quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Balança comercial apresentou superávit de US$ 3,636 bilhões em dezembro

A balança comercial brasileira apresentou saldo comercial positivo de US$ 3,636 bilhões no último mês de 2007. O valor representa uma queda de 28% em relação a dezembro de 2006, e uma elevação de 79,5% na comparação com novembro. No mês, as exportações somaram US$ 14,231 bilhões e as importações, US$ 10,595 bilhões. Pela média diária (movimento por dia útil), as vendas ao Exterior foram de US$ 711,6 milhões, e as compras, de US$ 529,8 milhões.

Balança comercial brasileira encerra 2007 com saldo de US$ 40 bilhões

O saldo da balança comercial fechou 2007 em US$ 40,039 bilhões, representando uma queda de 13,8% na comparação com o ano anterior. Esse saldo é o menor desde 2004, quando ficou em US$ 33,640 bilhões. É também a primeira vez, desde 1997, que o resultado do superávit apresenta uma piora em relação ao ano anterior. Um dos motivos para essa queda é o crescimento das importações a um ritmo superior ao das exportações, em uma temporada marcada pelo dólar em sua cotação mais baixa dos últimos sete anos, e pelo aumento do consumo interno. Em 2007, as compras de produtos importados chegaram a US$ 120,610 bilhões, valor nunca antes registrado na história brasileira e que representa um crescimento de 32% no ano, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério do Desenvolvimento. É o “milagre econômico” do governo Lula, uma evidente bolha econômica que, quando explodir, reduzirá multidões à desgraça. Já as vendas ao Exterior também foram recorde, chegando a US$ 160,649 bilhões, o que representa uma expansão de apenas 16,6% na comparação com o ano anterior.

Tesouro Nacional vai fazer resgate líquido de US$ 22 bilhões em títulos em janeiro

O Tesouro Nacional deve fazer um resgate líquido de títulos no primeiro mês de 2008, de acordo com o cronograma de leilões divulgado nesta quarta-feira. Os vencimentos previstos para o mês de janeiro somam R$ 57 bilhões. Deste total, R$ 54,3 bilhões são referentes a títulos com rentabilidade prefixada. A oferta total de títulos prevista para o período, nos leilões tradicionais, está limitada a R$ 35 bilhões, o que representará um resgate líquido de R$ 22 bilhões. O primeiro leilão de 2008 acontece nesta quinta-feira, quando o Tesouro Nacional ofertará ao mercado LTN (Letras do Tesouro Nacional) com vencimento em outubro de 2008 e janeiro de 2010, e NTN-F (Notas do Tesouro Nacional) com vencimento em janeiro de 2012 e janeiro de 2017. Quem olha os números dessas ofertas, verifica o quanto é capaz de bazófia o presidente Lula. É de uma obviedade atroz a fragilidade da economia nacional, e a capacidade de risco que ela apresenta, tanto que seus títulos só são aceitos pelo mercado com resgate em curtíssimo prazo. É isso que faz com que a taxa de juros permaneça alta.

Mais de 150 mil pessoas são vacinadas no Distrito Federal contra a febre amarela

Mais de 150 mil pessoas foram vacinadas no Distrito Federal, entre os dias 29 e 31 de dezembro, na campanha da Secretaria de Saúde contra a febre amarela. Segundo o subsecretário de Vigilância da Saúde, Joaquim Carlos Barros Neto, o objetivo é vacinar os 10% da população não imunizados contra a doença. Por isso, a vacinação continuará o ano todo nos postos de saúde. A intensificação das vacinações contra a febre amarela começou depois que macacos foram encontrados mortos no Distrito Federal e no Estado de Goiás, com suspeita de contaminação pela doença. Segundo Barros Neto, foi comprovado que as mortes foram causadas por outros motivos: “Nós nunca tivemos nenhum caso de febre amarela no Distrito Federal. Esse trabalho foi no sentido preventivo, já que aqui temos o vetor urbano, que é o mosquito Aedes aegipty, que pode transmitir a febre amarela, e houve essas mortes de primatas, o que nos deixou em alerta”. O Parque Nacional de Brasília, conhecido como Água Mineral, um dos locais onde foram encontrados os macacos mortos e que por isso foi fechado em 28 de dezembro, já teve sua reabertura autorizada.

