta quarta-feira, ao depor no Processo do Mensalão, que tenha pedido empréstimos ao Banco Rural e BMG para pagar o esquema de mensalão, esquema de corrupção montado pelo PT para comprar apoios de partidos e parlamentares para o governo Lula. Segundo ele, os empréstimos contraídos tinham o objetivo de pagar a festa da primeira posse do presidente Lula, além de viagens de militantes. O depoimento de Delúbio Soares foi a portas fechadas e ele foi interrogado pela juíza durante mais de oito horas. Antes dele a juíza Sílvia Márcia Rocha, da 2ª Vara Criminal Federal, ouviu Breno Fischberg, ex-sócio da corretora Bônus-Banval, acusado de cometer os crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Nesta quinta-feira a juíza ouve o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, deputado federal cassado por corrupção, apontado pelo procurador geral da República como o chefe máximo da quadrilha que operou o Mensalão.

Procuradoria quer suspender construção da nova sede do Tribunal Regional Federal em Brasília

O Ministério Público Federal no Distrito Federal ajuizou nesta quarta-feira uma ação civil pública pedindo a suspensão das obras de construção da nova sede do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília. Para o procurador da República, Rômulo Moreira Conrado, a obra é um "atentado ao princípio da economicidade". De acordo com o Ministério Público Federal, a obra foi orçada em R$ 480 milhões. Projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, a nova sede do TRF-1 ocupará uma área de cerca de 169 mil metros quadrados no Setor de Administração Federal Sul. Com a reforma, os 27 desembargadores do TRF-1 passarão a ter gabinetes de 350 metros quadrados, verdadeiras mansões públicas. O gabinete do presidente, com assessorias, terá área de 650 metros quadrados. Nesta caso, é um palácio. Para o procurador, um motivo que reforça a necessidade de suspensão da construção é a exigência de redução de gastos nos Três Poderes por causa do fim da CPMF.

Bovespa recua 3,69% e dólar se valoriza

O risco de uma recessão na maior economia do planeta, os Estados Unidos, e as dúvidas sobre eficácia das medidas para evitar essa crise, determinam uma nova sessão de perdas nas bolsas ao redor do mundo nesta quarta-feira. O Ibovespa, índice da Bovespa, caiu 3,69%, retroagindo aos 54.025 pontos, e realizando um volume financeiro de R$ 5,54 bilhões. O mercado de câmbio encerrou os negócios nesta quarta-feira com o dólar cotado a R$ 1,825, o que representou uma valorização de 1,84%. Profissionais de mercado atribuíram ao movimento de saída dos investidores estrangeiros da Bovespa, com venda de ações e compra de dólar, a alta das taxas. Até o dia 18, o saldo de investimentos estrangeiros está negativo em R$ 3,96 bilhões (vendas maiores que compras de ações). Na Europa, as principais Bolsas de Valores fecharam no negativo. A Bolsa de Londres cedeu 2,27%, enquanto o mercado acionário de Frankfurt registrou baixa de 4,87%. Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, caiu 0,38%.