Argentina exporta 3 milhões de toneladas de trigo para o Brasil

Os registros de exportação de trigo da Argentina para o Brasil em 2007/08 já somam 3 milhões de toneladas, de um total de cerca de 7 milhões de toneladas registradas para exportação para todos os destinos, informou a Secretaria de Agricultura argentina. Isso significa, segundo um corretor brasileiro, que a Argentina deverá embarcar para o seu principal cliente (o Brasil), entre janeiro e fevereiro, cerca de 1,7 milhão de toneladas de trigo, uma vez que em novembro e dezembro os embarques de trigo argentino atingiram aproximadamente 1,3 milhão de toneladas. Com as novas regras de exportação na Argentina, os exportadores precisam embarcar a mercadoria no prazo de 90 dias a partir da emissão do registro. O governo argentino suspendeu as autorizações para exportação de trigo no final de novembro, para evitar que uma eventual escassez do cereal pressione a inflação internamente. A medida argentina obrigou moinhos brasileiros a concentrarem suas importações em um curto período, uma vez que o cereal do País vizinho também foi bastante procurado por outros importadores. Os registros de exportação de trigo da Argentina para o Brasil somaram 5,6 milhões de toneladas na temporada passada (06/07). Além das 3 milhões de toneladas registradas para exportação ao Brasil em 07/08, a Secretaria de Agricultura da Argentina registrou para o período vendas de 500 mil toneladas para a África do Sul, 350 mil toneladas para a Argélia e Índia, 300 mil toneladas ao Chile e Peru, e 250 mil toneladas para Bangladesh, Egito e Quênia. A concentração de um elevado volume de importações em um curto período, em função da obrigatoriedade de embarque em um período de três meses, deixará alguns moinhos com estoques lotados no primeiro trimestre do ano.

MEC autoriza universidades federais a contratar quase 4 mil professores e funcionários

As universidades federais foram autorizadas na semana passada a promover concursos públicos para a contratação de professores e técnicos administrativos. A portaria que autoriza a abertura de 2.355 vagas para o magistério superior e 1.628 para técnicos foi publicada no Diário Oficial da União na última sexta-feira. Segundo o Ministério da Educação (MEC), as contratações fazem parte de um programa de expansão universitária. Ainda de acordo com o MEC, do total de vagas para professor, 1.546 destinam-se à contratação de novos profissionais e 809 à reposição. No nível técnico administrativo, 899 servidores serão contratados e 729 vão repor vagas. As instituições de ensino têm prazo de seis meses para abrir os concursos públicos e contratar os profissionais. A universidade com maior número de contratações é a do Rio de Janeiro (UFRJ), com 60 contratações autorizadas, seguida pela de Minas Gerais, com 43.

Homem que deixou menino no orfanato diz que ele pertencia às Farc

O homem que deixou em um orfanato o suposto Emmanuel, o menino que é filho da refém das Farc (organização terrorista e traficante de cocaína), Clara Rojas, nascido em cativeiro, afirmou que o menor pertencia à guerrilha. "José Gómez disse aos investigadores que era um menino das Farc", assinala o jornal El Tiempo, indicando que o homem, cujo testemunho foi gravado, está pedindo agora proteção do Estado. Gómez, que reclamou a devolução do menino no final de dezembro, também manifestou às autoridades que "não era pai ou tio-avô do menino (como afirmara a princípio) e que não tem nenhum parentesco com ele". Moradores da localidade de El Retorno (Guaviare) consultados pela rádio Caracol informaram que o homem desapareceu há oito dias. A revelação de que o menino estaria livre em Bogotá desde 2005 sob o nome de Juan David Gómez Tapiero foi feita pelo presidente colombiano, Alvaro Uribe, e provocou uma grande surpresa. O menino, nascido da relação consentida entre a refém Clara Rojas e um guerrilheiro, seria um dos internos do Instituto Colombiano do Bem-Estar da Família (ICBF, estatal), em Bogotá.

Deputados indiciados pela Polícia Federal são denunciados no TRE de Alagoas

O líder comunitário Antônio Fernando da Silva, coordenador estadual do Fórum pela Moralização Eleitoral em Alagoas (Comitê 9840) entrou com uma representação no Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas, solicitando que o Ministério Público Eleitoral mova uma ação contra os dez deputados estaduais alagoanos envolvidos no desvio de R$ 200 milhões do duodécimo da Assembléia Legislativa do Estado. Segundo Antônio Fernando, a representação foi protocolada no Cartório Eleitoral, no dia 28 de dezembro de 2007, dirigida ao juiz da 2ª Zona Eleitoral, que deverá encaminhá-la ao procurador eleitoral, para que seja analisada. Na representação, o líder comunitário, que é conhecido por Fernando CPI, pede a cassação dos deputados e ex-deputados estaduais indiciados pela Polícia Federal na Operação Taturana. "Chegou a hora da Justiça Eleitoral dar um basta aos políticos corruptos, que utilizam o dinheiro do povo para comprar votos e se perpetuar no poder", afirmou Fernando CPI, que já entrou também com uma outra representação no Ministério Público Estadual, solicitando que a instituição ingresse com uma ação civil pública para processar os responsáveis pelo desvio dos R$ 200 milhões da folha de pagamento da Assembléia Legislativa. Apesar de já ter sido ameaçado de morte, Fernando CPI disse que não teme retaliações: "Nunca tive medo de denunciar ninguém, muito menos deputados envolvidos com desvio do dinheiro público. Além disso, sempre faço minhas denúncias com base em documentos e em defesa da coletividade". Ao todo, mais de 50 pessoas já foram indiciadas pela Polícia Federal e vão responder na Justiça por envolvimento no golpe, entre as quais dez deputados estaduais, incluindo o presidente da Assembléia, Antônio Albuquerque (DEM), apontado como chefe da quadrilha. Entre os indiciados estão também os ex-deputados estaduais Celso Luiz, Gilberto Gonçalves, Gervásio Raimundo, Timóteo Correia e Fátima Cordeiro.

Petrobras garante que óleo do campo de Tupi pode ser explorado até um custo de US$ 35 por barril

O petróleo que está abaixo da camada de sal na Bacia de Santos pode ser viabilizado comercialmente mesmo que o preço do barril caia a até US$ 35,00, conforme executivo da Petrobras, que tem participado diretamente do avanço tecnológico para promover a exploração da área de Tupi, mas prefere não ser identificado. "Muito se fala do custo elevado para produzir o óleo naquela profundidade, mas estamos avançando consideravelmente em tecnologia para superar o desafio e viabilizar esta produção em escala comercial", disse ele, lembrando os sete mil metros que separam a superfície marítima da área em que foram encontradas as acumulações de petróleo na área. Segundo este executivo, o custo atual do barril, na casa dos US$ 90,00 é perfeitamente viável para a produção, mas "ninguém apostaria num projeto que exigisse a manutenção desse patamar". De acordo com geólogos, dificilmente o custo de extração na área ficaria abaixo dos US$ 20,00 diante de uma média de US$ 7,00 hoje empregados para a exploração no País. Em seu plano de investimentos para até 2020, a estatal aponta premissas de preço para o barril, de US$ 35,00 como base para a sustentação dos seus projetos. No campo de Tupi estão localizados entre cinco bilhões e oito bilhões de barris. A área de Tupi, porém, pode deixar de ser o filé mignon da estatal se forem confirmados os estudos detalhados que os técnicos da empresa estão fazendo sobre outros poços perfurados na área em torno deste bloco. O executivo da empresa não quis falar em números redondos, mas admitiu que a acumulação que vem sendo chamada de Pão de Açúcar, e engloba outros três blocos concedidos na segunda e terceira rodada da Agência Nacional do Petróleo (ANP), podem superar até as mais otimistas perspectivas de multiplicar as reservas nacionais de óleo, hoje na casa dos 13 bilhões de barris. "Temos sete poços perfurados na região, dos quais apenas três tiveram seus dados divulgados. Ainda há boas novidades por sair nos próximos meses, quando as análises dos dados estiverem concluídas", comentou esse executivo. Segundo relatório divulgado pelo analista Emerson Leite, do Credit Suisse no último dia 21 de dezembro, apenas para a área do chamado Pão de Açúcar, que também recebe o nome de Carioca, é estimado pelo analista um potencial que varia entre 12 bilhões a 24 bilhões de barris. A acumulação está localizada na área dos blocos BM-S-8, BM-S-9, BM-S-21 e BM-S-22. A Petrobras detém a operação em todas essas áreas, em parceria com a Galp, Repsol, BG, Exxon e Amerada Hess. Caso seja confirmado que estes blocos possuem acumulações contínuas e ligadas a Tupi, o governo brasileiro teria que unificar estas reservas, colocando ainda os blocos BM-S-10 e BM-S-24, o que incluiria ainda a portuguesa Partex entre os parceiros da Petrobras a receberem uma participação porcentual no campo todo. De acordo com o relatório do Credit Suisse, considerando o potencial mais otimista para as reservas abaixo da camada pré-sal na Bacia de Santos, incluindo Tupi e Carioca (ou Pão-de-Açúcar), a estimativa é de atingir a um volume de 46,5 bilhões de barris de óleo leve na área.

Lula prorroga até junho validade de restos a pagar

O presidente Lula assinou na sexta-feira passada um decreto que prorroga até 30 de junho de 2008 a validade dos restos a pagar relativos aos Orçamentos de 2005 e 2006. Os restos a pagar são compromissos de pagamento contraídos pelo governo para obras em fase final de execução que estão concluindo o processo orçamentário. Esse mecanismo é válido por um ano, mas o governo usa-o de forma recorrente quando há atrasos em obras. A maior parte das ações que tiveram os restos a pagar prorrogados é do Projeto Piloto de Investimentos (PPI). Com as prorrogações e os restos a pagar de 2007, o volume de despesas comprometidas em anos anteriores que farão parte da execução orçamentária de 2008 deve ser elevado, podendo superar a casa dos R$ 20 bilhões.

Farc completam farsa da troca de reféns e tiranete Chavez amarga rotundo fracasso

As Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), organização terrorista e traficante de drogas, afirmaram na segunda-feira que “operações realizadas pelo Exército colombiano” impediram a entrega dos três reféns que o grupo prometeu libertar. "As intensas operações realizadas na zona (em que os reféns seriam entregues) nos impedem entregar, como era nosso desejo, os reféns. Insistir seria arriscar a vida das pessoas e dos guerrilheiros", disse o grupo terrorista e traficante de drogas em um comunicado lido pelo presidente venezuelano, o cantinflesco tiranete Hugo Chávez, por telefone, no canal de televisão estatal da Venezuela. Logo após o comunicado do tiranete do Caribe, o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, anunciou que está disposto a criar um corredor desmilitarizado na selva colombiana para que o resgate dos reféns seja realizado. Uribe negou que seu governo tenha intensificado operações militares na zona em que os seqüestrados seriam libertados e prometeu um cessar-fogo no momento em que os helicópteros de resgate levantarem vôo. A libertação da ex-assessora de campanha da candidata à Presidência, Ingrid Betancourt (também seqüestrada), Clara Rojas, de seu filho Emmanuel, nascido em cativeiro, e da ex-parlamentar Consuelo González de Perdomo, era aguardada desde sexta-feira. As Farc prometeram libertar esses três reféns como "um ato de desagravo" a Chávez, que no fim de novembro foi afastado por Uribe da mediação com o grupo terrorista e traficante de cocaína na busca de um acordo para a troca de reféns por prisioneiros. Em discurso realizado na cidade colombiana de Villavicencio, ponto de partida da operação de resgate, Uribe disse que o real motivo do adiamento da libertação dos reféns é que Emmanuel não estaria mais em poder das Farc. Segundo o presidente colombiano, o menino teria sido entregue ao Instituto Colombiano de Bem-Estar Familiar (ICBF). Uribe disse que há na instituição um menino de três anos e seis meses com características semelhantes às de Emmanuel. De acordo com Uribe, um suposto tio da criança tentou retirá-la do instituto na segunda-feira. Uribe solicitou ao governo da Venezuela que permita a realização de um exame de DNA da avó de Emmanuel, Clara González de Rojas, que está em Caracas, para comprovar sua hipótese.

Um homem ridículo no coração das trevas (sobre o “Top Top” Garcia)

Leia a seguir o artigo publicado em seu site www.veja.com.br/blogs/reinaldo pelo jornalista Reinaldo Azevedo sobre o papelão desempenhado em Caracas e na Colômbia pelo clone de chanceler do Brasil, o trotskista Marco Aurélio “Top Top” Garcia: “A delinqüência moral das Farc e de Hugo Chávez, nesse episódio da libertação que não houve dos reféns, está à altura dos trajes de Marco Aurélio ‘Top Top’ Garcia para visitar o coração das trevas. Parecia um desses caudilhos latino-americanos do século passado, com seu ar enfatuado, conferindo-se ares de grande negociador de causas mundiais. O ridículo deste senhor não conhece limites. É mais um desses trastes sem superego que superpovoam o governo Lula. É nojento. Sim, certas coisas são de dar medo. O mundo assiste, impassível, a um espetáculo degradante, que transforma a vida de três pessoas – e também a dos demais reféns, que não entraram nessa “negociação” – em matéria do mais vagabundo proselitismo. Sabemos o que fazem nesse meio o Brasil e a Argentina, por exemplo. Mas não a França. Para proteger uma cidadã que também tem nacionalidade francesa, Nicolas Sarkozy comete um erro grave, indigno de sua trajetória até aqui. Essa “negociação”, por enquanto calculadamente emperrada, é uma barbaridade: trata-se de um assalto à legalidade, ao bom senso, ao estado democrático de direito, à civilidade. Os países que aceitaram ser “observadores” dessa pantomima estão legitimando o terrorismo e igualando narcotraficantes ao governo legal e constitucional da Colômbia. É o que faz, por exemplo, uma nota do Itamaraty ao lamentar o insucesso da operação. “Insucesso”? Depende. O que se queria? Libertar os reféns? Não necessariamente. Isso é mero pretexto. A vida dessas pessoas é apenas instrumental. O objetivo do ditador venezuelano é retirar autoridade de Álvaro Uribe, presidente da Colômbia, transformando-o, vejam que ironia, num REFÉM POLÍTICO EM SEU PRÓPRIO PAÍS. Por que afirmo isso? Observem que o coronel amigo dos terroristas atribuiu ao outro o insucesso da operação. O presidente teria de ficar trancado em palácio e dar livre trânsito às Farc, que passariam, então, a governar a Colômbia em parceria com... Chávez. Só assim três – e apenas três – pessoas seriam libertadas, restando, ademais, a dúvida se o garoto Emmanuel, filho de Clara Rojas, nascido em cativeiro, está mesmo entre elas. Chávez tripudia sobre o desespero dos familiares, que se agarram, como seria de se esperar, à sua mediação. Nunca – notem bem: nunca – um governante usou de instrumento tão sujo, não asqueroso, para, “pacificamente”, se meter na política interna de um outro país. Isso quando a Venezuela é, na América Latina, o segundo país com o maior número de reféns – perde justamente para a Colômbia, onde há a guerrilha. Caracas é a capital mais violenta do continente, com o maior número de assassinatos por 100 mil habitantes. E o meliante se atreve a enfiar o nariz em assuntos alheios! Ao comentar o “insucesso” da negociação, além de atacar Uribe, o ditador da Venezuela afirmou que pode recorrer a outros métodos para libertar os reféns se os pacíficos falharem. O que terá querido dizer o bandido? Vai criar alguma força de assalto para invadir um país estrangeiro? Vai entrar em confronto armado com seus coleguinhas narcoterroristas? Nem o Irã, que é a matriz do terrorista Hezbollah, que atua no Líbano, assumiu, em relação àquela força, o papel que Chávez se atribui nas “conversações” com as Farc. Sob o silêncio cúmplice e abestalhado do mundo. Pobres reféns! Para arremate de todos os males, ainda contam com a clarividente colaboração de Marco Aurélio ‘Top Top’ Garcia, a ilustração bufa do coração das trevas”. Mais umas coisinhas que não são do conhecimento de Reinaldo Azevedo: Marco Aurélio “Top Top” Garcia foi dirigente da 4ª Internacional e é dirigente do Foro de São Paulo, criado por Lula para reunir todas as organizações comunistas e terroristas da América do Sul. Marco Aurélio “Top Top” Garcia foi dirigente do POC (Partido Operário Comunista). Quando o delegado de polícia civil gaúcho Pedro Seelig, do antigo DOPS (Departamento de Ordem Política e Social), no final da década de 60, prendeu o jornalista Luiz Paulo Pilla Vares (também dirigente do POC gaúcho), o qual foi solto alguns dias depois sem ter levado um simples peteleco, Marco Aurélio “Top Top” Garcia escafedeu-se voando do Rio Grande do Sul, em direção à França. Em Paris, refestelado, comandou o envio de ex-militantes e dirigentes do POC para as atividades armadas na Argentina, junto ao ERP (Exército Revolucionário Popular), como o de Flavio Koutzii e Maria Regina Pilla. Marco Aurélio “Top Top” Garcia gosta disso, pose de intelectual de gabinete, comandando os outros ao perigo. Agora ele foi fazer um passeio como Indiana Jones botocudo. Comprometeu o Brasil. Ele é o que ele faz.

Familiares de Clara Rojas fazem exame de DNA

Familiares da colombiana Clara Rojas, refém das Farc (organização terrorista e traficante de cocaína) recolheram nesta terça-feira amostras de DNA para confirmar ou descartar a hipótese de um menino de três anos, localizado em orfanato em Bogotá, seja seu filho Emmanuel, nascido em cativeiro. "Cinco especialistas da Colômbia devem chegar a qualquer momento em Caracas, para fazer os exames em minha mãe e em mim", afirmou nesta terça-feira Iván Rojas, irmão de Clara. O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe disse que as Farc (organização traficante de cocaína) suspenderam a libertação dos três reféns (Clara, seu filho Emmanuel e a ex-congressista Consuelo González) porque o garoto não está mais em seu poder. Segundo Uribe, a guerrilha jamais poderia cumprir sua promessa, "já que não está com o menino". Ele afirmou que um garoto de três anos, chamado Juan David Gomez, com a mesma descrição de Emmanuel, está vivendo em Bogotá há dois anos e meio, em um centro estatal de atenção a menores desamparados. Gomez teria sofrido desnutrição e malária. Para Ivan Rojas, a hipótese de Uribe tem a vantagem de ser rapidamente confirmada ou descartada com a realização do teste do DNA. Seis terroristas-traficantes das Farc morreram nos primeiros combates registrados em 2008, em diferentes regiões do país, segundo boletim divulgado nesta terça-feira pelo Centro de Operações do Comando do Exército, em Bogotá.